Sabella no Grêmio – 1985/1986

Um fato marcante da semana que passou foi a fotografia de Mano Menezes entregando uma camiseta tricolor para Alejandro Sabella. O técnico da seleção Argentina foi atleta do clube nos anos de 1985 e 1986.

Sabella foi trazido do Estudiantes no início de 1985, numa contratação de 170 mil dólares encaminhada por Adalberto Preis e Raul Régis de Freitas Lima.

O meia argentino estreou com a camisa do Grêmio no empate em 1×1 com o Cruzeiro, no Mineirão, em jogo válido pela 7ª Rodada do Campeonato Brasileiro de 1985.


Relato da revista Placar sobre o jogo:

Uns 50 torcedores do Grêmio viajaram do Sul para assistir a estréia do meio-campista argentino Sabella contra o Cruzeiro, no Mineirão. “Não esperem muito dele hoje”, advertiu, porém, o técnico Rubes Minelli. O técnico tinha razão. Mas, apesar da falta de ritmo e da cerrada marcação de Douglas, Sabella conseguiu mostrar lances de muita classe e manter preocupados todos os cruzeirenses.

Ao fim dos 90 minutos, Minelli mostrava-se otimista com Sabella. Mas, mais que isso, aliviado com o empate…” (Placar, 1º de Março de 1985)

Placar: Sabella – Nota 6 – Criativo mas sem ritmo. Bem marcado.

Ficha do jogo:

Cruzeiro 1 x 1 Grêmio

CRUZEIRO: Ademir Maria; Carlos Alberto, Orlando Fumaça, Geraldão e Ademar; Douglas, Eduardo e Tostão; Carlinhos (Dedé de Dora, 38 do 2º), Carlos Alberto Seixas (Aluísio, 29 do 2º) e Joãozinho
Técnico: João Francisco

GRÊMIO: Mazarópi; Ronaldo, Baidek, Luís Eduardo e Casemiro; China, Valdo e Sabella; Renato Portaluppi, Roberto César e Ademir (Osvaldo – intervalo)
Técnico: Rubens Minelli

7ª Rodada – Campeonato Brasileiro 1985
Data: 23 de fevereiro de 1985
Local: Estádio Mineirão, Belo Horizonte – MG
Público: 31.253
Renda: Cr$ 135.489.500,00
Juiz: Manuel Serapião Filho (BA)
Cartão Amarelo: Baidek, Geraldão, Valdo, Ademar, Joãozinho, Roberto César e Osvaldo
Gols: Tostão, aos 41 minutos do 1º tempo e Roberto César aos 18 minutos do 2º tempo.

Sabella no Gauchão de 1986, sendo marcado por Júlio César do Aimoré

Apesar da estreia promissora Sabella não conseguiu se firmar no clube. Sofreu com a adaptação, com o estilo de jogo, com o ritmo da preparação física, com a mudança de função no campo, com lesões e até mesmo com uma virose.

Apesar de reconhecer que Sabella era “adorado” por todos no clube, João Carlos Belmonte considerou o argentino a decepção da excursão européia tricolor em 1985.

Para Rubens Minelli, somente no segundo semestre de 1985 é que os demais atletas foram comprender que Sabella era um “craque de toque curto e preciso e de ótimos lançamentos”. Mesmo assim, o meia foi emprestado ao Estudiantes por três meses no início de 1986.

Voltou ao Olímpico em meio ao Gaúchão de 1986, e ao ter algumas boas atuações, explicou o mau desempenho do ano anterior, detalhando a diferença do papel que exercia em campo e criticando o preparador físico Gilberto Tim por não considerar a idade dos atletas e pela falta de períodos de descanso. Sabella acabou retornando em definitivo a Argentina no final daquele ano, e reconheceu que seus “principais inimigos foram a preparação física, muito puxada, e o estilo veloz do futebol gaúcho”.

As imagens são da Placar e da Zero Hora

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s


%d bloggers like this: