Libertadores – Junior 2 x 1 Grêmio

Foi um Grêmio irregular que se viu em Barranquilla, alternando maus e bons momentos, com predominância de um futebol pouco inspirado. O começo até foi promissor, com o time saindo pro jogo, tocando a bola no campo do adversário. Foi justamente assim que saiu o gol, logo aos 4 minutos. Bola de pé em pé, toques curtos até que Douglas serviu Borges, que ajeitou com o pé direito para concluir com o esquerdo. O adversário não se abalou com o gol e passou a ter maior controle de bola, aproveitando-se da marcação desencontrada do Grêmio. Victor fez algumas boas defesas, mas nada pode fazer aos 28 minutos, no gol de empate do Júnior, num lance de bate e rebate em que a bola sobrou para Hernandez, que marcou contando com o desvio em Fábio Rochemback. Renato logo providenciou a entrada de Collaço (no lugar de Carlos Alberto), para fechar o lado esquerdo, puxando Adilson para a direita. Deu resultado.

No segundo tempo o Grêmio conseguiu finalmente travar o Junior, e logo a própria torcida adversária arrefeceu. O tricolor voltou ao campo de ataque, teve algumas chances na bola parada e um pênalti clarrísimo em Borges (puxado pela camisa) não marcado pelo juiz. Aos 27 minutos, por um desses caprichos do futebol, Rodolfo não marcou um gol histórico, quando encobriu o goleiro com um chute desde a intermediária defensiva, mas a bola quicou e passou por cima do travessão. No minuto seguinte o Junior virou a partida, numa das suas primeiras chegadas no segundo tempo. Um escanteio que “viajou” bastante (talvez até por trás da linha de fundo) . Gílson descolou de Bacca e o avante colombiano superou Rochemback, escorando de cabeça para a conculsao de Viafara. O Grêmio foi em busca do empate, mas esabarrou na cera dos colombianos, na caseira permissividade do juiz e na sua própria jornada de pouco brilho.

Não foi uma boa atuação do Grêmio, mas está longe de poder ser classificada como desastrosa. Mesmo com um futebol abaixo da sua média o time poderia ter saído da Colômbia com um resultado melhor. Uma vitória talvez não fosse merecida, mas a derrota passa muito pela arbitragem.

Dizer que Marco “dracula” Rodriguez foi caseiro é uma simplificação grosseira que favorece o juiz o mexicano. Ele foi muito mais do que isso. Influiu diretamente no resultado do jogo ao não marcar um pênalti de concurso em Borges. O cartão amarelo para Adílson, as marcações de impedimento e o tempo de acréscimo são inexplicáveis para quem acredita na lisura da arbitragem.

É óbvio que o Grêmio também não esteve bem, foi muito pior do que já apresentou em 2011, mas não tão pior do que seu adversário (que na teoria é a segunda força do grupo). O resultado pode não ter sido o esperado, mas é aceitável.

Não gostei de ver o Grêmio dando tanto espaço para o adversário, marcando longe. Claramente faltou um melhor encaixe. Da mesma forma, não me agradou a insistência do jogo pelo meio, abrindo mão de uma das virtudes do Grêmio, que é o jogo pelas laterais.

Gostei das atuações de Rodolfo, Paulão (embora tenha ficado clara a dificuldade no cabeceio alertada por Renato), Victor, Borges e Collaço. Viçosa também entrou bem. O restante do time me pareceu bem abaixo do que pode produzir.

E algumas atitude de alguns jogadores, dirigentes e torcedores do Junior parece não levar em conta que ainda teremos uma revanche em Porto Alegre.

Fotos: El Heraldo, Terra e El Colombiano

Junior Barranquilla 2 x 1 Grêmio

JUNIOR BARRANQUILLA: Rodríguez; Gómez, De Almeida, Macías e Fawcett; Viáfara, Páez (Valencia 34 do 2ºt), García e Giovane Hernández; Bacca e Cortéz (Cárdenas 15 do 2ºt, depois Barahona 43 do 2ºt).
Técnico: Óscar Quintabani.

GRÊMIO: Victor; Gabriel, Paulão, Rodolfo e Gilson (Vinicius Pacheco 43 do 2ºt); Fábio Rochemback, Adilson, Carlos Alberto (Bruno Collaço 36 do 1ºt) e Douglas; Borges e André Lima (Júnior Viçosa 33 do 2ºt).
Técnico: Renato Portaluppi


2ª Rodada – Fase de Grupos – Libertadores 2011
Data: 24/02/2011, quinta-feira, 23h45min
Local: Estádio Metropolitano, em Barranquilla, na Colômbia.
Público: 20.348
Renda: $ 563.236.364
Árbitro: Marco Rodríguez – MEX
Auxiliares : Marvin Torrentera e José Luis Camargo
Cartões amarelos : Cortéz (Junior Barranquilla-COL); Adilson, Carlos Alberto (Grêmio).
Gols: Borges (4/1º); Hernández (28/1º); Viáfara (29/2º)

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s


%d bloggers like this: