Gauchão – Grêmio 0x0 São Luiz (Grêmio 5×3 nos pênaltis)

by
O Grêmio tinha desfalques. O grupo está com a cabeça na Libertadores. O São Luiz era franco atirador e se postou todo atrás, sem nenhum pretensão ofensiva. Todos estes elementos são verdadeiros e devem ser levados em conta ao analisar o desempenho do tricolor ontem, mas ainda assim não há como fugir da conclusão que o Grêmio jogou pouco. Muito pouco.
Se o baixo rendimento visto em campo contra o São Luiz fosse uma exceção no contexto das últimas atuações a situação não seria tão preocupante. O problema é que isso tem sido uma constante. O Grêmio não só se mostra pouco inspirado como também pouco organizado. O time não tem um padrão, uma mecânica de jogo clara,  tampouco alternativas para mudar uma partida. O time confia excessivamente na técnica do Zé Roberto. Espera sempre que Barcos venha buscar o jogo. Torce para que Kléber dê seguimento nos seus embates contra os defensores adversários. Em suma, depende demasiadamente das individualidades.
Ontem o Grêmio foi, mais uma vez, burocrático. Não aumentou o ritmo. Não colocou velocidade nas jogadas. Não forçou a bola aérea. Não fez jogadas de linha de fundo. Não tentou inverter um meia com um volante. Não teve ultrapassagem. Não usou o seu centroavante como pivô. Apenas tocou a bola, esperando por um erro do adversário, que só foi acontecer nas cobranças de pênaltis, quando Danilo Baía mandou a bola por cima do travessão.
Pelo que apresentou contra o São Luiz, o Grêmio talvez devesse ter sido eliminado do turno no Gauchão. Poderia inclusive ter ficado de fora mesmo, caso fosse marcado um pênalti em um lance que Juba arrancou em posição duvidosa e foi derrubado por Bressan. Mas Anderson Daronco segue mais preocupado em fazer cara de mau do que apitar corretamente as regras do jogo.
Todo mundo sabe que o Gauchão não é a prioridade. Não é meta do Grêmio para 2013. Mas ainda assim é um tanto assustador notar como o clube enfrenta mal a fórmula da competição (que é muito ruim, diga-se de passagem). Pode até ser algo que no resultado final não faça diferença, mas, a priori, perder a vantagem de jogar a semifinal em casa é um prejuízo considerável.
A Libertadores é outra história. O foco é outro, a motivação é outra. Mas fica a dúvida. O time vai começar a render da noite pro dia? Vai conseguir repetir desempenho semelhante ao mostrado contra Fluminese no Rio e Caracas em casa?
O mesmo questionamento vale para a torcida. Uma eventual liberação do setor da geral irá por si só melhorar o clima no estádio? A torcida irá pegar junto com o time? A simbiose entra gramado e arquibancada pode crescer rapidamente?

Fábio Aurélio não acrescentou muito jogando como meia. Parece não ter encontrado o posicionamento ideal, por vezes se perdendo na movimentação. Mas é um jogador de grande experiência. Tem amplas condições de fazer a diferença.
Mas a noite não foi só de notícias ruims. Bressan e Alex Telles mais uma vez se portaram bem em campo. E Guilherme Biteco foi a figurada mais iluminada do time do Grêmio. Não consigo ver ele fora da lista dos inscritos para próxima fase.
E um momento notável da partida aconteceu quando a torcida do Grêmio aplaudiu ironicamente o goleiro Oliveira na execução de um tiro de meta, depois de tantas cobranças tortas efetuadas pelo arqueiro adversário.

Fotos: Lucas Uebel (Grêmio.net), Jeferson Guareze e André Avila (Correio do povo)

Grêmio 0x0 São Luiz (Grêmio 5×3 nos pênaltis)

GRÊMIO: Dida; Pará (Tony – 27’/2ºT), Cris, Bressan e Alex Telles; Matheus Biteco (Guilherme Biteco – 19’/2ºT), Souza, Zé Roberto e Fábio Aurélio (Yuri Mamute – intervalo); Kleber e Barcos 
Técnico: Vanderlei Luxemburgo.
SÃO LUIZ: Oliveira; Júnior Barbosa, Thiago Costa, Marcel e Adão; Chicão, Baiano, Washington e Marcos Paraná (Danilo Baía – 35’/1ºT); Eraldo (Ícaro – 24’/2ºT) e Juba
 Técnico: Leandro Machado.

Data: 22/04/2012, Segunda-feira,  21h00min
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre -RS
Público: 16.164 (14.080 pagantes)
Renda: R$ 506.356,00
Árbitro: Anderson Daronco
Auxiliares: José Javel Silveira e Alexandre Kleiniche
Cartões amarelos: Thiago Costa, Marcos Paraná, Oliveira e Júnior Barbosa (SLZ) Souza (GRE)
Cartão vermelho: Thiago Costa

“PENALIDADES: O Tricolor conseguiu 100% de aproveitamento nas cobranças e garantiu a classificação. Zé Roberto, Kleber, Barcos, Alex Telles e Guilherme Biteco marcaram os gols gremistas. No São Luiz, Danilo Baia chutou por sobre o travessão desperdiçando o único pênalti dos visitantes. Washington, Marcel e Juba fizeram suas cobranças. Chicão, que era o último da lista, nem precisou cobrar.“(Grêmio.net)
Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s


%d bloggers like this: