Brasileirão – Cruzeiro 3×0 Grêmio

 
É certo que o Grêmio não pode ficar tanto tempo sem marcar gols e, especialmente, ficar tanto tempo sem vencer. O torcedor gremista tem todo o direito de estar indignado, mas não me parece ser o momento mais adequado para se fazer terra arrasada. É sempre ruim perder, mas uma derrota para o líder do campeonato, no Mineirão, é plenamente compreensível. A distância dos dois times na tabela não passa pelo confronto direto.
A atuação tricolor esteve muito longe de poder ser enquadrada como uma das piores do ano. O Cruzeiro, empurrado pelo estádio lotado e pela possibilidade do título, teve mais iniciativa, mais movimentação e foi superior, mas não atropelou o Grêmio como pode sugerir o 3×0 final. O time de Renato, apesar de estar claramente mais preocupado em defender, também conseguiu atacar e levou perigo a defesa cruzeirense. Fábio fez quatro grandes defesas e Barcos colocou uma bola na trave. 
Agora a questão é manter o foco para classificar para a Libertadores do ano que vem (e mais uma vez fazer do limão um limonada). O Grêmio segue no G3 (acredito fortemente que o São Paulo será campeão da Sulamericana) e faz 3 dos 5 jogos restantes em casa. Só depende de si.
Alguns dos critérios do Renato são difíceis de entender. Zé Roberto foi titular na quarta-feira e sequer entrou em campo no jogo de ontem. Não é questão de fazer campanha contra ou a favor do jogador, mas o conceito do treinador sobre seu time e seus atletas não pode mudar tanto em apenas 4 dias.
O time voltou a apresentar um problema recorrente que tem nesse esquema com 3 zagueiros e 3 volantes. A jogada começa numa lateral e ali termina (normalmente em triangulações entre Ramiro, Pará e Barcos pela direita, Alex Telles, Riveros e Kléber pela esquerda. A equipe não consegue fazer uma inversão de jogo ou acionar um jogador na faixa central do gramado, ficando um tanto previsivel na sua movimentação ofensiva.
Quem viu falta do Barcos em Luiz Alberto no gol anulado contra o Atlético Paranaense deve também ter visto falta de Borges em Werley na origem do primeiro gol do Cruzeiro. Questão de coerência.
 

Fotos: Superesportes e Wander Faria (Terra)

Cruzeiro Cruzeiro 3×0 Grêmio Grêmio

CRUZEIRO: Fábio; Ceará, Dedé, Leo e Egídio; Nilton, Lucas Silva, Everton Ribeiro (Luan, aos 30 do 2ºT) e Ricardo Goulart; Dagoberto (Willian, aos 30 do 2ºT) e Borges (Júlio Baptista, aos 15 do 2ºT)
Técnico: Marcelo Oliveira
GRÊMIO: Dida; Bressan, Werley e Rhodolfo; Pará, Ramiro, Souza, Riveros (Maxi Rodriguez, aos 36 do 2ºT) e Alex Telles; Kleber (Yuri Mamute, aos 35 do 2ºT) e Barcos
Técnico: Renato Portaluppi

33ª rodada –  Campeonato Brasileiro 2013
Data: 10 de novembro de 2013, domingo, 17h00min
Local: Mineirão, em Belo Horizonte
Público: 58.113 (56.854 pagantes)
Renda: R$ 5.231.711,00 
Árbitro: Wilson Luiz Seneme (SP)
Auxiliares: Marcelo Carvalho Van Gasse (SP) e Carlos Berkenbrock (SC)
Cartões amarelos: Ramiro, aos 17, Kleber, aos 27, Everton Ribeiro, aos 40 do 1ºT; Ceará, aos 17, Leo, aos 20, Alex Telles, aos 39 do 2ºT
Gols: Borges, aos 33 do 1ºT; Willian, aos 33 do 2ºT, e Ricardo Goulart, aos 40 do 2ºT

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s


%d bloggers like this: