Reclamação na Conmebol

by

captura_de_pantalla_2018-11-03_a_las_20.42.29

Decisión del Tribunal de Disciplina de la CONMEBOL Ref.: O-207-18

Sábado, 3 Noviembre, 2018 – 20:49

El Tribunal de Disciplina de la CONMEBOL,

RESUELVE

1º. RECHAZAR el reclamo presentado por el GRÊMIO FOOT-BALL PORTO ALEGRENSE en fecha 31 de octubre de 2018.

2º. CONFIRMAR el resultado de 1 : 2 a favor del CLUB ATLÉTICO RIVER PLATE del partido disputado en fecha 30 de octubre de 2018, entre los equipos de GRÊMIO FOOT-BALL PORTO ALEGRENSE y CLUB ATLÉTICO RIVER PLATE

3º. PROHIBIR al Señor MARCELO DANIEL GALLARDO acceder al Estadio en el siguiente partido de la CONMEBOL Libertadores 2018 conforme al Artículo 20 inciso h) del Reglamento Disciplinario de la CONMEBOL. Esta prohibición de acceso al estadio incluye la prohibición de comunicarse por cualquier medio con su Cuerpo Técnico, Oficiales y Jugadores.

4º. SUSPENDER al Señor MARCELO DANIEL GALLARDO por 3 (tres) partidos. La presente sanción iniciará su vigencia una vez cumplida la sanción establecida en el punto 3º y se deberá cumplir conforme a lo dispuesto en el Artículo 76.1 del Reglamento Disciplinario de la CONMEBOL.

5º. IMPONER al Señor MARCELO DANIEL GALLARDO una multa de USD. 50.000 (CINCUENTA MIL DÓLARES ESTADOUNIDENSES), en virtud al Artículo 12.6 del Reglamento Disciplinario. El importe de esta multa será debitado automáticamente del monto a recibir por el CLUB ATLÉTICO RIVER PLATE en concepto de derechos de Televisación o Patrocinio.

6º. ADVERTIR expresamente al Señor MARCELO DANIEL GALLARDO que, en caso de
reiterarse un incidente de cualquier desacato, irrespeto a los oficiales o cualquier otra infracción a la disciplina deportiva de igual o similar naturaleza a la que ha traído causa el presente procedimiento será considerado como situación agravante.

Contra esta decisión cabe recurso ante la Cámara de Apelaciones de la CONMEBOL, en el plazo de siete días corridos, a partir del siguiente día a la notificación de los fundamentos de la decisión conforme al Art. 63.3 del Reglamento Disciplinario de la CONMEBOL. Dicho recurso será sin efecto suspensivo. El recurso deberá cumplir con las formalidades exigidas en los artículos 59 y siguientes del Reglamento Disciplinario de la CONMEBOL. De conformidad con el Art. 63.5 del Reglamento Disciplinario de la CONMEBOL, la cuota de apelación de USD. 1.000 (DOLARES ESTADOUNIDENSES MIL) ha de ser abonada mediante transferencia bancaria.

Eduardo Gross Brown, Presidente; Amarilis Belisario, Vicepresidente; Cristóbal Valdes, Miembro.

 

GRÊMIO AJUÍZA RECLAMAÇÃO NA CONMEBOL
Comitiva liderada pelo presidente Romildo Bolzan embarca nesta tarde para Assunção
31 OUT 2018 13:14 | ATUALIZADO EM 31 OUT 2018 13:14

O Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense, após os episódios ocorridos no jogo da última terça-feira contra o River Plate, valendo classificação à final da Conmebol Libertadores da América, de flagrante desrespeito aos princípios éticos estabelecidos pelo fair play, vem a público se manifestar com o que segue.

Em reunião extraordinária do Conselho de Administração realizada ao final da manhã desta quarta-feira, na Arena, o Grêmio decidiu ajuizar reclamação por descumprimento do regulamento geral da competição e do regulamento disciplinar, em face da participação irregular do treinador do River Plate no vestiário durante o intervalo para instruções aos atletas do seu clube, assim como por meio de comunicação por rádio com seu auxiliar – estando ele suspenso pela Conmebol. A tipificação do fato está devidamente comprovada no artigo 176 do regulamento geral da competição e artigos 19, 56 e 76 do regulamento disciplinar da Conmebol.

Além disso, o primeiro gol do River Plate ocorreu em condição irregular, sem qualquer participação ou interferência do VAR, embora constatada a ilicitude. A Conmebol, antecipadamente aos jogos das semifinais, reuniu os clubes em sua sede e estabeleceu o fair play com vistas às disputas. Na ocasião, obteve concordância de todos os clubes em competir de forma limpa, cumprindo as regras do jogo, o que motiva o Grêmio a tomar suas providências.

Em face disso, uma comitiva liderada pelo presidente Romildo Bolzan embarca nesta tarde para Assunção para protocolar reclamação e manter reuniões com autoridades da entidade.

Já havia dito isso na quarta-feira passada e repito hoje: A minha opinião é de que o Grêmio deveria limitar-se (melhor dizendo, concentrar seus esforços) em pedir explicações sobre o uso do VAR no gol do Borré. O pedido de alteração do resultado da partida pela “participação irregular do treinador do River Plate” sempre me pareceu utópico.

Além disso, por mais que infração de Gallardo tenha sido flagrante, não me parece que a eliminação do time argentino fosse a punição mais justa/proporcional para a conduta praticada. Como torcedor, eu teria certa vergonha de comemorar uma classificação para final via “Tapetão”.

Concordo que todo o episódio soa como uma afronta/deboche a primeira pena de suspensão de Gallardo. Mas mesmo assim eu acredito que seria uma demasia alterar a equipe classificada para final em função da ida do treinador ao vestiário e uso de equipamento de comunicação com o banco de reservas. Aliás, o fato da Conmebol não ter tomada nenhuma medida antes ou durante a partida mostra que a entidade não considera a infração como algo realmente grave.

Todo o processo de decisão da Conmebol em relação ao pedido do Grêmio foi, no mínimo, estranho. Eu não consigo levar muito a sério um julgamento que ocorre a portas fechadas e sobre cuja decisão, até o momento, é desacompanhada fundamentação.

Acho que todo o foco que se deu em cima da possível de uma eventual eliminação do River Plate (com campanha em redes sociais e tudo o que se implica) acabou servindo como “cortina de fumaça” e enfraquecendo a ênfase do pedido do Grêmio em relação ao VAR. Essa inegavelmente era uma demanda que se impunha. O clube tinha obrigação de buscar esclarecer o que arbitragem viu e não viu na jogada do primeiro gol do River e por que o VAR foi pro-ativo no toque de mão de Bressan e por que foi passivo no toque de mão de Borré. Mas esse tema acabou desaparecendo no meio da discussão sobre Gallardo e só voltou a ser mencionado ontem, en passant, pelo presidente Romildo Bolzan numa entrevista ao Globo Esporte.

E também não me parece demasiado dizer que todo esse episódio acabou impedindo, ou ao menos adiando, uma crítica (aqui incluindo-se também a autocrítica) sobre os erros planejamento e montagem de plantel para 2018, uma vez que parece haver um consenso que o time do segundo semestre desse ano é mais fraco do que o time do segundo semestre de 2017 (na contramão dos indicadores financeiros, que indicam melhoria no clube nesse período).

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.


%d bloggers like this: