Brasileirão 2000 – Grêmio 2×1 Sport Recife

by
https://64.media.tumblr.com/727ef02d6521b2c16d04a2033dd7b2a6/20c40536c53fef2d-d1/s1280x1920/727e138fa206052078e9fd72ed1b1eeb71c91374.jpg

Foto: Mauro Vieira (Zero Hora)

https://64.media.tumblr.com/027912f8cd417f456b5af65728dd1324/9361fe804f4f1003-af/s640x960/caa9b58aed8b0f2d02e66c712ddfa5d691270850.jpg

Foto: José Ernesto (Correio do Povo)

No Brasileirão de 2000, o Grêmio recebeu o Sport pelo jogo de ida das quartas de final da competição.

Como se pode ver nas matérias transcritas abaixo, o destaque foi todo para Ronaldinho, que marcou os dois gols gremistas.

O treinador do Sport, Emerson Leão, havia sido anunciado como treinador da seleção brasileira pouco mais de um mês antes dessa partida. Com o resultado do jogo do Olímpico, Leão acabou sendo muito questionado pela não convocação do atacante gremista para confronto contra o Colômbia pelas eliminatórias.

Acho que as finais do Gauchão de 1999 acabaram sendo mais marcantes pelo título, vitória em clássico e dribles em cima do Dunga, mas eu acho que o melhor período do Ronaldinho no Grêmio foi justamente nesse mata-mata da Copa João Havelange, onde ele jogava “solto” no ataque.

https://64.media.tumblr.com/96319cc28606c8604d4ee25f047b7cc2/e33a17b46cda3a5a-03/s1280x1920/07c7a7227e733d296d9302516f414b2e25ee3da2.jpg

Foto: Valdir Friolin (Zero Hora)

 

“É RONALDINHO

Apenas por exercício de raciocínio, façamos o seguinte. Tentamos imaginar o jogo de ontem contra o Sport sem Ronaldinho. Não haveria nem a jogada que culminou na falta e muito menos a cobrança do primeiro gol, certo? Assim como não haveria a ginga, o zagueiros tontos, o chute rasteiro cruzado – e o seguindo gol

Já pensou? Que chatice seria? Mas o Grêmio tem Ronaldinho, com direito a show e molecagens com a bola nos pés que muitos treinadores ainda insistem em censurar. E foi através dele que a vitória por 2 a 1 foi construída. Agora, o Grêmio joga por qualquer empate em Recife, no domingo.

O Primeiro gol foi completamente construído por Ronaldinho. Houve, antes, a virada de jogo perfeita de Zinho, o único que conseguiu não ser ofuscado pelo brilho intenso da luz do craque.

Ele driblou e driblou e recebeu a falta. E cobrou no canto, com força. Eram 41 minutos do primeiro tempo. Até aquele instante, a rigor, as chances de marcar foram do Sport. Uma aos 3, quando Sydnei chutou livre de marcação por cima, e outra aos 35, depois de um bate-rebate na pequena área. Quando todos pensaram, que a cota de talento da primeira etapa estava esgotada, o artilheiro surgiu de novo.

Desta vez, aplicou o mesmo drible de corpo destinado a descadeirar zagueiros com que driblou Ronaldão em Campinas, e serviu na medida para Zinho fazer o gol. Só que, ao contrário do Moisés Lucarelli, estava na área. Então em vez de passar, bateu direto. Romário, que já afirmou está entre os seus sonhos formar dupla de ataque com o gremista no Maracanã, pela seleção, balançou as redes dezenas de vezes dessa forma: chute cruzado, rasteiro, no canto. O placar de Ronaldinho – 2 a 0 – era perfeito. Só uma catástrofe tiraria a classificação no Recife. Mas Leão foi ousado. Arriscou. E se deu bem. No segundo tempo, o técnico da Seleção colocou o time ainda mais à frente. Tirou Ranielli e fez entrar o habilidoso Adriano. Retirou o improdutivo Almir e colocou o meia Marquinhos. Ambos jogadores do meio para frente. Em pouco tempo o Sport pressionou e cavou um escanteio. Aos 16 minutos, Leonardo cruzou. Tailson, ex- Brasil-Pe, subiu mais alto que Marinho e descontou de cabeça. O Grémio recuou, recuou e recuou. Perdeu o meio-campo. Mal conseguia reter a bola, facilitando a pressão adversária. O segundo tempo foi do Sport como o primeiro foi do Grêmio. A torcida pediu um atacante. Roth substituiu Warley por Rodrigo Mendes. Os torcedores queriam a saída de Itaqui e aplaudiram Warley. Depois, ao 42, Eduardo Costa entrou no lugar de Gavião.” (Diogo Olivier, Zero Hora, 1º de dezembro de 2000)

https://64.media.tumblr.com/6900ecc3eb3616282d48228dd06b184f/f1c93eaade559cc2-60/s1280x1920/a92df3e1e3defba6f604c024b61b6f7aaa3dfe87.jpg

Foto: Mauro Vieira (Zero Hora)

RONALDINHO DÁ A VITÓRIA AO GRÊMIO CONTRA O SPORT

Com dois gols de Ronaldinho, ambos no primeiro tempo, o Grêmio bateu o Sport por 2 a 1, na noite desta quarta-feira, em Porto Alegre.

Taílson descontou para o Sport no segundo tempo. Com o resultado, o Grêmio joga por um empate na Ilha do Retiro, neste fim de semana. Uma vitória de 1 a 0 serve para o Sport conseguir a classificação.

A primeira chance foi do Sport, quando Sidney foi lançado e arrematou por cima do gol. O Grêmio quase marcou com Ronaldinho e Zinho. Ronaldinho concentrava todas as jogadas. Warley estava mal e não conseguia concluir. Em resposta, o Sport incomodava nos contra-ataques. Seus laterais subiam com freqüência, enquanto Sidney, Leonardo e Taílson mostravam-se à vontade nas imediações da área. O meio-campo e o ataque gremistas decepcionavam e a defesa exibia a insegurança habitual.

Para sair o gol só mesmo de bola parada e por obra de Ronaldinho. Foi o que ele fez, depois de cobrar falta sofrida por Sandro Blum, no final do primeiro tempo. A bola ainda bateu na trave antes de entrar. O gol abriu caminho para mais um. Ronaldinho entrou na grande área, driblou dois adversários e chutou para estabelecer o 2 a 0.

No segundo tempo, o Grêmio preferiu proteger a vantagem obtida, apenas experimentando os contra-golpes. Quase chegou aos 3 a 0 com Ronaldinho e Warley. Mas quem descontou foi o Sport. Após cobrança de escanteio, Taílson subiu e fez 2 a 1. O Grêmio reagiu e, de novo, perdeu o terceiro gol, primeiro com Patrício e depois com Warley.

Apesar da reação gremista, a equipe de Emerson Leão preocupava e quase empatou com Marquinhos. Aos 33 minutos, foi a vez do Grêmio com Rodrigo Mendes acertando a trave. Adriano, do Sport, entretanto, arrematou outra na trave e, logo, Leonardo também perdeu sua oportunidade na pressão dos pernambucanos. Mesmo com dificuldades, o Grêmio manteve sua vantagem.” (Terra, Quinta-feira, 30 Novembro de 2000, 23h39min)

 

ERROS DE PASSE IRRITAM O ANIVERSARIANTE ROTH

A comemoração pelos 43 anos completados na quinta-feira poderia ter sido mais tranqüila para Celso Roth, técnico do Grêmio. Ao ter seu nome anunciado nos alto-falantes do Olímpico antes de enfrentar o Sport, uma vaia foi ouvida no estádio. Talvez a reação da torcida e a importância da decisão tenham deixado Roth mais tenso do que o habitual.

Já nos minutos iniciais da partida, ele mostrou toda sua impaciência com o time, principalmente pelos passes errados e a marcação deficiente. Até a primeira metade da etapa inicial, Roth cobrava jogadas pelo lado esquerdo do ataque, com Sandro Neves e Ronaldinho, e também mais proximidade para a troca de passes. Mesmo presenteado com os dois gols de Ronaldinho, o técnico não gostou do desempenho da equipe.

– Tivemos muita ansiedade e falhas na marcação no primeiro tempo – comentou Roth – No segundo, melhoramos na marcação e tivemos a oportunidade de marcar o terceiro gol.

A segunda etapa, o gol e a enorme pressão feita pelo Sport em um Grêmio que se abateu, acentuaram ainda mais os defeitos que Roth tentou, sem sucesso, corrigir.

– Até o gol deles, o time estava bem. Depois, o jogo ficou igual. Na tentativa de buscar mais um gol, abrimos espaços para o Sport – disse.

Roth anunciou que não pretende alterar a equipe para o jogo em Recife, para garantir o empate e a vaga:
– O sufoco que eles podem dar lá é o mesmo que eles tomaram aqui.” (Marcelo Perrone, Zero Hora, 1º de dezembro de 2000)

PERGUNTAS SOBRE RONALDINHO IRRITAM LEÃO

Os dois gols de Ronaldinho que deram a vitória de 2 a 1 e a vantagem do empate para o Grêmio na partida de volta, domingo, em Recife, deixaram o técnico do Sport, Émerson Leão, irritado. A exasperação do treinador da equipe pernambucana e da seleção brasileira pôde ser percebida durante a coletiva. Ao ser questionado sobre a qualidade e a importância do craque no jogo, Leão não respondeu e encerrou a entrevista.

– Não foi o Ronaldinho que desequilibrou, e sim o Sport que dominou as ações no segundo tempo – disse, antes de finalizar a coletiva.

O técnico considerou o resultado injusto. Ressaltou que seu time jogou em igualdade de condições com o Grêmio desde o primeiro tempo. Mais: foi melhor do que a equipe de Celso Roth no segundo tempo, e merecia pelo menos o empate.

– Criamos quatro situações claras de gol. Empurramos o Grêmio e mostramos que não temos medo de ninguém”, afirmou Leão. – O segundo tempo será na Ilha e tenho certeza de que será um bom jogo.

A verdade é que Ronaldinho preocupou Leão desde o primeiro minuto de jogo. Isso pôde ser percebido quando o técnico, logo aos seis minutos, mandou o zagueiro Erlon grudar no atacante. Mais: ao ver que Ronaldinho estava obtendo vantagem sobre seu marcador, pediu para o volante Sidney recuar um pouco mais para acompanhar a movimentação do craque. Pouco adiantou. Ronaldinho outra vez definiu o jogo. Azar de Leão, alegria do torcedor no Olímpico.” (Sérgio Villar, Zero Hora, 1º de dezembro de 2000)

“TORCIDA CRITICA APATIA, DIREÇÃO ELOGIA VITÓRIA
Dirigentes e torcida do Grêmio fizeram uma análise distinta da vitória por 2 a 1 sobre o Sport, na noite de quinta-feira, no Olímpico. Enquanto torcedores criticaram a apatia da equipe no segundo tempo, o vice de futebol, Antônio Vicente Martins, valorizou o resultado, que deixa o time a apenas um empate das semifinais.

– O importante é ganhar. Jogamos com raça e fizemos a lição de casa” avaliou Vicente.

Zinho e Polga entraram em contradição na análise da atuação do Grêmio no segundo tempo. Enquanto o capitão da equipe atribuiu as dificuldades ao crescimento do adversário, Polga foi enfático:

– Paramos na partida e tomamos gol em bola parada, o que não pode acontece – reclamou.

Zinho admitiu que o gol do Sport provocou uma queda de rendimento. Mesmo assim, considera que a vantagem adquirida poderá desequilibrar na hora da decisão.

– É importante lembrar que vamos começar o jogo classificados. Teremos que ter personalidade para segurar o resultado – afirmou.

Os problemas da equipe também foram notados pelo presidente José Alberto Guerreiro. Ele considerou que, no segundo tempo, faltou maior proteção na frente da zaga. E disse esperar que esse defeito seja corrigido pelo técnico Celso Roth, domingo, em Recife.

Guerreiro perdeu a paciência diante da afirmativa de que o Grêmio é dependente de Ronaldinho.

– Isso é uma grande bobagem. Só não depende de Ronaldinho quem não conta com um jogador como ele – afirmou.

Autor do único gol do Sport, o atacante Taílson recordou que, em 1998, atuando pelo Brasil de Pelotas, contribuiu para tirar o Grêmio da decisão do campeonato gaúcho” (Zero Hora, 1º de dezembro de 2000)

https://i.imgur.com/sjYFinD.jpg

“WARLEY E MARINHO BUSCAM RECUPERAÇÃO
Atacante vive má fase e zagueiro falhou no gol

Warley tornou o jogo em Recife, contra o Sport, muito mais dramático para o Grêmio.

Quinta-feira, aos 30min do segundo tempo, quando recebeu um dos tantos passes milimétricos com que Ronaldinho costuma brindar os companheiros, o atacante trazido da Udinese fez o que ninguém esperava. Chutou alto, longe da meta, tendo apenas o goleiro pela frente.

– Foi excesso de confiança – desculpou-se Warley, ontem.

O único consolo foi ter deixado o gramado sob aplausos dos torcedores, uma forma de reconhecimento por seu esforço.

Sem marcar desde 11 de novembro, quando o Grêmio goleou o Atlético-PR por 3 a 0 no Olímpico, pela fase classificatória, Warley admite que vive má fase. Mas procura manter a calma, dizendo que tornará a situação mais difícil se ficar afobado.

– Os gols terão que voltar naturalmente – diz o atacante, que já marcou sete vezes na Copa João Havelange.

O zagueiro Marinho admitiu ter falhado no gol de Taílson. Ontem, antes do embarque para Recife, ele ainda comentava a forte discussão que teve com o volante Gavião logo após o Sport ter descontado.

– O Gavião pediu que eu marcasse mais de perto. Na hora, retruquei. Mas, agora, sei que ele estava certo – disse Marinho.

Patrício garante não estar abalado com as críticas que vem recebendo. A constante mudança de posição pode ser a principal causa do rendimento insatisfatório, acredita o jogador.

Domingo, por exemplo, ele deverá ser improvisado novamente no lado esquerdo, diante do retorno de Anderson ao time, recuperado de lesão no tornozelo direito.

– Como a tradição do Grêmio sempre foi a de ter grandes laterais, a torcida torna-se exigente – afirma.

De volta à reserva, Sandro Neves, outro lateral contestado, acha que só ganhará confiança, inclusive para chutar a gol, como na época do Caxias, com a seqüência de partidas.” (Luis Henrique Benfica, Zero Hora, sábado, 2 de dezembro de 2000)

https://64.media.tumblr.com/bd4743a7fd2fec6171961f7f470b7633/f1c93eaade559cc2-c6/s1280x1920/872b1ff7c3126307b421c85f49ddeea66c172f2f.jpg

Foto: Mauro Vieira (Zero Hora)

https://i.imgur.com/YcY5xWY.png

GRÊMIO: Danrlei, Patrício, Marinho, Nenê e Sandro Neves; Polga, Gavião (Eduardo Costa), Itaqui e Zinho; Ronaldinho e Warley (Rodrigo Mendes)
Técnico: Celso Roth

SPORT: Bosco: Saulo, Érlon, Sandro Blum e Dutra; Leomar. Sidney, Raníelli (Adriano) e Almir (Marquinhos); Leonardo e Tailson
Técnico: Emerson Leão

Data: 30 de novembro de 2000, quinta-feira, 21h40min
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre, RS
Público: 40.183 ( 34.656 pagantes)
Renda: R$ 230.114,00
Árbitro: Márcio Rezende de Freitas (FIFA-MG),
Auxiliares: Marco Antônio Mastins (MG) e Helbert Costa Andrade (MG)
Cartões amarelos: Tailson, Érlon. Sandro Blum e Ronaldinho.
Gols: Ronaldinho aos 41 e 45 minutos do primeiro tempo. Tailson, aos 17 minuto do segundo tempo.

Advertisement

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.


%d bloggers like this: