Brasileirão 1981 – Pinheiros 1×1 Grêmio

by

Foto: Armênio Abascal (Zero Hora)

 

Há exatos 40 anos o Grêmio fazia o seu quarto jogo na campanha do título do Brasileirão de 1981, contra o Pinheiros, no Couto Pereira.

O técnico do adversário era um velho conhecido, Cláudio Duarte, que buscou um empate ao colocar um zagueiro batedor de faltas, Vagner, que acabou anotando o gol do 1×1 aos 45 do 2º tempo

Foto: Armênio Abascal (Zero Hora)

 

Foto: Armênio Abascal (Zero Hora)

 

GRÊMIO DEIXOU O PINHEIROS EMPATAR NO FINAL DO JOGO
A vitória parecia garantida, mas uma falta perto da área mudou o resultado

 O empate do Grêmio com o Pinheiros ontem à noite, foi um resultado justo, pois as duas equipes jogaram muito mal no primeiro tempo e corrigiram as falhas na segunda etapa quando chutaram em gol. Com este resultado, o Grêmio se distanciou mais ainda do Botafogo, líder do Grupo B, que ontem venceu ao Brasília e agora está com oito pontos ganhos, enquanto que o Grêmio tem seis. 

No final do primeiro tempo, a torcida vaiou as duas equipes. E com muita razão, pois nem Pinheiros e nem Grêmio conseguiram realizar nada em termos de ataque. Os dois goleiros, Leão e Wilson só fizeram intervenções. Tudo isso porque os dois times estavam posicionados defensivamente, e nenhum queria tomar a iniciativa de atacar, com medo dos contra-ataques adversários. Assim mesmo, o Pinheiros era quem tomava a iniciativa do jogo, pois Didi, o melhor de seu meio de campo, fazia bons lançamentos para João Maria na ponta direita e também tentava a aproximação com André no comando do ataque, quando o centroavante tinha a bola dominada.

 AS MUDANÇAS

O Grêmio, que também praticava o mesmo tipo de jogo retrancado do Pinheiros, não teve nenhuma situação de gol a seu favor. E Flávio, que foi fixado no time por causa da sua excelente atuação contra a Desportiva, não tinha uma boa movimentação ontem. Por isso, todo o ataque do Grêmio esteve mal; pois Renato Sá era completamente anulado por Maurício, um centromédio muito aplicado e também por Serginho, que recuava para ajudar o seu companheiro. Com isso, sobrava o esforço inútil de Chi na com seus bons lançamentos e Odair, que tentava muito as jogadas de linha de fundo. Tarciso simplesmente inexistiu nesta primeira etapa. Ele não conseguiu realizar nada, completamente anulado por Dionísio. 

No segundo tempo, Ênio Andrade corrigiu o posicionamento de todo o time, principalmente o meio-campo e ataque e o Grémio já conseguia o seu gol logo aos dez minutos. E depois do gol, o time continuava jogando bem, insistindo no ataque, com jogadas pelas duas pontas e com isso; levando muito perigo ao gol de Wilson. Mas o Pinheiros também mudou o seu estilo de jogo. 

No final do segundo tempo, China, o melhor do jogo, lesionado, foi substituído por Vicente e De León passou para a frente da zaga, onde teve o mesmo bom aproveitamento que teve antes, jogando na quarta-zaga. Mas no final, Wagner empa tato para o Pinheiros numa cobrança de falta, fazendo justiça, já que o time do Paraná, também atacou com algum perigo.

 

 O PLACAR

 BALTAZAR, para o Grêmio: 1×0 aos 10 minutos do segundo tempo — De uma falta sobre Odair, do lado esquerdo da área, Baltazar fez 1×0. Renato Sá lançou a bola no segundo pau e o centroavante de cabeça, vencendo Hermes e Osni que ficaram parados, tocou sem chances de defesa para Wilson,

WAGNER,  para o Pinheiros: 1×1 aos 45 minutos do segundo tempo — O empate do Pinheiros também aconteceu através de uma falta na frente da área. Wagner chutou muito forte, a barreira estava mal formada e a bota entrou no canto esquerdo de Leão. “ (Julio Sortica, Zero Hora, quinta-feira, 29 de janeiro de 1981)

 

 

 

 

PINHEIROS EMPATE COM O GRÊMIO AOS 45 MINUTOS

Com um ótimo público presente ontem à noite, no Alto da Glória, o Pinheiros conseguiu empatar no minuto final de jogo – 1×1, frente o Grêmio Porto-alegrense. Jogo que parecia se definir a favor do clube gaúcho, depois de alguns vacilos do “leão” no primeiro tempo, mas, apesar do gol de Baltazar aos 12 minutos (2ª fase), o técnico pinheirense mudou – pôs Wagner em campo, no lugar de Hermes, para tentar o empate na cobrança de uma falta. E não deu outra – o zagueiro, aos 45 minutos, foi lá e cobrou com perfeição, determinando uma justa igualdade. A partida em si, não agradou de todo, mas foi multo disputada. “ (Diário do Paraná, quinta-feira, 29 de janeiro de 1981)

 

“COLUNA DE VINÍCIUS COELHO – ISOLAMENTO PREJUDICIAL

 Quem assistiu ao jogo de quarta-feira entre Pinheiros e Grêmio, se saiu contente com o resultado, especialmente com o gol pinheirense no final, deve ter saído frustrado com a ausência de bom número de lances de gol. Principalmente pelo fato de que a estrela do espetáculo, o goleiro Leão, não teve participação efetiva no jogo, pouco sendo exigido, o que também aconteceu com o goleiro Wilson. E por que? Porque os dois times jogam da mesma forma, isolam da mesma maneira os pobres de seus pontas de lança, abandonados a guerrilha de área no confronto direto contra dois e as vezes até mais de dois zagueiros.

André ficou sozinho na frente, pois Sérginho, o outro ponta de lança, fazia um estranho revezamento com o lateral Paulinho, completamente fora da zona de perigo e sem qual- quer influência ofensiva. Para ajudai’ o meio de campo não havia necessidade, pois Didi jogava o suficiente para engolir todos os jogadores do Grêmio que passavam pelo setor. Mas o importante é que o André continuava sozinho, sem alguém para tabelar ou tentar vencer a defensiva adversária, pois Maurício não penetrava e o Didi ficava numa zona livre para manobrar e tentar organizar. Mas André sozinho.

 No outro lado a mesma coisa. Baltazar, o artilheiro, vivendo de bolas lançadas para ele disputar contra Hermes, Osni, sem maiores possibilidades. Flávio, China e Renato Sá, jamais foram encarar na área o momento de ajudar ao companheiro. Falha dos treinadores, que teimam em fazer um 4-3-3 pelo meio, mas sem que o terceiro homem se projete ao ataque, o que só facilita a ação da defesa. Daí a frustração de se ver um jogo em que os goleiros foram poucos exigidos e a rigor, só tiveram o trabalho de buscar a bola no fundo do gol nos sucessos partida. “ (Vinicius Coelho, Diário do Paraná, sexta-feira, 30 de janeiro de 1981)

 

 

PLACAROPINIÃO: Resultado justo. Jogo disputado no meio de campo.” (Roberto José da Silva, Revista Placar, edição n.º 560, 6  de fevereiro de 1981)

 

“PINHEIROS EMPATE NO FINAL COM  O GRÊMIO

 Quando o placar parecia definido a favor do Grêmio de Porto Alegre, eis que o Pinheiros surpreendeu ao campeão gaúcho marcando um golaço na cobrança per feita de falta através do zagueiro Wagner, aos 44 minutos, chegando ao empate que fez justiça no marcador pela voluntariedade mostrada pelo quadro paranaense 0 logo no primeiro tempo agradou plenamente, com as equipes atuando em plano de igualdade, sempre pontificando as duas defesas, principalmente o uruguaio De Leon pelo Grêmio e Osny e Paulinho no quadro pinheirense. No final, o Pinheiros caiu um pouco de produção, com o tricolor sulino chegando a marcação do seu foi depois de uma falha do goleiro Wilson, que saiu mal na bola. O Grêmio teve algumas ações mais atrevidas no seu ataque, mas controladas pela retaguarda local Finalmente, quando tudo parecia indicar a vitória gremista. o Pinheiros articulou nova jogada pelo meio, com Vantuir cometendo falta em Jota Maria, que foi transformada no gol de empate já no ocaso da partida. O Pinheiros continua invicto e parte agora decidido a ganhar do Brasília para consolidar sua classificação.

GOLS DO JOGO

Depois de um primeiro tempo em zero a zero, o Grêmio entrou resoluto para a fase final, chegando ao seu gol através de Baltazar, aos 10 minutos Na cobrança de falta da intermediária. Renato Sa levantou para a área, com Wilson saindo mal e Baltazar, sempre oportunista, desviou de cabeça abrindo a contagem Aos 44 minutos, com a falta de Vantuir sobre Jota Maria próxima da área Wagner bateu forte, calculado, no canto esquerdo, com Leão vencido, mas ainda tocando na bola. 1 a 1 o resultado final.

Arbitragem regular de Luiz Carlos Feliz, com os bandeirinhas, Alceu Conerado e Ivo Tadeu Scatola bons. Arrecadação muito boa, a melhor verificada até agora na capital: Cr$ 1 060 940,00 para um público pagante de 10 211 pessoas. Prova de que o público gosta dos bons espetáculos. “ (Diário da Tarde, sexta-feira, 30 de janeiro de 1981)

Pinheiros 1×1 Grêmio

 

PINHEIROS: Wilson; Paulinho, Hermes (Vágner), Osni e Dionísio; Maurício, Didi e Sérgio Zaia (Vaquinha); João Maria, André e Odair.
Técnico: Cláudio Duarte

 

GRÊMIO: Leão, Uchôa, Vantuir, De León e Dirceu; China (Vicente), Flávio e Renato Sá; Tarciso, Baltazar e Odair
Técnico: Ênio Andrade

 

Campeonato Brasileiro 1981 – Primeira Fase – 4ª Rodada
Data: 28 de janeiro de  1981 – Quarta-feira, 21h00min
Local: Couto Pereira, em Curitiba-PR
Público: 10.211 pagantes
RendaCr$ 1.060.940,00
Juiz: Luís Carlos Félix – RJ
Auxiliares: Alceu Conerado (PR) e Ivo Tadeu Scátolla (PR)
Cartão Amarelo: China
Gols: Baltazar aos 10 minutos e Vágner aos 44 minutos do 2ºtempo

One Response to “Brasileirão 1981 – Pinheiros 1×1 Grêmio”

  1. Brasileirão 1981 – Todos os jogos da Campanha | Grêmio1983 Says:

    […] 28/01/1981 –  Pinheiros-PR 1×1 Grêmio […]

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.


%d bloggers like this: