Archive for September, 2020

Brasileirão 2020 – Grêmio 1×1 Palmeiras

September 21, 2020

 

O resultado foi justo. Nenhuma das equipes fez algo para “merecer” mais do que o empate.

Com três volantes o Grêmio apresentou uma significativa melhora na comparação com a partida anterior (até porque seria muito difícil repetir um desempenho tão baixo). Coincidência ou não, o pior momento do tricolor se deu no início do segundo tempo, logo após a saída de Lucas Silva.

Fotos: Cesar Greco (S.E. Palmeiras)

GRÊMIO: Vanderlei; Victor Ferraz, Paulo Miranda, David Braz e Diogo Barbosa; Darlan (Isaque, 29’/2ºT), Lucas Silva (Ferreira, 18’/2ºT) e Matheus Henrique; Robinho (Guilherme Azevedo, 34’/2ºT), Alisson e Diego Souza
Técnico: Renato Portaluppi

PALMEIRAS: Weverton; Marcos Rocha, Felipe Melo, Gustavo Gómez e Viña; Ramires (Wesley, 22’/2ºT), Gabriel Menino (Bruno Henrique, int.), Danilo, Raphael Veiga (Vitor Hugo, 41’/2ºT) e Rony (Gabriel Verón, 14’/2ºT); Willian (Luiz Adriano, 22’/2ºT)
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

11ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2020
Data: 20 de setembro de 2020, domingo, 16h00min
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre-RS
Árbitro: Rodrigo Dalonso Ferreira
Assistentes: Henrique Neu Ribeiro e Éder Alexandre
VAR: Caio Max Augusto Vieira
Cartões amarelos: Victor Ferraz (Grêmio); Felipe Melo, Matias Viña e Gabriel Menino (Palmeiras)
Gols: Raphael Veiga, aos 25 minutos do segundo tempo; e Ferreira, aos 46 minutos do segundo tempo

Libertadores 2020 – Universidad Catolica 2×0 Grêmio

September 17, 2020

Foto: Marcelo Hernandez (POOL/AFP)

 

O Grêmio entrou em campo com uma meia azul marinho (ou seria royal?), num tom de azul completamente distinto dos outros usados na camisa. Aliás, seria possível fazer uma cartela pantone só com os diferentes azuis que o Grêmio vem usando no seu uniforme.

Pois bem, vendo essa combinação bizarra, eu deveria ter deveria ter encarado essa meia azul da mesma forma que o David Lee Roth encarava o M&M marrom no camarim do Van Halen (Quem não consegue acertar as coisas simples não vai conseguir acertar as difíceis também).

Seria bem mais negócio ter abandonado o jogo ali. Porque o desenrolar da partida foi muito feio. O segundo gol é um lance inaceitável até mesmo na saudosa pelada do fim de semana.

 

Foto: Staff Images / Conmebol

Foto: Staff Images / Conmebol

Foto: Marcelo Hernandez (POOL/AFP)

Foto: Staff Images / Conmebol

 

Universidad Catolica 2×0 Grêmio

UNIVERSIDAD CATÓLICA: Matías Dituro; Fuenzalida, Huerta, Lanaro e Rebolledo; Saavedra (Francisco Silva, 37’/2T); Luciano Aued , César Pinares (Núñez, 37/2ºT); Lezcano (Munder, 44/2T); Zampedri (Diego Valencia, 37’/2T); Edson Puch (Diego Buonanotte, 46,’2T).
Técnico: Ariel Holan

GRÊMIO: Vanderlei; Orejuela, Geromel (Rodriguez, 41/1ºT), David Braz e Cortez; Matheus Henrique, Darlan (Guilherme Azevedo, 24/2ºT); Alisson (Rildo, 24/2ºT), Isaque (Robinho, 6/2ºT), Luiz Fernando (Ferreira, 6/2ºT) e Diego Souza.
Técnico: Renato Portaluppi

Libertadores 2020 – Grupo E – 3ª Rodada
Data: 16 de setembro de 2020, quarta-feira, 21h30min
Local: Estádio San Carlos de Apoquindo, Santiago, Chile
Árbitro: Dario Herrera (ARG)
Assistentes: Julio Fernandez (ARG) e Cristian Navarro (ARG)
Cartões Amarelos: Zampedri
Cartões Vermelhos: David Braz (41 do 2ºT)
Gols: Zampedri, aos 43 minutos do 1º tempo; Pinares, aos 45 minutos do 1º tempo

Trofeo Ciudad de Valladolid 1985 – Universidad Catolica 2×2 Grêmio (U. Catolica 3×0 nos pênaltis)

September 16, 2020

Foto: Zero Hora

 

O primeiro confronto da história entre Universidad Catolica e Grêmio ocorreu em solo europeu, em 1985. Era oitavo de onze jogos que o tricolor fez na sua excursão ao velho continente naquela temporada. Vale lembrar que o Grêmio havia encerrado sua participação no Brasileirão daquele ano em meados de abril e só iria estrear no Gauchão em setembro.

Sem Renato, com uma lesão muscular, o Grêmio não fez uma grande partida, cedendo o empate nos minutos finais e desperdiçando todas suas cobranças na disputa de pênaltis.

Foto: Zero Hora

GRÊMIO FRACASSA DE NOVO

Torneio de Valladolid – Universidad Católica chegou ao empate no final. Depois venceu nos pênaltis. Equipe de Minelli acabou na última colocação

 

De favorito para ganhar o 13º Torneio Cidade de Valladolld (que conquistou em 1981), o Grêmio terminou como último colocado após a derrota de ontem, na decisão por pênaltis para o Universidad Catolica do Chile, por 3 a 0. No tempo regulamentar o resultado foi de 2 a 2, com o Grêmio cedendo o empate nos últimos cinco minutos do jogo, quando ganhava por 2 a O. Os espanhóis não gostaram da partida e vaiaram as duas equipes. Bonamigo e Lepe foram expulsos.

 

O temor de sofrer gols nos contra-ataques, como ocorrera na estréia, contra o Ujpest, mostrou um Grêmio excessivamente cauteloso no primeiro tempo. Os laterais Raul e Ronaldo ficaram presos na marcação, o meio-de-campo não se organizou e a defesa acabou sobrecarregada, com destaque para Luis Eduardo, que fez uma ótima apresentação. Bonamigo recuado, Osvaldo temeroso e Sabella sem lucidez, formavam um meio-de-campo frágil. Por isso Bira, isolado, só concluiu uma vez a gol, de cabeça. E Valdo e Ademir, em lances individuais, não conseguiram objetividade.

 

Melhor posicionado o time chileno explorou bem os deslocamentos de Neira e Mardonez, para as conclusões de Vargas e até do lateral Espinoza. O Universidad chegou a merecer um gol, pois criou cinco boas chances, algumas defendidas por Mazaropi e outras para fora. A defesa estava firme porque Bira, isolado, pouco trabalho apresentava e assim os laterais foram ao apoio.

 

No segundo tempo o Grêmio voltou modificado, com China no lugar de Sabella, mas jogando como centromédio. Assim, Bonamigo foi liberado para armar jogadas e junto com Osvaldo aproximar-se do centroavante e tabelar com os ponteiros. Caio Jr. substituiu Bira. Minelli queria mais chutes a gol e aos três minutos Osvaldo fez 1 a O em cruzamento de Valdo.

 

Até os 20 minutos o Grêmio foi superior, perdendo algumas chances com Caio Jr., Valdo e Osvaldo. O Universidad, aparentemente cansado, não tinha pressa e aos 32 minutos sofreu o segundo gol, em jogada de China. Mas o técnico Prieto reagiu e colocou Soto, depois Abarca e Lepe em campo, aos 35 minutos buscando a recuperação. E deu certo, pois aos 40 minutos, Baidek fez pênalti em Soto, que Neira converteu. Bonamigo e Lepe se agrediram mutuamente e foram expulsos. Perturbada, a defesa do Grêmio falhou logo a seguir, permitindo o empate, por Diaz, aos 44 minutos. Na decisão por pênaltis, Neira, Espinoza e Oscar Lyn converteram, enquanto Valdo chutou mal e Toledo defendeu, para logo depois Osvaldo cobrar para fora e Caio Jr. também chutar para o goleiro defender.” (João Carlos Belmonte, Enviado Especial, Zero Hora, sexta-feira, 23 de agosto de 1985)

 

 

O placar

– OSVALDO, para o Grêmio, 1 a 0, aos três minutos do segundo tempo — Valdo cruzou da direita e Osvaldo, na área, concluiu de pé direito.

– CHINA, para o Grêmio, 2 a 0, aos 32 minutos do segundo tempo — Bonamigo roubou a bola na intermediária, tabelou com China, que avançou e na saída de Toledo chutou forte de pé esquerdo.

– NEIRA, de pênalti, para o Universidad, 2 a 1, aos 40 minutos do segundo tempo. Baidek fez falta em Soto na grande área, pelo setor esquerdo.  Neira cobrou o pênalti no centro do gol, convertendo.

– DIAZ, para o Universidad, 2 a 2, aos 44 minutos do segundo tempo. Mardonez cobrou o escanteio com rapidez. A defesa do Grêmio ficou parada e Diaz saltou sozinho, concluindo de cabeça.” (Zero Hora, sexta-feira, 23 de agosto de 1985)

 

MINELLI, IRRITADO, CRITICA OS JOGADORES

O técnico Rubens Minelli estava muito irritado após o mau resultado do Grêmio, ontem à tarde, na Espanha. Ele criticou duramente o comportamento dos seus jogadores e usou uma frase forte para caracterizar o momento do Grémio, — Tem gente comendo mortadela e arrotando peru — disse Minelli, após o Grêmio ter terminado o Torneio Cidade de Valladolid em quarto lugar Minelli garantiu que o Grêmio subestimou o adversário, que 24 horas antes havia perdido para o Real Atlético Valladolid por 3 a O: — Tinha gente (jogadores) gozando o Universidad. Mas alerto a todos dizendo que uma partida é diferente da outra e sempre, é necessário respeitar o adversário. Hoje o Grêmio é um time bem diferente daquele que venceu os torneios de Rotterdam e Palma de Mallorca. Mas não posso me queixar. O resultado da partida foi justo, principalmente pelo número de gols que o time chileno perdeu no primeiro tempo. E depois, na cobrança de pênaltis, os jogadores foram simplesmente horríveis — explicou o inconformado Minelli.” (Zero Hora, sexta-feira, 23 de agosto de 1985)

 

 

ESQUEMA, DIFICULDADE PARA BIRA

O jogo contra o Universidad Catolica deveria servir para que Bira fosse observado e, a partir disso, efetivado como titular da equipe. Mas o centroavante foi substituído no intervalo para que Minelil tentasse mudar o jogo com Caio Jr. no comando do ataque. É verdade que Bira não teve urna boa atuação nos primeiros 45 minutos, mas por culpa do esquema de jogo, retraído e cauteloso do Grêmio:

— Só tive chance de cabecear urna bola a gol e dar um chute em condições ruins — justificou o centroavante ao sair de campo.

Bira foi prejudicado porque o Grêmio encontrou dificuldades para organizar as jogadas de ataque, pois Sabella esteve mal, Osvaldo recuado e o centroavante ficou isolado entre os zagueiros. O técnico Rubens Minelli não quis confirmar a equipe que joga em Cádiz, pois estava tão irritado que preferiu deixar a definição para hoje à tarde. Mas é certo que fará mudanças.” (Zero Hora, sexta-feira, 23 de agosto de 1985)

RUY CARLOS OSTERMANN – A DENÚNCIA

Minelli, chateado, lembrou uma tendência do comportamento do jogador brasileiro de futebol. No dia anterior, assistindo ao jogo do Real de Valladolid e do Universidad Católica do Chile, os jogadores se divertiram com os erros, as precariedades gerais com que jogavam. Estavam, por isso, certos de sua irremediável superioridade. Minelli disse ao Belmonte que falou com os jogadores que nem sempre é assim, que o adversário na hora se supera, etc. Enfim, falou que jogo só se ganha no campo, jamais na arquibancada.

O time do Grêmio ontem fracassou diante da Universidad. Terminou o primeiro tempo jogando muito mal e a zero. No intervalo, além da repreensão do vestiário, Minelli tirou Sabella e colocou China, tirou Bira e colocou Caio Jr. Não sei se foi por essas trocas mas a dois minutos do segundo tempo Osvaldo fazia o primeiro gol. Mais tarde, China fazia o segundo. E dali para frente, afundou tudo: houve pênalti de Baidek, gol do Universidad, expulsões de Bonamigo e um chileno, e, no fim do jogo, haveria ainda gol de empate do Universidad. Um desastre só piorado pelas cobranças dos pênaltis que o Grêmio, melancolicamente, não acertou nenhum.

Não poderia ter sido pior. Foi ruim contra o Ujpest, foi pior ontem. Ficam, como lembranças as vitórias contra o Feynoord, Bayern, Gijon e Barcelona. Elas dão razão ao técnico e denunciam os jogadores.

 

Pequena conclusão

O Grêmio tem, agora, o Torneio Ramon Carranza em Cádiz. Joga contra o Sevilha na estréia. Depois desse torneio, terá um amistoso de despedida em Madrid.” (Ruy Carlos Ostermann, Zero Hora, sexta-feira, 23 de agosto de 1985)

PAULO SANT´ANA – TERCEIRA DERROTA

A campanha do Grêmio começa a se tornar perigosamente irregular na Europa. Perdeu três para fraquíssimos adversários: Pádua, Ujpest e Universidad Católica. Nas duas primeiras através de cinco gols de contra-ataques, ridicularizando a tática de impedimento de Minelli, exaltada pelo treinador gremista como fórmula infalível de jogar contra os europeus. Ontem, com falhas horrorosas na defesa, depois de estar ganhando por 2 a 0 e ceder o empate. Mais vexaminoso ainda: dos três pênaltis cobrados pelo Grêmio no desempate, nenhum foi aproveitado. Nem por Osvaldo nem por Valdo nem por Caio Jr. Isto é, enquanto o Minelli não faz o que todo mundo quer (nomear logo o Bira centroavante titular) e não joga o Renato, a defesa é uma peneira e os atacantes parecem que não treinam nem chutes de pênaltis. Que deveriam treinar porque é assim que se decidem os jogos em torneios europeus. Lógico que a volta de Renato e uma providência que talvez tenha que ser até administrativa de fazer o Bira titular melhorarão o time. Mas a defesa do Grêmio não inspira confiança para o Regional. E a excursão, em vez de prometer para o Gauchão, está começando a nos meter medo. “ (Paulo Sant´ana, Zero Hora, sexta-feira, 23 de agosto de 1985)

 

 

 

 

 

 

U. CATOLICA: Toledo; Espinosa, Marchioni, Lihn e Yonma (Abarca); Neira, Mardones e Pérez; Díaz, Vargas (Lepe) e Astudillo (Sotó)
Técnico: Ignacio Prieto

GRÊMIO: Mazaropi; Raul, Baidek, Luis Eduardo, Renaldo; Bonamigo, Osvaldo e Sabella (China); Valdo, Bira (Caio Junior) e Ademir
Técnico: Rubens Minelli

Troféu Ciudad de Valladolid – Decisão 3º Lugar
Data: 22 de agosto de 1985, quinta-feira
Local: Estádio Municipal José Zorrilla, em Valladolid (ESP)
Árbitro: José Enrique Rubio Valdivieso
Auxiliares: Araus Nunez e Hernandez Velasquez
Cartões vermelhos: Bonamigo e Lepe
Gols: Osvaldo aos 3 minutos do 2º tempo, China aos 32, Neira (de pênalti) aos 40 e Diaz aos 44 minutos do 2º tempo

Brasileirão 2020 – Grêmio 1×1 Fortaleza

September 14, 2020

Foto: Eduardo Moura (Globo Esporte)

 

Com a saída de Everton Cebolinha, Diego Souza é inegavelmente o grande destaque do Grêmio na temporada. Mas mesmo assim eu creio que ele não tem direito de cobrar pênaltis de maneira displicente. Na cobrança repetida em função da invasão da área ficou muito claro que as chances de acerto aumentam consideravelmente quando o batedor toma a devida distância antes de chutar.

Foto: Lucas Uebel (Grêmio.net)

GRÊMIO: Vanderlei; Orejuela (Guilherme Azevedo, 44’/2ºT), Geromel, David Braz e Cortez; Darlan e Maicon (Robinho, 32’/1ºT); Alisson, Isaque (Luiz Fernando, intervalo) e Everton (Ferreira, 44’/2ºT); Diego Souza.
Técnico: Renato Portaluppi

FORTALEZA: Felipe Alves; Gabriel Dias, Paulão, Quintero e Carlinhos (Bruno Melo, 43’/2ºT); Juninho, Ronald (Luiz Henrique, 43’/2ºT), Romarinho, David (Yuri César, 26’/2ºT) e Osvaldo (Derley, 32’/2ºT); Wellington Paulista (Marlon, 26’/2ºT).
Técnico: Rogério Ceni

10ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2020
Data: 13 de setembro de 2020, domingo, 16h00min
Local: Arena do Grêmio, Porto Alegre, RS
Árbitro: Igor Junio Benevenuto de Oliveira (MG)
Assistentes: Guilherme Dias Camilo (MG) e Sidmar dos Santos Meurer (PR)
VAR: Rodrigo Nunes de Sá (RJ)
Cartões amarelos: Robinho (Grêmio); Derley, Osvaldo (Fortaleza)
Cartões vermelhos: Luiz Fernando (Grêmio); Gabriel Dias (Fortaleza)
Gols: Osvaldo, aos 16 minutos do 1º tempo e Diego Souza (de pênalti) aos 5 minutos do 2º tempo

Brasileirão 2020 – Bahia 0x2 Grêmio

September 14, 2020
Foto: Jhony Pinho (CBF)

Foto: Jhony Pinho (CBF)

 

Vitória merecida do Grêmio, muito embora não seja possível deixar de mencionar que Vanderlei foi um dos destaques da equipe gremista.

Foto: Lucas Uebel (Grêmio.net)

Foto: Lucas Uebel (Grêmio.net)

 

Foto: Lucas Uebel (Grêmio.net)

 

 

BAHIA: Mateus Claus; Nino Paraíba (Jadson, 30’/2ºT), Ernando, Juninho e Matheus Bahia; Edson (Rossi, int.), Gregore, Daniel (Clayson, 20’/2ºT), Rodriguinho (Marco Antônio, 30’/2ºT); Élber e Gilberto (Elton, 37’/2ºT)
Técnico: Cláudio Prates (interino)

GRÊMIO: Vanderlei; Orejuela, Paulo Miranda, David Braz e Cortez; Darlan (Rodrigues, 43’/2ºT), Matheus Henrique; Alisson (Guilherme Azevedo, 43’/2ºT), Isaque (Rildo, 43’/2ºT), Everton (Lucas Silva, 37’/2ºT); Diego Souza (Luiz Fernando, 27’/2ºT)
Técnico: Renato Portaluppi

9ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2020
Data: 10 de setembro de 2020, quinta-feira, 19h15min
Local: Estádio Pituaçu, em Salvador-BA
Árbitro: José Mendonça da Silva Junior (PR)
Assistentes: Ivan Carlos Bohn e Jefferson Cleiton Piva da Silva (PR)
VAR: Irinaldo Jorge dos Santos Silva (BA)
Cartões amarelos: Nino Paraíba (Bahia); Darlan, Matheus Henrique (Grêmio)
Cartões vermelhos: Gregore (Bahia); Matheus Henrique (Grêmio)
Gols: Alisson, aos 23 minutos do primeiro tempo; Darlan, aos 8 minutos do segundo tempo

Brasileirão 1995 – Bahia 1×0 Grêmio

September 9, 2020
Foto: A Tarde

Foto: A Tarde

 

No Brasileirão de 1995, o Grêmio foi derrotado pelo Bahia em Salvador, na primeira rodada do segundo turno da competição.

O interessante é que o gramado da Fonte Nova havia sido usado menos de 24 horas antes, no amisto entre Brasil x Uruguai.

GRÊMIO PERDE DE NOVO E CONTINUA AMEAÇADO

O campeão da Libertadores terminou a partida com nove jogadores e não conseguiu evitar mais uma derrota

O Grêmio começou o segundo turno do Brasileirão com derrota. Descaracterizado, o time gaúcho perdeu por 1 a 0 para o Bahia de Otacílio Gonçalves, em Salvador, e ainda terminou a partida sem Gélson e Arce, expulsos. Jogadores e dirigentes gremistas contestaram muito a arbitragem de Wilson Mendonça, argumentando que o árbitro prejudicou o time. O próximo jogo do Grêmio será domingo, em Porto Alegre, contra o União São João. Com o resultado, o Grêmio continua com 12 pontos, muito próximo da perigosa zona do rebaixamento.

Empolgado com o apoio de mais de 16 mil torcedores, o Bahia entrou em campo com muita disposição. As jogadas rápidas do ponteiro Naldinho perturbaram o setor defensivo gaúcho. No primeiro tempo, o Grêmio só levou perigo ao gol do-Bahia aos 13 minutos, através de um chute violento de Roger, que obrigou o goleiro Jean a tocar a bola para escanteio. Cinco minutos mais tarde, o atacante Cilinho cruzou para a área gremista e encontrou Raudinei livre que, de cabeça, fez 1 a 0. O resultado adverso deixou o time nervoso. Gélson, depois de fazer duas faltas duras, foi expulso.

Inteligente, o técnico do Bahia aproveitou a vantagem numérica e adiantou ainda mais o seu time, que foi para cima do Grêmio no segundo tempo. Com marcadores implacáveis, Otacílio Gonçalves anulou Jardel e Paulo Nunes, as principais armas de ataque de Luiz Felipe.

O lateral-direito Arce também foi expulso e o Grêmio ficou com nove jogadores. Apesar disso, a equipe mostrou garra e passou a pressionar o Bahia. Aos 31 minutos, Paulo Nunes invadiu a área e chutou para a defesa de Jean. A chance mais clara de gol ocorreu aos 46 minutos, quando Jardel chutou uma bola na trave. Em seguida, Jardel foi empurrado na área e o juiz não marcou pênalti, provocando a revolta do time gaúcho.” (Zero Hora, Sexta-feira, 13 de outubro de 1995)

EQUIPE SOFRE MAIS DUAS EXPULSÕES E CRITICA ÁRBITRO

Jogadores, comissão técnica dirigentes do Grêmio reclamaram muito da arbitragem de Wilson Mendonça, que teria apresentado injustamente o cartão vermelho para Gélson e Arce, ontem à tarde, contra o Bahia. As reclamações foram intensas ao final do jogo, quando os atletas gremistas cercaram o juiz. Em 12 jogos pelo Brasileirão, o Grêmio já teve 1 1 jogadores expulsos. Conforme o treinador, a sua equipe tem sido vítima de uma “armação” para prejudicar o time.

“Tu vais apitar em Porto Alegre, vai”, disse Luiz Felipe a Wilson Mendonça depois da partida, irritado com a atuação do árbitro. “Eu não consigo entender essas arbitragens”, lamentou. Segundo Luiz Felipe, o fato de o Grêmio ser apontado como uma equipe violenta tem condicionado as arbitragens. “O Arce fez uma falta normal, não tinha nem cartão amarelo e foi expulso”, queixou-se o treinador Luiz Felipe está preocupado com um possível complô para prejudicar o Grêmio. “Se há algo ensaiado, isso tem de parar.”

Inconformado com o que considera atuações lamentáveis de alguns árbitros neste campeonato brasileiro, Luiz Felipe disse que às vezes chega a desanimar. “Olha, dá vontade de tirar o time de campo e ir embora, mas não podemos fazer isso.”

Quando o jogo com o Bahia terminou, os jogadores cercaram o árbitro para reclamar de um pênalti não assinalado em Jardel, no final da partida. Preocupado com as consequências, Luiz Felipe afastou o atletas, mas fez um alerta: “Qualquer dia pode haver muita confusão em campo por causa de arbitragens como essa.” (Zero Hora, Sexta-feira, 13 de outubro de 1995)

“O JOGO: Apesar de o Grêmio perder dois jogadores, expulsos por violência, o Bahia não soube aproveitar a vantagem. Duas equipes apáticas.” (Placar, Tabelão 1995, nº 9)

GRÊMIO CULPA JUIZ POR NOVA DERROTA

Salvador — O Grêmio iniciou o 2º turno do Campeonato Brasileiro perdendo para o Bahia, ontem à tarde, no Estádio da Fonte Nova, por 1 a 0. Sem cinco titulares, a equipe gaúcha não exibiu a tradicional pegada e capacidade de reação demonstradas na conquista da Libertadores da América. Por outro lado, bateu muito e terminou a partida com dois jogadores expulsos (Gelson e Arce). Aos 25 min, Cilinho conseguiu articular o primeiro ataque do Bahia. Ele invadiu pela esquerda e cruzou para Raudnei marcar 1 a 0, de cabeça. Aos 38min, Gelson foi expulso. O Grêmio voltou melhor no 2° tempo. Paulo Nunes e Jardel, que foram figuram decorativas na etapa inicial, passaram a incomodar a defesa do Bahia. Aos 10 minutos, Jardel perdeu um gol. O Grêmio deu um sufoco nos cinco minutos finais, mas Jardel acertou o travessão aos 45min.” (Pioneiro, Sexta-feira, 13 de outubro de 1995)

 

 

BAHIA: Jean; Odemilson, Ronald, Parreira e Esquerdinha (Gelson 39 do 2ºT); Lima, Bonamigo, Bobo (Celso 39 do 2ºT) e Cilinho; Raudnei e Naldinho

Técnico: Otacílio Gonçalves

 

 

GREMIO: Danrlei: Arce, Vagner Fernandes, Luciano e Roger (Nildo, 45 do 2ºT; Gelson, Carlos Alberto, Arilson (Vagner Mancini 35 do 2ºT) e Emerson; Paulo Nunes e Jardel

Técnico: Luiz Felipe Scolari

 

 

Brasileirão 1995 – Returno – 1ª Rodada

Data: 12 de outubro de 1995, quinta-feira, 17h00min

Local: Estádio Fonte Nova, Salvador-BA

Público: 16.880 pagantes

Renda: RS 145.045,00

Juiz: Wilson de Souza Mendonça (FIFA-PE);

Auxiliares: Rondon Meira e Ivanildo Arouxa Filho

Cartões amarelos: Naldinho, Esquerdinha, Luciano, Arilson, Emerson e Jardel

Cartões Vermelhos: Gelson (39 do 1ºT); Arce (21 do 2ºT)

Gol: Raudinei 25 minutos do 1º tempo

Brasileirão 2020 – Atlético Goainienese 1×1 Grêmio

September 7, 2020

O juiz Ricardo Marques Ribeiro consegue a façanha de ser extremamente irritante mesmo quando não comete nenhum erro grave.

Essa do Renato, de “crise de excesso de títulos” é tão bizarra que não dá nem pra ficar brabo com ele.

Fotos: Lucas Uebel (Grêmio.net)

ATLÉTICO-GO Jean, Dudu, João Vitor, Éder e Nicolas; Edson, Marlon Freitas e Gustavo Ferrareis (Matheuzinho); Chico (Henry Vaca), Janderson (Everton Felipe) e Renato Kayser (Hyuri)
Técnico: Vagner Mancini

GRÊMIO: Vanderlei; Orejuela, Geromel, Kannemann (David Braz) e Cortez; Lucas Silva (Darlan), Matheus Henrique e Alisson (Luiz Fernando); Everton, Isaque (Fabrício) e Diego Souza (Robinho)
Técnico: Renato Portaluppi

Local:  Estádio Olímpico, em Goiânia (GO)
Data: 6 de setembro de 2020, domingo, 19h00min
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (MG)
Assistentes: Marcus Vinicius Gomes e Frederico Soares Vilarinho (MG)
VAR: Caio Max Augusto Vieira (RN)
Cartões Amarelos: Gustavo Ferrareis (Atlético-GO); Kannemann e Diego Souza (Grêmio)
Cartões Vermelhos: Geromel

Gols: Edson, aos dez minutos do 1º tempo e Isaque, aos 42 minutos do 1º tempo

Brasileirão 2020 – Grêmio 1×2 Sport

September 4, 2020

Agora já dá pra dizer que o planejamento do Grêmio para essas primeiras rodadas não deu muito certo. A opção por manter a final do Gauchão em dois jogos só atrapalhou o rendimento do time no Brasileirão.

Fotos: Lucas Uebel (Grêmio.net)

GRÊMIO: Vanderlei; Orejuela, Geromel, Kannemann, Cortez (Pepê, intervalo); Lucas Silva (Jean Pyerre, 36/1ºT), Matheus Henrique; Alisson (Robinho, 30/2ºT), Thiago Neves (Isaque, 17/2ºT) e Everton; Diego Souza
Técnico: Renato Portaluppi

SPORT: Luan Polli; Patric, Iago Maidana, Adryelson e Luciano Juba; (Chico, 42/2ºT), Ronaldo Henrique (Marcão, 34’/2T), Ricardinho; Betinho, Jonatan Gómez (Lucas Mugni, intervalo), Marquinhos (Lucas Venuto, 30/2ºT); Elton (Leandro Barcia, intervalo)
Técnico: Jair Ventura

Brasileirão 2020 – 7ª Rodada
Data: 3 de setembro de 2020, quinta-feira, 19h00mon
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre, RS
Árbitro: Dyorgenes José Padovani de Andrade (ES)
Assistentes: Fabiano da Silva Ramires (ES) e Katiuscia Berger Mendonça (ES)
VAR: Wagner Reway (PB)
Cartões Amarelos: Lucas Silva (Grêmio); Juba, Ronaldo, Betinho e Leandro Barcia (Sport)

Gols: Patric , aos 4 minutos do primeiro tempo; Iago Maidana (de pênalti), aos 28, Pepê, aos 32 minutos do segundo tempo

.

Brasileirão 1995 – Grêmio 1×0 Sport Recife

September 3, 2020

Brasileirão 1995 - Grêmio 1x0 Sport - DinhoPúblico: 9.046 (5.802 pagantes) Foto: Ricardo Chaves (Zero Hora)

Foto: Ricardo Chaves (Zero Hora)

No Brasileirão de 1995, o Grêmio venceu o Sport no Olímpico, com um gol marcado nos acréscimos por Vagner Mancini (mas atribuído na súmula a Jardel).

Interessante notar que, faltando um mês para o mundial,  o tricolor estava fazendo uma sequência de partidas com a equipe titular (a anterior havia sido o jogo de ida contra o River pela Supercopa e a posterior o Gre-Nal pelo Brasileirão)

Brasileirão 1995 - Grêmio 1x0 Sport - Vagner Mancini comemora o gol marcado por JardelPúblico: 9.046 (5.802 pagantes) Foto: Ricardo Chaves (Zero Hora)

Foto: Ricardo Chaves (Zero Hora)

“GRÊMIO VENCE NO FINAL E SAI DO GRUPO DE RISCO

O gol marcado aos 47 minutos deixou o tricolor gaúcho em 13º lugar na tabela geral e animado para o Gre-Nal

O Grêmio conquistou três pontos importantíssimos para as suas pretensões no Brasileirão ao vencer o Sport por 1 a 0, ontem à tarde. Logo no começo da partida, no entanto, os quase 10 mil torcedores que foram ao Estádio Olímpico pressentiram que a missão de bater o time pernambucano não seria nada fácil. De fato, não foi. Primeiro, porque o Sport marcou com eficiência e mostrou desde o início a determinação de levar um empate para Recife. Segundo, porque a obrigação de vencer prejudicou o trabalho dos jogadores do Grêmio que, nervosos, erraram em demasia. O gol gremista só chegou aos 47 minutos finais. Agora, a equipe de Luiz Felipe soma 19 pontos na classificação geral, passou de 17º para 13° colocado e deixa mais distante da possibilidade de ser rebaixado para a Série B.

