Archive for March, 2016

Gauchão 2016 – Grêmio 3×0 Lajeadense

March 30, 2016

O Grêmio fez um gol cedo e teve pouca dificuldade para conquistar os três pontos. O Lajeadense se encontra em situação delicada e assim fica complicado de ser usado como parâmetro. Walace foi bem, Pedro Rocha foi bem, Bobô foi bem. Mas a grande dúvida da tarde, Douglas e Lincoln jogando juntos, parece não ter sido devidamente testada.
Lajeadense voltou para a primeira divisão do Campeonato Gaúcho em 2011. Desde então, sempre jogou com o Grêmio em Porto Alegre. É difícil entender essa tabela do Gauchão

Fotos: Lucas Uebel (Grêmio.net) e Eduardo Moura (Globo Esporte)

Grêmio Grêmio 3×0 Lajeadense Lajeadense

GRÊMIO: Bruno Grassi; Ramiro, Geromel, Fred e Marcelo Oliveira; Walace, Maicon (Edinho, 30’/2ºT), Pedro Rocha, Douglas (Batista, 37’/2ºT) e Lincoln; Bobô (Henrique Almeida, 25’/2ºT). 
Técnico: Roger Machado 
LAJEADENSE: Lauro; Juninho, Léo, Edson Borges e Alan Bald; Marabá, Reinaldo Silva (Eduardo, 40’/2ºT), Quaresma e Lucas Marques (Magalhães, 23’/2ºT); Erik e Ícaro (Dieguinho, 24’/2ºT). 
Técnico: Édson Porto 
11ª Rodada – Campeonato Gaúcho 2016
Data: 27 de março de 2016, domingo,16h00min
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre-RS Público: 9.294 (8.228 pagantes)
Renda: R$ 285.359,00
Árbitro: Jean Pierre Gonçalves
Assistentes: José Javel Silveira e Carlos Henrique Selbach
Cartões amarelos: Maicon, Pedro Rocha, Pedro Geromel e Marcelo Oliveira (Grêmio); Léo e Lauro (Lajeadense)

Gols: Bobô, aos 13 minutos do primeiro tempo; Pedro Rocha, a 1 minuto, e Batista, aos 46 minutos do segundo tempo

Advertisements

Gauchão 2016 – Ypiranga 1×2 Grêmio

March 21, 2016
O Grêmio conseguiu abrir 2×0 no placar ainda no primeiro tempo. O primeiro gol foi de Pedro Rocha, que sempre mostra uma capacidade acima da média de se colocar em condições de marcar. Aos 27 ele apareceu dentro da área para desviar o passe dado por Bobô e fazer o 1×0. O segundo gol saiu sete minutos mais tarde, numa jogada iniciada por Pedro Rocha, que girou em cima da marcação e arrancou pela ponta direita, de onde cruzou para Lincoln, que por sua vez pegou a bola no ar, de costas para o gol, com o calcanhar. Golaço. No segundo tempo o Grêmio diminuiu o ritmo, chegou a levar um gol numa bola que Fred acabou colocando dentro da própria goleira, mas depois disso não foi  mais tão ameaçado de tomar um empate.

Desse jeito o Lincoln não vai demorar muito pra realizar o seu sonho de veranear em CIDREIRA.

Além das atuações de Pedro Rocha e Lincoln, outro destaque importante foi o retorno do Walace. É o tipo de jogador que “arruma” o time.

O Ypiranga voltou a primeira divisão em 2015. Neste dois anos o Grêmio foi o único time de Porto Alegre que jogou em Erechim. É muito difícil de entender a montagem da tabela do Gauchão.

Fotos: Diogo Zanatta (Zero Hora)

 Ypiranga Ypiranga 1×2 Grêmio Grêmio

YPIRANGA: Carlão; Daniel (Jucemar, 31’/2ºT), Negretti, Laerte e Ernani; Robson, Jessé, Jardel (João Paulo, Intervalo) e Danilinho; Túlio Rennan e Léo (Maycon, 38’/2ºT)

Técnico: Leocir Dall’Astra
GRÊMIO: Marcelo Grohe; Ramiro, Bressan, Fred e Marcelo Hermes (Kaio, 43’/2ºT); Edinho, Walace, Pedro Rocha, Lincoln e Everton (Iago25’/2ºT); Bobô
Técnico: Roger Machado
10ª Rodada – Campeonato Gaúcho 2016
Data: 20/03/2016, domingo, 18h30min
Local: Estádio Colosso da Lagoa, em Erechim (RS)

Árbitro: Diego Real
Assistentes: Élio Nepomuceno Júnior e José Eduardo Calza
Cartões amarelos: Marcelo Hermes, Bressan e Ramiro; Daniel e Ernani
Gols: Pedro Rocha, aos 27 minutos e Lincoln, aos 34 minutos do primeiro tempo; Fred, (contra), aos 10 minutos do segundo tempo

Libertadores 2016 – San Lorenzo 1×1 Grêmio

March 16, 2016

Não havia como o jogo começar de maneira pior para o Grêmio. Com dois minutos, Marcelo Oliveira cometeu um pênalti inexplicável, derrubando Belluschi, que estava saindo da área e levaria a bola para a linha lateral. Ortigoza cobrou onde nenhum goleiro consegue defender e o San Lorenzo saiu na frente. O tricolor até tentou uma resposta imediata, mas rapidamente sucumbiu, errando passes e cedendo contra-ataques. Assim acabou escapando de levar o segundo gol ainda no primeiro tempo em diversas oportunidades (Grohe fez duas defesas espetaculares, Blanco acertou o travessão e Geromel, como já é de costume, salvou um bola em cima da linha)
No segundo tempo o volume de jogo do San Lorenzo diminui, mas isso não fez com que o Grêmio criasse mais. Na verdade o tricolor mal conseguia se aproximar do gol defendido por Torrico. As tentativas de ligação direta eram rebatidas pela zaga adversária e os rebotes eram sempre apanhados pelos atletas do San Lorenzo. Em meio a tantos defeitos, o Grêmio teve um mérito: Persistência. Aos 44 minutos, Maicon aproveitou um passe errado e lançou Everton, que por sua vez cruzou rasteirao para o meio da área. Lá estava Bobô, trombando com a zaga, fazendo com que a bola sobrasse para Lincoln fazer o 1×1.

Pelo que o Grêmio jogou o resultado foi “criminoso”. O San Lorenzo acabou sendo punido pela Lei de Finagle.

Mais uma vez o Grêmio teve mais posse de bola que o adversário. A questão é saber o que fazer quando o time tem a bola. Ano passado o Grêmio parecia ter isso bem claro na sua proposta de jogo. O mesmo ainda não se verificou em 2016.
Assim como aconteceu na partida da Arena, o San Lorenzo deixou Edinho livre com a bola, concentrando a marcação em outros atletas. E o Grêmio ainda não encontrou uma resposta para esse movimento do adversário (que provavelmente irá se repetir na temporada).
Um fator que me tranquiliza é que, desconsiderando uma referência banalmente desnecessária a “imortalidade”todos no Grêmio pareciam bem conscientes que o time teve um desempenho muito abaixo do esperado.
Na questão dos detalhes que talvez sejam desimportantes, deu pra ver que dessa vez o Grêmio usou uma meia toda preta, ao contrário do que fez contra o Cruzeirinho no sábado (onde usou a meia preta com duas listras do ano passado)

Fotos: Lucas Uebel (Grêmio.net), Daniel Jayo (La Nacion) e Olé

San Lorenzo San Lorenzo 1×1 Grêmio Grêmio

SAN LORENZO: Torrico; Buffarini, Caruzzo, Angeleri e Emanuel Más; Mussis (Blandi, 45’/2º), Ortigoza, Belluschi e Blanco (Romagnoli, 16’/2º); Cerutti e Cauteruccio (Matos, 28’/2º).
Técnico: Pablo Guede
GRÊMIO: Marcelo Grohe; Ramiro, Geromel, Fred e Marcelo Oliveira; Edinho e Maicon; Giuliano (Bobô, 19’/2º), Douglas (Lincoln, 19’/2º) e Everton; Luan (Pedro Rocha, 31’/2º).

Técnico: Roger Machado

Libertadores 2016 – Grupo 6 – 4ª Rodada
Data: 15 de março de 2016, terça-feira, 21h45min
Local: Estádio Nuevo Gasómetro, em Buenos Aires-ARG
Árbitro: Andres Cunha (URU)
Assistentes: Miguel Nievas e Carlos Pastorino (URU)
Cartões amarelos: Ortigoza, Maicon, Marcelo Oliveira
Gols: Ortigoza (de pênalti) aos 3 do 1º tempo e Lincoln aos 44 minutos do 2º tempo

Gauchão 2016 – Cruzeiro 1×3 Grêmio

March 15, 2016
Esse Cruzeirinho de 2016 parece ter a sina das equipes que são rebaixadas. Conseguiu sair na frente (após um lateral arremessado para a área), mas levou o empate no lance seguinte (gol de Pedro Rocha, foto acima), chegou a esboçar uma reação, colocando bola na trave, mas sofreu a virada ainda no primeiro tempo, numa bola que Bobô fico completamente livre para cabecear dentro da área.
O Grêmio não tem nada que ver com a situação do Cruzeiro e soube conduzir bem a partida no segundo tempo, ampliando o placar para 3×1 num (questionável) pênalti sofrido e convertido por Lincoln.

Vamos combinar que o Pedro Rocha não pode receber menos oportunidades do que o Fernandinho. Especialmente se levarmos em conta tudo que os dois já produziram com a camisa tricolor.
Nesse ano o Grêmio usou uma meia toda azul no jogo contra o Brasil de Pelotas e uma toda branca nas demais partida. Contra o Cruzeirinho o time usou a meia preta do ano passado (com duas listras) e o Bruno Grassi usou a meia azul do ano passado (aquela que nunca foi colocada a venda).
O Grêmio não deveria ter usado sua camisa preta, uma vez que o mandante usava uma camisa azul e  branca?

 Fotos: Lucas Uebel (Grêmio.net) e José Haag

Cruzeiro RS Cruzeiro 1×3 Grêmio Grêmio

CRUZEIRO: Andrey; Rodrigo Heffner, André Ribeiro, Vladimir e Sander; Ben-Hur (Raymond, 8’/2º), Reinaldo (Jefferson Luís, 29’/2º), Paraná e Chiquinho (Matheus, 15’/2°); Thiago Alagoano e Caion
Técnico: Ben Hur Pereira
GRÊMIO: Bruno Grassi; Kaio, Bressan, Thyere e Marcelo Hermes; Jaílson e Ramiro; Fernandinho (Tontini, 30’/2º), Lincoln (Iago, 41’/2°) e Pedro Rocha; Bobô (Henrique Almeida, 30’/2°)
Técnico: Roger Machado
09ª Rodada – Campeonato Gaúcho 2016
Data: 12 de março de 2016, sábado, 18h30min
Local: Estádio do Vale, em Novo Hamburgo – RS
Árbitro: Daniel Soder
Assistentes: Maurício Penna e Michel Stanislau
Cartões Amarelos: Ben Hur, Paraná, André Ribeiro (Cruzeiro); Lincoln (Grêmio)
Gols: Caion, aos 24, Pedro Rocha, aos 25 e Bobô, aos 42 minutos do primeiro tempo; Lincoln (de pênalti) aos 11 minutos do segundo tempo.

Libertadores 2016 – Grêmio 1×1 San Lorenzo

March 12, 2016

 

Apesar do San Lorenzo ter chegado nessa partida em situação mais delicada, foi o Grêmio que se mostrou mais nervoso a partir do apito inicial. Os argentinos focavam sua marcação em cima de Maicon, deixando Edinho livre para jogar, o que acabou causando dificuldade para o tricolor propor o jogo. O time de Pablo Guede aproveitava das inúmeras jogadas precipitadas do ataque gremista para sair jogando com tranquilidade, com a bola no chão, usando os lados do campo para contra-atacar com perigo. O Grêmio estava num mau momento quando saiu na frente, aos 24 minutos. Falta sofrida por Wesley que Fred bateu e contou com uma boa colaboração do goleiro Torrico para fazer o 1×0. O San Lorenzo não se abalou com o gol sofrido e chegou ao empate 8 minutos mais tarde. Também numa bola parada, onde o Grêmio posicionou todos seus jogadores praticamente dentro da grande área e mesmo assim não evitou a cabeçada de Cauteruccio.

No segundo tempo o Grêmio não se encontrou mais em campo. Os jogadores mais criativos pareciam sentir a sequência de jogos. Quando Roger substitui eles, optou por um esquema heterodoxo, com dois centroavantes, Fernandinho pela esquerda e Everton pela direita. Era de se imaginar que o tricolor iria apelar para a bola aérea. Mas nem isso o time Grêmio conseguiu fazer, pois acabou perdendo o controle do jogo ao abrir mão do meio de campo e por pouco não perdeu o jogo.

 

 

Um dos grandes diferenciais de Roger é a sua capacidade de enxergar o jogo e falar de maneira sincera e didática sobre o que aconteceu na partida na coletivas. Infelizmente ele não agiu dessa forma ao dizer que não viu o time cansar. Ficou estranho, até mesmo porque o cansaço de alguns jogadores, como Luan e Giuliano, era evidente.
E a Arena acabou sim recebendo mais de 120 mil nessa sequência de três grandes jogos. Uma pena que se tenha visto portões fechados na entrada do público. Uma pena que não se vê nenhuma providência sendo tomada para melhor a saída da torcida no final do jogo (começando pelos ambulantes bloqueando a saída das rampas e indo até a questão do trânsito no entorno do estádio).
É importante lembrar que o Grêmio somou 5 dos 9 pontos destes últimos jogados em casa.

 

Geromel mais uma vez jogou muito. Se ele faz o gol naquele chute da intermediária teria que sair carregado na saída do campo. A propósito, sou só eu que acha estranho que o departamento de marketing não tenha feito nada para aproveitar/capitalizar esse momento de (merecida) idolatria do nosso camisa 3?
O camisa 16 Belluschi é um jogador que eu acompanho desde a época do Newell´s. Ainda não tinha tido uma grande atuação na Libertadores. Infelizmente deixou pra começar a fazer a diferença justamente na Arena.

 

 

Grêmio Grêmio 1×1 San Lorenzo San Lorenzo

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Wesley, Geromel, Fred e Marcelo Oliveira; Edinho, Maicon; Giuliano (Fernandinho, 25’/2º), Douglas (Henrique Almeida, 31’/2°) e Everton; Luan (Bobô, 14’/2º).
Técnico: Roger Machado
SAN LORENZO: Torrico; Buffarini, Angeleri, Caruzzo e Mas; Mussis; Belluschi, Ortigoza e Blanco; Cerutti (Romagnoli, 39’/2º) e Cauteruccio (Matos, 28’/2º).
Técnico: Pablo Guede
03ª Rodada – Grupo 06 – Libertadores 2016
Data: 09 de março de 2016, quarta-feira, 21h45min
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS)
Público: 41.927 (39.176 pagantes)
Renda: R$ 2.104.161
Árbitro: Daniel Fedorzuck (URU) Assistentes: Nicolás Taran e Richard Trinidad (URU)
Cartões Amarelos: Edinho e Marcelo Oliveira, Mussis, Ortigoza e Angeleri

Gols: Fred, aos 24 minutos do 1º tempo e Cauteruccio, aos 32 minutos do 1º tempo

Gauchão 2016 – Grêmio 0x0 Inter

March 7, 2016

 

Esse era um Gre-Nal estranho desde antes do seu começo. Valia por duas competições, mas nenhuma delas é a prioridade do Grêmio neste momento. Mesmo assim o tricolor entrou com força máxima e talvez tenha pago um preço alto por isso. Miller Bolaños fraturou a mandíbula logo aos 3 minutos de jogo, após receber uma cotovelada do lateral William. O equatoriano ainda resistiu no primeiro tempo, mas foi substituído no intervalo e deve desfalcar o Grêmio por um bom tempo.
Esse lance e as suas consequências acabaram se sobrepondo sobre o jogo. Por dois motivos: 1) o jogo foi “chato”; 2) mais uma vez a imbecilidade tomou conta das discussões sobre o que aconteceu na jogada.

Me parece ser tarefa bastante complicada medir ou verificar a presença de intenção/maldade na conduta de um atleta. Contudo, fica difícil de isentar William de responsabilidade quando se constata que não foi a primeira vez que o lateral colorado agiu dessa forma.  De maneira cínica o jogador e a sua assessoria resolveram citar o seu histórico para alegar ausência de dolo na jogada.

Com igual desfaçatez se portou o árbitro Anderson Daronco, que diz não precisar se defender ou justificar num lance em que ele ele inverteu a marcação e um jogador saiu com uma dupla fratura na mandíbula.

 

 

O jogo em si não foi muito movimentado. O Inter claramente jogou pelo 0x0, e isso foi perceptível não só pelo posicionamento da equipe, mas especialmente pela indolência dos colorados em cada tiro de meta e lateral que tinham que executar. No primeiro tempo o Grêmio foi claramente superior, ganhando a primeira e a segunda bola e sempre rondando a área colorada. Contudo, faltou um pouco mais de refino para traduzir essa superioridade em gols. Nos 45 minutos finais o Inter conseguiu adiantar sua última linha e afastou a bola de perto do seu gol.

 

Sei bem que os jogos de final de semana costumam levar mais gente ao estádio. Mas ainda assim me surpreendi ao ver um público maior em Gre-Nal de primeira fase do Gauchão do que no jogo de Libertadores. Talvez a diferença no preço dos ingressos explique, mas será que é só por isso?

 

Segundo o FootStats, o Grêmio teve 57,8% de posse de bola. Somente em outros 4 jogos de 2016 o time teve números melhores neste quesito.
O número de 48.204 espectadores foi saudado como recorde da Arena, mas na semana passada foi divulgado que o público da inauguração foi de 51.901 (46.969 pagantes).
Na média da temporada o Grêmio costuma ceder 4,1 escanteios por jogo. Ontem o Inter teve 7 escanteios a seu favor e pouco ameaçou na bola aérea (tida como um dos seus pontos fortes). Interessante notar que o tricolor posicionava os seus 11 atletas dentro da sua área nos escanteios, algo que eu não lembro de ter acontecido antes sob o comando de Roger.

 

. Grêmio Grêmio 0x0 Inter Internacional

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Wesley, Geromel, Fred e Marcelo Oliveira; Edinho, Maicon, Giuliano, Douglas (Everton, 27’/2t) e Luan (Bobô, 45’/2t); Bolaños (Henrique Almeida, int)
Técnico: Roger Machado 
INTER:  Allisson; William, Paulão, Ernando e Artur; Rodrigo Dourado, Fabinho, Anderson (Vitinho, 18’/2t) e Andrigo (Alex, 28’2/t); Aylon (Réver, 45’/2t) e Sasha
Técnico: Argel Fucks 

Gauchão 2016 – 08ª Rodada
Primeira Liga 2016 – Grupo B – 3ª Rodada
Data: 06 de março de 2016, domingo, 18h30min
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre – RS
Público: 48.204 presentes (44.839 pagantes)
Renda: R$ 1.937.749,00
Árbitro: Anderson Daronco
Auxiliares: Rafael da Silva Alves e Júlio Cesar dos Santos
Cartões Amarelos: Geromel, Marcelo Oliveira, Maicon, Henrique Almeida ; Aylon, Andrigo, William
Cartão Vermelho: Paulão, aos 47 minutos do 2º tempo

Libertadores 2016 – Grêmio 4×0 LDU Quito

March 5, 2016

No momento de maior pressão o Grêmio fez sua melhor partida na temporada. Não foi uma atuação perfeita, mas o tricolor mostrou bastante intensidade e foi muito eficaz em converter as chances que teve/criou.
O fato do primeiro gol ter saído cedo foi fundamental para afastar qualquer negatividade/insatisfação que rondava a Arena. Aos 11 minutos, Maicon chutou mal, mas Luan conseguiu antecipar a zaga e fazer o pivô para o capitão gremista mandar pro gol na sua segunda tentativa. Apesar da vantagem, o time gremista seguiu bastante agitado, exemplo disso pode ser visto num lance que Geromel derrubou Fred quando os dois buscavam afastar a “mesma” bola. A tranquilidade só veio aos 36 minutos, quando Luan aproveitou uma saída errada da LDU e lançou o estreante Bolaños, que inteligentemente concluiu rápido, enquanto o goleiro se adiantava para fechar o ângulo.
No início do segundo tempo, Romero recebeu o segundo amarelo e foi expulso (o que já devia ter acontecido no final do primeiro tempo quando ele derrubou Luan que sairia de frente com o goleiro). A partir daí o Grêmio mostrou maturidade, não se expondo desnecessariamente e esperando pelos espaços que a LDU daria ao tentar uma reação. E esses espaços só foram aparecer perto do final da partida. Aos 37, Henrique Almeida fez jogada individual e marcou o terceiro gol num forte chute de fora da área e aos 44 Everton recebeu na área e teve tranquilidade para deslocar o goleiro Dominguez e estabelecer o 4×0.

Roger foi muito feliz ao dizer que “Não está tudo certo agora, como não estava tudo errado antes“.

Além de ter conseguido converter as oportunidades criadas, outro fator importante para a vitória foi o fato de não ter tomado gols. Foi apenas a quarta partida nas doze disputadas até aqui na temporada que isso aconteceu.
Não sei se foi uma orientação ou uma circunstância do jogo, mas o Giuliano atuou bem mais próximos dos volantes do que dos homens de frente
Nos primeiros minutos da partida eu fiquei preocupado ao notar que foi Luan o escolhido para mudar o seu posicionamento (saiu do centro do ataque para a ponta esquerda) para a entrada de Miller Bolaños. Mas isso não prejudicou o seu rendimento. Os homens de frente do Grêmio se movimentaram bastante. Luan não ficou fixo pelo lado esquerdo. Apareceu na marca do pênalti para fazer o pivô no primeiro gol e estava pela meia direita para fazer o lançamento no segundo gol.
Se fosse levado em conta unicamente a questão do desempenho em 2016, Everton não merecia ser o escolhido para sair do time para a entrada de Bolaños. Importante que ele tenha conseguido marcar o gol nos poucos minutos que jogou.
A estreia do Miller Bolaños deixou bem esperançosa a torcida, especialmente porque ele ainda não está plenamente adaptado ao esquema de jogo. Quando estiver, tende a melhorar a sua contribuição.

Muito legal ver o retorno de diversos materiais na torcida, como papel picado. Difícil entender porque isso não aconteceu antes. Só acho que bandeirão nas primeiras filas de uma Arena é algo bem anacrônico.
Na mesma noite, o Corinthians também jogou em casa pela Libertadores. O número de pagantes foi parecido (35.065 em Porto Alegre e 38.818 em São Paulo) mas tivemos um número seis vezes maior de não pagantes no Humaitá (2.637 contra 428 em Itaquera). 

Grêmio Grêmio 4×0 LDU Quito LDU Quito

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Wallace Oliveira (Marcelo Hermes, 21’/2º), Geromel, Fred e Marcelo Oliveira; Edinho, Maicon, Giuliano, Douglas e Luan (Henrique Almeida, 35’/2º); Miller Bolaños (Everton, 26’/2º)
Técnico: Roger Machado
LDU: Domínguez; Quinteros (Luís Bolaños, 20’/2°), Luis Romero, Araujo e Estupinãn; Édison Vega, Fernando Hidalgo, Benavídez e Brahian Alemán (Puch, 27’/2º); Diego Morales e Tenorio (Padilla, 9’/2º). 
Técnico: Cláudio Borghi

02ª Rodada – Grupo 6 – Libertadores 2016
Data: 2 de março de 2016, quarta-feira, 21h45min
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre-RS
Público: 37.702 (35.065 pagantes)
Renda: R$ 1.581.618,00
Árbitro: Jesús Valenzuela (Venezuela)
Auxiliares: Carlos López e Luis Sánchez.
Cartões amarelos: Romero, Araujo (LDU de Quito); Pedro Geromel, Maicon (Grêmio).
Cartão vermelho: Romero, aos 2 minutos do 2º tempo(LDU de Quito).
Gols: Maicon, aos 11 do 1º tempo; Miller Bolaños, aos 36 do 1º tempo; Henrique Almeida aos 37 do 2º tempo; Éverton, aos 44 do 2º tempo.