Archive for the ‘1973’ Category

Brasileirão 1973 – Grêmio 0x0 Corinthians

October 4, 2019
1973 gremio 0x0 corinhtians paulo sergio rivellino cp

Foto: Correio do Povo

Eu ainda não criei um nome para essa série sobre alguns dos posts que tenho feito aqui no blog. Tinha pensado em “Partidas (não tão) Aleatórias”, onde posto matérias sobre jogos com o mesmo adversário do próximo compromisso do Grêmio, pelo mesmo campeonato, com o mesmo mandato, mas num jogo que não teve nenhum aspecto particularmente memorável.

No de hoje, posto sobre um 0x0 entre Grêmio e Corinthians pelo Brasileirão de 1973 no Olímpico.

1973 gremio 0x0 corinhtians guaiba

EMPATE FOI PRÊMIO PARA DUAS GRANDES EQUIPES

Grêmio e Corintians não mereciam perder, ontem à noite, na mais empolgante partida que a torcida gremista assistiu, no Olímpico, no atual campeonato Nacional. O jogo foi bom, foi rápido, emocionante, dois times bem organizados, o público viu vários lances emocionantes. O empate foi um prêmio justo para os dois grandes adversários. Grande público assistiu à partida que teve a presença ilustre de Emílio Garrastazu Médici, presidente da República.

O Grêmio encontrou um adversário forte, bem colocado na defesa, adiantando a zaga para deixar o ataque em impedimento e muitas vezes conseguindo. O Corintians procurou no primeiro tempo — e conseguiu — tirar todo o espaço para a jogada do Grêmio em profundidade. E partindo com segurança nas organização da jogada, o Coríntians conseguiu, no primeiro tempo, as melhores oportunidades para marcar.

A primeira foi quando Paulo Borges passou a bola para o lateral Zé Maria, na grande área, centrar forte e Picasso defender. O rebote foi apanhado por Roberto que cabeceou no canto oposto mas o goleiro do Grêmio foi bem no lance e agarrou a bola. Logo depois houve o choque de Mazinho com Roberto, Mazinho saiu com suspeita de fratura na perna esquerda entrando Humberto Ramos. Ainda no primeiro tempo a segunda chance do Coríntians: Rivelino entrou para marcar e Beto calçou na hora mas Roberto apanhou rebote novamente e outra vez Picasso salvou o Grêmio.

SEGUNDO TEMPO — Tarciso, a pedido de Froner, ainda conseguiu jogar 10 minutos depois entrou Oberti, sem reflexos mas tentando acertar. O jogo nos primeiros minutos do segundo tempo não teve o mesmo ritmo do primeiro tempo e o Grêmio cresceu mas custou a criar as chances de golo. A meia-cancha, sem espaço, retinha a bola e quando o mesmo surgia — Tabajara deu piques, três vezes — nem Humberto, nem Paulo Sérgio conseguiam a visão do lance para soltar a bola. O Corintians trocou Vaguinho por Lance mas nada conseguiu porque a defesa do Grêmio esteve perfeita, com Beto sendo o melhor dos zagueiros. A partir dos 30 minutos o Grêmio manteve o mesmo ritmo e aproveitou a queda de produção do Corintians e aí a equipe de Froner ganhou a melhor oportunidade. Cláudio projetou-se pela direita e levantou para a área quando Carlinhos cabeceou.

O goleiro Ado saiu mal e a cabeçada de Carlinhos bateu no poste direito. O Grêmio continuou pressionando mas o jogo era de zero a zero, nenhum time merecia perder no excelente Grêmio e Corinthians. ” (Correio do Povo, 15 de novembro de 1973)

1973 gremio 0x0 corinhtians jb

GRÊMIO 0x0 CORINTIANS

Porto Alegre (Sucursal) — Numa partida emocionante e bem disputada, que teve inclusive a presença do Presidente Mediei, Grêmio e Corintians empataram de 0 a 0 no Estádio Olímpico. O time gaúcho foi melhor no segundo tempo quando, graças ao seu excepcional preparo físico, esteve sempre criando chances de gol.”  (Jornal do Brasil, 15 de novembro de 1973)

GRÊMIO: Picasso, Cláudio, Ancheta, Beto e Jorge Tabajara; Carlos Alberto e Paulo Sérgio; Carlinhos, Mazinho (Humberto Ramos), Tarciso (Oberti) e Loivo
Técnico: Carlos Froner

CORINTHIANS: Ado, Zé Maria, Laércio, Vagner e Vladimir; Tião c Rivelino; Paulo Borges, Roberto, Vaguinho (Lance) e Adãozinho
Técnico: Yustrich

Campeonato Brasileiro 1973
Data: 14 de novembro de 1973
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre-RS
Renda: Cr$196.749,00
Juiz: Armando Marques
Auxiliares: Hernani José de Castro e José Carlos Bezerra