Amistoso em 1952 – Grêmio 1×1 Estudiantes

by
CP fotoa

Uma fase do embate de ontem, vendo-se Gago em plena ação, ao defender uma centrada de Pelegrina” (Correio do Povo – 22 de janeiro de 1952)

O segundo confronto Grêmio e Estudiantes da história aconteceu em janeiro de 1952. Os relatos da época (transcritos abaixo) fazem loas a maneira  cavalheiresca que a partida transcorreu, citando um lance de fair-play do meio-campista Carraquini. Esse temor, em parte,  se explicava pelo desfecho pouco civilizado que o amistoso de 1948 teve.

Mas eventos mais próximos também geraram essa insegurança quanto ao comportamento no estádio. Cinco dias antes, o Grêmio derrotou o Ferro Carril, por 1×0, na Colina Melacólica, e a torcida tricolor invadiu o campo em duas ocasiões: Aos 7 minutos do segundo tempo, para comemorar o gol de Camacho e ao final da partida, na tentativa de agredir os jogadores argentinos. Por essa razão o amistoso com o Estudiantes foi marcado para os Eucaliptos, um dos poucos estádios da cidade que tinha alambrado ao redor do campo de jogo.

Como curiosidade, vale citar que o Estudiantes era treinado pelo escocês Neil McBain, que, como jogador, chegou a atuar em uma partida da terceira divisão inglesa aos 51 anos (o detalhe é que ele jogou como goleiro, apesar de ter feito carreira, com passagens por Manchester United e Liverpool, como meio campista).

CP 1

GRÊMIO E ESTUDIANTES DE LA PLATA
TERMINARAM EMPATADOS NUMA PELEJA SENSACIONAL
Continuam os tricolores invictos frente a esquadrões argentinos — 1 x 1, o marcador, goals de Pedrinho e infante — Ótima arbitragem de Foguinho — Renda muito boa: Cr$ 110,745,00

Um espetáculo magnífico o nosso público apreciou, ontem, quando, à luz dos refletores do Estádio do Eucaliptos, o esquadrão de profissionais do Estudiantes de La Plata, da capital argentina, estreou em nossos gramados, enfrentando o homogêneo conjunto do Grêmio Porto-Alegrense.
Desde o início da pura, antecedida de uma gentil troca de flâmulas entre os capitães das duas equipes, notou-se perfeito equilíbrio nas ações, com cargas de parte a parte e constante perigo para as duas métas.
Os argentinos, não há negar, mostravam-se mais perfeitos no jogo de conjunto, tramando com habilidade e procurando o arco gremista por meio de tiros de longe, alguns dos quais passaram rentes ao arco de Sergio, enquanto outros eram defendidos pelo keeper e pelos zagueiros.
Coube, entretanto, ao Grêmio marcar em primeiro lugar, o que sucedeu aos 7 minutos de luta: Ferraz deu ótimo centro e Pedrinho emendou espetacularmente, conquistando um dos mais sensacionais e indefensáveis tentos dos últimos tempos entre nós.
Houve a consequente reação dos visitantes, mas os tricolores, agora mais calmos, voltaram a controlar habilmente as jogadas, lutando de igual para igual e fazendo a assistência vibrar de instante a instante.
Um gesto altamente esportivo e digno de aplausos teve o médio Carriquini aos 34 minutos: vendo Sarará machucado e caído ao chão, o craque argentino mandou, propositalmente, a bola para fora do campo, a fim de que o adversário fosse conveniente socorrido, o que lhe valeu os aplausos populares.
Até o antepenúltimo minuto da fase final, o embate prosseguiu com a supremacia do Grêmio no marcador, parecendo que o triunfo tricolor já estava plenamente assegurado.
O Estudiantes, entretanto, reagiu espetacularmente e, nos últimos dez minutos, começou a tirar vantagens do cansaço dos locais.
Cargas repetidas eram levadas a área do clube da Baixada, notadamente por intermédio do ponteiro Giosa, vendo seus esforços coroados ele êxito, aos 43 minutos, ocasião em que Infante, valendo-se de uma defesa parcial, empurrou o balão para o fundo das malhas porto-alegrenses.

Pouco depois, terminava o sensacional embate, com o marcador acusando um golo para cada, como justo prêmio ao esforço, á combatividade e á técnica evidenciada pelos dois valorosos antagonistas.
Brasileiros e argentinos confraternizaram, assim, em uma peleja á altura das suas tradições esportivas, por intermédios dos seus disciplinados atletas do Grêmio Porto-Alegrense e do Estudiantes de La Plata. — Jogaram as seguintes equipes:

GRÊMIO – Sergio; Gago e Danton: Hugo, Sarará Bentevi (Altino); Balejo (Dario), Ferraz, Camacho (Geada), Pedrinho e Robinson (Gorrion).
ESTUDIANTES — Ogando (Gioffre); : Violini e Bouché (Casenueva); Garcerón, Ferretti e Carriquini: Giosa, Barreiro (Baiocco), Infante, Antonio e Pelegrina.

– Sarará foi “a melhor figura da equipe local, apoiando e defendendo com oportunismo. Seguiram-se-lhe em méritos, Gago e Bentevi, na defesa, e Farraz e Camacho no ataque. Quanto aos argentinos, destacaram-se o zagueiro Violini, Garcerón, uni veterano cancheiro e muito técnico, Ferretti„ Giosa, Infante e Pelegrina, este último mais pelos tiros perigosos ao arco, que punham em polvorosa a defesa gremista.

– Para completar o cenário da magnifica noitada esportiva, o árbitro Foguinho teve correto desempenho, controlando a peleja com energia e segurança.
– A renda foi excelente, passando pelas bilheterias a importância de Cr$ 110.745,00, com uma assistência de 8.020 pessoas.” (Correio do Povo – 22 de janeiro de 1952)

cp vespera

cp antevespera (1500x875)1952 estudiantes b

EMPATE SENSACIONAL NOS EUCALIPTOS
Grêmio Pôrto Alegrense e Estudiantes de La Plata, dividiram as honras do triunfo, empatando em 1 tento – Pedrinho, num “sem pulo” espetacular, conquistou o tento dos locais – Infante, faltando dois minutos para o final do prélio, marcou para os argentinos – ótima arrecadação: Cr$ 110.745 – Belo gesto de Carriquiri – Oswaldo Rola foi o árbitro” (Jornal do Dia, 22 de janeiro de 1952)

1952 estudiantes a

I0012747-20Alt002140Lar001500LargOri003727AltOri005318

Grêmio 1×1 Estudiantes

GRÊMIO: Sergio; Gago e Danton: Hugo, Sarará Bentevi (Altino); Balejo (Dario), Ferraz, Camacho (Geada), Pedrinho e Robinson (Gorrion)
Técnico: Telêmaco Frazão de Lima

ESTUDIANTES: Ogando (Gioffre);  Violini e Bouché (Casenueva); Garcerón, Ferretti e Carriquini: Giosa, Barreiro (Baiocco), Infante, Antonio e Pelegrina.
Técnico: Neil McBain

Data: 21 de janeiro de 1952, segunda-feira
Local: Estádio dos Eucaliptos
Juiz: Oswaldo Rolla
Público: 8.020 pessoas
Renda: Cr$ 110.745,00,
Gols: Pedrinho, aos 7 minutos do primeiro tempo e Infante, aos 43 minutos do segundo tempo

Advertisements

2 Responses to “Amistoso em 1952 – Grêmio 1×1 Estudiantes”

  1. Confrontos entre Grêmio e Estudiantes em Porto Alegre | Grêmio1983 Says:

    […] « Amistoso em 1952 – Grêmio 1×1 Estudiantes […]

  2. Amistoso em 1952 – Grêmio 1×1 Estudiantes - casadoimortal Says:

    […] is filed under Estudiantes, Uncategorized. You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own […]

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.


%d bloggers like this: