Brasileirão 1996 – Grêmio 3 x 1 Palmeiras

No dia 28 de novembro de 1996, o Grêmio iniciava a sua participação na fase final do Campeonato Brasileiro. 8 dos 24 participantes se classificaram para as quartas de final.

Após uma série de tropeços nos últimos jogos da 1ª fase, o tricolor ficou na 6ª posição, enfrentando o 3º colocado na classificação geral: Palmeiras. Devido a melhor campanha, os paulistas tinham a vantagem de decidir em casa e de jogar por dois resultados iguais.

O jogo de ida, em Porto Alegre, foi memorável. Uma das melhores partidas que eu assisti no estádio Olímpico. Uma virada espetacular.

Lembro bem da magistral atuação de Emerson, que empurrou o Grêmio para a vitória. Felipão também foi brilhante, quando passou Carlos Miguel para a lateral-esquerda e colocou Zé Afonso no ataque tricolor.

Abaixo, algumas matérias e imagens da Folha de São Paulo, Correio do Povo e Zero Hora sobre aquela noite:

“Mais de 1 hora antes do início do jogo, todos os 55 mil ingressos já tinha sido vendidos. Às 21h o estádio já estava lotado. Apesar disso, a direção do Grêmio não liberou o o televsionamento da partida para Porto Alegre.” (Correio do Povo – 29 de novembro de 1996)

“A diretoria do Grêmio festejou bastante a vitória por 3 a 1 sobre o Palmeiras, mas tenta conter o cilma de otimismo entre os jogadores. No confronto pela Libertadores do ano passado, o time venceu por 5 a 0 em Porto Alegre e, em São Paulo, perdeu por 5 a 1, quase ficando de fora da competição. “Temos que comemorar, mas é preciso calma”, alertou o zagueiro Adílson. “Nos dará tranqüilidade. Tivemos muita raça e determinação, mas ainda não vencemos, disse Carlos Miguel“. (Correio do Povo – 29 de novembro de 1996)
PLACAR – O JOGO: O Grêmio precisava da vitória em casa para garantir a classificação na partida de volta no Morumbi. Atacou durante todo o tempo e mereceu o resultado.

Cabeçadas definem a vitória do Grêmio
Equipe gaúcha bate o Palmeiras por 3 a 1 e agora pode até perder por um gol diferença para se classificar

O Grêmio bateu o Palmeiras por 3 a 1 e agora pode perder por até um gol de diferença, domingo, para obter a classificação para as semifinais do Campeonato Brasileiro. Todos os gols da partida foram de cabeça.
Para se classificar, o Palmeiras precisa vencer o Grêmio por dois gols de diferença.
O Palmeiras começou a partida com uma postura defensiva, contrariando o discurso do técnico Wanderley Luxemburgo, que disse durante a semana que sua equipe não iria mudar suas características ofensivas.
A equipe errou muitos passes, facilitando o trabalho dos gaúchos.
O Grêmio teve por duas vezes a chance de abrir o placar devido a erros do goleiro Velloso. Na primeira, o goleiro saiu do gol precipitadamente. Adílson cruzou, e Zé Alcino cabeceou, mas Cléber tirou a bola praticamente na linha do gol.
Na segunda, Velloso demorou muito para repor a bola e sofreu um tiro livre indireto, dentro da área, desperdiçado pelo Grêmio.
Com pouco volume de jogo, o gol da equipe paulista saiu da única maneira possível: de bola parada. Djalminha cobrou uma falta e Luizão completou de cabeça, contando com a ajuda da zaga do Grêmio: 1 a 0, aos 34min.
Precisando empatar a partida, o Grêmio reiniciou o jogo pressionando o Palmeiras.
Por sua vez, o time paulista assumiu uma postura defensiva. O meia-atacante Djalminha recuou e deixou Luizão sozinho no ataque do Palmeiras.
A pressão funcionou. O Grêmio não demorou a chegar ao empate, com uma cabeçada de Émerson, aos 8min.
Logo após o empate, Leandro foi expulso, fazendo o técnico Luxemburgo optar, definitivamente, pela retranca. Ele tirou Elivélton, um meia, e colocou Wágner, um lateral-esquerdo.
Aos 21min, Zé Afonso marcou o segundo gol do Grêmio, de cabeça. Goiano fechou o placar, aos 34min, também de cabeça. (Folha de São Paulo)

Luxemburgo culpa cartões e cobra ‘vergonha na cara’
Técnico diz que faltou determinação e controle ao Palmeiras no Sul

O técnico Wanderley Luxemburgo, do Palmeiras, está inconformado com a derrota para o Grêmio, 3 a 1, anteontem, em Porto Alegre.
Segundo ele, a expulsão do volante Leandro, no início do segundo tempo, e a falta de determinação dos jogadores foram os fatores fundamentais para o resultado, que deixou o time em situação difícil no Brasileiro.
Para se classificar, a equipe palmeirense precisa vencer o adversário por, pelo menos, dois gols de diferença, amanhã, no Morumbi.
”Uma expulsão num jogo difícil como esse, contra o Grêmio, faz a diferença. O time vinha jogando bem até então e, depois disso, se descontrolou no aspecto emocional”, disse Luxemburgo, sobre a partida de Porto Alegre.
Segundo ele, o Grêmio mostrou mais vontade de vencer que o Palmeiras e esse quadro precisa ser revertido caso sua equipe deseje a vaga para as semifinais.
”Mais uma vez, os jogadores do Grêmio tiveram uma postura de verdadeiros homens que lutam por um resultado até conseguir”, disse o técnico.
”Quero o mesmo do meus atletas no domingo. Eles precisam me dar uma resposta, assumir a responsabilidade, ter vergonha e dignidade. O Palmeiras pode até sair da competição prematuramente, mas terá que lutar”, acrescentou.
Luxemburgo disse estar envergonhado com a derrota. ”Tenho vergonha mesmo de perder por 3 a 1 de um time que é igual ou inferior ao nosso tecnicamente.”
O discurso inflamado faz parte da estratégia de Luxemburgo, que, agora, vai procurar motivar os jogadores no aspecto emocional. (Folha de São Paulo, ARNALDO RIBEIRO)

O zagueiro Cláudio passou mal no jogo de ontem, teve que ser substituído e chegou a desmaiar nos vestiários. Com dores em todo o corpo, foi conduzido a um hospital por uma ambulância.”” Cláudio teve, anteontem, uma tetania muscular, síndrome que se caracteriza por uma sequência de cãibras em vários músculos do corpo. O jogador mal conseguia se mexer e teve que ser encaminhado ao hospital mais próximo do estádio. ”Senti a falta de ritmo e me desidratei. Agora, estou bem melhor. Só sinto dores na batata da perna. Posso jogar”, disse Cláudio“(Folha de São Paulo)

Guerra de nervos dá o tom e quatro são suspensos
A guerra de nervos entre Grêmio e Palmeiras esteve sempre presente e culminou com as suspensões de Goiano (terceiro amarelo), Paulo Nunes, Leandro e Cléber.
Os quatro não poderão participar do jogo de volta, domingo, em São Paulo. O Palmeiras não terá também os zagueiros Sandro, suspenso pela CBF, e possivelmente Cláudio, que saiu machucado.
A aposta entre Paulo Nunes e Djalminha, para ver quem faria mais gols, e o mistério por parte dos técnicos nas escalações das equipes também incrementaram o clima da partida antes do início.
O Grêmio, por exemplo, aqueceu 25 jogadores antes de entrar em campo. O Palmeiras só definiu o time momentos antes do jogo.
Quando o Grêmio entrou em campo, foram estourados cem mil fogos de artifício. A torcida, que começou a chegar no fim da tarde, vibrou o tempo todo e já lotava o estádio uma hora antes. (Leo Gerchman – Folha de São Paulo, sexta-feira, 29 de novembro de 1996)

“A tão esperada nudez da atriz Taís Araújo, protagonista da novela ”Xica da Silva”, não conseguiu levantar a audiência da Rede Manchete de Televisão.
Quinta-feira à noite, foram exibidas cenas em que a atriz, que completou 18 anos no último dia 25, aparece nua pela primeira vez.
Às 21h50, a novela atingiu o pico de 10 pontos (800 mil telespectadores), contra 38 pontos (3 milhões) da Globo, que exibia o jogo entre Grêmio e Palmeiras.” (Folha de São Paulo)

Grêmio 3 x 1 Palmeiras

GRÊMIO: Danrlei, Arce, Rivarola, Adílson e André Silva (Zé Afonso 13 do 2º); Dinho, Goiano, Émerson (Aílton 34 d0 2º) e Carlos Miguel ; Zé Alcino (Rodrigo Gral 39 do 2º) e Paulo Nunes.
Técnico: Luís Felipe Scolari

PALMEIRAS: Velloso, Cafu, Cláudio (Roque Júnior 32 do 2º), Cléber e Júnior; Galeano, Leandro, Elivélton e Rincón; Luizão (Wágner 42 do 2º) e Djalminha (Rogério 42 do 2º)
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

Jogo de ida – Quartas de final – Campeonato Brasileiro 1996
Data:28 de Novembro de 1996, quinta-feira, 21h40min
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre
Público: 44.430 (38.212 pagantes)
Renda: R$ 398.121,00
Juiz: Sidrak Marinho (SE)
Auxiliares: Antônio Hora Filho e Luis de Souza
Cartão Amarelo: Júnior e Goiano
Expulsão: Leandro aos 11, Cléber e Paulo Nunes aos 30 do 2ºt
Gols: Luizão aos 34 do 1º; Émerson aos 8, Zé Afonso aos 21 e Goiano aos 35 do 2ºtempo

7 Responses to “Brasileirão 1996 – Grêmio 3 x 1 Palmeiras”

  1. Vicente Fonseca Says:

    Sempre digo: maior atuação da Era Felipão. Na minha modesta opinião, claro.

  2. Alisson Says:

    Já eu lembrei hoje de outro acontecimento nessa mesma data, menos alegre: 28/11/95.
    Aquela derrota nos penâltis ainda machuca…

  3. Marcelo Says:

    Maior atuação que vi do Grêmio.

  4. Renato Says:

    Aquele gol do Goiano, com um salto a la “Air Jordan”, foi uma das coisas mais fantásticas que eu vi ao vivo no Olímpico.

  5. Renato Says:

    Aquele gol do Goiano, com um salto a la “Air Jordan”, foi uma das coisas mais fantásticas que eu vi ao vivo no Olímpico.

  6. mjuniorx Says:

    Eu estava no estádio.Dava gosto de ver o time jogar com raça e qualidade.Até o afonsão fazia gol.

  7. Diogo Says:

    Jogo épico. O único 28/11 a ser lembrado.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s


%d bloggers like this: