Archive for July, 2015

Brasileirão 2015 – Grêmio 1×1 Sport

July 27, 2015

O empate em 1×1 foi muito ruim para o Grêmio, que precisava se restabelecer no Brasileirão, que precisava superar um adversário direto, que precisava se manter no G4. Mas a atuação gremista e o jogo em si foram muito bons.
No estádio ficou claro que o Sport é uma equipe muito bem treinada. O time do Recife foi bastante corajoso na  proposta de compactação das suas linhas. Em diversas vezes foi possível ver que os zagueiros do Sport se posicionavam perto da linha do meio de campo quando o goleiro do Grêmio tinha a bola nas mãos para fazer a reposição. E a equipe gremista, mesmo diante desse cenário, manteve a sua proposta de rodar a bola, de tentar inversão do jogo buscando a entrada de um jogador vindo da lateral pela diagonal. E assim o time criou oportunidades e marcou o seu gol, aos 45 minutos da primeira etapa, com Pedro Rocha aparecendo dentro da área para chutar rasteiro.
O início do segundo tempo não foi tão bom para o Grêmio. Eduardo Baptista tirou um dos seus volantes e passou a incomodar mais no ataque. Aos 17, num cruzamento vindo da esquerda, toda a defesa gremista saltou pouco (inclusive  Tiago, que saiu do gol de maneira questionável) e a bola sobrou para Diego Souza empatar a partida. Depois disso o tricolor voltou a pressionar, passando a usar mais os cruzamentos na área (após as entradas de Fernandinho e Braian Rodriguez). O Grêmio poderia ter saído com a vitória, não fosse a grande atuação do goleiro Danilo Fernandes, que fez duas defesas sensacionais na cabeçada de Braian e num chute de Luan, aos 42 e 46 minutos, respectivamente.

Não acho que o resultado da partida possa ser atribuído à arbitragem. Mas o juiz foi muito mal no jogo. É surreal que ele tenha colocado na súmula que o Rogerfalou palavras que não foram identificadas, mas que considerei por demais ofensiva à arbitragem” para justificar a expulsão do treinador. Lembrei daquela cena do personagem do Kevin Hart no filme “O Virgem de 40 anos”.
César Pacheco deixou pra reclamar depois do jogo da escalação de um juiz que já prejudicou o Grêmio nesse campeonato. Acho (só acho) que seria mais producente tomar uma medida antes da partida. Mas a parte que mais me surpreendeu nessa coletiva foi o uso do neologismo “gabine” (a partir de 4min40s no áudio do link.)
Mas não é só nos “detalhes” da escala de arbitragem e da língua portuguesa que o Grêmio anda se descuidando. Roger pediu que a torcida comparecesse no estádio nesse sábado. A torcida foi (não chegou na casa dos 40 mil, mas num bom número), mas algumas situações preocupantes se repetiram. Mais uma vez uma das rampas do setor leste estava fechada no final do jogo. E, pelo jeito, a chegada e a saída do Humaitá seguirá sendo tarefa de gincana por um bom tempo. As obras do entorno do estádio, que tinham finalização prometida para junho de 2013, ficaram para 2017 ou 2019. E as referidas obras não preveem nenhum tipo de integração dos acessos ao estádio com a Free-Way (o que hoje é um dos principais gargalos da Arena, quando deveria ser um dos seus principais trunfos). E ninguém do clube se manifesta a respeito disso.
Contudo, apesar de todas essas dificuldades, a torcida segue comparecendo. E, o mais importante, segue se renovando.   


Grêmio  Grêmio 1×1 Sport Recife Sport

GRÊMIO: Tiago; Galhardo, Erazo, Rafael Thyere e Marcelo Hermes; Walace, Maicon, Giuliano (Fernandinho, 33’/2ºT), Douglas (Maxi Rodriguez, 21’/2ºT) e Pedro Rocha (Braian Rodríguez, 35’/2ºT); Luan.
Técnico: Roger Machado

SPORT: Danilo Fernandes; Samuel Xavier, Matheus Ferraz, Durval e Danilo; Rithely, Wendel, Rodrigo Mancha (Élber, int.), Diego Souza (Samuel, 34’/2ºT) e Marlone; André (Régis, 23’/2ºT). Técnico: Eduardo Baptista

15 ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2015
Data: 25 de julho de 2015, sábado, 18h30min
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre-RS
Público: 33.437 (31.084 pagantes)
Renda: R$ 1.134.524,00
Árbitro: Péricles Cortez (FIFA-RJ)
Assistentes: Rodrigo Corrêa (FIFA-RJ) e Dibert Pedrosa Moisés (Esp.-RJ)
Gols: Pedro Rocha, aos 44 minutos do primeiro tempo; Diego Souza, aos 17 minutos do segundo tempo.

Copa do Brasil 2015 – Criciúma 0x1 Grêmio

July 22, 2015

Durante esses últimos dias, iniciou-se uma discussão se o Grêmio deveria/poderia “optar” por uma saída da Copa do Brasil nessa fase para disputar a Copa Sul-Americana em 2015. Ninguém do clube deu declaração sobre o assunto, mas dentro do campo a resposta ficou bem clara. O tricolor entrou com força máxima no Heribert Hülse e jogou para reverter a derrota sofrida na Arena na semana passada.

A partida foi bastante movimentada, os dois times buscaram o ataque, fazendo com que não faltasse espaços para a criação de jogadas. O Grêmio conseguiu marcar seu gol aos 22 minutos, quando Luan caiu pelo lado direito da área e de lá fez um cruzamento, Giuliano não chegou na bola no primeiro pau, mas Pedro Rocha, ainda que sem jeito, conseguiu completar para as redes. Depois disso a disputa foi bastante igual, as oportunidades criadas/cedidas por cado lado se equivaleram, mas ninguém aproveitou  e a decisão foi para os pênaltis. Braian Rodriguez foi o único batedor gremista a desperdiçar a sua cobrança, enquanto Paulo Sérgio e o goleiro Luis tiveram seus chutes defendidos por Marcelo Grohe.


Pedro Rocha tem desempenhado uma função que exige muita movimentação. E mesmo assim ele já soma um número importante de gols marcados na temporada.

Tem sido muito legal ouvir o Roger após os jogos. Fala abertamente dos defeitos do seu time, mas também sabe proteger os seus atletas (como fez ontem com Braian Rodriguez).

Porém, outras coisas ditas no vestiário do Grêmio soam um tanto estranhas. César Pacheco diz que a direção tem “o planejamento, as ideias, a convicção. Se de fato existe uma convicção, é  muito difícil de entender quais são os conceitos que a norteiam. Por exemplo, no início do ano, os dirigentes diziam que o Grêmio jogaria com dois centroavantes e hoje o time joga sem nenhum. Essa convicção passa pelo sistema de jogo da equipe?

Sei que é bobagem, mas não gosto de ver jogador usando malha de manga longa azul por baixo da camisa tricolor de manga curta. Dá uma sensação de “quebra” nas listras.

Fotos: Lucas Uebel (Grêmio.net)

  Criciúma Criciúma 0x1 Grêmio Grêmio
(4×3 para o Grêmio nos pênaltis)

CRICIÚMA: Luiz; Maicon Silva (Jonas, 30’/2º), Wanderson, Fábio Ferreira e Guilherme Santos; Wellington, Marcão, Rodrigo Andrade; Juba (Maurinho, 30’/2º), Lucca (Cristiano, 35’/2º) e Paulo Sérgio
Técnico: Dejan Petkovic
GRÊMIO: Marcelo Grohe; Galhardo, Geromel, Erazo e Marcelo Hermes; Walace (Edinho, 44’/2º), Maicon, Giuliano (Fernandinho, 33’/2º), Douglas, Pedro Rocha (Braian Rodríguez, 41’/2º); Luan Técnico: Roger Machado

Copa do Brasil 2015 – Terceira Fase – Jogo de volta
Data: 21/07/2015, terça-feira, 21h00min
Local: Estádio Heriberto Hülse, em Criciúma – SC
Público: 9.746
Renda: R$ 276.341,00
Árbitro: Flavio Rodrigues Guerra (SP)
Assistentes: Bruno Boschilia (SP) e Vicente Romano Neto (PR)
Cartões amarelo: Guilherme Santos, Luiz, Cristiano, Fábio Ferreira, Walace, Douglas, Galhardo, Maicon.
Cartão Vermelho: Guilherme Santos,  aos 35/2T;
Gol: Pedro Rocha, aos 22 minutos do 1º tempo
Pênaltis: Maicon (acertou), Paulo Sérgio (errou), Fernandinho (acertou),  Maurinho (acertou), Galhardo (acertou), Fábio Ferreira (acertou),  Braian Rodriguez (errou), Cristiano (acertou), Douglas (acertou) e Luiz (errou)

Brasileirão 2015 – Flamengo 1×0 Grêmio

July 20, 2015

O Grêmio definitivamente se afastou da boa fase ao ser derrotado pela terceira vez nos últimos quatro jogos. O confronto com o Flamengo, reforçado por Emerson Sheik e Paolo Guerrero e um Maracanã cheio, era sabidamente difícil. E até sofrer o gol, o tricolor não estava pior do que o que o seu adversário, tendo inclusive uma chance muito clara aos 20 minutos da primeira etapa, quando Galhardo carimbou o travessão após um baita passe de Luan.
Mas o jogo mudou aos 40 minutos. O Flamengo teve uma falta ao lado da área. Ayrton cruzou sobre a pequena área. A defesa do Grêmio teve um comportamento estranho no lance: ninguém atacou a bola e ninguém impediu a corrida dos cabeceadores Flamenguistas. Marcelo Grohe poderia/deveria ter cortado o cruzamento, mas optou por permanecer em cima da linha, aonde só conseguiu defender a cabeçada de Wallace, mas não conseguiu evitar que Guerrero marcasse no rebote.

O Grêmio teve uma chance de empatar logo aos 4 minutos do segundo tempo, mas Pedro Rocha acabou ficando sem ângulo para finalizar após driblar o goleiro Cesar. Depois disso o tricolor até voltou a chegar na área adversária, mas o arqueiro flamenguista praticamente não foi mais acionado.

Das falácias repetidas na defesa do sistema de pontos corridos a que mais me incomoda é da suposta “igualdade” entre todos os participantes. Corinthians e Grêmio enfrentaram o “mesmo” Flamengo no “mesmo” Maracanã num intervalo de seis dias. Para se falar em igualdade nesse caso nós teríamos que ignorar que o Sheik e Guerrero não atuaram contra o Corinthians e que o público praticamente dobrou de um fim de semana para o outro.  
O Grêmio parece ter feito questão de se bagunçar fora de campo justamente quando tinha começado a se ajustar dentro das quatro linhas. Essa situação do Rhodolfo está cada vez mais incompreensível. Quando a negociação com os turcos avançou, o atleta não só voltou a ser escalado como também recebeu de volta a braçadeira de capitão.

Nem o “pensamento mágico” justifica essa decisão de resgatar o Fernandinho. É puro non sense. 

Fotos: Gilvan de Souza (Flamengo) e Celso Pupo (Fim de Jogo)

Flamengo Flamengo 1×0 Grêmio Grêmio

FLAMENGO: Cesar; Ayrton, Marcelo, Wallace e Jorge; Canteros, Márcio Araújo e Everton (Gabriel, 41’/2ºT); Marcelo Cirino (Arthur Maia, Intervalo), Emerson Sheik e Guerrero
Técnico: Cristovão Borges
GRÊMIO: Marcelo Grohe; Galhardo, Geromel, Rhodolfo e Marcelo Hermes; Wallace (Braian Rodríguez, 43’/2ºT), Maicon, Giuliano, Douglas (Fernandinho, 16’/2ºT) e Pedro Rocha (Vitinho, 29’/2ºT); Luan 

Técnico: Roger Machado

14ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2015
Data: 18/07/2015, sábado, 18h30min
Local: Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Público: 51.055 (44.318 pagantes)
Renda: R$ 2.070.015,00
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (FIFA-MG)
Assistentes: Márcio Eustáquio Santiago (FIFA-MG) e Guilherme Dias Camilo (FIFA-MG)
Cartões amarelos: Emerson Sheik, Pedro Rocha, Marcelo Hermes, Geromel, Maicon e Marcelo Grohe
Gol: Guerrero, aos 40 minutos do primeiro tempo 1-0 (40’/1ºT)

Copa do Brasil 2015 – Grêmio 0x1 Criciúma

July 15, 2015

O Grêmio sofreu sua primeira derrota na Arena sob o comando de Roger. É verdade que poderia ter tido melhor sorte na partida se a arbitragem não tivesse equivocadamente marcado impedimento no gol de Pedro Rocha aos 22 minutos do primeiro tempo. Mas o tricolor já não jogava bem antes do erro do bandeirinha e seguiu mal, sofrendo um gol aos 33, quando Paulo Sérgio teve muito tempo para olhar pra dentro da área antes de cruzar para o segundo pau, onde Lucca subiu mais que o marcador e, de cabeça, fez o único gol do jogo
Depois disso o Grêmio não consegui retomar o bom futebol apresentado em jornadas anteriores, ficando clara a dificuldade imposta pela boa marcação do Criciúma, que impedia uma maior aproximação dos homens de frente do tricolor. 
O exponencial crescimento que o Grêmio teve desde a chegada de Roger não pode servir para que se cometam erros por prepotência, ignorando as limitações do plantel gremista. Será que, com o grupo que o tricolor dispõe, nós poderíamos nos dar o luxo de afastar um jogador titular somente porque ele está envolvido numa negociação? Rhodolfo ficou de fora dos últimos três jogos e, coincidência ou não, o time sofreu duas derrotas. Mas o que mais me incomoda nessa história é falta de transparência e/ou unidade no discurso da diretoria. Numa semana, o Presidente diz que o afastamento “nada tem a ver com venda ou proposta”, na outra o médico diz que Rhodolfo não está fora do jogo por problemas médicos e sim “por outras questões”. Fica chato.
Roger tem uma desenvoltura nas coletivas que é típica de treinadores mais experientes. Ontem ele conseguiu, por exemplo, mencionar diversas vezes o erro do bandeirinha sem parecer que estava colocando a culpa do insucesso do seu time na arbitragem.
Eu defendo que o clube deva sempre olhar pra frente, buscando soluções novas. Nesse aspecto, o retorno do Fernandinho é inexplicável. É um jogador que precisaria ter uma brutal melhora no seu desempenho para que a sua relação de custo/benefício deixe de ser uma das piores da história do Grêmio. 

Fotos: Fernando Ribeiro (Criciúma) e Lucas Uebel (Grêmio.net)

Grêmio Grêmio 0x1 Criciúma Criciúma

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Galhardo, Geromel, Erazo e Marcelo Hermes; Walace, Maicon, Douglas (Fernandinho; 12’/2°), Giuliano e Luan (Braian Rodríguez; 30’/2°); Pedro Rocha (Yuri Mamute; 24’/2°).
Técnico: Roger Machado
CRICIÚMA: Luiz; Maicon Silva, Adalberto, Wanderson e Guilherme Santos (Cristiano; 35’/2°); Wellington (Jonas; 40’/2°), Marcão, Rodrigo Andrade (Jefferson, 17’/2°) e Juba; Paulo Sérgio e Lucca.

Técnico: Dejan Petkovic

Copa do Brasil 2015 – Terceira Fase – Jogo de Ida
Data: 14/07/2015, terça-feira, 21h00min
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre – RS
Público: 17.439 (15.673 pagantes)
Renda: R$ 361.235,00
Árbitro: Bruno Arleu de Araujo (RJ)
Assistentes: Dibert Pedrosa Moises (RJ) e Michael Correia (RJ)
Cartões amarelos: Rodrigo Andrade, Guilherme Santos. Wellington, Paulo Sérgio
Gol: Lucca, aos 33 minutos do primeiro tempo

Copa do Brasil 1996 – Grêmio 2×0 Criciúma

July 14, 2015

 O último confronte entre Grêmio e Criciúma pela Copa do Brasil aconteceu em 10 de maio de 1996, uma sexta-feira.
Era a partida de volta das quartas de final da competição, e o tricolor Grêmio tinha uma boa vantagem, após o empate em 1×1 no primeiro jogo em Santa Catarina. Contudo, o desgaste do plantel era uma preocupação constante, uma vez que time havia entrado em campo apenas dois dias antes para enfrentar o Botafogo pelas oitavas de final da  Libertadores. De certo modo a equipe tricolor encaminhou a sua classificação com rapidez, construindo o placar de 2×0 com um gol de Aílton aos 13 e outro de Dinho (convertendo pênalti) aos 20 minutos do primeiro tempo.
Curiosamente alguns dos personagens do jogo no Olímpico em 1991 se repetiam. Márcio Rezende de Freitas esteve novamente no apito. Roberto Cavalo seguia no meio campo do Tigre, enquanto Felipão saiu mais uma vez vitorioso, só que dessa vez como treinador do Grêmio .

Fonte: Zero Hora
Fotos: Valdir Friolin (Zero Hora)

Grêmio 2×0 Criciúma

Data: 10/05/1996, sexta-feira, 21h30min
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre – RS
Público: 25.116
Renda: 194.432,00
Árbitro: Márcio Rezende de Freitas – MG
Auxiliares: Clever Assunção Gonçalves e Marco Antônio Martins

Copa do Brasil 1991 – Grêmio 1×1 Criciúma

July 14, 2015

O primeiro confronto entre Grêmio e Criciúma pela Copa do Brasil aconteceu no Olímpico no dia 30 de maio de 1991. O bizarro é que o tricolor chegara na final da competição (a sua segunda em três edições) apenas 11 dias após ser rebaixado no Campeonato Brasileiro daquele ano.

A equipe gremista, comandada por Dino Sani (Contratado em 19 de março daquele ano) acabou sofrendo um gol cedo, na tradicional bola parada treinada por Felipão e só conseguiu chegar ao empate aos 38 minutos do segundo tempo, num pênalti batido por Maurício.

Eu lembro vagamente dessa partida, de ter ficado atrás da goleira que o Grêmio fez o gol e de como o grande número de torcedores visitantes impressionava as pessoas na minha volta.


Fontes: Correio do Povo e Zero Hora
Fotos: Fernando Gomes (ZH)

Grêmio 1×1 Criciúma

GRÊMIO: Gomes; China (Jamir), João Marcelo, Vilson, Hélcio; Norberto, Donizete Oliveira (Darci), João Antônio, Caio; Maurício, Nando.
Técnico: Dino Sani

CRICIÚMA: Alexandre; Sarandi, Vilmar, Altair, Itá; Roberto Cavalo, Zé Roberto, Grizzo; Gélson, Soares, Jairo Lenzi (Vanderlei)
Técnico: Luiz Felipe Scolari

Copa do Brasil 1991 – Final – Jogo de ida
Data: 30/05/1991 – Quinta-feira – 18h30min
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre-RS
Público: 32.052 pagantes
Renda: Cr$ 36.090.000,00
Árbitro: Márcio Rezende de Freitas (MG)
Auxiliares: Evaristo Franco Souza e Luis Soares Azevedo
Cartões Amarelos: Alexandre, Itá, Vanderlei
Gols: Vilmar, aos 15 minutos do 1º tempo e  Maurício (de pênalti) aos 38 minutos do 2º tempo.

Brasileirão 2015 – Grêmio 2×0 Vasco

July 13, 2015

Era previsível que o Vasco de Celso Roth, de fraca campanha até aqui no Brasileirão, iria vir a Porto Alegre para ficar recuado no seu campo de defesa, jogando por uma bola no contra-ataque. Diante desse quadro, o Grêmio não se valeu das mais habituais armas para furar retrancas (bola aérea e chutes de longa distância), mantendo seu jogo de velocidade e movimentação constante no ataque. A marcação vascaína apresentava falhas e o tricolor conseguiu criar situações em jogadas pelo lado do campo que terminavam em cruzamentos rasteiros. Na melhor oportunidade do primeiro tempo, Giuliano entrou de carrinho, mas a bola saiu pela linha de fundo. O Vasco não conseguiu aproveitar o contragolpe, e só ameaçou em duas cobranças de falta executadas por Rodrigo.
No segundo tempo, na primeira vez que o Grêmio atacou pelo lado direito, Galhardo levantou a cabeça e cruzou rasteiro, o goleiro Charles espalmou a bola na direção do zagueiro Anderson Salles, que marcou contra. Em desvantagem, o Vasco se abriu e foi ao ataque, mas só conseguiu concluir uma vez. O Grêmio passou a ter espaço para contra-atacar e marcou o segundo gol aos 35 minutos, quando Giuliano deu bom passe e Pedro Rocha mandou pras redes usando o lado de fora do pé direito.

O que foi a janelinha que o Luan deu no segundo tempo? E mesmo jogando isso tudo tem torcedor do Grêmio que sempre se refere a este atleta de forma pejorativa, usando termos como: soneca, “Sonâmbulo“, “bundamole“, “bostão“, “mentecapto“, “molóide“, “naba“, “preguiçoso para caralho“, “displicente e piá de merda” e “pescoço mole igual a uma galinha.  É inaceitável que se faça esse tipo de comentário em relação a um jogador, especialmente quando vindo da base.

Uma pena que o Galhardo siga tendo dificuldades na parte física quanto está claramente evoluindo na parte técnica e tática.

35 mil pessoas na Arena (segundo melhor público da temporada gremista até aqui) e uma das rampas fica fechada na saída da torcida. Difícil de entender.

Sigo achando estranho que o Grêmio tenha feito um vídeo sobre lançamento de um uniforme da Umbro  com a mesma música de um comercial da Nike dos anos 90.  Mas pelo visto a relação entre a diretoria do clube e a fornecedora de material esportivo não vive o seu momento de maior harmonia. Em se tratando de uma parceria, acho que o Grêmio tem sim o direito de questionar a postura da Umbro nas redes sociais, mas acho que deve fazer isso ao menos inicialmente, de maneira privada. Fazer essa cobrança de forma pública nas redes sociais soa como bravata para “inglês ver”.
Grêmio Grêmio 2×0 Vasco Vasco

GRÊMIO: Marcelo Grohe, Galhardo (Lucas Ramon, 29’/2ºT), Geromel, Erazo e Marcelo Oliveira (Marcelo Hermes, 16’/2ºT); Walace, Maicon, Giuliano, Douglas (Edinho, 33’/2ºT) e Pedro Rocha; Luan
Técnico: Roger Machado

VASCO: Charles, Madson, Anderson Salles, Rodrigo e Christianno (Gilberto, 25’/2ºT), Serginho, Guiñazú, Andrezinho e Julio Cesar; Riascos (Eder Luis, 2ºT) e Dagoberto (Herrera, 11’2º)  
Técnico: Celso Roth

13ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2015
Data: 11/7/2015, sábado, 18h30min
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS)
Público: 34.752 (32.464 pagantes)
Renda: R$1.161.582,00
Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira (FIFA-SP)
Auxiliares: Emerson A.de Carvalho (FIFA-SP) e Daniel Paulo Ziolli (SP)
Cartões amarelos: Walace (Grêmio) e Guiñazú (Vasco)
Gols: Anderson Salles (contra) aos 14 minutos e e Pedro Rocha aos 35 minutos do 2º tempo

Brasileirão 2015 – O Grêmio na 12ª Rodada na era dos pontos corridos

July 10, 2015

No Brasileirão 2015, o Grêmio somou 23 pontos em 12 jogos.  Um aproveitamento de 63,88% depois de transcorridos pouco mais de 31,5% do campeonato. 
Somente em 2012 o tricolor tinha um aproveitamento superior nesta mesma altura no campeonato. 

2014 – 19 pontos em 12 jogos (52,77% de aproveitamento) –
2013 – 16 pontos em 12 jogos (44,44% de aproveitamento) –

2012 – 24 pontos em 12 jogos (66,66% de aproveitamento) –
2011 – 16 pontos em 12 jogos* (44,44% de aproveitamento)
2010 – 12 pontos em 12 jogos  (33,33% de aproveitamento)
2009 – 18 pontos em 12 jogos  (50,00% de aproveitamento)
2008 – 21 pontos em 12 jogos  (61,11% de aproveitamento)

2007 – 18 pontos em 12 jogos  (50,00% de aproveitamento)

2006 –  16 pontos em 12 jogos (44,44% de aproveitamento)

2005  Série B – 18 pontos em 12 jogos (50,00% de aproveitamento) -**

2004 -14 pontos em 12 jogos (38, 88% de aproveitamento)–  *** – 
2003 – 14 pontos em 12 jogos  (38, 88% de aproveitamento)– *** –

*Jogo contra o Santos foi adiado para 5 de outubro

** A série B NÃO era disputada no formato de pontos corridos.

*** Campeonato com 46 rodadas – Na 15ª rodada, quando já haviam passado mais de 31,5% do campeonato o Grêmio tinha 15 pontos (33,33%)

*** Campeonato com 46 rodadas – Na 15ª rodada, quando já haviam passado mais de 31,5% do campeonato o Grêmio tinha 15 pontos (33,33%)

Fontes:Bola na áreaCorreio do Povo e Zero Hora

Brasileirão 2015 – Chapecoense 1×0 Grêmio

July 9, 2015

Era sabido que a sequência de vitórias do Grêmio no Brasileirão não seria infinita. O time teve uma queda de rendimento e acabou sendo derrotado em Chapecó, o que pelas circunstâncias não é nenhum desastre.
No primeiro tempo o tricolor não teve o mesmo controle das ações que apresentou em atuações anteriores. A Chapecoense teve mais iniciativa, mas o Grêmio conseguia fazer um enfrentamento parelho. O time da casa quase marcou numa conclusão de carrinho de Camilo, enquanto Pedro Rocha e Marcelo Oliveira acertaram a trave no mesmo ataque.
Na etapa final a presença ofensiva gremista diminuiu consideravelmente e a Chapecoense passou a ficar mais com  a bola. Os mandantes quase saíram na frente aos oito minutos, num bate rebate entre Geromel e Grohe. Mas aos 32, a Chapecoense marcou o 1×0, numa falta em que Bruno Rangel ficou livre dentro da área e nem precisou pular para cabecear sem chances para o arqueiro tricolor.

Roger fez muito bem em salientar os méritos do adversário, apontando para a descida rápida pelo lado direito de ataque. Apenas discordo dele quando afirma que “a gente conseguiu fazer muito do nosso jogo“. Dessa vez eu não vi a mesma velocidade na movimentação ofensiva e foi possível perceber um espaçamento entre as linhas de marcação. E creio que a ausência de Walace se fez sentir pela falta de chegada dos volantes na frente.

Apodi incomodou a defesa do Grêmio com a mesma correria que fez com a camisa do Vitória no Barradão em 2009.

Não consigo entender o porque das mudanças, mas o Grêmio voltou a usar a meia preta com uma listra azul.
Muito mal explicada a ausência do Rhodolfo desse jogo. Afinal, ele está ou não sendo negociado? Qual o motivo de ele não ter sido relacionado?
Tendo em vista a insistência na jogada, imagino que a cobrança rasteira de escanteio pelo Douglas tenha sido algo planejado. O curioso é que isso se tornou um dos motivos do bate boca  no twiter entre o jogador e alguns torcedores.

Fotos: Fran Constante (Chapecoense)

Chapecoense Chapecoense 1×0 Grêmio  Grêmio

CHAPECOENSE: Danilo; Apodi, Rafael Lima, Neto e Dener; Elicarlos, Bruno Silva, Cleber Santana, Camilo (Maranhão, 23’/2ºT) e Hyoran (Tiago Luís, 23’/2ºT); Bruno Rangel (Wanderson, 42’/2ºT)
Técnico: Vinícius Etrópio
GRÊMIO: Marcelo Grohe; Galhardo, Geromel, Erazo e Marcelo Oliveira; Edinho (Braian Rodríguez, 35’/2ºT), Maicon, Giuliano e Douglas; Luan (Yuri Mamute, 29’/2ºT) e Pedro Rocha (Fernandinho, 34’/2ºT)
Técnico: Roger Machado.
12ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2015
Data: 8/7/2015, quarta–feira,  19h30min
Local: Arena Condá, em Chapecó – SC
Público: 13.916
Renda:R$ 466.180,00 
Árbitro: Flávio Rodrigues Guerra (SP)
Auxiliares: Emerson Augusto de Carvalho (Fifa-SP) e Marcelo Carvalho Van Gasse (Fifa-SP)
Cartões amarelos: Wanderson ; Pedro Rocha  e Braian Rodriguez
Gol: Bruno Rangel, aos 32 minutos do 2º tempo

Quanto custou ir à Arena em Junho de 2015

July 8, 2015

Em Junho, o Grêmio jogou três partidas na Arena (Corinthians, Atlético Paranaense e Palmeiras, todos pelo Brasileirão). O preço dos ingressos foi o mesmo dos jogos do mês anterior.

Segue abaixo a divisão por setores: