Author Archive

Brasileirão 1981 – 2ª Fase – 1ª Rodada – São Paulo 3×0 Grêmio

March 8, 2021

Foto: Adolfo Alves (Zero Hora)

Há exatos 40 anos o Grêmio fazia o seu primeiro jogo pela segunda fase do Brasileirão de 1981 (a décima partida da campanha). E iniciava mal, com um dura derrota por 3×0 para o São Paulo no Morumbi.

O tricolor paulista estava vivendo um grande momento. Três dias antes a equipe havia vencido o Cosmos num amistoso em São Paulo. E 7 dos seus atletas haviam sido convocados para a Seleção Brasileira que jogaria pelas eliminatórias para a Copa de 1982.

Por outro lado, o Grêmio passava por uma certa “turbulência”. O preparador físico Eroíno Machado pediu demissão após fazer críticas públicas sobre a conveniência da viagem do Grêmio para um torneio amistoso no Uruguai. Julio Espinosa foi contratado para o seu lugar.

Comparando essa derrota com outros revezes de temporadas anteriores, Tarciso vaticinou: “este ano estou convencido de que a escrita vai mudar. Este ano a paulada foi cedo, logo no primeiro jogo.”

 

Foto: Adolfo Alves (Zero Hora)

GRÊMIO PERDEU PARA UM FUTEBOL SUPERIOR

Um time cheio de lances ensaiados, com um ataque forte e inspirado, o São Paulo foi irresistível para, o Grêmio que tinha esperanças no jogo

 

Bem que o Grêmio tentou surpreender o São Paulo, com Ênio Andrade tendo mandado Tarciso explorar os espaços surgido: na defesa adversária com os avanços de Marinho. Mas o São Paulo ganhou a partida no Morumbi, por 3 a 0, e até poderia ter marcado mais gols, devido ao seu futebol sempre ofensivo, ou a criatividade de seus jogadores, especialmente Zé Sérgio. Nem o campo molhado (choveu muito antes da partida) ajudou o Grêmio no sentido de ficar livre das investidas de seu adversário.

 

E o São Paulo deixou claro logo no Início que iria atacar quando Éverton deu um chute muito forte para Leão defender, e quando Marinho, quatro minutos após, fez o mesmo. A torcida delirava, e China, o esforçado centromédio do Grêmio, levou cartão amarelo por jogo violento. Nem foi criticado por seus companheiros, pois esta era mesmo a única forma de parar o ataque adversário.

 

O São Paulo mostrava um time cheio de lances ensaiados, e com jogadores habilidosos, Paulo César, tabelando com Getúlio, deixou o lateral livre para iniciar o lance do seu primeiro gol. Serginho marcou, e Leão apenas colocou a mão na cabeça, desolado, ouvindo o torcida adversária gritar.

 

Zé Sérgio também fazia seu carnaval no lado esquerdo, mesmo cercado por Uchoa e De León. Serginho era uma presença constante na área, Paulo César ameaçava, e o Grêmio resistia. Até com certa bravura, pois ainda ia à frente: Tarciso era seu melhor jogador, e a defesa do São Paulo mostrava defeitos no jogo pelo alto, notadamente depois que Dario Pereira deixou o campo, lesionado. O Grêmio perdeu boas chances para empatar os 27 e 40 minutos, quando Tarciso (seu melhor jogador) criou lances para os companheiros.

 

Azar do Grêmio. Depois, o São Paulo voltou a dominar, e Serginho perdeu três boas oportunidades para ampliar a vantagem de seu time. Ele concluiu lances iniciados por Zé Sérgio (sempre ele), Éverton, e no último, aos 45 minutos, ficou livre à frente de Leão para chutar desviado.

 

PASSEIO NO SEGUNDO TEMPO

 

O Grêmio voltou para o segundo tempo pensando em empatar, e sua pequena torcida no Morumbi agitou-se quando Tarciso ficou livre à frente de Valdir Perez, aos seis minutos. Mas o goleiro defendeu e mais do que isso, ali o Grêmio terminou. Vicente deixou sua vaga para Casemiro, lesionado e pessoalmente escapou do pior.

 

É que o São Paulo começou a atacar novamente, e agora com mais força, com seus jogadores mais entrosados e rendendo melhor. Zé Sérgio iniciou um verdadeiro carnaval no lado esquerdo, sempre bem assessorado por Marinho, agora mais livre para apoiar, depois que Tarciso passou a ser esquecido por seus companheiros. Os outros gols eram só uma questão de tempo.

 

Serginho marcou o segundo aos 15 minutos, num lance de Zé Sérgio, que terminou com o cruzamento de Marinho. Paulo César desperdiçou outras duas boas oportunidades e a torcida fazia festa. O campo ¡á estava em bom estado, e o São Paulo passeava em campo.

 

Zé Sergio aprontou de novo, aos 35 minutos, e o Grêmio levou o terceiro. Aí, os jogadores do São Paulo mostravam todas as suas qualidades individuais, e evitavam os lances mais bruscos, já pensando na Seleção Brasileira.

 

O resumo de tudo? Ganhou o melhor. E o Grêmio, que fez o que pôde, nem teve ânimo para reclamar um pênalti a seu favor: um lance na hora em que o São Paulo ganhava por 2 a 0, quando Éverton empurrou Renato Sá sem que Wright tivesse se apercebido disso.

 

O PLACAR

Serginho para o São Paulo, 1 a 0 aos 15 minutos do primeiro tempo — Paulo César tabelou com Getúlio, e o lateral cruzou forte para a área. Os zagueiros do Grêmio não cortaram e Serginho ficou livre à frente de Leão, para chutar no canto direito.

 

Serginho para o São Paulo, 2 a 0, aos 15 minutos do segundo tempo — Zé Sérgio lançou Marinho, este fez o cruzamento alto para a área do Grêmio e Serginho, sempre bem colocado, e sem marcação, acertou o canto direito de Leão.

 

Serginho para o São Paulo, 3 a 0, aos 35 minutos do segundo tempo — Uma repetição do segundo gol: Zé Sérgio deu a bola para Marinho que cruzou para a área. Serginho, outra vez livre, deu um leve toque para o canto direito.” (José Evaristo Villalobos Neto, Zero Hora, segunda-feira, 09 de março de 1981)

 

Foto: Adolfo Alves (Zero Hora)

 

 

Foto: Adolfo Alves (Zero Hora)

 

“— Este jogo da próxima quinta-feira aqui, contra o Fortaleza é chave para as nossas pretensões. Se vencermos bem, iremos para o outro jogo em Limeira com moral, embalados e aí tenho certeza de que a situação muda.

 

Com a experiência de tantos anos de Grêmio e de situações semelhantes a esta, atual, o ponteiro Tarciso definiu ontem o pensamento de seus companheiros para a próxima partida, depois da derrota para o São Paulo (Grêmio perdeu antes para Brasília e Operário). O jogo contra o Fortaleza — colocado em segundo lugar no grupo ao lado do Inter de Limeira — é decisivo para a classificação do time à etapa seguinte. Tarciso disse isto a exemplo de outros jogadores, lembrando-se de derrotas anteriores nesta mesma fase, como contra a XV de Piracicaba, em 1979 ou contra o Corintians, em 1980.

 

— E muito difícil de explicar estas derrotas que todo ano nos acontecem — disse ele. Sei que ninguém acredita mais nas desculpas e são tantos os aspectos. Mas este ano estou convencido de que a escrita vai mudar. Este ano a paulada foi cedo, logo no primeiro jogo. Eu até não acredito ainda. No primeiro tempo do jogo em São Paulo até falei para o Isidoro que nós iríamos empatar.” (Zero Hora, terça-feira, 10 de março de 1981)

 

 

“FÁCIL PARA A “SELEÇÃO” DO MORUMBI

 A “seleção brasileira do Morumbi”, ou seja, o time do São Paulo, deu ontem à tarde mais uma boa demonstração do seu poderio técnico, impondo-se com categoria ao Grémio, pela contagem de 3 a 0. Um resultado que não deixa qualquer dúvida sobre a superioridade são-paulina, que assim larga com uma importante vitória nesta nova fase da Taça de Ouro do Campeonato Brasileiro de Futebol. Apesar do estado do gramado, principalmente no primeiro tempo, em virtude das chuvas, o time do São Paulo esteve bem, o do Grémio teve alguns bons momentos, mas não fez o suficiente para impedir o triunfo são-paulino. Não seria nenhum exagero se o São Paulo tivesse marcado pelo menos mais um gol, pois para tanto criou um bom número de oportunidades.

Serginho foi o grande artilheiro da partida, marcando os três gols, todos com jogadas iniciadas pelas pontas, setores que sem dúvida foram o ponto alto da equipe paulista, Pela direita, os gaúchos também tiveram bons momentos, com Tarciso e Paulo Isidoro, mas não conseguiram o mesmo êxito, pois não chegaram ao gol.

Com apenas 5 minutos de jogo, o São Paulo já tinha experimentado o goleiro Leão por duas vezes, com chutes de Everton e de Marinho, este último cobrando falta. Nas duas oportunidades, Leão apareceu bem, defendendo sem maiores preocupações. Até a marcação do primeiro gol o São Paulo apareceu melhor e conseguiu o que queda aos 15 minutos, vencendo pela primeira vez a meta de Leão. A jogada começou pelo setor direito, com Getúlio e Paulo César. O cruzamento foi do lateral, passando a bola rasteira pela defesa e encontrando Serginho livre para entrar sem qualquer’ problema para a conclusão. Um gol que ao contrário do que se poderia Imaginar, não abalou o time do Grémio, que passou a forçar, aparecendo um pouco melhor. Porém, é preciso frisar que o Silo Paulo, depois do gol, preferiu ficar um pouco mais cauteloso, não indo à frente com o mesmo empenho.

Nesta reação, o Grêmio teve algumas boas jogadas, com Valdir Peres defendendo bolas chutadas por Paulo Isidoro e Baltazar. Aos 30 minutos, uma presença perigosa dos gaúchos na área do São Paulo e foi só até o final do primeiro tempo. O tricolor, por sua vez, teve duas excelentes oportunidades no minuto final: Na primeira, Zé Sérgio preparou tudo na medida para Everton, que chutou por cirna; na segunda, Serginho avançou a livre, preferiu chutar antes do tempo e a bola acabou saindo pela esquerda, com Leão tirando o ângulo do atacante.

Se no primeiro tempo o São Paulo explorou bem o seu setor direito, no segundo preferiu: o esquerdo, de onde saíram os dois gols que consolidaram a vitória. Na fase final, o. Grêmio ficou um tanto quanto desanimado depois de ter sofrido o segundo gol. A equipe perdeu praticamente a disposição que vinha apresentando e pouco realizou de prático. Logo de saída, Everton chutou rasteiro de longe, com Leão pegando fácil. Aos 6 minutos, o Grêmio poderia ter chegado ao empate, se a tentativa de Tarciso tivesse dado certo. Livre, ele tentou encobrir Valdir Perez mas não conseguiu, defendendo o goleiro: Aos 16 minutos surgiu o gol que acabaria com o time gaúcho, um gol que foi praticamente unia repetição do primeiro. Everton desceu pela esquerda e aproveitando a descida de Marinho Chagas, deu um ótimo passe na frente. O lateral cruzou na medida e novamente a entrada oportuna de Serginho para concluir com facilidade.

Aos 20 minutos o árbitro José Roberto Wright tirou do Grêmio aquela que poderia ser a sua chance para diminuir a diferença. É que ele deixou de marcar um pênalti de Everton em Paulo Isidoro. O jogador gaúcho foi empurrado dentro da área. Digno de registro, este foi o único lance importante do Grêmio até o final da partida: Não fez nada por merecer melhor sorte no placar e a presença dó São Paulo foi marcante, comandando o jogo sem qualquer tipo de problema. Esta superioridade resultou na marcação do terceiro gol, aos 35 Minutos.  Pela esquerda, a troca de passes entre Zé Sérgio e Marinho Chagas e o cruzamento deste último pata o arremate de Serginho. Leão ainda chegou a tocar na bola. Alguns minutos antes, o São Paulo já poderia ter marcado, quando Zé Sérgio, depois de passar por Uchoa e De Léon, cruzou para Paulo César, livre de frente para o gol: A cabeçada do ponteiro não foi certeira e a bola passou por cima.

O São Paulo, com 3 a 0, deixou o tempo passar, não forçou muito, o Grêmio conformado com o seu destino e assim a partida chegou ao seu final com uma última tentativa sendo) feita por Marinho Chagas: chutou de fora dá área o Leão desviou para escanteio.”  (AroldoChiorino, Folha de São Paulo, 9 de março de 1981)

 

 

Placar: Um jogo maravilhoso. O São Paulo foi massacrante e o Grêmio conseguiu ser grande para evitar uma goleada maior.

 

DERROTA CONTUNDENTE DO GRÊMIO E UMA VITÓRIA MUITO DIFÍCIL DO INTER
 
A dupla Gre-Nal não agradou na abertura da segunda fase da Taça de Ouro. Enquanto o Grêmio caiu feio no Morumbi, o Internacional, no Beira-Rio, passava apertado pelo modesto Goiás. Apesar do escore, uma importante vantagem colorada na nova etapa da competição.
 
No Morumbi, o São Paulo não teve dificuldades para fazer um dilatado três a zero no bicampeão gaúcho. Pior ainda: O representante do Olímpico demonstrou um péssimo condicionamento físico, parando em campo.
 
[…]
 
A derrota gremista em São Paulo e a vitória colorada aqui fizeram um registro que preocupa. Ao Inter, a necessidade de aprimorar suas jogadas ofensivas; ao Grêmio mais na força na defesa e um melhor preparo físico, para proporcionar maior movimentação em campo.” (Correio do Povo, terça-feira, 10 de março de 1981)

 

ÊNIO RECONHECE QUE TIME ERROU MAS TAMBÉM REALÇA QUALIDADES DO ADVERSÁRIO
 
[…]
 
OS ERROS 
 
Ênio Andrade admite que a equipe ainda apresentou muitos erros no jogo do Morumbi. mas reconhece a qualidade da equipe do São Paulo. Para o treinador o seu time ainda foi prejudicado pela lesão sofrida por Vicente, que o obrigou. a deslocar Dirceu para a área, colocando Casemiro na lateral. Dirceu não está acostumado a jogar naquela posição e por isso também encontrou dificuldades de entrosamento com Hugo De León. 
 
O treinador,. porem, ficou satisfeito com o rendimento do time e com o bom número de situações de ataque criadas mas desaproveitadas. ” (Correio do Povo, terça-feira, 10 de março de 1981)

São Paulo 3 x 0 Grêmio

 
SÃO PAULO: Valdir Peres, Getúlio, Oscar, Dario Pereyra (Gassém, 27 do 1º) e Marinho Chagas; Almir, Renato (Assis 37 do 2º) e Éverton; Paulo Cesar, Serginho e Zé Sérgio.
Técnico: Carlos Alberto Silva
 
GRÊMIO: Leão; Uchoa, Vicente (Casemiro), De León e Dirceu; China, Renato Sá e Paulo Isidoro; Tarciso, Baltazar e Odair (Heber)
Técnico: Ênio Andrade
 
Brasileiro 1981 – 2ª fase – 1ª Rodada
Data: 08 de março de 1981, domingo, 16h00min
Local: Morumbi, em São Paulo
Público: 34.301 pagantes
Renda: Cr$ 6.179.550,00
Juiz: José Roberto Wright (RJ)
Auxiliares: Rubem de Souza e Amauri Ponciano
Cartões Amarelos: China, Éverton, Marinho Chagas, Renato Sá e Uchoa
Gols: Serginho aos 16 do 1º, 15 e 35 do 2º.

Copa do Brasil 2020 – Palmeiras 2×0 Grêmio

March 8, 2021

Eu não lembro de nenhuma outra final que o Grêmio tenha jogado tão mal. O Palmeiras precisou fazer muito pouco para ganhar os dois jogos.

Fotos: Cesar Greco (Palmeiras)

Palmeiras 2×0 Grêmio

PALMEIRAS: Weverton; Marcos Rocha, Gustavo Gómez, Alan Empereur e Matías Viña; Felipe Melo e Zé Rafael (Patrick de Paula, 17’/2ºT); Rony, Raphael Veiga (Mayke, 29’2ºT) e Wesley (Gabriel Menino, 29’2ºT); Luiz Adriano (Willian, 29’2ºT).
Técnico: Abel Ferreira

GRÊMIO: Paulo Victor; Vanderson (Victor Ferraz, 32’/2ºT), Paulo Miranda, Kannemann (Churín, 32’/2ºT) e Diogo Barbosa; Matheus Henrique e Maicon; Thaciano (Jean Pyerre, 23’/2ºT), Alisson (Guilherme Azevedo, 14’/2ºT) e Pepê (Ferreira, 14’/2ºT); Diego Souza
Técnico: Renato Portaluppi

Copa do Brasil 2020 – Final – Jogo de volta
Data: 7 de março de 2021, domingo, 18h00min
Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Árbitro: Bruno Arleu de Araujo
Assistentes: Kleber Lucio Gil e Bruno Raphael Pires
VAR: Igor Junio Benevenuto de Oliveira
Cartões amarelos: Zé Rafael e Mayke. Paulo Miranda e Kannemann
Gols: Wesley, aos sete, Gabriel Menino, aos 39 minutos do segundo tempo

Confrontos entre Palmeiras e Grêmio pela Copa do Brasil em São Paulo

March 7, 2021

Foto: Zero Hora

Abaixo links para todos os posts com com confrontos, disputados em São Paulo, entre Palmeiras e Grêmio pela Copa do Brasil:

Copa do Brasil 1993 – Palmeiras 1×1 Grêmio – Público: 12.654 pagantes
Copa do Brasil 1995 – Palmeiras 2×2 Grêmio – Público: 12.473 pagantes
Copa do Brasil 1996 – Palmeiras 3×1 Grêmio – Público: 29.747 pagantes
Copa do Brasil 2012 – Palmeiras 1×1 Grêmio – Público: 26.255 pagantes
Copa do Brasil 2016 – Palmeiras 1×1 Grêmio – Público: 29.991 pagantes

 

Foto: Zero Hora

Foto: Orlando Kissner

Gauchão 2021 – Grêmio 4×1 Brasil de Pelotas

March 5, 2021

Fotos: Lucas Uebel (Grêmio FBPA)

 

Eu acho que o futebol profissional está longe de ser uma das atividades mais perigosas de serem realizadas durante a pandemia. Mas começar um campeonato agora parece deboche. Ainda mais como consideramos a falta de bom senso dos envolvidos. O campeonato só foi reduziu 2 datas em relação ao ano anterior (17 para 15). Nessa semana a dupla Gre-Nal jogou três vezes. As três partidas só foram transmitidas por pay-per-view (o que prejudica a tese de que o futebol “ajuda o torcedor a ficar em casa“)

Fotos: Lucas Bubols (Globo Esporte)

Foto: Jonathan Silva (GE Brasil)

Grêmio 4×1 Brasil de Pelotas

GRÊMIO: Paulo Victor; Vanderson (Ruan, 25’/2ºT), David Braz, Rodrigues e Cortez; Lucas Silva (Lucas Araújo,  37’/2ºT), Thaciano (Pedro Lucas, 25’/2ºT); Guilherme Azevedo, Pinares (Darlan, 34’/2ºT) Ferreira; Isaque (Ricardinho, 25’/2ºT)
Técnico: Renato Portaluppi

BRASIL-PEL: Matheus Nogueira; André Krobel, Ícaro, Heverton, Igor Miranda; Everton Dias; Matheuzinho (Cristian, 34’/2ºT), Bruno Matias, Douglas Araújo (Gabriel Terra, 19’/2ºT), Jarro (Léo Ferraz, 44’/2ºT); Bruno Paraíba (Netto, 19’/2ºT)
Técnico: Cláudio Tencati

Gauchão 2021 – Primeira Fase – 2ª Rodada
Data: 3 de março de 2021, quarta-feira, 20h00min
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre, RS
Árbitro: Roger Goulart
Assistentes: André da Silva Bitencourt e Maíra Mastella Moreira
Cartões amarelos: Héverton, Igor Miranda, Thaciano, David Braz
Cartão vermelho: Ferreira (31 do 2ºT)
Gols: Lucas Silva (de pênalti), aos 14 minutos, Ferreira, aos 18 e Guilherme Azevedo, aos 27 minutos do 1º tempo; André Krobel, aos 2 minutos e Isaque, aos 8 minutos do 2º tempo.

Copa do Brasil 2020 – Grêmio 0x1 Palmeiras

March 5, 2021

 

A sensação é que, por enquanto, o Grêmio se escapou de um resultado muito pior.

Cabe a pergunta: Algum dos titulares teve uma boa atuação?

Nesse cenário o 1×0 contra ficou barato.

Fotos: Lucas Uebel (Grêmio FBPA)

Grêmio 0x1 Palmeiras

GRÊMIO: Paulo Victor; Victor Ferraz (Diego Churín,  26’/2ºT), Paulo Miranda (Thaciano, 36’/2ºT), Kannemann e Diogo Barbosa; Matheus Henrique, Maicon (Ferreira, 26’/2ºT); Alisson (Vanderson, 36’/2ºT), Jean Pyerre ( Isaque, 36’/2ºT) e Pepê; Diego Souza
Técnico: Renato Portaluppi

PALMEIRAS: Weverton; Marcos Rocha, Luan, Gustavo Gómez e Matías Viña; Felipe Melo, Zé Rafael (Danilo, 33’/2ºT), Raphael Veiga (Gabriel Menino, 21’/2ºT); Rony (Maike, 33’/2ºT), Wesley (Alan, 21’/2ºT); Luiz Adriano (Gabriel Veron, 27’/2ºT).
Técnico: Abel Ferreira

Copa do Brasil 2020 – Final – Jogo de ida
Data: 28 de fevereiro, domingo, 21h00min
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre – RS
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)
Assistentes: Rodrigo Figueiredo Henrique Correa (FIFA-RJ) e Alessandro Alvaro Rocha de Matos (FIFA-RJ)
VAR: Rodrigo Nunes de Sá (RJ)
Cartões amarelos: Diogo Barbosa, Kannemann e Vanderson; Zé Rafael, Willian
Cartão vermelho: Luan (PAL)
Gol: Gustavo Gomez , aos 31 minutos do 1º tempo

Confrontos entre Grêmio e Palmeiras pela Copa do Brasil em Porto Alegre

February 28, 2021

Eu gostaria muito de ter pesquisado sobre os confrontos entre Grêmio e Palmeiras pela Taça Brasil. Infelizmente isso não foi possível. Mas acho que cabe deixar o link para todos os posts com os jogos em Porto Alegre pela Copa do Brasil

 

Copa do Brasil 1993 – Grêmio 1×1 Palmeiras – 19.122 (16.348 pagantes)

Copa do Brasil 1995 – Grêmio 1×1 Palmeiras – 17.122 (12.533 pagantes)

Copa do Brasil 1996 – Grêmio 2×1 Palmeiras – 48.266 (36.808 pagantes)

Copa do Brasil 2012 – Grêmio 0x2 Palmeiras – 45.535 (43.508 pagantes)

Copa do Brasil 2016 – Grêmio 2×1 Palmeiras – 26.589 (24.471 pagantes)

 

Brasileirão 2020 – Bragantino 1×0 Grêmio

February 26, 2021

Fotos: Lucas Uebel (Grêmio.net)

Essa escalação usada em Bragança Paulista deixou claro que Ferreirinha não será titular na final da Copa do Brasil. Mas o desempenho e, especialmente, a iniciativa dele em campo ontem serviram para demonstrar que ele pode e deve ser considerado como uma das primeiras opções para ingressar no decorrer do jogo.

Sigo achando que, em situações como a de ontem, o Grêmio deveria usar ao menos uma peça azul no fardamento.

FotosAri Ferreira (Red Bull Bragantino)

Bragantino 1×0 Grêmio

BRAGANTINO: Cleiton; Aderlan, Fabrício Bruno, Ligger e Edimar; Raul, Evangelista (Leandrinho, 43’/2ºT); Artur (Ryller, 43’/2ºT), Claudinho e Vitinho (Cuello, , 37’/2ºT); Ytalo (Hurtado, 37’/2ºT)
Técnico: Maurício Barbieri

GRÊMIO: Julio César; Vanderson, Ruan, Rodrigues e Cortez; Darlan (Isaque, 16’/2ºT), Thaciano; Everton (Guilherme Azevedo, 24’/2ºT), Pinares e Ferreira; Diego Churin
Técnico: Alexandre Mendes

38ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2020
Data: 25 de fevereiro de 2021, quinta-feira, 21h30min
Local: Estádio Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista – SP
Árbitro: Ramon Abatti Abel
Auxiliares: Kleber Lucio Gil e Thiaggo Americano Labes
VAR: Gilberto Castro Júnior
Cartões amarelos: Edimar, Lucas Evangelista e Fabrício Bruno (BGT)
Gol: Claudinho, aos 7 minutos do 2º tempo

Brasileirão 2020 – Grêmio 1×0 Athlético Paranaense

February 22, 2021

O Grêmio voltou a vencer na Arena, depois de quatro jogos sem resultado positivo em casa. O Grêmio voltou a usar a camisa celeste depois de mais de três meses da sua estreia (nesse meio tempo bem que a Umbro poderia ter “acertado” o tom da meia). Mas tudo isso só pode ser visto, aqui no Brasil, por um link pirata na internet)

 

Fotos: Lucas Uebel  (Grêmio FBPA) e Lucas Bubols (Globo Esporte)

Grêmio 1×0 Athlético Paranaense

GRÊMIO: Paulo Victor; Victor Ferraz, Paulo Miranda, Kannemann e Diogo Barbosa; Lucas Silva (David Braz, 37’/2ºT), Darlan (Thaciano, intervalo); Everton (Ferreira, intervalo), Isaque (Jean Pyerre, intervalo) e Pepê; Diego Souza (Churín, 29’/2ºT)
Técnico: Renato Portalupppi

ATHLETICO-PR: Santos; Jonathan (Khellven, 37’/2ºT), Pedro Henrique, Thiago Heleno e Abner; Richard, Christian, Léo Cittadini (Bissoli, 37’/2ºT); Jadson (Renato Kayzer, 23’/2ºT), Nikão e Carlos Eduardo (Vitinho, 23’/2ºT)
Técnico: Antônio Oliveira (interino)

37ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2020
Data: 21 de fevereiro, domingo, 18h15min
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS)
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (MG)
Assistentes: Guilherme Dias Camilo (MG) e Celso Luiz da Silva (MG)
VAR: Igor Junio Benevenuto de Oliveira (MG)
Cartões amarelos: Darlan, Ferreira e Lucas Silva; Nikão (Athletico-PR)
Cartões vermelhos: Thiago Heleno e Richard (Athletic
Gol: Thaciano, aos 31 minutos do 2º tempo

Brasileirão 1981 – Operário 2×1 Grêmio

February 21, 2021

Há exatos 40 anos o Grêmio fazia a sua última partida pela primeira fase do Brasileirão de 1981. A derrota para o Operário deixou o Grêmio na quarta posição do Grupo B (7 dos 10 times de cada grupo avançavam a segunda fase)

Nas quatro partidas que fez em casa nessa etapa, o Grêmio teve média de 16.658 pagantes por jogo.

 

“GRÊMIO ESCAPA DE GOLEADA EM CAMPO GRANDE

Sem a recepção da torcida, o Grêmio retornou a Porto Alegre ontem, depois de perder para o Operário por 2 a 1, no sábado, em Campo Grande. Com um primeiro tempo equilibrado, o time da casa conseguiu se destacar no segundo tempo, quando Pastoril e Cleber marcaram para o Operário. De pé esquerdo, Odair descontou, aos 39 minutos.

(2) Operário: Neneca; Loti (Da Silva), Ramiro, Paulo Marcos e Escurinho; Garcia, Pastoril e Arturzinho; Baianinho, Lima e Cleber (Serginho).Técnico: Castilho

(1) Grêmio: Leão; Uchoa, De León, Vicente e Dirceu; China (Heber), Paulo Isidoro e Renato Sá (Tadei); Tarciso, Baltazar e Odair. Técnico: Ênio Andrade

O texto acima foi publicado na edição de segunda-feira, 23 de fevereiro de 1981.” (Zero Hora / Seção “Há 30 anos em ZH” em 23 de fevereiro de 2011) Fonte: gremionobrasileiro1981.tumblr.com

CLASSIFICAÇÃO PG J V E D GP GC SG

   Portuguesa (SP)

14 9 6 2 1 13 7  6

   Operário (MS)

11 9 5 1 3 11 8  3

   Goiás (GO)

11 9 4 3 2 10 6  4

   Grêmio (RS)

10 9 4 2 3 11 9  2

   Corinthians (SP)

10 9 4 2 3 10 8  2

   Galícia (BA)

9 9 4 1 4 10 10  0

   Botafogo (RJ)

9 9 4 1 4 15 12  3

   Pinheiros (PR)

8 9 1 6 2 9 11 -2

   Brasília (DF)

6 9 2 2 5 10 15 -5

  10º Desportiva (ES)

2 9 0 2 7 4 17 -13

 

 

OPINIÃO: O Operário dominou o meio-campo e teve chance de ampliar a contagem. Bom jogo no 2.º tempo”(Silvio Andrade, Revista Placar, edição n.º 563, 27 de fevereiro de 1981

 

Operário-MS 2 x 1 Grêmio

OPERÁRIO: Neneca; Lóti, Paulo Marcos, Ramiro e Escurinho; Garcia, Pastoril e Arturzinho; Baianinho, Lima e Cléber (Serginho, 30 do 2º)
Técnico: Carlos Castilho

GRÊMIO: Leão; Uchoa, Vicente, De León e Dirceu; China (Éber 33 do 2º), Paulo Isidoro e Renato Sá (Vilson Tadei 25 do 2º); Tarciso, Baltazer e Odair.
Técnico: Ênio Andrade

Brasileirão 1981 – 9ª Rodada – 1ª fase
Data: 21 de fevereiro de 1981,  Sábado
Local: Pedro Pedrossian (Morenão), Campo Grande
Público: 10.428
Renda: Cr$ 1.829.100,00
Juiz: José Assis de Aragão – SP
Cartão Amarelo: Pastoril, China e Garcia
Gols: Lima aos 15, Cléber aos 18 e Odair aos 40 do 2ºtempo

Brasileirão 1974 – Grêmio 2×0 Atlético Paranaense

February 20, 2021

Foto: Correio do Povo

 

É bem curiosa essa escalação do Grêmio contra o Atlético Paranaense no Brasileirão de 1974.  Bolívar (com a camisa 11 na foto acima) atuou como ponta-esquerda, enquanto Everaldo jogou de lateral-direito (posição na qual ele fez sua estreia na Seleção Brasileira, na Copa Rio Branco de 1967)

 

GRÊMIO 2 X 0, AO NATURAL

Com golos de Bolívar e Carlos Alberto, um em cada etapa, e um futebol eficiente no 1.º tempo mas que depois perdeu qualidade, o Grêmio bateu o Atlético do Paraná por 2 x 0, placar que justificou plenamente e até com certa facilidade, já que os paranaenses não tiveram chances ante a tranqüila superioridade do adversário. Com arbitragem de Carlos Costa, renda de Cr$ 74.504 no Olímpico, o Grêmio venceu utilizando Picasso; Everaldo, Ancheta, Beto Fuscão e Tabajara: C. Alberto. H. Ramos e Torino: Carlinhos, Tarciso e Bolívar (Loivo). O Atlético teve Altevir; Cláudio, Almeida, Alfredo e Ladinho: Toquinho, Caio e Sicupira (Taquito), Milton Batata, Liminha (Nilson) e Didi Pedalada.

O JOGO

A equipe gremista iniciou a partida em ritmo forte e eficiente não dando chance alguma para o elenco paranaense, que só foi arrematar contra o reduto defendido por Picasso com 26 minutos de ações (um chute de Caio). Antes disso, mais precisamente até os 30 minutos, quem jogou foi praticamente o Grêmio, que na base de trocas de passes rápidos, envolveu o adversário e passou a procurar a marcação de golos.

Era tão claro o domínio tricolor e a pressão que sofria a defensiva do Atlético, que a inauguração do marcador aos 9 minutos foi acontecimento completamente natural. Tabajara serviu a Tarciso, que penetrou velozmente, houve a tabelada com Bolívar e o chute indefensável do ponteiro-esquerdo, que aparecia com destaque num todo sem pecados, como era o time gremista. Já com apenas 2 min. Bolívar não marcou por centímetros. Explica-se: ele não subiu o suficiente numa cruzada de Carlinhos e perdeu o golo. Mas isso foi apenas um acidente, pois Bolívar depois, marcou em belo estilo e continuou saliente na posição, até que lesionou-se e foi obrigado a sair de campo, entrando Loivo, o titular que ele substituía. Transcorriam 25 minutos de jogo. Ainda com Bolívar em campo. Tarciso acertou o poste de Altevir (12 min) e o próprio Bolívar, quase em seguida, levantou o público com lance sensacional, que merecia outro tento.

Uma pausa na presença ofensiva gremista ocorreu com 15 minutos, quando Sicupira, numa indecisão de Ancheta, chegou a invadir a área com pretensões, mas houve a recuperação do zagueiro e a bola terminou nas mãos de Picasso. Aos 17min, foi a vez de Torino desperdiçar uma boa chance para o arremate fatal e aos 30 o mesmo aconteceu com Loivo, após uma confusão na área paranaense. Humberto Ramos de cabeça, aos 44min, perdeu a última oportunidade de marcar 2×0 no 1.º tempo, o que, certamente, situaria melhor o predomínio gremista.

Mas veio o segundo tempo e logo no minuto inicial o Grêmio fez 2 x 0. Foi uma saída fulminante, que levou Carlinhos a exigir defesa parcial de Altevir, no rebote Tarciso, mesmo caído, carimbou o poste, para finalmente surgir Carlos Alberto e acertar as redes. O mesmo Carlos Alberto, quase em seguida, fez Altevir brilhar.

Entretanto, apesar de tudo — a marcação do 2.º golo no 1.º minuto e o terceiro que pintou nos pés do próprio Carlos Alberto — o Grêmio já não era o mesmo time, caindo muito de ritmo. Só com isso é que o Atlético conseguiu aparecer um pouco mais, sem que isso representasse qualquer predomínio. E aos 20min, Liminha, numa sobra de bola que bateu em Ancheta, teve tudo para marcar e não o fez. O jogo,  o Grêmio perdendo novas mais parelho,  ainda apresentou chances, mesmo caindo de produção, como reconheceu o próprio Sérgio Moacir, no final.” (Correio do Povo, 14 de março de 1974)

 

 

 

 

“GRÊMIO 2×0 ATLÉTICO (PR)

Porto Alegre (Sucursal) O Grêmio repetiu a sua boa atuação da estréia e ganhou facilmente do Atlético Paranaense por 2 a 0, ontem á noite no Estádio Olímpico, numa partida em que teve total domínio, inclusive com duas bolas chutadas por Tarciso na trave. Os gols foram marca- dos por Bolívar, aos nove mimitos do primeiro tempo, e Carlos Alberto, no primeiro minuto do segundo tempo” (Jornal do Brasil, quinta-feira, 14 de março de 1974)

 

Grêmio 2×0 Atlético Paranaense

GRÊMIO: Picasso; Everaldo, Ancheta, Beto Fuscão e Jorge Tabajara: Carlos Alberto, Humberto Ramos e Torino: Carlinhos, Tarciso e Bolívar (Loivo)
Técnico: Sérgio Moacir Torres

ATLÉTICO-PR: Altevir; Cláudio, Almeida, Alfredo e Ladinho: Toquinho, Caio e Sicupira (Taquito), Milton Batata, Liminha (Nilson) e Didi Pedalada
Técnico: Valdemar Carabina

Brasileirão 1974 – 1ª Fase – 2ª Rodada
Data: 13 de março de 1974, quarta-feira, 21h00min
Local: Estádio Olímpico, Porto Alegre, RS
Público: 9.890
Renda: Cr$ 74.724,00
Árbitro: Carlos Costa
Auxiliares: Airton Bernardoni e Carlos Martins
Gol: Bolívar, aos 9 minutos do primeiro tempo e Carlos Alberto, aos 20 segundos do segundo tempo