Brasileirão – Atlético-MG 2 x 1 Grêmio

by

Campeonato Brasileiro não é sério. Depois de tudo o que aconteceu em 2008, o Grêmio entrou em campo pela 2ª rodada do Brasileirão 2009 e foi vergonhosamente roubado no Mineirão.

Wilson Luiz Seneme “errou” contra o Grêmio do primeiro ao último minuto de jogo. Começou tímido, com um critério caseiro na marcação das faltas. Se soltou mesmo aos 20 minutos, ao mostrar amarelo para Souza e agredi-lo verbalmente e quase o agredir fisicamente, não fosse a intervenção dos atletas e do próprio Souza.

Aos 38 o zagueiro Welton Felipe disparou em direção ao ataque, mas acertou um cotovelaço em Tcheco, que lhe marcava. O árbitro simplesmente ignora o lance e mostra o cartão amarelo para Rafael Marques, por falta que aconteceu na seqüência da jogada.

No início do segundo tempo Maxi Lopez tem a bola em boas condições dentro da área e para, alegando ter sido agredido. A TV não mostrou o replay da jogada. Não fosse o minuto-a-minuto do ClicRBS, alguém poderia jurar que tal lance nunca aconteceu.

A transmissão também não repetiu uma jogada acontecida aos 12 minutos da segunda etapa, quando Maxi Lopez disputa a bola com Welton Felipe e a bola bate na mão do zagueiro atleticano.

Aos 30, o Atlético abre o marcador, bola cruzada da direita, Thiago Feltri aparece no segundo pau, domina e concluí de pé esquerdo. Curiosamente ,vários jogadores do Grêmio reclamaram de um toque de mão antes mesmo do jogador atleticano concluir a jogada. As câmeras, todas posicionadas no mesmo lado do campo, não elucidam o lance.

Aos 42, Adílson faz falta e recebe seu segundo amarelo. Quantas faltas ele fez para receber dois cartões? Quantas faltas cometeu Jonílson do Atlético? O primeiro amarelo foi por reclamação? Renan não deveria também ter sido advertido por suas reclamações?

No que era para ser o último minuto de jogo Seneme atingiu o ápice da sua roubalheira. Bola junto a bandeirinha de escanteio, dividida entre jogadores, o assistente, colado na jogada, marca tiro de meta. O árbitro, mal colocado, passa por cima da marcação do seu auxiliar e dá o escanteio. A bola atravessa a área com força e tomava a direção da linha lateral oposta. Joílson põe o peito na bola, e na seqüência a bola resvala em seu cotovelo (conforme o depoimento do próprio atleta). A imagem da TV novamente não é suficiente, e não mostra isso.

Livro de regras da CBF:

Regra 12: As faltas e incorreções serão punidas da seguinte maneira:
Tiro livre direto
Também será concedido um tiro livre direto para a equipe adversária se um jogador cometer uma das seguintes três infrações:
• segurar um adversário
• cuspir em um adversário
• tocar na bola com as mãos intencionalmente (exceto o goleiro dentro de sua própria área penal)

Interpretação recomendada pela CBF:

Tocar a bola com a mão
Tocar a bola com a mão implica na ação deliberada de um jogador fazer contato com a bola com as mãos ou o braço. O árbitro deverá considerar as seguintes circunstâncias:
• o movimento da mão em direção à bola (e não da bola em direção à mão).
• a distância entre o adversário e a bola (bola que chega de forma inesperada).
• a posição da mão não pressupõe necessariamente uma infração
• tocar a bola com um objeto segurado com a mão (roupa,caneleira etc.) constitui uma infração.
• atingir a bola com o arremesso de um objeto (chuteira, caneleira
etc.) constitui uma infração.

Repetir as regras aqui teria algum sentido se o árbitro efetivamente tivesse errado, ou interpretado equivocadamente a regra. Não foi o caso.

Seneme foi mal-intencionado. Correta a conclusão de Krieger. Não é possível ele não ter visto o cotovelaço dado em Tcheco. Não é possível ele apitar de um jeito na área do Atlético e de outro na área do Grêmio (O próprio treinador adversário concorda com isso). Não é admissível que o juiz passe por cima da marcação do banderinha que estava melhor colocado.


Tão revoltante quanto a arbitragem foi a cobertura da imprensa. Não foi um pênalti polêmico, nem duvidoso. Não foi um lance de interpretação e tampouco é uma jogada curiosa. Não se pode aceitar este tipo de manifestação, por mais que os responsáveis por ela sejam claramente identificados com nosso rival.

Foi roubo descarado. Simples assim. A única manchete possível foi feita pelo jornal O Sul: “Grêmio roubado pelo juiz“.

E os lances que não foram repetidos durante a transmissão? E outras jogadas que foram excluídas dos melhores momentos disponíveis na Internet? Até onde eu sei o Grêmio tem assessoria de imprensa e imagino que alguém no clube grave os jogos da equipe. Até quando vão esperar para reunir estas imagens e lança-las na internet?

Mas foi no final do jogo onde eu, definitivamente, perdi a paciência:
Dois repórteres em campo, Carlos Cereto e uma “Debora de Oliveira” mineira. Cereto berra antes e chama Souza (que se caminhava em direção ao árbitro). Mas…

Áudio e vídeo com A repórter, que entrevista o “herói do jogo” Diego Tardelli. A pergunta: “este é o brasileirão dos artilheiros?

Vontade de abandonar o futebol.

Duda Kroeff espera que a CBF faça alguma coisa. Da CBF não tem que se esperar nada, o Grêmio é que tem que tomar uma atitude.

Coincidência ou não, no ano passado, na mesma 2ª rodada, o mesmo Wilson Seneme deixou de dar dois pênaltis a favor do Grêmio contra o Flamengo (Tricolor ficou a quantos pontos do título?). Nada aconteceu com o árbitro, que foi para o sorteio da rodada seguinte e, pior ainda, foi escalado para o jogo do returno, entre Flamengo e Grêmio.

É quase impossível falar sobre o futebol apresentado no Mineirão, que, diga-se de passagem, foi pouco. Grêmio e Atlético fizeram um jogo ruim, especialmente no primeiro tempo. O tricolor melhorou no segundo tempo, mas só jogou mesmo após ter tomado o primeiro gol.

Ruy e Fábio Santos novamente foram mal, corretamente substituídos. Tcheco apareceu melhor ofensivamente na segunda etapa. Defensivamente, Adílson segue sobrecarregado. Herrera entrou bem, melhor que Jonas. Fez seu gol, perdeu outro incrivelmente e fez um impossível quando o jogo estava parado.

Ainda que feitas todas essas ressalvas, o Grêmio deveria ganhar (dada a fragilidade do adversário) e poderia ter tido melhor sorte na partida, não fosse a roubalheira de Wilson Luiz Seneme.

Fotos: Grêmio.net, ClicRBS, Terra e SuperEsportes

Atlético Mineiro 2 x 1 Grêmio

Thiago Feltri 75´
Herrera 79´
Diego Tardelli (pênalti) 90+3

ATLÉTICO-MG: Juninho, Carlos Alberto, Welton Felipe, Leandro Almeida, Thiago Feltri (Júlio César, 42’/2ºT); Jonilson (Marcos Rocha, 39’/2ºT), Renan, Márcio Araújo, Júnior; Éder Luís (Alessandro, 26’/2ºT) e Diego Tardelli.
Técnico: Celso Roth.

GRÊMIO: Vitor, Léo, Rever, Rafael Marques; Ruy (Joílson, Intervalo), Adilson, Souza, Tcheco, Fábio Santos (Jadílson, 32’/2ºT); Jonas (Herrera, 18’/2ºT) e Maxi López.
Técnico: Marcelo Rospide.


2ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2009
Data: 16 de maio de 2009, sábado, 18h30min
Local: Mineirão, Belo Horizonte-MG
Público: 17.263 pagantes
Renda: R$ 160.375,00
Árbitro: Wilson Luiz Seneme (Fifa-SP)
Assistentes: Nilson Monção (SP) e Everson Luquesi Soares (SP)
Cartões amarelos: Márcio Araújo (A); Souza, Adílson e Rafael Marques (G).
Cartão vermelho: Adilson aos 44 do 2ºtempo
Gols: Thiago Feltri (A), aos 30min; Herrera (G), aos 34min; Diego Tardelli (A, de pênalti), aos 48min, todos no 2º tempo.

Advertisements

14 Responses to “Brasileirão – Atlético-MG 2 x 1 Grêmio”

  1. observador atento Says:

    Seneme, comentários do Milton Neves (que sempre “se lixou” pra quem não é do eixo Rio-São Paulo), linha argumnetativa de certos figurões da mídia local…Pra mim tem treta aí… $$$ do Fernandinho Jabá. Sobre isso, ver:http://blogremio.blogspot.com/2009/05/um-grande-time.htmlEnquanto o adversário joga sujo, Duda “bom-moço” Kroeff e André “respeitem-me porque eu sou doutor” Krieger sequer fardaram para entrar nessa peleia.Acho que vem mais chumbo pela frente.

  2. Márcio C. M. Says:

    Nada vai acontecer pq a direção não faz nada. Se fosse contra o Mengão ou o SP, Seneme tomaria gancho, ia apitar a segunda divisão etc.Sobre o jogo, Adílson é o Elton de 2009. Não dá para aguentar o Souza, que vá ciscar em outro terreiro.Tcheco tem que ir para o seu lugar certo, vide segundo tempo.

  3. Sancho Says:

    O Seneme é o “sofá”. O problema não é ele, mas o desejo em nos sacanear. Se não fosse ele, seria outro. Contra isso, há duas soluções possíveis: (a) entrar na dança e começar a sacanear os outros antes que nos façam -algo que eu não aceitaria por princípio; (b)ignorar e seguir trabalhando – o que prefiro.Eu já começaria a preparar o jogo de volta agora. No Olímpico, não haverá Seneme. Os jogadores e torcedores não podem esquecer dessa roubalheira. A melhor maneira de enfrentar isso é vencer o Atlético no Olímpico e bem…

  4. Gustavo Says:

    A posição do Grêmio deve ser simples: banir Seneme de seus jogos.

  5. Darlan Redü Says:

    o Globo.com tem um videp mostrando os erros das arbitragens nessa rodada e mostra o lance do penalti não marcado a nosso favorhttp://globoesporte.globo.com/Esportes/Noticias/Futebol/0,,MUL1129418-9825,00.html

  6. Darlan Redü Says:

    Tem um link melhor, esse aqui:http://globoesporte.globo.com/Esportes/Noticias/Futebol/Brasileirao/Serie_A/0,,MUL1157849-9827,00.html

  7. André Kruse Says:

    Márcio, te dou todo o direito de não gostar do Adílson, mas compara-lo com o Elton é sacanagem.Sancho, acho que existe uma opção intermediária entre essas duas que tu listou.Gustavo, sem dúvida o Seneme tem de ser banido dos jogos do Grêmio (algo que já deveria ter acontecido no ano passado)Valeu pelos links Darlan. Acho muito estranho que essa imagem só tenha aparecido agora, e não nos melhores momentos de 12 minutos disponibilizados pelo GE.

  8. Márcio C. M. Says:

    O hype em cima do futebol do Adílson aqui no RS é muito mais uma questão cultural do que futebolística.Não desarma ninguém, quando desarma, faz falta, se não faz falta, recupera a bola e faz um passe lateral de um metro, se passar de um metro, erra o passe, pior ainda quando avança, invariavelmente vai se enrolar nas próprias pernas e entregar a bola pro adversário.Mas se ele fosse apenas ruim, o pior de tudo é que está sacrificando o Tcheco e colaborando para a demonização do capitão. É tudo que a imprensa e os cornetas querem.

  9. Vicente Fonseca Says:

    Eu também não morro de amores pelo Adílson, mas acho que ele consegue desarmar bem, sem falta. O problema é esse carregamento a mais de bola que ele sempre faz. Quando ganhar experiência, talvez saiba dar o toque pro lado pra quem saiba e seja mais útil do que é hoje.

  10. Anonymous Says:

    Não adianta ficarmos com choradeira. O ATletico ganhou porque foi melhor. Celso Roth soube armar a equipe e anulou o Grêmio.Vamos ser realista, o jogo teve 90 minutos e o Atletico infelismente foi melhor.Desse jeito não vamos ganhar libertadores.José Alves Curitiba pr

  11. Sancho Says:

    Eu não baniria o árbitro. Acho isso totalmente improdutivo.Não consigo ver atitude intermediária, pois essa turma só sabe dialogar nesse idioma. Fincar o pé para que o procedimento seja honesto é ridículo. Ou se confia, ou se entra na dança. O melhor é ignorar esses BABACAS e trabalhar da melhor maneira possível. Se eles acham legal vencer assim, eu não faço a menor questão.Um abraço.

  12. André Kruse Says:

    Sancho, banir o árbitro adianta sim, se passa um recado para os demais juizes.José, Atlético não jogou melhor coisa nenhuma. E mesmo que o Grêmio não tenha jogada bem, isso não autoriza o árbitro a roubar descaradamente.

  13. gremista vigilante Says:

    A direção do Grêmio não vai fazer nada. Como foi dito aí em cima, o bom-moço Duda Kroeff não é de briga. O cara pensa que é o James Stewart gremista.

  14. Sancho Says:

    Mas, AK, o banimento seria apenas dos jogos do Grêmio, o que de nada prejudica o árbitro, nem dá recado a juiz algum. O problema está NOS CLUBES. E isso se reflete nas Federações e na CBF. Enfrentar isso é uma tarefa quixotesca.Acho que a postura a se adotar é apontar o problema, mostrar o total descontentamento com isso, nunca se valer dele (coerência!) e seguir trabalhando. O Grêmio foi fundado por 32 pessoas que queriam apenas JOGAR FUTEBOL, independentemente do resultado. Se trabalha e se treina para jogar o melhor possível; não, para vencer. Se vamos ganhar ou perder, isso depende do adversário, do árbitro, do dia. A tarefa do time se limita a deixar tudo na cancha. Se continuarmos trabalhando assim, mais próximos estaremos do Grêmio de França, Bohrer, Ribeiro, Siebel, Uhrig, Brochado, etc. E esses é que são os IMORTAIS. Quem quebrou o Grêmio, quem quase acabou com o clube, foi a turma do “vencer a todo custo”.Quem não tem que dormir à noite por ter roubado são os outros. Nós temos que manter a consciência tranqüila.E os resultados virão. Eles vêm. Sempre…Um abraço.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.


%d bloggers like this: