Archive for April, 2007

Gauchão – Juventude 3 x 3 Grêmio

April 30, 2007
Jogando com os titulares, com Edmilson no lugar de Nunes o Grêmio começou dominado o jogo. Alternado passes curtos e longos o tricolor envolvia o Juventude e foi num passe longo que Tuta achou Carlos Eduardo livre na ponta esquerda, e o guri entrou na área, cortou o zagueiro e deu uma bomba de direita – golaço – 1×0. Mesmo com a vantagem o time não diminuiu o ritmo e continuou atacando, Carlos Eduardo tinha muito espaço na esquerda e Diego Souza aparecia bem na direita. Contudo o 2º gol não saiu e o Juventude começou a se animar. Tcheco, Carlos Eduardo e Diego Souza demoravam a recompor o meio de campo e Sandro e Edmilson ficavam sobrecarregados. O Juventude teria empatado o jogo na cabeçada de William, não tivesse Vinicius Costa marcado um impedimento absurdo. Mas o merecido empate do juventude veio pouco depois, Márcio Azevedo cobrou bem o escanteio, Teco errou na marcação e Wescley subiu sozinho para empatar 1 x 1. Dois minutos depois Tcheco dá um baita lançamento para Carlos Eduardo, André sai muito mal do gol e erra a cabeçada, Carlos Eduardo só empurra pro gol vazio 2 x 1.
O Grêmio volta bem do vestiário, trocando passes no campo do Juventude. Lúcio deu um bom chute de fora da área ( André pôs pra escanteio). Mas alguns jogadores que foram destaque no 1ºtempo diminuíram o ritmo no 2º, caso de Diego Souza e Carlos Eduardo. Antes do 10 minutos o valente Cristiano foi lançado no contra-ataque, passou fácil por Teco, Edmílson demorou na cobertura e deu tempo pro avante do Ju chutar cruzado. Saja se posicionou bem, defenderia a bola não fosse o capricho do gramado irregular, que fez a bola subir justo quando se aproximava do arqueiro tricolor 2 x 2. O Grêmio voltou a buscar a vitória, Diego Souza deu bom cruzamento para Patrício, que pegou muito embaixo na bola e chutou por cima do gol. Tuta errou uma cabeçada com o gol vazio após cruzamento de Carlos Eduardo.

Ivo fez mudanças ousadas em seu time, tirou seu melhor jogador em campo (o camisa 5 Julio Cesar) e colocou Veiga na esquerda, liberando Márcio Azevedo, Ivo ainda tirou o brigador Cristiano para colocar o “experiente” Da Silva. Logo o Juventude criou duas boas chances, William chutou pra fora e Gabriel não conseguiu encobrir Saja. O jogo continuava igual, após boa troca de passes, Sandro abriu na ponta para Patrício, que cruzou rasteiro, Tuta, de carrinho tocou por sobre o gol. Faltando 10 minutos Da Silva recebeu na intermediária, deixando Tcheco para trás, Teco deu espaço, permitindo o chute cruzado. Saja foi um pouco atrasado e a bola bateu na trave e entrou 3 x 2. Carlos Eduardo (cansado) já havia dado lugar a Ramon. Vinicius Costa exagerou e expulsou Patrício e Juliano. Ameçado pelo árbitro, Lúcio pediu pra sair. Bruno Teles entrou, Everton também entrou no lugar de Tcheco. Aos 47, o velho clichê “quando ninguém mais esperava…” Everton pediu bola para Bruno Teles e fez o 1-2, o lateral recebeu dentro da área e teve calma para achar Tuta no segundo pau. 3 x 3. Bom jogo, é verdade, mas o placar dilatado passa muito também por clamorosas falhas defensivas. Em relação ao Grêmio acho que faltou maior compactação defensiva. Tcheco e Diego Souza tem que ajudar mais na marcação do meio de campo.

Me parece claro que Teco acrescentou qualidade a zaga do Gêmio. Contudo ontem falhou nos 3 gols. Se Schivai tivesse atuação parecida com essa seria impiedosamente massacrado pela imprensa e parte da torcida.

Quanto ao gol anulado o blog Gremio Imortal foi perfeito. Leiam aqui.

Já quanto a distribuição de ingressos eu tenho muito pouco a dizer. Quando até o Paulo Sant´ana consegue enxergar o absurdo dessa situação, fica dificil acrescentar algo.

fotos: Gremio.net e Diario de Santa Maria

Juventude 3 X 3 Grêmio

JUVENTUDE: André; Michel (Gabriel 45´), Wescley, Éderson e Márcio Azevedo; Radamés, Julio César (Veiga 66´), Lauro, William, Juliano; Cristiano (Da Silva 66´).
Técnico: Ivo Wortmann

GRÊMIO: Saja; Patrício, William, Teco e Lúcio (Bruno Teles 81´); Sandro Goiano, Edmilson, Diego Souza e Tcheco (Everton 83´); Carlos Eduardo (Ramon 72´) e Tuta.
Técnico: Mano Menezes

Data: 29/04/2007 (domingo), 16h00min
Local: Estádio Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul-RS
Público:18.152
Renda: R$ 216.350,00
Árbitro: Vinicius Costa da Costa (RS)
Assistentes: Paulo Ricardo Silva Conceição (RS) e Sérgio Buttes Cordeiro Filho (RS)
Cartões Amarelos: Diego Souza, Sandro Goiano, Lúcio (Grêmio); Wescley, Lauro (Juventude)
Cartões Vermelhos: Patrício (G); Juliano (J)
Gols: Carlos Eduardo (G) aos dois; Wescley aos 32 (J); Carlos Eduardo (G) aos 34 minutos do primeiro tempo; Cristiano (J) aos sete; Julio César (J) aos 34; Tuta (G) aos 47 do segundo tempo

Média de Público

April 27, 2007


O Grêmio tem a maior média de público pagante entre os clubes brasileiros que participam da libertadores:

1º Grêmio – Média: 35.607
2º Inter- Média: 34.047
3º São Paulo – Média: 23.836
4º Flamengo – Média: 23.685
5º Paraná – Média: 10.926
6º Santos – Média: 6.506

Libertadores – Oitavas de Final

April 27, 2007


(1º) Santos x Caracas (16º)

(8º) Colo Colo x América (9º)

(5º) Necaxa x Nacional (12º)

(4º) Toluca x Cucuta (13º)

(3º) Libertad x Paraná (14º)

(6º) Velez x Boca Jrs. (11º)

(7º) Grêmio x São Paulo (10º)

(2º) Flamengo x Defensor (15º)

Classificação Final da Primeira Fase

April 27, 2007


Grupo 1
1º- Libertad (Par) -13 pontos
2º- América (Mex) – 12 pontos
3º- Banfield (Arg) – 9 pontos
4º- El Nacional (Equ) – 1 ponto

Grupo 2
1º- Necaxa (Mex) -12 pontos
2º- São Paulo (Bra) – 11 pontos – saldo 7
3º- Audax Italiano (Chi) – 11 pontos – saldo 2
4º- Alianza Lima (Chi) – 0 ponto

Grupo 3
1º- Grêmio FBPA (Bra) -10 pontos
2º- Cúcuta Deportivo (Col) – 9 pontos
3º- Deportes Tolima (Col) – 7 pontos – 5 gols pró
4º- Cerro Porteño (Par) – 7 pontos – 4 gols pró

Grupo 4
1º- Velez Sarfsfield (Arg) -11 pontos
2º- Nacional (Uru) – 10 pontos – saldo 4
3º- Internacional (Bra) – 10 pontos – saldo 0
4º- Emelec (Equ) – 3 pontos

Grupo 5
1º- Flamengo (Bra) -16 pontos
2º- Paraná (Bra) – 9 pontos
3º- Real Potosí (Arg) – 6 pontos
4º- Unión Maracaibo (Ven) – 2 pontos

Grupo 6
1º- Colo Colo (Chi) -9 pontos – saldo 5
2º- Caracas (Ven) – 9 pontos – saldo -3
3º- LDU Quito (Equ) – 8 pontos – 7 gols pró
4º- River Plate (Arg) – 8 pontos – 5 gols pró

Grupo 7
1º- Toluca (Mex) -12 pontos
2º- Boca Juniors (Arg) – 10 pontos
3º- Cienciano (Per) – 9 pontos
4º- Bolívar (Bol) – 4 pontos

Grupo 8
1º- Santos (Bra) -18 pontos
2º- Defensor (Uru) – 9 pontos – saldo 1
3º- Gimnasia y Esgrima (Arg) – 9 pontos – saldo -1
4º- Deportivo Pastol (Col) – 0 pontos

Libertadores – Grêmio 1 x 0 Cerro Porteño

April 25, 2007

Com quase a mesma escalação do que enfrentou o Caxias, o Grêmio não repetiu a pressão e a movimentação contra o Cerro. Também não era necessário e nem era possível, visto que o Cerro é um time bem mais qualificado do que o Caxias. Contudo a vontade e a disposição foram as mesmas.

Apesar de o tricolor ter tomado a iniciativa foi do Cerro a primeira chance: um ótimo cruzamento vindo da direita, Saja cortou mal e Salcedo cabeceou para fora. Mas o time não se abalou e voltou a buscar o gol. Patrício era impossibilitado de avançar, Diego Souza aparecia como meia e a jogada mais constante do Grêmio era pelo lado esquerdo com Lúcio e Carlos Eduardo (este muito bem marcado). Movimentando a bola na intermediária o time tentava furar a retranca do Cerro. Tcheco aparecia pouco e Sandro insisita em lançamento pelo alto. Num desses lançamentos, Tuta dominou de costas e passou para Patrício, que chutou rasteiro uma bola que deveria ser chutada no alto. A pressão seguia. Falta na intermediária, Tcheco levantou na área e Teco fez de cabeça. o juiz anulou marcando impedimento inexistente. No final do primeiro tempo Tuta tabelou com
Tcheco mas bateu fraco pra defesa de Navarro.


No segundo tempo o Grêmio continuava trocando passes no campo de Cerro, mas as chances não apareciam tão claramente. Alguns chutes precipitados da intermediária e o time (assim como a torcida) começavam a diminuir o ritmo. Mano mexeu bem tirando Nunes e colocando Everton. Sua ousadia foi premiada, pois justamente Everton fez de cabeça o gol salvador, após falta cobrada por Sandro Goiano. Aí o jogo mudou de figura, o desepero foi pro lado do Cerro. foi até engraçado que depois do gol, o goleiro Navarro não reclamou mais da calibragem da bola. Mano corretamente recompôs a cabeça da área colocando Edmilson no lugar de Carlos Eduardo. O Grêmio tratou de administrar o resultado, Nisso se destacaram Sandro e Diego Souza.

De todos os jogadores em campo ontem apenas Tcheco não me agradou. Verdade que ele não foi tão mal assim, mas como capitão e referencia técnica ele precisava aparecer mais. Contudo ele tem crédito e precisa ser mantido, até porque não possui substituto.

Novamente não sei onde estão os críticos dos treinos “secretos” . Os dois gols de ontem surgiram de bolas paradas. jogadas, que segundo Sandro Goiano, foram ensaiadas a exaustão.

Independente do próximo adversário na libertadores penso que o Grêmio deve ir com time reserva contra o Juventude. Alguns jogadores, como o Tuta, estão visivelmente no limite. Um descanso viria bem a calhar para muitos atletas.

Apesar dos dois ótimos resultados acho que o Grêmio não pode contar sempre com a raça e a superação. É preciso que o time tenha uma rotina de boas atuações e um padrão de jogo, algo que não está muito distante.

GRÊMIO 1 X 0 CERRO PORTEÑO

Grêmio: Saja; Patrício, William, Teco e Lúcio; Nunes (Everton 64´), Sandro Goiano, Diego Souza e Tcheco (William Magrão 84´); Carlos Eduardo (Edmilson 75´) e Tuta.
Técnico: Mano Menezes

Cerro Porteño: Navarro; Rojas, Alvarez, Cabrera e Perez; Morinígo (Da Silva 72´), Britez (Cristaldo 84´), Edgar Gonzalez; Ramirez e Achucarro (Godoy 77´).
Técnico: Gustavo Costas

Data: 24/04/2007 (terça-feira) , 21h15min
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre-RS
Público: 44.612 (40.620 pagantes)
Renda: R$ 947.630.
Árbitro: Sérgio Pezzotta (ARG)
Assistentes: Pablo Lunati (ARG) e Rodolfo Otero (ARG)
Gols: Everton (G) aos 24 minutos do segundo tempo.
Cartões Amarelos: Patrício, William, Tuta, Diego Souza (Grêmio); Achucarro, Perez, Navarro, Cabrera, Salcedo (Cerro Porteño).

Patrocínio

April 24, 2007
Notícia do Estadão:
O Botafogo anunciou nesta sexta-feira uma nova e rentável parceria: vai receber R$ 650 mil mensais da Liquigás, empresa distribuidora de GLP (Gás Liquefeito de Petróleo), a princípio pelo período de um ano”
“O acordo faz parte de estratégia da Liquigás, que pertence a Petrobrás, de expandir sua presença no mercado do Rio”.
Pra quem não sabe o Grêmio renovou seu patrocínio em 2006 com o Banrisul (até junho de 2009) e recebe R$300 mil por mês. Valor idêntico recebe o co-irmão.
Tá errado a Petrobras patrocinar Flamengo e Botafogo, assim como também não acho certo o Banrisul patrocinar a dupla Gre-nal. Mas acho inadmissivel o Grêmio ter um patrocínio num valor tão inferior ao do Botaofogo. Grêmio tem mais torcida e mais exposição do que o Botafogo. Me parece que aí é um caso de pura incompetência da direção em não conseguir um patrocinador que ofereça mais dinheiro.

Avião – Campeão do Mundo Pifa

April 24, 2007

Eu ainda prefiro o clássico “eles estão fora“. Mas valeu da mesma forma

foto: Jornal O Sul, sabádo 21 de abril de 2007

Gauchão – Grêmio 4 x 0 Caxias

April 21, 2007
Dificil não falar um monte de besteiras hoje, quem é gremista sabe o que é, e quem foi no jogo sabe o que foi aquilo que aconteceu no jogo. Era sabido que se o Grêmio colocasse um pouquinho de raça superaria o fraco time do Caxias, e o time pôs muita raça, e além disso jogou bem. Teco substitui Schiavi com vantagens (especialmente na sáida de bola). Nunes protegeu bem a zaga e deu segurança para os laterais avançar. Diego Souza jogou quase como atacante, pressionando a saída de bola e fazendo boas jogadas pelas pontas.

O Grêmio iniciou marcando sobre pressão no campo do Caxias, que se apavorava e dava bico pra frente. Nunes e Lucas ganhavam todas disputas no alto. Carlos Eduardo ia pra cima da marcação, e dele saiu a primeira chance de gol num cruzamento que não foi alcançado pelo seu companheiro. Pouco depois Diego Souza bateu falta com força, Ricardo soltou e Carlos Eduardo chutou pra fora o rebote. Desde o início do jogo a atmosfera no estádio era de pressão total, e nessa pressão Patrício aproveitou uma bola perdida no ataque, cortou pra perna esquerda e chutou pro gol. Tuta ainda empurrou pras redes, mas o gol foi totalmente do Patrício. Pouco depois, Patrício entrou na area pela direita e rolou pra Carlos Eduardo, que se passou da bola. Poucos minutos depois, Carlos Eduardo recebeu nas costas da zaga e cruzou pra Tuta, que de carrinho acertou a trave. Lucas antecipou-se na sobra e tabelou com Tcheco, que fez o segundo gol. A partir dái todos tinha a certeza que o resultado viria. Edson Gaúcho bem que tentou ajeitar seu time, mas o Caxias fazia uma exibição desastrosa. Pouco antes do fim do primeiro tempo, Lúcio recebeu na esquerda e cruzou pra área, Diego Souza subiu, antecipando-se a zaga, e fez o 3 x 0. Objetivo alcançado ainda no primeiro tempo.

Como era de se esperar o Grêmio diminui um pouco o ritmo no segundo tempo, muito em razão da fadiga gerada na primeira etapa, mas ainda assim era quem mandava no jogo. O caxias ameaçou em um par de jogadas, mas o grêmio continuava criando chances. Aos 23, Sandro alçou a bola pra área, Tuta superou seu marcador no alto e fez o 4 x 0. A partir dái era administrar o jogo. e foi o que aconteceu, pois o Caxias não mais ameaçou o gol de Saja.

O importante dessa partida é que a mecânica de jogo voltou a funcionar. Houve a passagem dos laterais, os volantes se apresentaram na frente, os atacantes se movimentaram criando opções. O meio campo marcou, roubou bolas, fez falta quando necessário. Tudo isso não vinha sendo feito nos últimos jogos.

Como bem disse o Mano, se houvesse justiça no futebol a aquela bola do Sandro (do meio de campo) teria entrado. Sandro entrou e não fez ninguem sentir falta do Lucas. Sem falar na sua raça costumeira.

Considero o público de 25 mil não mais do que razoavel. Mas ainda bem que quem foi estava afim de ajudar o time. O que se viu nas arquibancadas, principalmente no primeiro tempo, foi impressionante. Quero acreditar que a torcida fez diferença.

Queria saber onde estão os corneteiros que chamavam o Tcheco de pipoqueiro e o Tuta de cachaceiro? Onde estão aqueles que pregavam a demissão de Mano e a contratação de Renato ( sim eles existiam aqui e aqui, por exemplo). Onde estão os críticos dos treinos de portão fechado, que não previram a entrada (fundamental) de Diego Souza? Onde estão os entusiastas do futebol do Caxias e do “grande” goleiro Ricardo? Quando mesmo que haverá uma final Ca-Ju no gauchão?

fotos: Gremio.net e Zero Hora

Grêmio 4 x 0 Caxias

GRÊMIO: Saja; Patrício, William, Teco e Lúcio; Nunes, Lucas (Sandro Goiano 27´), Diego Souza (William Magrão 80´) e Tcheco; Carlos Eduardo (Ramon 87´) e Tuta.
Técnico: Mano Menezes
CAXIAS: Ricardo; Thiago Machado, Michel, Heverton e Jonathas (Endrigo 17´); William, Juninho, Jorge Luiz (Washington 69´) e Oliveira; Jajá (Eduardo 32´) e Lima.
Técnico: Edson Gaúcho
Data: 20/04/2007 (sexta-feira), 20h30min
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre-RS
Árbitro: Leonardo Gaciba da Silva (RS)
Assistentes: José Carlos Oliveira (RS) e Vili Tissot (RS)
Gols: Patrício (G) aos 13; Tcheco (G) aos 19; e Diego Souza (G) aos 42 minutos do primeiro tempo; Tuta (G) aos 23 do segundo tempo.
Cartões Amarelos: Tcheco, Nunes (Grê); Heverton, Jajá, Eduardo, Thiago Machado, Endrigo
Público: 24.627 (21.891 pagantes).
Renda: R$ 255.450,00

Eles estão fora

April 20, 2007

Foto originalmente publicada na zero hora, republicada hoje no blog Impedimento

Não resisti, tive que copiar e colocar aqui, mas em todo caso fica a dica desse blog, sobre futebol sul-americano, o endereço é:
http://www.insanus.org/impedimento/

Estrela do Everaldo

April 18, 2007
Como muita gente sabe, Everaldo é homenageado com uma estrela pelo Grêmio. Está no parágrafo único do artigo 111 do estatuto do clube:

Parágrafo único – O símbolo gremista ostentará 3 (três) estrelas, observado o seguinte:
I – a de ouro representará, além da homenagem ao atleta Everaldo Marques da Silva, os títulos mundiais do GRÊMIO;
II – a de prata representará os títulos continentais;
III – a de bronze representará os títulos nacionais e regionais.”

Eu penso que talvez essa homenagem seja um tanto quanto exagerada. mas acho que as coisas tem de ser analisadas dentro de uma perspectiva. Em 1970, o fato de um atleta do Grêmio integrar a seleção brasileira tricampeã mundial era motivo de orgulho para muitos gremistas. A foto abaixo da uma ideia do que foi a recepção do jogador, que levou cerca de 200 mil pessoas as ruas de Porto Alegre:

foto: o profeta do acontecido

É óbvio que também temos de levar em conta que aquela seleção foi usada como propaganda da ditadura militar, e muito provavelmente a recepção também tinha o governo por trás. Mesmo assim penso que o tamanho da festa já serve pra justificar a homenagem feita através da estrela. Além disso há também o fato de Everaldo ter morrido precocemente, num acidente de carro, num período no qual cumpria suspensão por ter agredido o árbitro José Favile Neto, que marcou um pênalti (injusto?) contra o tricolor.

Quem quiser saber mais sobre a recepção do Everaldo pode acessar o blog do qual tirei a foto:
http://www.oprofetadoacontecido.blogger.com.br/