Archive for October, 2014

Quanto custou ir à Arena em Outubro

October 31, 2014

Em outubro, assim como aconteceu em setembro, o Grêmio jogou três vezes na Arena. E os preços dessas três partidas foram os mesmo do jogos do mês anterior, de modo que os números do levantamento acabam se repetindo.
A diferença nesse mês foi a realização de promoções pontuais em alguns jogos. Contra o São Paulo, menores entre três e 11 anos de idade pagaram apenas R$ 5 em todos os setores, exceto Arquibancada Norte e torcida adversária. Já contra o Figueirense, as mulheres que compraram ingressos para o setor Gramado Sul pagaram apenas R$ 10. Não sei o quanto essas promoções visam somente levar mais gente num jogo pontual ou tem uma avaliação de um potencial público alvo por trás. E no caso de ter essa intenção maior, resta sempre aquele problema de que a promoção para atrair um novo público não pode também acabar desprestigiando quem já é um público cativo (por exemplo, em 2011, 14% do quadro social do Grêmio era composto por mulheres)

Segue abaixo a divisão por setores:

Advertisements

Brasileirão 2014 – Coritiba 1×1 Grêmio

October 27, 2014

Pelas circunstâncias da partida o empate acabou não sendo um resultado tão ruim para o Grêmio, mas o fato do time ter somado apenas 1 pontos dos 6 disputados contra o Coritiba é um complicador nas pretensões do Grêmio no campeonato. A partida começou chata, e aos poucos foi ficando ruim para o tricolor. Passado os minutos iniciais de estudo, o time da casa, com muito entusiasmo e pouco brilho, começou a ameaçar em bolas alçadas na área. Num escanteio aos 30 minutos, Bressan não pulou e Leandro Almeida ficou livre para cabecear para o gol (Marcelo Grohe só conseguiu espalmar a bola para dentro das redes).
Mesmo sem praticar um futebol que explicasse a diferença entre os dois time na tabela, o Grêmio tentou uma reação no segundo tempo. Felipão mexeu na equipe e com dois centroavantes o seu time passou a ter mais presença na área. Lucas Coelho carimbou o travessão após um escanteio (!!!), mas o gol de empate só foi acontecer aos 39 minutos, num cruzamento de Pará que Riveros se abaixou para completar de cabeça.

Bressan se notabilizou por jogar sério, não subestimando o perigo e não superestimando a sua técnica. Mas não foi isso que ele fez no gramado do Couto Pereira no sábado, vacilando em alguns lances além da jogada do gol.

Erik deu mostras de que pode ser muito útil ao grupo do Grêmio, mas nunca é demais pedir calma com os guris da base. Ainda mais ele que atua no setor de criação do meio de campo, função onde o jogador mais se expõe aos erros.

Muito me incomoda ver o ataque do Grêmio fazer com que o zagueiro Luccas Claro fosse o nome do jogo. E muito me incomoda ver a defesa do Grêmio permitir que o Coritiba entre trocando passes dentro da sua área já no período de acréscimos.

Na impossibilidade do Grêmio usar  tradicional calção preto com meia branca eu costumo gostar mais da combinação do calção branco com a meia azul.  Não só pela questão estética, mas também por lembrar de Tóquio em 1983 e da Copa do Brasil de 2001.

Fotos:  Felipe Gabriel (Lance) e Coritiba FC

Coritiba Coritiba 1×1 Grêmio Grêmio

CORITIBA: Vanderlei; Norberto, Luccas Claro, Leandro Almeida e Carlinhos; Sérgio Manoel (Dudu, 39’/2ºT) Rosinei, Robinho e Alex (Helder, 30’/2ºT); Zé Love (Elber, 20’/2ºT) e Joel
Técnico: Marquinhos Santos
GRÊMIO: Marcelo Grohe; Pará, Pedro Geromel, Bressan e Zé Roberto; Ramiro, Riveros, Matheus Biteco (Alán Ruiz, Intervalo), Erik (Lucas Coelho, 26’/2ºT) e Dudu (Nicolas Careca, 16’/2ºT); Barcos
Técnico: Luiz Felipe Scolari
31ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2014

Data: 25/10/2014, sábado, 18h30min
Local: Estádio Couto Pereira, em Curitiba (PR)
Público: 16.356 (13.039)
Renda: R$ 287.116,50
Árbitro: Dewson Freitas da Silva (PA)
Auxiliares: Cleriston Clay Barreto Rios (FIFA-SE) e Márcio Gleidson Correia Dias (PA)
Cartões amarelos: Matheus Biteco, Zé Roberto, Lucas Coelho, Alán Ruiz e Riveros (GRE); Robinho e Norberto (CTB)
Gols: Leandro Almeida, aos 30 minutos do primeiro tempo; Riveros, aos 39 minutos do segundo tempo

Brasileirão 2014 – Classificação 30ª Rodada

October 24, 2014
Times P J V E D GP GC SG %
1 Cruzeiro Cruzeiro 60 30 18 6 6 53 31 22 66
2 São Paulo São Paulo 53 30 15 8 7 47 35 12 58
3 Corinthians Corinthians 52 30 14 10 6 37 21 16 57
4 Atlético-MG Atlético-MG  51 30 14 9 7 39 30 9 56
5 Internacional Internacional  50 30 15 5 10 39 32 7 55
6 Grêmio Grêmio 50 30 14 8 8 25 17 8 55
7 Fluminense Fluminense  48 30 13 9 8 47 30 17 53
8 Santos Santos  45 30 13 6 11 36 28 8 50
9 Goiás Goiás 41 30 11 8 11 30 28 2 45
10 Atlético-PR Atlético-PR 40 30 11 7 12 34 36 -2 44
11 Flamengo Flamengo 40 30 11 7 12 31 35 -4 44
12 Sport Sport  37 30 10 7 13 23 37 -14 41
13 Figueirense Figueirense 35 30 10 5 15 29 41 -12 38
14 Palmeiras Palmeiras 35 30 10 5 15 30 46 -16 38
15 Chapecoense Chapecoense 35 30 9 8 13 29 32 -3 38
16 Coritiba Coritiba 32 30 8 8 14 28 35 -7 35
17 Vitória Vitória  31 30 8 7 15 31 42 -11 34
18 Bahia Bahia  31 30 7 10 13 25 30 -5 34
19 Botafogo Botafogo 30 30 8 6 16 28 37 -9 33
20 Criciúma Criciúma  30 30 7 9 14 21 39 -18 33
Em 2013 o Grêmio tinha 53 pontos (2º lugar) após a 30ª rodada do Campeonato Brasileiro
 
Em 2012 o Grêmio tinha 57 pontos (3º lugar) após a 30ª rodada do Campeonato Brasileiro
 
Em 2011 o Grêmio tinha 42 pontos (9º lugar) após a 30ª rodada do Campeonato Brasileiro 
Em 2010 o Grêmio tinha 46 pontos (7º lugar) após a 30ª rodada do Campeonato Brasileiro
Em 2009 o Grêmio tinha 44 pontos (8º lugar) após a 30º Rodada do Campeonato Brasileiro
Em 2008 o Grêmio tinha 56 pontos (1º lugar) após a 30ª Rodada do Campeonato Brasileiro
Em 2007 o Grêmio tinha 48 pontos (5º lugar) após a 30ª Rodada do Campeonato Brasileiro 
Em 2006 o Grêmio tinha 52 pontos (4º lugar) após a 30ª Rodada do Campeonato Brasileiro 

Brasileirão 2014 – Grêmio 1×0 Figueirense

October 23, 2014

A vitória gremista foi magra, mas valeu os mesmos 3 pontos na tabela do que uma convincente goleada. O Grêmio teve um momento de clara superioridade na partida, que durou até a abertura do marcador. O time pressionou, rondou a área do Figueirense e chegou a colocar uma bola na trave (numa cabeçada de Luan, após uma combinação de escanteio curto entre Dudu e Zé Roberto).
Aos 36 minutos aconteceu o lance que definiu o jogo. Zé Roberto foi a linha de fundo, deu um tapa para trás e a bola bateu no braço de Nirley, que tinha dado um carrinho. Vinicius Furlan marcou o pênalti. Eu não teria dado (achei a jogada em Dudu, que aconteceu dois minutos antes muito mais questionável). Mas é forçoso salientar que nessa confusão que a CBF promoveu em relação ao toque de mão os juízes tem marcado a penalidade máxima em lances parecidos. 
Na cobrança Barcos marcou o 1×0 que, aparentemente, fez com o que o Grêmio se acomodasse. Um gráfico do footstats deixou bem claro que o Grêmio foi reduzindo o seu percentual de posse de bola ao longo do segundo tempo. Contudo, o Figueirense não conseguiu aproveitar essa postura reativa do tricolor e o jogo terminou com a vantagem mínima do Grêmio no marcador.

Achei muito legal da parte do Barcos o fato dele ter dito que o pênalti foi injusto. É o tipo de sinceridade que anda fazendo falta no futebol. 

Felipão falou na coletiva que “Se jogássemos bonito, eu até ficaria bem mais feliz“. Eu acho essa discussão sobre jogar feio ou bonito muito pouco produtiva. A questão passa por jogar bem ou mal, por conseguir fazer o que time se propôs. E nesse aspecto o próprio treinador gremista reconhece que sua equipe precisa melhorar.

 
 Fotos: Tiago Baldasso (tiagobaldasso.wordpress.com) e  Lucas Uebel (Grêmio.net)
 Grêmio Grêmio 1×0 Figueirense Figueirense
GRÊMIO: Marcelo Grohe; Pará, Pedro Geromel, Bressan e Zé Roberto; Ramiro, Matheus Biteco (Alán Ruiz – 47’/2°T), Riveros e Luan (Walace – 26’/2°T); Dudu (Erik – 40’/2°T) e Barcos
 Técnico: Luiz Felipe Scolari

FIGUEIRENSE: Tiago Volpi; Jefferson, Thiago Heleno, Nirley e Roberto Cereceda; Paulo Roberto (Pablo – 32’/2°T), Rivaldo, Marco Antônio e Giovanni Augusto; Clayton (Mazola – intervalo) e Marcão (Everaldo – 28’/2°T)
Técnico: Argel Fucks
 

30ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2014
Data: 22/10/2014, quarta-feira, 21h00min
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre-RS
Público: 18.815 (16.979 pagantes)
Renda: R$ 364.664,00
Árbitro: Vinícius Furlán (SP)
Auxiliares: Rogério Pablos Zanardo (SP) e Vicente Romano Neto (SP)
Cartões amarelos: Paulo Roberto, Marco Antônio, Thiago Heleno (FIG) Luan, Zé Roberto, Riveros (GRE)
Cartão vermelho: Rivaldo (FIG), aos 44 do 2º tempo
Gol: Barcos (de pênalti ) aos 37 minutos do 1° tempo

Eleições para Presidente 2014 – Segundo Turno

October 22, 2014

No último sábado, dia 18 de outubro, aconteceu o segundo turno das eleições para a presidência do Grêmio. 9.013 sócios votaram e elegeram Romildo Bolzan Jr. para comandar o clube no biênio 2015/2016. Os 4.329 votos pela internet e os 4.684 votos presenciai ficaram assim distribuídos:

– Chapa 04 – Romildo Bolzan Jr. – 6.398 votos (71,4%) 
                    3215 na Internet + 3183 Presenciais

– Chapa 05 – Homero Bellini Jr. – 2.557 votos (28,6%
                    1091 na Internet + 1466 Presenciais 

38 votos nulos e 20 votos em branco

Não foi o resultado que eu gostaria, mas de forma alguma o considerarei menos legítimo. Muito mais do que uma questão de gostar ou não, creio que o importante seja a consolidação do processo democrático no clube (lembrando que, ao menos para mim, a democracia não se limita a realização de eleições de tanto em tanto tempo).

É sempre importante ressaltar que essa é apenas quarta eleição direta para presidente nos “tempos modernos” do Grêmio. Assim sendo, alguns excessos são compreensíveis, outros nem tanto. Correções e aperfeiçoamentos se farão necessários. Posso estar decepcionado com muitas coisas que aconteceram nessa campanha, mas fico de consciência tranquila por ter defendido o meu lado (ou o lado que eu julgava mais capacitado) sem ter renunciado aos meus princípios, as minhas convicções e a minha coerência.

Por último, destaco um dado dessa eleição que é curioso (pra não dizer decepcionante). Apesar de o processo de votação ter sido facilitado com a introdução do voto pela internet, o percentual de votantes em relação ao total de sócios aptos caiu para 23,11%.

Brasileirão – Goiás 0x0 Grêmio

October 20, 2014

Goiás e Grêmio foi muito chato, como costumam ser os jogos disputados no Serra Dourada. É muito difícil praticar “futebol de latifúndio”, onde praticamente não existe arremesso lateral e é muito complicado tentar diminuir os espaços do adversário.

Pela primeira vez desde a parada da Copa do Mundo eu achei o time do Grêmio cansado. Felipão reclamou do calor e da grama fofa do estádio. Mas é preciso dizer que o Goiás também pareceu sentir essas condições, pois igualmente teve uma atuação com pouca velocidade e movimentação.

Pedro Geromel foi o capitão em Goiânia. Eu teria apostado que, na ausência de Barcos e Rhodolfo, a braçadeira iria para Marcelo Grohe ou Zé Roberto. 

Costumo achar uniformes com listras horizontais bonitos. Não é o caso desse do Goiás.

Fotos:  Carlos Costa (Lance)


Goiás Goiás 0x0 Grêmio Grêmio

GOIÁS: Renan, Felipe Macedo (Tiago Real – 33’/2ºT), Jackson, Pedro Henrique e Felipe Saturino; Amaral, David, Thiago Mendes, Esquerdinha e Ramon; Samuel (Welinton Junior 38’/2ºT)
Técnico: Ricardo Drubscky

GRÊMIO: Marcelo Grohe (Tiago 39’/2ºT); Pará, Pedro Geromel, Bressan e Zé Roberto; Walace, Ramiro (Matheus Biteco 22’/2ºT), Fellipe Bastos (Riveros 44’/2ºT), Luan e Fernandinho; Lucas Coelho
Técnico: Luiz Felipe Scolari

29ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2014
Data: 18/10/2014, sábado, 18h30min
Local: Serra Dourada, em Goiânia-GO
Público: 3.044 pagantes  
Renda: R$66.585,00
Árbitro: Marielson Alves Silva-BA
Auxiliares: Adson Márcio Lopes Leal-BA e Luiz Carlos Silva Teixeira-BA
Cartão amarelo: Pará, Amaral, Felipe Macedo e Pedro Henrique

Brasileirão 2014 – Palmeiras 2×1 Grêmio

October 12, 2014

O “já não tão desesperado” Palmeiras promoveu uma correria desde o apito inicial e o Grêmio, inexplicavelmente, embarcou nela. Escalado no 4-2-3-1 com Matias Rodriguez no meio, o tricolor só foi ter o controle da bola lá pela metade do primeiro tempo, mas ainda assim o Palmeiras, ajudado, pela torcida e por uma arbitragem caseira e conivente com o excesso de simulação dos seus jogadores, foi quem esteve mais perto de marcar durante todos os 45 minutos iniciais.
Com Giuliano no lugar de Alan Ruiz, o Grêmio voltou melhor para o segundo tempo. Aos nove minutos, após um escanteio, Riveros cabeceou e a bola bateu na mão de Valdivia, que saltou de braços abertos. O juiz marcou pênalti, que Barcos converteu, fazendo apenas o segundo gol gremista oriundo de uma cobrança de escanteio em todo o campeonato (o primeiro havia sido também do Pirata contra a Chapecoense). Não houve muito tempo para o Grêmio explorar a vantagem, já que aos 16 minutos Sandro Meira Ricci injustamente mostrou o segundo cartão amarelo para Barcos, que não cometeu falta ou mesmo tocou em Cristaldo na jogada. A expulsão estragou o jogo. E para infelicidade do Grêmio, o Palmeiras virou com dois gols de xiripa. No primeiro Henrique errou a cabeçada, Mouche errou o chute e ainda assim a bola terminou dentro do gol. No segundo o chute de João Pedro desviou em Bressan e tirou Tiago Machowski da jogada.

O Grêmio teve os seus próprios erros que ajudam a explicar a derrota, sendo o principal deles o fato de ter permitido que o Palmeiras (que hoje é uma equipe inferior) ditasse o ritmo do jogo. Mas isso jamais pode justificar os erros da arbitragem. E mais uma vez o Grêmio foi prejudicado pelo juiz. Novamente contra o time paulista. Novamente contra o Palmeiras no Pacaembu no jogo apitado por Sandro Meira Ricci (que supostamente é considerado o melhor juiz do pais pela CBF, o que torna tudo ainda mais difícil de aguentar).

Sálvio Spínola, ex-juiz e comentarista de arbitragem da ESPN foi “mais realista que o Rei” e afirmou que, no lance do pênalti para o Grêmio, a bola bateu na cabeça do Valdivia, quando o próprio jogador confirmou que a bola bateu na sua mão. Ficou estranho, mas talvez o velho hábito de contemporizar os prejuízos com a surrada justificativa de que “o juiz errou para os dois lados” explique isso. O que torna tudo ainda pior, já que o juiz que erra pros dois lados erra duas vezes.

Achei o pênalti discutível, mas quanto a expulsão do Barcos não pode haver discussão: Ele sequer tocou em Cristaldo na jogada em que recebeu o segundo amarelo. Dorival Junior disse que “se alguém tivesse que reclamar seria o Palmeiras”. Essa declaração é surreal. É de se duvidar da sanidade de alguém que trabalha profissionalmente no futebol e considere essa expulsão justa e ache que isso não tenha prejudicado o time.

 Fotos: Ari Ferreira (Lance) e Robson Ventura (Folha de São Paulo)

 Palmeiras  Palmeiras 2×1 Grêmio Grêmio

PALMEIRAS: Fernando Prass; João Pedro, Lúcio, Tobio e Juninho (Mouche, 20’/2ºT); Victor Luis, Washington, Wesley e Valdivia (Bernardo, 46’/2ºT); Cristaldo (Leandro, 35’/2ºT) e Henrique
Técnico: Dorival Júnior

GRÊMIO: Tiago; Pará, Bressan, Pedro Geromel e Zé Roberto; Ramiro, Fellipe Bastos (Riveros, 28’/1ºT), Matías Rodríguez (Lucas Coelho, aos 26’/2ºT), Alán Ruiz (Giuliano – intervalo) e Dudu; Barcos. 
Técnico: Luiz Felipe Scolari
28ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2014
Data: 11 de outubro de 2014, sábado, às 21h00min
Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Renda: R$ 647.130,00
Público: 29.353 (26.940 pagantes)
Árbitro: Sandro Meira Ricci (FIFA-PE)
Auxiliares:
Cleriston Clay B. Rios (FIFA-SE) e Clovis Amaral da Silva (PE)
Cartões amarelos: Lúcio; Barcos, Fellipe Bastos, Riveros, Dudu e Ramiro
Cartões vermelhos: Barcos, aos 16’/2ºT
Gols: Barcos (de pênalti) aos 9 minutos, Mouche, aos 21, e João Pedro, aos 29 minutos do segundo tempo

Eleições para Presidente 2014 – Primeiro Turno

October 11, 2014

 Na última terça-feira, ocorreu o primeiro turno da eleição para a Presidência do Grêmio para o próximo biênio. 291 conselheiros votaram. Foram três votos em branco e um nulo. Os demais votos ficaram assim distribuídos:

Chapa 01 – Grêmio Novo –  Presidente: Jorge Eduardo Bastos – 20 votos
Conselho de Administração: Rodrigo Karan, Sérgio Bombassaro, João Burzlaff, Lucas Thadeu da Luz, Donato Hubner e Milton de Mello
Chapa 02 – Projeto Grêmio – Presidente: Pierre Gonçalves – 10 votos
Conselho de Administração: André Luís Morini, Rafael Hansen de Lima, Leandro Bortolini, Giuliano Vieceli, Cristiano Machado Costa e Leandro Vidal Nogueira
Chapa 03 – Somos Grêmio – Presidente: Nilton Cabistani – 10 votos
Conselho de Administração: Ricardo Gothe, Paulo Grings, Maurício Lacerda,  Renato Vieira, Diego Luz e Roger Ritter 
Chapa 04 – Nossa Casa Novas Conquistas Nosso Futuro – Presidente: Romildo Bolzan Jr – 140 votos
Conselho de Administração: Adalberto Preis, Antônio Dutra Jr., Claudio Oderich, Marcos Herrmann, Odorico Roman e Sergei Ignacio da Costa 

Chapa 05 – Grêmio Por Todos  – Presidente: Homero Bellini Jr. – 107 votos
Conselho de Administração: Airton Ruschel, Eduardo Magrisso, Émerson Rosa, Fernando Hackmann, José de Jesus Camargo e Juarez Aiquel

Conforme consta no site do clube: “Assim, as duas chapas, as únicas a obterem pelo menos 20% dos votos entre os 291 conselheiros que participaram do pleito, disputarão a preferência dos associados no dia 18 de outubro, em Assembleia Geral.”
Ainda que possa parecer óbvio para muitos, considero importante deixar claro que eu votei na Chapa 05, por entender que a atual administração não é satisfatória, por ter participado da elaboração do projeto de gestão do Homero Bellini e por acreditar que ali está a melhor opção para comandar o clube nos próximos anos.

Apesar de ser uma tarefa cansativa e muitas vezes pouco recompensadora, eu me empenho em defender a democratização no Grêmio. Fico feliz em ver mais uma eleição acontecendo, apesar de entender que ainda são necessárias algumas correções no nosso processo democrático. Já disse inúmeras vezes aqui no blog que não gosto desse formato de primeiro turno dentro do conselho, especialmente com a cláusula de barreira. Mas esse é apenas um descontentamento meu com as regras e o formato da eleição. De resto eu me incomodo muito mais com a postura e atitudes de alguns participantes desse processo. E quanto a este aspecto é difícil sugerir mudanças que não sejam as de consciência.

O grande número de chapas concorrentes espanta não só quem acompanha de longe como também quem milita na política gremista. É evidente que existem diferenças nas ideias, nas maneiras que se acredita que o clube deve ser administrado. Mas essas divergências não são tão variadas ao ponto de justificar cinco chapas distintas. Essa pluralidade se explica muito mais pela disputa por espaço do que pela disputa por ideias. A busca pura e simples por poder, cargos e colocações, sem qualquer ideologia por trás, não faz o menor sentido pra mim. Tento me esforçar para não julgar ou tentar deslegitimar quem pensa o contrário, mas é bastante complicado presenciar algumas coisas como, por exemplo, ver um conselheiro que concorreu por uma chapa se engajar de maneira enérgica na campanha de outro candidato antes mesmo da  votação no 1º turno se encerrar.

Me parece que a ânsia pelo poder não pode justificar uma série de incoerências  que temos visto por aí (a insistente crítica a inserção da política partidária no clube foi esquecida agora?). Aliás, a ânsia pelo poder deveria somente servir como motivação para o aprimoramento na apresentação dos projetos que se tem para o Grêmio. Mas isso não é tão fácil, porque quem efetivamente está interessado em introduzir ideias para o cenário do clube como um todo, pensando grande mas com os pés no chão, acaba perdendo uma quantidade absurda de energia tentando refutar propostas fantasiosas ou tentando desestimular debates irresponsavelmente baixos, cheios de terrorismos baratos (“se A ganhar o Fulano sai”; “se B vencer tal coisa irá acabar“)  e falsas ilações e associações (“tal grupo está ligado em Beltrano, porque lá em 19XX…“). E por mais essa discussão típica de “recreio de colégio” possa ser iniciada de  maneira inconsciente, sem segundas intenções,  ela fatalmente acaba desviando o foco dos assuntos realmente importantes e relevantes.

Apesar de todas essas constatações, eu ainda tenho esperança de ajudar a aumentar nível e a profundidade do debate. A razão final da disputa política dever ser sempre a melhora do clube.

Brasileirão 2014 – Grêmio 2×0 Sport

October 9, 2014

O placar final de 2×0 pode dar a impressão de que o Grêmio finalmente teve uma vitória tranquila em casa nesse Brasileirão. Mas não foi bem isso que aconteceu. O próprio treinador gremista classificou a atuação do time como “razoável”. Na escalação, pode se perceber uma mudança no setor ofensivo. Fernandinho foi escalado para jogar aberto pelo lado direito, praticamente espelhando o posicionamento que Dudu tem pela esquerda. Um pouco mais recuado ficava Alan Ruiz, com a missão de acionar os dois “pontas” acima citados e o centroavante Barcos. O começo de jogo do Grêmio foi um pouco truncado, o time conseguiu ter a bola no campo de ataque mas as conclusões só aconteceram em chutes de longa distância de Fellipe Bastos (chutes com boa força, mas pouca direção). O Sport tinha espaços no contra-ataque, mas o tricolor  acabou se ajeitando em campo aos 30 minutos, com o gol de Alan Ruiz,  que aproveitou uma bola vinda de Barcos para soltar um foguete da entrada da área e abrir o marcador.
No segundo tempo o Grêmio recuou, atraindo o Sport para o seu campo em busca de espaços para contra-atacar. O problema é que ao fazer isso o time acabou cometendo algumas faltas perigosas na frente da área. Por sorte os visitantes não aproveitaram e o tricolor seguiu esperando por uma bola para liquidar o jogo. E essa bola foi lançada por Giuliano, aos 31 minutos do segundo tempo, encontrando Dudu com todo o campo de ataque livre para avançar, driblar o goleiro Magrão e marcar o 2×0.

Felipão foi muito bem na coletiva pós-jogo. Fez as piadas que queria fazer (a “dos oito volantes” e do “bolo x confusão com Luxemburgo“) mas nem por isso deixou de fazer a (auto)crítica da equipe, deixando bem claro o que espera ver melhorado (posicionamento e posse de bola). Único elemento que ele deixou de citar foi o baixo aproveitamento da bola parada. Contudo ele já se manifestou anteriormente sobre isso.
Um fornecedor “alternativo” embarcou no Outubro Rosa antes do fornecedor de material esportivo oficial.
Grande partida do Tiago Machowski. Passou segurança desde o apito inicial.

Tivemos 46 mil pessoas presentes na Arena no sábado. 4 dias depois, num jogo pelo mesmo campeonato, o público caiu para 13 mil. Essa dinâmica da torcida pode ser curiosa, difícil de entender, mas é plenamente conhecida. Em razão disso, penso que não faz muito sentido  o preço dos ingressos contra o Sport, numa quarta-feira as 22h, ser o mesmo do jogo contra o São Paulo num sábado as 16h20.

Fotos: André Kruse (Grêmio1983.blogspot), Fabiano do Amaral (Correio do Povo) e Ricardo Rimoli (Lance)
Grêmio Grêmio 2×0 Sport Sport

GRÊMIO: Tiago; Pará, Geromel, Rhodolfo (Bressan, 18’/2º) e Zé Roberto; Ramiro, Fellipe Bastos,  Fernandinho (Walace, 28’/2º), Alán Ruiz (Giuliano, 21’/2º) e Dudu; Barcos
Técnico: Luiz Felipe Scolari

SPORT: Magrão; Patric, Durval, Henrique Mattos e Renê; Wendel, Rithely, Augusto (Ananias, intervalo) e Danilo (Mike, 16’/2º); Diego Souza e Neto Baiano (Felipe Azevedo, intervalo).
Técnico: Eduardo Baptista

27ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2014
Data: 8/10/2014, quarta-feira, às 22h00min
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS)
Público: 13.327 (11.659 pagantes)
Renda: R$ 247. 559,00
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (FIFA-RJ)
Auxiliares: Rodrigo Henrique Corrêa-RJ e Luiz Claudio Regazone-RJ
Cartões amarelos: Geromel, Giuliano, Walace (GRE); Wendel (SPT)
Gols: Alán Ruiz, aos 30 minutos do primeiro tempo e Dudu, aos 31 minutos do segundo tempo

Brasileirão 2014 – Classificação e Aproveitamento na 26ª Rodada

October 7, 2014

No Campeonato Brasileiro de 2014 o Grêmio conquistou 43 pontos nas primeiras 26 rodadas, tendo um aproveitamento de 55,13%. Até aqui a média de público pagante nos jogos em casa é de 19.681 (considerando só os jogos na Arena é de 21.246) e a média de público total é de 22.288 (considerando só os jogos na Arena é de 24.056).
 Na era dos pontos corridos com 20 times somente em 2008, 2012 e 2013 o clube conseguiu um aproveitamento superior a este: 

– Em 2013 o Grêmio fez 48 pontos nos primeiros 26 jogos (61,54% de aproveitamento)
– Em 2012 o Grêmio fez 49 pontos nos primeiros 26 jogos (62,82% de aproveitamento)

– Em 2011 o Grêmio fez 36 pontos nos primeiros 26 jogos* (46,15% de aproveitamento)
– Em 2010 o Grêmio fez 36 pontos nos primeiros 26 jogos (46,15% de aproveitamento)
– Em 2009 o Grêmio fez 39 pontos nos primeiros 26 jogos (50,00% de aproveitamento) 
– Em 2008 o Grêmio fez 50 pontos nos primeiros 26 jogos (64,10% de aproveitamento) 
– Em 2007 o Grêmio fez 41 pontos nos primeiros 26 jogos (52,56% de aproveitamento) 
– Em 2006 o Grêmio fez 45 pontos nos primeiros 26 jogos (57,69% de aproveitamento) 

 Se o Cruzeiro mantiver o atual aproveitamento de 71% atingirá a marca de 81 pontos.  Ainda que o Grêmio conseguisse 100% de aproveitamento nas 12 rodadas restantes (36 pontos a serem disputados) ele não alcançaria os mineiros.  Veja abaixo como foi o aproveitamento do Grêmio nessa reta final em anos anteriores:

– Em 2013 o Grêmio fez 17 pontos nos últimos 12 jogos (47,22% de aproveitamento)
– Em 2012 o Grêmio fez 22 pontos nós últimos 12 jogos (61,11% de aproveitamento)
– Em 2011 o Grêmio fez 12 pontos nos últimos 12 jogos (33,33% de aproveitamento)
– Em 2010 o Grêmio fez 27 pontos nos últimos 12 jogos (75,00% de aproveitamento)
– Em 2009 o Grêmio fez 16 pontos nos últimos 12 jogos (44,44% de aproveitamento)
– Em 2008 o Grêmio fez 22 pontos nos últimos 12 jogos (61,11% de aproveitamento)
– Em 2007 o Grêmio fez 17 pontos nos últimos 12 jogos (47,22% de aproveitamento)
– Em 2006 o Grêmio fez 22 pontos nós últimos 12 jogos (61,11% de aproveitamento)

Contudo, se o Grêmio conseguir manter o atual aproveitamento, ele tem grandes chances  de se classificar para a Libertadores de 2015. Desde 2003 o mínimo que um time teve que fazer de aproveitamento para classificar para a Libertadores foi 52% e o máximo foi 58% (O último classificado para a Libertadores teve 53% em 2003, 57% em 2004, 55% em 2005, 53% em 2006, 53% em 2007, 57% em 2008, 54% em 2009, 55% em 2010, 52% em 2011, 58% em 2012 e 53% em 2013. Sendo que em 2003, 2006, 2007 e 2011 o quinto colocado se classificou para a Libertadores)

*Jogo contra o Santos foi adiado para 5 de outubro
 

Fontes: Folha de São Paulo. Correio do Povo e  Bola na Área.