Libertadores 2014 – San Lorenzo 1×0 Grêmio

 

O 1×0 de ontem pode ser analisado de uma maneira pessimista e de uma maneira otimista. Na primeira somos obrigados a constatar que o time perdeu pelo terceira vez consecutiva, justamente num momento crítico da temporada. Por outro lado, podemos afirmar que, apesar do insucesso, o time mostrou alguma evolução em relação aos dois jogos anteriores (onde foi completamente apático).
Logo de início o Grêmio se resguardou, esperando o San Lorenzo e só foi trocar mais de 2 passes no campo de ataque após os primeiros 15 minutos de jogo, o que convenhamos é uma cautela aceitável quando se enfrenta o campeão argentino em seus domínios. O time de Enderson Moreira voltou a estar relativamente bem posicionado e conseguia disputar e ganhar bolas no meio do campo. O time do Papa tinha iniciativa e propunha o jogo, mas sem muito sucesso. Prova disso é o fato de que suas melhores oportunidades na primeira etapa surgiram em erros gremistas. Aos 9 minutos Geromel errou uma antecipação e Matos aproveitou para chutar forte sobre o gol de Marcelo Grohe. Pouco depois, em uma falta mal cobrada por Ramiro, o San Lorenzo teve perigoso contra-ataque que só foi terminar com um providencial corte de Pará.
O tricolor voltou mais solto para o segundo tempo. Logo de cara Ramiro teve duas boas chances, mas na primeira o chute saiu pela linha de fundo e na segunda o volante chegou atrasado no bom passe de Zé Roberto. E como castigo, o Grêmio levou o gol justamente no seu melhor momento na partida. Num lateral cobrada rápido, que pegou Léo Gago fora de lugar, e resultou numa série de chegadas tardias dos defensores gremistas e culminou com o chute em curva de Correa que Grohe aceitou. Em desvantagem o Grêmio se abriu, e já com Luan em campo, foi pra cima do San Lorenzo. O tricolor teve algumas oportunidades, mas desperdiçou de forma bizarra a melhor delas num tiro livre dentro da área marcado após um recuo. A pressão gremista nos minutos finais acabou sendo inútil, servindo apenas para dar a sensação de que era plenamente possível conseguir um resultado mais favorável na Argentina.
 
Perder por 1×0 fora de casa no primeiro jogo é um resultado, historicamente, perigoso. Porém reversível. Especialmente se considerarmos que o  San Lorenzo fez muito pouco para conseguir a vitória. Resta saber se eles tem algo a mais a oferecer na partida de volta. O Grêmio certamente tem (Ou deveria ter).
Posso estar equivocado, mas pelo currículo e rodagem que tem, sempre espero mais do Zé Roberto nesse tipo de jogo. Ainda que ele não consiga mais acrescentar tanto no aspecto técnico, poderia mostrar mais liderança no aspecto anímico.
Léo Gago nunca se destacou pelo bom posicionamento e disciplina tática, mesmo quando joga na sua posição. Como lateral esquerdo ele errou demais, ainda que não por omissão (como ficou claro no lance em que chutou a bandeirinha de escanteio e na falta que recebeu amarelo). É sabido que a escalação de um atleta passa por diversos fatores, mas pro meu gosto, Breno, que é lateral de ofício, nunca desapontou nas partidas em que foi escalado.
Teve um pênalti, difícil de ser observado num primeiro momento, não marcado para o Grêmio no primeiro tempo. O curioso é que a imprensa gaúcha precisou ser avisada sobre ele pela imprensa argentina. No segundo tempo Geromel pediu pênalti em uma das sua idas a área adversária, mas a transmissão do jogo não exibiu replay da joga, preferindo ficar mostrando a presença de Marcelo Tinelli nas arquibancadas.
Dudu foi o melhor jogador gremista em campo. E teve a tarefa hercúlea de auxiliar Léo Gago na marcação, sendo que quando ia para o ataque, era obrigado a partir da intermediária ofensiva.
Uma questão que precisa ser resolvida urgentemente no time do Grêmio é a cobrança de bolas paradas. Cada uma é feita de um jeito, por um jogador diferente. O dois toques dentro da área executado por Dudu e Barcos foi simplesmente varzeano.

Fotos: Diego Guichard (Globo Esporte), Juan Mabromata (Lance) e SanLorenzo.com.ar

San Lorenzo San Lorenzo 1×0 GrêmioGremio

SAN LORENZO: Torrico; Buffarini, Valdés, Gentiletti, Mas; Mercier, Ortigoza, Villalba (Cavallaro, 30’/2ºT), Piatti (Kannemann, 23’/2ºT); Correa (Elizari, 37’/2ºT) e Matos
Técnico: Edgardo Bauza

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Pará, Geromel, Werley, Léo Gago (Breno, 38’/2ºT); Edinho, Ramiro (Luan, 11’/2ºT), Riveros, Zé Roberto (Maxi Rodríguez, 40/2ºT); Dudu e Barcos
Técnico: Enderson Moreira

Jogo de Ida – Oitavas de Final – Libertadores 2014
Data: 23 de abril de 2014, quarta-feira, 22h00min
Local: Estádio Nuevo Gasómetro, Buenos Aires-ARG
Arbitragem: Enrique Osses (FIFA-Chile)
Auxiliares: Carlos Astroza (Chile) e Sergio Roman (Chile) 
Cartões amarelos: Correa, Buffarini, Mas, Kannemann; Léo Gago, Edinho
Gols: Ángel Correa, aos 6 minutos do segundo tempo.

One Response to “Libertadores 2014 – San Lorenzo 1×0 Grêmio”

  1. Anônimo Says:

    Este é um problema histórico do Grêmio, desde 2007 não temos um batedor de faltas bons. E um camisa 10. Nosso time apesar de ser bom, qualificado, é limitado. Talvez pela falta de recursos financeiros… Precisamos de um batedor de faltas, e um camisa 10. O nosso banco também não é um banco de tanta qualidade… nos anos 90 era o Arce… em 2007 tinha o Tcheco… espero reforços.. porque.. assim fica complicado, porque até o Palmeiras de 2012 campeão da Copa do Brasil, era um time limitao. Mas tinha batedor de falta, e tinha um camisa 10. Assim eles foram campeoes.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s


%d bloggers like this: