Archive for September, 2007

Votei

September 30, 2007
Eu fui um dos 3063 sócios gremistas que votaram. Diz-se que 10 mil estariam aptos a votar e expectativas antes do pleito eram de seis ou oito mil votantes, conforme o presidente do Conselho Deliberativo, Mauro Knijnik. Cada um sabe bem o que faz, espero que lembrem disso na hora de reclamar do time e cobrar da direção.

Numa atitude que muitos podem considerar ingênua, guardarei os panfletos e os santinhos que continham promessas de campanha. Sei lá o que poderei fazer depois.

Os resultados foram: 1.849 votos – 60,36% (chapa 1-Grêmio Novo/Independente), 286 votos – 9,33% (chapa 2- Grêmio Acima de Tudo) e 928 votos – 30,29% (chapa 3 – Grêmio Imortal). Com a cláusula de barreira de 30%. Assim a chapa 1 elegeu 100 conselheiros e 20 suplentes e a chapa 3 elegeu 50 conselheiros e 10 suplentes. abaixo a lista completa dos eleitos:

CHAPA 1
1 ALCEU CESAR PACHECO
2 SERGIO LUIS BOMBASSARO (Grêmio Novo)
3 HOMERO BELINI JUNIOR
( Grêmio Independente )
4 CARLOS GUILHERME LUCE
5 REINALDO LOPES
6 PAULO ROBERTO JARDIM PELAIPE
7 FRANCISCO DE PAULA SANTOS
8 FLÁVIO ROBERTO LUIZ VAZ NETTO
9 GABRIEL BUFFE DE MELLO
(Grêmio Novo)
10 CLÁUDIO PAIM DOS SANTOS ( Grêmio Independente )
11 MARCELO AIQUEL (SOS Grêmio)
12 ROSA BEATRIZ FORESTI (Núcleo das mulheres Gremistas)
13 CESAR DA ROCHA LOPES (Escolinha)
14 SAUL BERDICHEVSKI (Grêmio Sempre)
15 JOSÉ PEDRO MACHADO KEUNECKE (Grêmio Menino Deus)
16 IRNO BORDIGNON (Diretor Departamento Consular)
17 ANDRE FRANCISCO DE SOUZA GUTIERREZ (Geral do Grêmio)
18 GILBERTO VENOSI BARBOSA
19 THIAGO ANDRADE KARAN (Grêmio Novo)
20 NESTOR FERNANDO HEIN
( Grêmio Independente )
21 EDSON PETRY (Grêmio Novo)
22 JOSÉ CÉSAR RIMOLO SIMÕES
( Grêmio Independente )
23 NILTON CESAR LIMA (Grêmio Novo)
24 JOSÉ ARTHUR DAHNE MICKELBERG ( Grêmio Independente )
25 LUIZ CARLOS LOPES MADEIRA
26 JOSÉ ALBERTO FOGAÇA MEDEIROS
27 RONEI LOPES KROLOW
(Grêmio Novo)
28 FAUSTO GASTÃO MARCHIORI DIEFENBACH ( Grêmio Independente )
29 JEFERSON THOMAS (Grêmio Novo)
30 MARCELO DE LIZ MAINERI ( Grêmio Independente )
31 JORGE FRANCISCO FAGUNDES D’ÁVILA (Grêmio Novo)
32 LEANDRO ANDRÉ KRUMPAS DARCANCHY ( Grêmio Independente )
33 EVANDRO LUIS JANOVICK (Grêmio Novo)
34 JOSÉ VICENTE DE CARVALHO CONTURSI ( Grêmio Independente )
35 JOÃO MANOEL MARTINS SILVA (Grêmio Novo)
36 LUCIANO BENETTI CORREA DA SILVA ( Grêmio Independente )
37 EDUARDO CAMINHA (SOS Grêmio)
38 ELI DA SILVA (Núcleo das Mulheres Gremistas)
39 FRANCISCO DE PAULA DA MOTTA FRANÇA (Diretor Escolinha)
40 IRANY DE OLIVEIRA SANT’ANA JÚNIOR (Grêmio Sempre)
41 ROBERTO BANDEIRA PEREIRA (Grêmio Menino Deus)
42 FERNANDO ZAMBERLAN (Cônsul Santa Maria)
43 ANTONIO FRIZZO (Cônsul Bento Gonçalves)
44 PAULO JORGE SILVEIRA LUZ (Grêmio Sempre)
45 NEWTON QUITES (Grêmio Menino Deus)
46 FÁBIO AUGUSTO TOSCANI ANDRETTA (Grêmio Novo – Escolinha do Grêmio)
47 CLÁUDIO HUMBERTO SAUTER
48 VALMOR SAUTER
49 CLÁUDIO ODERICH (Cônsul adjunto de São Leopoldo)
50 JOSÉ FORTUNATI
51 AIRTON RUSCHEL
52 JOSÉ PEDRO GOULART
( Grêmio Independente )
53 SERGIO BECKELLI
54 ALFREDO OLIVEIRA DE OLIVEIRA
55 APOLINÁRIO KREBS MARTINS CARDOSO (Grêmio Sempre)
56 LUCAS DE O. FREITAS SACCHET
(Grêmio Novo)
57 EDSON BERWANGER ( Grêmio Novo – Grêmio Independente )
58 FLÁVIO RIBEIRO DE VASCONCELLOS (Grêmio Novo)
59 FERNANDO HACKMANN RODRIGUES ( Grêmio Independente )
60 ANGELO DANIEL CARRION (Grêmio Novo)
61 LUIZ AUGUSTO FRANCIOSI PORTAL ( Grêmio Independente )
62 FERNANDO BONATO SCHEIN (Grêmio Novo)
63 ROBERTO PIERRI BERSCH ( Grêmio Independente )
64 PAULO RICARDO PIERETTI (Grêmio Novo)
65 CESAR CIDADE DIAS ( Grêmio Independente )
66 AIRTON FERREIRA DA SILVA
67 BRUNO ORTIZ PORTO (Geral do Grêmio)
68 JOSE OTAVIO GERMANO
69 LUIZ PAULO ROSEK GERMANO
70 ANTONIO AUGUSTO SILVEIRO CRUZ (Grêmio Sempre)
71 ADALBERTO BUYS VIANNA (Grêmio Sempre)
72 JOÃO CARLOS ZAGO JUNIOR (Grêmio Sempre)
73 NILTON RENATO VARELLA MELLO (Grêmio Sempre)
74 JOSE ION LEMOS DE BRITO (Escolinha)
75 JURANDIR SOARES DOS SANTOS
76 HONÓRIO GONÇALVES DA SILVA NETO
( Grêmio Independente )
77 CARLOS EUGÊNIO NUNES LISBOA (Grêmio Independente)
78 ADRIANO RODRIGUES SARAIVA
79 JOÃO LUIZ MAINO (Cônsul de Novo Hamburgo)
80 JEFERSON BEN HUR DE ALMEIDA (Cônsul de Gravataí)
81 JAIME ELISEU ALVES (Cônsul de Nova Santa Rita)
82 NORTON LUIZ LENHART
83 ROBERTO DIAS LEIVAS (Assessor Financeiro)
84 JAIME SOUZA DE MARCO
85 MARIO POCSTARUK (Grêmio Independente)
86 ANDRÉ ROUSSELET SARDÁ (Grêmio Novo)
87 EDUARDO CAUBI RODRIGUES (Escolinha)
88 JULIO R ANDRIGHETTO MOTTIN
89 ISMAEL BERDICHEWSKI (Grêmio Menino Deus)
90 ALOISIO MILESI (Grêmio Menino Deus)
91 LEANDRO ZIMERMAN
92 GILBERTO ALOISE
93 ROBERTO SANTOS SILVEIRO
94 CLÁUDIO GARCEZ (Cônsul de São Leopoldo)
95 HERMES CARDOSO DUARTE
96 FABIANO BRASIL (Cônsul de Guaíba)
97 JUAREZ TEIXEIRA
98 JOÃO CARLOS DA SILVA SEVERIANO
99 IVO RODRIGUES FERNANDES
100 JORGE ALBERTO P MENDES RIBEIRO
SUPLENTES
1 ANTONIO ROSLANK
2 NELSON CARVALHO DE NONOHAY
3 VALDAIR JOAO SANFELICE
4 TEORI ALBINO ZAVASCKI
5 JOAO ALFREDO PIFFERO STEIBEL (Grêmio Independente)
6 NELSON DO CANTO OLMEDO
7 CARLOS MAZERON FONYAT FILHO
8 ALBERTO AUGUSTO ALVES ROSA
9 ALCEU DE DEUS COLLARES
10 ALGIR LORENZON
11 ASTROGILDO MADRUGA
12 ENIO LUCIO SCHEIN
13 JOSÉ CARLOS TEDESCO
14 FLAVIO ANTONIO LUCE
15 FLAVIO AUGUSTO M OLIVEIRA
16 GERMANO MOSTARDEIRO BONOW
17 ONÉLVIO JUAREZ DE OLIVEIRA PAES (Escolinha)
18 LUIS FERNANDO COSTA VENTURA
19 NEWTON DO CANTO OLMEDO
20 PAULO ANDRE ROSSI

CHAPA 3
1 RENATO DE CASTRO MOREIRA (Grêmio Imortal)
2 LUIZ ROBERTO STIGLER MARCZYK (Gremio Imortal)
3 RAUL RÉGIS DE FREITAS LIMA
4 JOSE DE JESUS PEIXOTO CAMARGO
5 FRANCISCO JOSÉ MOESCH
6 SHIRLEY KROEFF
7 CIRO CARLOS EMERIN SIMONI
8 ROMILDO BOLZAN JR
9 ANTONIO CARLOS AZAMBUJA
10 FERNANDO FLORES CABRAL JR. (Grêmio Imortal)
11 ALBERTO AUGUSTO ALVES ROSA
12 DAVID STIVAL
13 IVO FOGAZZI BALESTRIN (Grêmio Unido)
14 JORGE SANTOS BUCHABQUI
15 NELSON PACHECO SIROTSKY
16 JOSÉ PEDRO PACHECO SIROTSKY
17 GERALDO CORREA
18 ALEXANDRE BARTELLE GRENDENE
19 RICARDO VONTOBEL
20 MARCOS BIER HERRMANN
(Grêmio Imortal)
21 CARLOS GERBASE (Grêmio Imortal)
22 RENATO KLIEMANN PAESE
(Grêmio Imortal)
23 KEVIN CHAVES KRIEGER
24 RICHARD EDUARD DUCKER
(Grêmio Imortal)
25 MARCO JOSÉ BOBSIN (Grêmio Imortal)
26 MARCELO S. MARTINS
27 LUCIANO DHAMER HOCSMAN
(Grêmio Imortal)
28 FELIX PETER
29 ALBERTO MARTINS BRENTANO (Grêmio Imortal)
30 FLAVIO ANTONIO PAIVA (Grêmio Unido)
31 GILBERTO KROEFF (Grêmio Imortal)
32 PAULO ROBERTO FERRER
(Grêmio Imortal)
33 CRISTIANO LINDNER RIBAS
34 RUI COSTA DOS SANTOS
(Grêmio Imortal)
35 DÉCIO DIGLIO SELAIMEN
36 JOÃO BATISTA BURZLAFF
37 ROBERTO SOMMER
38 FERNANDO DI PRIMIO CONCEIÇÃO (Grêmio Imortal)
39 SERGEI IGNACIO ASSIS DA COSTA
40 DENIS VIEIRA ABRAHÃO
41 LUIS GUSTAVO SCHMITZ
42 SÉRGIO VASQUES SOUZA
43 EDUARDO M. S. MARTINS
44 AUGUSTO C. VALLE OBANDO
45 LUIZ ANTONIO M. MOREIRA (Assessor de Jogos)
46 RUBEM BORBA FRANCO
47 CARLOS ALBERTO SAMPAIO
48 ALEXANDRE GUCCIARDO FRAGA (Grêmio Unido)
49 JORGE AITA
50 ILDO LUIZ ELY (Grêmio Sempre)
SUPLENTES
1 PAULO VIEIRA SILVA
2 PAULO BORGHETTI
3 JOSÉ FRANCISCO PINTO
(Grêmio Imortal)
4 GILBERTO CERQUEIRA JR (Grêmio Imortal)
5 VILMAR ROCHA DA SILVEIRA
6 ANGELO SAINT-PASTOUS CALEFFI (Grêmio Imortal)
7 ROGÉRIO VIANNA TOLFO
8 OMAR GILBERTO BUEDE FERNANDEZ
9 JOÃO DE ALMEIDA NETO
(Grêmio Imortal)
10 JOSÉ PIO RODRIGUES FURTADO

Advertisements

Astrada

September 27, 2007

Amato e Astrada foram contratações polêmicas da ISL. Amato é meio dificil de defender, já Astrada tinha uma longa história no River Plate e disputou copa do mundo (1998). Apesar de sempre mostrar um postura muito correta, dentro de campo Astrada ficou devendo. A revista argentina “El Gráfico” deste mês traz uma longa entrevista com Leonardo Astrada, mas apenas 2 das 100 perguntas envolvem o Grêmio. Abaixo estão as duas em questão:


É um pouco reconfortante saber que ele ao menos tem algum senso crítico sobre sua passagem pelo tricolor. Segundo a Revista Placar, Astrada foi contratado por U$ 2,5 milhões junto ano River Plate e recebia R$ 130.000,00 de salário. Me parece que acabou saindo caro.

Eu me lembro muito bem de um Grenal no Beira-rio (foto abaixo) onde se esperava muito dele, mas ele jogou como se fosse uma partida do Trianon. Com a chegada de Celso Roth no meio do ano, Polga e Gavião foram promovidos a titulares e acabaram assumindo a função que era do “El Jefe”

77 – Reconquista

September 25, 2007
30 anos do gauchão de 1977, Todo mundo sabe das histórias. Do sofreimento, do salto “quase” mortal de André Catimba, do Oberdan, da invasão de campo. O que pouco se fala é do treinador. Com justiça se diz que o Grêmio é identificado com técnicos gaúchos, alguns chegam a defender que só gaúchos deveriam treinar o Grêmio. Telê Santana, juntamente com Evaristo de Macedo, é um dos “extrangeiros” que marcaram época no Grêmio.

Yura deu um importante depoimento no livro “até a pé nos iremos” : “Aí mudou em 77, quando chegou o Telê. Foi um dos maiores treinadores. Tudo que o Grêmio tem foi graças ao Telê. O Telê modificou a alimentação, modificou os treinamentos, modificou o comportamento dos jogadores, o comportamento dos diretores. Ele mostrou que era preciso ser profissional. Antes, nós não tinhamos direito a discutir nada, era tudo de cima para baixo. E aí chegou o Telê e modificou tudo, começou a conversação, o Telê dava liberdade.

Éder e Yura voltam a dar depoimento parecido na Zero Hora de hoje, transcrevo aqui o texto coloco aqui as fotos do site da Zero Hora.

1977: O ano do renascimento
Gol de André Catimba determinou o fim da série de oito títulos gaúchos consecutivos conquistados pelo Inter

O apito do árbitro mal havia terminado de trilar e Tarciso chorava, as mãos para o céu em um misto de protesto e raiva. O Inter ganhara por 2 a 0 mais um Gre-Nal, o da decisão de 1976. Era campeão gaúcho pela oitava vez seguida. Situação insustentável, imaginou o flecha negra, o que justificava plenamente a heresia a seguir.

– Mas será que não tem justiça nessa vida? Eu treino, corro, apanho do Figueroa e não adianta? Será que eu nunca vou ganhar deles e ser campeão? Será que Deus existe mesmo?

Pelo que se viu no ano seguinte, em 1977, a ira santa de Tarciso deu resultado. Porque eles começaram a chegar: Éder, a bomba mineira de Vespasiano. Tadeu Ricci, parceiro de Zico do Flamengo. Ladinho, o maior lateral da história do Atlético-PR. André, centroavante experiente, matador, matreiro. Oberdã, o xerife que chegou fincando placa de propriedade na área do Grêmio. Todos estes se juntaram aos vaiados Ancheta, Iúra e Tarciso para formar um esquadrão lendário sob o comando do não menos lendário Telê Santana. E o Grêmio nasceu. Ou renasceu, para não arrumar briga com os historiadores. Sim, porque depois daquele 25 de setembro, há 30 anos, foi moleza: campeão brasileiro em 1981, da Libertadores e do Mundo em 1983, a fartura dos anos 90. Mas na década de 70, não. Era preciso suar sangue para ganhar do Inter. Era preciso recomeçar. Por isso nada era mais importante para o Grêmio do que o Gauchão de 1977.

– Com o Telê, o Grêmio adotou métodos profissionais. Os resultados apareceram – diz Iúra, um ex-vaiado convertido em símbolo de raça.

Eram 42 minutos do primeiro tempo quando Tarciso bateu falta pela direita. O Olímpico silenciou. A bola sobrou para Tadeu Ricci, que atraiu a marcação de Caçapava e Gardel e enfiou entre os dois. Quando André Catimba ajeitou o corpo, o tempo parou. De pé trocado, lado esquerdo da área, ele encontrou o ângulo direito. Grêmio campeão, 1 a 0, enfim.

André saltou de alegria. Era para ser um salto mortal, mas o baiano de olhos verdes se espatifou feito saco de batatas: abriu uma distensão, uivou de dor, saiu de campo. Mas e daí? Lá estava Benitez – o paraguaio cortejado pelo Grêmio meses antes – agachado, olhar perdido. Vencido. Jair, Batista, Marinho Perez, Valdomiro, Caçapava. Eles iam perder. André Catimba: foi ele quem fez os colorados sorverem o cálice de fel após oito anos.

Hoje, exatamente hoje, há 30 anos.

DIOGO OLIVIER

A mira de Éder e o salto de André

Trinta anos depois, ficaram as histórias fantásticas, algumas inéditas, de um time que se tornou uma família. Ancheta cansou de reunir os companheiros em casa, para um bom churrasco, enquanto ensaiava os primeiros agudos como cantor de bolero. O técnico Telê Santana pendurava um pneu em uma corda e mandava Éder atravessá-lo com seu míssil de canhota. Era preciso força e direção no chute, conforme ficou provado na estréia do Brasil na Copa de 1982, quando nem o vôo de Dasaev impediu o golaço de fora da área contra a União Soviética. Telê conhecia Éder muito bem. Trouxe a promessa do América-MG com 19 anos.

– Éder, o seu Telê está chamando – disse o supervisor Antônio Carlos Verardi, lá pelos idos, claro, de 1977.

– Mas agora, no meio do banho? – resmungou Éder.

– Só sei que ele mandou te chamar. Acho melhor tu ir – devolveu Verardi.

Trinta anos depois, Éder sorri com a lembrança.

– Eu não tinha treinado falta naquele dia. Saí do banho, fardei de novo e fui mirar o pneu. O seu Telê era assim. Por isso a gente ganhou daquele timaço do Inter – diz Éder.

E tinha também a concentração dois dias antes. Se o jogo era domingo, na sexta-feira estavam todos no Olímpico. Como havia rodada no meio da semana, o esquadrão de 1977 praticamente morava nas imediações da Azenha.

– É que o Éder dava muito trabalho. A gente tinha que ir atrás dele nas boates, aí o seu Telê nos trancava – diverte-se André Catimba, ex-motorista de táxi, ex-funcionário do Polo Petroquímico de Camaçari, ex-técnico e, agora, representante de vendas.

Pai de quatro filhos, André ganhou dinheiro no Olímpico. Comprou carro e apartamentos em Salvador, onde mora até hoje. Mas o espírito boêmio e a paixão pelo jogo criaram o ralo por onde escoou a estabilidade financeira conquistada graças aos gols e habilidade ímpar com a bola nos pés. O então presidente Hélio Dourado o convidava para tomar uísque na sala da presidência, disposto a mantê-lo, ao menos, dentro de casa.

– Não lembro de ter pulado tão alto em minha vida – suspira André.

Zerohora.com resgata a íntegra do texto publicado em Zero Hora no dia 26 de setembro de 1977.

Grêmio campeão com o gol de André

Os oito anos de sofrimento do Grêmio terminaram com o time de Telê Santana vencendo o Inter por 1 a 0, ontem no estádio Olímpico. Mas a festa que a torcida do Grêmio esperava fazer não pôde ser como ela queria. O jogo foi interrompido aos 42 minutos do segundo tempo, houve invasão de campo e o Inter acabou se retirando do estádio, depois de ter jogadores agredidos, alegando que não havia condições de segurança para a partida chegar a seu final.

O jogo não teve a movimentação técnica de outros Gre-Nais, nem chegou a ter jogadas, empolgantes, com freqüência. Teve duas características, ditadas pelo gol de André. O Inter começou mais cauteloso, fazendo questão de prender a bola e só indo à frente com segurança. O Grêmio mostrava mais força ofensiva, embora no início sentisse a marcação por pressão do adversário.

Como maior preocupação defensiva Gardel em cima de André (Marinho sobrava),
Vacaria matava Tarciso com a ajuda de Caçapava, enquanto o resto marcava por setor. Mesmo assim o Grêmio levava ligeira vantagem tática, pois a movimentação e postura de seus jogadores era melhor. Tanto que ia à frente com mais perigo do que o adversário. No entanto, o primeiro lance perigoso de gol só foi ocorrer aos 19 minutos. Caçapava demorou para sair com a bola da defesa, Éder recebeu um passe de Iura e chutou forte para Benitez fazer boa defesa.

Aos 22 minutos o Grêmio teve uma grande chance de abrir o marcador, quando Gardel colocou a mão na bola dentro da área, em jogada que sua defesa tinha dominado, assustado com a proximidade de André e Éder. O juiz assinalou, os jogadores do Inter reclamaram muito, fizeram catimba, mas Luis Torres confirmou o pênalti. Tarciso, encarregado da cobrança, chutou forte, mas seu pé bateu no chão e a bola desviou para fora, pelo lado esquerdo de Benitez, que saltara para o canto direito.

O pênalti perdido deu moral ao Inter, sua torcida começou a gritar. Mas o Grêmio era melhor em campo e numa jogada rápida, acabou fazendo seu gol. Aos 42 minutos, Tarciso bateu uma falta pela direita, a bola veio para Tadeu que fez um “corta-luz” levando o seu marcador. Iura, com a bola, atraiu a marcação de Caçapava e Gardel e deu para o lado esquerdo onde entrava André. O centroavante ainda trocou de pé e chutou forte, bem colocado, no ângulo direito de Benitez que pulou inutilmente. Aí o trabalho do Grêmio foi só esperar terminar o primeiro tempo.

Para o segundo, em desvantagem, o Internacional voltou mais ambicioso, enquanto era a vez do Grêmio prender a bola, segurar o resultado. Buscando mais força, Gainete tirou Bereta (Batista foi para lateral), entrando Jair e Santos saiu para Dario entrar. O Inter foi cercando, Telê colocou Alcindo no lugar de André, que se lesionara na comemoração do gol. Depois foi a vez de Wilson substituir Iúra o Grêmio foi dando cada vez mais espaço ao adversário, enquanto esperava o tempo passar.

O clima do jogo ficou muito nervoso alguns jogadores já deixavam a bola para ir com mais violência no adversário. Mas Luis Torres ainda controlava as ações. Éder já tirava bola em sua área pelo lado direito, o Grêmio ia recuando, tentando jogar em contra-ataques, uma tática que sempre deu os melhores resultados contra mesmo adversário. A defesa do Inter avançava, procurando se juntar ao ataque. O tempo ia passando, entrou nos 15 minutos finais, quando começou, pouco a pouco, a invasão de campo pelos torcedores. Primeiro os do Grêmio, eufóricos com a vitória. E a invasão de campo aconteceu porque a torcida achou que a partida estava terminada, quando o juiz paralisou uma jogada aos 42 minutos. Houve invasão geral, alguns jogadores do Inter brigaram com torcedores, acabou abandonando o estádio a partida teve de ser suspensa. O Grêmio fez sua festa, só não pode complementá-la, embora a euforia dos torcedores fosse justa, o time jogou melhor, merecia sair vitorioso. Teve a melhor campanha do campeonato, foi o melhor no Gre-Nal da decisão. Agora a questão se transfere para os tribunais, o Grêmio com a garantia de ter vencido dentro de campo, enquanto o Inter desesperado vai tentar mudar o resultado no TJD. E só se consola em ter prejudicado a grande comemoração do adversário.

GRÊMIO: Corbo, Eurico, Cassiá, Oberdan, Ladinho, Vitor Hugo, Tadeu, Iúra (Vilson), Tarciso, André (Alcindo) e Éder.
Técnico: Telê Santana

INTER: Benitez, Beretta (Jair), Gardel, Marinho, Vacaria, Caçapava, Batista, Escurinho, Valdomiro, Luisinho, Santos (Dario).
Técnico: Gainete

Arbitragem: Luis Torres, auxiliado por Adão Alipio Soares e Paulo Serafim.
Local: Estádio Olímpico.
Público: 57.186 pagantes
Renda: CR$ 1.642.960,00

Paulo Sant’Ana

Enfim campeão

O Grêmio é o legítimo campeão de 1977. Venceu ontem o quarto Gre-Nal deste ano. Marcou nas suas quatro vitórias incontestáveis sobre o Internacional 8 gols. Sofreu apenas 3 do seu adversário. Em apenas 3 minutos de jogo o Internacional não poderia ontem desfazer a vitória gremista. André acertou bem o pé e fez o que já é normal fazer este ano: gol da vitória do Grêmio sobre o Internacional.

Campeão o Grêmio, Luiz Torres esperou 30 minutos para que o Internacional voltasse. Foi pública a espera de Torres e outra coisa ele não poderia ter colocado na súmula senão o abandono do Internacional do campo de jogo. Apesar dos acontecimentos lamentáveis de ontem, o Grêmio é o campeão legítimo. Provou no campo.

Não ontem. Mas no quatro Gre-Nais que venceu: 3 a 0, 2 a 1 e 1 a 0.

Chega? Ou vão fazer o Grêmio jogar mais Gre-Nais? Não poderão haver outros resultados que não sejam vitórias do Grêmio. Porque aquilo que venho dizendo há meses é a única verdade: o Grêmio é melhor.

A invasão acontecida ontem no Olímpico é comum em todas as decisões. Em 1969 houve invasão no Beira-Rio. Em outros Gre-Nais aconteceram, por ocasião de decisões — e até mesmo em Inter x Gaúcho, invasões no Beira-Rio. Nem por isso os times visitantes, entre eles o Grêmio, se retiraram. Se Luiz Torres foi agredido, como sugere uma foto, aquela agressão só poderia ter partido de um torcedor do Internacional. Aos torcedores do Grêmio não interessava a paralisação da partida. O Grêmio vencia com um gol de André e com um pênalti perdido por Tarciso.

Mas o que interessa é o futebol. E o que se viu foi uma única equipe organizada em campo. O que se viu foi um único time à procura do gol. O Gre-Nal de ontem acima de tudo provou que não há remédio para o Internacional que seja a reconstrução do seu time, em cima da contratação de novos valores. Joguem-se quantos Gre-Nais quiserem jogar, o Grêmio os vencerá sempre. É mais time, tem mais estrutura. E só não vê quem não quer ver: só o Grêmio tem treinador à altura de um componente da dupla Gre-Nal

Terminou o campeonato. Venceu o melhor. Perdeu apenas um turno e assim mesmo aos 91 minutos de um Gre-Nal em que o Grêmio não teve o seu centroavante titular. Todas as quatro vezes que o Grêmio teve ou André ou Alcindo, venceu os clássicos. Perdeu um com os reservas. Mas time contra time, jogador por jogador, parece claro a todos a quem só interessa a discussão sobre futebol que o Grêmio é um oceano de diferença mais time que o Inter.


Ontem foi o coroamento da campanha mais especular de um time nos últimos anos em nosso campeonato. Defesa menos vazada, ataque mais positivo, marcando a impressionante soma de 65 gols, em tudo e por tudo a torcida merece a grande comemoração de ontem em todo o Estado e na capital, que ainda hoje é vista em todos os cantos. O Grêmio melhor e volta para o pedestal da vitória. Parabéns a Telê, a
Dourado, a Olmedo, aos jogadores e à torcida, que foi maior também em arrecadações. Vibra o Rio Grande gremista, o Grêmio se reencontra com o seu destino de grande campeão, uma equipe capaz do recorde de não ter contra sua meta ou sua linha de fundo uma bola sequer chutada pelo Internacional no Gre-Nal de 2 a 1, primeiro tempo, e uma só bola chutada por Valdomiro, assim mesmo de falta, na primeira etapa de ontem. O resto é conversa e reação, já esperada por mim, no sentido, de contestar o Grêmio. Mas não se pode contestar o melhor.

Brasileirão – Grêmio 1 x 0 Santos

September 23, 2007
E o Grêmio entrou sem nenhum canhoto na linha, mas o time não ficou torto. Nos primeiros 30 minutos o tricolor mandou no jogo. As principais opurtunidades surgiam nas cobranças de escanteio. Contudo Diego Souza estava sendo muito bem marcado e acabou “estacionando” na ponta esquerda.Pelo mesmo setor Anderson Pico não ajudou muito, pois tem a tendência de fechar pro meio. Pelo meio, Sandro e Tcheco encontravam um “congestionamento”. Sobrava a direita, e foi por ali que o Grêmio mais atacou. Bustos aparecia bem, Luciano Marreta mostrava vontade, mas tendo que receber a bola de costas ele dificilmente conseguia dar prosseguimento a jogada. O Santos só foi aparecer no ataque nos minutos finais do primeiro tempo. Aos 47 cruzamento na área do Santos, Diego Souza cabeceia e Alessandro faz pênalti, pulando de braços abertos dentro do área, o juiz não marca e no contra-ataque o Santos quase marca num lance de impedimento.


Equipes voltam iguais para o segundo tempo, Kléber dá um chute colocado de fora da área e Saja faz a clássica defesa de mão trocada. Apesar do susto o Grêmio seguie tomando a iniciativa. Aos 9 Marcel pega a bola e vai pra cima da zaga do Santos. Próximo ao bico da área ele recebe a falta de Domingos. Tcheco, Busto e Marcel se posicionam para a cobrança, Tcheco desiste e tudo indica que Bustos tentará colocar a bola por cima da barreira, mas Marcel vem correndo e solta uma bomba por fora da barreira, a bola vai no contra-pé de Fábio Costa e é 1×0. Luxemburgo mudou o time e tentou buscar o empate, mas só teve uma boa chance quando Bustos deu um bote errado e Petkovic consegui entrar dentro da área para chutar na rede pelo lado de fora. De resto o Santos esbarrou num Saja seguro e numa zaga tranquila.


Talvez o Grêmio possa melhorar sua movimentação no ataque, na defesa está perfeito, a marcação está bem acertada. Eduardo Costa fica a frente da zaga e dali dificilmente sai. Sandro fica mais solto para roubar a bola, os meios ajudam os laterais na marcação pelo lado do campo. A prova que o Grêmio marca bem é que o time está precisando cometendo poucas faltas

Não tenho mais nada sobre o que falar sobre as atuações de William. Se Eduardo Costa seguir nesse ritmo, a camisa da seleção será só uma questão de tempo. Pelo lado do Santos não entendo porque um jogador como Renatinho tenta tanto se parecer com Robinho.


Entendo que era feriadão, e que chuveu sem parar, mas achei que 22 mil pessoas foi um público um pouco decepcionante. Mas quem foi fez a diferença. Ninguem tem conseguido segurar o Grêmio dentro de casa.

fotos: Grêmio.net e ClicRBS

Grêmio 1 x 0 Santos
Marcel 55´

GRÊMIO: Saja; Bustos, Léo, William e Anderson Pico; Eduardo Costa, Sandro Goiano, Tcheco e Diego Souza; Luciano Fonseca (Danilo Rios 48 do 2º) e Marcel (Ramon 39 do 2º)
Técnico: Mano Menezes

SANTOS: Fábio Costa; Alessandro (Rodrigo Tabata 22 do 2º), Adaílton, Domingos e Carlinhos; Maldonado, Rodrigo Souto, Petkovic (Pedrinho 27 do 2º) e Kléber; Renatinho (Marcos Aurélio 22 do 2º) e Kléber Pereira
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

27ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2007
Data: 22/09/2007, Sábado, 18h10m
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre (RS)
Público: 22.832 (20.917 pagantes)
Renda: R$ 327.725,00
Arbitragem: Alício Pena Júnior (Fifa-MG), auxiliado por Marco Antônio Gomes (Fifa-MG) e Cleidy Mary Santos Nunes Ribeiro (Fifa-SC)
Gol: Marcel (G), aos 10 minutos do segundo tempo
Cartões amarelos: Sandro Goiano e Anderson Pico (G); Kléber, Domingos e Carlinhos (S)

Eleição para o Conselho

September 21, 2007
Se alguém não tá sabendo dia 29 de setembro ocorrerá a eleição para renovar metade do Conselho Deliberativo do Grêmio. Pode votar o sócio que tiver mais de 2 (dois) anos de associação completados em 31 de agosto de 2007, 1 (um) ano de mensalidades em dia e maior de 16 anos.

As chapas são as seguintes:

– Chapa 1 – Grêmio Novo e Independente

– Chapa 2 – Grêmio, Grêmio acima de tudo

– Chapa 3 – Grêmio Imortal e Unido

Além dos sites dos movimentos e díficil achar qualquer outra informação na mídia, com exceção do colunista Hiltor Mombach do Correio do Povo e poucos programas de rádio, niguém deu espaço para esse assunto.

Com base nas nominatas iniciais, fiz um levantameto grosseiro, sem levar em conta a posição nas chapas e se eram conselheiros titulares ou suplentes. Obtive os seguintes dados:

– 53 nomes aparecem simultaneamente nas 3 chapas
– 65 nomes estão tanto na chapa 1 como na chapa 2
– 64 nomes estão tanto na chapa 1 como na chapa 3
– 73 nomes estão tanto na chapa 2 como na chapa 3
– Dos 180 nomes apresentados pela chapa Grêmio Novo Independente, 95 já são conselheiros
– Dos 180 nomes apresentados pela chapa Grêmio Acima de Tudo, 106 já são conselheiros
– Dos 180 nomes apresentados pela chapa Grêmio Imortal Unido, 79 já são conselheiros

Supremacia

September 19, 2007

Mais uma pesquisa atesta maioria da torcida gremista em relação ao Internacional. Desta vez foi a pesquisa da Datafolha, feita nos dias 14 e 15 de agosto de 2007, foram realizadas 2771 entrevistas em 164 municípios, margem de erro de 2 pontos percentuais para mais ou para menos. Como vocês podem ver na figura acima, o Grêmio está em 6 lugar no Brasil, com 4% da preferência. Já o co-irmão está 9º, com 2%. Na região sul o Imortal tricolor tem 25% da preferência, contra 13% do colorado. Até aí nenhuma novidade. Leia o que já foi publicado nesse blog sobre pesquisas ( aqui, aqui e aqui).


A novidade da pesquisa é a sobre o jogador mais admirado. Ronaldinho é o primeiro com 22%, contra 10% do segundo que é Kaká. A supresa está no fato de que Ronaldinho tem 44% da preferência dos gremistas, contra 25% de Robinho entre os Santistas e 19% de Rogério Ceni entre os são-paulinos. Entre os colorados Ronaldinho também lidera com 34%.

Não sou especialista em pesquisas, não sou estatístico, mas acho que não podemos levar tão a sério uma pesquisa feita com menos de 3000 entrevistados. De qualquer modo fiquei bastante decepcionado ao saber que um número tão grande de gremistas admira Ronaldinho. Seria falta de memória?

Brasileirão – Grêmio 1 x 0 Internacional

September 17, 2007
Mais uma vez, a imprensa não conseguiu advinhar a escalação de Mano Menezes. Ninguém cogitou Jonas. Só isso bastaria para justificar os treinos fechados. O Grêmio entrou num 4-4-2 clássico, com dois volantes, dois meias, um atacante de movimentação e um centroavante. O Inter teve sua chance com 1 minuto: após cobrança de falta a bola sobrou para Adriano, que chutou e a bola beliscou a trave. A partid daí o domínio foi completo do tricolor, que se impôs. Aos 2 minutos Sandro deu ótima lançamento para Tuta, que dentro da área matou no peito mas acabou se precipitando na conclusão. A escolha de Jonas foi acertado, incomodava a zaga colorada e contribuía muito para marcação gremista, que começava ainda no campo de ataque. Aos 11, Tcheco cobrou escanteio, Diego Souza subiu de cabeça e a bola que buscava o ângulo acabou parando na trave. Novo escanteio para o Grêmio, novo cobrança de Tcheco, Jonas cabeceia para baixo, Renan espalma mal, Tuta pega o rebote e tem Renan as suas costas, mesmo assim consegue fazer o cruzamento para Leo, que de ombro superou Fernandão e fez o 1×0. Ainda no primeiro tempo o Inter tentou buscar o empate, mas parou em uma zaga soberana e num Saja seguro. O Grêmio ainda teve algumas boas chances, como a cabeçada de Jonas e falta batida por Tcheco.
No segundo tempo, a entrada de Gil sinalizava dava a impressão que o Inter ia pressionar, mas isso não aconteceu. Bustos se mostrou seguro na defesa e Hidalgo pode sair pra jogo. As opurtunidades do Inter rarearam, e as do Grêmio seguiram acontecendo. Em falta ensaiada, Tcheco deixou Hidalgo livre dentro da área, mas o peruano demorou a enquadrar o corpo e o cruzamento saiu tarde. Minutos mais tarde, Luciano Marreta cruzou rasteiro , Tuta antecipou o zagueiro e chutou pra fora. Logo em seguida, Tuta da um passe de bicicleta, Luciano Marreta domina, conduz a bola mas no último segundo Alex salvou. Aos 30 , Tcheco cobra o escanteio, Diego Souza escora no primeiro pau, William cabeceia no segundo e Renan faz a melhor a defesa do jogo. Posso estar sendo injusto, mas não lembro de nenhum ataque do Inter digno de registro. Abel faz mais mudanças que não surtiram efeito. O Grêmio passou a marcar no seu campo e a bola não chegava nem perto do gol de Saja. Aos 39 pênalti de Índio em cima de Tuta, mas Heber Roberto Lopes (de boa atuação) não marcou. No fim um 1 x 0 que acabou saindo barato pro colorado, mas ganhou quem foi mais organizado, quem mostrou mais raça, quem correu mais e quem jogou mais bola.
Fica até injusto querer destacar alguém do time que atuou ontem, mas penso que Eduardo Costa foi o melhor em campo. Tcheco vem correndo e jogando muito nos jogos do Olímpico e qualquer seleção do campeonato que não tenha William na zaga é injusta.

Nunca concordei com essa história de que o Grêmio tem um time limitado, que faz campanha acima das suas possibiliadades. Os colorados tratam de minimizar a vitória do Tricolor, falando de uma jogada só, detalhe, bola áerea, bola parada. E ainda acham quem tem umo Inter tem um timaço. Existem colorados que acreditam nisso. Só esqueceram de avisar isso a Magal, Edinho, Sidney, etc…

Fotos: Gremio.net e ClicRBS

Grêmio 1 x 0 Internacional
Leo 12´

GRÊMIO
: Saja; Bustos (Patrício 41 do 2º), Leo, William e Hidalgo; Eduardo Costa, Sandro Goiano, Tcheco e Diego Souza; Jonas (Luciano Fonseca 9 do 2º) e Tuta
Técnico: Mano Menezes

INTER: Renan; Índio, Sidnei e Magal; Wellington Monteiro (Pinga 27 do 2º), Guiñazu, Edinho (Elder Granja 22 do 2º), Roger (Gil intervalo) e Alex; Fernandão e Adriano
Técnico: Abel Braga

26ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2007
Data: 16 de setembro de 2007, domingo, 18h10min
Público: 35.547 (32.863 pagantes)
Renda: R$ 644.670,00
Árbitro: Heber Roberto Lopes (Fifa-PR)
Assistentes: Altemir Hausmann (Fifa-RS) e Marcelo Bertanha Barison (RS)
Cartões amarelos: Tuta e Hidalgo ; Alex, Wellington Monteiro, Edinho, Sidnei e Adriano(Inter)
Gol: Leo aos 12 minutos do primeiro tempo

Camisas – Uniforme genérico – Tricolor 2005

September 14, 2007

Juro que não quero pegar no pé da Puma, mas navegando pelo Mercado Livre me deparei com algo que achei que nunca mais veria, os uniformes genéricos do Grêmio em 2005. As camisas estão a venda por R$ 150,00 e R$ 220,00. Pra quem não lembra, o Grêmio assinou com a Puma no final de 2004, mas as camisas só ficaram prontas em Março de 2005. Nesse meio tempo o Grêmio usou um fardamento “genérico”, sem ter o fornecedor estampado. A camisa era basicamente uma cópia do modelo da Kappa de 2004, com algumas pequenas diferenças. As mangas e as laterais era todas azuis, com um detalhe branco no “sovaco” e o números estavam por cima das listras, sem o tradicional quadrado em volta. O uniforme da puma só foi estreado na vitória de 1×0 do Grêmio sobre o Bahia pelo segundo jogo da primeira fase da Copa do Brasil. Em 2006 o Cruzeiro teve experiência parecida com a Puma.

Ficam as perguntas: Quem será que fabricou esse uniforme pro Grêmio? Será que chegou a se fazer um uniforme reserva?


Acima as fotos do primeiro jogo contra o Bahia, pela copa do Brasil ( 2×1 na fonte nova). Contra o Brasil-Pel pela primeira fase do gauchão, a chegada do zagueiro Alessandro Lopes no Grêmio (Grande Momento!!!) e Grêmio e São Gabriel pelo gauchão ( perdemos de 4×3 no Olímpico). Como viram a camisa não trás boas recordações, mas peço pra que quem tiver uma foto melhor , por favor me mande.

Cuca – Calçada da Fama

September 12, 2007
Não vou comentar a semana Gre-nal, não vou falar da indicação do Heber Roberto Lopes, não vou comentar a lesão de Rodrigo Mendes e nem vou comentar as contratações de Jonas e Luciano Fonseca. Vou falar de uma notícia que saiu no Terra e pouco repercutiu.

Cuca assume ter mágoa da diretoria do Grêmio

Um dos grandes jogadores da história do Grêmio, o hoje técnico do Botafogo, Cuca, assumiu neste sábado ter mágoa do time tricolor gaúcho.

O ex-jogador marcou o gol da vitória do título gremista da primeira Copa do Brasil da história, em 1989. O Grêmio ainda não o convidou para colocar seus pés na “Calçada da Fama” do Olímpico.

Neste domingo, Cuca voltará ao estádio, comandando o Botafogo contra pelo Campeonato Brasileiro. “Dei minha vida pelo Grêmio. Joguei infiltrado. Estava vendido para a Espanha e me arrisquei, me despedindo num Gre-Nal em que o pau comeu solto. Estou muito sentido com os dirigentes do Grêmio”, disse.

“Agora, se me pedirem para pôr os pés, não vou. Na pressão não é a mesma coisa. Tinha que ser espontâneo. Ou acham que eu tive mérito, ou não acham”, protestou.

Cuca fez essa reclamação pouco dias depois de o Grêmio ter anunciado que Sandro Goiano, Valdo e Luiz Eduardo . Sandro Goiano nem tem como discutir, e além do mais entraria automaticamente como capitão da série B em 2005. Valdo foi um jogador de seleção brasileira, de copa do mundo. Luiz Eduardo já mais questionável, nunca foi um grande jogador, mas jogou no Grêmio por um longo período, e sempre manteve o vínculo com o clube.

Entende-se o Cuca, haja vista que dois de seus ex-companheiros foram indicados e ele não. Cuca foi um dos símbolos daquele time chamado de “Grêmio Show”, além de ter ganha a copa do brasil de 1989 e o hexa gaúcho de 1990. Talvez tenha sido apenas um “esquecimento”. Talvez tenha pesado negativamente a passagem de Cuca pelo co-irmão. Não quero imaginar que a história do suposto estupro na Suíça tenha algo a ver com isso. Abaxo uma foto de Cuca, Luiz Eduardo e Valdo no time do Gremio que disputava a Brasileirão de 1987.

Foto retirado do site http://www.torcedor.gremista.nom.br/

Brasileirão – Cruzeiro 2 x 0 Grêmio

September 9, 2007
Um primeiro tempo de um jogo absolutamente igual, até o Grêmio levar o gol no pior momento possível. Escanteio batido, Ramón subiu mas não alcançou, Marcelo Moreno não foi acompanhado por Diego Souza e fez o 1×0.

No segundo tempo o Grêmio jogava no campo do Cruzeiro, mas sentia a falta de um segundo atacante, de um jogador de movimentação, de habilidade, enfim sentia falta de Carlos Eduardo. Novamente Marcelo Moreno fez o gol no pior momento para o Grêmio. A partir daí, só Eduardo Costa fez questão de jogar, e jogou bem.


Cruzeiro 2 x 0 Grêmio

Marcelo Moreno 38´
Marcelo Moreno 65´

CRUZEIRO: Fábio; Mariano, Léo Fortunato, Thiago Heleno e Fernandinho; Ramires, Charles, Luís Alberto e Maicosuel (Guilherme 34 do 2º) ; Marcelo Moreno (Fernando 46´do 2º) e Alecsandro (Roni 28 do 2º)
Técnico: Dorival Junior

GRÊMIO:Saja; Patrício, William, Léo e Anderson Pico (Thiego 5 do 2º); Eduardo Costa, Sandro Goiano, Tcheco (Adílson 26 do 2º) e Diego Souza; Ramón (Geison 21 do 2º) e Tuta
Técnico: Mano Menezes

25ª rodada – Campeonato Brasileiro 2007
Data: 08/09/2007, Sábado, 18h10min
Local: Mineirão, em Belo Horizonte-MG
Público: 35.645 pagantes
Renda: R$ 181.399,00
Arbitragem: Heber Roberto Lopes (Fifa-PR), auxiliado por Rogério Carlos Rolim e Gilson Bento Coutinho (PR)
Cartões amarelos: Alecsandro e Marcelo Moreno (C); Sandro Goiano e Anderson (G).
Gol: Marcelo Moreno, aos 38 min do primeiro tempo; Marcelo Moreno, aos 20 min do segundo tempo