Gauchão – Internacional 2 x 3 Grêmio

Renato supreendeu ao escalar o Grêmio num 4-3-3 com Escudero, Leandro e Junior Viçosa no ataque. A estratégia parecia ser a de ter mais a posse de bola e adiantar a marcação sobre os laterais do Inter. Os primeiros minutos de jogo mostravam que a idéia era acertada, tendo o Grêmio chegado com força na frente. Contudo, aos 8 minutos, numa jogada constrúida de pé em pé, o Inter abriu o marcador com Andrézinho, no que era o primeiro ataque colorado. Aí teve início o curto período no qual o co-irmão foi superior no jogo. Marcelo Grohe teve papel importante, garantindo que o Grêmio passasse pela turbulência pós-gol. Aos poucos, as virtudes tricolores voltaram a aparecer, Leandro passava por cima de quem quer que surgisse pela sua frente e Escudero fazia importante função tática ao partir da ponta esquerda e entrar pelo meio. Viçosa, que já tinha desperdiçado duas grandes oportunidades (a primeira aos 10, a segunda aos 37), empatou o jogo ao aproveitar a saída atabalhoada “a la Peter Shilton” de Renan. O 1×1 era um placar minimamente justo para o que se viu em campo no primeiro tempo.

A segunda etapa começou com o segundo gol tricolor. Júnior Viçosa fez a assistência e Leandro mandou pra rede com o “biquinho do Romário”. O Grêmio passou a ter total controle do jogo, trocando passes e encaixando triangulaçoes, especialmente pelo lado esquerdo do ataque. O tricolor procrastinou o terceiro gol e acabou sofrendo o empate numa cabeçada de Damião, que contou com o desvio em Gílson para vencer Marcelo Grohe. O 2×2 era absolutamente injusto naquele momento. Mas a poucos minutos do fim, Rochemback fez belo desarme de carrinho, Mário Fernandes puxou contra-ataque em velocidade, Lúcio lançou e Viçosa mostrou apurada visão de jogo ao encobrir, pela segunda vez, Renan com uma cabeçada de fora da área.


Pelo visto, em uma semana “a qualidade” mudou de lado.

A superioridade tricolor foi cristalina. O que incomoda é o fato da vitória só ter sido definida aos 41 minutos do segundo tempo.


O treinador do adversário disse que Escudero fez a mesma função do Lúcio. Não vi assim. O argentino foi um dos pontas (Na esquerda, na direita, por vezes recuado) no 4-3-3 do Grêmio.

Rochemback e Fernando souberam se revezar na proteção da zaga e na saída pro jogo.

Renato segurou os laterais e soltou os volantes. E tem gente que diz que ele não entende nada de tática.

Jean Pierre acertou a imensa maioria dos lances, mas teve grande dificuldade em manter um critério na exibição dos cartões. A exagerada expulsão de Escudero é só um exemplo. Tivemos também a violência de Bolívar para cima de Leandro, as repetidas faltas de Tinga e Bolatti matando contra-ataque.

Não consigo lembrar de um Grenal, em final de campeonato, com um público tão baixo.

Fotos: Tárlis Schneider (UOL), Ricardo Rimoli (Lance), Pedro Revillion (Correio do Povo), Lucas Uebel (Grêmio.net) , Francis Targanski e Jefferson Bernardes (Vipcomm)

Internacional 2 x 3 Grêmio
Andrézinho 8′
Júnior Viçosa 39′
Leandro 46′
Leandro Damião 81′
Júnior Viçosa 86′

INTERNACIONAL: Renan, Nei, Bolívar, Rodrigo e Kléber; Bolatti, Tinga, Andrezinho e D’Alessandro (Oscar, 14’/2ºT); Rafael Sóbis (Cavenaghi, 14’/2ºT) e Leandro Damião.Técnico: Paulo Roberto Falcão
GRÊMIO: Marcelo Grohe, Mário Fernandes, Vilson, Rodolfo (Neuton, 15’/2ºT) e Gilson; Fábio Rochemback, Fernando e Douglas (Lúcio, 23’/2ºT); Escudero, Leandro (Lins, 33’/2ºT) e Júnior Viçosa.Técnico: Renato Portaluppi


Gauchão 2011 – Final – Primeiro Jogo
Data: 08 de maio de 2011, domingo, 16h00minLocal: Estádio Beira-Rio, Porto Alegre – RSPúblico: 23.391 (20.829 pagantes)Renda: R$ 685.330,00Árbitro: Jean Pierre Gonçalves LimaAuxiliares: Marcelo Bertanha Barison e José Javel SilveiraCartões amarelos: Tinga, Rodrigo, Bolatti, Bolívar, Nei (INT); Fernando, Neuton (GRE)Cartões vermelhos : Escudero, 44’/2ºT (GRE)Gols: Andrezinho, aos 8min do primeiro tempo; Júnior Viçosa, aos 39min do primeiro tempo. Leandro, aos 40seg do segundo tempo; Leandro Damião, aos 36min do segundo tempo; Júnior Viçosa, aos 41min do segundo tempo.

8 Responses to “Gauchão – Internacional 2 x 3 Grêmio”

  1. Alexandre Says:

    A expulsão do Escudero não foi exagerada como tu colocasse. Falta por trás com o adversário partindo para o ataque é punição com cartão vermelho. Não precisa quebrar o adversário para ser expulso.
    Espero que no jogo da volta nosso time não erre tantos passes nem perca tantas chances de liquidar o jogo. Demos muitas chances para o azar ontem.

  2. martina Says:

    e o zini não se decide:
    semana passada apregoava que “A casa vai desarrumar para aquele que perder”.
    hoje na zh ele diz que grenal não desarruma nem desarruma a casa de ninguém.
    sei.

  3. Eduardo Says:

    Jogão. Gremio muito superior, embora tenha escapado de tomar gol no primeiro tempo. Marcelo Grohe novamente foi bem. Bom ver o Gremio tocando bem a bola. Rochemback jogou muito, Leandro também. Viçosa confirmou que produz mais que o Borges em 2011. Um 5 a 3 nao seria de todo mal ontem.
    Bom também ouvir o Vicente falar que a vitoria nao vai esconder os defeitos e uma derrota tb nao vai gerar terra arrasada.

  4. André Kruse Says:

    Alexandre,

    Na regra não há nenhuma previsão sobre “falta por trás” e “adversário partindo para o ataque”.

    E mesmo que assim fosse, o Bolatti também fez falta por trás em um adversário que partia pro ataque e não foi expulso.

    O Escudero não impediu chance clara de gol e não foi violento.

  5. Alexandre Says:

    Por favor André, isto é orientação de todas as comissões de arbitragem, de que falta por trás é passível de cartão vermelho.
    Se ele não deu cartão pro Bolatti errou, mas no caso do Escudero ele acertou.
    Não precisa ser violenta a falta para ser passível de cartão vermelho, basta ser por trás.

  6. Gérson Matter Says:

    Cara, na quarta foto do lance Júnior x Renan, parece que o Viçosa ta tocando piano… hehehe

  7. André Kruse Says:

    Alexandre, eu gostaria de ver alguma orientação nesse sentido. Até hoje não vi nada

  8. Daniel Says:

    Falta por trás é o que mais acontece em um jogo. Olha quantos empurrões os caras dão nas costas dos adversários e não recebem nem advertência.

    O que eu sei, pelo menos é o que os comentaristas dizem, é que fazer falta pra matar a jogada (em um contra-ataque, no caso) é passível de amarelo. Vermelho é pra agressão ou coisa do tipo.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s


%d bloggers like this: