Archive for September, 2006

Sant´ana

September 26, 2006

Paulo Sant´ana não serve como exemplo de gremismo, principalmente depois do que falou no ano passado. Para mim ele está cada dia pior. Dizem que ele era mais brilhante até os anos 80. Não sei. Contudo ele é ainda é muito “útil” para tocar flauta nos colorados. Isso ele faz muito bem. Embora não se trate exatamente de “flauta” transcrevo abaixo parte de sua coluna(21/09/2006) onde ele “dá nos dedos” do Falcão:

Paulo Roberto Falcão, tu sabes o quanto te estimo e admiro a tua fidalguia e bom humor. Por isso é que leio tua coluna todos os dias aqui em ZH.

Mas desta vez não deu pra agüentar, Falcão. Tu escreveste anteontem que está muito ruim a entressafra de volantes no futebol brasileiro.

E concluíste que Mineiro e Josué, do São Paulo, se constituem numa raridade como bons volantes no futebol nacional.

Falcão, foi muito duro de suportar esse golpe. Porque o melhor volante do futebol brasileiro, o que vem se inscrevendo a cada jogo que passa entre as maiores revelações do futebol brasileiro e se credencia a ser um craque invulgar, mora na cidade em que moras, Falcão.

Lucas é escolhido em quase todos os jogos do Grêmio como o melhor jogador da partida pela equipe da Rádio Gaúcha. Ontem, foi-o novamente.

Se o melhor volante brasileiro joga em Minas, no Rio, no Nordeste, para nós às vezes fica difícil diagnosticá-lo.

Mas o melhor, o mais fosforescente de todos os volantes brasileiros, Falcão, mora aqui na tua cidade, já está comprado pelo futebol espanhol e está aberto e oferecido aos teus olhos todas as semanas. É o único volante brasileiro que joga terminalmente ou como garçom na área adversária, permanentemente. E corre para defender sua área brilhantemente.

Não tem explicação que tu não estejas enxergando isso, com toda a tua sabedoria e experiência, Falcão. Este menino, Lucas, além de ser volante, é goleador, ameaça assim vir a ser melhor volante do que tu foste, Falcão.

Por que tu o desconheces, Falcão? Será por ele ser alto e loiro?

Como é que tu não estás vendo isso, Falcão?”

Advertisements

Goias 4 x 0 Grêmio

September 25, 2006

De novo não consegui assisitir o jogo, porém dessa vez acho que foi melhor assim. Todos nos sabiamos que uma hora o Grêmio iria perder, mas não precisa ser dessa forma. 4 x 0 é demais. Souza é o artilheiro do campeonato, um centroavante razoavel, mas não tem futebol pra fazer dois gols no Gremio (principalmente do jeito que fez). Reclame-se muito do Wellington, mas também ele anda exposto ali, sabendo da deficiência na lateral-esquerda, o time deve proteger mais aquele setor. fala-se tambem que o Gremio fez poucas faltas: 14, contra 28 do Goiás.

Espero uma vitória no próximo jogo, para que se pare de falar que “time tá de salto alto”; “o Lucas tá com a cabeça na seleção” e mais outras besteiras que ouvi desde ontem.

Pelo meus calculos, a última vez que o Grêmio perdeu de 4 x 0 foi no tambem no estado de goias, para o “glorioso” na Anapolina na série B de 2005. Desde lá, o Gremio subiu pra 1ª e disputa o título da divisão máxima,e o Anapolina caiu pra terceira e praticamente não tem chances de subir. O que eu quero dizer com isso é que esses 4 x 0 são tão somente um jogo, não podem ter reflexos tão fortes na campanha daqui pra frente.

GOIÁS 4 X 0 GRÊMIO

GOIÁS: Harlei, Vítor, Aldo, Rafael Diaz, Galeano e Jadilson; Romerito, Cleber e Róbson Luiz (Juliano); Souza (Danilo Portugal) e Johnson (Muñoz).
Técnico: Geninho

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Patrício, Willian, Evaldo e Wellington; Jeovânio, (Sandro) Lucas, Léo Lima (Rafinha), Tcheco e Ramon (Herrera); Rômulo.
Técnico: Mano Menezes

Data: 24/9/06 (domingo) 18h10min
Local: Estádio Serra Dourada, em Goiânia
Público: 8.946 pagantes
Renda: R$ 77.740
Árbitro: Heber Roberto Lopes (PR)
Assistentes: Roberto Braatz (PR) e Aparecido Donizetti Santana (PR)
Cartões amarelos: Léo Lima (G), Souza (GO), Evaldo (G), Romerito (GO), Cléber (GO), Lucas (G),
Gols: Souza, aos 35 min e Jadílson, aos 38 min do 1.º tempo; Johnson, aos 18 min; Souza, aos 23min do 2.º tempo

Lucas na seleção

September 22, 2006

Nada mais justo do que a convocação do Lucas pra seleção. Não vejo muitos outros jogadores que desempenhem tão bem a função de segundo volante.

Justiça mesmo se fará quando se convocar Anderson pra seleção. É o jogador mais promissor que surgiu no futebol brasileiro nos ultimos dois anos.

Grêmio 4 x 0 Ponte Preta

September 22, 2006

Infelizmente não pude assistir a mais essa vitória do tricolor. De qualquer forma fico contente que o Grêmio não tropeçou e até mesmo teve facilidade contra um adversário mais fraco.
Hugo fez o gol que já merecia desde o jogo contra o botafogo. Lucas fez o dele e Herrera fez 2. Ótimo, o argentino merece muito esses gols, pois é um jogador de luta interminavel.

GRÊMIO 4 X 0 PONTE PRETA

GRÊMIO: Marcelo; Patrício, William (Maidana), Evaldo e Wellington; Jeovânio, Lucas, Tcheco (Sandro Goiano), Hugo e Leo Lima; Rômulo (Herrera)
Técnico: Mano Menezes

PONTE PRETA: Jean; Tiago Matias, Régis e Rafael Santos; Nei, Carlinhos, Ricardo Conceição, Almir (Jean Carlos) e Iran (Wellington); Vélber (Mossoró) e Tuto
Técnico: Marco Aurélio

Data: 20/9/06 (quarta-feira)
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre
Público: 32.213.
Renda: R$ 421.012.
Árbitro: Wagner Tardelli Azevedo (RJ)Assistentes: Dibert Pedrosa Moisés (RJ) e Vilmar Raul
Cartões amarelos: Hugo (GRE). Tuto, Thiago Martins, Rafael Santos, Nei e Régis(PON)
Gols: Hugo, aos 20min do primeiro tempo. Lucas, aos 44min do primeiro tempo. Herrera, aos 28min do segundo tempo. Herrera, aos 46min do segundo tempo.

Qual é a Magica?

September 19, 2006


Segundo as noticias mais recentes o Grêmio ultrapassou a barreira dos 24.000 sócios.
Segundo algumas informações o setor das sociais tem capacidade de 12.000 lugares.
e se todos sócios resolverem ir ao mesmo jogo nas sociais? o que fazer?
eu sei que muito socios vao na geral, mas mesmo assim temos um problema. Nos dois últimos jogos a social estava
lotada, com muitos sócios sentados no corredor.

abaixo a informação completa sobre a capacidade do Olímpico:

Capacidade total: 51.081 lugares
Arquibancada Inferior:
Geral Portão 10: 5.300 lugares
Geral Portão 18: 2.500 lugares
Geral Visitantes Portão 20: 1.000 lugares
Geral Central: 13.200 lugares
Sociais: 12.000 lugares
Cadeiras Superiores: 8.700 lugares
Cadeiras Cativas: 7.661 lugares
Camarotes: 500 lugares
Tribuna de Honra: 120 lugares
Cabines de Imprensa: 100 lugares
Camarotes: 40 camarotes com 10 lugares cada. Cinco camarotes com 20 lugares cada.
Tribuna de Honra: 120 lugares especiais.
Setores para Deficientes Físicos: Lugar para 28 cadeiras de rodas e 22 acompanhantes.

Grêmio 4 x 0 Botafogo

September 18, 2006

Não foi um bom primeiro tempo. Tcheco fez muita falta, principalmente quando o Gremio tentava sair jogando. Menos mal que, numa jogada que se repete com certa frequencia, Ramon escorou de cabeça no primeiro pau, Lopes espalmou e Romulo colocou para o fundo das redes. O Botafogo não se abalou e tentou buscar o empate. Marcelo fez boas defesas e segurou o ataque da fogão.

O Grêmio retornou para o segundo tempo sem alterações, apenas William e Evaldo inverteram o posicionamento. A equipe voltou melhor, mas foi o botafogo que teve as melhores as chances em dois chutes de Juninho, um parou na trave; outro em boa defesa de Marcelo. O jogo se manteve parelho até Leo Lima roubar uma bola na intermediaria e cruzar para Rômulo fazer 2 x 0. aí sim ficou fácil, mas mais fácil ficou após as expulsões de Junior Cesar e Alê. Lucas deu um baita lançamento pra Rafinha, que de três dedos tirou do goleiro, a bola caprichosamente ameaçava sair pela linha de fundo até que Herrera empurrou de carrinho para fazer o 3 x 0. No finzinho, Romulo completou seu Hat-Trick ao cabecear de marca do penalti e fazer o 4 x 0 final. Apesar de não ter sido citado nesse post, achei que Hugo foi o melhor em campo.

Os 4 x 0 não podem apagar os erros do árbitro, que Anulou o gol de letra do Herrera em posição discutievel, não deu um penalti em cima do Leo Lima na sáida de Lopes e não deu outro pênalti quando Bill deu uma “cortada” dentro da área

Gremio 4 x 0 Botafogo – 24ª rodada

GRÊMIO: Marcelo Grohe, Patrício, Evaldo, William e Bruno Telles; Jeovânio (Rafinha), Lucas, Ramon (Herrera) e Hugo; Léo Lima (Sandro) e Rômulo
Técnico: Mano Menezes

BOTAFOGO: Lopes, Leandro Carvalho (Bill), Juninho e Asprilla e Júnior César; Alê, Ataliba, Thiaguinho e Zé Roberto; Reinaldo (Wando) e Lima (Thiago Xavier)
Técnico: Cuca

Data: 17 de setembro de 2006, domingo, 16 horas
Gols: Rômulo, aos 6min, no primeiro tempo. Rômulo, aos 25min e aos 44min, e Herrera, aos 35min, no segundo.
Cartões Amarelos: Rômulo, Jeovânio, Bruno (G), Juninho, Lima, Alê (B).
Cartões Vermelhos: Júnior César e Alê.
Árbitro: Sálvio Spinola (Fifa-SP), com Evandro Silveira (SP) e Marinaldo Silvério (SP).
Público: 32.199 pessoas.
Renda: R$ 437.520.
Local: Olímpico.

Revista Placar

September 15, 2006

Aí em cima está o esquema tático do Grêmio segundo o guia do 2° turno da Revista Placar. Ok, eles acertaram que o tricolor atua no 4-5-1, mas depois dissoe sóe erram. A equipe de forma alguma está habituada a atuar com três zagueiros . Chamar o Tcheco de volante acho que é forçação de barra. a distribuição dos jogadores em campo está completamente equivocado. William só é quarto zagueiro quando joga com o Maidana, de resto ele joga pela direita e o Evaldo pela esquerda. Tcheco só jogou uma vez pela esquerda (contra o Juventude), Rafinha nunca foi realmente titular. Acho que são muitos erros para uma revista que diz acompanhar todas as partidas do campeonato brasileiro In loco. Abaixo está o esquema do Gremio segundo as minhas observações.

4-5-1

September 14, 2006

Ao contrário do que a Folha de São Paulo escreveu, o Grêmio joga no 4-5-1, e não no 3-6-1.
Ao contrário do que a Revista Placar escreveu, 3-6-1 não é um esquema alternativo do Gremio. Acho que desde que o Mano assumiu não mais se viu esquema com tres zagueiros no olimpico.

4-5-1 é o melhor esquema para o plantel atual do Grêmio. Foi o esquema usado por Itália e França na Copa. Foi o esquema que Dunga adotou contra Argentina. Contudo não é um esquema livre de problemas. O mais vísivel é a falta de aproximação do meio campo com o ataque.

No Grêmio essa aproximação é bem feita pelo Ramon. Ele, que inicialmente esta pela ala-esquerda, avança e soma-se ao centroavante. Aí o Grêmio joga bem e podemos ver as melhores atuaçoes de Ramon (que não é nenhum craque, mas no ataque vai bem). o Time fica (com a bola) num 4-2-2-2, sem a bola volta para o 4-5-1.

