Libertadores – Grêmio 1 x 2 Universidad Católica


Foi uma noite desastrosa a de ontem no Olímpico, onde muitas coisas saíram erradas para o Grêmio. Poderia fazer um longo inventário dos erros tricolores, mas é muito mais simples citar o que saiu certo: O golaço do Douglas e uma grande defesa de M.Grohe aos 48 minutos do segundo tempo.

O Grêmio ensaiou um abafa, tendo uma série de escanteios. A torcida se inflou e Douglas quase abriu o placar aos 10 minutos, mas seu chute parou na trave. Borges também ficou no quase, aos 24, quando fez o giro em cima da zaga e bateu pra fora. Mas aos 28 minutos o time do Universidad Católica teve um contra-ataque (puxado por Cañete e concluído por Pratto) que só foi parar dentro do gol gremista. Pra piorar a situação, Borges foi expulso seis minutos depois, ao acertar cotovelada no adversário. O cenário passou a ser amplamente favorável aos chilenos.

O Grêmio tentou minimizar o prejuízo no segundo tempo e sem muito brilho foi pra cima, tentando se aproveitar do contentamento do adversário com a situação. Los cruzados trocaram passes despretensiosos nos primeiro minutos da etapa final, mas aos 14 Douglas empatou o jogo num chutaço da intermediária. O empate animou o Grêmio, que cresceu na partida, mas acabou levando o segundo gol em novo contra-ataque concluído por Pratto (dessa vez de cabeça)


É preciso que o time “entenda” o espírito do jogo e do campeonato que está participando. Me parece que o Grêmio não conseguiu fazer esta leitura ontem.

Um exemplo: O Grêmio fez somente 10 faltas ontem, contra 17 do U.Católica. Levou apenas dois cartões amarelos (sendo que o do Adílson foi fora do lance), enquanto os chilenos foram advertidos em cinco ocasiões.

O time poderia e deveria ter feito mais faltas no jogo de ontem. Como já vem acontecendo, o ataque do time adversário raramente é interrompido pelo Grêmio.

O time poderia e deveria ter se aproveitado da ruindade do árbitro. Rochemback foi pisado na cara e a reclamação foi muito tímida.

Ficou difícil, mas não impossível. Não acho que o U.Católica tenha mais time do que o Grêmio. Ontem pareceu que os comandos de Pizzi foram superiores pelo maior conjunto/entrosamento e pela maior consciência/tranquilidade em campo. Apesar de alguns bons valores, tem claros furos no time. O Grêmio é que precisa jogar mais (e pode jogar mais) para explorar essas deficiências em Santiago (onde, não custa lembrar, os chilenos tomaram 3×1 do Caracas)

Fotos: Richard Ducker e Luciano Leon (FinalSports)

Grêmio 1 x 2 Universidad Católica
Pratto 28´
Douglas 59´
Pratto 74´

GRÊMIO: Marcelo Grohe, Gabriel, Rafael Marques, Neuton e Gilson (Escudero 45’/2ºT); Fábio Rochemback, Willian Magrão (Lins – Intervalo), Adilson e Douglas; Leandro (Carlos Alberto 32’/2ºT) e Borges
Técnico: Renato Portaluppi

UNIVERSIDAD CATÓLICA: Garcés, Valenzuela, Henríquez, Martínez e Eluchans; Ormeño, Silva (Felipe Gutiérrez 18’/2ºT), Costa (Sepúlveda 38’/2ºT), Meneses e Cañete (Villanueva 30’/2ºT); Pratto
Técnico: Juan Antonio Pizzi.

Oitavas de Final – Jogo de Ida – Libertadores 2011
Data: 26/4/2011, terça-feira, 19h30min
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre.
Público Total: 35.101 (31.559 pagantes)
Renda: R$ 766.807,50
Árbitro: Néstor Pitana (ARG)
Auxiliares: Hernan Maidana (ARG) e Alejo Castan (ARG)
Cartões amarelos: Martínez, Costa, Silva, Eluchans e Valenzuela (UCA); Willian Magrão e Adilson (GRE)
Cartões vermelhos: Borges 34’/1ºT (GRE)
Gols: Pratto (U), aos 28min, no 1º tempo; Douglas (G), aos 14min, e Pratto, aos 29min, no 2º tempo.

6 Responses to “Libertadores – Grêmio 1 x 2 Universidad Católica”

  1. Carlos Says:

    AK, não sei se o AVC faz parte da tua corrente politica, mas me diga uma coisa: O q q esse cara vem fazendo? Além de entrevistas patéticas ele é um coadjuvante lamentável, sempre em segundo plano, e não vejo se mexendo para reforçar o time. O q q está acontecendo afinal?
    Ontem foi demais a ruindade, meu deus. Mario doril no banco, rafa marques em campo. Escudero não tem sequencia (não q seja solução, longe disso), mas beira o patético continuarem colocando Carlos Alberto em campo. Pelo amor de deus.

  2. Marlon Tolksdorf Says:

    Ganhar do U. Chile eu até confio que dá. Mas e depois? Jogando nesse nível não tem como ter pretensões algumas.

  3. Eduardo Says:

    Por favor, tem que parar de usar Batalha dos Aflitos como motivação de torcida/time. E isso vem da direção. Tá errado, é questao de paradigma. É fazer do Gremio um pequeno. Basta, por favor.

  4. Carlos Gustavo Lima Says:

    Ganhar do U. Chile eu até confio que dá. Mas e depois? Jogando nesse nível não tem como ter pretensões algumas. [2]

  5. Nanee Says:

    Concordo com o Eduardo. Tem que usar como motivação a vitória pela habilidade, pelo jogo bem jogado, não a vitória pela superação de um sufoco. A Batalha dos Aflitos foi épica, mas não precisa ser repetida a cada jogo. A equipe precisa jogar pra ganhar, não pra reverter o prejuízo.

  6. Alfredo Says:

    Arbitragem estranha, horrorosa.
    Valeu porrada, pisão na cara, penalti não marcado, bandeira só vendo um lado…
    Para os vermelhos só arbitragens amigas…

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s


%d bloggers like this: