Archive for October, 2012

Brasileirão 2012 – Classificação 30ª Rodada

October 16, 2012
Times P J V E D GP GC SG %
1 Fluminense Fluminense 68 30 20 8 2 49 19 30 75
2 Atlético-MG Atlético-MG 59 30 17 8 5 49 24 25 65
3 Grêmio Grêmio  57 30 17 6 7 44 25 19 63
4 São Paulo São Paulo 52 30 16 4 10 44 29 15 57
5 Vasco Vasco  50 30 14 8 8 36 31 5 55
6 Internacional Internacional 45 30 11 12 7 38 27 11 50
7 Corinthians Corinthians 43 30 11 10 9 38 31 7 47
8 Botafogo Botafogo  41 30 11 8 11 42 39 3 45
9 Santos Santos  41 30 10 11 9 37 37 0 45
10 Náutico Náutico  40 30 12 4 14 37 45 -8 44
11 Cruzeiro Cruzeiro 40 30 11 7 12 36 39 -3 44
12 Coritiba Coritiba  38 30 11 5 14 43 48 -5 42
13 Portuguesa Portuguesa  37 30 9 10 11 35 35 0 41
14 Ponte Preta Ponte Preta  37 30 9 10 11 33 39 -6 41
15 Flamengo Flamengo  36 30 9 9 12 31 41 -10 40
16 Bahia Bahia  35 30 8 11 11 30 34 -4 38
17 Sport Sport  27 30 6 9 15 26 48 -22 30
18 Palmeiras Palmeiras  26 30 7 5 18 28 39 -11 28
19 Figueirense Figueirense  25 30 6 7 17 33 57 -24 27
20 Atlético-GO Atlético-GO 23 30 5 8 17 31 53 -22 25
Em 2011 o Grêmio tinha 42 pontos (9º lugar) após a 30ª rodada do Campeonato Brasileiro
Em 2010 o Grêmio tinha 46 pontos (7º lugar) após a 30ª rodada do Campeonato Brasileiro
Em 2009 o Grêmio tinha 44 pontos (8º lugar) após a 30º Rodada do Campeonato Brasileiro
Em 2008 o Grêmio tinha 56 pontos (1º lugar) após a 30ª Rodada do Campeonato Brasileiro
Em 2007 o Grêmio tinha 48 pontos (5º lugar) após a 30ª Rodada do Campeonato Brasileiro
Em 2006 o Grêmio tinha 52 pontos (4º lugar) após a 30ª Rodada do Campeonato Brasileiro  

Advertisements

Brasileirão – Grêmio 1×1 Botafogo

October 15, 2012

O Grêmio fez um bom primeiro tempo contra o Botafogo, num jogo bastante intensa, de algumas disputas ríspidas. O time visitante jogo num 4-5-1 bem fechado, recuando os seus mais para fechar a passagem dos laterais gremistas.Ainda assim o Grêmio criou oportunidades no primeiro tempo, acionando o goleiro Renan, colocando bola na trave e tendo um gol legitimo indevidamente anulado.
Mas o placar só foi aberto no segundo tempo. Aos 5 minutos Léo Gago soltou um foguete em falta batida da intermediária. Com a vantagem no marcador o Grêmio passou a ter dificuldade em reter a bola no ataque e Botafogo começou a ter mais presença ofensiva. Mas as chances claras foram poucas, o Grêmio parecia que levaria os 3 pontos até que aos 44 minutos, Bruno Mendes chutou da entrada da área e empatou o jogo.

Agora ficou bem difícil a busca pelo primeiro lugar. Ainda assim  o Grêmio não pode desanimar, sob o risco de perder a vaga para a Libertadores. Nesse sentido o discurso de Luxemburgo sempre foi coerente e pode ser útil no momento.

Não entendi porque o Leandro, que tem a velocidade como principal característica, foi posicionado para jogar em cima de Márcio Azevedo, que é um jogador igualmente veloz.

É uma pena que o um campeonato tão interessante como o Brasileirão acabe sendo decidido por muitos outros fatores além da qualidade das equipes. As convocações, as suspensões e os erros de arbitragem tem tido um peso enorme na decisão do título. Pouco gente lembrou que Kléber ficou de fora da partida por um cartão absolutamente injusto que recebeu no jogo contra o Sport.

Fotos: Lucas Uebel (Grêmio.net)

Grêmio 1×1 Botafogo

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Pará, Werley, Naldo e Anderson Pico; Souza (Léo Gago – Intervalo), Marco Antônio, Zé Roberto e Marquinhos (Rondinelly – 29’/2ºT); Leandro e André Lima (Vilson – 18’/2ºT). Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

BOTAFOGO: Renan; Lucas, Dória, Antônio Carlos e Márcio Azevedo (Elkeson – 29’/2ºT); Renato (Bruno Mendes – 37’/2ºT), Gabriel, Fellype Gabriel, Vitor Júnior (Seedorf – 18’/2ºT) e Andrezinho; Rafael Marques.
Técnico: Oswaldo de Oliveira.
30ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2012
Data: 14/10/2012, domingo,  às 18h30 
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre (RS)
Público Total: 31.950 (27.529 pagantes)
Renda: R$ 704.331,00
Árbitro: Guilherme Ceretta de Lima (SP)
Assistentes: Fabricio Vilarinho da Silva (Fifa/GO) e Carlos A. Nogueira Júnior (SP)
Cartões amarelos: Lucas e Andrezinho (BOT)
Gols: Léo Gago (5’/2ºT) e  Bruno Mendes (45’/2ºT)

Supercopa 1993 – Grêmio 2×0 Peñarol

October 14, 2012
Esse Grêmio 2×0 Penãrol está na minha lista de jogos inesquecíveis do Estádio Olímpico. Foi disputado no dia 14 de outubro de 1993, pela primeira fase da Supercopa.
Aqueles eram dia tensos no estádio Olímpico. O tricolor tinha perdido dois mandos de jogo no Brasileirão após uma revolta generalizada contra a arbitragem de Leo Feldman no jogo contra o Santos. Mas o campo estava liberado para jogos internacionais.
Na partida de ida o Peñarol ganhou por 1×0 no Centenário com gol de Dario Silva. A partida de volta foi bastante tumultuada. O primeiro tempo já foi bastante tumultuado, Pingo e Dorta foram expulsos e o Peñarol ficou com um jogador a menos depois que Lima recebeu o cartão vermelho. Mas o Grêmio só conseguiu abrir o marcador no segundo tempo. E não sem algum drama. Primeiro Carlos Miguel desperdiçou um pênalti, mas pouco depois Charles abriu o marcador. Aos 17 minutos Gilson marcou de cabeça o gol que classificou o Grêmio. A partida terminou tensa, com os animos acirrados e quatro jogadores expulsos em cada equipe.
O jogo terminou numa batalha campal, com direito a invasão da torcida e uma épica briga entre os jogadores do Peñarol e brigadianos.
As imagens da briga podem ser vistas nas fotos e no vídeo que ilustra o post. O Tenente-coronel Nivaldo Fraga Pereira disse que “Não houve excessos” por parte da Brigada Militar
O Penãrol pleiteou a anulação da partida e designação de um novo jogo em campo neutro. Isso  acabou não acontecendo, mas o Estádio Olímpico foi interditado por seis meses pela Conmebol, o que obrigou o Grêmio a utilizar o Beira-Rio no jogo contra o São Paulo na fase seguinte.

“Do lado do Grêmio, Paulão saiu lesioando, Fabinho perdeu um dente e levou três pontos no supercílio e Pingo teve as pernas pisada pelas chuteiros com travas de ferro de Dorta”

Batalha campal: os uruguaios Quintana (E) e De Los Santos (4), inconformados, decidiram enfrentar a Brigada Militar em pleno Estádio Olímpico” (ZH -15 de outubro de 1993)

Briga feia: Quintana (E) e Tais tentam escapar dos PMs no gramado” (ZH – 15 de outubro de 1993)

Grêmio 2×0 Peñarol

GRÊMIO: Danrlei; Alfinete, Paulão (Grotto – 28 do 1º tempo), Agnaldo e Branco; Pingo, Jamir, Caio (Gilson – 10 do 2º tempo) e Carlos Miguel; Fabinho e Charles.
Técnico: Luis Felipe Scolari
PEÑAROL: Rabajda; Da Silva, Gutierrez, De Los Santos (Tais – 20 do 2º tempo) e Lima; Dorta, Perdomo, Bengoechea e Baltiera (Tuja aos 35 do 2º tempo); Otero e Dario Silva. 
Técnico: Gregorio Perez 
Supercopa 1993 – 1ª Fase – jogo de volta
Data: 14 de outubro de 1993, quinta-feira, 21h30min
Público: 32.248 pagantes 
Renda: Cr$ 11.291.700,00 
Árbitro: José Joaquim Torres (Colômbia). 
Assistentes: Juan Manuel Gomez e Daniel Wilson (Colômbia). 
Cartões Vermelhos: Pingo, Carlos Miguel, Jamir Gomes e Fabinho; Lima, Gutierrez, Perdomo e Rabajda. 
Gols: Charles aos 14 minutos do segundo tempo e Gilson aos 17 minutos do segundo tempo

Brasileirão – Sport Recife 1×3 Grêmio

October 13, 2012

Durante os 90 minutos do jogo ficou absolutamente claro quem é a equipe que vive um melhor momento na competição. Mesmo com sérios desfalques o Grêmio sempre se mostrou mais organizado do que o Sport e era muito mais eficiente na sua proposta de jogo. Contando com os avanços de Anderson Pico e a velocidade de Leandro o tricolor teve facilidade para usar o contra-ataque. As chances foram criadas mas primeiro o gol só saiu aos 44 minutos, quando Pico pegou um rebote na entrada da área e contou com desvio na zaga para superar o goleiro Magrão.
O Sport ensaiou uma reação no início do segundo tempo, mas logo aos 5 minutos Leandro marcou o segundo depois de um grande lançamento de Léo Gago. A vitória gremista foi sacramentada aos 9 minutos, num chute rasteiro de Marquinhos. O jogo seguiu totalmente favorável ao Grêmio, que tinha amplos espaços para contra-atacar. Mas quem marcou foi o Sport, num pênalti cavado e convertido por Hugo. Nos minutos finais Marcelo Grohe fez boas defesas que garantiram o 3×1 no placar final.

Não há como deixar simpatizar com o futebol do Anderson Pico. Alguém deveria tentar explicar o carisma do guri.
Luxemburgo não pode contar com G.Silva, Elano, Fernando, Zé Roberto e M.Moreno, mas dizem que o Grêmio não tem grupo. 
Leandro já marcou 6 gols no  Brasileirão 2012. Pelo Grêmio, só Marcelo Moreno fez mais nesse campeonato.

Eu gosto muito do futebol do Kleber, mas acho que ele tem jogado pouco. Contudo é preciso reconhecer que efetivamente o amarelo que ele recebeu foi um exagero do árbitro, que ignorou a regra do jogo.
Temos 9 rodadas para buscar a diferença de 9 pontos que nos separa do primeiro lugar. É difícil. O campeonato poderia estar bem mais emocionante não fosse a sequência de erros de arbitragem que vem favorecendo o Fluminense. Uma pena.

 Fotos: Otávio de Souza (Terra), Guga Matos (Correio do Povo) e Aldo Carneiro (Lance)

Sport Recife 1×3 Grêmio

SPORT: Magrão; Cicinho, Aílson, Bruno Aguiar e Renê (Reinaldo – 28’/2ºT); Rithely, Moacir (Renan – Intervalo), Hugo e Felipe Azevedo; Gilsinho e Gilberto (Henrique – 14’/2ºT).
Técnico:
Sérgio Guedes.


GRÊMIO: Marcelo Grohe; Pará, Werley, Naldo e Anderson Pico; Souza, Léo Gago (Vilson – 23’/2ºT), Marco Antônio (Rondinelly – 43’/2ºT) e Marquinhos; Leandro e Kleber (André Lima – 6’/2ºT).
Técnico:
Vanderlei Luxemburgo.


29ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2012

Data: 11 de outubro de 2012, quinta-feira, 21h00min

Local: Estádio Ilha do Retiro, em Recife-PE
Público: 12.817.
Renda: R$ 52.530,00 
Árbitro: Francisco Carlos do Nascimento (Fifa-AL).
Assistentes: Lilian da Silva Fernandes (Fifa-RJ) e Marrubson Melo de Freitas (DF).
Cartões amarelos: Gilsinho, Renan Teixeira (S), Werley e Kléber (G).

Gols: Anderson Pico, aos 44’/1ºT ; Leandro, aos 5’/2ºT ; Marquinhos, aos 9’/2ºT e Hugo, aos 34’/2ºT

Eleições 2012 – Questionário – Chapa 03

October 9, 2012

Em razão da eleição do dia 21 de outubro o BloGrêmio elaborou um questionário  e enviou para as 3 chapas concorrentes.

Por sorteio hoje são publicadas as respostas da chapa 3:

1) Nominata da chapa (Presidente e CA)
Homero Bellini Junior – Presidente
Alexandre Bugin – vice-presidente
Antônio Carlos Maineri – vice-presidente
Edson Berwanger – vice-presidente
Elizabeth Pedrosa Ribeiro – vice-presidente
Fernando Hackmann Rodrigues – vice-presidente.
Marcelo Wais – Vice-Presidente
2) Está vinculado formalmente a algum Grupo Político? Tem apoio de algum? Qual?
Movimento Grêmio Independente
4) Como avalia o atual momento do clube?
É inegável que o clube evoluiu como instituição nos últimos anos. Todavia, o Conselho de Administração não funciona como tal, faltando-lhe um pouco mais de autonomia para a tomada de atitude. Além disso, falta representação política daqueles abnegados para suporte aos departamentos do clube. É necessário, também, estabelecer metas mais claras para os executivos de todas as áreas  do clube e que essas metas tornem-se de conhecimento do Conselho Deliberativo, o que garantiria maior transparência de gestão. O Grêmio ainda vive uma gestão PERSONALISTA, centrada na FIGURA DO PRESIDENTE. Isso para uma empresa que quer modernizar seus processos de gestão não é recomendável.
5) Em relação a Arena, quais seus Planos e ideias? E como se encaixam no modelo de administração buscado pela sua gestão?
 Defendemos o projeto Arena desde o seu início. Hoje felizmente o novo estádio é um consenso entre os diversos grupos do clube e motivo de orgulho para torcida. É uma conquista de todos e deve seguir sendo assim.
A Grêmio Empreendimentos está bem estruturada, o contrato está firmado e será cumprido. Entendemos que a gestora do estádio  deve ter seus cargos ocupados por critérios técnicos e políticos. Na GE, defendemos a participação de todos os grupos políticos do clube, sem exclusões, e temos que cuidar para não reproduzirmos uma visão personalista também na GE. Vamos priorizar a indicação de técnicos para composição da Grêmio Empreendimentos, bem como nas vagas destinadas ao Clube na Arena Porto-Alegrense. Devemos manter o que vem sendo feito com excelência. Tal indicação será submetida à homologação do Conselho Deliberativo.
Precisamos ter um cuidado redobrado no primeiro ano de funcionamento da arena em razão da mudança de paradigmas na nova casa, com a re-adequação do quadro funcional do clube. Tal período pode ser de grande valia para implementar processos mais profissionais e adotar as medidas sugeridas pelo Planejamento Estratégico, pelo Relatório do Fórum dos Movimentos e pelos trabalhos das consultorias internacionais contratadas para planejar a transição do clube como um todo.
6) Possui alguma medida “emergencial” que julgue necessário a ser implementada no dia seguinte a posse? Qual?
Sim, negociar a permanência do volante Souza. Queremos um time forte.
7) Tendo em vista o planejamento de Marketing da sua eventual gestão, qual a posição do candidato sobre a interação com a torcida gremista? E como pensa o Quadro Social nesse projeto?
O clube atualmente tem o problema sério de comunicação com seu torcedor. O Grêmio possui mais de 50 mil sócios e nem sempre consegue ouvir e atender aos anseios e desejos da sua torcida. É preciso implementar ações para que o sócio sinta-se peça importante na vida do clube, desvinculando aos resultados do futebol. Precisamos redobrar esforços na modernização na estrutura de atendimento aos sócios, já que há indicativo de majoração no número de sócios na ARENA.
8) Como pensa em levar o Grêmio para o topo dos clubes mais fortes internacionalmente, visto que, tem-se ai a questão populacional (quantidade de torcedores) e geográfica (está fora do eixo Rio-São Paulo)?
Muito embora o Brasil seja sempre referido como o país do futebol há uma notória dificuldade dos times nacionais em obter projeção perante os seus pares de outros continentes. Hoje o Grêmio não foge dessa realidade. Contudo, tendo em vista as nossas características únicas, de história, estilo de jogo e torcida, entendemos que o Grêmio pode sim ganhar maior destaque no cenário mundial.
 Nosso projeto contempla  a criação da a área de Marketing Global para implantação do Projeto Blue Squade do Projeto DNA Tricolor. Para chegar ao topo o Grêmio não pode nunca perder o foco do futebol. É preciso que o time esteja permanentemente disputando e conquistando torneios internacionais.
 O clube deve também compreender o cenário no qual está incluído, trabalhando para fortalecer o futebol gaúcho e brasileiro como um todo, valorizando especialmente a “marca” do campeonato nacional;
9) É viável conseguir isto em um país com tantas desigualdades e carências em que é difícil para a esmagadora maioria pagar R$ 26 reais para ser sócio e mais os custos de 50% do ingresso e despesas para ver um (ou 4) jogo?
É plenamente viável, o Grêmio pode aumentar consideravelmente as suas receitas se melhor entender e explorar os diversos nichos econômicos e setores sociais que atinge. Para isso é necessária uma mudança na forma do clube tratar seu torcedor e de enxergar seu patrimônio. O Grêmio não possui somente um perfil de torcedor. Possui vários e pode contemplar todos eles nas suas ações.
Em tempo: Em razão dos termos da pergunta é forçoso esclarecer que na atual modalidade associação do Grêmio a mensalidade de R$ 26,00 (Sócio torcedor ouro) dá direito somente a preferência na compra de ingressos (e desconto na compra antecipada pela internet). O plano que dá direito a pagar 50% do ingresso é o sócio torcedor diamante, que tem o custo de R$ 45,00 mensais.
10) É a favor da profissionalização REAL de todo o departamento de futebol? Como fazer para que isto não mude a cada eleição? Qual o papel da Base?
Temos como base do nosso projeto a profissionalização dos setores do clube. No futebol, a razão de ser do clube, não seria diferente. Entendemos que é  fundamental a liderança de uma diretoria institucional, com visão de médio e longo prazo, como elo de ligação entre a equipe, comissão técnica, clube e torcida. Tal diretoria institucional tem também a função de proteger o patrimônio imaterial do Grêmio das atribulações políticas, das cobranças por resultados a curtíssimo prazo e da inevitável pressão dos apaixonados pelo tricolor.
No comando de toda a estrutura profissionalizada do departamento de futebol entendemos que se faz necessária a figura de um vice de futebol. Para responder pelo clube e dar respaldo ao executivo e todo o setor.
A base é fundamental para o fortalecimento do clube e merece ênfase especial no nosso projeto de gestão. A proposta de profissionalização também abrange tal departamento, com planejamento, metas de resultados de campo e de aproveitamento das categorias de base e de jogadores contratados, com definição de métricas de avaliação e adoção de softwares especializados de análise de desempenho como ferramenta de gestão dos atletas.
Pretendemos adotar um esquema tático padrão em todas as categorias de base, o que auxilia no crescimento dos atletas na mudança de categoria. Da mesma forma, se faz necessária a uniformização de treinamento e filosofia desde a primeira categoria até a última, inclusive com aulas teóricas sobre a história do clube, seus grandes atletas e suas conquistas.
11) Como fazer esse projeto de gestão dar certo sem comprometer as finanças e pagando dívidas históricas?
Com a implementação da Gestão financeira totalmente profissional; O MGI pretende a implementação de princípios de gestão financeira, fundamentada em três pilares:
– O controle salarial e de transferência dos jogadores;
– A maximização de receitas; e
– Gestão de receitas patrimoniais, com a exploração de seu patrimônio (ARENA, Eldorado, Cristal, Ilha), visando à gerar receita o ano todo sob diversas formas.
Estes três pilares demonstram a estratégia e procura equilibrar os interesses de todos no ambiente operacional do clube (sócios, torcedores, imprensa, patrocinadores e jogadores)
O controle salarial tem o papel de equilibrar os resultados, já que se identificou que o gasto com salários de jogadores é a principal despesa do clube.
12) Qual o seu projeto para o Grêmio e seus diferenciais?
O projeto pode ser livremente acessado no site http://www.homeropresidente.com.br/nossa-proposta/. O principal diferencial reside no fato de ser uma alternativa ao personalismo que se vê no Grêmio hoje. Não queremos discutir nomes, queremos discutir idéias. E as idéias da nossa proposta têm como base a participação (democratização/renovação), o profissionalismo e a transparência.

Eleições 2012 – Questionário – Chapa 04

October 9, 2012
Em razão da eleição do dia 21 de outubro o BloGrêmio elaborou um questionário  e enviou para as 3 chapas concorrentes.

Por sorteio hoje são publicadas as respostas da chapa 4:

1) Nominata da chapa (Presidente e CA)
A chapa é composta pelo Presidente Paulo Odone, candidato a reeleição, e composta pelos seguintes Vice Presidentes: Eduardo Antonini, Ricardo Vontobel, Claudio Oderich, Marco Antonio Scapini, Rodrigo Karan e André Gutierres.
2) Está vinculado formalmente a algum Grupo Político? Tem apoio de algum? Qual?
Nossa chapa é uma composição dos movimentos Grêmio Novo, Grêmio Sem Fronteiras, Grêmio Menino Deus, Grêmio da Trocida e Grêmio Democrático.
3) Como avalia o atual momento do clube?
Podemos fazer uma analogia. O Grêmio está cruzando pelo Cabo da Boa Esperança. Está saindo das marés ruins, dos mares revoltos e de tudo que atrapalhava a sua navegação que rumava às Índias. Com uma boa navegação, o Grêmio vai chegar aos seus objetivos muito em breve, mas precisa de pessoas que saibam lidar com as adversidades que podem aparecer e que conhecem as características do seu navio.
Nossas finanças estão melhorando, o processo de gestão está cada vez mais maduro, a Arena está prestes a ficar pronta, temos um grande técnico e um time competitivo. Isso tudo não existia até alguns anos atrás. Aliando estes fatores à nossa torcida, iremos muito longe.
4) Em relação a Arena, quais seus Planos e ideias? E como se encaixam no modelo de administração buscado pela sua gestão?
A Arena é um caso de sucesso pleno dentro do Grêmio. Seu projeto foi amplamente discutido dentro do Conselho Deliberativo, com todos os grupos politicos.
Ela possui um plano de negócios que foi muito bem elaborado, protegendo o clube de ríscos e voltado para potencializar de forma exponencial as receitas.
Nosso objetivo é fortalecer ainda mais a relação existente entre a gestão do Grêmio e a Grêmio Empreendimentos com os gestores da Arena. Desta forma, conseguiremos fazer a parceria render mais frutos (patrocinadores, investidores) tanto para a Arena, quanto para o próprio Grêmio.
5) Possui alguma medida “emergencial” que julgue necessário a ser implementada no dia seguinte a posse? Qual?
Hoje, graças a uma gestão forte e profissionalizada que foi implementada, não existe uma demanda emergencial dentro do Clube.
Nossa principal medida é dar continuidade ao trabalho que vem sendo feito ao longo de seis anos, quando pegamos o Grêmio em uma situação falimentar e devolvemos a ele a grandeza que o pertence. Estamos trabalhando focados na transição para a nossa Arena que já está gerando impactos muitos profundos no processo de gestão do Grêmio, tornando-o ainda mais competitivo, aspecto essencial para qualquer clube de futebol que deseja se manter entre os maiores do mundo.
6) Tendo em vista o planejamento de Marketing da sua eventual gestão, qual a posição do candidato sobre a interação com a torcida gremista? E como pensa o Quadro Social nesse projeto?
Vamos trabalhar muito a parte estratégica do marketing.
A gestão da marca é um dos pontos. Vamos focar em parcerias estratégicas, tanto para patrocinadores, como fornecedores e licenciados. Ainda sobre gestão da marca, iremos trabalhar a inserção do Grêmio em feiras, eventos e workshops sobre futebol e esportes. O mercado esportivo e futebolístico tem crescido cada vez mais, e nestes eventos é que se encontram as maiores referências, onde iremos trocar conhecimentos, know-how sobre todos os aspectos ligados ao futebol. Também vamos aproveitar para expor o que temos de melhor.
A gestão da marca está muito ligada a área de inteligência que projetamos. Ela vai ser a mola propulsora da marca, criando e estimulando os relacionamentos potenciais citados acima e também o relacionamento direto com clubes, gerando intercâmbios de conhecimento.
A comunicação também será otimizada. Queremos estreitar a relação do Grêmio com seu torcedor em primeiro nível, mas também com outros públicos como a imprensa, p.ex.. Um melhor processo de comunicação deve fazer com que o Grêmio esteja praticamente dentro da casa de qualquer gremista, mesmo que more a quilômetros de distância de Porto Alegre. A ideia é que ele saiba tudo o que acontece no Grêmio, utilizando tanto as mídias tradicionais, como radio, televisão, jornais e internet, mas principalmente potencializando as redes sociais e mídias do Grêmio (site, newsletter, TV e Rádio, Facebook, twitter, aplicativo de celular etc.). O torcedor tem que ter as notícias do Grêmio no momento que quiser, onde ele estiver.
Em relação ao Quadro Social, estamos sempre buscando parceiros para oferecer vantagens ao torcedor, para que ele tenha diversos benefícios por ser sócio do Grêmio. Isto é o reflexo de um trabalho iniciado em 2005 e que fez o Grêmio, de cerca de 6 mil sócios, passar a ter 70 mil agora em 2012.
Além das vantagens, vamos trabalhar muito os jovens gremistas. Os grandes clubes da Europa com grande número de sócios valorizam muito este segmento. A ideia é valorizar a criança gremista desde antes do seu nascimento, trabalhando junto às mães gremistas com ações focadas às gestantes. Depois, trabalhar o sócio quando bebê e em seguida o infantil.
O segmento feminino é outro que vamos dar muita atenção. O número de gremistas associadas vem crescendo a cada dia e não podemos deixar passar em branco a oportunidade de ter as mulheres como parceiras do Clube. A mulher é muito fiel ao que ela gosta e admira. Vamos dar motivos para elas aumentarem a fidelidade com o Clube, trabalhando ações específicas para este público.
7) Como pensa em levar o Grêmio para o topo dos clubes mais fortes internacionalmente, visto que, tem-se ai a questão populacional (quantidade de torcedores) e geográfica (está fora do eixo Rio-São Paulo)?
O Grêmio já é um clube muito conhecido nacional e internacionalmente. A melhor maneira de fortalecer a marca Grêmio é disputando títulos internacionais e ganhando-os. E com esta estrutura toda que montamos, temos hoje chances reais de ganhar títulos relevantes que novamente projetem o Grêmio no cenário mundial. Além disso, mesmo estando fora do eixo Rio-SP, temos uma torcida muito fiel e apaixonada. Conseguimos manter índices de ocupação de estádio acima da grande maioria dos times de lá, assim como o número de sócios. É a paixão do torcedor que faz o Grêmio ter força, ser grande e é ela que vai fazer o Grêmio crescer ainda mais no Brasil e em níveis Globais.
8) É viável conseguir isto em um país com tantas desigualdades e carências em que é difícil para a esmagadora maioria pagar R$ 26 reais para ser sócio e mais os custos de 50% do ingresso e despesas para ver um (ou 4) jogo?
Sem dúvida. Hoje temos 8 milhões de gremistas espalhados pelo Brasil e pelo Mundo. Não podemos trabalhar somente o benefício de assistir ao jogo dentro do estádio. Cabem só 60 mil pessoas dentro da Arena. E o resto dos gremistas não vai torcer e nem consumir o Clube? Claro que sim! O futebol mostra que quando o time tem força, ele conquista seguidores que o consomem de diferentes formas em todas as classes sociais. Se ele não for sócio, mas assistir o jogo do Grêmio, o valor da marca já estará crescendo, devido à audiência na televisão, que gera milhões de Reais em receita. Podemos ter como exemplo os grandes clubes da Europa, que quase não possuem sócios no Brasil por exemplo, mas vendem camisas e têm grande audiência nos canais aberto e a cabo.
9) É a favor da profissionalização REAL de todo o departamento de futebol? Como fazer para que isto não mude a cada eleição? Qual o papel da Base?
Com certeza. O futebol do Grêmio hoje é 100% profissionalizado. Tem seu executivo e todos os profissionais contratados com alta capacidade. Hoje não tem como ser diferente. O futebol hoje é uma atividade que exige dedicação integral e de pessoas competentes e capacitadas. O clube que não pensar assim, deixará de ser competitivo.
Para não haver mudanças na estrutura do futebol quando houver eleições, a maturidade dos gestores políticos deve ser muito grande. Eles devem medir os resultados, o que está sendo feito e não o nome dos profissionais, de quem ele é amigo, por quem ele foi indicado. Este é o grande problema que deve ser trabalhado. Uma política de governança corporativa rígida e estruturada, regida pelo Conselho Deliberativo pode ajudar a solucionar esta questão.
O papel da Base é de vital importância para a formação de um time vencedor. Na nossa gestão em 2011-12 investimos R$ 12 milhões nas Categorias de Base e conquistamos vários torneios, destacando a Taça BH neste ano. Antes, em 2008 o investimento também tinha alcançado esta marca, assim como os títulos das categorias também estavam acontecendo, apesar de que a principal função da Base é formar jogadores com qualidade técnica e tática para serem utilizados no time profissional. Os títulos da Base são consequência de um belo trabalho. Por isso investimos pesado na infraestrutura, estruturamos o CDD da Categoria de Base e contratamos profissionais de altíssima competência. O princiapal executivo, atual coordenador da área, possui referência muito forte no mercado e sua qualidade pode ser vista no dia a dia de quem está no Grêmio.
10) Como fazer esse projeto de gestão dar certo sem comprometer as finanças e pagando dívidas históricas?
Nós já quitamos o Condomínio de Credores que onerava terrivelmente o Grêmio em função de dívidas trabalhistas. Era uma folha de pagamentos extra que agora não existe mais. Temos ainda as dívidas com tributos federais que vão sendo abatidas com as receitas da Time Mania. Nossa gestão criou uma estrutura profissional consistente que vem executando um belo trabalho no clube. E ela melhora a cada dia, pois o processo de gestão está amadurecendo e se enraizando dentro da administração. Não existe mais espaço para pessoas incompetentes.
Cabe ressaltar que um fundo de investimentos para saldar o passivo (FIDC) ainda está em fase final de elaboração e vai ajudar a saldar dívidas. Também vamos criar um processo rígido de controladoria, visando racionalizar toda e qualquer atividade financeira e operacional dentro do Grêmio.
Tudo isso está muito alinhado. Tivemos o apoio de grandes consultorias para fazer este trabalho dar certo. A Quality Inn, referendada pelo Dr. Jorge Gerdau trabalha a gestão da rotina e de projetos dentro do Clube. Hoje, todas as áreas possuem metas e indicadores. São mais de 200 e todos funcionários tem conhecimentos deles e o seu trabalho é cobrado através dele. A PwC fez todo o trabalho de reestruturação administrativa do Grêmio. Quando formos para a Arena nos próximos dias, nossa gestão já vai estar totalmente orientada para um novo formato, racional e eficaz, eliminando excessos e ineficiências, otimizando os processos gerenciais e operacionais. Cabe ressaltar o trabalho de certificação ISO nas áreas de apoio, padronizando procedimentos e atividades. O conhecimento de como se faz as coisas está registrado no Clube e não mais na cabeça das pessoas.
11) Qual o seu projeto para o Grêmio e seus diferenciais?
Quando assumimos o Grêmio em 2005 nós estávamos na Série B, tínhamos uma dívida de mais de R$ 100 milhões, apenas nove jogadores eram do clube e diagnosticamos que levaríamos 10 anos para voltar a conquistar títulos relevantes, tamanho o caos em que o Grêmio se encontrava. Sete anos depois temos chances reais de título, ou seja, três anos antes do que tínhamos previsto. Mesmo assim, já estavamos disputando títulos antes, em 2007 e 2008. Por isso o nosso projeto é dar continuidade ao trabalho de recuperação que tem sido feito desde 2005. Nós arrumamos a casa, quitamos o Condomínio de Credores, otimizamos a estrutura administrativa e estamos entregando no fim do ano um time com uma base muito boa, com um excelente técnico e o melhor estádio da América Latina que será nossa Arena. E este é nosso principal diferencial: nós não ficamos no campo das ideias. Arregaçamos as mangas e conseguimos recuperar o Grêmio. Nós fomos lá no Barcelona ver como eles faziam a gestão do seu quadro social e trouxemos pra cá a ideia. O resultado foi o melhor possível, pois hoje temos 70 mil sócios. Também fomos visitar os principais times da Europa para aprender com eles a gerir uma Arena multiuso igual a que nós teremos no fim do ano. Também contratamos empresas de consultoria e auditoria mundialmente renomadas para passar um pente fino no Clube e nos ajudar na transição para a Arena. Buscamos o que existe de melhor em termos de centros de treinamento para montar o nosso, ao lado da Arena, que será de referência mundial. Fomos no Real Madrid, Milan, Barcelona, Benfica, Porto, entre outros, para entender tudo o que eles fazem de certo e descobrimos também o que foi feito de errado e que tiveram que consertar. Nosso CT da Categoria de Base seguirá os mesmos níveis. O futebol não se faz mais com 11 jogadores e um técnico, assim como as empresas não são apenas feitas de operários qualificados.
Ou seja, o diferencial é a evolução que o Clube vem tendo conosco a frente da gestão, e agora que arrumamos toda a casa e conseguimos montar um time qualificado, competitivo e com a cara do Grêmio, queremos voltar a trazer muitas conquistas para dentro dela. E podemos afirmar: O Grêmio está pronto para isso. E nós estamos prontos para levar o Grêmio aos grandes títulos.

Brasileirão – Grêmio 2×1 Cruzeiro

October 8, 2012
Correndo atrás do líder o Grêmio não tinha tempo a perder contra o Cruzeiro no Olímpico. Luxemburgo optou por uma escalação como somente um volante. Mas isso não causou um “abafa” inicial do tricolor. O Grêmio tinha a bola no campo de ataque, trocava passes na intermediária, mas seus atacantes estavam sempre longe do gol defendido por Fábio. O Cruzeiro se resguardava e especulava, e num dos seus raros ataque Anselmo Ramon abriu o marcador, num chute rasteiro, que quicou no gramado molhado, uma bola díficil, mais ainda assim defensável. Dois minutos depois André Lima quase empatou o jogo numa perigosa cabeçada, mas Fábio fez boa defesa. O goleiro cruzeirense voltou a ser exigido aos 38 minutos, no arremate de cabeça feito por Souza. O Grêmio pressionou, mas o placar do primeiro tempo foi de 1×0 para os visitantes.
Elano já tinha deixado o campo no começo do jogo. Zé Roberto não voltou para o segundo tempo. O Grêmio ficava sem seus principais jogadores de criação no meio campo e o treinador adotou um 4-3-3 para buscar a virada nos 45 minutos finais. O Cruzeiro foi empurrado para trás. Marco Antônio carimbou a trave aos 7. Souza cabeceou para nova defesa de Fábio aos 19, mas  gol de empate do Grêmio, só foi anotado aos 21 minutos, marcado pela espera do momento certo. Primeiro foi Marco Antônio que esperou o momento certo para lançar Marcelo Moreno em condição legal, depois o avante boliviano foi que esperou o momento certo na saída de Fábio para tocar por cobertura. O Grêmio seguiu pressionando, seguiu com intensidade até marcar o gol da virada aos 32. Moreno ganhou a disputa pelo alto e acionou Leandro na ponta direita. O guri botou na frente e chutou cruzado. Fábio espalmou para a frente e Marquinhos completou de carrinho para dentro do gol. 2×1, vantagem mínima, e justa, conquistada com muito empenho pelo atletas, que terminaram o jogo extenuados.

Fiquei curioso para saber o que foi que o Emerson falou para os jogadores no intervalo.

O primeiro gol saiu de uma assistência de Marco Antônio. O segundo de um rebote de um chute de Leandro aproveitado por Marquinhos. Mas o Grêmio não tem grupo, né?
O público foi bem inferior ao do domingo passado. Não quero ser obrigado a chegar a conclusão de a diferença se deve ao Neymar.
Souza jogou uma enormidade como primeiro volante.
Há um assunto que vem surgindo timidamente entre a torcida do Grêmio: Kléber está devendo. Está? Não vejo falta de empenho ou de luta em campo, mas de fato há algum tempo que não vemos uma atuação dele de encher os olhos

Fotos: Lucas Uebel (Grêmio.net) e Pedro Revillion (Correio do Povo)

Grêmio 2×1 Cruzeiro

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Pará, Naldo, Werley e Anderson Pico; Souza, Marco Antônio, Zé Roberto (Leandro – intervalo) e Elano (Marquinhos – 8’/1ºT); Kleber e André Lima (Marcelo Moreno – 15’/2ºT)
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

CRUZEIRO: Fábio; Ceará (Diego Renan – 11’/2ºT), Léo, Thiago Carvalho e Everton; Leandro Guerreiro, Marcelo Oliveira, Arias (Souza – 29’/2ºT) e Montillo; Borges (Mateus – 29’/2ºT) e Anselmo Ramon
Técnico: Celso Roth.


28ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2012

Data: 6/10/2012, sábado, 18h30min (de Brasília)
Local: Estádio Olímpico, em  Porto Alegre – RS
Público: 31.565 ( 27.843 pagantes)
Renda: R$ 800.912,00
Árbitro: Jaílson Macedo Freitas (BA)
Auxiliares: Alessandro Rocha de Matos (FIFA-BA) e Rogério Pablos Zanardo (SP)
Cartões amarelos: Marcelo Moreno, Leandro, Souza (GRE), Léo, Thiago Carvalho (CRU)
Gols: Anselmo Ramon aos 26 minutos do primeiro tempo; Marcelo Moreno, aos 21 minutos do segundo tempo e Marquinhos, aos 32 minutos do segundo tempo

Eleições 2012 – Questionário – Chapa 01

October 8, 2012
Em razão da eleição do dia 21 de outubro o BloGrêmio elaborou um questionário  e enviou para as 3 chapas concorrentes. 

Por sorteio as primeiras respostas a serem publicadas são a da chapa 1:

1) Nominata da chapa (Presidente e CA)
Presidente: Fábio André Koff
Vices: Adalberto Preis, Nestor Hein, Odorico Roman, Marcos Herrmann, Renato Moreira e Romildo Bolzan Jr.
2) Está vinculado formalmente a algum Grupo Político? Tem apoio de algum? Qual?
Grupos de apoio: Grêmio Imortal, Grêmio Sempre, Grêmio Sócios Livres, Grêmio Vencedor e Grêmio Unido.
3) Como avalia o atual momento do clube?
O momento do Grêmio é positivo, pois estamos prestes a realizar uma grande conquista com a inauguração da Arena o que, também deverá determinar o início de uma nova era. Assim, acreditamos que temos a maior e melhor oportunidade para avançarmos. Para “Avançar juntos” e unir todos os Gremistas em torno de um grande, inovador e ousado projeto de gestão, capaz de promover o encontro do Grêmio e da sua extraordinária torcida com a glória, para voltar a comemorar títulos de Expressão na Goethe.
Um momento especialmente favorável para que, sob a liderança de um Vitorioso, 100% dedicado ao Grêmio, não mais existam inimigos ou adversários em nossas hostes, sabedores que somos de que nossos adversários vestem outras cores.
4) Em relação a Arena, quais seus Planos e ideias? E como se encaixam no modelo de administração buscado pela sua gestão?
Em relação à Arena, existe total convergência de ideias e de segmentação. Ela é a primeira Unidade de Negócios do Grêmio. Motivo de orgulho e satisfação. Para otimizar seus resultados e caracterizar bem diferenciais a serem atingidos, terá seu Plano de Negócio Especifico, respeitada a parceira no negócio. O investimento supera a casa dos R$ 600 milhões. É, portanto, um grande e decisivo investimento.
Nosso direito de Superfície (que se transformará em direito de propriedade, após 20 anos), através de iniciativas inovadoras e em conjunto com o torcedor, razão de ser do Grêmio, deve ser potencializado.
Otimizando seus resultados, vai nos permitir maximizar recursos para o futebol. Faremos da nossa nova casa a morada de espetáculos inesquecíveis. Porém sair em carreata pela Goethe, comemorando títulos como o Tri da América, será nosso principal objetivo.
5) Possui alguma medida “emergencial” que julgue necessário a ser implementada no dia seguinte a posse? Qual?
De fato, estaremos trabalhando já á partir do dia 22.10.12. E através da administração    participativa, profissionalizaremos os diversos segmentos de negócios, com foco especial no Futebol e seu círculo virtuoso. Assim cumpriremos nosso primeiro desafio: ter uma equipe PROTAGONISTA. Vamos deixar de ser coadjuvantes.
No marketing, potencializaremos nossos inúmeros planos e, com 8 milhões de torcedores apaixonados, criaremos o círculo virtuoso financeiro, amplamente detalhado em nosso projeto, respeitando o poder aquisitivo de todas as faixas e categorias.
6) Tendo em vista o planejamento de Marketing da sua eventual gestão, qual a posição do candidato sobre a interação com a torcida gremista? E como pensa o Quadro Social nesse projeto?
Detalhar as diversas iniciativas caracterizaria quebra das boas normas de Governança Corporativa, uma vez que foram projetadas especificamente para o Grêmio. Neste momento, sua CONFIDENCIALIDADE deve ser PRESERVADA. No entanto, esclarecemos que foram submetidas à avaliação de pessoas de alta qualificação profissional e TODAS foram consideradas FACTÍVEIS. Vamos utilizar as ferramentas da função marketing num patamar nunca visto no Clube.
7) Como pensa em levar o Grêmio para o topo dos clubes mais fortes internacionalmente, visto que, tem-se ai a questão populacional (quantidade de torcedores) e geográfica (está fora do eixo Rio-São Paulo)?
Aproveitando nossos diferenciais estratégicos, que começam com a enorme paixão dos nossos torcedores e com o conhecimento e expertise de nosso presidente, cujos contatos transcendem as fronteiras nacionais. Isso permitirá constituir alianças e parcerias estratégicas inovadoras. Em nossa gestão, Grêmio vai mudar de dimensão, vai crescer de forma extraordinária.
8) É viável conseguir isto em um país com tantas desigualdades e carências em que é difícil para a esmagadora maioria pagar R$ 26 reais para ser sócio e mais os custos de 50% do ingresso e despesas para ver um (ou 4) jogo?
Cada torcedor, é um apaixonado, que deve contribuir de acordo com seu poder aquisitivo. A habilidade de atender este mercado cativo não cabe ao torcedor. É responsabilidade do dirigente, que deve ter visão e capacidade para extrair o potencial deste mercado, utilizando as ferramentas de marketing os seus relacionamentos.
9) É a favor da profissionalização REAL de todo o departamento de futebol? Como fazer para que isto não mude a cada eleição? Qual o papel da Base?
Sim somos favoráveis à total profissionalização. Passaremos por uma momento de transição, onde a magnitude das mudanças serão discutidas e explicadas a todas as instâncias do clube. Vamos desenvolver o Grêmio de forma harmônica e democrática.
Na base, adotaremos as melhores práticas na busca de talentos. Num primeiro estágio, privilegiaremos parcerias com olhos especialmente no mercado brasileiro, mas também nos vizinhos Uruguai, Argentina, Chile e Paraguai e implementaremos os planos do DNA tricolor .
As categorias de base não podem ser criadouros de atletas para terceiros. A estrutura é do Grêmio. Podemos ter voz sobre o destino do atleta. Vamos ter transparência na relação clube-investidor. Vamos resguardar os interesses do clube, mantendo o controle dos direitos econômicos dos atletas.
10) Como fazer esse projeto de gestão dar certo sem comprometer as finanças e pagando dívidas históricas?
Aumentando as receitas e, principalmente, fazendo uma gestão correta do futebol, privilegiando qualidade e não quantidade. O Grêmio acostumou-se a contratar 50 atletas a cada gestão e a substituir 5 técnicos em idênticos períodos, numa processo contínuo de gastos inconsequentes. Isso é desperdício. Preferiremos comprar 6 bons atletas por temporada e ter um técnico de primeira linha comprometido com as linhas e definições constantes no plano.
11) Qual o seu projeto para o Grêmio e seus diferenciais?
Nosso modelo é de uma administração propositiva, transparente, com olhos  no futuro, com seriedade, moralidade e ética, com normas de governança corporativa e com gestores comprometidos com seu patrimônio pessoal em casos de gestão temerária ou irresponsável, com sigilo bancário e fiscal liberados.
Vamos analisar cada unidade de negócio com seus centros de custo, de tal forma que se apurem os resultados do futebol profissional, das divisões de base, das empresas constituídas. Numa visão de futuro, definimos a Grêmio Empreendimentos como holding, com suas unidades de negócio: a Arena Porto Alegrense, a Grêmio Gestora de Talentos e a Grêmio Marca e Marketing.
O choque de gestão obedecerá ao planejamento estratégico e seus planos complementares, com definição clara dos objetivos, responsáveis e prazos. Adotaremos uma política de retribuição do tipo variável por resultados atingidos. A escolha de todos os participantes obedecerá critérios técnicos, privilegiará currículos e conhecimento e todos, inclusive os atletas, submetem-se a definição estratégica: aquele que por compulsão não se entrega nunca, por inconformismo aprimora dia após dia seus talentos, que tem a necessidade de vencer as mesmas competições que o clube para incluir no seu currículo, este é o homem.
O equívoco na escolha coloca tudo a perder.

Ligação direta

October 3, 2012
Há um senso comum de que é “feio” um time abusar dos chutões, de lançamentos, da chamada ligação direta. Muitos defendem que o futebol “bem jogado” implica na defesa tentar sair jogando em toques curtos. Mas acho que  legal do futebol é justamente o fato de não existir somente um jeito certo de se jogar. Penso que um lançamento longo pode ser uma maneira extremamente eficiente de se atacar. 
A prova disso pode ser vista nos últimos jogos do Grêmio no Olímpico, onde jogadas iniciadas em um balão de Marcelo Grohe terminaram em gols do tricolor.
O primeiro exemplo é o jogo contra o Vasco (vídeo abaixo). Marcelo catou uma bola fácil e logo acionou Kléber na ponta esquerda. O avante gremista sofreu falta de Dedé e dali surgiu o gol de Marcelo Moreno.
Outra amostra dessa saída rápida aconteceu no empate contra o Santos (video abaixo). Marcelo fez uma defesa difícil,em chute rasteiro e logo se levantou para lançar Kléber na ponta direita. O gladiador mais uma vez foi parada com falta e na cobrança Werley marcou de cabeça.
Um detalhe interessante dessas jogadas é que Kléber conseguiu pegar a bola de frente para os zagueiros, o que raramente tem acontecido quando o Grêmio sai jogando com a bola no chão.

Catracas, portões e acessos

October 2, 2012
 

O vídeo acima teve enorme repercussão ontem. Nele é possível ver uma série de pessoas tendo seu acesso liberado na catraca de um dos portões da social. Em nota oficial publicada no seu site o Grêmio explicou o episódio da seguinte forma:

tratou-se de uma questão de natureza administrativa, em que foram remanejados torcedores adquirentes de ingressos que não conseguiram atravessar a boca do túnel nos portões 10 e 13, devido ao grande volume de pessoas no local que dá passagem para as arquibancadas da Geral do Grêmio.
Para solucionar o problema, os torcedores foram deslocados para o portão 5, onde houve a liberação da catraca, visto que os ingressos já haviam sido entregues anteriormente. A operação, também realizada no portão 17 onde os torcedores foram redirecionados para os portões 16 e 18, por não conseguirem ultrapassar a barreira humana que se formou nos acessos, foi acompanhada pelos profissionais da área de jogos e eventos, com o apoio da Brigada Militar e da Federação Gaúcha de Futebol (FGF).”
Posteriormente o autor do vídeo acrescentou alguns detalhes de como o vídeo foi feito e o que lhe motivou a publica-lo. Não obstante todas estas declarações, me parece que continuam sendo necessários maiores esclarecimentos sobe o ocorrido. Assim como seguem sendo necessários esclarecimentos sobre o que aconteceu no jogo contra o Atlético-GO no mês passado e no jogo contra o Cruzeiro em 2009.
Por óbvio que vídeo causou debates em diversas áreas, como as eleições no clube, a eleição para vereador em Porto Alegre, o respeito aos sócios, a administração do dinheiro  do clube.  E, excetuado o oportunismo, hipocrisia e incoerência de alguns penso que são temas válidos de se debater. Mas o que efetivamente me preocupa é a possível violação as normas da segurança.

Porque, no fim das contas,  o sócio pode ser indenizado/compensado, o dinheiro pode ser ressarcido, uma eleição pode ser anulada, uma candidatura pode ser impugnada, mas não há como repor uma vida perdida em um estádio super lotado. E, sim, as pessoas podem morrer num estádio super lotado.

Não é de hoje que eu questiono a questão dos portões de acesso ao estádio Olímpico. Para quem não sabe, um sócio contribuinte pode entrar em qualquer um dos portões do anel inferior do Olímpico. Uma carteirinha das cadeiras garante acesso tanto nas referidas cadeiras como também na arquibancada e na social. Como o clube controla o número adequado de pessoas por setor/portão?

Segundo a nota de esclarecimento, houve um remanejo de torcedores antes do jogo começar. Tal versão é questionável, mas mesmo que se admita ela como verdadeira fica a pergunta: Não é perigoso fazer esse remanejo poucos minutos antes da bola rolar?

O fechamento de um portão não pode causar revolta e correria no pátio do Olímpico? A superlotação de um setor não pode causar dificuldades numa eventual  evacuação de emergência?

Contam-se nos dedos os jogos que ainda restam no Olímpico e o Grêmio está bem no campeonato. A comoção é grande e tende a aumentar. Não seria hora de adotar medidas preventitvas na organização dos jogos?