Archive for August, 2012

Brasileirão – Grêmio 2 x 0 Vasco

August 30, 2012

E o Grêmio conseguiu mais uma importante vitória no Brasileirão. Venceu bem o Vasco, adversário direto no G4 (e por que não dizer, da luta pelo título). Não foi uma atuação brilhante, mas foi segura, o tricolor não precisou “parir uma bigorna” para conseguir os 3 pontos.

Os dois times tinham sérios desfalques e fizeram uma primeira meia hora de jogo um tanto truncada. Diante do respeito mútuo e marcação forte o Grêmio por muito tempo se viu obrigado a rodar a bola entre os seus jogadores de defesa. As chances de gol praticamente inexistiram nesse período. Nos 15 minutos finais da primeira etapa o Grêmio finalmente conseguiu empurrar o Vasco para dentro da sua área. Aos 32 Kléber teve grande chance, mas Fernando Prass salvou. Mas aos 41, Marquinhos cruzou na direção do gol, o goleiro soltou e Marcelo Moreno aproveitou o rebote.

Cristovão mexeu nos seu time para o segundo tempo. O jogo ficou mais aberto. Marcelo Moreno foi lançado por Marquinhos e só não ampliou devido a um providencial carrinho de Douglas. O Vasco teria boa chance de empatar, mas o juiz marcou uma falta duvidosa de Tenorio quando este sairia na cara do goleiro. O confronto seguiu nessa toada até os 13 minutos, quando Kléber chutou de esquerda e contou com o desvio na zaga para marcar o segundo. O ganhador do jogo já parecia estar definido, mas o Vasco seguiu atacando e esteve muito perto de descontar em duas cabeçadas, mas Marcelo Grohe teve sorte e competência para manter o zero no seu lado do placar. Aos 40, foi a vez do Grêmio quase marcar na cabeçada de Zé Roberto, Mas o jogo terminou em 2×0.


Menos de 20 mil pagantes em um jogo dessa importância. Eu não consigo entender. É o preço dos ingressos? É o horário?

Acho que Luxemburgo fez bem em comentar sobre a desnecessária corneta que se ouve no estádio. Alguém um dia vai me explicar porque se vê tanto ódio em relação ao Marquinhos.

O time se portou bem sem Elano e Gilberto Silva. A estrutura foi mantida.

Fotos: Guilherme Testa, Lucas Uebel (Grêmio.net) e Ricardo Giusti (Correio do Povo)

Grêmio 2 x 0 Vasco

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Pará, Naldo, Werley e Anderson Pico; Fernando, Souza, Marquinhos (Marco Antônio, 19’/2ºT) e Zé Roberto; Kleber (André Lima, 30’/2ºT) e Marcelo Moreno (Leandro, 19’/2ºT).
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

VASCO: Fernando Prass, Auremir, Dedé, Douglas e William Matheus; Nilton, Eduardo Costa, Felipe (Wendel, 16’/2ºT) e Carlos Alberto (Pipico, 16’/2ºT); Wilian Barbio (Tenório, intervalo) e Alecsandro.
Técnico: Cristovão Borges


20ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2012
Data: 29 de agosto de 2012, Quarta-feira, 22h00min
Local: Estádio Olímpico Monumental, em Porto Alegre (RS)
Público Total: 21.758 (17.770 pagantes)
Renda: R$ 336.645,50
Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira (Asp Fifa/SP)
Assistentes: Marcelo Carvalho Van Gasse (Fifa/SP) e Fabrício Vilarinho da Silva (Fifa/GO)
Cartões amarelos: Felipe (V), Leandro (G)
Gols:Marcelo Moreno aos 41 minutos do primeiro tempo e Kleber aos 13 do segundo tempo.

Advertisements

Brasileirão – Classifcação 1º Turno

August 27, 2012

O Grêmio terminou esse primeiro turno com 37 pontos (64,91% de aproveitamento) ocupando o 3º lugar. Na história do Campeonato Brasileiro por pontos corridos o clube só teve campanha melhor na edição de 2008. Abaixo seguem os números:

201124 pontos (42,10% de aproveitamento) – 14º Lugar* ,
201020 pontos (35,08% de aproveitamento) – 16º Lugar
200928 pontos (49,12% de aproveitamento) – 7º Lugar
200841 pontos (71,93% de aproveitamento) – 1º Lugar
200728 pontos (49,12% de aproveitamento) – 7º Lugar
200629 pontos (50,88% de aproveitamento) – 5º Lugar
2005 – Série B
200426 pontos (37,68% de aproveitamento) – 19º Lugar
200322 pontos (31,88% de aproveitamento) – 23º Lugar

E como o Grêmio vai no segundo turno? Costuma melhorar ou piorar o seu desempenho?

2011
24 pontos (42,10% de aproveitamento) – Igual
2010 43 pontos (75,44% de aproveitamento)Melhorou
2009 27 pontos (47,36% de aproveitamento)Piorou
200831 pontos (54,38% de aproveitamento)Piorou
200730 pontos (52,63% de aproveitamento)Melhorou
200638 pontos (66,66% de aproveitamento)Melhorou
2005 – Série B
200413 pontos (18,84% de aproveitamento) Piorou
200328 pontos (40,58% de aproveitamento)Melhorou

Em quatros ocasiões o aproveitamento do Grêmio melhorou, em três piorou e e em uma seguiu o mesmo.

Um levantamento da Zero Hora da conta que os campões costumam ter aproveitamento pior no segundo turno. Diante disso, a pergunta que resta é: O Grêmio costuma melhorar ou piorar a sua colocação no final do campeonato em relação ao que ocupava no final do primeiro turno?

2011Primeiro Turno: 14º Lugar – Segundo Turno: 12º Lugar – Melhorou
2010 – Primeiro Turno: 16º Lugar – Segundo Turno: 04º Lugar – Melhorou
2009 – Primeiro Turno: 07º Lugar – Segundo Turno: 08º LugarPiorou
2008 – Primeiro Turno: 01º Lugar – Segundo Turno: 02º LugarPiorou
2007 – Primeiro Turno: 07º Lugar – Segundo Turno: 06º Lugar – Melhorou
2006 – Primeiro Turno: 05º Lugar – Segundo Turno: 03º Lugar – Melhorou
2005 – Série B
2004 – Primeiro Turno: 19º Lugar – Segundo Turno: 24º Lugar Piorou
2003 – Primeiro Turno: 23º Lugar – Segundo Turno: 20º Lugar – Melhorou

Ou seja, em cinco ocasiões o Grêmio melhorou a sua colocação e em três piorou a sua posicão em relação ao primeiro turno.

*Jogo contra o Santos havia sido adiado para 5 de outubro







Fonte: Correio do Povo e Bola na Área

Média de público no Brasileirão 2012: 11.796

Grêmio no 1º Turno. 9 jogos no Olímpico. Média de público total: 23.927 Média de público pagante: 19.124
Inter (13.808 total/ 11.654 pagantes)

Brasileirão – Inter 0x1 Grêmio

August 26, 2012

É possível afirmar, sem nenhum dúvida, que esse foi um Gre-Nal típico. Tivemos um jogo pegado, disputado, corrido. Não tivemos um bom futebol, mas isso nunca foi uma característica dos clássicos. Embaixo de chuva os minutos inicias não tiveram tanto estudo e logo aos 7, Anderson Pico fez um cruzamento buscando Marcelo Moreno, Juan e Muriel tentaram cortar, o zagueiro acabou cabeceando para frente da área e Elano empurrou a bola para o gol vazio. A partir daí a iniciativa foi toda colorada. Cabe aqui aquela velha pergunta: foi o time que estava perdendo que foi para cima ou foi o time que estava ganhando que recuou? O Grêmio ficou muito pouco com a bola e não foi tão eficiente na marcação. Os zagueiros ficavam constantemente no combate mano a mano com os atacantes. Mesmo sem fazer grandes jogadas o Inter esteve muito perto de empatar. Por sorte os avantes colorados não conseguiram aproveitar as falhas da defesa tricolor.

Apesar de alguns sustos logo na volta do intervalo, o segundo tempo foi mais tranquilo para o Grêmio. As chances coloradas já não eram tão claras e o tricolor conseguia sair mais pro jogo. O Inter parece ter cansado após os 15 minutos. As mudanças de Luxemburgo foram mais felizes do que as de Fernandão (Leandro entrou bem) e o Grêmio teve algumas chances para aumentar. Mas o placar final foi mesmo o 1×0 estabelecido no início.

O Grêmio acabou sendo o justo vencedor, mesmo sem ter feito uma grande atuação. Foi um pouco mais consistente que o adversário e aproveitou melhor as oportunidades que apareceram.

Marcelo Grohe fez um baita clássico. O jogo era difícil e ele saiu muito bem, sabendo jogar com as condições climáticas que se apresentavam.

Pico segue inconstante. Deu um grande passe no lance do primeiro gol, ao mesmo tempo que protagonizou lances bisonhos.

Souza passou tranquilidade no meio de campo. Sempre “limpa” a jogada.

Quem viu pênalti do Werley tem que admitir o pênalti do Nei no final do jogo. Questão de coerência. Não vi intenção de nenhum dos dois em colocar a mão na bola. Acho curioso que somente alguns toques de mão dentro do assunto viram pauta.

Foram pouco mais de dez mil espectadores. Segundo menor público dos jogos do Brasileirão 2012 em Porto Alegre (Só perde para Inter x Atlético-GO). Deve ser uma marca negativa em Grenais “quentes”. Precisava ser assim? O que explica? A chuva? O preço dos ingressos? A violência? a condição do estádio?

Fotos: Lucas Uebel (Grêmio Oficial) e Guilherme Testa (Guilherme Testa)

Inter 0x1 Grêmio
Elano 7´

INTERNACIONAL: Muriel, Nei, Bolívar, Juan e Fabrício; Ygor (Dátolo, 26’/2ºT), Guiñazú, Fred e Kleber (Dagoberto, 11’/1ºT); Forlán (Rafael Moura, 33’/2°T) e Leandro Damião
Técnico: Fernandão.

GRÊMIO: Marcelo Grohe, Pará, Werley (Naldo, 24’/2ºT), Gilberto Silva e Anderson Pico; Fernando, Souza, Elano (Marquinhos, 15’/1ºT) e Zé Roberto; Kleber e Marcelo Moreno (Leandro, 16’/2ºT)

Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

19ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2012
Data: 26/8/2012, domingo, 16h00min)
Local: Beira-Rio, Porto Alegre (RS)
Público: 10.617 (8.840 pagantes)
Renda: R$ 176.420,00
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (Fifa-RS)
Assistentes: Altermir Hausmann (Fifa-RS) e Rafael da Silva Alves (RS)
Cartões amarelos: Marquinhos, Gilberto Silva, Anderson Pico (G); Fabrício, Juan, Dagoberto, Fred (I).
Gol: Elano, aos 7 minutos do primeiro tempo.

Sulamericana – Coritiba 3×2 Grêmio

August 21, 2012

O fato da noite é que o Grêmio fez o resultado que precisava para classificar na Sulamericana, e não como há achar isso, por si só, ruim. O problema é a forma como o jogo transcorreu. O tricolor adotou uma postura estranha, jogando excessivamente aberto, beirando o “faceirismo”. E isso ficou claro logo aos 6 minutos quando Roberto saiu sozinho na frente de Marcelo Grohe. Antes dos 10 minutos o Grêmio deu a resposta e perdeu duas boas chances com Pará e Kléber. O jogo era franco, o que não era lá muito interessante para quem pretendia adminsitrar uma vantagem. Aos 22 Robinho foi lançado desacompanhado nas costas de Anderson Pico e cruzou rasteiro. Everton Ribeiro dominou, disputou com Gilberto Silva e abriu o marcador. A torcida do Coxa se animou, o Grêmio sentiu o golpe mas reagiu ainda no primeiro. Aos 40 Kléber sofreu pênalti de Pereira e Elano converteu. Parecia que os 45 minutos finais seriam mais tranquilos.
Mas não foram. E isso não se deu por um crescimento do Coritiba e sim pela partida lamentável que fez o Grêmio. O tricolor abusou de errar passes e foi frouxo na marcação. Os adversários avançavam livremente pelo meio de campo e defesa gremistas. Aos sete minutos, Roberto emulou Fabinho na Libertadores de 1997 e mancando marcou um gol no Grêmio. O time de Luxemburgo parecia indolente frente a situação. As mudanças feitas no intervalo puxaram o desempenho para baixo e aos 20 Pereira aproveitou uma linha de impedimento mal feita e marcou o 3×1. O Grêmio foi buscar um gol salvador. Tentou bastante, os avantes brigaram muito, mas as jogadas fatalmente tinham um desfecho bizonho. Até que aos 44 Marcelo Moreno aproveitou um chute mascado de Souza e salvou o Grêmio de um fiasco.

Sim, foi isso que aconteceu. O Grêmio simplesmente evitou um fiasco no último minuto. Nada de heroismo, de imortalidade ou de copeirismo. É claro que pode ser considerado aceitável uma eliminação no Couto Pereira. O problema é que ontem o Coritiba precisou jogar muito pouco para fazer três gols no Grêmio.


É óbvio que o ideal é vencer todos jogos jogando bem, mas a situação de ontem pode ser positiva para o Grêmio. O time tomou um susto mas segue vivo na competição. Não houve maiores prejuízos. Pode se tornar uma lição para evitar salto alto/apatia no futuro.

Não só os jogadores, mas a direção e a comissão técnica precisam mudar a forma como encaram a Sulamericana. A decisão de poupar jogadores antes e durante o jogo não é condizente com o discurso que garante que o clube da importância a competição.

Se a falta do Pereira no Kléber fosse feita fora da área ninguém questionaria a marcação. Um exemplo disso: Ninguém falou nada da falta que originou o gol do Coritiba no Brasileirão.

Como disse no post anterior, Anderson Pico é demasiadamente insconstante. Foi um dos destaques positivos contra o Figueirense. Ontem foi, juntamente com Naldo, um dos piores em campo. As laterais seguem sendo um problema grave do Grêmio.

Olhando pragmaticamente: 4 vitórias e 4 empates colocam o Grêmio na Libertadores via Sulamericana. Creio que o time vai ter que fazer bem mais para alcançar a mesma condição no Brasileirão.

Fotos: Felipe Gabriel (Lance) e Lucas Uebel (Grêmio.net)

Coritiba 3×2 Grêmio

CORITIBA: Vanderlei; Ayrton, Pereira, Escudero e Lucas Mendes; Willian, Chico (Thiago Primão, 18’/2ºT), Robinho (Junior Urso, 27’/2ºT), Everton Ribeiro e Rafinha; Roberto (Lincoln, 13’/2ºT)
Técnico: Marcelo Oliveira.

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Pará, Werley, Gilberto Silva (Naldo, intervalo) e Anderson Pico; Fernando (Leandro, 25’/2ºT), Souza, Elano (Zé Roberto, intervalo) e Marquinhos; Kleber e Marcelo Moreno
Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

Copa Sul-Americana – 2ª fase – jogo de volta
Data: 22/08/2012, quarta-feira, 19h30min
Local: Estádio Couto Pereira, eum Curitiba-PR
Público total: 16.736 (14.726 pagantes)
Renda: R$ 252.761,00
Árbitro: Wilson Seneme
Assistentes: Alessandro Rocha e Emerson de Carvalho; 4º árbitro: Francisco Nascimento; 5º árbitro: Ednilson Corona
Cartões amarelos: Pereira, Chico, Escudero (Coritiba); Souza, Fernando, Kleber (Grêmio)
Cartões vermelhos: Pará (46’/2ºT)
Gols: Everton Ribeiro (Coritiba), aos 22 minutos do primeiro tempo; Elano (Grêmio), aos 40 minutos do primeiro tempo; Roberto (Coritiba), aos sete minutos do segundo tempo; Pereira (Coritiba), aos 20 minutos do segundo tempo; Marcelo Moreno (Grêmio), aos 44 minutos do segundo tempo.

Camisa preta 2012

August 21, 2012


Eu confesso que não sou um dos maiores entusiastas da idéia do Grêmio utilizar um uniforme reserva preto. Não me entusiasmei com a ideia da camisa shadow de 2005 (e suas versões posteriores). Não se trata de purismo, apenas uma predileção pela camisa celeste com uniforme reserva.
Contudo, entendo que existe uma demanda por uma camisa de jogo dessa cor. Achei que a idéia de uma linha toda preta poderia ser legal, muito embora não fosse um projeto muito original (Umbro fez para o Cosmos, Nike para a Seleção Brasileira). Mas não gostei do resultado final.

Achei que a camisa de jogo tem muito azul e branco para um uniforme que deveria ser todo preto. Eu teria optado/tentado por estampar os patrocinadores, fornecedores, números, nomes e distintivos em tons de cinza ou preto, tal como é a camisa de passeio (Com os devidos ajustes em função da visibilidade, é claro. A solução de colocar o número em azul e o restante das marcas em branco já foi usada na camisa azul marinho do ano passado e na minha opinião “quebra” com a idéia de uma camisa toda negra.

Também não entendi porque foram lançados mais um calção e mais uma meia preta. E não entendi o porque dos detalhes em azul e branco nos dois, uma vez que não guardam nenhuma relação com a camisa. A meia lembra muito a que a Puma fez para o Grêmio em 2005. E a fonte do número em remeteu fonte feita pela Puma para a Euro 2012 e da Reebok usada em 2006.

Enfim, não achei a camisa feia. Classificaria como “sem graça”. Não era o que eu esperava quando ouvi o conceito de “black project”.





Brasileirão – Grêmio 4×0 Figueirense

August 19, 2012

O Grêmio precisava reagir depois da inesperada derrota para a Portuguesa. O Figueirense chegou em Porto Alegre em franca decadência, ocupando a lanterna da competição. O Grêmio fez a sua parte. Goleou. 2 vira, 4 ganha. E fez isso tudo jogando bem, com bom toque de bola e correndo poucos riscos. O ataque tricolor mostrou mais movimentação do que nos últimos jogos, não só pela velocidade de Leandro, mas também pela postura de Marcelo Moreno, que buscava o jogo pelas pontas. E foi pelas pontas que o Grêmio criou mais chances. Mas, apesar do domínio gremista o gol só saiu aos 35 minutos. Anderson Pico lançou Marcelo Moreno, que segurou a bola até a chegada do mesmo Pico, que devolveu para Moreno, que por sua vez deixou Elano com o gol vazio para marcar o 1×0. Cinco minutos depois, Moreno deu nova assistência e Leandro marcou o segundo gol da partida.

O Figueirense não mostrou nenhuma reação no segundo tempo. Os atletas alvinegros protagonizaram lances típicos de time que flerta com o rebaixamento. E não há melhor exemplo disso do que a jogada do terceiro gol. O zagueiro resolveu dar um chutao pela linha da fundo e conseguiu deixar Leandro com o gol aberto. O Grêmio administrou o restante do tempo e marcou o quarto aos 44, quando André Lima aproveitou o rebote do chute de Marquinhos.

Marcelo Moreno não fez gol, mas foi o melhor em campo, o que pode parecer paradoxal.

Zé Roberto foi outro que esteve muito bem. Vi ele jogando mais aberto pelos lados, enquanto Elano permaneceu mais centralizado. Uma inversão em relação ao que vinha acontecendo nos últimos jogos.

Um dos debates mais antigos do futebol é se é a torcida que empurra o time ou se é o time que levanta a torcida. Eu não tenho resposta para essa questão, mas lembrei disso ao entrar no Olímpico hoje. O clima era completamente diferente do que foi visto na quarta. Na arquibancada e no gramado.

Depois de uma sequência de más atuações o Fernando voltou a jogar bem.

Três gols marcados por jogadores reservas. Mas dizem que o Grêmio “não tem grupo” .

Não culpo um treinador que aposte no Anderson Pico. E não culpo um treinador que desista do Anderson Pico. É um jogador inconstante. Hoje, foi dar um chutão pra frente e soltou uma rosca pela lateral. Minutos depois deu um lançamento primoroso e um belo passe no lance que originou o primeiro gol do Grêmio.

Cerca de 40% dos 30 mil torcedores no Olímpico hoje eram não-pagantes. Tal fato provoca algumas perguntas : O Clube não deveria repetir esse tipo de promoção com mais frequência? Não seria o caso de rever o preço dos ingressos? Existe uma demanda por ingressos mais baratos?

Achei meio sem graça esse uniforme preto. Esperava algo diferente de algo intitulado “Linha Black Project

Fotos: Lucas Uebel (Grêmio.net), Leonardo Osmarin (Grêmio Fotos) e Guilherme Testa

Grêmio 4×0 Figueirense

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Edilson, Werley, Gilberto Silva e Anderson Pico; Fernando, Souza, Elano (Marquinhos, 13’/2ºT) e Zé Roberto (André Lima, 29’/2ºT); Leandro (Marco Antônio, 22’/2ºT) e Marcelo Moreno
Técnico: Vanderlei Luxemburgo.


FIGUEIRENSE: Wilson, Léo (Elsinho, Intervalo), Guti, Fred e Guilherme Santos (Doriva, Intervalo); João Paulo, Claudinei, Diogo (Marquinhos, Intervalo) e Fernandes; Caio e Aloísio
Técnico: Hélio dos Anjos

18ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2012
Data: 19 de agosto de 2012, domingo, 16h00min
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre (RS)
Público Total: 30.509 (18.205 pagantes)
Renda: R$ 380.899,00
Árbitro: Wilson Luiz Seneme (Fifa-SP)
Auxiliares: Fabrício Vilarinho da Silva (Fifa-GO) e Thiago Gomes Brigido (GO)
Cartões amarelos: Leandro, Gilberto Silva e Fernando (GRE); Marquinhos e Elsinho (FIG)
Gols: Elano (35min/1ºT); Leandro (40min/1ºT e 4min/2ºT) e André Lima (44min/2ºT).

Brasileirão – Grêmio 1 x 2 Portuguesa

August 16, 2012

Poderia não estar no planos, mas não pode ser considerado surpreendente o resultado de ontem no Olímpico. A Portuguesa vinha de uma sequência invicta, e jogou fechada, especulando no contra-ataque (que é uma postura que via de regra vem dificultando a vida desse time do Grêmio). E ainda na primeira meia hora de jogo deu pra perceber que a equipe tricolor não estava numa jornada feliz. O Grêmio tinha a posse de bola, mas era lento. Quando o time tentava acelerar o andamento acabava errando o passe. Os zagueiros participaram por demais da armação das jogadas. A Portuguesa saiu na frente e não teve a sua meta ameaçada no primeiro tempo.

No segundo o Grêmio foi pra cima, mas sem melhorar o nível do seu futebol. A torcida se enervou, o juiz se atrapalhou mas a Portuguesa seguiu firme na sua proposta e parecia confortável com o andamento da partida. Luxemburgo tentou alterar o panorama, mas as entradas de Marquinhos, Leandro e Léo Gago deram pouco resultado. A Portuguesa marcou o segundo aos 35 e o Grêmio só conseguiu descontar aos 43, quando já era tarde demais.

Foi uma jornada infeliz do Grêmio como um todo.Poderia até ganhar o jogo em lances isoladas, ou na superação, mas em uma rara falta bem batida a bola encontrou o travessão. Num raro cruzamento bem executado a cabeçada saiu torta. Assim o Grêmio não conseguiu superar uma Lusa bem montada pelo Geninho.

Eu confesso que não vejo tanta diferença técnica entre os 20 times do Brasileirão. O Grêmio não é muito diferente da Portuguesa, do São Paulo ou mesmo do Atlético Mineiro. Assim, a organização, o foco, a vontade e o aproveitamente das oportunidades acaba fazendo a diferença. Ontem o Grêmio entrou um pouco devagar e encontrou um adversário bem organizado, que soube converter as poucas chances criadas. O resultado acabou sendo justo para o que se viu em campo.Link

Kléber se atirou dentro da área e recebeu um merecido cartão amarelo. Mas tem dois lances em que o André Lima cai/é derrubado na área que eu gostaria de ver replay, mas aparentemente a arbitragem no Olímpico só vira assunto quando o Bahia é prejudicado.

Marcelo Grohe falhou no segundo gol da Portuguesa. Goleiros falham. Sem exceção. Se continuarmos a inventar teses a cada erro nao vai sobrar ninguem pra defender o arco gremista.

Luxemburgo vem tirando o Edilson na imensa maioira dos últimos jogos. Não seria o caso de repensar a titularidade dele?

É difícil entender como o Dida ficou tanto tempo sem jogar.

Fotos: Lucas Uebel (Grêmio Oficial)

Grêmio 1 x 2 Portuguesa

GRÊMIO: Marcelo Grohe, Edilson (Leandro 13’/2ºT) , Naldo, Gilberto Silva e Pará; Fernando (Marquinhos 28’2ºT), Souza (Léo Gago 31’2ºT), Elano e Zé Roberto; Kleber e André Lima.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo


PORTUGUESA: Dida, Luis Ricardo, Rogério, Gustavo e Marcelo Cordeiro; Ferdinando, Boquita, Léo Silva e Moisés (Diego Augusto 35’2ºT); Ananias (Diego Viana 20’/2ºT) e Bruno Mineiro (Bruninho 43’2ºT).
Técnico: Geninho


17ª Rodada Campeonato Brasileiro 2012
Data: 15/8/2012, quarta-feira, 19h30min
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre (RS)
Público Total: 19.406 (15.798 pagantes)
Renda: R$ 283.912,00
Árbitro: Antonio Denival de Morais (PR)
Cartões amarelos: André Lima, Kléber e Pará; Ivan, Boquita, Bruno Mineiro e Dida.
Gols: Ananias 26’/1ºT (0-1), Bruno Mineiro 35’/2ºT (0-2) e Kléber 43’/2ºT (1-2)

1977 – Gauchão – Grêmio 2×1 Inter

August 14, 2012

1977 gol iura certo1977 IURA ZH Telmo Cúrcio da Silva V

Há 35 anos o Grêmio vencia o Inter por 2×1, no clássico disputado no Olímpico pelo Gauchão de 1977. O resultado praticamente encaminhou a conquista do segundo turno da competição pelo tricolor.

Esse GreNal entrou para história em virtude do gol de Iúra, marcado logos aos 14 segundos de jogo.

Mas também foi marcado por outros fatos. Como já foi abordado em aqui no blog, o clima da competição era tenso. O Grêmio cansou de se queixar da FGF e rompeu com a entidade e pedindo seu afastamento do certame.

Na semana grenal, o inevitável debate sobre quem seria o árbitro aconteceu. O Inter deixou bem claro que queria Agomar Martins no apito. O Grêmio disse que não se manifestaria sobre o assunto, uma vez que tinha cortado relação com a Federação. Contudo, o Vice de futebol gremista, Nelson Olmedo aproveitou a ocasião para cutucar: “se a direção do Inter escolher o árbitro, não ficarei surpreso, pois acredito que o fato não é novidade.”

Coincidência ou não, o comando da arbitragem coube a Agomar. O Grêmio saiu na frente com o gol relâmpago de Iura e ampliou com Tarciso no início do segundo tempo. Hermínio descontou para os colorados aos 8 da etapa final. Aos 38, Dario foi lançado e foi derrubado por Ancheta dentro da área. Agomar apitou a infração e imediatamente foi pressionado pelos atletas gremistas. O bandeirinha foi consultado e Agomar acabou marcando falta fora da área. Valdomiro cobrou na trave e o jogo encerrou 2×1.

Encerrou com uma briga generalizada, iniciada por Éder e Batista. Dias depois, Agomar Martins pediu licenciamento do quadro de árbitros da FGF.

Os jornais da época registram que, apesar do erro do juiz, o Grêmio foi melhor que o Inter na partida. Ibsen Pinheiro disse que “no jogo o Grêmio foi melhor” e Cid Pinheiro Cabral afirmou que “O Grêmio venceu e mereceu”.

Outro fato digno de nota foi a divisão das torcidas. Já registrei no blog a celeuma em torno da colocação da torcida visitante. Mesmo com o estádio em obras, foram colocados a venda 58 mil ingressos. Segundo a Folha da Tarde: “A torcida do Inter quebrou um grade de proteção e passou para o local que o Grêmio tinha reservado para seus sócios, mas que estava vago. Na passagem, arrancaram bandeiras do Grêmio, um distintivo de madeira e a faixa “Olímpico Total”. Destruíram também parte da cobertura do material da obra e ficaram tranquilamente no território conquistado.”

Seguem abaixo algumas reportagens sobre aquela partida:

Folha da Tarde


” – Não, com este olho roxo não.
– Mas não é a cores!
– Não, não fica bem, sou teu faixa, mas não insiste, hoje não
(Diálogo de Falcão e de um repórter de tv, domingo depois do Gre-Nal)

Edegar Schmidt – Folha da Tarde 16 de agosto de 1977

Zero Hora



 

A reportagem da Grêmio.Net conversou com Iúra sobre aquele momento:

Grêmio.Net: Iúra, o que você mais lembra daquele gol?

Iúra: O que eu mais me lembro é que foi um gol que serviu pra eu tirar um peso das costas. Sempre fui muito respeitado tanto pela torcida do Inter quanto pela torcida do Gremio graças as minhas atuações convincentes. Ainda assim, elas não revertiam em títulos. Quando fiz aquele gol, senti, naquele momento, que o título era nosso. Tanto que saí fora do meu normal. Corri pra torcida e sentindo a energia daquela massa. Foi uma coisa espetacular. Inesquecível!

Grêmio.Net: Você lembra como foi a jogada do gol?

Iúra: Era uma jogada ensaiada pelo Telê Santana. Mas o interessante é que ela não terminava comigo e sim com o Tarciso na direita. Na hora da saída de bola, senti que o Tarciso não tinha corrido. Aproveitei minha velocidade e fui concluir o cruzamento do Eder. Só tive trabalho de colocar para as redes. Tenho que agradecer à ajuda divina e ao Telê que me deixou na história.

Grêmio.Net: E como você curte essa repercussão durante estes 30 anos? Até hoje as pessoas relembram esse gol.

Iúra: Onde quer que eu vá, seja convidado para participar dos veteranos do Grêmio, ou para proferir uma palestra, ou até mesmo num bate-papo sobre futebol, o gol dos 14 segundos sempre é lembrado, seja pelos torcedores do Grêmio como pelos colorados. Esse gol ficou registrado em fotos e nas rádios, mas acho que o Grêmio não tem em vídeo. Uma pena. Ele deveria estar registrado em todas as fitas que mostram as imagens da história do Clube.

Placar



Fotos:
Folha da Tarde, Grêmio.net, Placar e Zero Hora

Grêmio 2×1 Inter

GRÊMIO: Corbo; Eurico, Ancheta, Oberdan e Ladinho; Vítor Hugo, Tadeu Ricci e Iúra (Zequinha); Tarciso, André Catimba e Eder Aleixo
Técnico: Telê Santana

INTERNACIONAL: Manga; Hermínio, Beliato, Garde e Vacaria; Caçapava (Escurinho), Batista e Falcão; Valdomiro, Luisinho e Lula (Dario)

Técnico: Sérgio Moacir

Segundo Turno -Campeonato Gaúcho 1977
Data: 14 de agosto de 1977, domingo
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre-RS
Público: 45.868 pagantes
Renda: Cr$ 1.097,780,00
Árbitro: Agomar Martins
Auxiliares: Justimiano Goulart e Hermínio Goulart
Cartões Amarelos: André, Éder, Oberdan, Ancheta, Gardel e Batista
Cartões Vermelhos: Éder e Batista
Gols: Iúra, aos 14 segundos do 1ºtempo. Tarciso aos 3 minutos do 2º tempo e Hermínio aos 8 do 2º tempo

Brasileirão – São Paulo 1×2 Grêmio

August 13, 2012

Esse era um jogo de grande importância no campeonato. Perdendo, o Grêmio veria os líderes desgarrando e o São Paulo chegando no seu encalço. Mas o time se portou bem, conquistou a vitória e voltou de dois jogos fora de casa com quatro pontos na bagagem. Parece haver um consenso de que o Grêmio esteve melhor na partida. Mas isso não signfica que o jogo foi fácil. O São Paulo criou dificuldades. O Grêmio conseguia, por méritos, chegar bem no ataque. Seja com Elano pela direita, seja pela esquerda com Kléber ou M. Moreno ou mesmo em bolas paradas. Mas Rogério Ceni só trabalhou no primeiro tempo em uma conclusão de Elano. E embora não fosse tão brilhante, o São Paulo concluiu mais, e abriu o placar aos 39 com Cícero. A partir daí o Grêmio viveu seu pior momento na partida e só não levou o segundo gol em função de uma grande defesa de Marcelo Grohe.

O Grêmio não se abalou e tratou de mostrar que o resultado do primeiro tempo era injusto. O time seguiu colocando a bola no chão e conseguiu bloquear melhor os avanços São-paulinos. Luxemburgo viu que havia espaço para seu time jogar e colocou Marquinhos no lugar de Fernando. E foi o meia que cobrou um escanteio aos 21, que Werley desviou de cabeça, empatando o jogo. A partida seguiu franca, o São Paulo se abriu, o Grêmio teve ao contra-ataque e aos 46, Werley arrancou do campo de defesa carregando a bola ao ataque. Zé Roberto foi acionado e cruzou para Kléber, que por sua vez serviu André Lima, que de carrinho estabeleceu o 2×1 final.

Eu não achei tão ruim assistir o jogo no Morumbi. Pelo que lia e ouvia, imaginava que fosse maior a distância da arquibancada até o campo. Outras coisas incomodam mais, como a ausência de qualquer tipo de cobertura e o sol castigando a tarde inteira.

Marquinhos entrou bem mais uma vez. Em poucos dias deixou de ser imprestável e passou a ser útil no conceito de alguns. Um pouco mais de calma nas análises e nas sentenças definitivas faria bem a todos.

Me pareceu que o Grêmio marcou pouco na frente. Achei que os volantes do São Paulo tiveram muito liberdade para jogar.

Ainda vou entender para o que serve o quinto árbitro. No Morumbi, Rogério Ceni foi cobrar uma falta e o gandula por duas vezes tentou esconder a bola que fica ao lado do gol, sem ser advertido pela arbitragem.

Fotos: Dorival Rosa (Vipcomm)

São Paulo 1×2 Grêmio

SÃO PAULO: Rogério Ceni; João Filipe, Casemiro (Willian José – 36’/2ºT) e Rhodolfo; Douglas, Denilson, Maicon, Jadson e Cortez; Ademilson e Cícero.
Técnico: Ney Franco.

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Edilson, Werley, Gilberto Silva e Pará; Fernando (Marquinhos – 18’/2ºT), Souza, Elano (Léo Gago – 43’/2ºT) e Zé Robeto; Kleber e Marcelo Moreno (André Lima – 33’/2ºT).

Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

16ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2012
Data: 12/8/2012, domingo,16h00min
Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Público: 15.386 (14.490 pagantes)
Renda: R$ 326.142,00
Árbitro: Elmo Resende Cunha (GO)

Assistentes: Alessandro Rocha de Matos (FIFA/BA) e Kleber Gil (SC)
Cartões Amarelos: Denilson, Douglas, Cortez, João Filipe (SPO) Kleber, Werley, Marcelo Moreno (GRE)
Gols: Cícero, aos 39 minutos do primeiro tempo (SPO); Werley, aos 21 minutos do segundo tempo (GRE) e André Lima, aos 46 minutos do segundo tempo (GRE)

Brasileirão – Ponte Preta 0x0 Grêmio

August 13, 2012

O time da Ponte Preta se mostrou um adversário chato. Promoveu uma correria precavida, querendo jogar no erro do Grêmio e buscando o gol no contra-ataque, ainda que jogasse em casa. E o tricolor tratou de não errar, de não propiciar o contragolpe aos mandantes. Assim o jogo foi tenso, peleado durante os 90 minutos. Somente nos 20 finais é que o Grêmio foi conseguir impor um domínio, colocando bola na trave, criando chances, mas o gol não saiu.

O empate não foi de todo ruim, mas ficava claro que se ouvia nas rádios de Campinas que era o time da casa que comemorava mais o ponto conquistado.


Não foi a primeira vez que Luxemburgo sacou Edilson e passou Pará para a lateral direita em virtude de um atacante adversário que joga aberto por ali. Em parte ele solucionou o problema do setor. Mas nesse jogo ele acabou criando outro problema na esquerda. Leo Gago entrou mal como lateral improvisado.

Só percebi in loco que a torcida da Ponte canta uma versão da música do Sidney Magal.

Eu bem que tentei, mas não consegui ver charme no velho estádio da Ponte Preta. Talvez o Moíses Lucarelli seja aconchegante para quem assiste ao jogo nas laterais do campo, mas o local da torcida visitante é bem mal localizado para um estádio de menos de 20 mil pessoas.

Fotos: Marcos Bezerra (Terra)

Ponte Preta 0x0 Grêmio

PONTE PRETA: Edson Bastos, Gerônimo, Diego Sacoman, Gustavo e João Paulo; Baraka, Somália (Renê Jr – 28’/2ºT), Cicinho e Marcinho (Caio – 22’/2ºT); Rildo (Ricardinho, aos 38 do 2ºT) e Roger.
Técnico: Gilson Kleina.

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Edilson (Léo Gago – 37’/1ºT), Werley, Gilberto Silva e Pará; Vilson (Marquinhos – 12’/2ºT), Souza, Elano e Zé Robeto; Kleber e Marcelo Moreno (André Lima – 27’/2ºT).
Técnico: Vanderlei Luxemburgo.


15ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2012
Data: 9/8/2012, quinta-feira, 21h00min
Local: Moisés Lucarelli, em Campinas (SP)
Público: 9.010 pagantes
Renda: R$ 84.709,00
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães
Assistentes: Dibert Pedrosa Moraes e Rodrigo Henrique Correia.
Cartões Amarelos: Edilson, Léo Gago (GRE); Gustavo, Rildo (PON)