Archive for January, 2007

Libertadores 1990

January 31, 2007
Seguindo com as participações gremistas na libertadores vamos a edição de 1990. O grêmio se classificou para esta edição como campeão da Copa do Brasil de 1989, ficando no grupo 5 juntamente com Vasco, Olimpia e Cerro Porteño. dos 4 clubes 3 classificavam para as oitavas de final. Um dado curioso dessa edição da libertadores era de que os times colombianos não indicaram representantes pois o campeonato colombiano de 1989 foi cancelado. Apenas o Atlético Nacional, campeão da libertadores de 89, participou dessa edição, isso gerou algumas consequências estranhas como o fato de o 1°colocado no grupo do gremio iria direto as quartas de final.

O Grêmio fez sua pior participação na história da libertadores, terminando em 4 no grupo. Até que iniciou bem, surpreendendo o Vasco de Roberto Dinamite e Tita. Na seqüência o tricolor viajou ao paraguai e perdeu para o Olimpia e Cerro. Na volta o técnico Paulo Sérgio Poletto foi demitido, em seu lugar entrou Evaristo de Macedo, Evaristo realizou algumas mudanças no time que não surtiram efeito. Contra o Vasco em são januário com gramado encharcado e empate em 0 x 0 foi comemorado, pois o gremio ainda podia se classifcar em 1°lugar e restavam dois jogos no olímpico. Contudo foi no olímpico que se deu o vexame. 2 x 2 com olimpia e 0 x 0 com o cerro porteño. Vale lembrar que o Olimpia acabou sendo o campeão daquele ano, se é que isso serve de consolo.


sobre aquela libertadores disse o então presidente Paulo Odone:
“Nos fomos para a Libertadores com o Vasco, que era o nosso principal adversário. Dos quatro pontos disputados nós ganhamos três. Os outros dois times eram paraguaios, o Cerro e o Olimpia. O Olimpia não tinha time. E nós conseguimos ficar em quarto. Nós estávamos quase classificados e empatando com o Cerro no Olímpico e, faltando uns dez minutos, um cara deles um bago da bandeirinha que divide o meio campo. O Mazaropi foi correndo, ele estava no bico da área, e a bola caiu atrás dele. Nós estávamos em segundo e ficamos em quarto. Foi um terror aquilo.” (Paulo Odone)

Dois enganos do odone: Mazaropi levou frango no jogo contra o Olimpia e não contra o Cerro, além disso não foi exatamente como ele descreveu, o vídeo postado acima desmente ele. O Olimpia poderia até não ter um timaço, mas foi o campeão daquele ano (veja aqui, leia aqui) e também ganhou a supercopa no segundo semestre.

Abaixo a matéria da Placar sobre a desclassificação do Grêmio.
Time base do Poletto:
Mazarópi; Alfinete, Luís Eduardo, Vílson e Hélcio; Jandir, Cuca e Adílson Heleno (Geverton); Darci, Nílson e Paulo Egídio.

Time base do Evaristo:
Mazarópi; Alfinete, Luís Eduardo, Vílson e Hélcio; João Antônio (Jandir), Lino (Nando) e Cuca; Darci (Almir), Nílson e Paulo Egídio.
14/03/90 – Porto Alegre – Grêmio 2 x 0 Vasco – Gols do Grêmio: Nilson e Darci
27/03/90 – Assunção – Olimpia 1 x 0 Grêmio –
30/03/90 – Assunção – Cerro Porteño 3 x 1 Grêmio – Gol do Grêmio: Cuca
18/04/90 – Rio (São Januário) – Vasco 0 x 0 Grêmio
24/04/90 – Porto Alegre – Grêmio 2 x 2 Olimpia – Gols do Grêmio: João Antônio e Nílson
27/04/90 – Porto Alegre – Grêmio 0 x 0 Cerro Porteño

Gauchão – Grêmio 3 x 0 São Luiz de Ijuí

January 29, 2007
O São Luiz Resistiu até tomar o 1°gol, depois não ofereceu mais perigo. O 2°gol aconteceu 3 minutos depois, bela cabeçada de Diego Souza após a “velha” cobrança de escanteio do Tcheco, e aí sim a partida ficou definida. Já é o segundo jogo em que o Gol do grêmio mal é ameaçado, sinal que, os times do interior estão fracos e que a defesa do gremio tá bem montada. Segundo tempo o Grêmio criou mais chances, mas em quase todas parou no inspirado goleiro Adilson, contudo o “goleirão” do São Luiz falhou no 3° gol após um chute traiçoeiro de Tcheco.

Fica dificil fazer uma análise sobre os estreantes Saja e Teco já que não foram exigidos. Jucemar jogou pouco tempo. Gostei do Bruno Teles, mais veloz e dando alguns bons cruzamentos. Tuta, mesmo que perdendo alguns gols aparecia a todo momento dentro da área para concluir. Carlos Eduardo esteve muito bem, mas como o próprio Mano pediu, ele deve jogar mais dentro da área, tentar driblar mais em direção ao gol.

GRÊMIO: Saja; Patrício (Jucemar), Teco, William e Bruno Teles; Edmilson, Diego Souza, Tcheco e Ramon (Éverton); Carlos Eduardo (Sandro Goiano) e Tuta.
Técnico: Mano Menezes

SÃO LUIZ: Adilson; Maurício Hering, Júnior, Rodrigo Bronzatti e Itaqui (Edmar); Paulo Roberto, Sandro, Gustavo (Nunes) e Chiquinho; Evandro Brito e Rafael Betini (Giovani).
Técnico: Paulo Wissmann

Gauchão – 1 Fase – 3ª rodada
Data: 28/01/2007
Árbitro: Márcio Coruja.
Cartões amarelos: Nunes (SL), Paulo Roberto (SL) e Rodrigo (SL).
Gols: Maurício (contra) (1º/18min), Diego Souza (1º/21min) e Tcheco (2º/29min).
Local: Estádio Municipal de Cidreira, em Cidreira (RS)

Camisa Nova?

January 26, 2007
Não gosto muito de ficar “colando” noticias aqui no blog, mas já que não vi mais nada a respeito disso, aqui vai:

“Cruzeiro e Grêmio lançam Puma THALES CALIPO Da Máquina do Esporte, São Paulo Apesar de as principais novidades do mercado do futebol serem tradicionalmente lançadas na Europa, a Puma resolveu inovar neste processo. A empresa definiu que Cruzeiro e Grêmio serão os primeiros clubes do mundo a utilizarem os novos modelos de uniforme para a temporada 2007. Goiás e Paulista, que também são patrocinados pela companhia, não vestirão os novos uniformes pois estão “em outra faixa”, segundo uma executiva da Puma.

O motivo para a escolha de dois times brasileiros, de acordo com a Puma, é o calendário do futebol europeu. Como a temporada na Europa tem início no meio do ano, a empresa resolveu antecipar o lançamento no Brasil, já que os campeonatos no país tem início em janeiro.

A data de lançamento, inclusive, ainda não foi definida. Enquanto o Cruzeiro planeja ter o seu uniforme até o fim de fevereiro, a Puma é mais pessimista e diz que terá as novas camisas entre os meses de março e abril.
As novidades no modelo que será lançado neste ano são mantidas em sigilo, mas a Máquina do Esporte apurou que foi incorporada uma nova tecnologia no tecido do produto, além do processo de corte e costura
ser feito todo a laser. ” SEXTA-FEIRA, 19 DE JANEIRO DE 2007


O que chama a atenção é que a Puma de novo vai “atrasar” a entrega das camisas. Assim sendo, muito provavelmente o Grêmio não vai estrear na libertadores com fardamento novo. Uma pena. Até aqui da pra se dizer que a Puma tem mais erros do que acertos com o Grêmio. O fornecimento de material pela puma começou no início de 2005 e já não começou bem, o Gremio teve que jogar os primeiros jogos de 2005 com um fardamento sem fornecedor porque a Puma ainda não tinha feito os novos uniformes. Bem, finalmente em meio ao gauchão de 2005 chegou o novo uniforme, e eram muito bonitos, especialmente o branco, ali sem duvida a Puma acertou, acertou até na camisa de treino, que era azul com dourado(diferente mas ainda assim um pouco a ver com o gremio). Contudo as camisas demoraram a chegar nas lojas, e quando chegaram causaram alguma confusão nos consumidores devido ao tamanho da confecção da Puma, a Camisa GG da Puma era bem menor que a G da Kappa (fornecedora anterior), era comum crianças comprando camisas que seriam para adultos. Ainda em 2005, atendendo a demanda feito pelo torcedor a puma criou a camisa preta (shadow), mas falhou ao não suprir corretamente as lojas que pretendiam atender o torcedor animado no fim de ano pela volta a 1ªdivisão.


O Grêmio iniciou 2006 ainda com a camisa de 2005, o novo uniforme só foi usado pela primeira vez na estreia do campeoanto brasileiro. Nesse fardamento de 2006 a Puma errou feio, com uma modelagem meio estranha, com o Patrocinador com espaço exagerado e um “arco” nas costas que deixa a camisa horrível. Na camisa tricolor a uma gola branca só frente. A camisa segue um certo padrão que a puma estabeleceu para a copa 2006 (apesar de nenhuma outro concorrente usar mais deste expediente). O mais polêmico da camisa tricolor eram as mangas, uma de cada cor. O então vice-presidente de marketing do grêmio Reinaldo Lopes afirmou, ao jornal zero hora de 27 de abril de 2006, que está era uma tendência a ser seguida por 12 das 32 seleções da copa da alemanha irão usar camisas com mangas de diferentes cores. Na copa só se viu a seleção do Equador seguindo tal tendencia, e ela sequer era patrocinada pela puma. A camisa azul celeste (pro meu gosto muito escura) só foi chegar as lojas bem mais tarde e teve ainda uma certa polêmica em torno da camisa de treino verde-limão.

Espero que a Puma se redima em 2007, fazendo um belo e único uniforme para o Grêmio, não gosto e nem acho certo que o Grêmio tenha um fardamento identico ao do Goias e Paulista de Jundiaí.


Gauchão – Grêmio 4 x 0 15 de Novembro

January 25, 2007
Achei que o time do 15 poderia trazer mais dificuldades ao Grêmio, mas não trouxe. O time do 15 foi (ou é) muito ruim. Não teve ataque e parava todas jogadas na sua intermediaria com faltas. Em meio a isso, o gremio conseguiu uma boa jogada, onde Tuta deu assistencia a Carlos Eduardo que chutou pro gol, mas a bola caprichosamente tocou nas duas traves. Por causa da estratégia defensiva do 15 foi oferecida ao gremio várias opurtunidades de bola parada, na maioria delas Diego Souza tentou com força e se deu mal. Numa falta maiss junto a lateral, Tcheco (com o pé calibrado novamente) botou na cabeça de Tuta que fez 1 x 0. e o jogo se encaminhou normalmente para o intervalo.

O jogo ja estava fácil pro Grêmio com 11 contra 11, mas Bebeto resolveu ajudar e foi expulso após tentar pisar no William. Mano mudou bem colocado o Everton e logo saiu o segundo gol, justamente do everton, num belo passe do Patrício. Não satisfeito, o atleta Cadu do 15 resolveu facilitar ainda mais ao ser expulso por agressão ao garoto Carlos Eduardo. Então o jogo virou um sonolento ataque contra defesa, mas o zagueiro Claúdio Elias resolveu agitar um pouco as coisa e fez um penalti infantil. Tcheco bateu, tirando o “adiantado” goleiro Márcio da foto. Ainda teve mais um gol do Grêmio, benovo Tcheco, numa bomba, provando que recolocou o “pé na forma”.

Não me entusiasmei tanto assim com o Carlos Eduardo, acho que ele tem que definir melhor em que posição atua, pois para um atacante ele volta muito para buscar jogo.

Nem tem como avaliar a estreia do Schiavi, o ataque do 15 (quando existiu) não passou nunca do William, Schiavi, jogando na sobra, mal foi incomodado.

Ainda acho que o time está muito lento, especialmente na sáida de bola e no contra-ataque. Não consegui ouvir a opinião do Mano sobre a atuação pois as rádios de porto alegre preferiram transmitir, entre outras coisas, o cara ou cora de Ulbra x Inter

GRÊMIO: Galatto; Patrício, Schiavi, William e Bruno Teles; Edmilson (Sandro), Diego Souza, Tcheco e Ramón (Everton); Carlos Eduardo (Aloísio) e Tuta.
Técnico: Mano Menezes

15 DE NOVEMBRO: Márcio; Cadu, Cláudio Elias, Renato e Índio (Nem); Glauber, Márcio Hahn, Bruno e André Chu (Marcelo Souza); Éverton Severo e Kempes (Bebeto)
Técnico: Guto Ferreira

Local: Estádio Olímpico
Gols: Tuta, aos 29 minutos do 1° tempo. Everton, aos 20, e Tcheco, aos 42 e aos 47 minutos do 2°tempo
Cartões amarelos: Patrício, Edmilson (G); André Xu, Cadu, Everton Severo, Glauber, Claudio (15).
Expulsões: Bebeto e Cadu (15).
Público: 14.710 (12.573 pagantes).
Renda: R$ 180.887.
Arbitragem: Ânderson Daronco, auxiliado por Luiz Roberto Guaranha e Vilmar Burini.

Libertadores 1984

January 24, 2007
Seguindo com as participações do Grêmio na libertadores, vamos agora com a participação de 84. Como campeão do ano anterior o Grêmio entrou direto na segunda fase, num triangular com o Flamengo e o Universidad Los Andes de Mérida na Venezuela. Apenas um time passava para final e Grêmio e Flamengo terminaram empatados na 1ª posição com 6 pontos, o regulamento previa um jogo desempate e campo neutro. O jogo foi marcado para São Paulo (à 1100km de porto alegre e apenas 430km do Rio) o Grêmio tinha vantagem do empate devido ao melhor saldo de gols. No Pacaembu com 40.000 pessoas o Grêmio jogou com o regulamento embaixo do braço e garantiu o empate em 0x0, classificando-se para final contra o “Rey de copas” Independiente.

 

Reza a lenda, que os jogadores gremistas, liderados por De León, entreram em atrito com a direção por causa do valor do “bicho”. Muitos atribuem a isso a derrota na primeira partida. Já vi China e Tarciso minimizando esse fato. Fato é que o Grêmio perdeu o 1°jogo no olimpíco por 1×0, gol de Burruchaga. No jogo de volta, o time de Ricardo “Bocha” Bochini (descrito como o Woody Allen jogando bola) segurou o 0x0 garantindo a sétima libertadores do Independiente.

Vendo pelo lado dos argentinos é interessante esse relato retirado de um site de torcedores do Independiente:

“Por último, derrotó a Gremio de Porto Alegre, equipo que venía de ser campeón de América y del mundo en la temporada anterior, lo que lo califica como muy duro. Independiente lo venció en Porto Alegre (un bastión casi inexpugnable) por 1 a 0 en una brillantísima exhibición que la prensa brasileña dió en llamar “el partido perfecto”. El diario Zero Hora, de Brasil, otorgó 10 puntos a los once jugadores de Independiente” (Diabolicos.com.ar)

 

RICARDO BOCHINI:  “And another time, against Gremio in Porto Alegre, I had the ball at my
feet but I had to wait, because they were sitting back very well and
there was nearly no space, so I had to hold the ball against a marker,
knowing that I had to wait for Burruchaga, who had already started
running to break the lines. We were close to the box, so there wasn’t
much space and it had to be a very sharp pass. I waited, and then I gave him the pass, and we scored.”
(The Guardian, 23 de janeiro de 2014)

Obs: fotos do time e das jornais retirados do site Coleção Gremio – Gianfranco: http://www.torcedor.gremista.nom.br/


Triangular Semifinal – Grupo B
26/06/84 – Poa –Grêmio 5 x 1 Flamengo – Gols: Osvaldo(2), Caio, Renato e Tarciso
03/07/84 – Caracas – ULA Mérida 0 x 2 Grêmio – Gols do Grêmo: Renato e Caio06/07/84 – Rio de Janeiro – Flamengo 3 x 1 Grêmio – Gol do Grêmio: Guilherme

09/07/84 – Poa – Grêmio 6 x 1 Mérida – Gols:: Caio, Tarciso(2), Guilherme(2) e De Leon

Jogo Desempate

19/07/84 – São Paulo (Pacaembu) – Grêmio 0 x 0 Flamengo

FUTEBOL- RENATO GAÚCHO

Finais

24/07/84 – Porto Alegre – Grêmio 0 x 1 Independiente – Gol: Burruchaga
27/07/84 – Avellaneda – Independiente 0 x 0 Grêmio
Final – 1°jogo – Grêmio 0 x 1 Independiente

GRÊMIO: João Marcos; Paulo César, Baidek, De León e Casemiro; China, Osvaldo e Guilherme (Gilson); Renato, Luís Carlos e Tarciso.
Técnico: Carlos Froner

INDEPENDIENTE: Goyén; Clausen, Villaverde, Trossero, Enrique, Giusti, Marangoni, Bochini, Burruchaga, Bufarini, Barberón (Reinoso).
Técnico: José Osmar Pastoriza


Data: 24 de julho de 1984
Local: Estádio Olímpico, Porto Alegre
Juiz: Juan Daniel Cardellino (Uruguai)
Público: 75.000 pessoas
Gol: Burruchaga 24 do 1°tempo

Final – 2°jogo – Independiente 0 x 0 Grêmio

INDEPENDIENTE: Goyén; Clausen (Zimmerman), Villaverde, Trossero, Enrique, Giusti, Marangoni, Bochini, Burruchaga, Bufarini, Barberón
Técnico: José Osmar Pastoriza


GRÊMIO:
João Marcos; Paulo César, Baidek, De León e Casemiro; China, Osvaldo e Luís Carlos; Renato, Guilherme e Tarciso.
Técnico: Carlos Froner

Data: 27 de julho de 1984
Local: Avellaneda, Buenos Aires
Juiz: Mario Lira (Chile)
Público: 60.000 pessoas

 

 

Gauchão – São José 0 x 1 Grêmio

January 22, 2007
O começo de jogo do Grêmio foi bom, parecia que seria questão de tempo até o 1°gol, e foi o que aconteceu. O Grêmio jogava com facilidade pelo lado direito com Patrício, Diego Souza e Everton. Everton não fez grande partida, mais jogando como segundo atacante se movimentou bastante, criando espaço para quem vinha de trás. foi justamente numa movimentação pela ponta direita que Diego Souza recebeu de Patrício e, numa jogada de força e habilidade, entrou dentro da área e cruzou para Tuta, que teve que “enquadrar” o corpo antes de cabecear no contra-pé do goleiro: 1×0. Pela esquerda o Grêmio não tinha a mesma facilidade, Bruno Teles parecia lento, Ramon pouco aparecia e Tcheco errava a maioria dos lances, aliás Tcheco bateu vários escanteios direto pra fora. Edmilson desempenhou o mesmo papel do Jeovânio, sem sair da frente da zaga, que por sua vez não foi lá muito exigida. No segundo tempo o time caiu de rendimento. Alguns jogadores, como Diego Souza e Bruno Teles, abandonaram a defesa. O São José levou perigo, mas daí Gallato e a trave apareceram bem.

Não tinha muita referencia do Diego Souza, contudo ele me pareceu um bom jogador: Forte, alto, bom passe, forte na marcação, dá carrinho, arrisca de fora da área. Foi sem dúvida o nome do jogo. Tuta mostrou que é centroavante, talvez mais opurtunista do que o Rômulo, sabe usar muito bem o corpo, apesar de parecer ainda um pouco fora de forma. O time está razoavelmente bem formado, mas qualquer um consegue perceber que ainda precisa de um lateral esquerdo e de um segundo atacante. Ainda é cedo, quero ver mais jogos, mas acho que com esses jogadores o gremio tem um contra-ataque muito lento.

O estádio de cidreira, o popular Sessimzão, é um absurdo. um exemplo clássico de “elefante branco”. O antigo prefeito tinha de ser preso no momento que apresentou o projeto do estádio. Um estádio de 18.000 pessoas numa cidade de 11.000 é revoltante. é literalmente um monte de concreto em meio as dunas.

SÃO JOSÉ: Dudu; Darío, Bruno, Marcelo e Marcelo Muller (Anderson); Daril (Rafael Logerian), Júnior Negrão, Rafael Dias (Rafael Xavier) e Jeferson; Cléber e Franciel.
Técnico: Bagé.

GRÊMIO: Galatto; Patrício, William, Pereira e Bruno Teles; Edmilson, Diego Souza, Tcheco e Ramon (Sandro Goiano); Everton (Carlos Eduardo) e Tuta.
Técnico: Mano Menezes

Local: Sessimzão, em Cidreira/RS
Arbitragem: Jean Pierre Gonçalves Lima, auxiliado por José Carlos Oliveira e Marcelo Barison.
Gol: Tuta (G), aos 20min do 1º tempo.
Cartões amarelos: Bruno Teles, Patrício e Edmilson (G); Rafael Dias, Dário e Anderson (SJ).

Libertadores 1983

January 17, 2007

Para informações sobre a libertadores de 1983, mais vídeos e fotos acessem:
http://www.libertadores1983.blogspot.com/

a campanha e os gols:

1ª fase – Grupo 2
04/03/83 – Porto Alegre –Grêmio 1 x 1 Flamengo – Gol do grêmio: De León
22/03/83 – Santa Cruz de la Sierra – Blooming 0 x 2 Grêmio – Gols: Tita e Renato
25/03/83 – La Paz – Bolívar 1 x 2 Grêmio – Gols do Grêmio: Osvaldo e China
26/04/83 – Porto Alegre – Grêmio 2 x 0 Blooming – Gols: Caio e Osvaldo
31/05/83 – Porto Alegre – Grêmio 3 x 1 Bolivar – Gols: Tita, Tonho e Tita
05/06/83 – Rio de Janeiro – Flamengo 1 x 3 Grêmio – Gols do Grêmio: Tita, Caio e Osvaldo


Triangular Semifinal –
21/06/83 – Porto Alegre –Grêmio 2 x 1 Estudiantes – Gols do grêmio: Osvaldo e Tarciso
24/06/83 – Cali – América 1 x 0 Grêmio –
06/07/83 – Porto Alegre – Grêmio 2 x 1 América – Gols do Grêmio: Caio e Osvaldo
08/07/83 – La Plata – Estudiantes 3 x 3 Grêmio – Gols do Grêmio: Osvaldo, César e Renato

Finais
22/07/83 – Montevideo – Peñarol 1 x 1 Grêmio – Gols: Tita
28/07/83 – Porto Alegre – Grêmio 2 x 1 Penãrol – Gols: Caio e César

Um texto do espinosa sobre a equipe de 83:
GRÊMIO 83

Através do Blog ,tenho recebido pedidos para falar daquela equipe do Grêmio Campeão Mundial de 83.Tenho notado que os leitores ,em sua grande maioria ,ou eram muito pequenos ou nem nascidos eram ainda.
Bem, tirando vários aspectos que foram importantes para a formação daquela equipe,me deterei em dois grandes aspectos que fizeram a diferença em todos os jogos :a técnica e força física .

Era uma equipe que dava condições de colocar em prática ,conceitos que até hoje entendemos importantes para vencermos,ou seja ,contrariar as ações do adversário;Ex:Adversário com mais técnica ,se enfrenta usando mais força e equipe com mais marcaçaõ ,quebra-se este ímpeto com toque de bola.
Outro detalhe que considero importantíssimo :Quando jogar de visitante e esperam que voce defenda-se …ATAQUE!!!!
Pois meus amigos ,assim era a equipe do Grêmio,que mudava o ritmo de jogo dentro de uma mesma partida , sempre buscando obter vantagem para vencer!
Contra o Estudiantes em La Plata atacamos, quando eles esperavam que fossemos nos defender .
Em La paz ,em função da altitude ,usamos da pura técnica para vencer !

Também nos jogos finais da Libertadores contra o Peñarol, precisamos calcular muito bem as ações a serem usadas :
– Primeiro jogo em Montevidéo:Houve equilíbrio, onde jogamos de forma ofensiva:1×1.

– Segundo jogo no Olímpico: O adversário,muito mais experiente em Libertadores ,forçou-nos a jogar com muito mais garra e técnica o tempo inteiro:2×1

Este era o GRÊMIO daTécnica e da Força!!!!

O GRÊMIO que sabia como usá-las e ao final da Libertadores e do Mundial via consagrado seu trabalho e sua dedicação,conquistando os tão almejados Títulos , que até hoje fazem parte do melhor de sua história ” (Valdir Espinosa)

Lentidão de Schiavi

January 15, 2007

Essa história de lentidão de zagueiros surgiu com força no começo de 2006. A “sábia’ imprensa do RS recomendava ao Internacional a contratação de um zagueiro castelhano, contudo quem trouxe um castelhano foi o Grêmio com o argentino Maidana. Questionada sobre isso a direção colorada tratou de desmerecer a contratação dizendo que todos zagueiros disponiveis no mercado eram lentos: Pronto! Maidana foi automaticamente rotulado de lento e nada do que ele fez no ano desmentiu isso.

Agora o Grêmio trouxe Schiavi, um zagueiro que marcou época no futebol sul-americano. Mas ele não parece ser bom o bastante para nossa imprensa, que o qualificou como “lento”. Ora, qual zagueiro não é lento? zagueiro rápido é exceção. Nova opurtunidade para Mano Menezes mostrar sua sabedoria:

Mano Menezes considera precipitada a avaliação dos jornalistas sobre Schiavi (ao lado). Disse que o argentino não é mais, nem menos lento do que a maioria dos zagueiros.

– Zagueiro não tem que estar passeando atrás de atacantes longe da área. Isso só provoca desgaste – avalia o técnico” (Zero Hora, 15/01/2007)

Impressionanete como falta o entendimento de conceitos básicos de futebol para “nossa” imprensa.

Sabedoria de Mano

January 15, 2007

Não faço a menor idéia de como o Grêmio atuou ontem, e francamente o placar de 2 x 0 contra o Flamengo de São Valentim não é algo por si só animador, mas tenho plena convicção no trabalho do Mano. Parece que Mano pediu para o time não pressionar o adversário no campo de defesa, porque isso traria uma facilidade que o não corresponderia aos desafios que o gremio vai enfrentar neste ano. Não só pelo trabalho em campo, como também por suas sábias declarações que Mano Menezes se destaca como um grande treinador de futebol

GRÊMIO: Galatto; Patrício (Jucemar), William (Teco), Pereira (Schiavi) e Bruno Teles (Wellington); Edmilson (Nunes), Diego Souza (Rudnei), Tcheco (William Thiego) e Ramón; Éverton e Carlos Eduardo.
Técnico: Mano Menezes

FLAMENGO: Bosco; Sandro, Baggio, Eder e Pissaia; Alceu, Palito, Vini e Professor; Wesley e Edinho.
Técnico: Marciano

14/01/2007 – Amistoso
Local: Estádio Aristides Bertuol – Bento Gonçalves, RS
Arbitragem: Silvio Santos, com Denilson Nunes e José Rodrigues
Gols: Pereira a 1minuto e Éverton aos 19 da segunda etapa. Obs: jogo em três etapas de 30 minutos

Estádio II

January 12, 2007

Não sei realmente a quantas anda os estudos sobre a localização do novo estádio do Gremio, contudo tem gente dando como certa a ida do Gremio para uma área próxima ao aeroporto. Pro meu gosto não está sendo observado que mudanças não são fáceis, ainda mais mudanças dessa magnitude. Sobre a “arena” o conselheiro Evandro Krebs fez algumas observaçoes interessantes em sua coluna publicada no site Final Sports, essa coluna foi posteriormente transcrita pelo Hiltor Mombach no jornal Correio do Povo; agora é a minha vez de transcrever a parte que me convém:

Na exploração do negócio futebol, não se pode desprezar aspectos antropológicos e a relação do vínculo emocional das pessoas e seus cenários ambientais. Um estádio, mais ou menos moderno, simboliza memórias, estimula sonhos, representa a identidade da sua comunidade de expectadores. Esses valores imaginários, simbólicos, são tão fortes que, em não sendo respeitados, podem até comprometer a solidez, fidelidade, encanto e amor na relação torcedor-instituição.” (Evandro Krebs)

Será que que o torcedor não vai estranhar essa possível mudança? Será que não vai sentir saudade do olímpico na Azenha? Será que esse grupo de estudos, composto por vários holandeses, saberá dimensionar essa relação do torcedor gremista (porto-alegrense) com o estádio?

Pra finalizar, acho que essa história de se colocar o estádio na entrada/saída de porto alegre para aproveitar a vinda de torcedores do interior e região metropolitana está um tanto quanto equivocada, está se superdimensionando a porcentagem de torcedores vindos desses locais.