Supercopa 1989 – Grêmio 0x1 Estudiantes

by
1989 estudiantes casa marquez cuca vargas fernando gomes zero hora

Foto: Fernando Gomes (Zero Hora)

A primeira partida de mata-mata entre Grêmio e Estudiantes aconteceu no  em outubro de 1989, no estádio Olímpico, pelo jogo de ida das quartas de final da Supercopa de 1989.

O tricolor contava com praticamente o mesmo time que havia conquistado a primeira edição da Copa do Brasil poucos meses antes. Uma novidade na escalação foi o goleiro Gomes, que acabou sendo personagem na partida. Falhando no gol dos visitantes e se redimindo defendendo um pênalti sete minutos depois (os dois lances em conclusões do atacante Cariaga).

1989 estudiantes casa cariagga jose doval zero hora

Foto: José Doval (Zero Hora)

GRÊMIO JOGA MAL, PERDE E AGORA PRECISA VENCER BEM EM LA PLATA
O Esquema de Cláudio não funcionou. A derrota deixa o sonho de um título inédito um pouco mais distante. Gomes ainda pegou um pênalti.

O Grêmio perdeu de 1 a O para o Estudiantes, ontem à noite e terá que vencer por dois gois de diferença, em La Plata, na próxima quarta-feira. O time argentino foi sempre melhor e, com seu esquema defensivo, mas eficiente, deu uma aula de futebol ao amarrado Grêmio, que mostrou não saber jogar contra equipes retrancadas.

Quem esperava um Grêmio agressivo e para definir o jogo logo no seu inicio, teve uma falsa impressão com um chute de Assis a um minuto, que Battaglia defendeu para escanteio. Depois, o Estudiantes se refez do susto e mostrou qualidades no contra-ataque: o excelente Craviotto, aos três minutos, cruzou para Carriaga e Marquez, que erraram o cabeceio.

Sem dar espaços, o Estudiantes marcava muito bem ao lento meio-campo do Grêmio. Kita, sem mobilidade, foi dominado pela zaga e, por isso, o Grêmio só conseguiu atacar bem aos 20 minutos, quando Agüero salvou em cima da linha uma conclusão de Paulo Egidio, para Battaglia, em seguida, pegar um chute de Assis. A resposta argentina foi rápida, com Cardozo concluindo no poste e Gomes, no mesmo lance, defendeu com os pés para escanteio. Aos 40, Kita, sozinho perdeu chance.

Os dois times voltaram para o segundo tempo com as mesmas formações. E o Estudiantes, marcando muito bem, nada permitia ao Grêmio. Aos 18 minutos Sérgio Araújo e Gilson substituíram Assis e Kita, para dar mais agressividade ao ata. que. Isto não adiantou, já que a bola não chegava na frente, pois os argentinos nada permiyiam. Aos 38, no contra ataque, Cariaga fez 1 a 0, numa falha de Gomes e houve justiça no placar, para quem sempre foi melhor em campo. Aos 45, o goleiro se recuperou ao defender um pênalti que ele mesmo fez em Di Carlo, cobrado por Cariaga. O sonho da Supercopa, agora, ficou mais difícil.” (Zero Hora – 26 de outubro de 1989)

GOMES ERRA, PEGA PÊNALTI E SILENCIA
O goleiro Gomes, que falhou no gol do Estudiantes e defendeu o pênalti no final, não quis dar entrevistas. Gomes foi seguido por seus companheiros, com exceção de Alfinete que tomou banho no vestiário e falou sobre o que aconteceu em campo. Chateado pelo escore, ele mantém a confiança na classificação:
— Somos superiores e tivemos mais oportunidades, três no primeiro tempo, enquanto os argentinos atacaram só uma vez no segundo tempo e marcaram. No pénalti, o Gomes evitou uma injustiça ainda maior.
Os outros jogadores não ficaram no vestiário, preferindo esconder-se na concentração. Mas, ainda no campo, Adilson Heleno tratou de consolar o goleiro Gomes:
— Está certo que ele falhou no lance do gol, mas redimiu-se totalmente ao defender o pênalti. Temos time para reagir em La Plata — assegurou ele.” (Zero Hora – 26 de outubro de 1989)

CLÁUDIO DIZ QUE NADA HÁ A TEMER
Durante todo o dia de ontem, o técnico Cláudio Duarte preocupou-se em fugir dos repórteres para fazer mistério quanto a escalação do Grêmio. À noite, depois da derrota, ele teve que explicar o resultado negativo:
— O Estudiantes mostrou porque o futebol argentino é campeão do mundo e mereceu vencer. Eu prefiro não criticar os meus jogadores e reconhecer os méritos do adver-ário. Mas, segue a esperança, pois quem já foi a Bagé e São Borja nada tem a temer —reagiu ele.
O vice de futebol, Rafael Bandeira dos Santos, admitiu que o time não esteve bem em campo, ressaltando o bom futebol do adversário:
— Eles mostraram um futebol de muita velocidade e até mereceram a vitória. Mas o pênalti defendido pelo Gomes, no final, psicologicamente será muito importante para nossa reações. Precisamos ser machos lá em La Plata.” (Zero Hora – 26 de outubro de 1989)

E OS ARGENTINOS MANTÊM A CAUTELA
A festa no vestiário do Estudiantes só não foi maior por causa da defesa de Gomes no pênalti assinalado pelo árbitro quase no final da partida. Mas o time argentino venceu e joga pelo empate na partida da próxima quarta-feira, em La Plata, para chegar á terceira etapa da Supercopa. O lateral direito Craviotto, melhor jogador em campo, pensa em nova vitória:
— Estamos de parabéns, estivemos fortes em campo, entretanto precisamos da mesma disposição para que vençamos, novamente, o Grémio. O adversário é forte e não podemos nos acomodar por causa deste resultado em Porto Alegre.
O técnico Eduardo Solari, que armou um esquema perfeito — com base numa forte marcação e contra-ataques rápidos — endossou as palavras de seu lateral:
— Demos um passo muito grande rumo à classificação. Mas, nesta competição, os jogos duram 180 minutos e só passamos pela metade.” (Zero Hora – 26 de outubro de 1989)

 

Grêmio 0x1 Estudiantes

GRÊMIO: Gomes; Alfinete, Luís Eduardo, Edinho e Hélcio; Jandir, Cuca e Adílson Heleno; Assis (Sérgio Araújo), Kita (Gílson) e Paulo Egídio.
Técnico: Cláudio Duarte

ESTUDIANTES: Battaglia; Craviotto, Aguero, Trota e Ramirez; Vargas, Peinado e Cardoso; Cariaga, Marques (Di Carlo) e MacAllister (Kumyochoglu).
Técnico: Eduardo Miguel Solari

Supercopa 1989 – Quartas de final – jogo de ida
Data: 25 de outubro de 1989, quarta-feira, 21h30min
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre-RS
Público: 14.040 pagantes
Renda: NCz$ 187.550,00
Árbitro: Juan Francisco Escobar (PAR)
Assistentes: Carlos Maciel e Lucio Gonzalez
Cartões amarelos: Jandir
Gol: Cariaga, aos 38 minutos do 2º tempo

One Response to “Supercopa 1989 – Grêmio 0x1 Estudiantes”

  1. Confrontos entre Grêmio e Estudiantes em Porto Alegre | Grêmio1983 Says:

    […] 8.020 pessoas Libertadores de 1983 – Grêmio 2×1 Estudiantes – Público: 24.544 pagantes Supercopa 1989 – Grêmio 0x1 Estudiantes – Público: 14.040 pagantes Supercopa 1990 – Grêmio 1×0 Estudiantes – Público: 15.103 pagantes Supercopa 1997 – […]

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.


%d bloggers like this: