Archive for September, 2012

Brasileirão – Grêmio 2 x 0 Náutico

September 14, 2012

Como era de se esperar, o confronto contra o Náutico foi uma partida de paciência. Os visitante assumiram a condição de “franco atirador” e esperam o Grêmio no seu campo de defesa. O time de luxa foi para cima, novamente com os laterais bem projetados. Mas faltava drible, faltava infiltração, faltava tabela e aproximação entre os atletas. O Grêmio chegou perto de fazer o 1×0, mas em chutes de longa distância e cruzamentos na área (como no lance em que Souza carimbou o travessão).

As substituições feitas no intervalo deixaram o Grêmio com três atacantes e somente um volante. O time aumentou a velocidade e o volume do seu jogo. Mas o gol só saiu num chute de longe. Aos 15 minutos Marco Antônio arriscou da intermediária e Gideão aceitou. 1×0 Grêmio. O Náutico saiu um pouco para tentar o empate, mas a partida seguiu sem maiores ocorrências até os 46 minutos do segundo tempo, quando Leandro passou, Elano fez o corta luz e Kléber marcou o segundo girando em cima do zagueiro.
Ontem o “reserva do reserva” abriu o placar. Mas o Grêmio não tem grupo, né?

17 mil pagantes ontem. Segue a mesma média.

Apesar de toda “porra louquice” eu simpatizo com o Anderson Pico. Acho que o arremesso lateral dele pode ser uma arma. Mas ele não precisa tentar isso em todas as oportunidades.

Achei o Grêmio excessivamente aberto ontem. Os zagueiros ficaram muito expostos. O time deixou espaços, o Náutico é que não soube/conseguiu aproveitar.

Fotos: Lucas Uebel (Grêmio Oficial)

Grêmio 2 x 0 Náutico

GRÊMIO: Marcelo Grohe, Pará, Werley, Gilberto Silva e Anderson Pico; Fernando (Marco Antônio), Souza, Elano e Marquinhos (Leandro – Intervalo); Kleber e Marcelo Moreno (Léo Gago – 25’/2ºT).
Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

NÁUTICO: Gideão, Patric, Alemão, Jean Rolt e Lúcio; Elicarlos, Souza (João Paulo – 23’/2ºT), Martinez (Josa – 26’/1ºT) e Lúcio (Kim – 23’/2ºT); Rhayner e Rogério.
Técnico: Alexandre Gallo


24ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2012
Data: 13/9/2012, quinta-feira, 21h00min
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre (RS)
Público Total: 27.178 (17.932 pagantes)
Renda: R$ 339.631,50
Árbitro: Héber Roberto Lopes (Fifa-PR)
Auxiliares: Edinei Guerreiro Mascarenhas (Fifa-RJ) e Luiz Antonio Muniz de Oliveira (Fifa-RJ)
Cartões Amarelos: Fernando (GRE); Patric, Jean Rolt e Josa(NAU)
Gols: Marco Antônio, 15’/2ºT e Kleber, 46’/2ºT

Advertisements

Capacidade ociosa

September 12, 2012
O Grêmio já realizou 11 dos 19 jogos marcados para Olímpico no Brasileirão desse ano. Em nenhum deles o público pagante chegou na casa dos 30 mil. E em somente um jogo a o público pagante foi inferior a 15 mil (14.878 contra o Flamengo). Ou seja, mesmo com essas variações o comportamento do torcedor gremista tem tido um certo padrão. Nem mesmo o dia da semana tem afetado tanto assim (a média dos jogos de finais de semana é e 19.644 pagantes, contra 18.733 pagantes de média no meio da semana)

Até aqui a média de público total é 25.764 pessoas por jogo.
A média de público pagante é de pouco mais de 19 mil pagantes por jogo
.

O site do clube não informa com exatidão, mas é seguro afirmar que o Olímpico tem um capacidade superior a 40 mil espectadores. Segundo o Globo Esporte, a taxa de ocupação do estádio é de 42%.

Levando em conta esses dados fica claro que o Grêmio tem uma grande capacidade ociosa no seu estádio nesse campeonato. O clube deve fazer alguma coisa a respeito disso? O que pode fazer?

Diante de uma situação parecida o São Paulo criou um setor de ingressos populares. O Grêmio poderia fazer o mesmo, mas optou por franquear a entrada de certos grupos de torcedores. Contra o Figueirense um ingresso dava direito a um acompanhante. O mesmo foi mantido contra o Atlético Goianiense, com a adição da questionável medida do “mulher não paga”.

E Olímpico no dia 05 de setembro esteve um caos. A diretoria não consultou a comissão que organiza os jogos e posteriormente reconheceu a existência de problemas no acesso ao estádio.

Era possível notar no dia que o fluxo de torcedores na Azenha naquela noite era anormal. Muitos entraram sem pagar (os não pagantes superaram os pagantes) e vários sócios e portadores de ingresso ficaram de fora do estádio. Esses mesmos elementos estavam presentes no desatre de Hillsborough em 1989. Talvez só a sorte tenha impedido a ocorrência de prejuízos mais graves no jogo do dia 05/09.

Ainda assim o Grêmio anuncia nova promoção para a partida hoje a noite contra o Náutico. Essa com o viés de assistência (o que é louvável) e com uma sistemática que deve implicar em maior controle para a administração. Poderia, por exemplo, privilegiar seu sócio-torcedor, mas creio que acima de tudo o clube deve deixar de adotar medidas tão pontuais e pensar na política de ingresso e acesso ao estádio como um todo. A transição para Arena não pode ser somente uma ocasião para uma mudança física, mas também uma mudança de mentalidade e paradigmas.

Brasileirão – Corinthians 3 x 1 Grêmio

September 9, 2012

Desde que o Corinthians venceu o Boca Juniors nenhum adversário sabe o certo o que lhe espera quando enfrenta o time do Parque São Jorge. Pode ser um time se poupando, sem foco, com a cabeça no Japão, que perde para o lanterna. Ou pode ser um time inspirado, querendo mostrar serviço para a torcida e seu treinador que é capaz de vencer o líder. No jogo de ontem, ainda que tivesse diversos desfalques, o time de Tite parecia estar numa noite mais motivada.

As primeiras ações do jogo até que foram animadoras. Com 2 minutos Elano serviu Zé Roberto que chutou por cima do gol. Mas aos cinco minutos, Ralf abriu o marcador depois de limpar uma jogada que vinha truncada, com cruzamento na área e briga por rebote. Aos 10, Guilherme marcou o segundo, concluindo uma jogada em que o Corinthians entrou lentamente trocando passes na defesa tricolor. O jogo ficou ainda mais difícil para o Grêmio. Tite já havia armado seu time no 4-5-1, no feitio para compactar o meio de campo e sair no contra-ataque. Os comandados de Luxemburgo bem que tentaram, mas tiveram muita dificuldade para atacar no primeiro tempo. O goleiro Júlio César não foi incomodado. O Grêmio só conseguia sair jogando pelo lado esquerdo (na direita Martinez bloqueava as descidas de Edílson).

O Grêmio só melhorou mesmo no segundo tempo, depois que foram feitas todas as substituições. Aos 12 Pará cruzou, Marquinhos arrancou de trás e serviu Leandro, que descontou na primeria conclusão que encontrou o arco corinthiano. Já sem nenhum volante em campo o tricolor dava mostras que poderia chegar ao segundo gol, mas não criou oportunidades tão claras. A conclusão que mais levou perigo foi a falta batida por Elano e defendida por Julio Cesar aos 31. Mas o empate gremista nao veio, o time cansou e Corinthians marcou o terceiro num belo gol de Giovanni.


Imagino que uma derrota para o Corinthians estava nos planos até dos mais otimistas. O 3×1 não é nenhum absurdo. Contudo, eu fiquei um pouco incomodado com a facilidade que o time da casa fez o 2×0 em dez minutos. E a marcação frouxa e distante no segundo gol corinthiano é inexplicável.

Pela primeira vez em muito tempo o Grêmio pareceu terminar o jogo mais cansado do que o adversário. Tal situação talvez se deva ao fato de ter que correr 85 minutos atrás no marcador.

O Grêmio teve um aproveitamento muito baixo nos escanteios. Em mais de uma ocasião o time optou pelo famigerado escanteio curto.

Leandro marcou seu quinto gol no campeonato. Superou Kléber na artilharia e igualou a marca do André Lima. E disputou a metade dos jogos do que os seus companheiros de ataque. É um dado para se pensar.

Eu acho muito legal o mecanismo de zoom que Sportv/PFC aplica em alguns lances. Espero que um dia seja usado em um lance favorável ao Grêmio.

Elano apareceu bastante no primeiro tempo, no segundo pouco participou.

Fotos: Leandro Moraes (UOL) e Leo Pinheiro (Terra)

Corinthians 3 x 1 Grêmio

CORINTHIANS: Julio Cesar; Alessandro, Wallace, Paulo André e Fábio Santos; Ralf, Guilherme (Guilherme Andrade – 29’/2ºT), Edenilson e Danilo; Martínez (Giovanni – 33’/2ºT) e Romarinho (Adilson – 43’/2ºT).
Técnico: Tite

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Edilson, Werley, Gilberto Silva e Pará; Fernando (Marco Antônio – 11’/2ºT), Souza (Marquinhos – 21’/1ºT) , Elano e Zé Roberto; Kleber e André Lima (Leandro – 11’/2ºT).

Técnico: Vanderlei Luxemburgo

23ª Rodada Campeonato Brasileiro 2012
Data: 8 de setembro de 2012, sábado, 21h00min
Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Público: 24.850 pagantes
Renda: R$ 719.138,22
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (Fifa/RJ)
Assistentes: Marcio Eustaquio (Fifa/MG) e Rodrigo Correa (RJ)
Cartões Amarelos: Zé Roberto, André Lima (GRE); Guilherme, Martínez, Danilo, Ralf, Alessandro (COR)
Gols: Ralf (5min/1ºT), Guilherme (10min/1ºT), Leandro (12min/2ºT) e Giovanni (44min/2ºT).

Wianey finalmente leu a regra do jogo

September 8, 2012
Tivemos um fato histórico do jornalismo esportivo gaúcho nessa semana. Depois de mais de 30 anos de carreira, Wianey Carlet resolveu abrir e ler o livro de regras.

Na segunda, ele escreveu em sua coluna: “Se a CBF tivesse mínimo compromisso com a disciplina, baixaria uma resolução: cartão para qualquer tipo de reclamação“.


Registrei aqui no blog que a resolução era desnecessária porque tal punição já estava prevista na regra 12 do jogo.

Para minha surpresa e para felicidade geral da nação neste sábado o colunista finalmente tomou conhecimento da referida regra, dizendo que “Segundo este item do conjunto de regras do futebol, ao jogador é vetado discutir com o árbitro, cabendo-lhe cartão amarelo sempre que infringir essa regra.


Esperar o reconhecimento do erro sobre o que foi publicado na segunda feira talvez seja um exagero. Mas fico feliz em saber que o jornalista está tomando providências quanto a sua própria ignorância.

Brasileirão – Grêmio 2 x 1 Atlético-GO

September 6, 2012

O início de partida do Grêmio foi avassalador. Empurrado por um estádio super-lotado o time tricolor foi para cima do Atlético-GO. Com os laterais bem projetados o jogo tricolor fluía bem pelos dois lados de campo. Aos dois minutos Leandro acertou o travessão. Aos 4, Elano obrigou Márcio a fazer uma grande defesa. E aos 9 André Lima sofreu falta na entrada da área. Elano cobrou por cima da barreira, deixando o goleiro sem reação. Pouco depois, Zé Roberto recebeu de Leandro, fez grande jogada e cruzou para Elano marcar o segundo. O jogo parecia resolvido antes dos 20 minutos iniciais.

Mas o andamento da partida mudou. Aos 24 o juiz marcou uma falta inexistente para o Dragão. Márcio cobrou, Marcelo Grohe deu rebote, formou-se uma confusão dentro da área, a defesa do Grêmio não afastou a bola e Marino descontou. O Grêmio não manteve o mesmo ritmo no restante da partida, criou chances para ampliar (cabeçeada de André Lima, chute desviado de Elano e tenativa de cobertura de Zé Roberto) mas não controlou tanto a partida, não reteve a bola no ataque. O Atlético passou a gostar do jogo e mesmo sem criar grandes jogadas obrigou Marcelo Grohe a fazer duas importantes intervenções. A possibilidade de um empate “criminoso” esteve presente até o apito final.

Não quero ser demasiadamente crítico. Gostei bastante da “blitzkrieg” inicial do Grêmio. Mas imaginava que o time seguraria o placar constrúido nos primeiros minutos com um pouco mais de tranquilidade.


Não sei se foi uma circunstância do jogo ou uma orientação do Luxemburgo, mas Pará e Pico avançaram bastante e fizeram uma grande partida. Por outro lado, Souza esteve abaixo do seu nível costumeiro (que é alto). Não saiu pro jogo (que é seu forte), limitando suas ações ao campo de defesa.

É sempre muito bonito ver um estádio lotado. Não há dúvida de que é um imporante diferencial. Mas a qual preço que o clube paga para conseguir isso?

Não consigo aceitar que sócios e torcedores com ingressos tenham ficado de fora do estádio. Tudo indica que as promoções de ontem foram mal pensadas/planejadas. E planejar mal um evento para dezenas de milhares de pessoas beira a irresponsabilidade. Parece que o clube pouco aprendeu com os acontecimentos dos jogos contra Santos e Cruzeiro em 2009.

Fotos: Lucas Uebel (Grêmio Oficial)

Grêmio 2 x 1 Atlético-GO

GRÊMIO: Marcelo Grohe, Pará, Gilberto Silva, Werley e Anderson Pico; Fernando, Souza, Elano (Marco Antônio, 28’/2º) e Zé Roberto; Leandro (Rondinelly, 28’/2º) e André Lima.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

ATLÉTICO-GO: Márcio, Marino, Reniê, Gustavo e Eron (Alexandre Oliveira, 41’/2º); Carlos, Dodó, Ernandes e Danilinho; Wesley (Diego Garetta, 35’/1º) e Ricardo Bueno (Patrick, Intervalo)
Técnico: Jairo Araújo


22ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2012
Data: 5/9/2012, quarta-feira, 20h30min
Local: Olímpico, Porto Alegre (RS)
Público: 46.309 (21.765 pagantes)
Renda: R$ 559.923,00 –
Árbitro: Ronan Marques da Rosa (SC)
Auxiliares: Roberto Braatz (Fifa-PR) e Kleber Lúcio Gil (SC)
Cartões Amarelos: Fernando e Werley (GRE); Gustavo, Ernandes e Alexandre Oliveira (AGO)
Gols: Elano, aos 9’/1º e aos 18’/1º, e Marino, aos 24’/1º

Desconhecimento da regra

September 4, 2012
Como já escrevi aqui no blog, eu tenho a impressão de que a grande maioria das pessoas que se põe a discutir sobre arbitragem de futebol jamais abriu o livro de regras. E isso acaba tendo um efeito nefasto no debate sobre o tema.

Um exemplo claro de tal fato pode ser lido hoje no principal jornal de Porto Alegre, na coluna de um jornalista que, supostamente, é especializado em futebol. Ao comentar a expulsão de Klébler contra o Palmeiras, Wianey Carlet escreveu:

“Já virou rotina atacar a arbitragem após resultados menos satisfatórios. Vanderlei Luxemburgo, como profissional do ramo, sabe que reclamar do árbitro não é prerrogativa de ninguém. Nem de capitão de equipe. Os árbitros fazem concessão quando permitem recriminações. Se a CBF tivesse mínimo compromisso com a disciplina, baixaria uma resolução: cartão para qualquer tipo de reclamação. Jogador entra em campo para jogar e não tem autorização nem para falar com o árbitro. Está no livrinho”

O referido colunista sugere que a CBF “baixe uma resolução”* sobre algo que já está previsto no livro de regras. A Regra 12 prevê o ato de “desaprovar com palavras ou gestos as decisões da arbitragem” deve ser punido com cartão amarelo.

Assim, é possível perceber que o jornalista esqueceu de consultar o livro de regras antes de publicar a sua coluna. E até o momento não foi corrigido por ninguém.

Como é que se pode esperar uma melhora no desempenho dos juízes se o debate público sobre a arbitragem é feito em cima de tamanho desconhecimento?

* Como visto no post anterior, a CBF divulgou uma orientação no sentido oposto, contrária a banalização do cartão amarelo.

Brasileirão – Palmeiras 0x0 Grêmio

September 2, 2012

Era pra ser um confronto entre um time em boa fase contra um time em má fase. Uma partida entre um visitante bem colocado na tabela contra um mandante que se encontra na zona de rebaixamento. Este era pra ser o jogo. Mas infelizmente isso só aconteceu até os 18 minutos do primeiro tempo. Nesse período o Palmeiras foi levemente superior ao Grêmio, chegando perto da meta gremista em alguma oportunidades.

Mas aos 18 o jogo mudou. Sandro Meira Ricci expulsou Kléber e partida se transformou num enfadonho embate de 10 contra 11. Um duelo de um time que atacava com pouca inspiração contra outro que tentava resistir até o final. E diante dessas circunstâncias o Grêmio foi muito bem. Correu poucos riscos e teve duas grandes chances para marcar. Na primeira Marcelo Moreno serviu Zé Roberto. Na segunda a situação se inverteu. Nos dois lances houve reclamação de toque de mão do defensor palmeirense. Não vi intenção nos lances.

Escorregadas a parte é possível dizer que Naldo foi um dos melhores em campo. O que é um belo avanço para quem teve um desempenho preocupante nos jogos contra Portuguesa e Coritiba. E carrinhos kamikazes com os dois pés a parte também é possível afirmar que Anderson Pico novamente esteve bem no jogo, o que já uma animadora sequência.

A expulsão de Kléber estragou o jogo. Ok, o “gladiador” não é santo e poderia ter evitado a falta que lhe rendeu o segundo amarelo. Mas essa segunda advertência já é, por si só, questionável. A primeira é praticamente inexplicável.

Por que o juiz mostrou o 1º cartão para Kléber? Por reclamação? Mas que tipo de reclamação merece amarelo? Luan reclamou em mais de uma ocasião e não foi advertido por isso. Aos 24 minutos do segundo tempo Barcos chegou a ofender o juiz e também não recebeu o cartão por tal ato.

Sandro Meira Ricci é tido por muitos como o melhor juiz do Brasil. Estranhamente parece não seguir as recomendações da CBF. Em maio a comissão de arbitragem divulgou um comunicado com orientações para os árbitros. Lá está escrito:


“ADVERTÊNCIA COM CARTÃO AMARELO: O cartão amarelo corresponde a um ultimato. Logo, ele não pode ser aplicado em lances normais, pela equivocada filosofia de “segurar o jogo” […] A boa arbitragem tem o mesmo critério do começo ao fim da partida. As advertências verbais, sobretudo com o jogo paralisado, para que todos percebam, têm efeito muito positivo.

[…]

CARTÃO VERMELHO – EXPULSÃO: É medida extrema que exige conduta proporcional”

Ricci mostrou 13 cartões amarelos no jogo. Cinco deles foram por reclamação. Tem alguma coisa errada aí.

Fotos: Tom Dib (Lance), Edson Lopes Jr (Terra) e Fernando Donasci (UOL)

Palmeiras 0x0 Grêmio

PALMEIRAS: Bruno; Artur (Correa – intervalo), Maurício Ramos, Thiago Heleno, Juninho, Henrique, Márcio Araújo, João Vitor (Maikon Leite – 38’/1ºT) e Tiago Real; Luan (Mazinho – 20’/2ºT) e Barcos.
Técnico: Luiz Felipe Scolari.

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Pará, Naldo, Werley e Anderson Pico; Fernando, Souza, Marco Antônio (Marquinhos – 21’/2ºT) e Zé Roberto (André Lima, 42’/2ºT); Kleber e Marcelo Moreno (Léo Gago – 20’/2ºT).
Técnico: Vanderlei Luxemburgo


21ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2012
Data: 31/08/2012, sábado, 18h30min
Local: Estádio do Pacaembu, São Paulo (SP)
Público: 11.586 pagantes (12.035 total)
Renda: R$ 423.806,00
Árbitro: Sandro Meira Ricci
Assistentes: Fabrio Vilarinho da Silva e Bruno Boschilia
Cartões amarelos: Artur, Correa, Henrique, Maikon Leite, Tiago Real, Luan e Hernán Barcos(PAL); Naldo, Anderson Pico, André Lima, Marquinhos, Marcelo Moreno e Kleber (GRE)
Cartão vermelho: Kleber, 17’/1ºT

Transmissões no Brasileirão 2012 – 20ª Rodada

September 1, 2012
Atualizei o levantamento sobre como foram transmitidos os jogos da dupla Gre-Nal no Brasileirão até a 20ª rodada.

É curioso que o torcedor gremista morador do Rio Grande do Sul ainda não conseguiu assistir a nenhum jogo pelo Sportv. Outro dado interessante é que mais da metade dos jogos do tricolor só passou no PFC.

Os dados foram retirados do twitter do Gustavo Manhago, Chefe de Esportes da RBSTV e TVCOM.