Brasileirão 1989 – Grêmio 0x0 Santos

by

Foto: João Carlos Rangel (Correio do Povo)

No Brasileirão de 1989, o Grêmio não saiu do 0x0 com o Santos no Olímpico.

 


 

UM GRÊMIO BASTANTE CONFORMADO

Jogando bem apenas durante os 20 minutos finais, o Grêmio não passou de um empate em zero a zero contra o Santos, ontem, no Olímpico, ficando em terceiro lugar no Grupo B, com cinco pontos. O ponteiro Sérgio Araújo fez sua estréia, atuando nos 45 minutos finais, em lugar de Sinué, conseguindo dar maior movimentação ao ataque. Na quarta-feira, o Grêmio atua em São Paulo, contra o Palmeiras, e é quase certo que, por problemas de lesão, verificados ontem, o técnico Cláudio Duarte volte a alterar a equipe.

Foi uma partida equilibrada no primeiro tempo. Com quatro jogadores no meio de campo, o Santos conseguiu anular a criatividade de Assis, obrigando, também, a que Cuca fosse um homem mais preocupado com a marcação. Darci procurou compensar, movimentando-se por todas as partes do gramado. Sinuê, utilizado no lugar de Paulo Egídio, esforçou-se muito, mas a timidez natural de quem estréia impediu uma melhor atuação. Os laterais Alfinete e Hélcio, desobrigados da marcação, já que o Santos não teve ponteiros agudos, puderam avançar bastante. Alfinete, principalmente, criou boas jogadas.

No segundo tempo, o técnico Cláudio Duarte fez o que todos imaginavam, lançando Sérgio Araújo no lugar de Sinuê, passando Assis para a esquerda. O crescimento da equipe, no entanto, só se verificou a partir dos 20 minutos, quando Sérgio Araújo perdeu a inibição e começou a criar jogadas fortes. As maiores chances, Porém, foram criadas por Alfinete, em dois chutes muito perigosos de fora da área, obrigando Sérgio a extraordinárias defesas. Outra boa chance foi desperdiçada por Darci, em Penetração pelo lado esquerdo. Ele tentou Por cobertura, mas a bola foi para fora. A última chance nasceu dos pés de Sérgio Araújo. Ele cruzou da direita, Gilson ajeitou e Cuca completou de Pé direito, permitindo a Sérgio outra grande defesa.

A pressão gremista possibilitou a que o Santos, em contra-ataques, criasse situações perigosas. Numa delas, Ditinho chutou, Gomes defendeu parcialmente e César Sampaio concluiu por cima.

No vestiário do Grêmio, ninguém falou em injustiça.” (Correio do Povo, segunda-feira, 25 de setembro de 1989)

 

MEIO-CAMPO DO SANTOS GARANTE PONTO NO OLÍMPICO E A PERMANÊNCIA DE NICANOR

O Santos conseguiu ontem aquilo que muitos imaginavam impossível. Apesar da crise que ameaça o time desde o empate diante do Goiás na última quarta-feira, a equipe foi a Porto Alegre e obteve um empate de 0 a 0 diante do campeão gaúcho, no estádio Olímpico. Para um time que estava para demitir seu técnico, o resultado foi recebido com alívio pelos dirigentes. Nicanor de Carvalho continua prestigiado na direção do time.

Apesar de ainda não ter vencido no campeonato e ocupar a última colocação em seu grupo, o Santos surpreendeu com um bom futebol no meio de campo, César Sampaio, César Ferreira, Ernâni e Heriberto bloquearam o setor mais criativo do Grêmio. A equipe gaúcha apresentou sua característica de sempre —muita força na marcação—, mas criou poucas oportunidades de gol e não teve substituto de bom nível para o ponta Paulo Egídio, contundido.

No primeiro tempo, aos 22 minutos o Grêmio Leve sua melhor oportunidade, quando Gilson acertou um chute de primeira, depois de um cruzamento de Assis. Aos 36, foi a vez de Élcio pegar um rebote da zaga e chutar rente à trave.

No segundo tempo, o Grêmio tentou fazer a marcação mais frente, mas foi surpreendido pelos contra-ataques santistas. Ditinho, Tuíco, César Ferreira e Paulinho só não marcaram por falta de calma diante do goleiro Gomes.” (Folha de São Paulo, segunda-feira, 25 de setembro de 1989)

 

Placar “O JOGO: As vaias da torcida no final da partida foram justas. O Santos jogou com três volantes, César Sampaio, César Ferreira e Heriberto, preocupado, sobretudo, em não tomar gols. O Grêmio não teve inspiração para furar o bloqueio do adversária. A não ser pelas quatro chances de gol, duas para cada time, criadas no segundo tempo, o que se viu foi uma sucessão de jogadas truncadas e passes errados digna de irritar o torcedor. Nota do jogo: 5” (Placar, edição n.º 1.007, 29 de setembro de 1989)

Foto: Nico Esteves (Placar)

Grêmio 0 x 0 Santos

GRÊMIO: Gomes; Alfinete, Trasante, Edinho e Hélcio; Lino, Cuca, Darci e Assis; Gílson e Sinuê (Sérgio Araújo)
Técnico: Claudio Duarte

SANTOS: Sérgio; Ditinho, Davi, Luiz Carlos e Wladimir; César Sampaio, César Ferreira, Heriberto e Ernâni; Paulinho McLaren e Tuíco (Totonho)
Técnico: Nicanor Carvalho

Campeonato Brasileiro 1989 – 1ª Fase – 5ª Rodada
Data: 24 de setembro de 1989, domingo
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre, RS
Público: 10.900 pagantes
Renda: NCz$ 90.951,00
Árbitro: Tito Rodrigues
Auxiliares: Francisco Carlos Vieira e Luis Carlos Pinto
Cartões Amarelos: Trasante e Sérgio

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.


%d bloggers like this: