Brasileirão 1981 – Semifinal – jogo de ida – Ponte Preta 2×3 Grêmio

by

Foto: Correio do Povo

 

Há exatos 40 anos o Grêmio vencia a Ponte Preta, em Campinas, pelo jogo de ida da semifinal do Brasileirão de 1981.

Foto: Zero Hora

“GRÊMIO ESTÁ BEM PERTO DAS FINAIS

Agora é aqui. Mais ainda: a vantagem de poder perder pela diferença de um gol, Esta é a situação do Grêmio, que fez 3 a 2, ontem à noite, em Campinas, sobre a Ponte Preta. Com um bom futebol no período final e se abrindo para as jogadas ofensivas, o tricolor gaúcho teve méritos para a vitória e deu passo decisivo rumo ao título nacional e presença na Libertadores da América.

PRIMEIRO TEMPO – O Grêmio não começou bem. A Ponte Preta, pelo contrário, tomava as iniciativas. Foi um time de competição, fechando os espaços e não deixando o adversário jogar. E, assim, antes mesmo do representante gaúcho aquecer, os paulistas faziam 1 x 0.

O gol da Ponte Preta, aos três minutos, nasceu da cobrança rápida de falta por Dicá, com a bola passando entre os zagueiros tricolores. Lola apareceu bem e tocou de cabeça para as redes. E. com a vantagem no escore, a equipe de Campinas manteve o domínio.

Somente aos 35 minutos, o Grêmio alcançou o empate: jogada pela esquerda, com Baltazar passando para Paulo Isidoro, que bateu forte. Um zagueiro ainda encobriu a visão do goleiro Carlos. A igualdade chegou num bom momento, quando o Grêmio ensaiava a reação.

Apesar do domínio, a Ponte Preta não tirou mais vantagem. Por isso, o empate tricolor justo. Mas, antes de encerrar esta fase o árbitro Vílson Carlos dos Santos expulsou Abel e Paulo Roberto, por jogada violenta.

SEGUNDO TEMPO — A partida reiniciou em ritmo quente. Na saída de bola, a Ponte Preta errou no passe e o Grêmio respondeu rapidamente. Tarciso recolheu e lançou na ponta-direita para Paulo Isidoro, que cruzou, aparecendo Vilson Tadei para, de cabeça, fazer 2 a 1. Eram 16 segundos de jogo.

Com mais disposição o Grêmio começou envolvendo amplamente o adversário. Na frente, Paulo Isidoro passou a jogar pela ponta-direita, enquanto Tarciso — em excelente jornada — ficou se movimentando pela meia-direita. Esta alteração de Ênio Andrade foi oportuna.

Aos 20 minutos, após driblar Juninho. Tarciso na entrada da área, chutou com precisão, no canto esquerdo de Carlos, ampliando para 3 a 1 a vantagem do Grêmio sobre a Ponte Preta. Os paulistas, porém, dois minutos após, através de Lola, diminuíram a diferença: 3 a 2.

Embora tivesse insistido mais e melhorado sensivelmente, o Grêmio se preocupou em manter o escore. Tarciso, entretanto, tevê duas oportunidades, sendo uma bola na trave. No todo, uma vitória sensacional do Grêmio, que agora espera a Ponte.” (Correio do Povo, sexta-feira, 24 de abril de 1981)

 

Fonte: Placar

 

 

 

“Isidoro disse que seu gol não foi de sorte:
– Eu estive bem no lance. Vi que a bola sobrou na entrada da área, pressenti que havia condição para o chute e fiz isso. A bola pegou bem e empatamos o jogo.

[…]

“No início do segundo tempo, na saída de jogo, Dicá reteu demais a bola, perdeu para Tadei e este lançou Tarciso na ponta. O jogador fez um cruzamento para a área e Tadei tocou de cabeça no canto de Carlos. Um gol-relâmpago, aos 12 segundos, que Tadei disse ser resultado de jogadas tentadas nos treinos:
– Não foi por acaso que marcamos esse gol. Nós estamos acostumados a treinar uma marcação forte na saída de jogo. Tomei a bola do Dicá, lance o Tarciso e entre entre os zagueiros. Só tive o trabalho de cabecear no canto.”

[…]

“Até a marcação do terceiro gol do Grêmio, Tarciso era um jogador sem méritos, mas quando chutou de pé esquerdo, lembrou de Lumumba: “Ele sempre me disse para chutar também com o pé esquerdo. Eu limpei a jogada e chutei de esquerda. Agora vejo que o Lumumba tem razão.” (Zero Hora, 24 de abril de 1981)

 

 

Ponte Preta 2×3 Grêmio

PONTE PRETA: Carlos, Édson Boaro, Juninho, Nenê Santana e Odirlei; Zé Mário (Humberto, 22 do 2º), Osvaldo e Dicá (Celso, 20 do 2º); Serginho, Lola e Abel
Técnico: Jair Picerni

GRÊMIO: Leão, Paulo Roberto Costa, Newmar, De León e Casemiro; China, Paulo Isidoro e Vílson Tadei; Tarciso, Baltazar (Renato Sá, 28 do 2º) e Jurandir (Vantuir, intervalo)
Técnico: Ênio Andrade.

Semifinal – jogo de ida
Data: 23/04/1981, quinta-feira, 21h15min
Local: Moisés Lucarelli (Campinas-SP);
Público: 12.881
Árbitro: Wilson Carlos dos Santos (RJ);
Auxiliares: Manuel Amaro e Dirceu Arruda
Cartões Amarelos: Édson, Nenê (PP), Paulo Isidoro, China e Baltazar (GRE)
Cartão Vermelho: Abel (PP) e Paulo Roberto (GRE) 44 do 1ºt
Gols: Lola 3′ e Paulo Isidoro (GRE) 35′ do 1º; Vilson Tadei (GRE) 16s, Tarciso (GRE) 20′ e Lola (PP) 23′ do 2º

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.


%d bloggers like this: