Archive for October, 2013

Copa do Brasil – Atlético Paranaense 1×0 Grêmio

October 31, 2013

Duas grandes dúvidas pairavam na cabeça do torcedor gremista: 1) Como o time reagiria após a goleada sofria para o Coritiba? 2) Como Renato escalaria a equipe nas ausências de Barcos, Kleber e Vargas? 
Bom, o Grêmio mostrou outro espírito e outro grau de concentração na comparação com a partida anterior, mas ainda ficou um pouco distante de retomar o seu melhor futebol. O começo da partida foi de pouca bola no chão, muito chutão e muita briga e discussão. Pouquíssimas vezes as equipes conseguiam trocar uma sequência de passar. Tal situação não era de todo ruim pra quem atua como visitante, mas o problema é que sem os seus principais avantes, o Grêmio não articulava jogadas de ataque e Mamute e Lucas Coelho não conseguia segurar a bola na frente. O Atlético passou a ganhar a maioria dos rebotes/”segunda bola” e assim chegou mais próximo da área tricolor. Aos 36 minutos, após uma série de dividas e carrinhos, a bola sobrou para Ederson na ponta direta. Dali saiu o cruzamento, em que Dellatorre tomou a frente de Werley e cabeceou no canto de Dida. Pouco depois o arqueiro gremista fez grande defesa em um chute rasteiro de Everton.
O ritmo do jogo diminuiu um pouco no segundo tempo. O Grêmio melhorou com as substituições feitas por Renato a partir dos 15 minutos e passou a ter mais presença ofensiva, e quase empatou em duas bola cruzadas na área. Na primeira, aos 36 minutos, Elano cabeceou fraco e defesa do Weverton foi facilitada, na segunda, aos 45, Riveros teve a melhor chance gremista, mas a sua cabeçada passou rente a trave. Assim o jogo

O 1×0 contra é um resultado ruim, sobretudo complicado, mas é plenamente reversível. Pelo que se viu ontem no campo e pelo o que esses times já apresentaram na temporada não é nenhum exagero dizer que o Grêmio tem totais condições de ganhar por dois gols de diferença na Arena.
Na minha visão, o Grêmio melhorou bastante com a entrada do Elano no segundo tempo. Eu não teria iniciado com Mamute e Lucas Coelho (optaria por um deles só). Mas entendo que Renato pensou num jogo duro, de contato físico e chutões (e de fato foi isso que aconteceu no começo) e nesse cenário Elano, Maxi Rodriguez e Paulinho (alternativas para jogar mais a frente) poderiam penar na partida.

Tenho certeza que procurador-geral do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (SJTD), Paulo Schmitt, que é atleticano, não vai ter nenhum constrangimento em denunciar um jogador do furacão (No caso o Paulo Baier, pela cotovelada em Bressan). Não concordo com essas punições exageradas e muito menos com essa figura do inquisidor/fiscal do “bom futebol”. Mas se ele existe, deve atuar de forma imparcial.

 Fotos: Hedeson Alves (UOL), Albari Rosa (Gazeta do Povo), Felipe Gabriel (Lance), Heuler Andrey (Gazeta Press) e Diego Vara (Zero Hora)

Atlético-PR Atlético Paranaense 1×0 Grêmio Grêmio

ATLÉTICO-PR: Weverton; Léo, Manoel, Luiz Alberto e Juninho; Deivid, Zezinho (João Paulo – 32’/2°T), Everton e Paulo Baier (Fran Mérida – 39’/2°T); Dellatorre (Ciro – 26’/2°T) e Ederson.  
Técnico: Vagner Mancini.

GRÊMIO: Dida; Werley, Rhodolfo e Bressan; Pará, Souza, Ramiro, Riveros e Alex Telles; e Yuri Mamute (Paulinho – 31’/2°T) e Lucas Coelho (Elano – 14’/2°T).
Técnico: Renato Portaluppi

Copa do Brasil 2013- Semifinal – Jogo de Ida
Data: 30/10/2013, quarta-feira, às 21h50min
Local: Estádio Durival de Britto, em Curitiba (PR)
Público: 16.014 (15.162 pagantes)
Renda: R$ 302.910,00
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (Fifa/MG)
Auxiliares: Carlos Berkenbrock (SC) e Carlos Augusto Nogueira Jr (SP)
Cartões amarelos: Ederson (CAP) Alex Telles, Bressan (GRE)
Gols: Dellatorre, aos 3 minutos do 1° tempo

1996 – Copa do Brasil – Atlético Paranaense 1×1 Grêmio

October 30, 2013

Grêmio e Atlético Paranaense se encontraram em apenas uma edição da Copa do Brasil. Foi em 1996, em confronto válido pelas oitavas de final, e a partida de ida foi realizada em Curitiba, no dia 26 de março, justamente a data do aniversário do Furacão.
O Grêmio ainda estava fazendo ajustes para retomar o nível de futebol apresentado em 1995. Aílton, autor do gol do título do Brasileirão, desembarcou em Porto Alegre nesse mesmo dia. Para o enfrentamento no Paraná o tricolor cuidava também dos fatores extracampo. A direção temia pelas condições do antigo  “Caldeirão do Diabo” e exigiu que o jogo fosse televisionado para que a CBF pudesse acompanhar eventuais excessos (O SBT transmitiu a partida para todo Brasil). Da mesma forma, a comissão técnica não gostou da escalação do juiz Cláudio Vinícius Cerdeira, em razão do retrospecto dele em jogos do clube.
Dentro de campo a história não foi tão complicado. Carlos Miguel abriu o marcador com um golaço logo aos 4 minutos de jogo. Andrei empatou para o time da casa aos 40 do primeiro tempo, num chute que desviou em Emerson. No segundo tempo o Atlético pressionou, chegando a colocar duas bolas na trave, mas não conseguiu a virada.

Fontes: Correio do Povo e Zero Hora

Atlético Paranaense 1×1 Grêmio

ATLÉTICO-PR: Ricardo Pinto; Reginaldo (Alex), Luiz Eduardo, Andrei e Elias; Leomar, Sidiclei (Matosas), Luiz Carlos (Everaldo) e Jorginho; Paulo Rink e Oséias
Técnico: Emerson  Leão
GRÊMIO: Danrlei; Arce, Rivarola, Adílson e Roger; João Antônio (Luciano), Goiano, Emerson e Carlos Miguel; Zé Alcino e Jardel
Técnico: Luis Felipe Scolari
Copa do Brasil 1996 – Oitavas de Final – Jogo de ida
Data: 26 de março de 1996, terça-feira, 21h00min
Local: Estádio Joaquim Américo, em Curitiba-PR
Público: 14.446 pagantes
Renda: R$ 184.441,00
Árbitro: Cláudio Vinícius Cedeira-RJ
Cartões Amarelos: Goiano, Rivarola, Adilson, João Antônio e Jorginho
Gols: Carlos Miguel, aos 4min/1ºT e Andrei, aos 40min/1ºT

Brasileirão – Coritiba 4×0 Grêmio

October 28, 2013

 Um dos grande méritos do Grêmio nesse brasileirão é ser um time que dá pouca chance ao azar, ser uma equipe que erra pouco.Hoje o tricolor errou demais. E errou muito cedo. Logo aos 15 segundos de jogo Pará fazia um gol contra, numa clamorosa falha individual precedida de uma grosseira falha coletiva (uma vez que o time permitiu uma jogada ensaiada infantil do Coritiba na saída de bola). Poucos minutos depois, a defesa gremista deixou que Alex circulasse livre entre a intermediária e área defendida por Dida, e na altura da meia lua o camisa 10 do Coxa recebeu livre e chutou no canto do goleiro gremista. 2×0 em menos de cinco minutos. Grêmio ficou os 85 minutos restantes correndo atrás da bola, e ainda levou mais dois gols, terminando o confronto com inapelável 4×0.
Era esperado uma queda de rendimento em meio a tantos compromissos em “quarta e domingo”. Seria difícil o time repetir o mesmo tipo de concentração vista no jogo contra o Corinthians. Estranha-se apenas que o tombo tenha sido tão feio. Resta saber qual será a reação da equipe, e como esse resultado afetará o futuro do time nas competições, especialmente na Copa do Brasil.

 

Pará sempre se destacou pela regularidade e confiabilidade. Hoje ele estava completamente perdido. De fato Geraldo estava de palhaçada desde o final do primeiro tempo (tanto é que Renato reclamou disso no intervalo e Alex lhe deu razão), mas Pará não pode reagir daquela maneira (Uma chegada dura alguns minutos depois teria o mesmo efeito e resultaria numa punição bem mais leve da nossa hipócrita arbitragem).
Uma boa prova que o Grêmio “não achou” o Coritiba em campo foi o fato de que o time cometeu apenas 9 faltas, contra 13 feitas pelo time da casa.
Não faria nenhuma diferença, mas é importante registrar que a arbitragem deixou de dar um pênalti em Kléber aos 8 minutos do segundo tempo.

 Fotos: Marcelo Andrade (Gazeta do Povo) e Coritiba.com.br
 
Coritiba Coritiba 4×0 Grêmio Grêmio

CORITIBA: Vanderlei, Gil, Luccas Claro, Leandro Almeida, Carlinhos, Junior Urso, Willian, Robinho, Alex (Keirrison, 36/2T), Julio César (Deivid, 26/2T) e Geraldo.
Técnico: Péricles Chamusca
GRÊMIO: Dida; Pará, Werley, Bressan e Alex Telles; Adriano, Matheus Biteco (Elano, 11/2T) e Riveros; Vargas (Saimon, 41/2T), Barcos (Moisés, 24/2T) e Kleber.  
Técnico: Renato Portaluppi
31ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2013
Data: 27/10/13, domingo, 18h30min
Local: Couto Pereira, em Curitiba (PR)
Público: 21.630 (19.203 pagantes)
Renda: R$ 425.347,00  
Árbitro: André Luiz de Freitas Castro (GO)
Assistentes: Rogério Pablos Zanardo (SP) e Danilo Simon Morais (SP)
Cartão vermelho: Pará (GRE)
Gols: Pará (contra), 15”/1ºT ; Alex, 3’/1ºT, Robinho, 34’/1ºT, Geraldo, 13’/2ºT

Eleição para a presidência do Conselho Deliberativo

October 27, 2013

Na última terça-feira (dia 22 de outubro de 2013) ocorreu a eleição para a presidência do conselho deliberativo do Grêmio. Foi a primeira reunião com a nova composição do conselho. Ao contrário do que aconteceu na última vez, não houve consenso e dois candidatos disputaram o cargo. No total, 295 conselheiros compareceram e assim distribuíram seus votos:
– Chapa 1: Milton Camargo ( Vice Jorge Bastos)  151 votos
– Chapa 2: César Pacheco ( Sergei  da Costa) 138 votos
– 3 votos nulos e 3 votos em brancos. 
Eu votei no Milton. Porque acho que era o candidato mais qualificado para o cargo e também porque acho que era certo dar alguma continuidade ao trabalho que Raul Régis fez na presidência do conselho (Milton foi vice no segundo mandato do Régis). 
Eu sei que o tema é polêmico mas defendendo que os conselheiros deveriam abrir seus votos. O ideal seria que todos fundamentassem para os sócios interessados suas decisões no conselho, mas isso talvez seja um exagero. Entendo que os conselheiros são representantes dos sócios (e não de si mesmos) e por uma questão de transparência, o mínimo que deveriam fazer era informar a maneira que votam dentro do conselho.

Brasileirão 2013 – Classificação 30ª Rodada

October 26, 2013
Times P J V E D GP GC SG %
1 Cruzeiro Cruzeiro  62 30 19 5 6 60 26 34 68
2 Grêmio Grêmio 53 30 15 8 7 37 26 11 58
3 Atlético-PR Atlético-PR 51 30 14 9 7 47 38 9 56
4 Botafogo Botafogo  50 30 14 8 8 44 35 9 55
5 Goiás Goiás 46 30 12 10 8 38 34 4 51
6 Atlético-MG Atlético-MG  45 30 12 9 9 34 29 5 50
7 Vitória Vitória  44 30 12 8 10 42 42 0 48
8 Santos Santos  43 30 11 10 9 39 31 8 47
9 Internacional Internacional  42 30 10 12 8 45 42 3 46
10 São Paulo São Paulo  40 30 11 7 12 30 29 1 44
11 Flamengo Flamengo 40 30 10 10 10 36 36 0 44
12 Corinthians Corinthians  40 30 9 13 8 23 18 5 44
13 Portuguesa Portuguesa 38 30 10 8 12 45 43 2 42
14 Coritiba Coritiba  37 30 9 10 11 33 39 -6 41
15 Fluminense Fluminense 36 30 9 9 12 33 37 -4 40
16 Bahia Bahia 36 30 9 9 12 31 38 -7 40
17 Vasco Vasco 33 30 8 9 13 40 49 -9 36
18 Criciúma Criciúma  32 30 9 5 16 38 51 -13 35
19 Ponte Preta Ponte Preta  30 30 8 6 16 31 43 -12 33
20 Náutico Náutico 17 30 4 5 21 20 60 -40 18
Em 2012 o Grêmio tinha 57 pontos (3º lugar) após a 30ª rodada do Campeonato Brasileiro
Em 2011 o Grêmio tinha 42 pontos (9º lugar) após a 30ª rodada do Campeonato Brasileiro 
Em 2010 o Grêmio tinha 46 pontos (7º lugar) após a 30ª rodada do Campeonato Brasileiro
Em 2009 o Grêmio tinha 44 pontos (8º lugar) após a 30º Rodada do Campeonato Brasileiro
Em 2008 o Grêmio tinha 56 pontos (1º lugar) após a 30ª Rodada do Campeonato Brasileiro
Em 2007 o Grêmio tinha 48 pontos (5º lugar) após a 30ª Rodada do Campeonato Brasileiro
Em 2006 o Grêmio tinha 52 pontos (4º lugar) após a 30ª Rodada do Campeonato Brasileiro  

Copa do Brasil – Grêmio 0x0 Corinthians (Grêmio 3×2 nos pênaltis)

October 24, 2013

Como era de se imaginar, o jogo de ontem foi bem diferente do da semana passada válido pelo brasileirão. Foi uma típica partida de Copa, tensa, truncada, peleada. Renato voltou a escalar o time no seu heterodoxo 4-3-3, enquanto Tite optou por uma escalação mais defensiva do que a usada na partida de ida, escalando Edenilson no meio campo (aparentemente para bloquear a passagem de Alex Telles). Os atacantes de ambas equipes tinha pouco espaço para criar, e as oportunidades dependiam das chegadas dos jogadores de trás. O Grêmio tinha um leve domínio, e como não consegui fazer rodar a bola, acabou concentrando suas ações pela direita, na dobradinha Ramiro e Pará. Foi dali que surgiram as principais situações. Na melhor delas, Kleber entrou na arena pela diagonal na ponta direita e chutou forte, o rebote do goleiro Walter caiu nos pés de Vargas, mas o chileno pegou mal na bola, que saiu demasiadamente alta.
A tensão aumentou no segundo tempo, uma vez que a sensação de que o time que marcasse primeiro sairia classificado foi ficando cada vez mais forte. Corria-se cada vez menos riscos, e o Grêmio não teve vergonha de dar chutão e forçar a bola aérea. O Corinthians sempre posicionava os seus 11 jogadores dentro da área nos lances de bola parada. Numa das raras vezes que o tricolor conseguiu pegar a zaga adversária fora de lugar, Vargas entrou livre pela direita  e desperdiçou a melhor oportunidade do jogo. Sheik entrou bem na partida, incomodou a defesa do Grêmio (que já estava compreensivelmente cansada) mas logo foi expulso ao discutir com Vargas. Elano igualmente ingressou com ritmo forte no jogo, mas não conseguiu movimentar o placar. Assim o jogo foi para os pênaltis.
E na série de cobranças transpareceu a frieza de Dida e a displicência de Alexandre Pato, no que o Grêmio avançou para as semifinais.

Em 20 de outubro de 2013:

Luis Henrique Benfica – Renato, e como só a vitória interessa quarta-feira e o Vargas, tá provado aí, faz gols, ele tem uma grande chance de começar o jogo?
Renato Portaluppi – Ah, eu quero esfriar minha cabeça. Já falei pra vocês agora… Não! Não é só vitória que passa o Grêmio não, a gente pode ganhar nos pênaltis também.
Benfica – Mas aí vai matar o pessoal do coração
RenatoBom, você que é colorado então, imagina. Não adianta ficar secando não. O importante é que nós temos oportunidade, a gente vai fazer de tudo, de uma maneira ou de outra, pra passar de fase
Benfica – Aí baixou o nível né, Renato? Você é melhor que isso
Renato – Não, não, não baixei o nível, não. Você tá querendo escalar meu time. Por favor leva na brincadeira


Uma das coisas mais legais é ouvir os sons do estádio após um jogo emocionante. É o momento da torcida ganhadora se fazer ser ouvida. Não acho certo que os torcedores tenham que competir com o sistema do som do estádio nessa hora (Isso que eu gosto muito de AC-DC e considero “Highway to hell”  um dos maiores clássicos do rock). E já faz um tempo que os anúncios do intervalo são feitos em um volume absurdo. Ontem até o próprio MC Jean Paul parecia desconfortável com a situação. Entendo que se queira aumentar as atrações da partida, mas acho que esse não é o melhor caminho.
Público interessante na Arena ontem. É de se supor que muitos sócios deixaram de ir em função da chuva que caiu sobre Porto Alegre (36% do público presente era de sócios contribuintes; e essa categoria, na média da Arena em 2013, costuma ser responsável por 50% do público) . E talvez tenha sido o maior problema que o temporal causou no jogo, porque o gramado resistiu muito bem.
É interessante notar que os “lampejos” de caldeirão na Arena são cada vez mais frequentes.

 

Fotos: Fabiano do Amaral (Correio do Povo), Tiago Baldasso, UOL (Vipcomm) e Jefferson Bernardes (Grêmio.net)

Grêmio Grêmio 0x0 Corinthians Corinthians
(Grêmio 3×2 nos pênaltis)

GRÊMIO: Dida; Pará, Rhodolfo, Bressan e Alex Telles; Souza, Riveros (Elano – 41’/2°T) e Ramiro; Vargas, Barcos e Kleber
Técnico: Renato Portaluppi

CORINTHIANS: Walter; Alessandro, Gil, Paulo André e Fábio Santos (Igor – 5’/2°T); Ralf e Guilherme (Emerson Sheik – 26’/2°T); Edenílson, Douglas (Danilo – 17’/2°T) e Romarinho; Alexandre Pato
Técnico: Tite

Copa do Brasil 2013 – Quartas de Final – jogo de volta
Data: 23/10/13, quarta-feira, 21h50min
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS)
Público: 35.684 (33.503 pagantes)
Renda: R$ 1.820.728,00
Árbitro: Paulo Henrique Godói Bezerra-SC
Assistentes: Márcio Eustáquio Santiago -MG e Fabricio Vilarinho Silva-GO
Cartões amarelos
: Kleber, Barcos, Vargas (GRE) Ralf (COR)
Cartões vermelhos: Vargas (GRE) e Emerson Sheik (COR)
Cobranças de pênalti: Barcos (defendido), Danilo (defendido), Alex Telles (trave), Edenílson (defendido), Pará (gol), Alessandro (gol), Elano (gol) e Kleber (gol) e Pato (defendido)

Copa do Brasil 1999

October 23, 2013
Assim como aconteceu na edição anterior, o Grêmio foi eliminado nas oitavas de final da Copa do Brasil de 1999.
O time comandado por Celso Roth  dividia as atenções entre Gauchão, Copa Sul e Copa do Brasil no primeiro semestre daquela temporada. Naquele momento, o maior destaque do plantel era o zagueiro Scheidt, que então era convocado para a seleção brasileira por Vanderlei Luxemburgo.
O Grêmio conseguiu os títulos das competições regionais que disputou, mas no certamente nacional foi eliminado pelo Flamengo, após fazer uma partida muito ruim no Olímpico na ida e quase te conseguido buscar a reversão no Maracanã na volta.
O curioso é que a eliminação poderia ter sido ainda mais precoce, contra o ABC de Natal logo na primeira fase. O Tricolor ganhou a primeira partida por 2×1 no Rio Grande do Sul. Na volta, o ABC ganhava por 3×2 quando, aos 39 minutos do segundo tempo, ocorreu um blecaute nas regiões sul, sudeste e centro-oeste. O Olímpico ficou sem luz por mais de 20 minutos, período no qual houve dúvida sobre quais seriam as consequências se a energia não retornasse (O jogo seria dado como encerrado? Seriam jogado novamente desde o começo? Somente os minutos restantes). Por sorte a iluminação retornou em tempo hábil e Agnaldo conseguiu marcar, aos 43 minutos do segundo tempo, o 3×3 que colocou o Grêmio na fase seguinte.

1ª Fase – Jogo de ida
ABC ABC-RN 1×2 Grêmio Grêmio

ABC: Michel Schumacher; Jamur (Éverton), Marcão, Mário César e Quinho; Ivanildo, Evandro (Téo), Humberto e Tecy (Jorginho); Sérgio Alves e Róbson.
Técnico: Ferdinando Teixeira

GRÊMIO: Danrlei; Walmir, Rodrigo Costa, Scheidt e Roger; Fabinho, Goiano, Itaqui e Palhinha (Otacílio); Zé Alcino (Agnaldo) e Macedo (Ronaldo Alves).
Técnico: Celso Roth

Data: 03/03/1999, Quarta-feira, 20h30
Local: Estádio Machadão, em Natal-RN
Árbitro: Antônio Hora Filho (SE)
Auxiliares: Terêncio Santos (SE) e José Pedro Vanderlei (PE)
Cartões Amarelos: Mário César, Walmir, Robson, Roger, Goiano e Agnaldo
Cartão Vermelho: Walmir (23/2ºT)
Gols: Palhinha, aos 16/1ºT e Walmir aos 35/1ºT; Téo aos 21 minutos do segundo tempo

1ª Fase – Jogo de volta
Grêmio Grêmio 3×3 ABC-RN ABC

Grêmio: Danrlei; Itaqui, Rodrigo Costa, Scheidt e Roger; Otacílio (Zé Afonso), Goiano, Palhinha (Ronaldinho) e Arílson (Robert); Macedo e Agnaldo.
Técnico: Celso Roth
ABC: Michel Schumacher; Humberto, Marcão, Mário César e Quinho; Ivanildo, Evandro, Théo (Rincón) e Tecy (Wanderlei, depois Rau);  Sérgio Alves e Róbson.
Técnico: Ferdinando Teixeira
Data: 11/03/1999, Quinta-feira, 20h30min
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre-RS
Público: 6.480 (5.142 pagantes) 
Renda: R$ 48.892,00.
Árbitro: Evandro Rogério Roman (PR)
Auxiliares: Roberto Braatz
Cartões Amarelos: Palhinha, Rodrigo Costa, Marcão, Mário César, Quinho, Humberto e Evandro

Gols: Robson aos 2/1ºT, Robson aos 6/1ºT e Palhinha aos 23/1ºT; Macedo aos 18/2ºT, Robson aos 23/2ºT e Agnaldo aos 43/2ºT

 

2ª Fase – Jogo de Ida

Vila Nova-GO Vila Nova 2×1 Grêmio Grêmio

VILA NOVA: Harley; Moisés, Vladimir, Leonardo e Carlos Eduardo; Donizete, Cléber (Luciano), Sabino (Reinaldo Aleleuia) e Cacá; Ânderson e Verona (Luizão).
Técnico: Tata.
GRÊMIO: Danrlei; Walmir, Ronaldo Alves, Éder e Roger; Fabinho, Goiano, Itaqui e Robert (Zé Alcino); Ronaldinho (Zé Afonso) e Macedo (Rodrigo Gral).
Técnico: Celso Roth
Data: 24 de março de 1999, quarta-feira, 20h30min
Local: Estádio Serra Dourada, em Goiânia-GO
Público: 12.376 pagantes 
Renda: R$ 108.028,00
Árbitro: Luciano Almeida (DF)
Auxiliares: Nelson Garrijo (DF) e Marrubson Mello Freita (DF)
Cartão Vermelho: Rodrigo Gral, aos 48/2ºT
Gols: Moisés, aos 21/1ºT. Anderson aos 41/2ºT e Zé Afonso aos 47/2ºT

2ª Fase – Jogo de volta

 Grêmio Grêmio   4×2 Vila NovaVila Nova-GO

GRÊMIO: Danrlei; Walmir, Ronaldo Alves, Éder e Roger; Fabinho, Goiano (Otacílio), Itaqui e Arílson; Macedo e Agnaldo (Zé Afonso)
Técnico: Celso Roth
VILA NOVA: Harley; Moisés; Wladimir, Leonardo e Carlos Eduardo (Reinaldo); Donizete, Cléber (Verona), Luizão e Cacá; Luciano e Ânderson (Sabino)
Técnico: Tata
Data: 31 de março de 1999, quarta-feira, 20h30min
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre-RS
Público: 7.268 pagantes
Renda: R$ 50.985,00
Árbitro: Jamir Carlos Garcez (DF)
Auxiliares: Rogério Monteiro Oliveira (DF) e Ildelfonso Trombetta (PR)
Cartões Amarelos: Leonadro, Verona, Carlos Eduardo, Cacá e Éder
Cartão Vermelho: Donizete e Verona
Gols: Macedo aos 12/1ºT, Itaqui aos 35/1ºT; Arílson (pênalti) aos 10/2ºT, Luciano aos 16/2ºT, Itaqui aos 23/2ºT e Verona aos 29/2ºT

 

Oitavas de final – Jogo de ida

Grêmio Grêmio 1×2 Flamengo Flamengo

GRÊMIO: Danrlei; Itaqui, Ronaldo Alves, Scheidt e Roger; Fabinho, Goiano, Palhinha (Walmir) e Arílson (Zé Afonso); Macedo e Agnaldo (Zé Alcino). 
Técnico: Celso Roth
FLAMENGO: Clemer; Fábio Baiano (Pimentel), Fabão, Luís Alberto e Athirson; Jorginho, Maurinho, Beto e Iranildo; Caio (Rodrigo Mendes) e Romário.

Técnico: Carlinhos

Data: 21 de abril de 1999, quarta-feira, 16h00min
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre-RS
Público: 35.556 (30.408 pagantes)
Renda: R$ 334.554,00
Árbitro: Luciano A. Almeida (DF)
Auxiliares: Jorge Paulo Gomes e Nilson Carrijo
Cartões Amarelos: Jorginho, Iranildo e Zé Afonso
Gols: Romário, aos 6/2ºT, Caio aos 9/2ºT e Macedo aos 14/2ºT

 
 Oitavas de final – Jogo de volta

Flamengo Flamengo 2×2 Grêmio Grêmio

FLAMENGO: Clemer; Pimentel (Leonardo Inácio), Fabão, Luiz Alberto e Athirson; Jorginho, Maurinho, Iranildo e Beto (Vágner e depois Rodrigo Mendes), Leandro Machado e Romário.
Técnico: Carlinhos

GRÊMIO: Danrlei; Walmir, Ronaldo Alves, Scheidt e Éder; Djair (Ronaldinho), Fabinho, Goiano e Itaqui; Macedo (Arílson) e Zé Alcino (Rodrigo Gral).
Técnico: Celso Roth

Data: 29 de abril de 1999, quinta-feira, 20h30min
Local: Estádio Maracanã, no Rio de Janeiro-RJ
Público: 20.366 pagantes
Renda: R$ 133.708,00. 
Árbitro: Márcio Rezende de Freitas (MG)
Auxiliares: Marco Antônio Martins e Helbert Costa Andrade
Cartões Amarelos: Leandro Machado, Goiano e Itaqui
Gols: Fabão aos 8/1ºT, Zé Alcino aos 37/1ºT e Romário aos 41/1ºT; Scheidt aos 13/2º T

Fontes: Correio do Povo, O Globo, Zero Hora e Bola na Área

Brasileirão – Internacional 2×2 Grêmio

October 21, 2013

Infelizmente eu não consegui assistir  ao Gre-Nal 398 na íntegra. Acompanhei apenas boa parte do segundo tempo na tela do celular, dentro de um táxi. No que eu vi, achei o jogo bastante movimentado e bastante “aberto” (se considerarmos o padrão histórico do clássico).  Gostei do fato de que por mais que a partida tenha sido brigada e por vezes discutida, a bola rolou bastante (algo que não aconteceu em clássicos anteriores).
O resultado não foi ruim para nenhuma das equipes. Os pontos desse jogo dificilmente afetariam a reta final de Grêmio e Inter nesse Brasileirão. Apenas uma vitória consistente ou uma derrota acachapante poderiam afetar o estado anímico dos times, mas isso não aconteceu.
O segundo gol do Grêmio foi uma pintura. Mostra bem a versatilidade do Ramiro. É injusto taxar ele como mero meio campista de marcação.
Por falar em jogar bonito, quando o Grêmio vence o Tostão diz que o Grêmio joga feio. Quando empate ele afirma que houve “uma bela partida”. Estranho

Eu não sou o maior entusiasta da flauta e da corneta, mas achei muito legal que os técnicos e jogadores conseguiram fazer isso no final do jogo com tranquilidade e em alto nível.

Mas teve quem reclamou do nível. Eu até entendo que a entrevista coletiva seja um formato muito difícil de se trabalhar. Mas ainda assim não se pode permitir que um repórter se valha dela para bater boca com o entrevistado. E não foi a primeira vez que isso aconteceu.

Inaceitável também foi a polêmica dos ingressos para a torcida visitante. O que se fez e o que se disse nessa semana está totalmente fora dos padrões esperados para Grêmio e Inter. A rivalidade não pode ser mantida assim. Não se pode querer eliminar a torcida do adversário. A rivalidade não pode ser apenas virtual.
É inconcebível que clubes da grandeza de Grêmio e Inter não coloquem no papel os termos e não assinem um acordo feito por ambos. É absurdo que o presidente de um clube tenha que ser desmentido pelo secretário de segurança. É inacreditável que, 7 anos depois uma diretoria volte a tentar mandar pro limbo um carga de ingressos destinada ao adversário. É de se estranhar que um diretor, por mais convicto que esteja da sua interpretação, se recuse a fazer um gesto de grandeza para ceder um espaço que, de qualquer forma, não seria ocupado pela sua torcida.
O triste é que os exemplos não estão tão longe daqui. Na última segunda a chefe de serviços para o torcedor da Premier League, Cathy Long, esteve em um evento em Porto Alegre (nos quais estavam presente diretores do S.C.Internacional) e ali falou sobre diversas iniciativas da liga inglesa, entre elas um programa que destina verbas para aumentar a quantidade e qualidade da visita das torcida adversária nos estádios britânicos. Por que não podemos pensar em algo parecido para o Rio Grande do Sul?

Fotos: Lucas Uebel (Grêmio.net), Alexandre Lops (Internacional) e UOL (Vipcomm)

Internacional Internacional 2×2 Grêmio Grêmio

INTERNACIONAL: Muriel; Gabriel, Jackson, Juan e Kleber; João Afonso, Willians, Otávio (Caio – 28’/2ºT), D’Alessandro e Jorge Henrique (Forlán – 12’/2ºT); Leandro Damião (Rafael Moura – 38’/2ºT).  
Técnico: Clemer
GRÊMIO: Dida; Pará, Werley (Saimon – Intervalo), Bressan e Alex Telles; Ramiro, Souza e Riveros; Vargas (Wendell – 45’/2ºT), Kleber e Barcos (Yuri Mamute – 40’/2ºT).  
Técnico: Renato Portaluppi.

30ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2013
Data: 20/10/2013 domingo, 16h00min
Local: Estádio Centenário, em Caxias do Sul -RS
Público: 17.107 (15.273 pagantes)
Renda: R$453.830,00
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (Fifa-RJ)
Auxiliares: Emerson Augusto de Carvalho (Fifa-SP) e Celso Barbosa de Oliveira (SP)  
Cartões Amarelos: Kleber, João Afonso e Willians (INT); Pará, Bressan e Alex Telles (GRE)
Gols: Willians, aos 3’/1ºT; Jackson (contra), aos 40’/1ºT; Vargas, aos 6’/2ºT  e D’Alessandro (pênalti) aos 15’/2ºT

Brasileirão – Grêmio 1×0 Corinthians

October 17, 2013

 
 

Era esperado um jogo estudado, de poucas oportunidades. Ainda que estivesse em crise pelo excesso de empates e falta de gols marcados, era pouco crível que o Corinthians fosse abandonar o seu estilo de jogo de diminuição de espaços e toques curtos. O Grêmio seguia na sua ideia de marcar forte. No primeiro tempo o Corinthians levou perigo em dois chutes de Diego Macedo (um deles após grande jogada de Douglas). Já o tricolor esteve perto de marcar numa boa arrancada de Lucas Coelho, que obrigou Cássio a fazer uma bela defesa.

O interessante que com Lucas Coelho jogando de segundo atacante, Barcos se viu obrigado a jogar mais dentro da área como há muito não fazia. E foi ali que ele resolveu a partida, logo aos 4 minutos do segundo tempo. Maxi Rodriguez mostrou visão e técnica ao acionar 9 gremista com uma belo passe pelo alto. O Pirata saltou, matou a bola no peito e sem a deixar cair chutou pro fundo do gol. O Corinthians tentou reagir, mas se ressentiu das ausências de Guerrero e Danilo. Ainda assim esteve perto de marcar, numa bola que Emerson Sheik passou em velocidade por Rhodolfo e parou em Dida. Minutos depois foi Barcos que parou no goleiro corintiano, de modo que o jogo se encaminhou para um magro, porém justo e suficiente, 1×0.

Fotos: Leonardo Osmarin (Grêmio Fotos) e Lucas Uebel (Grêmio.net)

Grêmio Grêmio 1×0 Corinthians Corinthians

GRÊMIO:Dida; Werley, Rhodolfo e Bressan (Maxi Rodríguez – intervalo); Pará, Adriano, Souza, Ramiro e Alex Telles; Lucas Coelho (Paulinho – 22’/2°T) e Barcos (Saimon – 37’/2°T)
Técnico: Renato Portaluppi

CORINTHIANS:Cássio; Edenílson, Cleber, Gil e Igor (Jocinei – 31’/2°T); Ralf e Guilherme (Ibson – 28’/2°T); Diego Macedo (Rodriguinho – 19’/2°T), Douglas e Romarinho; Emerson Sheik. 
Técnico:Tite

29ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2013

Data: 16 de outubro de 2013, quarta-feira, 21h50min
Local:Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS)
Público: 17.318 (15.352 pagantes)
Renda:R$ 454.454,00 
Árbitro:Sandro Meira Ricci (Fifa-PE)
Assistentes:Kleber Lucio Gil (Fifa-SC) e Clóvis Amaral da Silva (PE)
Cartões amarelos:Adriano (GRE) Cleber (COR) 
Gol: Barcos, aos 4 minutos do 2° tempo

As transmissões de Corinthians e Grêmio no Brasileirão 2013

October 16, 2013
Assim como aconteceu no primeiro turno, Grêmio e Corinthians jogam hoje numa quarta-feira, às 21h50min. A diferença de agora é que, ao contrário do que aconteceu na  10ª rodada, a partida NÃO terá televisionamento para a cidade onde é realizada. Mas será que essa é única diferença de tratamento entre dos dois clubes pela detentora do direitos de televisonamento?
A resposta, obviamente, é não. Vimos, antes mesmo do campeonato começar, que o Corinthians era o time que mais jogava em casa aos finais de semana, enquanto o Grêmio tinha um excessivo número de jogos como mandante no meio da semana.
Da mesma forma, o blog Teoria dos Jogos, publicou um levantamento onde consta que o Corinthians é disparado o time que mais jogou em casa às 16 horas de domingo, que comprovadamente é horário que mais atrai público aos estádios.
Mas como isso se reflete nas transmissões dos jogos? Fiz um levantamento (tabela abaixo) de como foram transmitidos os jogos de Grêmio e Corinthians até a 29ª rodada:

Como se vê, a diferença é brutal. Mas se formos detalhar os jogos o tratamento diferenciado fica mais evidente. Por exemplo, dos 11 jogos Corinthians que aparecem na tabela como transmitidos pelo PFC, 7 tiveram transmissão em TV aberta para alguma região do País (Minas Gerais, Pernambuco, Paraná, Bahia, Goiás e etc). Nenhuma vez o Grêmio teve esse privilégio. Outro detalhe curioso está nos jogos em que os dois times foram obrigados a jogar longe de casa em função de perda de mando de campo. Grêmio e Náutico foi realizado em Caxias do Sul, e a partida não teve transmissão para Porto Alegre e região da Serra. Já o jogo entre Corinthians e Atlético-PR, realizado em Mogi Mirim, teve transmissão para todo o estado de São Paulo.
Resta saber como a direção do Grêmio está se portando diante desse quadro. É válido lembrar que clubes que procuram mudanças junto a Globo/CBF tem sido atendidos. O Vasco reclamou publicamente e prontamente ocorreram mudanças para que os cruz-maltinos aparecessem mais na TV aberta.