Archive for June, 2007

Grêmio e Boca – História

June 12, 2007


1959 boca1959 boca v19591959 boca b

Em 1959, o Grêmio de Foguinho realizou uma excursão aos vizinhos do Prata. Primeiro faria um jogo no Centenário contra a seleção uruguaia, depois enfrentaria o Boca Juniors na Bombonera.

Gessy, que apesar de ser um craque, tinha como meta na vida ser dentista (nada contra dentistas) não viajou para o primeiro jogo pois faria vestibular para odontologia, Contudo Foguinho fez questão que ele jogasse o segundo jogo. Gessy fez o vestibular, passou, comemorou com álcool e viajou para Buenos Aires de ressaca. Na Argentina, a direção fez questão de esconder Gessy do disciplinador Foguinho e ele só apareceu poucos minutos antes do jogo. Entrou na Bombonera, fez 4 gols e o placar final foi de 4×1. O Grêmio não era só Gessy, tinha Aírton, Ênio Rodrigues, Élton, Milton Kuelle, Vieira, Juarez e etc, mas foi Gessy que fez o 4 gols e foi Gessy que assustou o famigerado Rattin. A história vocês ja deviam conhecer e está muito melhor escrita em outros lugares (Como aqui, aqui, ou aqui), o que vocês provavelmente ainda não tinha visto é a foto da delegação acima.

Já em competições oficiais, em mata-mata, o Grêmio enfrentou 4 vezes o Boca na saudosa Supercopa. Em 1988, pelas Oitavas, 1xo Boca na Bombonera e 2×0 Grêmio no Olímpico. No ano seguinte, já nas semifinais, 0x0 em Porto Alegre e 2×0 Boca em Buenos Aires.

 

boca 1988 - Cópia

Fonte: El Grafico

boca 1988 - Cópia - Cópia supercopa

Gol do jogo de 1988:

Gols dos jogos de 1989:

Advertisements

1 Ingresso por Conselheiro

June 12, 2007

Recebi nova informação que foi somente 1 ingresso por conselheiro, e que o total de ingressos destinados a conselheiro fica um pouco acima de 200.

Ingressos

June 11, 2007
CONFUSÃO, Dando o devido desconto que o tempo fui curto (só quinta o Grêmio ficou sabendo do adversário), é o mínimo que pode-se dizer da distribuição dos ingressos e organização de viagens por parte da direção.

No momento que escrevo este Post, meio dia de 11/6, as rádios de Porto Alegre e o site do Grêmio comunicam:
Não há mais ingressos para jogo da Bombonera

Antes disso, no dia 9 de junho, o Grêmio anunciou no seu próprio site que:
O Grêmio comunica ao torcedor que não estará organizando nenhum tipo de excursão oficial para a Argentina.

No meio de tudo isso a duas questões que incomodam a muita gente, a distribuição dos ingressos e a negativa da existência de uma excursão oficial.

Quanto a distribuição de ingressos, o diretor financeiro, deixou claro, por mais de uma vez, que Conselheiros e Agências de viagens teriam prioridade:

Adotamos alguns critérios objetivos para a divisão dos ingressos. Temos os nossos conselheiros e precisamos dividir igualmente entre todos os segmentos que sempre estão com o Grêmio. Também prestigiamos nosso quadro consular, presente em quase todo o Estado, e lógico o nosso associado. Além das agências de turismo para aquele torcedor que não está familiarizado com uma ida ao Exterior. E o que sobrar será disponibilizado para a torcida em geral” Fonte: FinalSports

“Priorizaremos os nossos conselheiros, o associado e as agências de turismo que efetuaram os bloqueios rodoviário e aéreo para levar torcedores para Argentina. O que sobrar será disponibilizado ao público geral” Fonte: Fanaticos por Futebol

A preferência por agências de turismo pode ser justificado pela vontade de que o Grêmio tem de dar o ingresso para quem já tem viagem garantida. Caso contrário poderíamos ter torcedor com ingresso na mão mas sem meios de ir até Buenos Aires.

Mais díficil de entender é a preferência dada ao conselho, aonde foram reservados 2 ingressos por conselheiro. Não consigo ver o porque um conselheiro teria privilégios em relação a qualquer outros sócio. Que a direção reserve uma pequena parcela de ingressos para gremistas ilustre isso até se entende, mais privilegiar todo o conselho fica complicado de entender. Além disso por que 2 ingressos por conselheiro e não 1? Será que é para extender o privilégio as famílias. Desse modo ser conselheiro do Grêmio está ficando cada vez mais parecido com um título de nobreza e não como represenante do associado junto a direção.

Além disso, desde quinta-feira a RBS anuncia o sorteio de 30 viagens para Buenos Aires, por acaso a RBS também teve preferência nos ingressos?

Outros aspecto interessante é o de a direção negar que haverá excursão oficial.

– Primeiro, há de se falar nos onibus dados a Geral, que querendo ou não isso é uma excursão oficial. Contudo não vejo maiores problemas aí, tendo em vista que a Geral vai em quase todos jogos fora de casa.

– Além disso, no jogo contra o Santos, houve um excursão organizada pelo quadro social, onde nem todos ocupantes foram sorteados. Odone prometeu sortear ingressos e viagens para esse jogo também. Será que vai ocorrer este sorteio?

– No mesmo jogo contra o Santos, foi oferecido aos conselheiros viagem até Santos por R$ 750,00 com ingresso, avião até São Paulo, Onibus de SP até Santos e Hotel em São Paulo. Tenho informações que um pacote parecido será oferecido com destino a Buenos Aires.

Assim sendo, é bem questionável o Grêmio colocar uma notícia do no seu Site dando conta que não haverá excursão oficial.

Sei que é semana da final, que não é muito legal ficar falando disso aqui, mas esse tipo de coisa não pode passar em branco. Faz tempo que essa questão das viagens é muito mal administrada pelo Grêmio. Em Santos, devido a essa organização, se viu poquissimos torcedores na Vila Belmiro.

Antes que me acusem já adianto que não poderei ir a Buenos Aires e não estou aqui chorando pelo meu ingresso. Escrevo esse post porque há tempos as viagens do Grêmio são mal organizadas, e agora na final da Libertadores a situação ficou escancarada. Não aceito essa desculpa de que a procura é maior do que a oferta, ou de que 2.500 ingressos são pouco para que as coisas sejam mal feitas ou feitas com pouca transparência.

Sei que o está feito, está feito, mas não seria o caso de o Grêmio publicar a lista de quem adquiriu os ingressos?

Brasileirão – Vasco 4 x 0 Grêmio

June 10, 2007
Tá certo que todo mundo só pensa na final da libertadores, mas não precisava levar 4 do Vasco. O Grêmio começou meio perdido e quando começou a sair pro jogo Pereira levou uma bola nas costa e Nunes cometeu o pênalti. Romário fez o 1º do jogo e o 1001 dele. O tricolor até tentou sair pro jogo, mas quando tinha a bola no ataque pouca acontecia. Os jogadores demoravam uma eternidade pra fazer a jogada e acabavam morrendo com a bola nos pés. Aos 42 falta do lado da área para o Vasco. André Dias não recebe nenhuma marcação e faz o 2 x0 de cabeça. Pouco tempo depois a luz “cai” num ataque Vascaíno mas o jogo segue, Romário recebe dentro da área, Nunes entra lotado e o baixinho chuta no meio, Galatto aceita: 3 x 0.

Eu já sabia que o São Januário é da “época do Getúlio” mas não sabia que a instalação elétrica era da mesma época. O árbitro esperou pela luz. Os jogadores do Grêmio não queriam o jogo, talvez querendo poupar o torcedor do castigo que foi assistir o 2ºtempo, mas o Wilson Seneme aceitou a pressão do Eurico e re-iniciou o jogo. O Grêmio só teve uma chance: Amoroso matou no peito e chutou de esquerda por cima. O Vasco fez o 4 x 0 numa jogada onde Thiago Maciel atravessou a defesa do Grêmio sem ser incomodado e serviu a Abedi. Eu paro por aqui pois não to nenhum pouco afim de falar sobre este jogo, nem mesmo sobre a belíssima atuação do Jucemar.

Vasco da Gama 4 x 0 Grêmio F.B.P.A

VASCO:
Sílvio Luiz; Thiago Maciel, Emiliano Dudar, Jorge Luiz e Guilherme; Amaral, Roberto Lopes (Júnior), Abedi (Conca) e Renato; André Dias (Martin Garcia) e Romário.
Técnico: Celso Roth

GRÊMIO: Galatto; Jucemar, Pereira, Nunes e Bruno Telles; Edmílson, Willian Magrão (Thiego), Lucas (Itaqui) e Kelly (Everton); Amoroso e Ramón.
Técnico: Mano Menezes

5ª RodadaCampeonato Brasileiro 2007
Data: 9 de junho de 2007 (Sábado), 18h10min
Local: São Januário, no Rio de Janeiro (RJ)
Arbitragem: Wilson Luís Seneme (Fifa-SP), auxiliado por Ednílson Corona e Nilson Monção (SP)
Cartões amarelos: Amaral, Renato (Vasco) e Edmílson (Grêmio)
Gols: Romário (P) aos 14, André Dias aos 42 e Romário aos 46 do 1ºt; Abedi aos 19 do 2ºt.


Libertadores – Boca Jrs 3 x 0 Cúcuta

June 8, 2007
E deu Boca. Partida com atraso, em meio a neblina o jogo foi meio truncado. O Cúcuta até tentou, emparelhou o jogo em alguns momentos (teve um pênalti não marcado), mas o goleiro Zapata já se destacava como heroí. O Boca era mais entusiasmo e determinação do que qualidade. No fim do primeiro tempo Riquelme bateu a falta com perfeição e fez o 1 x0.

No segundo tempo parecia claro que o Cúcuta não seguraria o resultado. A neblina parou o jogo por alguns momentos e na volta o zagueiro deu uma rosca e Palermo não perdoou. 2 x 0. O Cúcuta tentou sair pro jogo mas sentiu muito a falta de Blás Perez. Battaglia (que estava inexplicavelmente na reserva) saiu do banco e fez o terceiro, aparecendo livre na área pra cabecear. 3 x 0.

Primeiro enfrentamos Pelé, agora Maradona, que falou que preferia o Santos, elogiou a defesa do tricolor e sentenciou: “El Gremio es un equipo duro”

No jogo de fundo deu pra ver que, se formos ao mundial, o Pachuca não é um time a ser temido. É sim uma equipe com todas as característica negativas do futebol mexicano.

fotos: Clarin e La Nacion

Boca Juniors 3 x 0 Cúcuta Deportivo

BOCA JUNIORS: Mauricio Caranta; Hugo Ibarra, Daniel Díaz, Claudio Morel Rodríguez (Silvestre 83´) e Clemente Rodríguez; Pablo Ledesma, Ever Banega e Neri Cardozo ( Battaglia 79´) ; Juan Román Riquelme; Rodrigo Palacio e Martín Palermo.
Técnico: Miguel Angel Russo.

CÚCUTA DEPORTIVO: Robinson Zapata; Rubén Bustos, Julián Hurtado, Walter Moreno e Elvis González; Dumar Rueda ( García 89´), Nelson Florez ( Córdoba 65´), Alex Del Castillo (Cortez 78´) e Madbelly Torres; Leonard Pajoy e Juan Manuel Martínez.
Técnico: Jorge Luis Bernal.

Libertadores 2007 – Semifinal – 2ºjogo
Data:08/06/2007, Quinta-feira, 19h15min
Local: La Bombonera, em Buenos Aires – Argentina
Árbitro:
Roberto Silvera (Uruguay)
Gols : 44min, Riquelme, Palermo aos 55´ e Battaglia aos 85´.
Cartões Amarelos: Ibarra, Rodríguez, Ledesma e Palermo . Bustos, Rueda, Del Castillo, Córdoba e Pajoy(C).

Libertadores – Santos 3 x 1 Grêmio

June 7, 2007
Este o Grêmio. Não fosse assim sofrido talvez não nos identicassemos tanto. Bem, o Grêmio é o Grêmio e parece que tudo que tem ser mais suado, mais brigado, mais dramático para nós gremitas.

Mano fez o óbvio e escalou Douglas; Luxemburgo supreendeu um pouco mais colocando Renatinho e Pedrinho em campo. A marcação gremista demorou a encaixar e o Santos chegou a ameaçar, mas Saja estava muito bem. Quando se sentiu mais a vontade em campo o tricolor passou a incomodar também, Diego Souza aparecia com força pela direita, num lance por esse setor, Diego recebeu, girou em cima de Adaílton, deu uma janelinha no próximo marcador e adentrou a área. O cruzamento saiu forte mas Carlos Eduardo foi buscar a bola na lateral, teve calma e achou o mesmo Diego na frente da área. De virada saiu o golaço e 0 1×0 pro Grêmio. O gol, supostamente, daria tranquilidade ao Grêmio, mas a tranquilidade não foi além do final do 1ºtempo.


Com o gol o Grêmio passou a dominar o jogo. O Santos se perdeu, e com o gol bem anulado de Domingos, passou a tentar apitar o jogo. Aos 47 Zé Roberto lança na área, Pedrinho sobe, mas a bola bate nas costas de Patrício e sobrou para Renatinho empatar. Um gol que o Grêmio não poderia tomar. Faltou um pouco de maturidade para “amorcegar’ o final do 1ºtempo e levar o vantagem pro intervalo.


No segundo tempo Luxemburgo foi, aos poucos, indo pro tudo ou nada. O Grêmio tratava de marcar. Não sei se é adequado falar de pressão do Santos pois seus jogadores não concluíam jogadas com perigo. Aos 15´ uma bola espirrada chegou a Marcos Aurélio, ele chutou cruzado e a bola bateu em Patrício, Saja salvou no primeiro lance mas o rebote bateu em Renatinho e assim, chorado, saiu o segundo gol santista. O Grêmio tentou reagir, Diego Souza puxou o contra-ataque, segurou a bola, evitou o passe pra Lucas, e chutou forte, Fábio Costa fez grande defesa. O tempo passava lentamente, o Grêmio não conseguia sair jogando e não retinha a bola no ataque. Carlos Torres só dava falta pro Santos, como a inexistente que gerou o terceiro gol. Kléber levantou na área, a bola bateu em Lucas e sobrou para Zé Roberto fazer o gol: 3×1. Filme de Terror!!! O Grêmio atingia seu limite. A partir daí o Santos tinha a posse de bola, o que era o suficiente para deixar o torcedor gremista a beira do ataque cardíaco ( ou um colapso nervoso) mas efetivamente o Santos não ameaçou. Final de jogo e uma justa classificação do Grêmio. Tendo em vista a imensa superioridade no 1ºjogo.


O choro de Luxemburgo não tem nenhum pouco de razão. Não houve agarrão de Diego Souza na origem do lance, e se é pra voltar tanto no tempo vamos reclamar dos pênaltis não marcados no Olímpico. Fábio Costa poderia ter um pouco mais de razão no “tapa” de Sandro, mas ao contrário do que ele afirma não há nenhuma regra associando agressão com cartão vermelho. A regra fala em amarelo para quem for culpado de conduta antiesportiva e cartão vermelho para quem for culpado de conduta violenta. Ainda vi Rodrigo Souto reclamando do excesso de faltas e catimba do Grêmio. Não consegui ver esse “anti-jogo” do tricolor, aí me parece que é mais um reclamação padrão de um atleta de poucas luzes.

É claro que nem tudo foi perfeito ontem, mas o que mais importa além da classificação. Não concordo com as críticas ao Mano e a postura do time. O primeiro tempo foi bem razoável, o segundo tempo um pouco inferior, mas convenhamos: O Santos não fez muito mais do que 3 gols de chripa.

Será que Zé Roberto tem certeza que vai para Alemanha? Bem ele tinha certeza de que iria pra fnal, não dá pra levar ele a sério.

Hoje e observar Boca x Cucuta. Não sei quem vocês preferem. Creio que a maior das glórias seria vencer os “xeneizes” na final e também não quero enfrentar os imprevisivéis colombianos novamente.

fotos: ClicRBS e Terra

Santos 3 x 1 Grêmio

SANTOS: Fábio Costa; Alessandro (Rodrigo Tabata 60´) , Adaílton, Domingos e Kléber; Rodrigo Souto, Cléber Santana, Pedrinho (Moraes 53´) e Zé Roberto; Renatinho (Jonas 70´) e Marcos Aurélio.

Técnico: Vanderlei Luxemburgo


GRÊMIO: Saja; Patrício, William, Teco e Lúcio; Gavilán, Sandro Goiano, Diego Souza e Tcheco (Edmílson 81´); Carlos Eduardo (Ramon 29´) e Douglas (Lucas 64´).
Técnico: Mano Menezes

Libertadores 2007 – Semifinal – 2º jogo
Data: 06/06/2007 (quarta-feira) – 21h45min
Local: Vila Belmiro, em Santos-SP
Público: 19.788 pagantes
Renda: R$ 471.540,00
Árbitro: Carlos Torres (PAR)
Assistentes: Manuel Bernal (PAR) e Nicolas Yegros (PAR)
Cartões amarelos: Marcos Aurélio e Cleber Santana (Santos); Sandro Goiano (Grêmio).
Gols: Diego Souza (23’/1ºT), Renatinho (46’/1ºT); Renatinho (15’/2ºT); Zé Roberto (32’/2ºT)

Fluminense Campeão

June 7, 2007

Tá certo que a CBF está fazendo de tudo pra acabar com Copa do Brasil, mas aqui vai:

– Parabéns ao Renato pelo seu primeiro título como treinador

– Parabéns ao Roger pelo seu tetracampeonato da Copa do Brasil (94-97-2001-2007)

Noticia da GremioMania

June 6, 2007


Notícia publicada no Jornal NH na semana passada, mais ainda acho que vale o registro:

– “Apenas no mês de maio, o recorde vendas foi superado, ultrapassando a impressionante cifra de R$1 milhão”

– “Apenas do dia 22 deste mês (maio) até ontem (30/5), quando a nova camiseta chegou à loja oficial, foram vendidas mil peças a 159 reais cada uma”

Os numeros são realmente impressionantes, mas será que a nova camiseta não teria mais sáida se fosse mais bem recebida pelos torcedores? Será que a loja não venderia mais se tivesse uma maior oferta na sua linha de produtos, com vários tamanhos a disposição ou com a linha de abrigos novos (aproveitando o frio que faz)?

Lendo a notícia inteira se confirma a teoria de muitos que o que realmente ajuda a vender é o momento do time, haja vista os anos de 95 e 96, onde o Grêmio vendeu como nunca. Contudo, aquela camisa era uma das mais bonitas já feito pro tricolor, e eu tenho certeza que isso deve ter ajudado muito nas vendas.

Brasileirão – Botafogo 3 x 0 Grêmio

June 5, 2007
Aparentemente desinteressado o Grêmio jogava recuado em seu campo, mas não conseguia encaixar o contra-ataque, Amoroso e Ramon não se encontraram em campo. O Fogão fez o seu gol num chute que Juninho não mais repetirá na vida. Não culpo Saja, a bola fez uma baita curva. Numa das poucas boas jogadas do 1º tempo, Ramon lançou Douglas que foi derrubado por Júlio César. Amoroso bateu de forma displicente e Julio Cesar, ainda tonto, se consagrou.

No segundo tempo o jogo seguiu ruim. Diego Souza foi sozinho desde o meio campo, entraria na área e fatalmente faria o gol, não fosse derrubado por Asprilla. Paulo César de Oliveira ficou só num amigável cartão amarelo. Diego Souza bateu a falta no travessão. Em seguida Schiavi faz uma falta dura, mas pela frente, na lateral do campo: Cartão vermelho mostrado e coerência inexistente. Depois disso o Botafogo fez o 2º e o 3º, chegando num 3×0 não condizente com o que foi o jogo.


Botafogo 3 x 0 Grêmio

BOTAFOGO:Júlio César (Max), Joilson, Juninho, Renato Silva (Asprilla) e Luciano Almeida; Leandro Guerreiro, Túlio, Lúcio Flávio (Diguinho) e Adriano Felício; Jorge Henrique e Dodô.
Técnico: Cuca

GRÊMIO: Saja; Nunes, Pereira, Schiavi e Bruno Teles; Edmilson, Lucas (William Magrão), Diego Souza, Ramon (Everton) e Amoroso; Tuta (Douglas).
Técnico: Mano Menezes

Campeonato Brasileiro 2007 – 4ªrodada

Data: 2/6/07 , Sábado, 18h10min

Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Paulo César de Oliveira (Fifa/SP)
Assistentes: Valter José dos Reis (Fifa/SP) e Márcio Luiz Augusto (SP)
Cartões amarelos: Juninho, Asprilla (BOT); Diego Souza (GRE)
Cartão vermelho: Schiavi (GRE), aos 28min, do segundo tempo.
Gols: Juninho, aos 18min, do primeiro tempo; Luciano Almeida, aos 34min, e Dodô, aos 42min, do segundo tempo.

Com o Grêmio onde estiver o Grêmio

June 1, 2007

O Globo Esporte está fazendo uma série de interessantes reportagens sobre clubes de futebol que ja acabaram. Bem interessante, a série iniciou pelo Renner e na quinta-feira o programa exibiu a matéria sobre clubes catarinenses. Lá pelas tantas o clube mencionado é um tal de Olímpico, de Blumenau. É mostrada uma placa na antiga sede do clube com os dizeres “Com o Olímpico onde estiver o Olímpico” e os ex-jogadores afirmam que os Gremista roubaram o lema do clube catarinense. Quem quiser assistir a reportagem pode acessa-la aqui. A placa aparece aos 3 minutos e 50 segundos de vídeo.

Confesso que fiquei intrigado com essa “denúncia” pra lá de ousada dos catarinenses e fui pesquisar sobre o tal Olímpico. No “muy” confiável Wikipedia me deparei com o seguinte texto:

“Conta-se que, no ano de sua primeira conquista catarinense, 1949, o lema da torcida era “COM O OLÍMPICO ONDE O OLÍMPICO ESTIVER”. Quatro anos depois, Lupicinio Rodrigues cria o hino do gremio football portoalegrense com os dizeres: “com o gremio onde o gremio estiver”. E, no ano seguinte, é inaugurado o novo estádio do clube gaúcho, chamado Olímpico.

É bom esclarecer algumas coisas. O verso com os dizeres “com o grêmio onde o grêmio estiver”, surgiu há 61 anos atrás, quando Salim Nigri levou uma faixa para a final do gauchão de 1946 onde se lia “com o grêmio onde estiver o grêmio” (foto acima), daí em diante esta faixa sempre acompanhou a torcida do grêmio. Mais tarde Lupicinio Rodrigues colocou a frase no hino, e utilizando-se da licença poética lupi colocou o verbo no fim da frase, que ficou como conhecemos hoje no hino do Grêmio.

Portanto a já referida frase surgiu no Grêmio em 1946, 3 anos antes da conquista do título catarinense de 1949 pelo Olímpico. Quanto ao nome do estádio me parece claro que é um força-barra. Até onde eu sei, o Estádio Olímpico do Grêmio foi batizado de olímpico porque na década de 50 o tricolor estava presente me vários esportes além do futebol e se pretendia que o novo estádio fosse palco para todos esses esportes.