No jogo contra o Vasco, o lado esquerdo da defesa do tricolor estava vazando. Ramon foi obrigado a recuar para auxiliar na marcação, porém o Gremio perdeu a aproximação do meio com o ataque. Hugo também estava apagado, dando dribles no campo de defesa do Grêmio.

Uma solução que proponho é entrada de Léo Lima no lugar de Ramon. Assim cria-se a possibilidade de avançar Hugo para o ataque. Para que isso de certo, Léo Lima tem que ter maior entrega na marcação, algo díficil num jogador marrento ( o que muitos dizem que ele é). Sem a bola o Grêmio continuaria com o 4-5-1, mas com a bola se aproximaria de uma 4-4-2, com Tcheco na meia-direita; Leo Lima na meia-esquerda, Hugo centralizado no meio, sendo o jogador que mais se aproxima de Rômulo.

Vasco 1 x 1 Grêmio

September 11, 2006

Não sei ao certo se o empate foi um bom resultado. Certo é que foi a atuação menos inspirada do tricolor de uns jogos pra cá. Certo também é que Renato Portaluppi é um bom técnico de futebol, ele está “tirando” o máximo que pode desse elenco do Vasco.

Desde a copa do brasil já se sabia da pegada do time do vasco, e isso de certa forma dificultou o Grêmio. Jogo truncado no meio campo. As poucas chances vinham através de chutes de fora da área. Foi assim que Lucas fez o gol do Gremio. Igor acertou um belo chute no travessão, depois Andrade marcou um golaço para empatar o jogo. Sim foi um golaço, não me venham dizer que foi frango do Marcelo. A Bola passou pelo lado de dentro da barreira e entrou junto a trave, era uma bola de dificil defesa. Se houve falha ela se encontra na Barreira, que não pulou e talvez estivesse mal colocado, só aí podemos culpar o goleiro, que é o responsável pela barreira.

No segundo tempo talvez tenha faltada ousadia. A aproximação do meio campo com o ataque estava prejudicada. Hugo e Tcheco foram apáticos. Ramon (que é quem melhor faz esse ligação) estava ocupado demais auxiliando Wellington na marcação. Não é segredo que a lateral esquerda é o calcanhar de aquiles do Gremio, mesmo assim Wellington esteve abaixo do aceitável nesse sábado, com o único atenuante que ele ficou exposto o jogo inteiro, seu algoz, Jean, recebia a bola de frente sem nenhuma dificuldade.

mudando um pouco de assunto: São Januário tem lá seu charme, os comícios de getúlio no dia do trabalhador, o palco máximo do futebol carioca dos anos 40. tudo isso acrescenta a mística do estádio. Mas ao mesmo tempo, “detalhes” como o gramado, em péssimo estado, depõe contra a casa do vasco.

Olhando a tabela o empate foi bom, deixa o Vasco 4 pontos distante, mas acho que dava pra querer mais do time.

VASCO: Cássio, Fábio Braz, Paulão, Carlão, Wagner Diniz, Igor, Andrade, (Madson, 25′ 2ºt), Morais, Diego, Jean, (Fábio Jr., 30′ 2ºt), Faioli, (Valdiram, 17′ 2ºt)
Técnico: Renato Portaluppi

GRÊMIO: Marcelo Grohe, Patrício, William, Evaldo, Wellington, Jeovânio, Lucas, Tcheco, Ramon, (Rafinha, 21’/2ºt), Hugo, (Ricardinho, 34′ 2ºt), Rômulo, (Rudnei, 41′ 2ºt)
Técnico: Mano Menezes

Gols: no primeiro tempo, Lucas (G), aos 31 minutos, e Andrade (V), aos 40.
Cartões amarelos: Wellington, Hugo (G), Fábio Braz, Igor, Faioli, Jean (V)
Arbitragem: Cleber Welington Abade (SP), auxiliado por Valter José dos Reis (Fifa-SP) e Emerson Augusto de Carvalho (SP).
Renda: R$ 65.595,00
Público: 8.229 pagantes
Local: Estádio São Januário (RJ)

Frase do dia

September 6, 2006

“filho de peixe, peixinho é”

ou melhor

“filho de traíra, traírinha é’