Gauchão 1979 – Grêmio 1×1 Inter

by

1979 grenal 1x1 foto correio

No Gauchão de 1979, Grêmio e Inter se enfrentaram no Olímpico na última rodada do segundo turno. O tricolor já havia garantido a primeira posição dessa fase, assim como acontecera no primeiro turno, o que lhe garantia dois pontos extras no octagonal final.

Diante desse cenário, o Inter foi a campo com um time misto. Poucas horas antes da bola rolar, o presidente Marcelo Feijó (tio do atual presidente colorado) anunciou a demissão do técnico Cláudio Duarte e o licenciamento (sabe-se lá o que isso significa) do departamento de futebol comando por Gilberto Medeiros (pai do atual presidente colorado).

O Inter surpreendeu e saiu na frente com um gol de borracha. Éder empatou o jogo no segundo tempo, convertendo pênalti sofrido por Paulo César Caju. Abaixo a crônica do Correio do Povo sobre a partida:

1979 grenal 1x1 guaiba

GRE-NAL NÃO FUGIU À TRADIÇÃO
O Grêmio queria plasmar no Gre-Nal sua superioridade diante do Internacional no atual campeonato. Mas o andamento da partida, mesmo com o Inter jogando sem alguns titulares, mostrou a tradicional igualdade de força durante o clássico do Rio G. do Sul.
Duas horas e meia antes da partida surgiu o anúncio da saída do técnico Cláudio Duarte, do licenciamento de Gilberto Medeiros e seus principais assessores, veio a palavra de Marcelo Feijó, dizendo que ele estava também respondendo pelo futebol do Internacional. Neste clima e ainda sem Valdomiro, Falcão, Mário e Adilson, as chances do Inter, teoricamente, eram menores contra um Grêmio líder e com a massa de torcedores a seu favor.
Os primeiros minutos do Gre-Nal mostraram o Internacional precavido na defesa, com vários jogadores no meio de campo e usando apenas os contra-ataques. O domínio territorial do Grêmio foi notório, mas as conclusões não apareciam. O Inter aos poucos foi dominando o meio de campo onde Batista, Tonho, Borracha e movimentavam-se com autoridade e tranquilidade.
O resultado desse domínio no meio-campo proporcionou excelentes contra-ataques, principalmente quando Chico Espina era lançado e vencia os combates diretos contra Vilson e principalmente contra Ancheta.
Aos 20 minutos o Inter atacou forte e Vitor Hugo tentando defender entregou a bola nos pés de Chico Espina, que passou a Jair. Daí o passe foi rápido para o garoto Borracha que da entrada da área atirou rasante no canto esquerdo de Manga para fazer um a zero. A pequena torcida do Inter comemorou intensamente o golo e a imensa maioria de gremistas se olhavam estupefatos sem saber o que tinha acontecido.
Ainda no primeiro tempo o time de Fantoni passaria por mais três sustos. Logo depois do golo o Inter atacou e, num erro do bandeirinha Erick Fuchs, Borracha ficou cara a cara com Manga e não fosse a providencial salda do goleiro teria feito o segundo. Depois Jair, em duas vezes, quase marcou. O primeiro tempo terminou com justa vitória parcial do Internacional.
O EMPATE
No segundo tempo Tarciso, atingido por Cláudio Mineiro, foi substituído por Jurandir. A troca trouxe vantagens ao Grémio que ao colocar Jurandir na ponta fazendo-o ajudar o meio de campo, equilibrou e partida naquele setor.
O Inter não mudou e confirmou usando o contra-ataque como arma principal. Só que no segundo tempo teve apenas uma chance viva de gol quando Tonho ia chutar e foi atrapalhado por Chico Espina. O Grêmio atacou sempre, mas na maioria das vezes exagerou no chuveirinho.
Aos 27 minutos André foi lançado e conseguiu dar o passe para Paulo César. Batista entrou por trás e derrubou o jogador gremista. Gallas marcou o pênalte que resultou na expulsão de Batista, por reclamação, Eder destacado para cobrar bateu forte e marcou. O Grêmio tentou desempatar com Baltazar já no lugar de Nardela mas a defesa do Inter resistiu o um a um. O técnico Otacilio usou os reservas Toninho e Sílvio e manteve o esquema empregado desde o início do Gre-Nal.” (Correio do Povo, terça-feira, 24 de julho de 1979)

1979 grenal 1x1 anuncio inter

1979 grenal 1x1 guaibab

GRÊMIO: Manga; Vilson, Ancheta, Vantuir, Dirceu; Vitor Hugo, Nardela (Baltazar), Paulo César; Tarciso (Jurandir), André Catimba e Éder Aleixo.
Técnico: Orlando Fantoni

INTER: Benitez; João Carlos, Mauro, Beliato, Cláudio Mineiro; Batista, Tonho, Borracha (Sílvio); Jair, Rogério (Toninho) e Chico Espina.
Técnico: Otacílio Gonçalves (interino)

Gauchão 1979 – 2º Turno – 19ª Rodada
Data: 22 de julho de 1979, domingo, 15h3omin
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre/RS
Público: 47.427
Renda: Cr$ 2.102.500,00
Árbitro: Roque José Gallas
Assistentes: Erick Fuchs e Ricardo Piva
Cartãos vermelho: Batista (27 do 2ºT)
Gols: Borracha, aos 25 do 1º tempo. Éder (de pênalti) aos 27 minutos do segundo tempo

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.


%d bloggers like this: