Archive for April, 2012

Gauchão – Grêmio 3×1 Caxias

April 9, 2012

Miralles era a grande atração da tarde no Olímpico. E logo aos 13 minutos do primeiro tempo ele deu uma bela mostra de que pode aproveitar a nova chance recebida, ao receber bom passe de Bertoglio, cortar para o meio e marcar um golaço. Naldo marcou o segundo aos 34 e André Lima estabeleceu o 3×0 aos 40 do primeiro tempo. Mas o placar do primeiro tempo passa uma falsa idéia de imensa superioridade gremista, o que não aconteceu. O Caxias, ainda que inferior, incomodou bastante o time do Grêmio. O segundo tempo acabou sendo um tanto maçante, com o Grêmio contente com o marcador e o Caxias já resignado com a sua sorte.

O interessante desse 4-3-3 visto na partida de hoje foi a constante troca de lado entre Miralles e Bertoglio e até mesmo entre Léo Gago e Souza.

Pode não ter sido exatamente a idéia mais original, mas eu gostei da homenagem feita para o Airton.

Foi oportuno o recado de Luxemburgo para André Lima. Centroavante tem que jogar dentro da área. E lá que ele pode fazer a diferença.

E o Grêmio ficou em segundo lugar na classificação geral do segundo turno. Um ponto atrás do Inter. Vale lembrar que nos 7 jogos desse turno, o Inter fez 4 partidas em casa e o Grêmio apenas 3. Esse tipo de detalhe pode fazer a diferença.

Fotos: Richard Ducker (Ducker.com.br)

Grêmio 3×1 Caxias

GRÊMIO: Victor, Gabriel, Werley, Naldo e Julio Cesar; Fernando, Léo Gago, Souza e Bertoglio (Leandro); Miralles (Felipe Nunes) e André Lima
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

CAXIAS: Paulo Sérgio; Michel, Lacerda, Tiago e Fabinho; Umberto, Paraná (Rafael Ueta), Mateus e Wangler; Marcos Paulo (Rafael Santiago) e Vanderlei (Juninho)
Técnico: Paulo Porto


7ª Rodada – Segundo Turno – Campeonato Gaúcho 2012
Data: 8/abril/2012, domingo, 16h00min
Local: Estádio Olímpico, Porto Alegre (RS)
Público total: 12.163 (9.211 pagantes)
Renda: R$ 208.120,75
Árbitro: Márcio Chagas da Silva (RS)
Auxiliares: Lúcio Beiersdorf Flor (RS) e Edemar L. Palmeira (RS)
Cartões amarelos: Tiago (Caxias); Fernando (Grêmio)
Gols: Miralles (13min/1ºT), Naldo (34min/1ºT), André Lima (40min/1ºT); Rafael Santiago (19min/2ºT).

Advertisements

Sugestão – Uniforme de 1962

April 6, 2012

Em outubro do ano passado, eu sugeri ao marketing do Grêmio que os uniformes de 2012 poderiam homenagear a equipe de 1962, aproveitando os 50 anos da conquista da Taça Legalidade, da excursão européia e do título do chamado “Supercampeonato” Gaúcho.

A idéia foi bem recebida e a partir daí a Martina Schreiner e eu elaboramos uma análise dos uniformes daquela temporada e enviamos o material para o clube. O trabalho em questão pode ser visualizado abaixo:

Como vimos nessa semana, o uniforme de 1962 foi lembrado na atual camisa reserva. Como já disse, em termos gerais eu gostei dessa camisa branca de 2012, muito embora eu preferisse que as listras tivessem continuidade nas costas da camisa, tal como era usada há 50 anos atrás (como se vê na foto abaixo, aonde Gessi e Marino enfrentam o São José no Olímpico)

Penso da mesma forma em relação ao uniforme retrô lançado. Se é uma réplica, as listras também deveriam aparecer nas costas da camisa.

E me parece que faltou um pouco de atenção da Topper em relação aos detalhes desse modelo retrô. A ordem das listras da gola foi invertida, ficando diferente do que era usado na época (conforme se pode observar nas fotos abaixo).

Milton, Valério e Vieira

Elton e Airton

Copa do Brasil – Ipatinga 0 x 1 Grêmio

April 5, 2012

Luxemburgo escalou o Grêmio num cauteloso e inédito 3-5-2 com três volantes no meio de campo. A proposta era de resguardar a defesa e amarrar o jogo no primeiro tempo. Do ponto de vista defensivo, é possível dizer que deu certo, uma vez que o Grêmio pouco errou e saiu de campo sem levar gols. Mas o time também teve poucos acertos na parte ofensiva, mostrando pouca criatividade. Júlio César e Gabriel estavam mais liberados, e ainda assim pouco contribuíram pro jogo. O Grêmio até teve alguns bons momentos enquanto Marcelo Moreno esteve em campo, mas depois disso foi uma equipe burocrática, lenta para jogar e lenta para marcar, cabendo aos volantes carregar o time. Mais uma vez Fernando foi quem mais teve iniciativa, tendo aparecido duas vezes na área para concluir e dando assistência para Léo Gago marcar (num chutaço) o único gol da partida. No final, Marquinhos desperdiçou duas ótimas oportunidades de eliminar o Ipatinga, o que seria uma demasia pelo que se produziu em campo.

Gostei de ver Leandro no ataque. Produziu tanto quanto o Bertoglio.

O resultado foi bom, a atuação nem tanto, mas podemos relevar o desempenho em função dos inúmeros desfalques.

Fotos: Sergio Roberto (Terra) e Wolmer Ezequiel (Correio do Povo)

Ipatinga 0 x 1 Grêmio

IPATINGA: Bruno, Gedeon (Fabinho, 26’2T), Claudio Luiz, Azevedo e Bruninho; Leanderson, Everton, Leandro Brasília e Wellington Bruno (Kaká, 42’2T); Laécio e Jonatas Obina (Moisés, 26’2T)
Técnico: Ney da Matta.

GRÊMIO: Victor, Vilson, Werley e Naldo; Gabriel, Fernando, Souza, Léo Gago e Julio Cesar; Bertoglio (Leandro, 21’2T) e Marcelo Moreno (André Lima 25’2T e depois Marquinhos, aos 36’2/T)
Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

Copa do Brasil 2012 – Segunda Fase – Jogo de ida
Data: 04/04/2012, quarta-feira, 19h30min
Local: Estádio João Lamego Netto (Lamegão), Ipatinga (MG)
Árbitro: Alessandro A. Rocha de Matos (FifaBA)
Auxiliares: Diego Pombo Lopez (BA) e Lilian da Silva Fernandes Bruno (FifaRJ)
Cartões amarelos: Claudio Luiz e Azevedo (IPA)
Gol: Léo Gago, aos 27 minutos do segundo tempo

Airton Ferreira da Silva

April 4, 2012

Faleceu Airton Ferreira da Silva. De uma maneira egoísta, eu me sinto ainda mais triste por não ter tido a oportunidade de ver o Pavilhão em ação, seja ao vivo, seja em vídeo.

Por mais que seja lamentável, o fato de a carreira de Airton não ser tão fartamente documentada de forma alguma diminuiu a sua aura lendária. Talvez só a tenha aumentado.

Ontem, assim que soube da triste notícia, lembrei da conversa de Valdir Espinosa com o BloGrêmio. Nela, o nosso técnico campeão mundial falou com uma grande admiração sobre o Airton. Em um dado momento, ele se mostrou bem preocupado, revelando uma angústia, pois não sabia se os gremistas mais jovens tinham a exata noção do que Pavilhão representava para o Grêmio.

Lembrei também de uma reunião recente no conselho do Grêmio, onde Aírton compareceu, ainda que se deslocasse com alguma dificuldade, e foi recebido carinhosamente pelos conselheiros mais “antigos”. Me marcou muita a aquela cena, na qual senhores de idade voltavam a ser simples fãs diante do ídolo.

Histórias sobre o Airton não faltam. Lendas, tampouco. Diante disso, acho interessante reproduzir algumas frases do próprio Aírton, retiradas da sua biografia “Airton Pavilhão – O Zagueiro das Multidões “, escrita por Celso SantAnna:

“Eu nunca dei pontapés, porque sempre achei que quem tem a chave da porta, não precisa arrombá-la”.

“O pessoal fala que eu dei balãozinho no Pelé, que eu fui único jogador que fez isso. Eu sempre desminto, porque essa jogada eu nunca fiz com o Pelé. O que houve foi uma jogadinha que sempre fazia com todo mundo. Ele tentou me driblar e eu tirei a bola de letra e isso aí ficou muito famoso. Nós estavamos bem em frente ao pavihão do Grêmio, o Pelé dominou a bola, o campo lotado, e eu então dei o lado esquerdo meio metro para ele sair pelo lado esquerdo. Ele viu que estava muito fácil. Eu até pensei que ele não fosse cair na armadilha. Aí quando ele tocou a bola pro lado esquerdo, o meu pé direito foi por trás do esquerdo, então, eu dei a letra, àquela famosa, aí a torcida do Grêmio parecia morrer ali de tanto grito.”

“Sobre o balãozinho, vou repetir, todo mundo fala, mas é mentira. Nunca dei, até porque considero balãozinho antifutebol. Acho um desrespeito, principalmente para o zagueiro tentar. É uma jogada muito difícil de fazer e perigosa. Gosto da coisa certa. Do “será que vai dar certo?”, eu não gosto”

“Nunca errei a jogada “de letra”. Achava que não dava pra errar. Eu tinha certeza do que fazia. Tens que fazer certo. Era mais fácil que um balãozinho ou que uma janelinha, que considero lances mais perigosos”

“Eu tinha diversos gestos, como levantar o braço em situação de perigo, quando ficava sozinho com o atacante. A gente tinha uma porção de coisinhas (pequenos gestos) na hora de entrar em campo, de que a torcida gostava e que era um meio de fazê-la vibrar. Eram coisas simples e que influenciavam a torcida e sempre deram resultado”

Além de Pavilhão, Airton foi apelidado de “Queixada” quando ainda jogava no Força e Luz. Na caricatura acima, feita por Xico Stockinger, Airton é comparado a um pelicano.

Camisa Branca 2012

April 3, 2012

Em termos gerais eu gostei do uniforme reserva do Grêmio para 2012. Talvez esse seja o desenho mais tradicional da camisa branca tricolor, e nesse modelo eu consigo sim ver uma clara referência a camisa usada em 1962.
E acho que a escolha de usar o distintivo e a listras acima do patrocinador, na altura do peito (tal como era em 1962 e como foi em 2005) funciona melhor de que estampar o patrocinador acima das listras (como foi em 1998)

Gostei da meia listrada e acho que ela funciona bem com todo fardamento.

Penso que as listras poderiam seguir na parte das costas da camisa, tal como era em 1962. A parte de trás ficou muito parecida com a camisa branca de 2011.


Fotos: Lucas Uebel (Grêmio Oficial) , e Leonardo Osmarin (GrêmioFotos)

Camisa Tricolor 2012

April 3, 2012

Confesso que esperava mais da camisa tricolor de 2012. Não que seja uma camisa feia, mas o Grêmio já teve uniformes mais bonitos.

Algumas considerações:

– Gostei da manga com um “punho” branco, uma pena que isso não se repete na camisa da manga longa.

– Acho muito legal o retorno de uma gola polo, algo que não se via desde 2001.

– Gostei do tom do azul, que pareceu um pouco mais escuro do que o usado em 2011.

– Vi muita gente reclamando do Banrisul em preto. Não me incomodou tanto assim, acho que é questão de costume.

– O corte das listras para a entrada dos patrocinadores poderia ser melhor resolvido, especialmente nas costas, onde são três os patrocínios. E este padrão não é seguido no nome dos jogadores.

– Eu tenho dificuldade em aceitar a manga toda em azul. Na minha concepção, a camisa do Grêmio sempre tem as mangas listradas.

– A listra branca me pareceu muito fina em relação as demais.

Minha expectativa em relação a esta coleção era alta. Esse camisa pouco lembrou a de 1954. Talvez esse seja o maior problema, uma vez que a lembrança essa data tenha sido usada muito mais como discurso do que propriamente na elaboração do atual modelo.

A camisa me lembrou um pouco um mockup que circulou em 2007.

Fotos: Lucas Uebel (Grêmio Oficial) e Leonardo Osmarin (GrêmioFotos)

Meias listradas

April 2, 2012

O Zini Pires foi agraciado com a divulgação, em primeira mão, dos novos calções e meias do Grêmio. Sobre a divulgação eu, por enquanto, não farei maiores comentários.

Os dois calções e a meia branca são, no máximo, cumpridores, parecendo um tanto sem graça.

A grande novidade é a meia listrada, algo que em geral eu sempre gostei.

No Grêmio, tal peça foi bastante usada nas décadas de 1950 e 1960 (conforme comprovam as imagens abaixo).

Eu acho interessante esse retorno. Com a breve exceção do quarto uniforme de 1996, o Grêmio vinha adotando somente meias de um só tom nas últimas décadas.

Penso que seria interessante fazer a meia listrada somente com preto e azul, ou mesmo com o padrão que foi adotado em 1962.

Grêmio entrando em campo na inauguração do Olímpico, em 1954.

Zunino enfrentando o Força e Luz na Timbaúva em agosto de 1954

Juarez e Sérgio em Rostov, na União Soviética, em 1962, na partida contra o SKA.

Ortunho, Sérgio e Mourão no vestiário do Olímpico após a vitória sobre Metropol, pela Taça da Legalidade em 1962.

Gauchão – Pelotas 1 x 0 Grêmio

April 1, 2012

Com 2 minutos de jogo o Pelotas marcou o seu gol. O Grêmio teria 88 minutos para buscar uma virada que manteria sua sequência de vitórias. O time bem que tentou, mas não conseguiu. Foi um jogo feio, truncado, sem muitas alternativas ou jogadas criadas. As principais chances de empate aconteceram em bolas alçadas na área. Foi pouco e assim o Pelotas levou os três pontos e o Grêmio deixou a Boca do Lobo sem a melhor campanha do segundo turno.

Mais uma vez foi muita tímida a participação dos laterais gremistas. Edílson até conseguiu aumentar a contribuição com o ataque pelo lado direito no segundo tempo, mas eu esperava mais efetividade no jogo pelo lado do campo de um time que joga com três volantes.

Pareceu que o time careceu de um meia que enconstasse nos atacantes. Marquinhos não conseguiu fazer esse papel, jogou longe da área do adversário. Ademais, a armação das jogadas do Grêmio passou excessivamente pelos pés dos volantes, em especial por Fernando.

Dessa vez até existe a desculpa de que não havia outra alternativa no banco, mas eu não gosto de ver Leandro entrando como meia. Não é onde ele rende melhor.

Fotos: Lucas Uebel (Grêmio Oficial)

Pelotas 1 x 0 Grêmio
Reinaldo 2´

PELOTAS: Fernando Júnior, Igor, Marco Tiago, Kléber Goiano e Brida (Renato, 30’/2T); Douglas Silva, Carlos Augusto, Cleiton e Maicon Sapucaia (Wlliam Paulista, 37’/2T); Reinaldo e Clodoaldo (Clayton, 32’2/T)
Técnico: Beto Almeida.


GRÊMIO: Victor, Gabriel (Edílson, intervalo), Pablo, Vilson e Julio Cesar; Fernando, Léo Gago, Souza (André Lima, intervalo) e Marquinhos (Leandro, 21’/2T); Bertoglio e Marcelo Moreno
Técnico: Vanderlei Luxemburgo.


6ª Rodada – Segundo Turno – Campeonato Gaúcho 2012
Local: Estádio da Boca do Lobo, em PelotasRS
Data: 1º/4/2012, domingo, 16h00min
Árbitro: Fabrício Neves Corrêa (RS)
Auxiliares: Marcelo Barison Max (RS) e Agusto Vioni (RS)
Cartões amarelos: Carlos Augusto (PEL); Fernando, Vilson (GRE)
Gol: Reinaldo, aos 2 minutos do 1ª tempo

Biografia do Lima

April 1, 2012

Alguém deveria fazer uma biografia do centroavante Lima. É um dos maiores personagens do futebol gaúcho.

Histórias não faltam. Por exemplo: em 1987, ele “fazia de conta” que era dono do “Radical” em Ipanema.