Copa do Brasil 1990 – Grêmio 1 x 1 São Paulo

by

Foto: José Doval (Zero Hora)

O primeiro confronto entre Grêmio e São Paulo pela Copa do Brasil aconteceu na edição de 1990. Pelas oitavas de final.

O Grêmio era o mandante mas, por uma interdição do Olímpico imposta pela FGF, foi obrigado a jogar no Beira-Rio (na partida anterior, pela última rodada do Gauchão, o Grêmio jogou a arquibancada superior do Olímpico fechada).

E sigo sem ter uma explicação de porque o Grêmio utilizou uma camisa sem o logo da Penalty.

Foto: Marco Aurelio Couto (Pioneiro)

 

RETRANCA DO SÃO PAULO VOLTA DO SUL COM EMPATE

Da Reportagem Local

Graças a um gol de bicicleta do centroavante Diego Aguirre e a um forte esquema defensivo, o São Paulo empatou em 1 a 1 com o Grêmio, ontem à tarde no estádio Beira-Rio, em Porto Alegre (RS), na primeira partida pela segunda fase da Copa do Brasil.

Os dois times voltam a jogar domingo, no Morumbi, em São Paulo. Quem vencer se classifica para a terceira fase. O São Paulo joga pelo empate em 0 a 0 por ter feito um gol no campo do adversário. Se a partida terminar novamente em 1a 1, a decisão da vaga será em cobranças de pênaltis. Empate em dois ou mais gols classifica o Grêmio.

O técnico uruguaio Pablo Forlan jogou com cinco jogadores no meio-campo no seu esquema 4-5-1. Pôde contar com o volante Flávio que, sem contrato, voltou atrás e aceitou jogar com um seguro de Cr$ 4 milhões. Vizolli (que terá seu contrato encerrado hoje) ficou no banco, ainda fora de forma física, mas entrou no final para segurar o resultado.

A muralha defensiva da São Paulo resistiu até os 27min do primeiro tempo. Após a cobrança de um escanteio, o zagueiro Wilson ainda teve de se abaixar para cabecear sem chances de defesa para o goleiro Gilmar. O Grêmio já poderia ter marcado num pênalti ignorado pelo juiz catarinense Dalmo Bozano. num toque de mio do zagueiro António Carlos na grande área.

A arbitragem também prejudicou o São Paulo. Logo em seguida ao toque de António Carlos, Caiu foi lançado nas costas da defesa gaúcha. O bandeirinha deu condições de jogo, mas o juiz marcou impedimento. No intervalo. Dalmo Bozano respondeu irônico à TV Bandeirantes sobre a sua má forma física. Perguntado sobre seu peso. disse: “Estou bem menos do que podia”.

Sem alterar seu esquema, o São Paulo conseguiu o empate no início do segundo tempo. Contou com a habilidade do centroavante uruguaio Diego Aguirre e com a falha de marcação da defesa do Grêmio. O volante Bernardo cabeceou para trás e Aguirre marcou de bicicleta, livre, na marca do pênalti, aos 4min.

O gol motivou o São Paulo a jogar no ataque. Cafu foi liberado para ter uma atuação mais ofensiva e teve duas chances para chegar à vitória. O Grêmio não conseguiu furar a retranca de Forlan e ainda esbarrou no goleiro Gilmar. Ele só cometeu uma falha ao tentar cortar um cruzamento em que o ponta Paulo Egidio cabeceou para fora.

Como o estádio Olímpico do Grêmio está interditado pela Federação Gaúcha para reformas em suas estruturas de concreto, o jogo foi realizado no Beira-Rio, do Internacional. Mantendo a rivalidade entre os dois clubes. o Inter cedeu o vestiário principal ao São Paulo. O Grêmio. apesar de mandante do jogo. ficou com vestiário do visitante.” (Folha de São Paulo, sexta-feira, 3 de agosto de 1990)

 

Foto: Claudir Tigre (Correio do Povo)

 

GRÊMIO EMPATA COM SÃO PAULO

O Grêmio não conseguiu superar o franco São Paulo ontem à tarde, no estádio Beira-Rio, pela Co­pa do Brasil, cedendo o empate em 1×1, depois de ter arrancado na fren­te. Agora, o hexacampeão gaúcho ficou em situação difícil, obrigado a vencer a partida de volta, no Morumbi ou empatar em 2×2, porque gol marcado fora vale dobrado na competição.

Embalado pela conquista do título­ regional, no último domingo, o tricolor começou determinado a buscar a vitória. No início do jogo, Nil­son foi atropelado pelo zagueiro Antônio Carlos dentro da área, num pênalti claro, não marcado pelo juiz, de péssima atuação. Mas aos 27min. Vilson aparou de cabeça a cobrança de escanteio, abrindo o placar. O time ainda desperdiçou outras oportu­nidades para liquidar o São Paulo no primeiro tempo.

Somente aos 37 min., o São Pau­lo levou perigo à defesa gremista. O centroavante Diego Aguirre, que já jogou no Inter, chutou forte, sur­preendendo Mazaropi, que fez gran­de defesa. Era o prenúncio das difi­culdades que viriam na etapa final. O tricolor paulista voltou mais disposto do intervalo e, logo aos 4min., o mesmo Aguirre marcou um lin­do gol, de bicicleta, aproveitando lançamento de Ivan. O São Paulo continuou atacando e o Grêmio, na tentativa desesperada de conseguir a vitória, quase acabou perdendo o jogo. O Grêmio empatou com Maza­ropi, Fábio, João Marcelo, Vilson e Hélcio, João Antônio, Assis e Caio, Darci, Nilson e Paulo, Egídio. Técni­co: Evaristo de Macedo. O São Pau­lo saiu satisfeito com o resultado conseguido por Gilmar, Zé Teodoro, Antônio Carlos, Ronaldo e Zigomar, Vizolli, Bernardo, Flávio e Carras­co, Cafu e Diego Aguirre. Técnico: Pablo Forlan.” (Folha de Hoje, sexta-feira, 3 de agosto de 1990)

GRÊMIO NO BEIRA-RIO CONTRA O SP

“O Grêmio pode ser obrigado a en­frentar o São Paulo, amanhã à tarde, pela segunda fase da Copa do Brasil, no estádio do Inter. É que a Federação Gaúcha de Futebol interditou o Olímpico, por causa das arquibancadas superiores, que trepidam, sempre que o público toma este setor.

Preocupada com um possível acidente, a FGF resolveu interditar, O Próprio Grêmio lacrou a área para o Gre-Nal, temendo pelo pior.

O Presidente do Grêmio, Paulo Odone Ribeiro, argumenta que a interdição não passa de uma represália por causa dos desentendimentos do clube com a entidade. Os dirigentes passaram a tarde de ontem, enfurnados em uma sala de reunião para decidir qual a medida que o clu­be vai adotar para contornar a situação.” (Folha de Hoje, 1º de agosto de 1990)

NO ESTÁDIO DO INTER, GRÊMIO X SÃO PAULO

 Os torcedores gremistas mais fanáticos podem até ficarem constrangidos por ter que ir ao Beira-Rio assistirem a seu time jogar não um Gre-Nal, mas uma partida da Copa do Brasil, hoje, às 17h, contra o São Paulo. O local do jogo foi mudado por causa da confusão criada com a interdição do Estádio Olímpico pelo presidente Rubens Hoffmeister, em represália às agressões verbais sofridas da parle do presidente gremista Paulo Odone.

O assunto do Estádio Olímpico (que realmente tem problemas, mas que já era do conhecimento da própria Federação e do clube, que nada fizeram antes), é passado em termos de futebol. O que importa ao torcedor é a bola rolando, com o Grêmio enfrentando o São Paulo pela 2ª fase da Copa do Brasil.

O técnico Evaristo de Macedo não terá mais os jogadores Cuca e Luís Eduardo, e ainda aguarda a condição de jogo do lateral-direito China. Na defesa, Vílson fará companhia a João Marcelo, enquanto João Antônio está cotado para a vaga do Cuca. O resto do time permanece o mesmo.

Já o São Paulo passa por uma completa reformulação, inclusive na comissão técnica, formada pelo treinador Pablo Forlan e um preparador físico uruguaio. Rebaixado no futebol paulista, mesmo tendo sido campeão em 89, o São Paulo apresenta poucos nomes conhecidos: o goleiro Gilmar e o atacante Diego Aguirre, ex-Inter, o lateral Zé Teodoro e o meio-campo Bernardo. O São Paulo, hoje, jogará por um empate, deixando para definir a vaga domingo, no Morumbi.” (Pioneiro, quinta-feira, 2 de agosto de 1990)

 

GRÊMIO JOGA À TARDE NO BEIRA-RIO

Hoje à tarde, a partir das 17 horas, Grêmio e São Paulo come­çam a decidir, na melhor de duas partidas, quem continua disputando as fases seguintes da Copa do Brasil. Por motivo da interdição do seu estádio pela Federação Gaúcha de Futebol, que alega falta de segurança, o Grêmio jogará a partida no estádio Beira-Rio, cedido pelo Inter.

Para o jogo de hoje á tarde, o téc­nico Evaristo de Macedo promove­ rá dois novos titulares: Vilson, no lu­gar de Luis Eduardo e João Antônio, no de Cuca, que foram vendidos pa­ra o Valladolid da Espanha na sema­ na passada. O Grêmio precisa vencer o jogo, para ,domingo no Mo­rumby, com um simples empate ficar com a vaga.

O São Paulo, chegou a Porto Ale­gre no finalzinho da tarde de ontem e não quis fazer reconhecimento do Beira-Rio, aguardando apenas a hora do jogo. A intenção dos paulistas é obter, pelo menos, um empate, deixando a decisão para o domingo, em casa.” (Folha de Hoje, quinta-feira, 2 de agosto de 1990)

 

Foto: Silvio Avila (Folha de Hoje)

Grêmio 1 x 1 São Paulo

GRÊMIO: Mazaropi; Fábio, João Marcelo, Vilson, Hélcio; Jandir, João Antônio, Darci (Caio) e Assis; Nílson, Paulo Egídio
Técnico: Evaristo de Macedo

SÃO PAULO: Gilmar Rinaldi; Zé Teodoro, Antônio Carlos, Ronaldão, Ivan; Bernardo, Flávio (Edmílson), Betinho (Vizolli), Cafu; Carrasco, Diego Aguirre.
Técnico: Pablo Forlan

Copa do Brasil 1990 – Oitavas de Final – Jogo de ida
Data: 02 de agosto de 1990, Quinta-feira, 17h00min
Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre-RS
Público: 5.945 pagantes
Renda: Cr$ 1.696.200,00
Juiz: Dalmo Bozzano
Auxiliares: Getúlio Barreto De Souza e Delmo Tadeu Finger
Cartões Amarelos: Antônio Carlos, Bernardo, Flávio
Gols: Vilson, aos 27 minutos do 1º tempo; Diego Aguirre aos 3 minutos do 2º tempo

2 Responses to “Copa do Brasil 1990 – Grêmio 1 x 1 São Paulo”

  1. Confrontos contra o São Paulo pela Copa do Brasil em Porto Alegre | Grêmio1983 Says:

    […] Copa do Brasil 1990 – Oitavas – Ida – Grêmio 1×1 São Paulo […]

  2. Retrospectiva do Blog em 2020 | Grêmio1983 Says:

    […] Copa do Brasil 1990 – Grêmio 1 x 1 São Paulo […]

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.


%d bloggers like this: