Gauchão – Juventude 1×1 Grêmio (Nos pênaltis: 5×4 Juventude)

E o Gauchão 2013 chegou ao fim para o Grêmio. É evidente que o melhor seria que esse final fosse acompanhado de vitória e título, mas é inegável que há um alívio para o tricolor com o fim desse penoso certame estadual. É sabido que o campeonato gáucho não é a prioridade do Grêmio nessa temporada. Diante disso é até compreensivel um certo grau de desinteresse de toda coletividade gremista (plantel, diretoria, torcida, etc…).
Mas é preciso não confundir desinteresse com desleixo, com falta de compromisso. E em muitos momentos nesse torneio o Grêmio parece ter misturado esses conceitos. O planejamento feito nunca ficou claro para mim. E acho razoável concluir que isso tenha, de algum modo, afetado o rendimento dentro de campo. 
No sábado, o Grêmio até que não foi tão sonolento como em confrontos anteriores, mas ainda assim não fez uma grande partida. E é isso o que mais me incomoda, o que mais me preocupa. O baixo desempenho tricolor tem sido um padrão. É verdade que o revés no Jaconi passa também pela arbitragem, que foi muito ruim (anulando dois gols gremistas e deixando de marcar um pênalti para o Juventude), mas não há como fugir da constatação que o Grêmio jogou pouco. Mais uma vez o time de Luxemburgo conduziu a partida de uma forma perigosa, sem muita criatividade, sem muitas alternativas, e assim acaba nivelando o confronto por baixo, se igualando a um adversário que claramente tem menor qualidade. O 1×1 acabou não sendo um resultado de todo injusto, e a derrota nos pênaltis foi o derradeiro castigo tricolor neste campeonato.
Mais uma vez eu não gostei do rendimento de Fábio Aurélio no meio de campo. Pouco contribui na criação e na marcação. E por mais que entenda que é preciso ter calma com os guris da base, achei estranho que os irmãos Biteco tenham sobrado do banco nessa partida.
Há pouco menos de dois anos, a reclamação do local das cobranças da série de penalidades num jogo eliminatório de Gauchão ganhou amplo espaço nos microfones da imprensa gaúcha (muito embora a reclamação  aparentasse ser uma tentativa de criar uma cortina de fumaça para outros problemas). No Jaconi, o juiz encaminhou as cobranças para uma área onde se viam claras irregularidades no gramado, o que prejudicou os dois times, mas pouco se questionou a medida adotada po Fabricio Correa.

Mas o Grêmio não começou a perder esse campeonato no sábado, e sim muito antes disso, quando aceitou, pelo quinto ano seguido, esse formato esdrúxulo de disputa. Uma fórmula em que tudo se decide num único jogo, onde o mando de campo é definido através da comparação de campanhas absolutamente distintas. E jogar em casa é uma vantagem considerável, conforme se demonstra.
Desde 2009, quando iniciou-se esse modo de disputa, o Grêmio fez 18 jogos de mata (sem contar as finalíssimas de 2010 e 2011, que tinham ida e volta):
– No total foram 18 confrontos: O Grêmio venceu 9 (50%), empatou e ganhou nos pênaltis 3 vezes (16,66%), empatou e perdeu nos pênaltis 3 vezes (16,66%) e foi derrotado em 3 ocasiões (16,66%)
– O Grêmio foi mandante em 10 ocasiões: Foram 7 vitórias (70%), 2 empates com vitória nos pênaltis (20%) e uma derrota (10%)
– E em 8 partidas o Grêmio atuou como visitante:  Foram 2 vitórias (25%), 2 empates com vitória nos pênaltis (25%), 2 empates com derrota nos pênaltis  (25%) e 2 derrotas (25%).
De tal modo, se efetivamente tem alguma pretensão no Gauchão, o Grêmio não deveria abrir mão de atuar como mandante nos jogos de mata.

Fotos: Guilherme Testa (ACEG/Chute10), Gilmar Gomes (Terra) e Edu Andrade (Correio do Povo)

Juventude 1×1 Grêmio 
(Nos pênaltis: 5×4 Juventude)

JUVENTUDE: Fernando; Moisés, Rafael Pereira, Diogo e Robinho (Romano, 14’/2ºT); Fabrício, Jardel, Diogo Oliveira, Alan e Rogerinho (Adaílton, 26’/2ºT); Zulu
Técnico: Lisca.
GRÊMIO: Dida; Pará, Grolli, Bressan e André Santos; Fernando, Souza, Fábio Aurélio (Marco Antonio, 16’/2°T) e Zé Roberto; Vargas e Barcos
Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

Semifinal – 2º turno – Campeonato Gaúcho 2013
Data: 27/4/2013, sábado, 18h30min
Local: Estádio Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul (RS)
Árbitro: Fabrício Neves Corrêa (RS)
Auxiliares: Rafael Alves (RS) e Maurício Penna (RS)
Cartões amarelos: Alan e Fabrício (JUV); Fernando e Bressan (GRE)
Gols: Barcos,  aos 18’/2°T e Diogo Oliveira, aos 20’/2ºT

Advertisements

One Response to “Gauchão – Juventude 1×1 Grêmio (Nos pênaltis: 5×4 Juventude)”

  1. Anonymous Says:

    Apenas uma ressalva, quanto a escolha da área para as cobranças de pênaltis, se não estou enganado este ano a escolha deve ser feita obrigatoriamente por sorteio (creio que ouvi essa informação na transmissão do jogo contra o São Luiz). Fora isso, a arbitragem foi horrível.

    Saudações Gremistas

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s


%d bloggers like this: