Archive for April, 2007

Gauchão – Caxias 3 x 0 Grêmio

April 16, 2007

Novamente uma pessima exibição do tricolor. Aceitar a pressão do time do interior e tomar um gol aos 3 minutos de jogo só deixou pior as coisas em relação ao “emocional” do time. Carlos Eduardo atuou pela direita, Ramon pela esquerda, mas nenhum dos dois jogou nem como atacante e nem como meio campo. O meio campo marcava mal, pra não dizer que não marcava mesmo. Em outro escanteio pro caxias, Saja sai mal do gol, William perde de cabeça, Schiavi salva na primeira, tenta jogar pra fora na segunda, mas o baixinho Heverton fez 2 x o pro caxias. Ainda assim o gremio criou chances, cabeceou no minimo 3 bolas dentro da área do caxias, faltou um pouco de capricho na conclusão.

O Grêmio não melhorou no segundo tempo, mas o Caxias era, e é, uma equipe fraca. O tricolor ainda criou mais chances em cabeçadas, todas levando perigo. William errou feio e acabou fazendo o pênalti. Caxias 3 x 0.

Insisto que o o meio campo do Grêmio está marcando pouco. Parece que o Mano reconheceu problemas na marcação também. Lucas foi o melhor jogador do ultimo brasileirão, mas agora não consegue jogar no gauchão. Tcheco está apagado. William, vinha sendo o jogador mais regular, falhou de forma bizonha ontem.

Outra coisa irritante de ontem foi a arbitragem. Parava o jogo em qualquer opurtunidade, na maioria das vezes favorecendo o caxias. Nas faltas favoraveis ao gremio permitia que os jogadores do caxias ficassem na frente da bola. Bola área na defesa do Grêmio: falta de zaga; bola área na defesa do caxias: falta de ataque. e a cera? quantas vezes a maca entrou em campo? Na real nem adiante reclama das arbitagens do gauchão enaquanto a federação for comandada por colorados.

fotos: O Pioneiro

S.E.R. Caxias 3×0 Grêmio F.B.P.A.

CAXIAS: Ricardo; Thiago Machado, Michel, Heverton e Jonathas; William (Eduardo), Jorge Luiz, Oliveira e Juninho (Diógenes); Jajá (Diego Borges) e Hyantony.
Técnico: Edson Gaúcho

GRÊMIO: Saja; Patrício, Schiavi, William e Lúcio; William Magrão, Lucas (Diego Souza), Tcheco (Sandro) e Ramón (Everton); Carlos Eduardo e Tuta.
Técnico: Mano Menezes

Local: Estádio Centenário em Caxias Do Sul-RS
Data: 15 de Abril de 2007, 16h00min
Público Total: 12.489 Torcedores;
Renda: R$ 123.885,00
Arbitragem: Fabrício Neves Corrêa, auxiliado por José Javel Silveira e Marcelo Oliveira e Silva
Gols: Juninho aos 3min e Heverton, aos 27min do 1º T. Thiago Machado aos 22min do 2º T.
Cartões Amarelos: Ricardo e Jajá (CAX); Lúcio, William Magrão, Schiavi, William, Diegou Souza e Sandro (GRÊ).


Advertisements

Pesquisa

April 14, 2007

Mais uma pesquisa comprova a superioridade da torcida gremista no RS. Fica até cansativo discutir isso.

“Pesquisa Top of Mind, feita por Segmento Pesquisas e Revista Amanhã, já na 17ª edição”:

Grêmio – 48,3%
Inter – 40,4%

“A pesquisa divulgada ouviu 1,2 mil pessoas entre 16 e 65 anos, de todas as classes sociais no Estado, sendo 51,2% mulheres, com o objetivo de capturar a primeira lembrança do entrevistado. A margem de erro é de três pontos percentuais”

Sinceramente, não sei como ainda tem gente que ainda se presta a contestar a maioria tricolor. veja o que ja foi publicado neste blog sobre esse tipo de pesquisa:

http://gremio1983.blogspot.com/2006/08/maior-torcida.html

http://gremio1983.blogspot.com/2006/11/mais-uma-pesquisa.html

Libertadores – Cucuta 3 x 1 Grêmio

April 12, 2007
Compreensivelmente Mano Menezes escalou Diego Souza no lugar de Carlos Eduardo, a idéia era dar mais toque de bola e poder de marcação ao meio campo, mas isso não ocorreu. Foi justamente no meio campo que o time começou a perder o jogo. O gremio pouco trocava passes no meio campo, culpa do gramado e tambem da inibiçao de alguns jogadores. a opção de ataque era a ligação direta com Tuta e Ramon, mas o time não ganhava nunca a segunda bola. O meio campo foi pior ainda na sua principal tarefa, a marcação. Sem pegada, permitia que os jogadores do Cucuta chegassem com facillidade as proximidades da área do gremio. Com pouca raça a marcação não encostava, não “chegava e sequer fazia faltas. Pode-se contar nos dedos as vezes que alguem recuperou uma bola no meio campo. Havia um claro buraco nas costa de Diego Souza (que jogava com ponta-direita), por ali o Cucuta criou suas principais chances, mas Saja apareceu bem nelas. Aos 42 o juiz marca uma falta na entrada da area, falta que a televisão nao conseguiu mostrar. Bustos bateu bem e fez 1 x 0.

O gremio voltou melhor para o segundo tempo, logo aos 5, Lúcio cobrou falta, Diego souza desviou e Moreno fez contra. Com o empate parecia que o gremio tinha finalmente “entrado” na partida, outras chances foram criadas, como a cabeçada de Tuta, mas logo os ataques foram rareando, o Cucuta avançava e o gremio não prendia a bola no ataque, e em seguida veio o segundo do cucuta, Del Castillo recebeu nas costa da zaga e cruzou para Blas Perez desempatar . 2 x 1. O gremio não reagiu, criou é verdade algumas chances de bola parada: uma cabeçada de Schiavi e um chute fraco de william. Pouco antes do final, Gremio tem um escanteio contra e incrivelmente jogadores do cucuta estão livre de marcação. Del Castillo recebe dentro da área, gira e faz 3 x 1.

Acho que falar de tática e das qualidades dos time não vai ajudar muito a explicar o que aconteceu ontem. Pra mim o principal problema foi , de novo, a atitude. Todos nós sabemos que a libertadores exige raça, suor, um algo a mais. Não foi o que se viu ontem, o time foi, na melhor das hipoteses, apáticos.

Resta agora vencer o Cerro dentro do olímpico, tarefa das não mais dificeis. e também convenhamos, se ocorrerem muitas dificuldades para superar os paraguaios é melhor nem passar de fase mesmo. Contudo acredito numa mudança de comportamento daqui pra frente.

fotos: Zero Hora e La Opinion

CÚCUTA DEPORTIVO 3 X 1 GRÊMIO

CÚCUTA: Zapata; Bustos, Portocarrero, Moreno e Ragua; Flores (Cortez 59´), Castro (Del Castillo 59´), Rueda e Torres; Perez e Martinez (Garcia 78´)
Técnico: Jorge Bernal

GRÊMIO: Saja; Patrício, Schiavi, William e Lúcio; Nunes, Lucas, Tcheco (Everton 83´) e Diego Souza (Carlos Eduardo 76´); Ramón e Tuta
Técnico: Mano Menezes

Data: 11/4/2007 (quarta-feira) , 21H45Min
Local: Estádio General Santander, em Cúcuta (COL)
Árbitro: René Ortube (BOL)
Auxiliares: Joaquin Antequera e César Nistahuz (BOL)
Cartões amarelos: Ragua, Moreno, Martinez, Torres (C); William, Tuta, Tcheco (G)
Gols: Bustos 43min do primeiro tempo; Moreno (contra) 5min, Perez 28min e Castillo 43min do segundo tempo

Gauchão – Classificação Final da 1ª fase

April 12, 2007

Libertadores – Cerro 1 x 0 Tolima

April 11, 2007
Deu pra dar uma olhada no jogo entre cerro e tolima ontem. O tolima entrou claramente pra empatar, se defendia bem, destaque pro goleiro Julio que fez boas defesas. Mas assim como em outros jogos o ataque do tolima inexistia. O cerro foi pra frente contudo, mas de forma desajeitada.

O jogo caminhava para um excelente 0 x 0 até que aos 35 do segundo tempo Achucarro recebeu em posição ilegal e tocou para Morinigo fazer o único gol do jogo. Os colombianos reclamaram bastante da arbitragem, mas parece que ontem era a noite dos gols em impedimento na libertadores.

As duas equipes não mostraram muita qualidade, creio que o gremio consiga a vitória sem maiores sustos no olímpico contra o cerro, apesar do fato que “El Ciclon” seja o 1ºcolocado no campeonato paraguaio. Também creio num bom resultado hoje, apesar do Cucuta estar também em 1º no campeoanto colombiano.


CERRO PORTEÑO :
H. Navarro, L. Alvarez (68′ Eder Godoy), F. Pérez, N. Cabrera, E. Cristaldo, G. Morínigo, J. Brítez (51′ Jorge Achucarro), E. González, J. Salcedo, C. Ramírez (88′ Jorge Nuñez), A. Silva.
Técnico: Gustavo Costas


DEPORTES TOLIMA :
A. Julio, G. Vallejo, H. Cuenú, R. Cambindo, B. Sinisterra, J. Anchico, H. Patiño, J. Escobar, J. Chárria, E. González, G. Savoia (45′ Darwin Quinteros), J. Perlaza (76′ E. Rolong.

Técnico.: Jaime de la Pava


Estadio: Defensores del Chaco.

Data: 10/04/2007 , 21h15min

Arbitro: Roberto Silvera. Asistentes: Pablo Fandiño y Miguel Nievas (terna uruguaya). 4º árbitro: Jorge Larrionda.

Gol: Gustavo Morinigo (CCP) aos 80 minutos.

Cartão Amarelo: 32′ Anchico (T), 55′ Vallejos (T), 81′ Julio Patiño (T), 53′ Cabrera (C), 67′ Da Silva (C) e 85′ Achucarro (CCP).

Cartão Vermleho: 58′ Julian Anchico (T)

Renda: 98.415.000 Guaranis

Pùblico: 4.441 pagantes.


fotos: El pais , e El tiempo

Montagem

April 7, 2007

Outra imagem que está circulando na internet. Esta me parece claramente que é falsa. Alguem misturou a camisa titular do cruzeiro com a reserva do gremio.

Gauchão – Gremio 4 x 1 São José – CS

April 5, 2007

Ao contrário de muitos, não achei o gremio tão ruim assim no primeiro tempo. O tricolor teve bem mais posse de bola, era lento é verdade, mas fazia um jogo de paciência contra o São josé. Criou algumas chances, como a cabeçada de Carlos Eduardo, mas acabou levando o gol no único ataque do são josé na primeira etapa. Antes do final do primeiro tempo houve um bate boca e confusões, algo que sem dúvida deve ter mexido com os atletas do gremio.

Segundo tempo foi de mais movimentação e velocidade, e o gremio virou ao natural. Carlos Eduardo fez o seu num passe de Tuta. Lúcio ia fácil ao fundo, mas sempre cruzava mal, sem levantar a cabeça. Tcheco mostrou como se faz quando “colocou com a mão” a bola na cabeça de Lucas para fazer o 2×0. Gol mal anulado de Ramon e penalti bem marcado em Schiavi. Diego Souza ainda fez o dele após boa arrancada de william magrão.
William Magrão foi bem na 1ªfunção do meio campo, verdade que o jogo não era de grande exigencia. Gostaria de ter visto o Saja bater o penalti, mas na hora da cobrança ele estava abaixado atrás das placas de publicidade fazendo sabe-se la o que.

GRÊMIO 4 X 1 SÃO JOSÉ-CS

Grêmio: Saja; Patrício, Schiavi, William e Lúcio; William Magrão, Lucas (Diego Souza), Ramon (Jhonatan) e Tcheco; Carlos Eduardo (Sandro Goiano) e Tuta.
Técnico: Sidnei Lobo

São José-CS: Márcio; Sapucaia (Magno), Rudinei, Duti e Brida; Odair, Piter, Neuri, Paulinho e Manga (Felipe); Gilian
Técnico: Teco Tatsch

Data: 04/04/2007 (quarta-feira), 19h30min
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre-RS
Público: 7.042 (5.786 pagantes)
Renda: R$ 42.345,00.
Árbitro: Leandro Vuaden (RS)
Assistentes: Vilmar Burini (RS) e Sedenir Martins (RS)
Gols: Gilian (São José-CS) aos 28 minutos do primeiro tempo; Carlos Eduardo (Grêmio) aos sete, Lucas (Grêmio) 11 minutos, Tuta aos 39, Diego Souza (Grêmio) 47 minutos do segundo tempo.
Cartões Amarelos: Lucas, Ramon (Grêmio); Brida, Duti, Odair, Rudinei, Magno (São José-CS).
Cartões Vermelhos: Odair e Duti (São José-CS)

Diferenças

April 4, 2007
Na Zero hora de terça feira foi publicado uma coluna de autoria de Luís Augusto Fischer (escritor, crítico literário, professor de literatura da UFRGS) sobre as diferenças da dupla grenal. Achei o texto bem interessante e coerente. De qualquer jeito vou transcrever aqui somente a parte que me convem e grifar a parte que eu bem entendo:

Esses dias, num almoço com presença de colorados e gremistas, um francês passageiro coloca a pergunta fatídica: qual é mesmo a diferença entre o Colorado e o Grêmio? A pergunta ficou picando entre mim, colorado desde antes de nascer, e um amigo gremista, o Flávio Azevedo. Nos olhamos, ele e eu, e, por gentileza, o Flavinho deixou que eu começasse. E eu dei a minha versão das diferenças.

Ponto zero: há vários tipos de colorados e de gremistas, de forma que a generalização será sempre problemática. Mesmo assim, disse eu, ponto um: o Grêmio é um time mais parecido com os platinos, ao passo que o Colorado é um time mais brasileiro. No Olímpico, há uma fé na dedicação, na aplicação, no carrinho, ao passo que no Beira-Rio se cultiva mais a figura do craque, do bom de bola, como modelo desejável. Ponto dois: a torcida do Grêmio me parece mais apoiadora do time, ao passo que a torcida colorada me dá a sensação de ser rebocada pelo time, que quando está bem traz junto a massa.

O francês perguntou pela história de “clube do povo”, e nós respondemos que de fato isso correspondeu a um momento da história dos dois clubes, quando o Inter acolheu negros e judeus, prática ausente no Grêmio naquele momento, numa diferença que hoje se diluiu. Ponto três: desde a origem, o Grêmio me parece manter uma ética coerente, que se pode chamar de burguesa, no sentido histórico do termo: nele se cultiva a idéia do empenho que resulta em fruto maduro, em lucro, o que se vê na hegemonia dos treinadores com tal visão, os de origem alemã antes, os de origem italiana agora (e o atual, Mano Menezes), enquanto no meu time transparece uma ética mais ibérica, do capitão ou do craque iluminado, um El Cid ou um Vasco da Gama do gramado, com resultados maiores adquiridos com treinadores brasileiros (Minellli, Dino Sani, Abel).

Gauchão – Brasil-Pel 1 x 0 Grêmio

April 2, 2007
Anunciada a escalação do time reserva ficava a dúvida de como o time do Grêmio se comportaria sem nenhum jogador típico de criação de jogadas no meio campo. Antes de que desse tempo pra observar isso, o time reserva, sem entrosamento portanto, aceitou a pressão imposta pelo Brasil e acabou levando um gol “quase olímpico”. Milar cobrou bem, Gavillan tirou de cabeça mas a bola acabou batendo em Edmilson e entrando. Poderia ter havido mais decisão no lance por parte dos atletas gremistas, mas foi mais um lance de azar mesmo. O jogo ficou como o Xavante queria. O gremio atacava mais pela esquerda, com Bruno Teles e Diego Souza, mas as jogadas não eram finalizadas. Gavillan, em uma de suas poucas descidas pela direita, deu um bom passe pra Everton, que chutou bem, mas a bola passou raspando a trave. Ainda no primeiro tempo o Brasil chegou a ameaçar nos contra-ataques .

No segundo tempo o Gremio forçou mais a bola no Tuta, que apesar de estar fora de ritmo mostrou muito brigador. Mano colocou Douglas pensando em aproveitar essa jogada, mas logo ele se machucou. O tricolor incomodava a defesa do brasil com essa jogada, mas não chegava a criar perigo. Num lance que ninguem viu nada, Pereira foi expulso após o bandeira Altemir Hausman ser pressionado pelo banco de reservas do brasil. O jogo ganhou em nervosismo, mas não em qualidade, e terminou com a justa vitória do Brasil.

É óbvio que a arbitragem não foi a causa da derrota do gremio, mas nem por isso deixou de ser ruim. O bandeirinha só “expulsou” Pereira após a pressão do banco de reservas do Brasil, num lance em que ninguem sabe ao certo o que aconteceu. Simon, o “nº1” foi aquilo tudo que nós conhecemos , desde o ínico do segundo tempo tratou de “amorcegar” o jogo.

Novamente tivemos um “show” de transmissão pela TV. Nenhuma imagem do suposto cotovelaço do Pereira foi mostrada. Não sei a quem credito essa falha: RBS, Guaíba, Record ou Igreja Universal.

BRASIL-PEL 1 X 0 GRÊMIO

BRASIL-PEL: Rodrigo Silva; , Régis, Alex Martins e Júlio; Glauber (Scharles), Marcos Basilio, Batata, Maycon e Evaldo; Cláudio Milar e Reinaldo (Fernando Melo).
Técnico: Suca

GREMIO: Marcelo; Gavilán, Pereira, William Thiego e Bruno Teles; Edmilson (Edmilson), William Magrão, Sandro Goiano e Diego Souza; Éverton (Douglas) (Aloísio) e Tuta.
Técnico: Mano Menezes

Data: 1/04/2007 (domingo), 16h00min
Local: Estádio Bento Freitas, em Pelotas-RS
Árbitro: Carlos Simon (RS)
Assistentes: Altemir Hausmann (RS) e Luiz Roberto Guaranha (RS)
Gols: Cláudio Milar (B) aos quatro minutos do primeiro tempo.
Cartões Amarelos: Tuta (Grêmio); Glauber (Brasil-Pe).
Cartão Vermelho: Pereira (Grêmio)