Libertadores 2016 – Rosario Central 3×0 Grêmio

E não deu. Pela quarta vez seguida o Grêmio é eliminado da Libertadores nas oitavas de final.
Eu ainda esperava algum tipo de reação. Era difícil acreditar que o time faria uma apresentação tão ruim quanto a do jogo de ida. O Grêmio teve uma semana para encontrar alguma saída para a partida fora de casa. Mas em campo não se viu nada. A atuação foi completamente apática.  O Grêmio tomou  gol logo no início do jogo. Levou o segundo em pênalti totalmente desnecessário e sofreu o terceiro na volta para o segundo tempo. O “roteiro” não poderia ser pior. Na soma dos dois jogos o Grêmio só acertou 4 chutes NO gol do adversário. Muito pouco para quem iria tocar cinco.

Gosto dos conceitos e do trabalho do Roger. Não gostaria de ver ele demitido neste momento. Do jeito que o futebol é pensado no clube, a probabilidade de seu eventual substituto ser um treinador de potencial inferior é muito grande. Mas isso não significa afirmar que o nosso técnico não tem nenhuma culpa nos insucessos de 2016. O fato de que nenhum jogador teve um desempenho minimamente razoável nos dois confrontos contra o Rosario Central deve passar também pelo tipo de jogo que foi pensado pelo treinador.

Foi feio. Muito feio. Quanto antes se reconhecer isso, mais fácil (ou menos) fica de corrigir. Até aqui o Grêmio vem gastando muita energia para tentar justificar o injustificável e acaba pensando pouco nas soluções dos seus problemas. Somado a isso, temos ainda uma triste postura de censurar críticas, de constranger a oposição. Postura essa que obviamente não trouxe nenhum resultado. Só serviu para alijar  pessoas.  Uma instituição em dificuldade não pode abrir mão de pessoas dispostas a colaborar. Mas no Grêmio, estranhamente, a regra é a da exclusão.

Já podemos afirmar que o planejamento do Grêmio para 2016 foi mal pensado. Algumas carências ficaram bastante evidentes. Galhardo e Erazo estavam longe de ser sumidades e ainda assim o clube não consegui encontrar substitutos para as suas respectivas posições. Entendo que existam algumas dificuldades, mas fico bastante preocupado com a ausência de autocrítica na diretoria e a constante tentativa de “terceirizar” a culpa pelos fracassos do clube.

Fotos: Rosario Central, Central de Esportes (Rádio Gaúcha) e Lucas Uebel (Grêmio.net)

ROSARIO CENTRAL: Sosa; Salazar, Burgos, Donatti e Pinola; Musto (Gil Romero, 36’/2ºT), Montoya (Álvarez, 41’/2ºT), Fernández e Cervi; Herrera e Marco Ruben (Lo Celso, 34’/ºT) 
Técnico: Eduardo Coudet 
GRÊMIO: Marcelo Grohe; Ramiro, Geromel, Fred e Marcelo Hermes; Walace, Maicon, Giuliano, Douglas (Pedro Rocha, int.) e Luan; Bolaños (Bobô, 17’/2ºT) 

Técnico: Roger Machado

One Response to “Libertadores 2016 – Rosario Central 3×0 Grêmio”

  1. Anônimo Says:

    O Grêmio morreu em 2009, nas Semi-Finais da Liberta aonde jogou dois Grandes Embates contra o Cruzeiro..
    Depois disso, Ganhou um Gauchão de despedida, e faleceu !!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s


%d bloggers like this: