Author Archive

Médias de Público – Primeiros 200 jogos na Arena X Últimos 200 jogos no Olímpico

September 21, 2018

200 arenameio final

Contra o Paraná, no sábado passado, o Grêmio fez seu jogo de número 200 na Arena. A média de público nesses duzentos jogos foi de 24.598 (22.371 pagantes).

Considerando que a capacidade da Arena, segundo o Cadastro Nacional de Estádios de Futebol da CBF, é 55.662 pessoas, a ocupação média é de 44%. (o que revela uma “capacidade ociosa/potencial de exploração considerável)

Na tabela acima é possível notar que os jogos de meio de semana acabam tendo uma média de público levemente maior do que os jogos do fim de semana. Isso em parte se explica quando dividimos as médias por competição e percebemos que a Copa do Brasil e a Libertadores (jogadas sempre no meio de semana) são os campeonatos que mais levam gente a Arena.

200 ARENA competiçãoz

Abaixo fiz uma divisão dessas duzentas partidas pelas faixas de público. Quase 70% dos jogos tiveram um público inferior a 30 mil pessoas. E só 16% das partidas tiveram públicos maiores de 40 mil espectadores.

200 arena faixas

Fiquei bastante curioso em comparar esses primeiros duzentos jogos da Arena com os últimos 200 jogos do Olímpico (que vai do 4×0 contra o Caxias pelo Gauchão de 2007 até o 1×0 contra o Veranópolis em 2013).

A média de público dos últimos 200 jogos do Grêmio no Olímpico foi de 23.447 (20.187 pagantes).

Francamente, eu esperava que o acréscimo de público da Arena em relação ao Olímpico fosse maior. Esse pequena diferença (um aumento inferior a 5%) não acompanha o crescimento do quadro social no período e não acompanha o aumento da capacidade do estádio (que cresceu mais de 15%).

É possível afirmar que mudança do Olímpico para Arena visava trazer maior conforto e segurança para quem já frequentava o estádio antigo (objetivo que, até certo ponto, foi atingido) ao mesmo tempo que pretendia aumentar a média de público nos jogos do Grêmio como mandante (o que ainda não aconteceu, ao menos não de maneira significativa).

200 olimpico meio final

O Cadastro Nacional de Estádios de Futebol da CBF de 2013 afirmava que a capacidade do Olímpico era 45.000 espectadores. Contudo, nesses últimos 200 jogos foram registrados público superiores a esta marca em 13 ocasiões. Assim, para fins de cálculo ocupação média acho válido considerar a capacidade do Olímpico como 48 mil, o que deixaria a ocupação média de 48%.

200 olimpico competição

No Olímpico, a média dos finais de semana é um pouco maior do que do meio de semana.

O Brasileirão tem uma média de público maior neste período final do Olímpico do que nos jogos da Arena.

200 OLIMPICO faixas

 

Abaixo deixo os gráficos com as comparações lado a lado para facilitar a visualização.

Acho curioso que a média de público dos jogos de Libertadores no Olímpico nesse período seja maior do que a média dos jogos de Libertadores na Arena.

11 dos primeiros 200 jogos na Arena foram Gre-Nais. Média de público desses Gre-Nais é de:
44.354 (41.145 pagantes)

10 dos últimos 200 jogos do Olímpico Arena foram Gre-Nais. Média de público desses Gre-nais é de:
37.073 (33.544 pagantes)

arena olimpico meio fimarena olimpico competiçaoarena olimpico frequencia

Advertisements

Brasileirão 2018 – Grêmio 2×0 Paraná Clube

September 17, 2018

2018 gol parana tomas hammes ge

O time reserva do Grêmio fez, em Porto Alegre, o que o time reserva não conseguiu fazer em Curitiba: Vencer esse fraco time do Paraná. E a vitória veio com certa tranquilidade, apesar dos gols só terem saído no segundo tempo (com Douglas, de pênalti, e o estreante Juninho Capixaba de cabeça).

Ontem o Grêmio jogou com não só um, mas dois símbolos comemorativos dos 115 anos. Achei estranho e desnecessário (a camisa já tem elementos demais).

Douglas converteu 9 dos 15 pênaltis que bateu com a camisa do Grêmio (60% de aproveitamento).

Considerando também as cobranças em disputas de pênaltis o aproveitamento passa para 65% (13 acertos em 20 tentativas).

Nos últimos 12 anos, só ele, Luan (64,7% – 11 em 17) e Tcheco (90% – 18 em 20) fizeram mais de dez cobranças de pênalti pelo Grêmio.

Hoje o Grêmio fez seu jogo de número 200 na Arena.
A média de público nesses duzentos jogos é de 24.598 (22.371 pagantes)

– Média de público do Grêmio na Arena na temporada:
23.960 (21.856 pagantes)

– Média de público do Grêmio no Brasileirão 2018:
22.793 (20.816 pagantes)

Gremio x Parana

Fotos: Tomás Hammes (Globo Esporte) e Lucas Uebel (Grêmio.net)

Grêmio 2×0 Paraná Clube

GRÊMIO: Paulo Victor; Léo Moura, Paulo Miranda, Marcelo Oliveira e Juninho Capixaba; Kaio e Matheus Henrique; Alisson, Douglas (Jean Pyerre, 27’/2º) e Pepê (Everton, 25’/2º); Thonny Anderson (Marinho, 37’/2º)
Técnico: Renato Portaluppi

PARANÁ: Richard; Júnior, Renê Santos, Rayan e Igor; Leandro Vilela, Alex Santana, Torito González (Maicosuel, 11’/2º), Caio Henrique e Nadson (Felipe Augusto, 31’/2°); Rafael Grampola (Ortigoza, 11’/2º)
Técnico: Luciano Gusso (interino)

25ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2018
​Data: 15/09/2018, sábado, 16h00min
Local: Arena do Grêmio, Porto Alegre (RS)
Público: 20.198 (18.440 pagantes)
Renda: R$ 481.246,00
​Árbitro: Igor Benevenuto de Oliveira (CBF-MG)
​Assistentes: Felipe Alan Costa de Oliveira e Ricardo Junio de Souza (ambos CBF-MG).
Cartões amarelos: Marcelo Oliveira (GRE), Igor (PAR)
​Gols: Douglas (de pênalti) aos 8 minutos e Juninho Capixaba aos 17 minutos do segundo tempo

Gre-Nais pelo Brasileirão no Beira-Rio

September 9, 2018
1996 paulo nunes 1

Brasileirão 1996 – Gre-Nal no Beira-Rio – Inter 1×2 Grêmio – Paulo Nunes marca o primeiro gol do jogo de bicicleta – Foto: Zero Hora

Até hoje foram disputados 55 Gre-Nais pelo Campeonato Brasileiro. Nesses 55 clássicos foram 22 vitórias do Grêmio, 15 empates e 18 vitórias do Inter.

Desses 55 Gre-Nais, 5 foram realizados na Arena, 32 no Beira-Rio, 1 no Centenário e 17 no Olímpico. Curiosamente os dez primeiros Gre-Nais pelo Brasileirão foram todos de mando do Inter.

Nos 32 Gre-Nais de Brasileirão realizados no Beira-Rio foram 15 vitórias do Inter, 4 empates e 13 vitórias do Grêmio.

Abaixo público algumas fotos desses clássicos de Brasileirão no Beira-Rio

1973 picasso

Brasileirão 1973 – Inter 1×1 Grêmio Picasso, Ancheta e Claudiomiro
Fonte: Zero Hora

1974

Brasileirão 1976-  Inter 3×1 Grêmio – Zequinha Vs. Chico Fraga
Foto: Zero Hora

1975 fuscao

Brasileirão 1975 –  Inter 1×0 Grêmio – Valdomiro e Paulo Cesar Carpegianni Vs. Picasso, Bolivar e Beto Fuscão
Foto: Zero Hora

1976 Grenal Brasileirao Inter 3x1 Gremio Zequinha Chico Fraga

Brasileirão 1976-  Inter 3×1 Grêmio – Zequinha Vs. Chico Fraga
Foto: Zero Hora

1977

Brasileirão 1977 – Inter 0x4 Grêmio – Estréia do uniforme todo vermelho do Internacional  
 
Foto: Zero Hora

1978

Brasileirão 1978 – Inter 2×3 Grêmio – André Catimba marca o primeiro gol do Grêmio no jogo (deixando o placar em 1×1)
Fonte: Zero Hora

1979

Brasileirão 1979 – Inter 1×0 Grêmio – Manga não chegou na bola chutada por Jair

1985 gol

Brasileirão 1985 – Inter 0x1 Grêmio – Luis Fernando Gaúcho marcou o gol da partida
Foto: J. Doval (Zero Hora)

z

1987

Brasileirão 1987 – Inter 0x1 Grêmio
Foto: Arivaldo Chaves (Zero Hora)

1988.jpg

Brasileirão 1988 – Semifinal – Inter 2×1 Grêmio
Foto: Fernando Gomes (Agência RBS)

1995

Brasileirão 1995 – Inter 0x1 Grêmio – Jardel – Foto: Zero Hora

1996 paulo nunes 2

Brasileirão 1996 – Gre-Nal no Beira-Rio – Inter 1×2 Grêmio – Paulo Nunes marca o primeiro gol do jogo de bicicleta – Foto: Zero Hora

1998 Brasileirao Inter 1x0 Gremio Mauro Vieira ZH

Brasileirão 1998 – Inter 1×0 Grêmio – Christian fez o único gol do jogo
Público: 32.404 (27.616 pagantes)
Renda: R$ 347.100,00
Foto: Mauro Vieira (Zero Hora)

2000

Brasileirão 2000 – Inter 1×2 Grêmio 
Foto: José Ernesto (Correio do Povo)

2002

Brasileirão 2002 – Inter 0x1 Grêmio – Rodrigo Mendes marcou o único gol do jogo
Foto: Roberto Santos (Correio do Povo)

2003

Brasileirão 2003 – Inter 0x1 Grêmio – Christian chuta e marca o único gol do jogo – Foto: Zero Hora

 

2004 Ricardo Chaves GloboEsprote

Brasileirão 2004 – Inter 2×0 Grêmio – Público: 23.525 (20.218 pagantes)

Foto: Ricardo Chaves (Globo Esporte)

2007 lucio

Brasileirão 2007 – Inter 0x2 Grêmio – Gol de Lúcio – Público: 33.478 (30.237 pagantes)

 

Média de Público nos Gre-Nais do Brasileirão (1998-2018)

September 8, 2018

Grenais brasileirão

Fiz um levantamento da média de público dos Gre-Nais válidos pelo Campeonato Brasileiro desde 1998, dividindo por estádio.

Como complemento, vale lembrar que no Beira-Rio pós reforma para a Copa de 2014 foram disputados 3 clássicos, com média de 37.339 (33.211 pagantes)

Brasileirão 2018 – Santos 0x0 Grêmio

September 8, 2018

Gremio x Santossantos 2018 gazeta press djalma vassao

Analisando de forma isolada, esse empate contra o Santos fora de casa não é um mau resultado. Mas é de se pensar se com mais alguns titulares o Grêmio não teria conseguido conquistar os três pontos.

Todo time campeão dos pontos corridos em algum momento teve uma arrancada, uma sequência de vitórias. O Grêmio, até agora, não conseguiu ter uma série de bom resultados no Brasileirão. E cada vez isso parece ser mais improvável.

Essas insistência com o uniforme azul marinho me reforça a sensação de descaso do Grêmio com o Brasileirão.

Foi pênalti de Geromel em Rodrygo. Interessante que o zagueiro tricolor tenha sido questionado sobre o lance. O curioso é que pouco se falou  de outro grave erro da arbitragem na partida, na falta que Daniel Guedes fez aos 16 minutos do segundo tempo, que deveria ter lhe rendido um segundo amarelo.

Gremio x Santos44522537861_7694215dfe_o43804206674_de0413c84f_o29584376727_1260b597b8_oFotos: Ivan Storti (Santos FC), Djalma Vassão (Gazeta Press) e Lucas Uebel (Grêmio.net)

Santos 0x0 Grêmio

SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, Robson Bambu, Gustavo Henrique e Dodô; Alison (Bryan Ruíz, 25’/2ºT), Diego Pituca e Jean Mota (Daniel Guedes, intervalo); Gabriel, Rodrygo e Eduardo Sasha (Derlis González, aos 17’/2ºT)
Técnico: Cuca

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Leonardo Gomes, Pedro Geromel, Bressan e Marcelo Oliveira; Matheus Henrique, Cícero, Ramiro, Thaciano e Alisson; André (Pepê, aos 34’/2ºT)
Técnico: Renato Portaluppi

23ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2018
Data: 06 de setembro de 2018, quinta-feira, 19h00min
Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo-SP
Público: 16.083
Renda: R$ 335.134,00
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (FIFA-GO)
Assistentes: Fabricio Vilarinho da Silva (FIFA-GO) e Eduardo Goncalves da Cruz (MS)
Cartões amarelos: Alison e Daniel Guedes.Marcelo Grohe.

Brasileirão 2018 – Grêmio 4×0 Botafogo

September 1, 2018

Gremio x Botafogo2018 Gremio 4x0 Botafogo Dado Moura Globo Esporte - Copia

Dois vira, quatro ganha. Jael duas vezes no primeiro tempo. Alisson e André no segundo. A vitória do Grêmio  foi tão irrepreensível que a única lamentação a se fazer é retroativa, quando constatamos que o tricolor, caso tivesse jogado com uma equipe um pouco mais reforçada, poderia ter somado pontos sobre esse mesmo Botafogo no Engenhão no primeiro turno.

Contra o Flamengo, diante de Diego Alves, Jael cobrou pênalti com um chute forte, mas de maneira displicente. Hoje Jael se valeu da cavadinha para efetuar uma bem mais diligente.

Eu teria marcado o pênalti pedido por Joel Carli aos 14 minutos do primeiro tempo (Geromel não pulou na bola e empurrou o argentino pelas costas)  e não teria dado o pênalti que André converteu (Joel Carli não praticou um “ato deliberado” de colocar a mão na bola).

Gremio x BotafogoGremio x Botafogo

O Botafogo conseguiu algo bem legal para seu uniforme, que foi colocar o patrocínio principal, da Caixa, em tons de cinza. Mas daí um patrocínio secundário, do Felipe Neto (?!?), fica como único elemento colorido, ganhando destaque exagerado no fardamento.

Por falar em fardamento, não dá pra entender essa insistência do Grêmio em usar essa camisa azul marinho como mandante no Brasileirão.

– Média de público da Arena na temporada:
24.099 (21.983 pagantes)

– Média de público do Grêmio no Brasileirão 2018:
23.010 (21.014 pagantes)

– Média de público dos 10 jogos anteriores em casa contra o Botafogo pelo Brasileirão:
26.472 (23.616 pagantes)

– Média dos 3 jogos anteriores contra o Botafogo pelo Campeonato Brasileiro:
Média de 22.106 (20.222 pagantes)

Gremio x Botafogo2018 gremio 4x0 botafogo lucas uebel (4)Gremio x Botafogo
Fotos: Eduardo Moura (Globo Esporte) e Lucas Uebel (Grêmio.net)

Grêmio 4×0 Botafogo

GRÊMIO: Paulo Victor; Léo Moura, Geromel, Kannemann e Bruno Cortez; Maicon (Alisson, 16’/2ºT), Cícero (Douglas, 32’/2ºT), Ramiro, Luan e Everton; Jael (André, 24’/2ºT)
Técnico: Renato Portaluppi

BOTAFOGO: Saulo; Marcinho, Carli, Yago e Moisés; Jean e Matheus Fernandes (Marcelo, intervalo); Erik, Valencia e Luiz Fernando (Rodrigo Pimpão, 17’/2ºT); Brenner (Aguirre, 29’/2ºT)
Técnico: Zé Ricardo

22ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2018
Data: 1º de setembro de 2018, sábado, 16h00min
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre, RS
Público: 16.589 (14.852 pagantes)
Renda: R$ 538.966,00
​Árbitro: Jailson Macedo Freitas (BA)
Assistentes: Alessandro A. Rocha de Matos (FIFA/BA) e Elicarlos Franco de Oliveira (BA)
Cartões amarelos: Cícero e Cortez (GRE); Carli, Marcelo e Rodrigo Pimpão (BOT)
Gols: Jael (de pênalti), aos 11 minutos e aos 44 minutos do primeiro tempo, Alisson, aos 15 minutos e André (de pênalti), aos 30 minutos do segundo tempo.

Libertadores 2018 – Grêmio 2×1 Estudiantes (Grêmio 5×3 nos pênaltis)

August 29, 2018

gol alisson opta javierFBL-LIBERTADORES-GREMIO-ESTUDIANTES

O golaço de Everton (aproveitando brilhante assistência de Jael) logo aos cinco minutos parecia encaminhar uma classificação tranquila. Mas essa aparente tranquilidade foi embora da Arena três minutos mais tarde, quando Lucas Rodríguez aproveitou uma falha da defesa tricolor para empatar a partida.

A partir daí o jogo, apesar do claro controle gremista (81% de posse de bola), foi de pura tensão. O Estudiantes se entrincheirou nas redondezas da sua área visando segurar o empate e eventualmente especular no contra-ataque. O Grêmio propunha o jogo de maneira  a não ceder esse contra-ataque, mas apesar de insistir bastante, não tinha chances tão claras de marcar o segundo gol.

No segundo tempo a pressão continuou, e o time do Grêmio fugiu um pouco da sua característica, optando por forçar um pouco mais o jogo aéreo (até porque a essa altura já tinha dois centroavantes em campo e de certa forma era isso que o jogo “pedia/permitia”). E foi na bola área, aos 47 minutos do segundo tempo que saiu o gol que levava a decisão para os pênaltis: Alisson tomou a frente da zaga, antes do primeiro pau, desviou de cabeça o cruzamento feito por Luan.

Nos pênaltis, todas as cobranças tricolores foram bem executadas, enquanto Campi chutou por cima do travessão.

gol estudiantes lp - Cópia2018 estudiantes ricardo giusti cp

Geromel, que tem crédito de sobra, falou abertamente sobre seu erro no lance do gol do Estudiantes. De fato não era lance para tentar sair jogando. Mas Jaílson também se equivocou na origem da jogada, ao tentar carregar a bola quando estava cercado por três adversários.

Se Geromel esteve um pouco abaixo do seu padrão habitual, Kannemann compensou com uma atuação épica. Ele esta fazendo uma temporada ainda melhor do que a de 2017.

Pepê entrou bem no jogo. Mostrou personalidade ao pedir bola e partir para cima da defesa adversária.

Muito legal a defesa que que o capitão Maicon fez do seu colega André.

O “Brujo” Manuel, esteve, pela segunda vez no ano na Arena. E pela segunda vez no ano o Grêmio acertou todas as cobranças de pênaltis.

Esse uniforme cinza do Estudiantes, ao menos para mim, causou uma certa confusão na hora de distinguir os atletas. O tom de cinza na parte da frente era bem escuro e pouco contrastava com as listras pretas da camisa do Grêmio. E o tom de cinza da meia era claro demais para distinguir com clareza da meia branco dos atletas gremistas. Não entendi porque o Estudiantes não utilizou a mesma configuração de fardamento vista no seu jogo anterior, com camisa titular vermelha e branco e calção branco.

2018 estudiantes itamar aguiar la nacion afp
Gremio x Estudiantes

Ontem o Grêmio teve seu maior público pagantes em um jogo de oitavas de final da Libertadores. O maior público total de um jogo de oitavas segue sendo registrado na partida contra o River Plate em 2002 com 50.838 (44.715 pagantes)

– Média de público do Grêmio na temporada:
24.389 (22.257 pagantes)

– Média de público do Grêmio na Arena na Libertadores 2018:
33.014 (30.758 pagantes)

kanemann

Fotos: Opta, Ricardo Giusti (Correio do Povo), Itamar Aguiar ( Gazeta EsportivaLa Nacion) Olé (AFP), Estudiantes de La Plata, Lucas Uebel (Grêmio.net) e Grêmio (Instagram)

Grêmio 2×1 Estudiantes

(Nos pênaltis: Grêmio 5×3 Estudiantes)

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Léo Moura (André, aos 24’/2°T), Geromel, Kannemann e Cortez; Jaílson (Pepê, aos 34’/2°T), Maicon, Ramiro (Alisson, intervalo), Luan e Everton; Jael.
Técnico: Renato Portaluppi

ESTUDIANTES: Mariano Andújar; Facundo Sánchez, Fabián Noguera, Jonathan Schunke e Gastón Campi; Iván Gómez, Rodrigo Braña, Lucas Rodríguez, Iván Erquiaga (Pablo Luguercio, aos 16’/2°T) e Matías Pellegrini (Carlo Lattanzio, aos 24’/2°T); Juan Apaolaza (Nicolás Bazzana, aos 43’/2°T)
Técnico: Leandro Benítez

Libertadores 2018 – Oitavas de final – Jogo de volta
Data: 28/8/2018, terça-feira, 21h45min
Local: Arena do Grêmio, Porto Alegre -RS
Público: 48.082 (45.420 pagantes)
Renda: R$ 2.171.893,00
Árbitro: Eber Aquino (PAR)
Assistentes: Juan Zorrilla e Dario Gaona (ambos do PAR)
Cartões amarelos: Maicon, Ramiro, Léo Moura, Alisson (GRE); Facundo Sánchez, Pablo Luguercio, Gastón Campi, Carlo Lattanzio, Rodrigo Braña (EST)
Gols: Everton, aos 5 minutos e Lucas Rodríguez, aos 8 minutos do primeiro tempo; Alisson, aos 47 minutos do segundo tempo.

Pênaltis: Maicon(converteu), Lucas Rodríguez (converteu), Everton(converteu), Campi (chutou para fora), Jael (converteu), Noguera (converteu), Alisson(converteu), Lugüercio(converteu) e André(converteu).

Confrontos entre Grêmio e Estudiantes em Porto Alegre

August 28, 2018

certo

Segue abaixo uma lista de todos confrontos entre Grêmio e Estudiantes em Porto Alegre, com links para posts com a ficha de cada um deles:

Amistoso em 1948 – Grêmio 2×0 Estudiantes – Público: 6.696 (5.107 pagantes)
Amistoso em 1952 – Grêmio 1×1 Estudiantes – Público: 8.020 pessoas
Libertadores de 1983 – Grêmio 2×1 Estudiantes – Público: 24.544 pagantes
Supercopa 1989 – Grêmio 0x1 Estudiantes – Público: 14.040 pagantes
Supercopa 1990 – Grêmio 1×0 Estudiantes – Público: 15.103 pagantes
Supercopa 1997 – Grêmio 3×2 Estudiantes – Público: 4.114 pagantes

Amistoso em 1952 – Grêmio 1×1 Estudiantes

August 28, 2018
CP fotoa

Uma fase do embate de ontem, vendo-se Gago em plena ação, ao defender uma centrada de Pelegrina” (Correio do Povo – 22 de janeiro de 1952)

O segundo confronto Grêmio e Estudiantes da história aconteceu em janeiro de 1952. Os relatos da época (transcritos abaixo) fazem loas a maneira  cavalheiresca que a partida transcorreu, citando um lance de fair-play do meio-campista Carraquini. Esse temor, em parte,  se explicava pelo desfecho pouco civilizado que o amistoso de 1948 teve.

Mas eventos mais próximos também geraram essa insegurança quanto ao comportamento no estádio. Cinco dias antes, o Grêmio derrotou o Ferro Carril, por 1×0, na Colina Melacólica, e a torcida tricolor invadiu o campo em duas ocasiões: Aos 7 minutos do segundo tempo, para comemorar o gol de Camacho e ao final da partida, na tentativa de agredir os jogadores argentinos. Por essa razão o amistoso com o Estudiantes foi marcado para os Eucaliptos, um dos poucos estádios da cidade que tinha alambrado ao redor do campo de jogo.

Como curiosidade, vale citar que o Estudiantes era treinado pelo escocês Neil McBain, que, como jogador, chegou a atuar em uma partida da terceira divisão inglesa aos 51 anos (o detalhe é que ele jogou como goleiro, apesar de ter feito carreira, com passagens por Manchester United e Liverpool, como meio campista).

CP 1

GRÊMIO E ESTUDIANTES DE LA PLATA
TERMINARAM EMPATADOS NUMA PELEJA SENSACIONAL
Continuam os tricolores invictos frente a esquadrões argentinos — 1 x 1, o marcador, goals de Pedrinho e infante — Ótima arbitragem de Foguinho — Renda muito boa: Cr$ 110,745,00

Um espetáculo magnífico o nosso público apreciou, ontem, quando, à luz dos refletores do Estádio do Eucaliptos, o esquadrão de profissionais do Estudiantes de La Plata, da capital argentina, estreou em nossos gramados, enfrentando o homogêneo conjunto do Grêmio Porto-Alegrense.
Desde o início da pura, antecedida de uma gentil troca de flâmulas entre os capitães das duas equipes, notou-se perfeito equilíbrio nas ações, com cargas de parte a parte e constante perigo para as duas métas.
Os argentinos, não há negar, mostravam-se mais perfeitos no jogo de conjunto, tramando com habilidade e procurando o arco gremista por meio de tiros de longe, alguns dos quais passaram rentes ao arco de Sergio, enquanto outros eram defendidos pelo keeper e pelos zagueiros.
Coube, entretanto, ao Grêmio marcar em primeiro lugar, o que sucedeu aos 7 minutos de luta: Ferraz deu ótimo centro e Pedrinho emendou espetacularmente, conquistando um dos mais sensacionais e indefensáveis tentos dos últimos tempos entre nós.
Houve a consequente reação dos visitantes, mas os tricolores, agora mais calmos, voltaram a controlar habilmente as jogadas, lutando de igual para igual e fazendo a assistência vibrar de instante a instante.
Um gesto altamente esportivo e digno de aplausos teve o médio Carriquini aos 34 minutos: vendo Sarará machucado e caído ao chão, o craque argentino mandou, propositalmente, a bola para fora do campo, a fim de que o adversário fosse conveniente socorrido, o que lhe valeu os aplausos populares.
Até o antepenúltimo minuto da fase final, o embate prosseguiu com a supremacia do Grêmio no marcador, parecendo que o triunfo tricolor já estava plenamente assegurado.
O Estudiantes, entretanto, reagiu espetacularmente e, nos últimos dez minutos, começou a tirar vantagens do cansaço dos locais.
Cargas repetidas eram levadas a área do clube da Baixada, notadamente por intermédio do ponteiro Giosa, vendo seus esforços coroados ele êxito, aos 43 minutos, ocasião em que Infante, valendo-se de uma defesa parcial, empurrou o balão para o fundo das malhas porto-alegrenses.

Pouco depois, terminava o sensacional embate, com o marcador acusando um golo para cada, como justo prêmio ao esforço, á combatividade e á técnica evidenciada pelos dois valorosos antagonistas.
Brasileiros e argentinos confraternizaram, assim, em uma peleja á altura das suas tradições esportivas, por intermédios dos seus disciplinados atletas do Grêmio Porto-Alegrense e do Estudiantes de La Plata. — Jogaram as seguintes equipes:

GRÊMIO – Sergio; Gago e Danton: Hugo, Sarará Bentevi (Altino); Balejo (Dario), Ferraz, Camacho (Geada), Pedrinho e Robinson (Gorrion).
ESTUDIANTES — Ogando (Gioffre); : Violini e Bouché (Casenueva); Garcerón, Ferretti e Carriquini: Giosa, Barreiro (Baiocco), Infante, Antonio e Pelegrina.

– Sarará foi “a melhor figura da equipe local, apoiando e defendendo com oportunismo. Seguiram-se-lhe em méritos, Gago e Bentevi, na defesa, e Farraz e Camacho no ataque. Quanto aos argentinos, destacaram-se o zagueiro Violini, Garcerón, uni veterano cancheiro e muito técnico, Ferretti„ Giosa, Infante e Pelegrina, este último mais pelos tiros perigosos ao arco, que punham em polvorosa a defesa gremista.

– Para completar o cenário da magnifica noitada esportiva, o árbitro Foguinho teve correto desempenho, controlando a peleja com energia e segurança.
– A renda foi excelente, passando pelas bilheterias a importância de Cr$ 110.745,00, com uma assistência de 8.020 pessoas.” (Correio do Povo – 22 de janeiro de 1952)

cp vespera

cp antevespera (1500x875)1952 estudiantes b

EMPATE SENSACIONAL NOS EUCALIPTOS
Grêmio Pôrto Alegrense e Estudiantes de La Plata, dividiram as honras do triunfo, empatando em 1 tento – Pedrinho, num “sem pulo” espetacular, conquistou o tento dos locais – Infante, faltando dois minutos para o final do prélio, marcou para os argentinos – ótima arrecadação: Cr$ 110.745 – Belo gesto de Carriquiri – Oswaldo Rola foi o árbitro” (Jornal do Dia, 22 de janeiro de 1952)

1952 estudiantes a

I0012747-20Alt002140Lar001500LargOri003727AltOri005318

Grêmio 1×1 Estudiantes

GRÊMIO: Sergio; Gago e Danton: Hugo, Sarará Bentevi (Altino); Balejo (Dario), Ferraz, Camacho (Geada), Pedrinho e Robinson (Gorrion)
Técnico: Telêmaco Frazão de Lima

ESTUDIANTES: Ogando (Gioffre);  Violini e Bouché (Casenueva); Garcerón, Ferretti e Carriquini: Giosa, Barreiro (Baiocco), Infante, Antonio e Pelegrina.
Técnico: Neil McBain

Data: 21 de janeiro de 1952, segunda-feira
Local: Estádio dos Eucaliptos
Juiz: Oswaldo Rolla
Público: 8.020 pessoas
Renda: Cr$ 110.745,00,
Gols: Pedrinho, aos 7 minutos do primeiro tempo e Infante, aos 43 minutos do segundo tempo

Supercopa 1990 – Grêmio 1×0 Estudiantes

August 28, 2018

1990 Gremio1x0 Estudiantes supercopa jandir peinado valdir friolin a2

Em 1990, Grêmio e Estudiantes se enfrentaram pelo segundo ano seguido na Supercopa.Novamente nas quartas de final. Novamente com o jogo de ida sendo realizado em Porto Alegre.

