Archive for August, 2008

Brasileirão – Grêmio 2 x 1 Vasco

August 31, 2008

Tarde ensolarada e quente no Olímpico de bom público. Grêmio, com um volante (Rafael Carioca) e dois meias (Souza e Tcheco) foi para cima do Vasco. Com um minuto, Tcheco e Perea fizeram linda tabela que adentrou a área, mas o colombiano foi travado no último instante por Jorge Luiz. Aos 2 minutos, Pereira sobe bem no escanteio, mas Tiago defende a cabeçada no meio do gol. Aos 12, Souza fez o “um-dois” com Perea e chutou buscando o ângulo, Tiago fez uma defesa sensacional. Após o entusiasmo inicial, o Grêmio se mostrou um tanto “torto”, jogando exclusivamente pela direita. Quando conseguiu virar o jogo levou perigo, como no cruzamento fechado de Pico e o chute para fora de Perea. Em falta não marcada, Perea se machucou, saiu, foi atendido, tentou voltar mas não conseguiu. Soares ingressou ainda no primeiro tempo. Aos 45, cruzamento de Paulo Sérgio, Marcel tenta matar no peito e é desarmado, a bola fica viva dentro da área e Rafael Carioca chuta pro gol mas é bloqueado, a bola sobra mais uma vez mas Pico arremata em direção a bandeirinha de escanteio.

No segundo tempo, acentuou-se a diferença de postura entre as duas equipes. O jogo parecia acontecer somente no campo de ataque gremista. O Vasco colocava todos seus jogadores atrás da sua intermediária defensiva. O Grêmio trocava passes no ataque e incomadava na bola parada. Aos 9, Souza e Marcel apertam a saída do Vasco, Marcel rouba a bola, faz jogada pela ponta direita, cruza e Soares cabeceou para o chão, a bola bateu nas duas traves antes de entrar. Grêmio continuou criando, Pereirão chutou raspando a trave, após confusão na área. Aos 20, bela arrancada de Tcheco terminou em assistência de Soares para gol de Marcel, mas o lance foi corretamente anulado por impedimento. Aos 25, falta para o Vasco. Cruzamento da intermediária, Alan Kardec cabeceia com alguma liberdade, Victor “reboteia” mal, para frente, e Alan Kardec, dessa vez com os pés, empurra para as redes. Mesmo já tendo feito as 3 alterações, o Grêmio não se abalou. Minutos mais tarde, belo cruzamento de Helder, Soares escorou e Marcel mandou, de cabeça, para o fundo do gol. O Vasco não mostrou mais forças para reagir. Grêmio ainda ameaçou fazer um terceiro, principalmente nas descidas de Rever.


Não é má idéia tentar utilizar André Luís (e sua velocidade) na ala. Mas ele tem que melhorar a parte defensiva, que é deficiente. Como se viu na falta, desnecessária, que originou o gol vascaíno.

Penso que o esquema com 1 volante e 2 meias só funcionará em situações como essa: Jogo em casa contra adversário bastante recuado.

O segundo gol talvez só tenha acontecido pela ausência de um zagueiro vascaíno, que era atendido fora do campo, no que parecia ser pura “cera”.

Péssima partida de Pico. Helder foi animador, mais eficiente do que nos grenais.

Alan Kardec e Wagner Diniz são jogadores interessantes.

Evandro Rogerio Roman parece não se cansar de marcar “faltinhas”. Truncou o jogo.

Jogando com numeração “fixa” e nome nas camisetas no Brasileirão também.

Estou tendo muita dificuldade de acessar o site do Grêmio nas horas posteriores as partidas.

Fotos: ClicRBS, Terra e Gremio.net

Grêmio 2 x 1 Vasco da Gama
Soares 54´
Alan Kardec 70´
Marcel 74´

GRÊMIO: Victor, Leo, Pereira e Réver; Paulo Sérgio (Hélder, 18’/2ºT), Rafael Carioca, Tcheco, Souza e Ânderson Pico (André Luis, 10’/2ºT); Perea (Soares, 42’/1ºT) e Marcel.
Técnico: Celso Roth.

VASCO: Tiago, Marcus Vinícius, Eduardo Luiz, Jorge Luiz e Edu; Rodrigo Antônio, Serginho (Mateus, 23’/2ºT), Wagner Diniz e Alex Teixeira; Jean (Éder, 40’/2ºT) e Alan Kardec.
Técnico: Tita


23ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2008
Data: 31 de agosto de 2008, domingo, 16h00min
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre
Público: 37.978 (33.943 pagantes).
Renda: R$ 621.431,25
Arbitragem: Evandro Rogério Roman (Fifa/PR),
Auxiliares: José Carlos Dias Passos (PR) e Moisés Aparecido de Souza (PR)
Cartões Amarelos: Jorge Luiz e Alan Kardec (V); André Luís (G)
Gols: Soares (G), aos nove, Alan Kardec (V), aos 25, e Marcel (G), aos 29 minutos do segundo tempo.


TBZ sai do consórcio da Arena

August 30, 2008

A notícia saiu sem grande repercussão, perdida em meio a um grenal.

“Empresa TBZ sai do consórcio da Arena do Grêmio Empreiteira brasileira OAS assumirá a obra A empresa portuguesa TBZ anunciou sua saída do consórcio para construção da arena do Grêmio. A brasileira OAS assumiu a obra e, nesta semana, apresentou ao presidente do Conselho, Raul Régis de Freitas Lima, garantias do banco Santander para bancar o projeto. A empreiteira também se comprometeu a comprar área de 38 hectares no bairro Humaitá, que pertence à Federação do Círculo dos Operários. (ClicRBS -28/08/2008)”

A Notícia é curta (para não dizer incompleta) e não esclarece quais foram os motivos da saída da TBZ.

A “informação” que eu tenho é que, ainda quando da apresentação das propostas, confrontada por ter feito uma proposta tida como inferior, a Odebrecht desdenhou a proposta dos portugueses, apostando na desistência dos mesmos.

Não foi exatamente o que aconteceu, visto que a OAS assume sozinha o projeo.

É preocupante sim. Mas a garantia dada através do Banco Santander traz alguma tranquilidade.

“Grêmio garante que fim de consórcio não coloca Arena em risco
Empresa portuguesa TBZ encerrou parceria com a brasileira OAS

O fim do consórcio entre a empresa portuguesa TBZ e a construtora brasileira OAS não representa riscos para a construção da futura Arena do Grêmio. A garantia financeira de R$ 300 milhões oferecida pela OAS, através do Banco Santander, dá ao clube a certeza de que a obra chegará ao fim. A previsão de entrega é em 2012.

A Arena terá capacidade para 55 mil pessoas. Nove mil lugares serão reservados para a que a Geral realize a chamada avalanche a cada gol do Grêmio.

– Um parceiro da envergadura do (banco) Santander dá muito maior segurança à operação – destaca o vice-presidente de planejamento do Grêmio, Eduardo Antonini.

Além da garantia de R$ 300 milhões, que será paga ao Grêmio caso a construtora não possa concluir a Arena, o clube ainda terá direito a mais R$ 1 milhão pelo descumprimento de obrigações contratuais. No dia 9 de setembro, em reunião do Conselho Deliberativo, o presidente Paulo Odone apresentará relatório sobre o fim do consórcio TBZ-OAS. Também dará detalhes sobre as próximas etapas a serem cumpridas. Uma delas é a criação da Grêmio Empreendimentos, empresa que irá gerir o projeto.

– Os conselheiros seriam avisados antecipadamente sobre o consórcio. Só que a notícia vazou antes – explica o presidente do Conselho, Raul Régis de Freitas Lima.

Apesar de já estar com seu estatuto redigido, a Grêmio Empreendimentos só terá definidos os seus integrantes em outubro. Ela contará com Conselho de Administração, Conselho Fiscal e dois diretores-executivos remunerados. Só após sua criação será assinado o contrato final entre Grêmio e OAS. “(ClicRBS – 29/08/2008)

Sulamericana – Grêmio 2 x 2 Internacional

August 29, 2008


Sulamericana “esvaziada”. Jogo no início da noite. Muita gente chegando em cima da hora, inclusive a chuva.

Grêmio no 3-6-1. Amaral de terceiro zagueiro, Makelele de ala-direito, Soares sozinho na frente. Inter num 4-5-1. Ricardo Lopes era zagueiro, não ultrapassou a linha do meio campo. O Inter obviamente mostrava maior entrosamento e conseguia ter mais posse de bola, pricipalmente quando D´Alessandro a conseguia segurar. O Grêmio tinha mais dificuldades. Conseguia jogar quando a bola passava por Souza e Orteman, saíam triangulações pelos lados do campo mas faltava jogadas de área. Soares muito sozinha, faltava a opção para uma jogada mais forçada na frente. O inter criou as melhores chances da primeira etapa. Nos chutes para fora de Gustavo Nery, Nilmar, no chute de Taisson defendido por Marcelo Grohe e no rebote pego por D´Alessandro e salvo por Amaral. Gêmio ameaçou na cabeçada de Rudinei, que Clemer pegou no susto e no voleio de Léo.


Cedo no segundo tempo, bola vencida no alto pelo Inter (Roth reclama, com razão, de falta em Souza) e num bate e rebate entre os zagueiros do Grêmio (jogada de Pinball), Nilmar tem a sorte de a bola cair em seus pés, e tem a competência de encobrir Marcelo Grohe e abrir o placar. Grêmio reage e vai para cima, sempre com Souza, que cria todas as jogadas de ataque. Seus chutes e cruzamentos levaram perigo.

Com pouco mais de 20 minutos do segundo tempo, bola na ponta esquerda de ataque do Grêmio. Cruzamento para dentro da área colorada e a bola é interceptada pela mão de um defensor vermelho. Pênalti. Eu estava de frente para o lance vi claramente, mas o estádio inteiro reclamou. Gaciba se fez de louco e não marcou.

Segundos depois, escanteio curto do Inter, desatenção defensiva do Grêmio e Índio subiu sozinho no segundo pau para fazer o segundo gol. Roth colocou Perea, que, somado as alterações anteriores (Adilson e André Luís), fez o Grêmio crescer. Tite tentou se resguardar com Edinho. No entusiasmo do time e da torcida surgiu empate. Bela assistência de Orteman, Perea teve calma para deixar Índio no chão e fuzilar Clemer. Pressão sobre a defesa colorada. Aos 43, Soares gira na entrada da área, chuta forte, Clemer espalmou para o alto mas não conseguiu evitar o gol de empate gremista


Lamenta-se o calendário e a ausência dos titulares. Mas também lamenta-se a ausência de alguns reservas como Reinaldo e Felipe Mattioni. Grêmio jogou dois clássicos sem um lateral direito.

Gostei muito do Souza, melhor em campo (ao menos pelo lado do Grêmio). Lhe faltou um pouco de “parceria” na armação de jogadas de ataque.

William Magrão foi bem. Ganhou a grande maioiria das divididas e disputas de cabeça. Se impôs.

Orteman começou muito bem. Depois acusou a falta de ritmo de jogo e o desontrasamento com os demais.

Rudinei muito mal. Ficou sem função entre o ataque e o meio campo. Talvez o único erro de Roth.


Gaciba é o melhor produto de exportação da arbitragem gaúcha. Mas para o mercado interno não serve. Impressionante como ele se afeta quando tem que apitar jogos da dupla. Não só pelo pênalti não marcado. Não só por não ter mostrado cartão para Índio, que fez falta idêntica, em questão de segundos, a que Jean fez e ganhou amarelo. Não só por ter dado apenas 3 minutos de descontos num segundo tempo de 4 gols (e longas comemorações) e 6 substituições. Não só pela falta não marcada em Souza na origem do 1º gol colorado. Não só pela solada em Helder não marcada no primeiro tempo. Não só por ter feito uma “cena” com os gandulas. Por tudo, por mudar o estilo, por não deixar o jogo correr. Etc…


Não sei ao certo se 23 mil pessoas é bom público. Mas tenho certeza que 19h20min é um péssimo horário para Futebol. Não só para quem vai ao estádio, mas para a cidade como um todo, que é afetada bem na hora do rush.

O ideal é vencer todos os jogos e ganhar todos os títulos. Mas isso é o ideal. A realidade é que essa Sulamericana não leva a nada. Avançar nesse campeonato só atrapalharia o desempenho no brasileirão. Outras fases preliminares virão com mais facilidade do que uma boa campanha no campeonato brasileiro.

Banguzinho invicto e cumpridor.

Eliminado no formulismo? Espero que ninguém repita essa besteira, muito dita pelos idos de 2006.

Fotos: Gremio.net, ClicRBS e Terra

Grêmio 2 x 2 Internacional
Nilmar 47´
Índio 70´
Perea 84´
Soares 88´

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Leo, Jean e Amaral (Adilson, 15’/2ºT); Makelelê (Perea, 30’/2ºT), William Magrão, Orteman, Souza, Rudnei (Andre Luis, 3’/2ºT) e Hélder; Soares.
Técnico: Celso Roth.

INTERNACIONAL: Clemer; Indio, Bolívar e Marcão; Ricardo Lopes (Andrezinho, 46’/2ºT), Magrão, Guiñazú, D’Alessandro (Edinho, 28’/2ºT) e Gustavo Nery; Nilmar e Taison (Daniel Carvalho, 25’/2ºT).
Técnico: Tite.

Copa Sulamericana 2008- 1ª Fase – Jogo de Volta
Data: 28/08/2008 – quinta-feira – 19h20min
Local: Estádio Olímpico (Porto Alegre, RS)
Público Total: 23.960 (21.679 pagantes)
Renda: R$ 520.122,00
Árbitro: Leonardo Gaciba (RS)
Auxiliares: Roberto Braatz (PR) e Alessandro Rocha (BA)
Cartão Amarelo: Jean, W.Magrão, Hélder ; Indio, Guiñazú, Clemer, Daniel Carvalho
Gols: Nilmar, 2’/2ºT ; Indio, 25’/2ºT (0-2); Perea, 39’/2ºT (1-2); Soares, 43’/2ºT

Camisas – Uniforme Genérico – Branca 2005

August 26, 2008
Quando fiz um um posto sobre a camisa “genérica” tricolor que o Grêmio usou no início de 2005, tinha ficado com a dúvida se havia um camisa “genérica” reserva. Nos comentários, Bernardo Amorim disse que havia sim e que algumas foram vendidas no Mercado livre. Só fui achar fotos agora, no blog http://camisasdogremio.wordpress.com/



Ano: 2005
Fornecedor: ???
Patrocinador: Banrisul

Brasileirão – Náutico 1 x 1 Grêmio

August 24, 2008

Grêmio começou muito bem o jogo, parecia que iria se impor. Boas jogadas pela ponta direita, sucessão de cruzamentos e escanteios, mas não foram criadas grande chances. O Náutico começou a gostar do jogo, soltou os dois laterais, ganhou a meia cancha e chegava com alguma facilidade pelos lados. O maior susto ocorreu aos 41 do primeiro tempo, cruzamento rasteiro, a bola atravessa a área tricolor e Kuki chutou, Léo , num movimento “ninja”, dá o carrinho, ergue a perna e salva o gol.

Imaginava-se uma melhor na segunda etapa, não aconteceu. O Náutico, na base da pura empolgação, no jogo ideal para o péssimo gramado, foi para cima. Aos 5, cruzamento rasteiro de Ruy, conclusão de Kuki no primeiro pau e “milagre” de Victor. Aos 11, novamente, boa descida pela direita, novo cruzamento rasteiro, a bola passa pelo três zagueiros tricolores (Pereira poderia ter tirado facilmente) Paulo Santos bateu, Victor tocou na bola, mas não o suficiente para evitar o gol. Náutico partiu cedo para cera. Roth altera o time, sem abrir mão dos 3 zagueiros (entram Souza e André Luís, saem Perea e Rafael Carioca). Aos 20 Souza cai em uma disputa com Hamilton. A TV não mostrou nenhum replay do lance. Tardelli (não consulta os bandeiras) enrola o jogo até os 24. Aos 25 mostra amarelo para Hamilton por uma falta normal. Grêmio não melhora, dificuldade para trocar passes. As principais chances surgiram em trapalhadas do novato goleiro Deivid. Aos 48, falta na intermediária, Até Victor vai para área. Bola rebatida, Souza pôe de volta “no fedor”, Marcel toca para trás, Victor cai, Pereira chuta e a bola explode num jogador no Náutico, na sobra Réver estufa as redes. Prêmio para quem não desistiu, Castigo para quem jogou como time pequeno. (Muita cara de pau reclamar dos descontos do Juiz).

O Gramado era muito ruim, isso é fato, a bola raramente rolava. Mas o Grêmio raramente ganhava a “segunda bola”.

Assim como contra o Flamengo, não gostei do meio campo tricolor, que vem sendo um dos grandes diferenciais do Grêmio no campeonato.

Tardelli mais uma vez fez uma arbitragem caseira. William Magrão levou amarelo num lance que tocou só a bola.

Curiosa essa história do Tcheco não ser capitão por causa do Tardelli (já tinha acontecido contra o Palmeiras)


Gol nos acréscimos para matar todos os secadores de plantão (inclua-se aí os de RJ-SP).

Ainda que o gol do final deixe uma sensação boa, o resultado foi negativo. Típico jogo para buscar os três pontos fora de casa.

Olhando pelo lado positivo, o Grêmio saiu para jogar 2 jogos fora de casa com 5 pontos de vantagem, voltou com os mesmos 5. (alguns dirão que isso é pensar pequeno, paciência).

Fotos: ClicRBS e Lance

Náutico 1 x 1 Grêmio

Paulo Santos 56´
Réver 90 + 3

NÁUTICO: Eduardo (Deivid, intervalo), Ruy, Vágner, Negretti e Piauí; Ticão (Reinaldo, 24’/2]T), Hamilton, Valdeir e Paulo Santos; Felipe e Kuki (Radamés, 42’/2ºT).
Técnico: Roberto Fernandes.

GRÊMIO: Victor, Leo (Makelele, 42’/2ºT), Pereira e Réver; Paulo Sérgio, Rafael Carioca (André Luiz 17’/2º T), William Magrão, Tcheco e Anderson Pico; Perea (Souza, 17’/2ºT) e Marcel.
Técnico: Celso Roth

22ª Rodada – campeonato brasileiro 2008
Data: 24 de agosto de 2008, domingo, 18h10min
Local: Estádio dos Aflitos, Recife-PE
Arbitragem: Wagner Tardelli (Fifa-SC),
Auxiliares: Carlos Berkenbrock e Alcides Pazetto (trio de SC)
Cartões amarelos: Willian Magrão, Victor (G), Hamilton
Gols: Paulo Santos, aos 11, e Réver, aos 49 minutos do segundo tempo

Prancheta? Análise Tática?

August 23, 2008
Existe um certo exagero na mídia esportiva quando se tenta falar em tática. Parce que está na moda decantar a visão de alguns jornalistas sobre o esquema táticos das equipes.

Gosto bastante do trabalho do PVC da ESPN Brasil, contudo parece que esse ano a “fama lhe subiu a cabeça”. Alguns erros cometidos. Como demorar um turno inteiro para colocar o Grêmio entre os candidatos ao título ou falar besteira em relação aos uniformes de times ingleses. Mas não é isso que está em questão. Vamos a famosa prancheta do PVC. Primeiro nela há um simplificação grosseira: Tcheco não joga solto a frente de uma linha de 4 no meio campo. Segundo, um erro grosseiro, Perea joga pelo lado esquerdo de ataque (uma simples olhada nos gols do colombiano mostram isso).

Muito embora já tenha escalado Bruno Telles na ala direita do Grêmio, a análise de Arnaldo Ribeiro, da Placar, é mais correta. Perea pela esquerda e Tcheco junto aos demais jogadores do meio campo. Rafael Carioca está corretamente colocado mais recuado do que William Magrão, mas acho complicado dizer qual lado do campo eles jogam, isso varia muito. Certo é dizer que Rafael faz a primeira função e Magrão a segunda.

Pirâmide?

August 23, 2008
Grêmio 1983, 03 de agosto de 2008:
“Roth falou em “Pirâmide” na coletiva. Termo novo para mim, mas entendi o que ele queria dizer.”

Tostão, Folha de São Paulo, 17 de agosto de 2008:

“O técnico Celso Roth, que adora a expressão mecânica de jogo, disse, na semana passada, que Souza fez muito bem a pirâmide com o companheiro. Ainda não entendi. No futebol, já tinha escutado palavras como quadrado, losango, triângulo, mas nunca tinha ouvido pirâmide.
Será um novo esquema tático? Ou é apenas mais uma palavra para o dicionário futebolês?

Para quem viu o jogo no qual Roth falou em Pirâmide (Grêmio 2 x o Vitória) não fica tão difícil entender assim. Roth pode até ter se enganado, falando em pirâmide quando queria dizer triângulo. Mas vamos destrinchar. O Grêmio jogava no 3-5-2, dois volantes e um meia (Tcheco). Aos trinta do segundo tempo, saíram Perea e Marcel e entraram Souza e Marcel. Grêmio passou para um 3-6-1. Souza formava a “pirâmide” com seu companheiro Tcheco, encostando em Reinaldo.

Brasileirão – Flamengo 2 x 1 Grêmio

August 22, 2008

Grêmio começou mal, muita dificuldade para sair jogando (Léo fez falta). O time jogava “longe”, não conseguia ter posse de bola no ataque. Quando perdia a bola, não mostrou a rápida compactação defensiva de outros jogos. Aos 26, Pico erra na saída para o contra-ataque, Marcelinho Paraíba teve tempo para armar jogada, a bola chegou até Juan, que da frente da área chutou, a bola picou, Victor soltou, e Maxi empurrou para as redes. Muita gente na frente da bola, que picou antes de chegar ao gol, mas foi uma falha de Victor, que tem (muito) crédito. A opção por Souza na ala não deu certo, Juan teve espaço para jogar e Souza ficou longe do ataque.

Segundo tempo com Makelele na ala direita e Souza na meia (Perea saiu). Grêmio melhorou, se mostrou mais presente no campo de ataque. Controlou um pouco mais o Flamengo. Porém não foram criadas muitas chances. Roth partiu para o tudo ou nada. André Luís na ala esquerda (Pico saiu). Reinaldo no ataque (Jean saiu). Jogo ficou bastante aberto. Aos 37´, pancada com efeito na cobrança de falta e um golaço de Souza. Empate parecia perto mas, Aos 40, gol de chiripa do Flamengo. Toró foi o autor.


Derrota iria acontecer cedo ou tarde. Paciência, tratar de administrar. Continuamos 5 pontos a frente do segundo colocado.

Atuação horrorosa de Anderson Pico. Comprometedora. Ouvia-se claramente Roth mandando ele atacar no primeiro tempo.

Roth diz que colocar Souza na ala é um desperdício. Sou obrigado a concordar.

Maurício Saraiva realizou um sonho dele (comentar um jogo do Flamengo no Maracanã) ao mesmo tempo que realizava o sonho de muito gaúchos (ver Maurício Saraiva bem longe do RS)

Fotos: Terra , Gremio.net e ClicRBS

Flamengo 2 x 1 Grêmio
Maxi 26´
Souza 82´
Toró 85´

FLAMENGO: Bruno; Léo Moura, F. Luciano, R.Angelim e Juan; Jaílton, Airton (Toró, 29’/2°T), Kléberson (Obina, 29/2°T) e Ibson; M.Paraíba e Maxi (Jônatas, 35’/2°T)
Técnico: Caio Júnior

GRÊMIO: Victor; Jean (Reinaldo, 28’/2°T), Pereira e Réver; Souza, R.Carioca, Willian Magrão, Tcheco e Anderson Pico (André Luís, 18’/2°T); Perea (Makelele, int) e Marcel
Técnico: Celso Roth

21ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2008
Data: 21 de agosto de 2008, quinta-feira, 21h45min
Local: Maracanã, Rio de Janeiro
Público: 31.716 (28.617 pagantes)
Renda: R$ 497.038,00
Arbitragem: Wilson Luiz Seneme (asp.Fifa/SP)
Auxliares: Ednilson Corona (Fifa/SP) e Roberto Braatz (Fifa/PR)
Cartões Amarelos: (G) Jean, Pereira e Willian; (F) Toró

Gols: (F) Maxi, aos 26 do 1ºtempo. (G) Souza, aos 37 do 2º . (F) Toró, aos 40 do 2º tempo

Mau perdedor?

August 19, 2008

São Paulo e Grêmio se atacam
Presidente são-paulino critica Olímpico e erro de juiz; rivais dizem que ataque é choro de perdedor.
Juvenal Juvêncio afirma que seu clube vai pedir veto ao árbitro Alicio Pena Júnior e repete que título nacional ainda é a meta da equipe

TONI ASSIS
DA REPORTAGEM LOCAL

A derrota de anteontem para o Grêmio, com um gol irregular, irritou o presidente do São Paulo, Juvenal Juvêncio, que não poupou o rival gaúcho.
O dirigente disse que eles estão sendo beneficiados no campeonato e também reclamou das condições de jogo do estádio Olímpico, que comparou a uma poça d’água.
Além disso, ele pediu para os advogados do clube entrarem com uma representação na CBF para vetar o juiz Alicio Pena Júnior dos jogos do time.
Ele foi caseiro e faccioso [parcial]. Não tem qualificação. Expulsou o jogador do Grêmio e levou um nosso [Dagoberto também levou vermelho] para fazer média. Já queríamos entrar com o pedido de veto após o jogo contra o Atlético-PR, pela Sul-Americana, mas não tivemos tempo“, disse.
Com relação ao Grêmio, Juvenal reclamou das partidas em que o clube gaúcho, segundo sua avaliação, vem sendo beneficiado no Brasileiro. “
Não tenho a seqüência agora, mas o Grêmio foi beneficiado contra o Ipatinga [vitória de 1 a 0, também com gol irregular], e agora contra nós“, reclamou Juvenal.
O campo pesado, em razão da chuva em Porto Alegre, também foi alvo de crítica. “
Ontem [domingo] jogamos num campo horrível, que parecia uma poça d’água. E isso prejudicou nosso time, porque eles [gremistas] estão acostumados a jogar em poça d’água“, afirmou.
Em quinto lugar no Brasileiro, com 33 pontos, o São Paulo saiu do G4 com o revés no Sul.
Apesar da desvantagem de 11 pontos para o líder Grêmio, Juvenal disse não se contentar com vaga na Libertadores. “Não existe conversa de G4. Estamos pensando no título”, afirmou de forma incisiva o dirigente que, no entanto, não falou de contratações. “Não vou ficar fazendo promessas.”
As declarações do presidente do São Paulo de que o Grêmio foi beneficiado na partida foram rebatidas pelo vice de futebol gremista, André Krieger.
Reconhecemos que o gol foi irregular, mas dominamos o jogo. Colocamos bola na trave.”
Krieger citou ainda o jogo do primeiro turno, em que o Grêmio também bateu o São Paulo por 1 a 0 no Morumbi para falar de arbitragem. “
Naquele jogo tivemos um pênalti que não foi marcado e ganhamos o jogo. Parece choro de perdedor.”
Para Paulo Odone, presidente do Grêmio, Juvenal deveria conversar com Muricy Ramalho. “
Ele [Muricy] foi muito elegante na entrevista ao dizer que o juiz erra a favor e contra. O problema é que ganhamos os seis pontos contra o São Paulo e estão fazendo patrulhamento.”
Sobre o gol irregular, Odone também se posicionou. “
Se não tivesse saído aquele gol [de Perea, impedido], com certeza nós faríamos outro. Eles [dirigentes do São Paulo] deveriam olhar para o próprio umbigo.” (Folha de São Paulo, terça-feira, 19 de agosto de 2008)

Não temos como controlar São Pedro, mas nós ganhamos do São Paulo também no Morumbi, com o gramado seco
De ANDRÉ KRIEGER , vice de futebol do Grêmio, sobre o são-paulino Juvenal Juvêncio chamar o gramado do Olímpico de poça d’água (Folha de São Paulo, terça-feira, 19 de agosto de 2008)

Ia dizer que as declarações de Juvêncio beiram o rídiculo, mas elas nao beiram, são rídiculas mesmo. Típica atitude de quem quer desviar o foco.

Algumas considerações interessantes:

Juca Kfouri: “Imagino a choradeira por aí por causa do gol de Perea, como se nunca o São Paulo tivesse sido beneficiado por algo semelhante” Bem lembrado, em 2006 teve muito erro pró-são paulo

Mauro Betting: ” Na imprensa paulista (mais) e na carioca (menos) há uma marcação cerrada contra o Grêmio. Ou contra os erros de arbitragem que têm favorecido o líder do BR-08.

Pelas contas do blog, não procede a campanha. No saldo de erros e acertos, o Tricolor ainda tem sido mais prejudicado que ajudado – sempre lembrando que este levantamento é pessoal e interpretativo (como pede a regra do jogo), e não considera supostos erros de arbitragem na aplicação de cartões.”

Lédio Carmona: “Da mesma maneira que a alma despeitada do brasileiro tripudia dos resultados dos nossos atletas em Pequim, fazemos de tudo para botar para baixo quem merece elogios e uma melhor observação no Campeonato Brasileiro. Mas não. Preferimos simplificar, com nossas mentes obtusas, a vitória do Grêmio sobre o São Paulo por 1 a 0, no Olímpico (40.256 pagantes), gol de Perea, sob o simplório ponto de vista de que o lance decisivo do colombiano foi marcado em impedimento e que, dessa maneira, os gaúchos ganharam graças à arbitragem. Simplesmente patético.

O Grêmio ganhou do São Paulo por 1 a 0, gol de Perea, de fato, impedido, porque jogou melhor. Porque tem um meio de campo muito melhor do que o do adversário. Porque tem uma defesa tão boa quanto a do São Paulo, no ano passado, e que só levou 12 gols em 20 jogos. Por que tem um goleiraço. Porque tem William Magrão, volante que poucos dão valor, mas que corre o campo inteiro, marca e chega na frente. Porque tem um time disciplinado taticamente, que não joga bonito, mas sabe o que precisa para vencer, ou, no mínimo, chegar perto da vitória. Por tudo isso, o Grêmio ganhou um jogo chatíssimo, disputado num gramado encharcado, mas que, mesmo no cenário ruim, teve o vencedor correto.”

Brasileirão – Grêmio 1 x 0 São Paulo

August 17, 2008

Embaldo, o Grêmio partiu para cima do São Paulo. Se permitindo até dar algum espaço para o contra-ataque do adversário. A ousadia foi recompensada. Boa jogada de Marcel pela direita, girando sobre o zagueiro e cruzando para Perea antecipar Rogério Ceni e abrir o placar. O tricolor paulista se obrigou a sair para o jogo, mas só ameaçava em chutes do fora da área, enquanto o tricolor gaúcho criava as melhores opurtunidades: cabeçada de pico, chute da entrada da área de Perea, cabeçada de Réver e chute colocado de Pico foram chances concretas de o Grêmio aumentar a vantagem. No final da primeira etapa, Léo e Dagoberto foram expulsos, o que acabou por alterando, de alguma forma, os rumos do jogo.


São Paulo voltou com Borges como seu único atacante, Grêmio foi para um 4-3-2. Muricy provou do próprio veneno, Grêmio recuou para trás da linha de bola e esperou o São Paulo. Os “paulistas” conseguiram posse de bola no ataque, mas assim como no primeiro tempo, só ameaçavam em chute de longa distância. Um jogador a menos, campo pesado, os dois times cansaram. Roth, mais uma vez, mexeu bem. Pico deu um bom chute de fora da área, passou perto. Souza fez excelente jogada, mas Paulo Sérgio concluiu por cima. Aos, Reinaldo faz tudo certo e acerta a trave, no rebote faz tudo errado e acerta a rede pelo lado de fora.


No estádio, não entendi nada do lance da expulsão de Léo e Dagoberto. Vendo o vídeo, achei que amarelo para os dois ficava de bom tamanho. Alício Pena Junior seguiu a (lamentável) “escola Renato Marsilglia” de arbitragem e “botou um de cada time para rua”. No vídeo, Marsigilia fala do “princípio da exemplaridade“. Primeira vez que ouço este termo relacionado ao futebol.

Perea esta impedido no gol. Isto parece estar claro. Acho curiosas as manchetes: “Com gol irregular, Grêmio vence e deixa São Paulo longe da liderança“. Poucas rodadas atrás, São Paulo ganhou do vasco com dois gols em impedimento e não se viu manchetes tão enfáticas assim. Desculpou-se o bandeirinha, falou-se da falibilidade do ser humano, das limitações do globo ocular, etc.

Curiosa também essa frase encontrada em um texto do GloboEsporte.com: “Apesar do erro, os jogadores do time paulista não reclamaram com intensidade, o que é comum em situações assim


Hugo muito bem marcado, no primeiro tempo por Rafael Carioca; no segundo por Willian Magrão.

Agora, matematicamente, inexistem chances de rebaixamento.

40 mil pessoas com muita chuva, ótimo público.

Fotos: ClicRBS e Terra

Grêmio 1 x 0 São Paulo
Perea 9´

GRÊMIO: Victor; Léo, Pereira e Réver; Paulo Sérgio, W.Magrão, Rafael Carioca (Amaral, 37/2ºT), Tcheco e Anderson Pico; Perea (Souza, 25min do 2ºT) e Marcel (Reinaldo, 34/2ºT)
Técnico: Celso Roth

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Zé Luís, André Dias, Rodrigo e Richarlyson; Jean, Anderson, Hugo, Jorge Wagner (Éder Luís, 12min do 2ºT); André Lima (Borges, intervalo) e Dagoberto
Técnico: Muricy Ramalho

20ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2008
Data: 17 de agosto, domingo, 16h00min
Local: Estádio Olímpico, Porto Alegre.
Público: 40.256
Renda: R$ 749,5 mil
Arbitro: Alício Pena Júnior (Fifa-MG),
Auxiliares: Márcio Eustáquio Santiago (MG) e Cleriston Rios (SE)
Cartões amarelos: André Lima, Anderson, Jean, André Dias (SP), Tcheco, Paulo Sérgio (G).
Expulsões: Léo (G) e Dagoberto (SP).
Gols: Perea, 9 minutos do 1º tempo