Gauchão 1995 – Inter 1×1 Grêmio

by

 

Foto: José Doval (Zero Hora) – Fonte: Acervo Histórico do Grêmio

 

Tenho lembrado aqui no blog, de jogos memoráveis da temporada de 1995 do Grêmio, no exato dia que completam 25 anos de seu acontecimento. Da mesma maneira, tenho tentado lembrar algum confronto prévio do próximo adversário do tricolor, pela mesma competição, com o mesmo mando de campo.

Aproveitando o gancho da final do segundo turno do Gauchão de 2020, a ser disputada na Arena, tomei a liberdade de contornar um pouco essa regra, postando sobre o primeiro jogo da Final do Gauchão de 1995 alguns dias antes.

Foram essas finais que consagraram o “Banguzinho” gremista. Nessa partida do Beira-Rio Felipão escalou apenas 3 titulares, sendo que Arílson atuou improvisado de lateral-esquerdo (opção que o técnico tricolor tinha descartado para as finais da Copa do Brasil daquele ano).

Vale lembrar que, aquela altura da temporada, o Grêmio já havia feito 16 partidas a mais que o Internacional. Esse confronto de ida foi o 62º compromisso do Grêmio no ano, enquanto os colorados estavam entrando em campo “apenas” pela 46ª vez.

Foto: Porthus Junior (Pioneiro)

O EMPATE NO GRE-NAL DEIXA TUDO IGUAL

O título de campeão gaúcho da temporada será definido no clássico do próximo domingo no estádio Olímpico

O clássico de ontem, disputado numa ensolarada tarde de inverno diante de mais de 45 mil pessoas, se caracterizou muito mais pela combatividade do que pelo talento. Uma tradição, aliás, que acompanha e tantos Gre-Nais. Nem Inter nem Grêmio – que jogou com a equipe reserva – conseguiu se impor tecnicamente para garantir uma vitória. Os gols de Loiola, aos 28min do primeiro tempo, e de Nildo, também aos 28min, mas do segundo tempo, ficaram como a expressão maior de uma partida de raros lances de gols e momentos de emoção,

Se nas arquibancada o confronto entre colorados e gremistas dava ampla vantagem aos donos da casa, com mais de 70% da torcida, em campo os dois times mostraram desde o começo do jogo que o Gre-Nal seria essencialmente equilibrado. Os primeiros minutos já evidenciava as principais características do clássico de ontem: muitas disposição dos jogadores, alto número de faltas (57 no total) e raros instantes de inspiração.

O Inter conseguiu se colocar em vantagem com gol de Loiola ainda no primeiro tempo. Numa falha de marcação, o atacante colorado não perdeu tempo e venceu o goleiro Silvio num chute cruzado pela direita. O 1 a 0, no entanto, não era consequência de uma vantagem técnica coletiva e sim o bom aproveitamento de uma jogada circunstancial.

Atrás no placar, o Grêmio passou a batalhar em busca da igualdade. A partir do gol colorado, tornou-se uma equipe mais ousada e insistente nas jogadas de ataque. Bem posicionada em campo, tentava alternas seus lances ofensivos pela direita e pela esquerda, ao contrário do primeiro tempo, quando quase sempre avançava pela direita. O Inter sentiu a pressão e tentava segurar a vitória. A recompensa gremista surgiu aos 28min do 2º tempo, quando Nildo venceu o até então imbatível Goycochea.

A rigor, o empate em 1 a 1 encaminhou a partida para um final quase sem situações que reservassem outras emoções aos torcedores. Os últimos 19 minutos do clássico se arrastaram numa alternância de substituições, faltas e pouca bola rolando de pé em pé. A exceção de um único lance, aos 47min, momentos antes do árbitro Luiz Cunha Martins encerrar o jogo, quando Nando perdeu uma chance de gol ao dividir a bola com o goleiro Silvio” (Pedro Haase Filho, Zero Hora, 7 de agosto de 1995)

Foto: Arivaldo Chaves (Zero Hora)

O DESEMPENHO DAS EQUIPES (Zero Hora, 7 de agosto de 1995)
INTER GRÊMIO
Conclusões a gol 6 12
Escanteios a favor 5 5
Faltas cometidas 28 30
Impedimentos 6 6 1

Foto: Guaracy Andrade (Zero Hora)

OS PRINCIPAIS MOMENTOS

PRIMEIRO TEMPO

6min — Marco Antônio cruza fechado da direita. Goycochea sai bem do gol e coloca para escanteio

8min — Loiola é lançado, avança pela ponta, cruza som perigo e Silvio evita a conclusão de Leandro

10min – Grêmio tem uma falta na entrada da grande área. Goiano chuta mal, na barreira

15min – Marco Antônio cobra falta com força. Goycochea está bem colocado e defende com tranquilidade

26min — Argel, sem marcação, tem a chance de marcar o gol mas chuta cruzado e forte para fora

27min – Leandro tenta cabecear, a bola sai fraca, sem perigo para o goleiro Silvio

28min — Loiola recebe pelo meio, livre, avança pela grande área e chuta cruzado para fazer 1 a O

30min – Marco Antônio cobra falta com for’:-‘ esquerda, Goycochea faz boa defesa

34min- Tabela de Márcio e Marco Antônio na direita, este cruza com perigo, mas Goycochea evita a conclusão de Nildo

45min – Rivarola perde o gol, concluindo para fora quase em cima da linha do gol de Goycochea

SEGUNDO TEMPO

40S — Goiano tenta o chute pelo meio, mas a bola vai para fora, sem perigo para Goycochea

4min — Paulo Henrique é lançado pela esquerda, dribla Rivarola e chuta cruzado para uma boa defesa de Silvio

11min — No contra-ataque, Márcio avança pelo meio sozinho e ao tentar driblar Goycochea perde a bola para o goleiro

13min — Goiano chuta com força falta pela esquerda, Goycochea faz grande defesa

18min— Rebote na entrada da área, Goiano chuta desequilibrado, por cima e sem perigo

20min — A bola sobra para Élson, sem marcação, na frente do gol, que não consegue cabecear e Sílvio defende

28min — Arílson faz grande jogada pela esquerda, cruza para a grande área e Nildo cabeceia para encobrir Goycochea e fazer o gol do empate em 1 a 1

42min — Argel cobra falta de longe e chuta forte mas por cima, longe da goleira

47min — Nando recebe livre pelo meio, entra na área e divide a bola com o goleiro Silvio, que consegue cortar o lance.”(Pedro Haase Filho, Zero Hora, 7 de agosto de 1995)

O PIOR DO JOGO

– Às 15h20min de ontem, exatamente 40 minutos antes do início do Gre-Nal, um torcedor do Grêmio protagonizou uma perigosa e inútil proeza no Beira-Rio, tendo como únicas recompensas os aplausos de alguns companheiros e a entrada de graça no estádio. O torcedor conseguiu escalar uma das janelas ao lado da rampa 2, e foi puxado por outros gremistas, depois de balançar perigosamente no ar durante intermináveis segundos. Foi o registro negativo — notado apenas por poucas pessoas — numa tarde de muitos destaques positivos, mas que poderia ter acabado em tragédia.

– Um vendedor de churrasquinho colocou o seu equipamento bem na passagem ao lado do Gigantinho, atrapalhando a circulação dos torcedores. Ninguém o molestou. O vendedor de rádios também não fez grandes negócios, embora com a proximidade do início do jogo tenha rebaixado o preço de cada unidade para RS 10,00. “E ainda leva as pilhas de promoção, doutor”, gritava.

– Dentro do estádio, os torcedores aplaudiram, xingaram, gritaram, se emocionaram — e vigiaram. O pessoal da coréia que viu o zagueiro Argel sair com uma camiseta do Grêmio nas mãos, no intervalo, não perdoou e cobrou. “Joga ela fora, Argel”, pediram os coreanos. O pedido não foi atendido.

–  Também no intervalo houve novamente uma distribuição de bolas à torcida, chutadas pelos garotinhos das escolinhas de futebol do Inter. Na pista de atletismo, o torcedor Xuxu, gordíssimo, andava de um lado para outro, nervoso apesar da vitória parcial de 1 a 0. Xuxu está precisando confiar mais no seu time. E de um regime.

– A volta do Inter para o segundo tempo demorou 22 minutos, muito além dos 15 consentidos para o intervalo. Até os torcedores colorados já estavam começando a ensaiar algumas vaias, num raro momento de impaciência. Mas quando o Grêmio empatou o jogo, eles conseguiram continuar cantando o nome do seu time, -Inter, Inter”,com orgulho e generosidade.” (Cláudio Dienstmann, Zero Hora, 7 de agosto de 1995)

Foto: Ricardo Chaves (Zero Hora)

Inter 1×1 Grêmio

INTERNACIONAL: Goycochea, Marcao, Argel, Jonilson e Cesar Prates; Marcio Bittencourt, Elson, Marcelo (Nando); Mazinho Loyola, Leandro e Paulo Henrique (Ze Alcino).
Técnico: Abel Braga

GRÊMIO: Silvio, Marco Antonio, Rivarola, Scheidt e Arilson; Gelson, Luis Carlos Goiano e Vagner Mancini; Marcio (Arce), Nildo e Alexandre Xoxó (Jaques)
Técnico: Luiz Felipe

Gauchão 1995 – Final – Jogo de Ida
Data: 06 de agosto de 1995, domingo, 16h00min
Local: Beira-Rio, em Porto Alegre-RS
Publico: 45.480 (36.904 pagantes)
Renda: R$ 263.312,00
Juiz: Luiz Cunha Martins;
Auxiliares: José Carlos Oliveira e Cesar Arruda
Cartões amarelos: Argel, Cesar Prates, Marcio Bittencourt, Elson, Scheidt, Arilson, Goiano, Vagner Mancini, Marcio, Alexandre e Jaques
Gols: Mazinho Loyola, aos 28 minutos do 1° tempo; e Nildo aos 28 do 2°tempo;

2 Responses to “Gauchão 1995 – Inter 1×1 Grêmio”

  1. Grêmio Campeão Gaúcho de 1995 | Grêmio1983 Says:

    […] 06/08/1995 – Internacional 1×1 Grêmio […]

  2. Retrospectiva do Blog em 2020 | Grêmio1983 Says:

    […] Gauchão 1995 – Inter 1×1 Grêmio […]

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.


%d bloggers like this: