Archive for February, 2009

Gauchão – Grêmio 3 x 0 Brasil-Pel

February 18, 2009

Roth surpreendeu com a escalação do time misto. Um 4-4-2 com 3 volantes na teoria. Na prática Makelele jogou como um meia-direita. Rapidamente o Grêmio passou a mandar no jogo e atuar no campo do Brasil. Jogadas pelas duas pontas: pela direita com Makelele e Wellington e pela esquerda com Jadílson. No ataque Jonas jogava mais recuado, ainda que centralizado, e Herrera era o centroavante. O tricolor criou várias chances, parou boas defesas de Danrlei e na trave. Aos 24 Jadílson foi a linha de fundo, cortou para trás, a bola ficou no seu pé ruim, mas ele cruzou de três dedos com o esquerdo e Herrera abriu o placar de cabeça. O gol trouxe a certeza dos três pontos para o Grêmio. Já no final do primeiro tempo Makelele fez o segundo, após novo cruzamento de Jadílson.

Roth mudou para o segundo tempo, entraram Orteman e Reinaldo, saíram Jonas e Adílson (titulares). A segunda etapa em si foi sonolenta. A acertada expulsão de Jorge Mutt fez com que o Brasil se limitasse a evitar o pior. Aos 37 Orteman fez jogada com Roberson e marcou o terceiro gol.

Danrlei obviamente foi ovacionado. Para minha surpresa, uma vez que não vinha bem na competição, teve boa atuação. Errou em dois lances apenas. Num rebote que soltou para frente, que Makelele acabou acertando a trave, e numa furada após um recuo feito por um companheiro. Fez uma grande defesa em chute a queima-roupa de Herrera.

O preparo físico do Brasil é claramente precário. Por motivo óbvios.

Boa presença da torcida Xavante no Olímpico.

É díficil uma jogador defensivo se destacar contra um adversário sem pretenções ofensivas. Ainda assim não gostei da atuaçao de Diogo ontem.

Douglas Costa teve atuação discreta. Mostra qualidade em vários momentos. Talvez falte ritmo de jogo.

Jadílson deu o passe para os dois gols da primeira etapa. Com exceção do lance do gol de Herrea, ele jamais levantou a cabeça antes de cruzar. E levou bolas nas costa. Corrigiu isso no segundo tempo guardando mais a posição.

Ao contrário da equipe da Rádio Gaúcha eu não me empolguei com Orteman. Entrou contra um adversário que já estava morto em campo.

Sei que na prática isso não altera nada, mas Róberson não precisa jogar de chuteiras laranjas. Existem opções mais discretas para um jogador que está começando.

Desde a divulgação da tabela já se previa que o Grêmio dificilmente seria o primeiro colocado geral da primeira fase. Menos mal que conseguimos a primeira colocação no grupo. Ao menos o time não sairá de Porto Alegre na maratona de 4 jogos em 8 dias que virá na seqüência.

fotos: Gremio.net e ClicRBS

Grêmio 3 x 0 Brasil de Pelotas
Herrera 24´
Makelele 45´
Orteman 82´

GRÊMIO: Victor; Wellington, Leo, Héverton e Jadilson; Diogo, Adilson (Orteman, intervalo) Makelelê e Douglas Costa; Herrera (Róberson 19/2ºT) e Jonas (Reinaldo, intervalo).
Técnico: Celso Roth.

BRASIL: Danrlei; Adriano Sella, Pereira, Eliandro e Gleidson; Luciano, Cleber Gaúcho, Fred (Picon 29/2ºT) e Gabriel (Porcellis, intervalo); Magno (Rodrigo, intervalo) e Jorge Mutt.
Técnico: Claudio Duarte.

Gauchão 2009 – 1ºturno – 3ª Rodada (jogo atrasado)
Data: 17/02/2009, terça-feira,20h30min
Local: Estádio Olímpico (PortoAlegre, RS)
Público: 11.603 (9.865 pagantes)
Renda: R$ 132.824,00
Árbitro: Anderson Daronco
Auxiliares: José Eduardo Calza e Edson Arnhold
Cartão amarelo: Jorge Mutt, Pereira e Gleidson (B)
Cartão vermelho: Jorge Mutt (B) 9 do segundo tempo.
Gols: Herrera 24, Makelelê 45 do primeiro tempo; Orteman 37 do segundo tempo

Advertisements

Sobre os novos uniformes

February 17, 2009

Domingo, pouco antes do jogo, ouvi uma entrevista de César Pacheco em uma das rádios de Porto Alegre (qual eu não vou saber dizer agora). Falava sobre os novos uniformes. Dizia que eram um sucesso e etc…, Confirmou que eram que fardamentos exclusivos para a Libertadores, dizendo que em abril ou maio será lançado todo uma linha nova (camisas, camisa de treino, abrigos e etc). Disse ainda que dessa vez se optou por fazer uma camisa tricolor para a libertadores (diferente do que ocorreu em 2007) e que a camisa branca está fazendo mais sucesso, vendendo cerca de 60% a mais do que a tricolor.

A partir daí é possível fazer algumas considerações.

– Passei na GrêmioMania antes do jogo contra o Juventude. A camisa branca já estava esgotada. Por mais que a melhor das expectativas tenha sido superado, faltar produto na loja algo que não pode acontecer.

– Acho algo um tanto polêmico o clube ter duas camisas tricolores no mesmo ano. Lembro do Real Madrid em 2001-2002, com uma camisa para Champions e outra para os demais campeonatos. Por um lado cria uma certa confusão, com um risco de perda de identidade; por outro, o clube tem duas chances de agradar seu torcedor.

– Me incomoda bastante o fato de a camisa ter o preço anunciado em R$ 159,90 e estar sendo vendida a R$ 169,90. Pior é que ninguém reclama. 1o reais para cá, 1o reais para lá…

– O Presidente Duda Kroeff deu um belo exemplo “Pegou uma camisa, foi ao caixa e fez questão de pagar“. Ok, ele pode muito bem já ter recebido um fardamento inteiro e ter dado aos amigos, mas o exemplo dado é bom.

– Tinha gente que se incomodava com a presença constante de Odone no site do Grêmio. Será que estas pessoas não se incomodaram com Duda posando entre os jogadores no lançamento das camisas? Nunca me incomodou, nem com Odone e nem com Duda. Esta aparição do presidente no site me parece ser muito mais obra de um funcionário puxa-saco do que propriamente um culto a personalidade promovido pelo mandatário do clube.

– Vistas as camisas, mantenho as impressões do post anterior.

Atualização (em 18/02/2009):

– Fui novamente na GrêmioMania ontem antes do jogo. As camisas brancas ainda estavam em falta. E ainda nada dos calções e meias novos.

– Uma situação revoltante aconteceu com esta historia de pré-venda. Teve gente que encomendou sua camisa e só recebeu depois de quem eventualmente esperou o lançamento para comprar. Pior ainda, teve gente que comprou na pré-venda e ainda não recebeu sua camisa. Inadmissível

Gauchão – Avenida 1 x 2 Grêmio

February 15, 2009

Desta vez Roth promoveu o teste do 4-4-2. Adílson seria o primeiro volante. Jonas começaria joganfd e faria a dupla de ataque com Alex Mineiro. Nem deu pra ver se o esquema funcionaria. Cedo William Magrão se machucou e deu lugar a Maylson. Time sofreu um pouco com mudança. Sofreria ainda mais quando Tcheco levou uma entrada, ficou mancando em campo mas acabou saindo para a entrada de Makelele. Avenida tentava parar o Grêmio como fosse possível. Aos 27 Souza bateu mal o escanteio, rasteiro. Alex Mineiro foi oportunista, se antecipando no primeiro pau. O goleiro Fabiano não segurou e Jonas rolou para dentro do gol. O gol deu tranqüilidade para a equipe do Grêmio, que acabou se achando no jogo. Aos 33 Alex Mineiro lançou Jonas, que ajeitou a bola no alto e bateu de perna esquerda, vencendo Fabiano mais uma vez. O Avenida sentiu demais o placar da primeira etapa, e foi para o vestiário praticamente sem reação.

No segundo tempo o Grêmio tratou de administrar a vantagem, e foi superior ao Avenida. Fiocu muito perto de ampliar, mas o time era um tanto burocrático e, por vezes, displicente. Jogo era fácil, mas o Avenida assustou quando descontou com Carlos Alberto, escorando escanteio de cabeça após saída errada de Victor. Mas a reação do Periquito parou aí. Grêmio ficou mais perto de ampliar., como no pênalti não marcado em Makelele e na bola posta na trave por Souza.


Gostei mais de Adílson do que de Diogo. Mas ainda acho que nenhum dos dois e solução para a 1ª “volância“.

Alex Mineiro só fez um gol no campeonato, mas é inegável a sua qualidade (na saída da área, na tabela, na assistência)

Interessante notar que nos dois gols de Jonas o penúltimo toque foi de Alex Mineiro. Acho justo o treinador testar diferentes formações, mas o uso de 2 avantes se impõe.

Fotos: Gremio.net e ClicRBS

Avenida 1 x 2 Grêmio
Jonas 27´
Jonas 33´
Carlos Alberto 76´

AVENIDA: Fabiano; Alexandre Bindé, Teda, Rudi (Anderson Catatau) e Rodrigo Ramos; Bocha, Carlos Alberto, Carlos Eduardo e Leandro Alves (Sinval); Alexandre e Magno (Gavião).
Técnico: Beto Campos

GRÊMIO: Victor; Ruy, Réver, Rafael Marques e Fábio Santos; Adílson, Willian Magrão (Maylson 4 do 1ºt), Tcheco (Makelele 22 do 1ºt) e Souza; Jonas (Herrera 29 do 2ºt) e Alex Mineiro.
Técnico: Celso Roth

Campeonato Gaúcho 2009 – 1º Turno- 8ª Rodada
Data: 15/02/2009, domingo, 16h00min
Local:Estádio dos Eucaliptos, em Santa Cruz do Sul
Público: 2.100 pagantes
Renda: R$ 26.470,00
Árbitro: Leonardo Gaciba (Fifa)
Assistentes: Alexandre Kleiniche e José Inácio de Souza
Cartões amarelos: Leandro e Carlos Eduardo (AVE), Rafael Marques, Jonas, Ruy e Réver
Gols: Jonas, aos 27 e 33min/1ºT e Carlos Alberto, aos 31min/2ºT

Maxi Lopez contratado

February 15, 2009

Maxi Lopes finalmente contratado. Mas por quanto?

A concretização do negócio foi possível depois que Maxi aceitou reduzir – e muito – sua pedida inicial de US$ 120 mil em salário. Ficou em US$ 90 mil (R$ 203 mil). Será o maior salário do Grêmio para a temporada” (Zero Hora)

O assessor de futebol gremista, André Krieger, não quis revelar quanto o atleta receberá de salários. ‘Mas é bem abaixo do que vinha sendo divulgado’, garantiu o dirigente. Especulava-se que Maxi López, de 24 anos e revelado pelo River Plate, com passagem pelo Barcelona, receberia 100 mil dólares mensais (cerca de R$ 245 mil).” (Correio do Povo)

De qualquer forma muito caro. Sinceramente não entendo tamanha convicção neste jogador. Lá no Twitter já manifestei minha opinião sobre o atleta. E ela coincide bastante com a do jornalista EZEQUIEL VINACOUR, do jornal La Nación, em reportagem da Zero Hora:

“Maxi López jogou pouco tempo na Argentina. Surgiu no River Plate em um clássico contra o Boca Juniors, em 2004. Entrou no segundo tempo e ajudou o time a vencer o rival. Virou ídolo, mas nunca alcançou a excelência esperada pela torcida.

Naquele mesmo ano, cairia em desgraça em outro Boca x River, pelas semifinais da Libertadores. Na decisão por pênaltis, no Monumental de Nuñez, Maxi errou a cobrança final. Em seguida, foi negociado ao Barcelona. Sem espaço, foi para o Mallorca e, depois, para a Rússia.

É um homem de área, melhor com os pés do que com a cabeça, mas não o reconhecemos como um grande jogador. Jamais teve uma passagem relevante pela seleção. Nos últimos tempos, por ser casado com a famosa modelo Wanda Nara, tem aparecido mais nas revistas de fofocas do que nas páginas de esportes” (Zero Hora)

Odone sai da Grêmio Empreendimentos

February 15, 2009
Odone pediu para sair da Grêmio empreendimentos.

Lamentável. Mais uma saída por politicagem (Não gosto dessa palavra, mas não há outra para se usada).

Penso que tanto Preis como Duda Kroeff poderiam se esforçar mais para fazer Odone mudar de idéia.

Adversário – Universidad de Chile

February 14, 2009


Final Sports:
“Nome completo: Club de Fútbol Universidad de Chile
Site oficial: http://www.udechile.cl
Sede: Santiago, no Chile
Fundação: 24 de maio de 1927
Rivais: Universidad Católica e Colo-Colo
Estádio: Estádio Nacional de Santiago.*


* Mas o clube mandou o seu jogo contra o Pachuca, pela Pré-Libertadores, no Estádio Santa Laura.

O Universidad possui a segunda maior torcida do Chile.

> Títulos:

– Campeonato Chileno: 12 vezes (1940, 1959, 1962, 1964, 1965, 1967, 1969, 1994, 1995, 1999, 2000 e 2004-Apertura)
– Copa Chile: 3 vezes (1979, 1998 e 2000)
– Primeira Divisão B: 1989
– Metropolitano Amador: 1934
– Série B: 2 vezes (1936 e 1937)

> Libertadores:

Em 2009, será a 15ª participação do Universidad na Libertadores. A equipe nunca conquistou o título da competição mais importante das Américas.”

– Jogadores inscritos na Libertadores: Ver página da Conmebol


Globo Esporte:
“La U” chega à fase de grupos depois de uma façanha: eliminar o Pachuca, que acabou de disputar o Mundial de Clubes, jogando com um a menos por quase toda a partida no México. O clube pouco investiu em relação à temporada de 2008, quando não ganhou título algum, mas terminou a temporada com a maior pontuação. Na verdade, sobrou pouco dinheiro para investimentos, já que boa parte foi usada na contratação do técnico Sergio Markarián. Ele ganhará cerca de R$ 150 mil mensais.

Fique de olho: um gol de falta de Marco Estrada, no México, deu a classificação ao time. Maior talento do meio-campo, ele vem sendo convocado por Marcelo Bielsa para a seleção.

Técnico: Sergio Markarián (URU), que já levou o Sporting Cristal à final em 1997 (quando perdeu para o Cruzeiro) e o Libertad à semifinal de 2007 (foi eliminado pelo Boca Juniors).

Opinião: “Os azuis vão à Libertadores em um jejum de cinco anos sem ganhar um título chileno. O grande investimento está no banco. Markarián é a aposta dos dirigentes para que o time volte a se destacar internacionalmente, justamente no momento em que o clube lança ações na Bolsa de Valores. A aposentadoria de Marcelo Salas deixou um vazio no ataque, que foi preenchido com a chegada do paraguaio Nelson Cuevas.”Rodrigo Aguilera, do jornal “La Tercera

Trivela

O coadjuvante: A Universidad de Chile não vinha de um bom momento, mas surpreendeu ao passar pelo Pachuca na fase inicial, e tem mais chances que os adversários colombianos e bolivianos de seguir na Libertadores. Do mata-mata, porém, La U não terá grandes expectativas de sobreviver, e tentará contar com a sua grande torcida, uma das maiores do Chile. O que pode ser um pouco complicado, uma vez que, por conta das reformas em seu próprio estádio, a equipe está sem um local fixo para receber seus adversários.

Carta na Manga
Mesmo tendo feito a melhor campanha da primeira fase do Torneo Clausura (38 pontos em 18 jogos, contra 33 dos finalistas Colo Colo e Palestino), a Universidad de Chile foi eliminada nas quartas-de-final pelo oitavo e último dos classificados, o Cobreloa (27 pontos), levando 3 a 0 em Calama e fazendo insuficientes 3 a 2 em Santiago. No Apertura, disputado no primeiro semestre, a boa campanha (30 pontos, 6º lugar) já o havia levado ao mata-mata, mas a equipe parou nas semifinais para o Everton, que sagrou-se campeão e jogará a Libertadores no grupo do Lanús. O que leva a Universidad de Chile a disputar sua 14ª Libertadores foi ser o time que mais somou pontos nas fases iniciais dos dois torneios (68, contra 65 da Universidad Católica).

A Universidad de Chile teve dois grandes momentos em sua história de 81 anos. O primeiro data dos anos 60, quando o clube levantou cinco títulos chilenos dos 12 que ostenta (é a segunda maior campeã nacional, perdendo só para o Colo Colo, que tem 28 troféus). O segundo, mais recente, veio em meados dos anos 90, com Marcelo Salas (que está no elenco atual) comandando a equipe no bicampeonato chileno de 1994/95 e, cinco anos depois, o clube repetiu o bi em 1999/2000. O time atual, mesmo sem conquistar um título de expressão desde 2004, merece respeito

Zero Hora:
A estrela do técnico: Sérgio Markarián conseguiu outro feito. Depois de conduzir o Paraguai à Copa de 2002, o uruguaio conseguiu colocar o desacreditado Universidad na fase quente da Libertadores. Em 2002, ele havia brilhado na Europa ao levar o grego Panathinaikos às quartas-de-final da Liga dos Campeões. Maior salário do futebol chileno, cerca de R$ 150 mil mensais, deve ganhar como prêmio do Universidad um centroavante.

Olho nele: Marco Estrada é a estrela do time. É da seleção chilena, onde também forma dupla com Iturra. Ontem, o gol da classificação foi dele.

Casa grande: Contra o Grêmio, dia 15 de abril, o Universidad já poderá usar o Estádio Nacional, de triste lembrança para os chilenos por ter sido usado como prisão e centro de tortura pelo ditador Augusto Pinochet no golpe de 1973. O primeiro jogo em casa, contra o Aurora, será no acanhado Santa Laura, para 12 mil pessoas.

Gauchão – Grêmio 2 x 0 Juventude

February 13, 2009

A primeira meio hora de jogo foi de um time só. A ação só acontecia no campo de defesa do Juventude. O Grêmio chegava forte, principalmente quando Souza caía pelas pontas e fazia dupla com os alas. Mas aí só se achava Alex Mineiro isolado entre os zagueiros. Quando eventualmente algum jogador fazia um jogada pessoal pelo meio acabava ficando sem um companheiro para tabelar. Ainda assim o Grêmio merecia a vantagem no placar, e isto só aconteceu devido a grande atuação do goleiro Gatti (será que é parente de Hugo “El Loco” Gatti?). O Juventude teve somente uma chance, mas de grande perigo, mas Victor fez boa e firme defesa.

Grêmio saiu do 3-6-1 para o 4-4-2 no segundo tempo (Jonas no lugar de Rafael Marques). A mudança surtiu efeito imediatamente. Com poucos segundos Jonas já carimbava a trave. Aos 2 minutos, Ruy fez 1-2 com Souza pela ponta direita e chutou de bico para abrir o placar, dar segurança ao time e tranqüilizar a torcida que já se impacientava. Tricolor segui jogando melhor, usando os dois lados do campo, os laterias desciam bastante, mesmo no 4-4-2. Juventude já tinha pouca capacidade ofensiva, ficou ainda mais limitado com a expulsão de Mineiro. Grêmio teve mais chances, mas só foi ampliar aos 42, quando Souza tabelou com Herrea e tocou na saída do goleiro.

Insisto em dizer que o problema do Grêmio está na cabeça de área. Diogo tem que render mais para justificar sua titularidade.

Jonas novamente atuou bem. Este sim anda merecendo começar jogando.

Gosto de Herrera. Aprecio a raça que demonstra. Também entendo que muitas manifestações no estádio se justificam mais pela galhofa do que por qualquer outra coisa. Mas pedir o jogador antes do intervalo é demais pro meu gosto.

Não gostei da arbitragem de Fabrício Neves Correa. Marcando muitas faltinhas, parando muito o jogo, mostrando muito cartão amarelo. Achei a expulsão do jogador do Juventude injusta. Exagerada no mínimo.

Muito chata esse briga entre a Geral a direção. Existem exageros nos dois lados.

Público razoável no Olímpico. Ainda assim somos o clube com a melhor média de público no campeonato. Caravana da Miséria?

Fotos: Gremio.net , Correio do Povo e Agência Freelancer

Grêmio 2 x 0 Juventude
Ruy 47´
Souza 87´

GRÊMIO:
Victor, Léo, Réver e Rafael Marques (Jonas, 0´/2ºTempo); Ruy, Diogo (Adílson, 39´/2ºTempo), Willian Magrão, Tcheco, Souza e Jadilson; Alex Mineiro (Herrera, 26´/2ºTempo).
Técnico: Celso Roth.

JUVENTUDE: Gatti, Luiz Felipe, Juan Perez, Douglas e Mineiro; Renan(Léo Andrade, 16´/2ºTempo), Walker, Tiago Renz e Francismar (Alan, 0´/2ºTempo); Ivo a Allisson (Diego Rosa, 23´/2ºTempo).
Técnico: PC Gusmão.

Campeonato Gaúcho – 1ºTurno -7ªrodada
Data: 12/02/2009, quinta-feira, 19h30min
Local: Estádio Olímpico, Porto Alegre.
Público Total: 16.165 (13.587 pagantes)
Renda: R$ 206.047,00
Árbitro: Fabrício Neves Corrêa, auxiliado por José Franco Filho e Júlio Espinoza de Freitas.
Cartões amarelos: Rafael Marques, Ruy, Réver, Souza, Diogo (Grêmio); Renan, Francismar, Luiz Felipe, Mineiro, Alan (Juventude)
Cartões vermelhos: Mineiro (Juventude)
Gols: Ruy, 2min do 2º tempo e Souza, 42min do 2º tempo (Grêmio).

Libertadores – Aurora 0 x 3 Boyacá Chicó

February 11, 2009


Em mais um jogo da libertadores, novamente vi partes do jogo. Algo nada recomendável para quem pretende fazer uma análise da partida.

O estádio recebia um bom público (ao menos era isso o que a TV mostrava). Aurora começou mais animado, mas logo o Boyacá emparelhou as ações e acabou se mostrando um time de maior qualidade. Quando parecia que as duas equipes levariam um 0x0 para o vestiário, Tapia fez um golaço de falta.

Baldivieso mudou seu time para buscar o empate, e o Aurora até era merecedor da igualdade, muito mais pelo esforço do que propriamente pela qualidade. Mas aos 34, Tapia fez outro golaço (estilo ‘China em 83″), chutando da intermediária. A partir daí os bolivianos (jogadores e torcedores) se perderam. Ainda deu tempo de Mahecha fazer o terceiro gol, no último minuto de jogo.

Em termos práticos foi o pior resultado. Visitante ganhou e fez saldo.

Boyacá assustou mais pelo resultado do que pela atuação. Time tipicamente “colombiano” (leia-se imprevisível)

Talvez o Aurora se configure no saca de pancadas e fiel da balança do grupo. Caso isso se confirme o Grêmio passa a ter obrigação de fazer 6 pontos contra os bolivianos.

Grêmio não deve temer nenhuma das equipes, mas também não pode levar de barbada os confrontes.

Obs: A foto em preto e branco foi retirada do site do jornal “El Deber” de Santa Cruz de la Sierra. Achei surreal que em tempos de “web 2.0” alguém ainda publique foto em preto branco.


Aurora-BOL 0 x 3 Boyacá Chicó-COL

Aurora: Silvio Dulcich; Iván Huayhuata, Germán Leonforte (Limbert Méndez 1 ST), Edward Zenteno; Edson Zenteno, Cristian Fernández, Ronald Rodriguez (Cristian López 13 ST), JulioHurtado, Jaime Cardozo; Derlis Paredes, Oliver Fernández (Nelson Sosa 1 ST).
César Técnico: Julio César Baldivieso.

Boyacá Chicó: Edigson Velásquez; Pedro Pino, Juan Galicia, Mario García, Ormedis Madera; Leonardo López, Juan Mahecha, Edwin Móvil, Anthony Tapia (Yedison Palacios 44 ST), Winston Girón (Raúl Asprilla 43 ST); Juan Gilberto Núñez (Yhony Ramírez 19 ST)
Técnico: Alberto Gamero.

Libertadores 2009 – Grupo 7 – 1ª Rodada
Estadio: Félix Capriles
Público: 12.143 personas pagaron sus boletos
Recaudación: Bs 428.700
Árbitro: Victor Carrillo (Per.)
Amonestaciones: Hurtado (23), Paredes (84); Tapia (29), López (31), Girón (52)
Expulsiones: Huayhuata (82)
Goles: Tapia (44 y 79), Mahecha (90)

Novas Camisas!!!

February 10, 2009

Realmente, eram aquelas que tinham vazado por primeiro:


Fotos: Arena Tricolor, ClicRBS e Final

De um modo geral eu gostei bastante das camisas. Com algumas ressalvas

Não me agrado o uso de dourado nas duas. Não entendi essas duas listras douradas em um lado da camisa e no outro do calção

Símbolo (distintivo) ficou um pouco pequeno, principalmente.

Na camisa branca, as listra azuis deveriam continuar nas costas, que acabou ficando muito parecido com a do ano passado.

O Tramontina na manga ficou muito grande, principalmente na camisa tricolor.

Na camisa tricolor, acho que as listras pretas poderiam seguir em cima até a gola. Novamente parecer ser um problema do “corte”

Achei a de goleiro meio sem graça. Prefiro um amarelo mais vivo, tipo o que o Mazarópi usava no final dos ano 80.

ATUALIZAÇÃO – EM 11/02/2009 – 17H00

– Conforme o leitor majayme disse nos comentários, o Banrisul ficou muito para baixo na camisa tricolor, praticamente na barriga. Comparem com o posicionamento do patrocínio na camisa branca.

– Só fui perceber este outro detalhe lendo o post de Caue Fonseca no Impedimento: O azul do distintivo é diferente do azul da camiseta.

– Infelizmente, não se trata de um design exclusivo para o Grêmio.É o mesmo que a Itália ira usar na Copa das Confederações.

– Por volta das 3 da tarde passei na GrêmioMania e na Paquetá do Shopping Praia de Belas. Em nenhuma das duas as camisas estão disponíveis para venda.

– Agora as camisas estão a venda por R$ 169,90 na loja virtual da Grêmio Mania. Contudo, sexta-feira passada a Zero Hora noticiou que após o lançamento as camisas custariam R$ 159,90. Quem paga esta diferença?

Arbitragem

February 10, 2009
Bom, o Flamengo ensinou o mundo a sua tática. Desqualificar toda reclamação de arbitragem como choro (ou chororô como queiram). Mas justo o Flamengo, por que será?

Outra tática: Torcedores começam a reclamar das arbitragens que vem errando contra sua equipe ao longo de um campeonato. Logo seus adversários (e parte da imprensa) passam a desesperadamente procurar erros favorecendo este time, como se a arbitragem de um campeonato fosse uma grande conta a ser zerada.

Enquanto isso as más arbitagens ficam impunes.

Grêmio reclama e com razao das arbitragens do Gauchão. Talvez com algum exagero (ameaça de time júnior é uma bravata). Enfi, não sei o que os dirigentes tricolores pretendem comessa reclamação. Não posso falar por eles.

Posso falar por mim, quando eu reclamo é porque quero ver melhores atuações do juízes. Não quero justificar mal resultados ou fugir de flautas. No meu modo de ver um jogo com erro de arbitragem está maculado, estragado. Fica difícil aproveitar o resto do que aconteceu na partida.

Grêmio está sendo prejudicado no Gauchão. Foi prejudicado em Santa Maria, foi prejudicado em Veranópolis e foi prejudicado em Erechim. É preciso reconhcer isto. Não dá pra classificar como choro, sob pena de os erros contiuaram a acontecer.

Peguem o exemplo de Carlos Simon. Em 2005 errou a marcação de tempo da prorrogação no jogo entre 15 de Campo Bom e Inter. pelo Gauchão. Em 2006 deu um impedimento numa bola vinda de um arremesso lateral na partida ente River Plater e Libertad pela Libertadores. No mesmo ano fez o que fez no primeiro jogo da final do gauchão, não marcando um recuo de bola.

Vejam, não se tratam de errinhos, ou lances confusos, lances de interpretação. São erros graves, de puro desconhecimento da regra. Algo que deveria ser elementar a um juiz de futebol. Mas tendo lobby forte (sendo jornalista e presidente do sindicato dos árbitros) Simon se escapa. E está cotado para sua terceira copa do mundo. É certo? Isto é bom para quem acompanha futebol? É justo para os árbitros que apitam corretamente?

Escrevo isso tudo para mostrar que o debate que é feito em torno da arbitragem é equivocado. Problema de enfoque. Classificar todo reclamação como choro ou tentativa de condicionamento acaba servindo para fortalecer os mal juízes. De modo que os erros seguem acontecendo.

Vejam o que está sendo feito no Gauchão.

Simon errou anulando gol de Jonas.


As desculpas:
-o erro foi do bandeirinha: Foi dele também, que acatou a decisão equivocada.
-Ele também errou ao não expulsar o Réver: Não concordo, mas vamos admitir para argumentação. Se errou para os dois lados, errou duas vezes (o que torna a arbitragem ainda mais desastrosa). Um erro não tem a capacidade de anular o outro.
– O lance era díficl e a iluminação era fraca e prejudicou: Não, não era. Se a iluminação era insuficiente o próprio juiz da partida não deveria ter dado condições de jogo.

A Zero Hora fez uma reportagem sobre as reclamações do Grêmio. Começa mal, esquecendo o jogo de Santa Maria. Sobre o jogo de Erechim ao menos o bandeira Marcelo Barison tem a grandeza de admitir que errou, tentou uma ou outra desculpa, mas no fim reconheceu: “Não posso discutir com uma imagem. De fato, eu errei“. O mesmo não pode ser dito sobre Vinícius Costa, que mente descaradamente:“Admito que o lance é discutível. Mas não voltei atrás, em momento algum dei o gol. Apitei falta e fui para a área.” Todas pessoas presentes no estádio viram o juiz dando o gol e voltando atrás. Mas o pior da matéria está no fato de o sindicato presidido por Carlos Simon divulgar uma nota defendendo o mesmo.

Vejam como os árbitros se valem dos chavões e clichês criados pela imprensa e repetido pelas torcidas para minimizarem seus erros.

Mas o objetivo aqui não pegar no pé só dos juizes, mas da imprensa também. Por isso destaco um trecho da coluna de Nando Gross, publicada na mesma Zero Hora:

O presidente do Grêmio, Duda Kroeff, chegou a cogitar a possibilidade de tirar o time principal do Campeonato Gaúcho porque, segundo ele, está sendo prejudicado pela arbitragem. Curiosamente as queixas são relativas aos três jogos em que o Grêmio não venceu, em Santa Maria, Veranópolis e Erechim

Sim, muito curioso. De certo o colunista queria ver o Grêmio reclamando também da arbitragem dos outros dois jogos que disputou até aqui. Jogos nos quais venceu e por goleada. É este tipo de sofisma adoram sair repetindo.

É claro que por vezes as reclamações são puro choro. As vezes só se justificam no calor do momento. Mas nem por isso devemos desconsiderar as reclamações sérias e bem embasadas, sob pena de sermos condescendentes com árbitros ruins.