Mas em 1990 o Grêmio, já sob o comando de Evaristo de Macedo, saiu na frente, fazendo o 1×0 em casa com um gol contra de Prátola.

Interessante notar nas matérias abaixo (mais precisamente na reportagem do Pioneiro), que já havia um debate sobre poupar jogadores no Brasileirão
1990 Gremio1x0 Estudiantes supercopa Craviotto Assis valdir friolin b

GRÊMIO VENCE ESTUDIANTES NA RAÇA
O jogo foi violento, teve três expulsões, mas o Grêmio mostrou bom preparo físico e venceu por 1 a 0. Agora o empate serve

Numa partida extremamente nervosa e com muitos lances violentos, o Grêmio venceu ao Estudiantes por 1 a 0, ontem à noite, no Estádio Olímpico, em sua estréia na terceira edição da Supercopa. O gol foi do zagueiro Pratula, contra, aos 33 minutos do segundo tempo. Agora, o clube gaúcho enfrenta os argentinos em La Plata, no próximo dia 8, jogando apenas por um empate.

Uma derrota por um gol de diferença leva a decisão para os pênaltis.
No primeiro tempo, houve de tudo. Menos futebol. O Grêmio bem que tentou, mas ficou muito difícil. O Estudiantes fechava os espaços. As
ações ofensivas ficaram limitadas a algumas iniciativas de Assis, de fora da área e a uma cabeçada de Nilson, que Yorno defendeu bem. Em compensação, o árbitro paraguaio Carlos Maciel foi obrigado a distribuir vários cartões para conter a violência.

No segundo tempo, um pouco mais calmos, os dois times trataram de jogar futebol. Os argentinos continuaram eficientes na marcação, mas inexistentes no ataque. Em contrapartida, o Grêmio seguiu tentando e mostrou porque é vice-líder do Campeonato Brasileiro, mostrando excelente preparo físico, superando os argentinos. O gol aconteceu aos 33 minutos, depois de excelente jogada de Caio: depois do chute, a bola bateu no zagueiro Pratula e entrou. O time gaúcho perdeu várias oportunidades para ampliar o placar. No outro jogo da noite, pela Supercopa, o, River Plate goleou o Olímpia por 3 a O. gois de Berti e Medina Bello (2), em Buenos Aires. ” (Antonio Bavaresco e José Evaristo Villalobos, Zero Hora, 1º de novembro de 1990)

DEPOIS DA GUERRA, UM AMBIENTE DE ALEGRIA
Foi um jogo muito disputado, catimbado pelos argentinos que resistiram até os 33 minutos do segundo tempo. Mas o Grémio venceu e garantiu a vantagem para a partida de volta, quarta-feira da próxima semana, em La Plata. O técnico Evaristo de Macedo estava muito contente com o resultado final:
— Foi excelente para nós. Jogamos melhor, atacamos mais. Eles chegaram poucas vezes no nosso gol. No início, o pessoal entrou um pouco na catimba deles, mas no intervalo, com calma, nos recompomos e chegamos à vitória, que foi mesmo o resultado mais justo.
Entre os jogadores o sentimento era o mesmo. Todos reconheceram que foi muito difícil, mas importante, vencer em Porto Alegre:
— O que se viu em campo hoje ontem não foi um jogo, mas sim uma guerra. E o Grémio mostrou que está pronto para superar todo o tipo de dificuldade que enfrentar — destacou o ponteiro Maurício.
O meio-campista Assis mostrava aos repórteres as marcas em suas pernas dos pontapés recebidos pelos adversários e confia em novo resultado positivo em La Plata:
— O Grêmio mostrou ter uma equipe mais entrosada e o estado do gramado, pesado, nos prejudicou muito. Se não tivesse chovido, creio que poderíamos ter vencido por mais gols. ” (Antonio Bavaresco e José Evaristo Villalobos, Zero Hora, 1º de novembro de 1990)

BANDEIRA PREVIU AS EXPULSÕES
O vice de futebol do Grêmio, Rafael Bandeira dos Santos, confessou ter vivido momentos de muita apreensão durante o jogo de ontem, especialmente no primeiro tempo, devido à catimba do Estudiantes:
— Senti que o árbitro estava muito complacente e previ que só com expulsões o ambiente ficaria mais calmo. Bastou isso acontecer para o Grêmio se impor e poderíamos ter deixado o campo com um resultado ainda mais favorável. Houve uma melhora significativa em relação ao ano passado, quando perdemos em Porto Alegre para o mesmo adversário — lembrou.
Bandeira disse que o Estudiantes veio a Porto Alegre pensando apenas em não perder e tentando complicar. Mas confia na obtenção de outro bom resultado em La Plata:
— Passamos por uma grande fase e, por isso, a idéia é jogar com os titulares disponíveis em Juiz de Fora, contra o Flamengo, para manter o conjunto.
Jandir, com três amarelos, está fora. Donizete retorna.” (Antonio Bavaresco e José Evaristo Villalobos, Zero Hora, 1º de novembro de 1990)

TRISTEZA DE VILSON, UM GUERREIRO
Ele esteve envolvido em atritos com os adversários desde o inicio da partida. Vilson entrou duro nos lances, reagiu à catimba dos adversários, levou cartão amarelo e depois o vermelho. Teve seu nome gritado pela torcida quando deixou o campo:
– Fico chateado por ter sido expulso, mas mantive meu estilo de jogo sério, enquanto os adversários queriam confusão. Infelizmente, recebi cartão amarelo e, depois de uma outra confusão causada pelos argentinos no segundo tempo, acabei expulso.
Vilson garante que será um torcedor especial de seus companheiros em La Plata:
– No ano passado, estava na reserva do Edinho, que foi expulso no início, e entrei. Também deu muita confusão em campo, mas o Grêmio mostrou muita raça, não se intimidou com o ambiente hostil criado e obteve o resultado positivo. Tenho certeza de que meus companheiros não irão decepcionar.” (Antonio Bavaresco e José Evaristo Villalobos, Zero Hora, 1º de novembro de 1990)

GRÊMIO ESTRÉIA COM VITÓRIA NA SUPERCOPA
O Grêmio estreou com o pé direito na Supercopa dos Campeões da América, vencendo o Estudiantes de La Plata por 1×0, ontem à noite no Estádio Olímpico. O gol foi contra, num cruzamento de Caio que foi chutado por Alfinete, aos 34 minutos da etapa final. O jogo teve ainda duas expulsões: Vílson, do Grêmio, e Craviotto do Estudiantes. O Grêmio só não ampliou o marcador porque encontrou uma equipe de marcação muito forte, não deixando a equipe gremista jogar. Mas no segundo tempo o Grêmio voltou determinado a marcar e desde os primeiros minutos levava perigo ao gol de Yorno. Até que aos 34 minutos, num cruzamento de Caio, Alfinete chutou e a bola desviou no zagueiro argentino, abrindo o marcador. Aos 42 minutos da etapa final quase Assis amplia o marcador, não fosse a grande defesa do goleiro argentino. O Grêmio volta a jogar pela Supercopa no dia 8 de novembro, quando fará a partida de volta, contra o mesmo Estudiantes. A equipe de Evaristo precisa somente de um empate para chegar à semifinal e sonhar com o único título que ainda falta. ” (Folha de Hoje, 1º de novembro de 1990)

GRÊMIO ARRANCA COM VITÓRIA NA SUPERCOPA

Depois de enfrentar o Estudiantes pela Supercopa ontem à noite e vencer por 1 a 0 com gol contra de Patrula no final do 2º tempo, o Grémio volta a pensar no Campeonato Brasileiro e convive com um dilema: usar os melhores jogadores contra o Flamengo, domingo em Juiz de Fora — o Maracanã esta interditado — e lutar pela liderança geral, ou preservar alguns titulares visando o jogo de volta da Supercopa, quarta-feira, em La Plata contra o mesmo Estudiantes. O técnico Evaristo de Macedo prefere ser cauteloso: – é uma questão para se pensar. Já estamos classificados no Campeonato Brasileiro, mas realmente seria ótimo assumir a liderança, caso consigamos nova vitória e o Atlético perca ponto. Mas não podemos esquecer que vamos enfrentar o Estudiantes de novo. E lá fora.

No jogo de ontem o Grêmio cometeu alguns erros, principalmente no setor de meio campo quando o time foi envolvido pela catimba dos argentinos. Assim, depois da revisão médica de hoje o Evaristo decide se preserva alguns jogadores. O técnico, com certeza, não poderá contar com Jandir — terceiro cartão amarelo —, mas terá a volta de Donizete, que jogou a partida da Seleção Brasileira contra o resto do mundo, ontem à tarde, na festa dos 50 anos de Pele, em Milão. Porém, que o goleiro Sidmar tenha uma nova chance, assim como o lateral China e o meia Darci, reservas que precisam de movimentação. A vitória de ontem deu um pouco de tranqüilidade ao time gremista, porém sabe que o jogo em La Plata vai ser uma verdadeira guerra. ” (Pioneiro – 1º de novembro de 1990)

Fotos: Valdir Friolin (Zero Hora)

Grêmio 1×0 Estudiantes

GRÊMIO: Gomes; Alfinete, João Marcelo, Wilson e Hélcio; João Antonio (Darci), Jandir, Caio e Assis; Mauricio e Nilson
Técnico: Evaristo de Macedo

ESTUDIANTES: Yorno; Craviotto, Iribarren, Prátola e Erbin; Peinado, Trotta e Commiso; Gonzalez, Luna (MacAllister), Centurión (Loza)
Técnico: Humberto Zucarelli

Supercopa 1990 – Quartas de final – jogo de ida
Data: 31 de Outubro de 1990, quarta-feira
Local: Estádio Olímpico Monumental, em Porto Alegre, RS
Público: 15.103 pagantes
Renda: Cr$ 6.659.000,00
Árbitro: Carlos Maciel (Paraguai)
Auxiliares: Astério Martins e Sabino Faria
Cartões Amarelos: Vilson, Craviotto e MacAllister
Cartões Vermelhos: Vilson, Centurion e MacAllister
Gol: Prátola, contra, aos 33 minutos do segundo tempoo