30 anos da Libertadores 1983 – Grêmio 2×1 Peñarol

Hoje é o dia de se prestar todas as homenagens a conquista do título da Libertadores da América de 1983.
De todos o jogos que eu vi (seja ao vivo ou por VT), Grêmio 2×1 Peñarol em 28 de julho de 1983 certamente é a partida mais marcante e emocionante da história do estádio Olímpico. Todos os elementos elementos de um confronto épico estavam (e ainda estão) presentes. 
30 anos passados e alguns detalhes e curiosidades seguem sendo revelados. Uma informação que sempre me faltava era saber de onde saiu um segundo troféu que os atletas carregaram na volta olímpica. A resposta é um tanto sem graça: Era uma taça oferecida pela RBS para o time vencedor da partida.
De León afirmou ter jogado com a camisa do Nacional por baixo do fardamento tricolor. Justificou dizendo que “nunca perdi para eles com essa camisa“. Quem quer ver uma amostra de como um zagueiro pode empurrar sua equipe para o ataque deve reparar na atuação do capitão gremista nesse jogo.

 
Renato passou toda semana que antecedeu o jogando batendo boca com o zagueiro Olivera do Peñarol via imprensa. Desafiou o capitão adversário ao falar que “quero ver se ele é macho aqui no Olímpico”. Prometeu evitar provocações e expulsões. E conseguiu cumprir sua promessa até os 42 minutos do segundo tempo, quando tomou as dores de Mazaropi, que havia sido atingido no chão por Venancio Ramos, e acertou um chute no avante uruguaio. Renato afirmou que “foi a expulsão mais gostosa que já tive”. E assim explicou o ocorrido na sua saída de campo:

“Pensei que o árbitro não tinha visto. Quando vi que ele me procurava tentei sair de fininho, mas ele me expulsou mesmo. Aí, como já estava expulso mesmo, quis levar um deles comigo. O Bossio, aquele que rasgou minha perna lá no Centenário, veio me empurrar para fora, eu deixei ele que ele chegasse bem perto. Quando ele tentou empurrar de novo, dei um soco na sua cara”

 


Jogos para Sempre – Goldogremio.blogspot.com

GRÊMIO: Mazaropi; Paulo Roberto, Baidek, De León e Casemiro; China, Osvaldo e Tita; Renato, Caio (César) e Tarciso.
Técnico: Valdir Espinosa


PEÑAROL: G.Fernández, W.Olivera, Gutiérrez, Montelongo, Diogo, Bossio, Silva, Saralegui, Morena, Zalazar, V.Ramos.
Técnico: Hugo Bagnulo

Data: 28 de julho de 1983, quinta-feira, 21h00min
Local: Estádio Olímpico, Porto Alegre
Público: 73.093 pessoas
Renda: Cr$ 110.551.500
Juiz: Edison Perez – Peru
Auxiliares: Carlos Montalvan e Henrique Labo
Cartões Amarelos: Paulo Roberto, Tita, Renato (G). Oliveira, Saralégui e Morena (P)
Cartão Vermelho: Renato (G) e Ramos (P) aos 42min do 2° tempo

Gols: Caio aos 10 do 1º; Morena aos 25 e César aos 31 do 2º tempo

Advertisements

One Response to “30 anos da Libertadores 1983 – Grêmio 2×1 Peñarol”

  1. Natanael Says:

    Concordo com o blogueiro, em gênero, número e grau. Nada se compara a Grêmio 2 x 1 Penãrol em 1983, quando se fala em jogos do Tricolor no estádio olímpico. Eu tinha cinco anos de idade, e me recordo do momento exato do salto do César para fazer o gol, se bem que eu não entendia muito bem o que se disputava naquele jogo. Hoje com o advento da internet, posso rever esta disputa e me emocionar!!!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s


%d bloggers like this: