30 anos da Libertadores de 1983 – América de Cali 1×0 Grêmio

 Logo após a vitória contra o Estudiantes no Olímpico, o Grêmio iniciou sua viagem rumo a Cali, onde enfrentaria o América no seu segundo jogo pela triangular semifinal da Libertadores de 1983. O deslocamento do tricolor até a Colômbia foi longo, e teve um fato inusitado na última escala em Bogotá: Uma ameaça de bomba no avião, que atrasou a chegada ao local do jogo e fez com que o roupeiro Hélio e massagista Banha ficassem retidos na capital colombiana para acompanhar o exame que  a polícia local faria na bagagem da delegação gremista.
Em campo o Grêmio também não encontrou facilidade e acabou sofrendo a sua única derrota na competição. Os jogadores reclamaram muito das chances desperdiçadas e de um pênalti não marcado em Renato. Uma semana depois o Estudiantes venceria o América em La Plata e Grupo B das semifinais chegou a metade dos seus jogos com igualdade na classificação.


O dia 24 de junho marcou a primeira e única derrota do Grêmio dentro da Copa Libertadores de 1983.
Depois de vencer o Estudiantes de La Plata, no Olímpico, na abertura da fase semifinal da competição, a equipe viajou para Cáli, na Colômbia, com o objetivo de trazer mais um resultado positivo no embate contra o América.
Apesar da superioridade dentro de campo, a equipe de Espinosa acabou sentindo o desgaste da viagem na etapa final.
O Tricolor teve duas boas chances de marcar nos primeiros 45 minutos, mas Tonho desperdiçou. O goleiro argentino Falcioni passou a ser o grande nome da partida.
Aos 35 minutos, Renato foi derrubado dentro da área quando se preparava para concluir. O árbitro peruano Carlos Montalban consultou o auxiliar e nada marcou.
A decisão revoltou dirigentes e jogadores do Grêmio que deixaram o gramado no intervalo reclamando bastante. O mais exaltado era o vice de futebol, Alberto Galia.
Empurrados pela torcida, os donos da casa voltaram melhor para o segundo tempo.
O Grêmio, por sua vez, sentiu a pressão e acabou cedendo espaço até o gol do América que abriu o marcador: Gonzáles Aquino pegou uma sobra na entrada da área e chutou forte para vencer Mazarópi.
América 1 a 0.
Tentando reverter o placar, Valdir Espinosa colocou Tarciso e César nos lugares de Tonho e Caio, respectivamente.
Infelizmente, as modificações não surtiram efeito e o Grêmio acabou retornando da Colômbia com seu primeiro resultado negativo.
As duas equipes voltariam a se enfrentar no dia 5 de julho, no Olímpico.
Antes disso, Estudiantes e América jogariam em La Plata, no dia 1º.
O resultado não foi desesperador, mas uma vitória sobre o América, em casa, passou a ser fundamental. (Site do Grêmio)

“NO FINAL, AS CRÍTICAS AO ÁRBITRO

Logo que iniciou a partida, o ponteiro Renato fez uma jogada dura com um zagueiro do América. Isto foi o bastante para que o time colombiano inteiro se voltasse contra ele e quase o agredisse. Por pouco o árbitro peruano Carlos Montalban não colocou o atacante gremista e outros jogadores do América para rua, já nos primeiros minutos. O pior de tudo é que o Grêmio deixou de ter um pênalti a seu favor, quando Renato foi derrubado dentro da grande área, aos 35 minutos de partida. Os dirigentes e o ponteiro saíram de campo indignados.” (Zero Hora – 25 de junho de 1983)

“A partida foi disputada no dia 24 de junho de 83, em Cáli. O América venceu com um gol de Gonzales Aquino, aos 23min do 2º tempo. Mas antes, o tricolor havia desperdiçado diversas chances – e houve até um erro de arbitragem.
– O Tita marcou um gol legítimo, mal anulado. E o erro não foi por pressão porque, ao contrário de La Plata, em Cáli o estádio era grande, e não havia muita influência da torcida – compara China”. (ClicRBS)


“GRÊMIO NÃO RESISTIU AO AMÉRICA

O empate servia, mas o Grêmio não conseguiu resistir ao América e acabou perdendo por 1 a 0, com gol de Gonzales Aquino, aos 24 minutos do segundo tempo. Os dois times tiveram muitas oportunidades para marcar. Mas o Grêmio criou mais situações de perigo. Porém, errou muito nas conclusões.

Foi um jogo emocionante, com os dois times jogando cautelosamente, mas procurando sempre o gol. O Grêmio começou agressivo, o que desnorteou o time colombiano, que esperava um adversário retrancado e pouco ousado. Aos 11 minutos, o primeiro susto na torcida: Falcione largou a bola na área, Tonho parou e chutou por cima, com a goleira vazia.

Esse lance despertou o América, que foi ao ataque, apoiado por sua entusiasmada torcida. Aos 24, Teglia perdeu boa oportunidade, cabeceado para fora. Aos 28, Mazaropi brilhou, segurando firme um chute forte de Caicedo. A partir daí, o Grêmio reequilibrou o jogo, chegando inclusive a empurrar o América para o seu campo.

No segundo tempo, o Grêmio foi dominado, não conseguindo manter o ritmo inicial. Teve ótima situação aos 6 minutos, mas Tita perdeu o gol. Aos 24 minutos, depois de muita pressão, o América marcou seu gol. A defesa do Grêmio parou, Teglia atrasou para Gonzales Aquino, que bateu forte fazendo 1 a 0. Aos 29, Tarciso substituiu a Tonho. O Grêmio foi todo ao ataque na busca do empate. Aos 37 minutos, De Léon chutou e Falcione, mais uma vez, salvou e garantiu o resultado.” (Folha da Tarde – 25 de junho de 1983)

DERROTA FOI CASTIGO AO GRÊMIO

CALI – Um gol de Gonzales Aquino, aos 24 minutos do segundo tempo, acabou dando a vitória ao América sobre o Grêmio, de 1 x 0, ontem à noite, em jogo que o time gaúcho teve de tudo para se impor no marcador, especialmente na fase inicial. Mas o Grêmio conseguiu levar ao placar sua superioridade. Desperdiçou gols, teve um grande goleiro pela frente e ainda um pênalti não marcado pelo árbitro. O resultado colocou América e Grêmio iguais na tabela das semifinais da Libertadores da América – Grupo B. ”  (Correio do Povo – 25 de junho de 1983)

“As taxas de televisionamento vão salvar o Grêmio nesta fase da Libertadores. Pelo menos, por dois jogos no Olímpico, vai receber 65 milhões de cruzeiros, dos quais 13 tocarão aos atletas como direito de arena, sobrando portanto 42 milhões. Não fosse isso o prejuízo seria devastador. Para vir a Cáli o Grêmio gastou 19 milhões em passagens para 25 pessoas e mais dois milhões e quatrocentos mil cruzeiros em diárias de hotel. No Olímpico, no próximo dia 5 de julho, a receita mínima para cobrir as despesas deverá ser da ordem de 30 milhões. Pior, porém, é a situação do América, em casa, pois nenhuma televisão quis comprar os jogos por serem caros” (Lasier Martins – Correio do Povo – 25 de junho de 1983)


“Melhor no Início, depois o Grêmio trocou o futebol pelos chutes sem direção e nos adversários
” (Placar)

“Poderia ter dito mais: no gol do América, o veterano atacante Ortiz levantou o pé no rosto de Baidek, numa falta visível que o juiz não deu. Resultado: o lance acabou nos pés de Gonzalez, que emendou no canto direito de Mazarópi, sem defesa” (Marcelo Rezende-Placar)

DE LEON: “Poderíamos ter ganho no primeiro tempo, mas não marcamos” ” Eu mesmo perdi um gol frente a frente com o goleiro e Tita também chutou em cima do próprio Falcioni de dentro da pequena área. E não podemos esquecer-nos do pênalti em Renato, calçado na área por Espinosa” (Placar)

VALDIR ESPINOSA: “Perdemos muitos gols no primeiro tempo, e, no segundo, começamos a dar chutões. O América se aproveitou e nos venceu por 1 x 0”

VALDIR ESPINOSA: “Numa Libertadores, só se pode jogar mal uma vez. Esta foi a nossa”

Fontes: Correio do Povo, Folha da Tarde, Grêmio.net, Placar e Zero Hora

América de Cali 1×0 Grêmio

AMERICA: Falcione; Porras, Espinoza, Reyes,  e Chaparro; Caicedo, Gonzales Aquino, Alfaro (Sierra 23 do 2º), De Ávila (Lugo aos 20 do 2º) Ortiz e Teglia
Técnico: Ochoa Uribe

GREMIO: Mazaropi; Paulo Roberto, Baidek, De León e Casemiro; China (César 41 do 2º), Osvaldo e Tita; Renato, Caio e Tonho (Tarciso 34 do 2º)
Técnico: Valdir Espinosa
Reservas: Beto, Leandro José, Róbson, Tarciso e Cesar

Triangular semifinal – 2ª rodada – Libertadores 1983

Data: 24 de junho de 1983, sexta-feira, 22h30min
Local: Estádio Pascual Guerrero em Cáli-Colômbia
Juiz: Carlos Montalbán (Peru)

Auxiliares: Edson Peres e Enrique Labo
Cartão Amarelo: Baidek, Renato e Falcioni

Gol: González Aquino, aos 24 minutos do 2º tempo
Advertisements

One Response to “30 anos da Libertadores de 1983 – América de Cali 1×0 Grêmio”

  1. Unknown Says:

    Espinosa sábio e preciso com as palavras.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s


%d bloggers like this: