Archive for April, 2014

2002 – Libertadores – Grêmio 1×0 Nacional

April 9, 2014

 

O último confronto entre Grêmio e Nacional em Porto Alegre ocorreu em maio de 2002, pela partida de ida das quartas de final da Libertadores 2002. Aquela edição do torneio foi um tanto peculiar, uma vez que só houve televisionamento das partidas para o Brasil a partir das semifinais. Antes disso o torcedor tinha a opção de ir no estádio ou de ficar ouvindo o rádio.
O Grêmio fazia grande campanha na competição. Terminou a primeira fase em primeiro do grupo 2 e nas oitavas de final trucidou o River Plate com duas vitórias (2×1 no Monumental de Nuñez e 4×0 no Olímpico). Já o Nacional classificou em segundo do grupo 2 e passou pelo América de Cali na fase seguinte.
O jogo no Olímpico foi realizado no dia 8 de maio, uma quarta-feira, as 21h40min e como era de se imaginar, foi bastante truncado. O Nacional se fechou na defesa e só tenta especular na bola área com Chengue Morales. O time treinado por Tite só foi conseguir sair desse ferrolho no segundo tempo, quando colocou velocidade no seu ataque com Luis Mário. Aos 33 minutos Rodrigo Fabri (que recém havia ingressado como ala-esquerda) marcou o único gol da partida.

 

Foi um jogo tenso, nervoso, contra um adversário fechado. Mas a estrela do técnico Tite prevaleceu. Colocou Rodrigo Fabri, um atacante, no lugar do ala Gilberto, aos 33 minutos do segundo tempo. Trinta segundos depois da modificação, Fabri marcou o gol salvador da vitória por 1 a 0.
 
(…)
 O Nacional, ao contrário do River Plate, mostrou limitações técnicas. Enfrentou dificuldades para trocar passes. Em compensação, sobraram força física e disciplina tática. Na hora de se defender, até o grandalhão Morales voltou para ajudar.” (Zero Hora – 9 de maio de 2002)
 
“O Nacional promete mais ousadia para o segundo jogo, quando precisa vencer por dois gols de diferença.
– Lá, jogaremos com três atacantes na frente. Nosso esquema vai ser diferente – garantiu o zagueiro Damian Rodriguez, nascido em Porto Alegre e torcedor confesso do Grêmio.” (Zero Hora – 9 de maio de 2002)

 

O zagueiro Claudiomiro comemorou a vitória apertada, mas principalmente o fato de que a defesa conseguiu neutralizar a jogada mais forte do adversário: “O time deles jogou atrás e buscou o jogo pelo alto, mas nós marcamos bem essa jogada”, afirmou. 
O autor do gol, Rodrigo Fabri, disse que foi o segundo que marcou na função de ala e que este é muito  importante: “É um gol que dá a vantagem de jogar pelo empate lá no Centenário”.(Correio do Povo – 09 de maio de 2002)

 

 

 

“Luis Mário foi a diferença nos 45 minutos finais. Entrou no lugar do deprimido Rodrigo Mendes e funcionou como um abridor de latas na defesa do Nacional. Equipado da velocidade do atacante, o Grêmio pressionou terrivelmente o time uruguaio. Este, cauteloso, fechou mais a defesa e usou a estratégia do espanto. Os zagueiros chutavam para todos os lados” (O Sul – 9 de maio de 2002)
 
“Tite estava muito satisfeito pelo espírito de luta e determinação empregado pelo Grêmio para superar o Nacional. O treinador gremista mexeu certo na equipe, colocando Luís ário, Fábio Baiano e Fabri, no segundo tempo, liquidando o adversário na base da velocidade. “Foi um jogo duríssimo, mas garantimos a vantagem para a revanche”, disse o técnico” (O Sul – 9 de maio de 2002)
 
 
 
 
 

 

 

Fontes: campeoesdofutebol.com.br, Correio do Povo, Grêmio.net, O Sul e Zero Hora

Grêmio 1×0 Nacional 

GRÊMIO Eduardo Martini;  Anderson Polga, Claudiomiro e  Roger;  Anderson Lima ,  Emerson Leal, Tinga (76 Fábio Baiano 31/2ºT) Zinho e Gilberto (Rodrigo Fabri 31/2ºT); Rodrigo Mendes (Luis Mario 9/2ºT) e  Luizão
Técnico: Tite
NACIONAL: Gustavo Múnua;  Andrés Scotti, Alejandro Lembo, Damián Rodriguez, Daniel Leites, Óscar Morales, Marco Vanzini, Richard Pellejero, Fabián Coelho (Horácio Peralta 34/2ºT),  Gustavo Varela ( Gustavo Méndez 27/2ºT), Richard Morales (Flávio Barros 34/2ºT),
Técnico: Daniel Carreño
Jogo de ida – Quartas de Final –  Copa Libertadores 2002
Data: 08 de maio de 2002, quarta-feira, 21h40min
Local: Estádio Olímpico Monumental, em Porto Alegre-RS
Público: 40.235 (36.374 pagantes)
Renda: R$ 461.108,00
Árbitro: Carlos Chandia (Chile)
Auxiliares: Guido Aros (Chile) e Jorge Diaz (Chile)
Cartões Amarelos: Gilberto, R.Fabri, Zinho, Pellejero, Damian R. e Varela
Gol: Rodrigo Fabri, aos 33 minutos do segundo tempo

Libertadores 2014 – Atlético Nacional 0x2 Grêmio

April 3, 2014

Havia uma grande dúvida sobre como o Grêmio reagiria a derrota no Gre-Nal, de como se iria se restabelecer da letargia do segundo tempo de domingo, do cansaço alegado na coletiva pós-jogo.  E a resposta da equipe gremista foi a melhor possível, ganhando a partida, jogando bem e se classificando antecipadamente para as oitavas de final da Libertadores.
O confronto foi o menos nervoso do tricolor até aqui. É claro que existiram dificuldades, que teve pressão, mas muito menos do que se poderia esperar de um jogo  fora de casa contra um campeão da América num enfrentamento pelo grupo da morte. E essa “tranquilidade” talvez passe pela atitude do Grêmio, que foi pouco incomodado num primeiro tempo que pouca coisa aconteceu. O time de Enderson Moreira apresentou uma defesa muito bem postada, e seus homens de frente não deixaram de pressionar a saída de bola do adversário. Ao atacar o Grêmio novamente sentiu falta de um jogador que trabalhasse mais as jogadas, umas vezes que todos avanços eram tentados na transição rápida ou na ligação direta. O Atlético Nacional acabou tendo maior posse bola, mas de maneira inócua, uma vez que as ações era ditadas por jogadores sem talento para tanto, como o camisa 2 Medina.
Em termos de classificação o 0x0 dos primeiros 45 minutos já era bem interessante para o Grêmio. Mas o time voltou ainda melhor para o segundo tempo, conseguindo adiantar a linha de marcação e roubar mais bolas no meio de campo. Aos 7 minutos, Luan dominou uma bola difícil na direita, quase em cima da linha lateral, mas deu sequência na jogada, passando pelo marcador e acionando Ramiro, que cruzou para Dudu marcar o 1×0. Com a desvantagem o Nacional foi pra cima e pressionou bastante em busca do empate, que só não aconteceu em função de Marcelo Grohe, que fez ao menos três grandes defesas. Esse ímpeto do time da casa durou até os 24 minutos do segundo tempo, quando Barcos e Luan ganharam uma série de disputas na intermediária ofensiva e o argentino arrancou em velocidade até a grande área, aonde deu um leve toque para tirar o goleiro Armani da jogada e estabelecer o 2×0 final.

O resultado foi importantíssimo para o futuro do Grêmio na competição e atuação foi importantíssima para a retomada da autoestima da equipe e torcida. Nesse último aspecto, foi muito bom que o time tenha tido um confronto fora de casa três dias depois da derrota no clássico.
No intervalo do jogo eu li críticas (algumas bem pesadas) ao Luan. Nada poderia ser mais injusto. É o jogador mais inexperiente do time e vem fazendo dupla função, de armador e finalizador. A jogada que ele fez no início do primeiro gol é simplesmente genial. Um desafogo para o time.
Um aspecto que, ao primeiro olhar, pode ser contraditório a todo esse boa atuação do time é o reconhecimento de que Marcelo Grohe foi um dos melhores jogadores em campo. Mas as jogadas que terminaram em defesas dele foram muito mais mérito do ataque adversário do que falhas da defesa tricolor.
Essa meia preta, com duas listras na parte da frente, parece ser novidade para mim. A usada no ano passado era diferente. Será que essa e a branca serão exclusivas da Libertadores?

Fotos: AFP (Terra) e  EFE (Colombia.com)

Atlético Nacional Atlético Nacional 0x2 Grêmio Grêmio

A. NACIONAL: Franco Armani; Medina, Murillo e Alexis Henríquez (Berrio, 17’/2º); Bocanegra, Mejía, Juan Valencia, Cárdenas, Cardona e Farid Diaz (Páez, 34/2º); Juan Pablo Angel (Jefferson Duque, 13/2º).
Técnico: Juan Carlos Osorio
GRÊMIO: Marcelo Grohe; Pará, Werley, Rhodolfo e Wendell; Edinho, Ramiro, Riveros, Luan (Alán Ruiz, 37/2º) e Dudu (Geromel, 44/2º); Barcos (Léo Gago, 45/2º).

Técnico: Enderson Moreira

5ª Rodada – Grupo 06 – Libertadores 2014
Data: 02 de abril de 2014, quarta-feira, 22h00min
Local: Estadio Atanasio Girardot, em Medellín, Colômbia
Público: 42.840 espectadores. 
Renda: $1.360.481,00
Arbitragem: Enrique Caceres-PAR
Auxiliares: Carlos Caceres-PAR e Juan Zorrilla-PAR 
Cartões amarelos: Pará

Gols: Dudu (G), aos 7 minutos  e Barcos, aos 24 minutos do segundo tempo.

Amistoso em 1982 – Atlético Nacional 2×3 Grêmio

April 1, 2014
O primeiro confronto entre Atlético Nacional e Grêmio aconteceu no início do ano de 1982 em Medellín. Foi a segundo de uma série de dois amistosos que o tricolor fez na Colômbia (o primeiro foi com o América de Cali), aproveitando-se da sua recém adquirida fama de campeão brasileirão. 

Em 9 de fevereiro a Zero Hora afirmou que o Grêmio recebeu Cr$ 9 milhões por esta breve excursão, o que serviria para “amenizar um pouco a situação financeira do clube comprometida pelos Cr$ 12 milhões de juros mensais que o clube paga para saldar empréstimos que fez num banco, a fim de contratar Batista e Júlio César”
Na Folha da Tarde do mesmo dia consta a informação de que a excursão renderia ao Grêmio cerca de 30 mil dólares, o que era considerado uma boa quantia na comparação com as 6 partidas que o clube tinha feito até então no Campeonato Brasileiro que renderam aproximadamente Cr$ 10 milhões líquidos.  Nessa mesma edição consta a seguinte afirmativa:  “Koff nega que o Grêmio esteja pagando CR$ 14 milhões por mês de juros pelo empréstimo que fez para pagar Batista.”

Em campo o Grêmio levou um gol logo de cara, conseguiu uma virada antes dos 10 minutos de jogo, tomou um empate no segundo tempo quando o adversário tinha um jogador a menos, mas chegou a vitória com um gol de Paulinho no último minuto do tempo regulamentar.

Fontes: El Mundo Deportivo, El Tiempo, Folha da Tarde e Zero Hora

Atlético Nacional 2×3 Grêmio

ATLÉTICO NACIONAL: Carrabs; Luna, Suárez, Dragonetti e Porras; Peluffo, Sarmiento, Cueto (Ricaurte); Barrabás Gómez, Herrera e “Pillo” Cardona.
GRÊMIO: Leão; Uchoa (Paulo Roberto), Vantuir (Newmar), De Léon e Dirceu; Batista, Paulo Isidoro e Vilson Tadei; Tarciso (Tonho), Baltazar (Paulinho) e Júlio César (Odair)
Técnico: Ênio Andrade

Amistoso

Data: 11 de fevereiro de 1982, quinta-feira, 23h00min
Local: Estádio Atanasio Girardot, em Medellin, Colômbia
Juiz: Octavio Sierra
Cartão Vermelho: Dragonetti (no 2º tempo)
Gols: Barrabás Gomez, aos 2 minutos, Tarciso aos 8 e Baltazar aos 9 minutos do primeiro tempo;  Barrabás Gomez, aos 18 minutos e Paulinho, aos 44 minutos do segundo tempo.