Presença de público no Brasileirão (2006-2010)

Fiz um pequeno levantamento sobre a presença da torcida no estádio Olímpico nos últimos cinco campeonato brasileiros (2006 à 2010). Foram 92 jogos disputados na Azenha nesse período (seriam 95, mas três partidas de 2006 foram jogadas em Caxias, com portões fechados)
Nesses 92 jogos, a média de público pagante foi de 23.417 torcedores. Já a média de público total foi de 26.392 pessoas por jogo.
Na tabela acima já relacionei o número de partidas realizadas em finais de semana, algo que se discutiu bastante no início desse ano. É possível notar que apenas em 2010 ocorreram mais jogos durante a semana do que em sábados e domingos.
Já tratei dessa questão do dia e do horário dos jogos do aqui no blog em mais de uma ocasião. O tema é constantemente discutido por quem vai a campo em Porto Alegre, por isso acho pertinente a análise (ainda que seja fria e feita sem maiores rigores)
Para os levantamentos publicados a seguir, levei em conta o público total de cada jogo. O resultado é um tanto óbvio, mas nem por isso menos interessante.
Os jogos disputados em finais de semana levam 45% mais torcedores ao Olímpico do que os jogos disputados em finais de semana.

– Domingo é o dia “preferido” da torcida gremista.
– E no domingo, o tradicional horário das 4 da tarde é o que leva mais gente ao campo. Aqui só destaquei os horários em que foram realizadas mais de 5 partidas, a tabela com todos horários pode ser encontrada aqui.
Repito que se trata de uma análise fria, que não leva em conta o momento do time no campeonato, o clima, o adversário, promoção de ingressos e etc…

9 Responses to “Presença de público no Brasileirão (2006-2010)”

  1. ricfel Says:

    Muito interessante. Esse último campeonato o Grêmio certamento foi prejudicado pelos jogos no meio da semana.

  2. Marcelo Says:

    Muito legal esse levantamento. Confirmando algo que já tinhamos impressão.
    Parabéns André!

  3. André Kruse Says:

    No Gauchão, entre 2007 e 2010, foram 37 jogos disputados no Olímpico:

    – A média de público total foi de 13.401 torcedores por jogo.
    – Nos 20 jogos realizados no meio da semana a média foi de 10.646
    – Nos 17 jogos disputados em finais de semana a média de público foi de 16.643
    -Desse modo, os jogos realizados em sábados e domingos levaram 56% mais torcedores ao Olímpico.

  4. heraldo Says:

    tem que ser ousado, sócio com direito a ingresso, se não for ao jogo, e não comunicar que não vai,tem que pagar o valor do ingresso, este sócio podera retirar o ingresso e doa-lo a quem quizer naquele jogo assim, mesmo que a renda não aumente, mais para fins de espetaculo, sera bonito, pois a média de publico aumentaria.

  5. Rodrigo Cardia Says:

    A análise pode ser fria, mas é muito interessante o resultado dela.

    Em 2010, o Grêmio passou parte do campeonato “sem rumo” (ou seja, com Silas e Meira), jogou a maioria das partidas no Olímpico em meio de semana, e a média de público AUMENTOU, graças ao Renato. Imaginemos se tivesse mandado embora o Silas e trazido o Renato já na época da Copa, e tivesse mais jogos em casa nos finais de semana…

  6. Eduardo Says:

    Fase de time é importante, dia de jogo também é, e preço de ingresso idem. Deviam fazer esses “pague 1 leve 2” em dia de semana, não só quando o time ta beirando a segundona. Publico aumentou bastante em função disso ano passado.

    No meu caso particular, não vou a muitos jogos de meio de semana pois nao moro em POA. Ingresso tenho livre pois sou sócio. Caberia uma pesquisa do Gremio pra ver esse tipo de coisa.

    Provavelmente o sistema de bilheteria nao guarda os jogos que os sócio comparecem, entao não seria de todo mal, creio eu, mandar email pros sócios ou ate pro exercito gremista com questionário web sobre motivos que impedem de ir ao estádio.

    Talvez o resultado vai ser o mesmo que todos já imaginamos de “jogo quarta as 22 horas”, “ingresso de gauchao a 40”, mas acho que tendo uma pesquisa com numeros reais, dados concretos, embasaria mais o clube pra se precaver de preços impostos, calendários totalmente incoerentes, etc, e assim “combater” a televisão, CBF e afins.

  7. André Kruse Says:

    Para ninguém

    Jogos de sábado às 21h , novo horário criado pela CBF, têm a pior média de público deste Brasileiro

    LUCAS REIS
    DE SÃO PAULO

    Sábado, 21h, definitivamente não é dia de futebol.
    E quem mostra isso são os próprios torcedores que acompanham o Campeonato Brasileiro nos estádios.
    Levantamento feito pela Folha mostra que os jogos de sábado, às 21h, novo horário criado pela CBF (Confederação Brasileira de Futebol), são os mais esvaziados.
    Comparando com outras faixas de jogos, nenhuma tem atraído tão pouca torcida. E essas partidas são transmitidos apenas em pay-per-view.
    Até a 14ª rodada, pouco mais de 8.000 torcedores, em média, compareceram aos dez jogos realizados ao longo dos últimos sábados, 21h.
    Se a partida é no sábado, mas às 18h30, o público sobe: 10,5 mil, em média.
    Até mesmo os duelos de quinta-feira, dia útil, também às 21h, têm sido mais cheios, com média de 10 mil fãs.
    Mas o torcedor gosta mesmo é da tarde de domingo. As partidas das 16h são as campeãs, com média de 17,3 mil.
    Quarta-feira, 21h50, também tem ótimo desempenho, com seus 16,7 mil torcedores.
    A CBF costuma separar os melhores jogos para esses dois últimos horários. Mas nem por isso privou o sábado, 21h, de duelos “fracos”.
    Basta ver que Flamengo e São Paulo, maior e terceira maior torcidas do país, já experimentaram atuar no sábado às 21h. O São Paulo atraiu menos de 10 mil torcedores, e o Flamengo, apenas 6.000.
    Cruzeiro e Atlético-PR também foram contemplados. Cada um deles teve, nesta noite, seus piores públicos de todo o campeonato.
    A média só não é menor graças ao Vasco. Contra o Figueirense, teve quase 18 mil pagantes. Mas o número certamente foi “turbinado” pelo título da Copa do Brasil, conquistado apenas três dias antes, e pela apresentação de Juninho Pernambucano.
    Ou seja, não fosse por isso, a média de público do sábado à noite provavelmente seria ainda menor. Dos dez jogos do horário, só essa partida do Vasco, e o confronto do Atlético-PR com o Avaí (10.045 pagantes) atraíram mais de 10 mil pagantes.
    Hoje, o Atlético-MG recebe o Figueirense às 21h. Até o fim do primeiro turno, serão mais três jogos, incluindo Corinthians x Figueirense no dia 20 e o clássico Fluminense x Botafogo no fim do mês.
    Nas 19 primeiras rodadas, serão ao todo 14 jogos.
    O horário das 21h de sábado é novidade apenas na Série A. Pois, na segunda divisão, já é comum realizar partidas nesta faixa horária.
    Coincidência ou não, não é apenas o público que é menor no sábado às 21h.
    A média de gols do campeonato, hoje de 2,61 por partida, cai para 2,1. E também há mais empates: metade dos dez jogos das noites de sábado terminaram sem vencedor. No geral, o percentual de empates é de apenas 25,3%.

    Folha de São Paulo, sábado, 06 de agosto de 2011

    http://www1.folha.uol.com.br/fsp/esporte/fk0608201102.htm

  8. martina Says:

    Bueno, eu acho que eles também se puxaram pra fazer esse horário das 21h de sábado um fracasso.
    tivessem passado na tv aberta até o público se acostumar, tivessem feito mais jogos nesse horário, tivessem vendido cerveja (hehehe), teria no mínimo chamado atenção. Mas aposto que a maioria das pessoas sequer ficou sabendo desse horario.

  9. André Kruse Says:

    Atualizei esse levantamento com dados de 2011:

    http://gremio1983.blogspot.com/2012/03/presenca-de-publico-no-brasileirao-2006.html

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s


%d bloggers like this: