Archive for September, 2014

Caso Aranha – STJD exclui o Grêmio da Copa do Brasil

September 4, 2014
Eu já manifestei por diversas vezes a minha opinião sobre o STJD aqui no blog. É algo que se assemelha muito a um circo, e pelo tudo que se viu na cobertura do “julgamento” de ontem essa impressão só se reforça (sendo a parte mais surreal o fato de um dos auditores, Sr. Ricardo Graiche, ser useiro e vezeiro em propagar mensagens racistas nas redes sociais)
No aspecto esportivo (que deveria ser o foco de um tribunal de justiça desportiva) a penalidade de excluir o Grêmio da Copa do Brasil é “para inglês ver”, uma vez que o tricolor já estava praticamente eliminado na competição.
O problema reside na pecha que se atribuiu ao clube como um todo e o perigoso precedente que se cria. Durante o julgamento, o Presidente Fábio Koff sabiamente disse saber que “decisão desta tarde terá consequências no futebol, e este parece ser um aspecto que não foi devidamente mensurado.
A forma como foi realizado o dito julgamento me preocupa muito mais do que o resultado dele. Se passou menos de uma semana entre o acontecimento do fato e o anúncio da pena. Custo a acreditar que nesse curto período foi possível observar o devido processo legal, a ampla defesa e o contraditório. É assustador que, num país democrático como o nosso, isso não gere maior choque ou comoção. Como bem salientou Hélio Schwartsman em sua coluna da Folha de São Paulo:Curiosamente, quando se trata de futebol, as pessoas parecem não se importar muito em sacrificar o pudor jurídico que, numa sociedade que se quer civilizada, deveria nortear qualquer ação punitiva”
Por último, o combate ao preconceito e ao racismo é muito importante, mas não deve e sequer precisa ser feito a margem (ou por cima) das normas constitucionais e dos princípios basilares do direito (muito bem explicados por Walter Fanganiello Maierovitch) sob risco do seu próprio enfraquecimento e descrédito.
Advertisements

Brasileirão 2014 – Grêmio 1×0 Bahia

September 1, 2014

O Grêmio não fez um grande jogo contra o Bahia, mas mesmo assim saiu de campo com os três pontos. No primeiro tempo a equipe gremista teve iniciativa, ficou com a bola no campo de ataque, mas faltava maior movimentação e maior velocidade nos passes para impor um ritmo mais forte na frente. E pra piorar, havia um buraco entre o meio campo e a defesa gremista, espaço onde o Bahia encontrava liberdade para criar.
Na segunda etapa, com a entrada de Matheus Biteco no lugar de Alan Ruiz, o Grêmio ficou mais compacto, e inicialmente conseguiu adiantar um pouco sua linha de marcação. Aos 13 minutos, Giuliano cruzou, Dudu mostrou oportunismo ao tomar a frente do marcador e Barcos completou para as redes. Com o 1×0 o Grêmio recuou em busca de um contra-ataque, que acabou não se concretizando. O Bahia pressionou até o final, mas a bem da verdade não teve nenhuma situação clara para empatar o jogo.

A mudança feita pelo Felipão no intervalo, passando o time de um 4-2-3-1 para um 4-1-4-1, foi fundamental para a vitória. Quase não vi comentários sobre este fato. E o time do Grêmio melhorou com três volantes em campo, algo que deveria ser lembrado por aqueles que tem ojeriza a equipes com mais meio-campistas de características defensivas.
Giuliano, pelo segundo jogo seguido, atuou aberto pelo lado direito. Por ali apareceu na jogada do gol. Contudo, mais uma vez ele oscilou um pouco na partida.
O clima na Arena estava um tanto estranho. Muitas posições extremadas no estádio. Um exemplo disso pode ser visto quando Felipão chamou Pará para entrar no jogo. Inicialmente, o camisa 2 foi aplaudido por alguns torcedores, mas na sequência um outro grupo passou a vaiar o lateral com raiva. Me parece que as duas posições são exageros não justificados. E esse é só um exemplo banal da falta de sintonia e entendimento na torcida tricolor.

Esse foi o 25º jogo de Campeonato Brasileiro que o Grêmio disputou na Arena. A média de público é de 23.235 (20.350 pagantes).  

 

Grêmio Grêmio 1×0 Bahia Bahia

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Matías Rodriguez (Pará, 25’/2º), Pedro Geromel, Rhodolfo e Zé Roberto; Ramiro, Fellipe Bastos, Giuliano, Alán Ruiz (Matheus Biteco, int) e Dudu (Bressan, 43’/2º); Barcos.
Técnico: Luiz Felipe Scolari
BAHIA: Marcelo Lomba; Roniery, Demerson, Titi e Guilherme Santos; Fahel, Rafel Miranda, Diego Macedo (Maxi Biancucchi, 32’/2º) e Emanuel Biancucchi (Henrique, 17’/2º); Rafinha (Rhayner, 24’/2º) e Kieza.
Técnico: Gilson Kleina
18ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2014
Data: 31 de agosto de 2014, domingo, 18h30min
Local: Arena do Grêmio
Público: 14.246 (12.607 pagantes)

Renda: R$ 297.717,00
Árbitro: Pericles Bassols Pegado Cortez – RJ
Auxiliares:  Rodrigo Henrique Correa e Dibert Pedrosa Moise
Cartões amarelos: Fahel, Guilherme Santos, Matías Rodriguez, Fellipe Bastos, Barcos, Ramiro
Gol: Barcos, aos 13 minutos do segundo tempo.