Com apenas dois titulares ausentes — Adilson, lesionado, e Goiano, suspenso —, o Grêmio foi para cima do Sport com a intenção de resolver o jogo ainda no primeiro tempo. O bloco defensivo montado pelo treinador Givanildo Oliveira parou quase todas as jogadas de ataque armadas por Dinho, Arilson, Paulo Nunes e Carlos Miguel. Apesar da insistência gremista, foi a torcida tricolor quem levou o primeiro susto do jogo, quando o zagueiro Luciano chutou para trás, obrigando o goleiro Danrlei a dar um tapinha na bola que ainda tocou a trave superior.

No final da primeira etapa ocorreu um lance muito discutido pelos jogadores do Grêmio. Jardel aparou um cruzamento de cabeça e o goleiro Jéferson defendeu. Os atacantes gremistas reclamaram que bola teria cruzado a linha do gol, mas o árbitro considerou o lance normal e mandou a jogada seguir.

Satisfeito com o empate sem gols, o Sport tratou de administrar o resultado no segundo tempo e manteve todo o time em seu próprio campo. Num lance violento, Sandro usou o cotovelo para conter uma arrancada de Paulo Nunes e foi expulso. O Grêmio procurou aproveitar a vantagem. O nervosismo, no entanto, atrapalhou e os jogadores erraram muitos passes e lançamentos. Nova falta dura sobre Paulo Nunes obrigou o árbitro João Paulo Araújo a mostrar o cartão vermelho para Alex.

A vantagem numérica do Grêmio em relação ao Sport acabou prevalecendo em dois lances. A 15 minutos do final, Jardel marcou, mas o juiz anulou, alegando impedimento do ataque. O tempo normal havia se esgotado e a torcida começava a deixar o estádio cabisbaixa quando o Grêmio rompeu a barreira montada pelos pernambucanos. Numa confusão na área do Sport, aos 47 minutos, Mancini concluiu de cabeça: 1 a 0. Jardel foi ao encontro do árbitro reivindicar a autoria do gol. E levou. Com o gol marcado por Mancini, Jardel acumula 43 na atual temporada, um a menos que Baltazar, o maior artilheiro desde 1981.” (Juan Domingues, Zero Hora, segunda-feira, 30 de outubro de 1995)

Brasileirão 1995 - Grêmio 1x0 Sport - Carlos MiguelPúblico: 9.046 (5.802 pagantes) Foto: Ricardo Chaves (Zero Hora)

Foto: Ricardo Chaves (Zero Hora)

 

O JOGO: Pela primeira vez neste Brasileiro a Grêmio entrou em campo com quase todo a time titular. Dominou a Sport e só demorou para fazer a gol porque a equipe pernambucana se utilizou de uma forte marcação.” (Tabelão Placar nº 10 – 1995)

 

Brasileirão 1995 - Grêmio 1x0 Sport - JardelPúblico: 9.046 (5.802 pagantes) Foto: Fernando Gomes (Zero Hora)

Foto: Fernando Gomes (Zero Hora)

Grêmio 1×0 Sport Recife

GRÊMIO: Danrlei; Arce (Emerson 29 do 2ºT), Rivarola, Luciano e Roger (Vagner Mancini 37 do 2º tempo); Dinho, Gelson (Magno 18 do 2ºtempo), Arilson e Carlos Miguel; Paulo Nunes e Jardel
Técnico: Luis Felipe Scolari

SPORT:  Jefferson; Givaldo, Adriano, Sandro e Gilvan; Dario, Ataide (Geraldo 22 do 1°t) , França (Alex, intervalo) e Chiquinho (Erlon 15 do 2°T); Marcelo e Joãozinho
Técnico: Givanildo Oliveira

Brasileirão 1995 – Primeira Fase
Data: 29 de outubro de 1995, domingo, 16h00min
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre-RS
Juiz: João Paulo Araujo (FIFA-SP);
Auxiliares: Paulo Garbi e Marionaldo Silvério
Público: 9.046 (5.802 pagantes)
Renda: R$ 56.282,00
Cartões Amarelos: Dario, Arilson, Geraldo e Luciano;
Cartões Vermelhos: Sandro aos 9 minutos do 2º tempo, Alex aos 26 e Dinho 43 do 2º tempo
Gol: Jardel, aos 47 minutos do 2º tempo