Archive for the ‘1984’ Category

Libertadores 1984 – Grêmio 5×1 Flamengo

October 1, 2019
1984 fla juan carlos gomez zero hora b

Foto: Juan Carlos Gomez (Zero Hora)

Na Libertadores de 1984, Grêmio e Flamengo se enfrentaram no primeiro jogo do triangular semifinal (Grupo B). O tricolor, como campeão do ano anterior, fazia sua estreia direto nessa fase, enquanto os rubro-negros avançaram com alguma facilidade pelo Grupo 3 da primeira fase (enfrentando Santos, America de Cali e Junior de Barranquila), goleando o Santos em duas ocasiões e vencendo 5 dos seus 6 jogos.

E o Grêmio venceu por 5×1. Zagallo, que fazia sua estreia como treinador do Flamengo, reclamou do frio que fazia em Porto Alegre. Estranhamente os jogadores flamenguistas entraram em campo com camisas de manga curta, enquanto os gremistas vestiam manga longa.

Tentei e ainda não achei imagem de outra partida que o Grêmio tenha usado esse modelo da adidas com gola polo (modelo parecido com o que a seleção da Iugoslávia usou na Copa de 1982 e França usou nas eliminatórias para o mundial da Espanha)

1984 fla adolfo alves zero hora b

Foto: Adolfo Alves (Zero Hora)

“O frio, a chuva e os fortes ventos levaram menos de 20 mil pessoas anteontem à noite ao Estádio Olímpico, para assistir ao jogo com o Flamengo mas a renda (Cr$ 60 milhões) e os direitos de transmissão pela televisão (Cr$ 25 milhões) pagarão os custos da viagem à Caracas.”  (Jornal do Brasil, 28 de junho de 1984)

1984 fla valdir friolin

Foto: Valdir Friolin (Zero Hora)

1984 flamengo gremio jb b

GRÊMIO DÁ GOLEADA IMPLACÁVEL NO FLAMENGO

Porto Alegre — O Grêmio não perdeu a limitação tática e técnica do Flamengo e, com extrema facilidade, estreou na fase semifinal da Taça Libertadores da América com uma goleada implacável: 5 a 1. Ganhou como quis, explorando a força de sua equipe, que roubou do Flamengo qualquer iniciativa de jogo. Para facilitar ainda mais, o Flamengo errou muito. Seus jogadores, em campo, e o técnico Zagalo, ao manter Élder no banco até a metade do segundo tempo.

Domínio do meio

O resultado do primeiro tempo (3 a 1) mostrou exatamente o que foi o jogo. O ataque do Grêmio, sem posições fixas, dominou completamente a frágil defesa do Flamengo, que teve em Mozer o único jogador lúcido. Até mesmo Fillol falhou. O primeiro gol do Grêmio aconteceu logo no começo do jogo, depois de um córner cobrado por Renato. A bola foi rebatida várias vezes pela defesa, sem sair da área, até que Osvaldo chutou forte, sem defesa, quase da pequena área.

Mas o Flamengo encontrou espaços para empatar. João Paulo fez um ótimo lançamento para a entrada de Tita, que completou de primeira, no canto. O jogo ficou igual, com ligeiro domínio do Grémio, que explorava as falhas do meio-campo do Flamengo que perdeu Edmar, contundido (foi substituído por Marcos Vinícius, que sumiu em campo). E aí Fillol falhou: Tarciso entro pela ponta esquerda, cruzou, Fillol errou a bola e Caio, de cabeça, fez 2 a 1. Aos 41, um golaço: Renato dominou na esquerda, tocou para a entrada de Paulo César que cruzou para uma cabeçada perfeita de Osvaldo. Grêmio 3 a 1

Logo no começo do segundo tempo o Grêmio fez 4 a 1 e acabou com qualquer tentativa de reação do Flamengo. Osvaldo, de calcanhar, deu um passe perfeito para mais uma entrada de Paulo César, pela esquerda. O passe saiu alto e Renato, antecipando-se a Adalberto, que falhou, marcou de cabeça. E o futebol praticamente terminou. O Grêmio, satisfeito com a goleada, limitava-se a tocar a bola, sem forçar. O Flamengo lançou-se ao ataque, mas sem a menor imaginação. Zagalo, então, tentou remediar a substituição errada que fizera no primeiro tempo: tirou Marcos Vinícius e colocou Élder, que, pelo menos, chutou uma bola na trave. Mas o Flamengo voltaria a errar drasticamente. Bigu deu um passe perfeito para Tarciso, que esperou a saída de Fillol e tocou por cima, fazendo 5 a 1. Uma vitória esmagadora.”(Jornal do Brasil 27 de junho de 1984)

1984 fla luis achutti jb

Foto: Luis Achutti (Jornal do Brasil)

Para Zagalo, a derrota na estréia nas semifinais da Libertadores da América, surgiu “em conseqüência de erros técnicos infantis que jamais poderíamos esperar”. Ele não chegou a indicar os jogadores que cometeram essas falhas, mas salientou que houve falhas na marcação, “especialmente sobre os laterais do Grêmio que apoiaram com toda a tranqüilidade”. Zagalo lembrou que, apesar dos treinos e das suas determinações, no campo saiu tudo errado:

— Deu bobeira nos jogadores, a maioria em início de carreira. O treinador, que dirigiu pela primeira vez o time numa partida oficial justificou ainda que o frio favoreceu o Grêmio, “permitindo que os jogadores corressem daquele jeito.

Nós não estamos habituados àquela temperatura baixa e sentimos demais o frio. Mas esse não foi o fator determinante da goleada”. Para Zagalo, o pior mesmo foi o quarto gol do Grêmio, quando Renato teria cometido falta sobre Adalberto:

— Naquele momento o Flamengo estava melhorando e o gol acabou com a reação. Isso não é choro, não. É apenas uma constatação que fiz de acordo com o depoimento dos jogadores.” (Zero Hora 28 de junho de 1984)

FLA JOGA MAL E LEVA GOLEADA

Porto Alegre (Sérgio Du Bocage, enviado especial) — Pouco objetivo, sem jogadas de ataque e, principalmente, com falhas grosseiras na defesa, o Flamengo foi derrotado pelo Grêmio por 5 a 1 e ficou numa situação incomoda na Taca Libertadores da America. Tita marcou o único gol do Flamengo, enquanto Osvaldo (2), Caio, Tarciso e Adalberto (contra) marcaram os gols do Grêmio.

O Flamengo não conseguiu, em nenhum segundo da partida, o equilíbrio necessário para que organizasse suas jogadas com tranqüilidade. E, mais do que isso, ficou provado que o técnico Zagalo terá muito que trabalhar. […]” (Jornal dos Sports, 27 de junho de 1984)

js.

ATUAÇÕES

GRÊMIO

JOÃO MARCOS — Uma boa atuação, muito tranqüilo e firme nas bolas altas Sabe sair jogando sempre pelo melhor lado. ÓTIMO.

RAUL — Um bom lateral Muito firme na marcação e oportuno no apoio, fazendo boas ultrapassagens BOM

BAIDECK — Andou falhando em algumas bolas altas mas no Jogo rasteiro foi perfeito Ganha todas as divididas BOM

DE LÉON – Um monstro. Sabe tudo e esbanja c tegoria Perfeito na defesa, grande líder em campo e até atrevido no ataque. EXCELENTE

PAULO CÉSAR — Não é de agora que tem mostrado grandes qualidades e muita aplicação Não quer saber de brincadeira. OTIMO

CHINA — Aqui começa o setor mais forte do Grêmio o meio campo. Muita disposição para o combate e vontade de se apresentar para togar BOM

LUIS CARLOS — Inteligente, veloz e objetivo. Aparece sempre livre e tenta as penetrações pelos dois lados do campo BOM

OSVALDO — o melhor do meio campo e um dos principais nomes do jogo Teve a sua atuação premiada com bonitos gols EXCELENTE

RENATO – Não tem jeito, não. Alterna excelentes jogadas com alguns lances infantis ou sem nenhuma razão, colocando em risco o seu time. No ataque, continua sendo um perigo. E fez bons lançamentos ÓTIMO

CAIO — Inteligente, lutador e correndo muito. Criou espaços para os seus companheiros e conferiu todas. BOM

TARCISO — Sempre um perigo. Ainda ganha na corrida e sempre se apresenta no lugar correto para receber a bola. OTIMO.

GILSON — Entrou no final e não teve tempo de mostrar nada de especial

GUILHERME — Não teve chance de mostrar alguma coisa.” (Jornal dos Sports, 27 de junho de 1984)

1984 oglobo27junho1984gremio5x1flamengo

O favoritismo gremista tornou-se indiscutível na goleada imposta aos cariocas no primeiro encontro entre as duas equipes, na noite gelada de 26 de junho. em Porto Alegre. Sob um frio de 3 graus, o Flamengo entrou em campo de mangas curtas e seus jogadores continuaram tremendo até o fim da partida. Foram massacrados num impiedoso 5 x 1 pela competência tática e o maior vigor físico do Grêmio, na inútil batalha de seu ataque miúdo contra uma defesa que, do goleiro ao lateral-esquerdo, exibe a impressionante media de 1,85 m por jogador. (Placar, 06 de julho de 1984)

1984 gaucha flamengo chamadajb

GRÊMIO: João Marcos; Raul, Baidek, De León e Paulo César Magalhães; China, Osvaldo e Luis Carlos Martins; Renato Portaluppi, (Gílson Gênio), Caio (Guilherme Macuglia) e Tarciso.
Técnico: Carlos Froner

FLAMENGO: Fillol; Bigu, Guto, Mozer e Adalberto; Andrade, Adílio e Tita; Bebeto, Edmar (Marcus Vinícius depois Elder) e João Paulo
Técnico: Zagallo

Libertadores 1984 – triangular semifinal – Grupo B – 1ª rodada
Data: 26 de junho de 1983, terça-feira, 21h30min
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre-RS
Público: 19.075 Pagantes
Renda: Cr$ 60.614.500,00
Árbitro: Luis Carlos Félix (RJ)
Auxiliares: Romulado Arppi Filho (SP) e José Roberto Wright (SP)

Advertisements

Amistoso em 1984 – Grêmio 0x1 Danubio

January 21, 2016

Grêmio e Danubio, adversários na partida da Arena do próximo sábado, já se enfrentaram num amistoso disputado em 17 de junho de 1984 no estádio Olímpico.
O confronto tinha uma situação peculiar. O tricolor,  após ser eliminado nas semifinais do Brasileirão de 1984, se preparava para estrear na segunda fase da Libertadores (a qual entrara direto por ser o campeão do ano anterior). O Danubio, por sua vez, já havia sido eliminado na primeira fase da mesma competição, ao ficar na terceira colocação do Grupo 4 (no qual estavam Nacional-URU e El Nacional e 9 de Octubre do Equador).
Carlos Froner, técnico do Grêmio, não pode escalar todos os atletas do seu plantel, uma vez que João Marcos, Baidek e Renato Portaluppi estavam defendendo a seleção brasileira. Os uruguaios, comandados por Óscar Tabarez, contavam com algumas figuras expressivas no seu time (Como Ruben Sosa e  o goleiro Jorge Seré, que viria a se tornar um dos heróis do mundial conquistado pelo Nacional em 1988) e saíram vencedores da partida que o jornal Zero Hora considerou “tecnicamente muito pobre”.

Fotos: Paulo Dias (Zero Hora)

Grêmio 0x1 Danubio

GRÊMIO: Beto; Raul, Leandro, Luís Eduardo e Paulo Cesar Magalhães; China, Osvaldo e Bonamigo (Valdo); Tarciso, Caio (Guilherme Macuglia) e Gilson Gênio.
Técnico: Carlos Froner
DANUBIO: Jorge Seré; ????, Javier Vega, Nelson Alaguich e Gabriel Esnal; Abraham Yeladián,  Freddy Maneiro e Daniel Martínez; Julio Lemos,  Ruben Sosa e  Jorge Yanes (Silva)

Técnico: Óscar Tabarez

Amistoso – 1984
Data: 17 de junho de 1984, domingo, 11h00min
Local: Estádio Olímpico em Porto Alegre-RS
Árbitro: Paulo Sérgio Pinto
Auxiliares: José Mocellin e Jorge Schafer
Gol: Maneiro, aos 18 minutos do 1º tempo

Carnaval de 1984 – Baile Tricolor

February 11, 2013

renato-carnavalcarnaval-1984carnaval-monique-evans

No carnaval de 1984 o Grêmio aproveitou a onda do título de Tóquio e promoveu o “Baile Tricolor” no ginásio de Petróple T.C. Eis os anúncios publicados nos jornais da época.

1984 – Amistoso – Millonarios 1×1 Grêmio

November 13, 2012

O segundo confronto da história de Gremio e Millonarios aconteceu mais de 30 anos depois do primeiro enfrentamento destas equipes. Novamente o jogo foi um amistoso de início de temporada, disputado no estádio El Campin, pelo qual o tricolor recebeu 20 mil doláres.
Apesar de terem se passado poucos dias da conquista do mundial em Tóquio, o Grêmio já estava em plena atividade na primeira fase do Brasileirão de 1984. Mas era uma equipe modificada em relação a que se consagrou no Japão. O mestre de Felipão, Carlos Froner, tinha entrado no lugar de Valdir Espinosa na casamata tricolor. Mazarópi, Paulo Roberto, Mário Sérgio e Paulo César Caju tinham deixado o Olímpico.
Os destaques gremistas foram De León e Renato. Este último de contrato renovado após rejeitar uma proposta do futebol italiano. Na escalação dos colombianos chama a atenção a presença de um jovem Carlos Valderrama. O empate em 1×1 foi considerado um bom resultado pela imprensa de Bogotá.
“empatarle al campeón intercontinental de clubes no deja de ser un honor, así se trate de un partido amistoso. Es cierto que el resultado no es fundamental en juego de esse carácter pero el 1 a 1 frente al econpetado Grêmio de Porto Alegre, ayter en El Campín, justifica plenamente ese aire de optimismo que rodea ahora a la institución albiazul, que ya no quiere dilatar más sua anhelada estrella doce.

[…]

A los 34 minutos de juego, la presión reventó sobre la última línea de Grêmio. Carlos Valderrama metío un excelente servicio para Asciselo Córdoba que escapó a la marca de Casemiro y tuvo timepo para medir el centro para Wilmar Cabrera. El cabezazo del uruguayo derrotó a João Marcos y Grêmio se fue para el vestuario pensando como iba parar un rival que ya le habia perdido el respeto…

[…]

La visita jugó el as de la manga: sacó de la cueva al zaguero uruguayo Hugo de León y lo mandó al medio, con libertades incluidas para sumarse al ataque cuando lo considerara propicio. Para este cronista que vioa a de León en la Copa Libertadores – un torneo poco amigo de los riesgos – resultó increible ver al recio jugador charría como intérprete de un papel opuesto a la simples destrución.

De León armó, desbordó, ordenó la salida y abrió todo un boquete en la zona de volantes de Millonarios. Jamás apareció una fórmula adecuada para neutralizar los arranques del uruguayo y, a sua compás, todo Gremio resucitó. Volvió a animarese Renato Gaúcho hastar ganarle una pelotas dividida en el área a “Pocillo
” López para consguida crucificar a Mario Jiménez con un perfecto remate a los 3 minutos del regreso.” (Mario Posso Jr. – El Tiempo – 20 de fevereiro de 1984)

“Los mejores. Del visitante De León y Renato se llevaron el reconocimiento. El oriental por su espírtu y liderazgo en las empresas requeridas y el puntero, porque en su duelo personal com Alonso López, apeló a los recursos más variados para sobresalir. Quizás el golazo obtenido por él, fuera una recomensa justa a su calidad.” (Hernan Pelaez Restrepo – El Tiempo – 20 de fevereiro de 1984)

“Nos primeiros 45 minutos, o Grêmio jogando com cautela – antes da partida havia uma preocupação com a altitude – postou-se mais defensivamente, e com isso, permitiu que o adversario tomasse conta do jogo, mas sem resultado mais objetivo. Os dois ponteiros, Cordoba e Iguaran, levaram vantagens sobre os laterais Raul e Casemiuro e só não traduziram essa vantagem em gols porque os cruzamentos para a área eram sempre rasteiros, o que facilitava a perfeita cobertura de Baidek e De León. O gol do Millonários surgiu aos 34 minutos do primeiro tempo, quando Cordoba driblou Casemiro e De León e cruzou para Cabrera fazer 1 a 0.” (Folha da Tarde – 20 de fevereiro de 1984)

“O Grêmio visivelmente se ressentia e, por isso, cuidava-se em campo, sem a preocupação de virar o resultado, segurando o jogo pelo meio de campo. O Estádio El Campin, aplaudiu a apresentação dos brasileiros, especialmente de Renato, contra quem os colombianos resolveram colocar dois marcadores” (Zero Hora – 20 de fevereiro de 1984)

Fontes: El Tiempo, Folha da Tarde e Zero Hora

Millonarios 1×1 Grêmio

MILLONARIOS: Mario Jiménez; Redondo, Van Tuyne, Prince e Alonso López, García, Morales e Carlos Valderrama (Caicedo); Córdoba, Wilmar Cabrera e Iguarán
Técnico: Jorge Luis Pinto 
GRÊMIO: João Marcos, Raúl (Paulo César), Baidek, De León e Casemiro; Bonamigo, Osvaldo e Luís Carlos (Leandro); Renato Portaluppi, Guilherme Macuglia (Tarciso) e Júlio César
Técnico: Carlos Froner

Data: 19 de fevereiro de 1984, domingo
Local: Estádio El Campin, em Bogotá, Colômbia
Público: entre 14 mil e 18 mil pessoas
Arbitragem: Octavio Sierra
Gols: Cabrera aos 34 minutos do 1º tempo e Renato aos 3 minutos do segundo tempo

Libertadores 1984

January 24, 2007

1984 Independiente Renato Portaluppi Luiz Avila Zero Hora

Seguindo com as participações do Grêmio na libertadores, vamos agora com a participação de 84. Como campeão do ano anterior o Grêmio entrou direto na segunda fase, num triangular com o Flamengo e o Universidad Los Andes de Mérida na Venezuela. Apenas um time passava para final e Grêmio e Flamengo terminaram empatados na 1ª posição com 6 pontos, o regulamento previa um jogo desempate e campo neutro. O jogo foi marcado para São Paulo (à 1100km de porto alegre e apenas 430km do Rio) o Grêmio tinha vantagem do empate devido ao melhor saldo de gols. No Pacaembu com 40.000 pessoas o Grêmio jogou com o regulamento embaixo do braço e garantiu o empate em 0x0, classificando-se para final contra o “Rey de copas” Independiente.

 

Reza a lenda, que os jogadores gremistas, liderados por De León, entreram em atrito com a direção por causa do valor do “bicho”. Muitos atribuem a isso a derrota na primeira partida. Já vi China e Tarciso minimizando esse fato. Fato é que o Grêmio perdeu o 1°jogo no olimpíco por 1×0, gol de Burruchaga. No jogo de volta, o time de Ricardo “Bocha” Bochini (descrito como o Woody Allen jogando bola) segurou o 0x0 garantindo a sétima libertadores do Independiente.

Vendo pelo lado dos argentinos é interessante esse relato retirado de um site de torcedores do Independiente:

“Por último, derrotó a Gremio de Porto Alegre, equipo que venía de ser campeón de América y del mundo en la temporada anterior, lo que lo califica como muy duro. Independiente lo venció en Porto Alegre (un bastión casi inexpugnable) por 1 a 0 en una brillantísima exhibición que la prensa brasileña dió en llamar “el partido perfecto”. El diario Zero Hora, de Brasil, otorgó 10 puntos a los once jugadores de Independiente” (Diabolicos.com.ar)
RICARDO BOCHINI:  “And another time, against Gremio in Porto Alegre, I had the ball at my
feet but I had to wait, because they were sitting back very well and
there was nearly no space, so I had to hold the ball against a marker,
knowing that I had to wait for Burruchaga, who had already started
running to break the lines. We were close to the box, so there wasn’t
much space and it had to be a very sharp pass. I waited, and then I gave him the pass, and we scored.”
(The Guardian, 23 de janeiro de 2014)

Obs: fotos do time e das jornais retirados do site Coleção Gremio – Gianfranco: http://www.torcedor.gremista.nom.br/


Triangular Semifinal – Grupo B
26/06/84 – Poa –Grêmio 5 x 1 Flamengo – Gols: Osvaldo(2), Caio, Renato e Tarciso
03/07/84 – Caracas – ULA Mérida 0 x 2 Grêmio – Gols do Grêmo: Renato e Caio06/07/84 – Rio de Janeiro – Flamengo 3 x 1 Grêmio – Gol do Grêmio: Guilherme

09/07/84 – Poa – Grêmio 6 x 1 Mérida – Gols:: Caio, Tarciso(2), Guilherme(2) e De Leon

Jogo Desempate

19/07/84 – São Paulo (Pacaembu) – Grêmio 0 x 0 Flamengo

FUTEBOL- RENATO GAÚCHO

Finais

24/07/84 – Porto Alegre – Grêmio 0 x 1 Independiente – Gol: Burruchaga
27/07/84 – Avellaneda – Independiente 0 x 0 Grêmio

1984 Independiente gol Guaracy Andrade Zero Hora
1984 independiente ida 21984 guaracy andrade zh independiente ida

1984 independiente ida 31984 independiente ida

1984 Independiente Guilherme Macuglia Luiz Avila Zero Hora

Final – 1°jogo – Grêmio 0 x 1 Independiente

GRÊMIO: João Marcos; Paulo César, Baidek, De León e Casemiro; China, Osvaldo e Guilherme (Gilson); Renato, Luís Carlos e Tarciso.
Técnico: Carlos Froner

INDEPENDIENTE: Goyén; Clausen, Villaverde, Trossero, Enrique, Giusti, Marangoni, Bochini, Burruchaga, Bufarini, Barberón (Reinoso).
Técnico: José Osmar Pastoriza


Data: 24 de julho de 1984
Local: Estádio Olímpico, Porto Alegre
Juiz: Juan Daniel Cardellino (Uruguai)

Auxiliares: Ramon Barreto e José Martinez
Público: 51.590 Pagantes

Renda: Cr$ 209.528.000,00
Gol: Burruchaga 24 do 1°tempo
1984 independiente volta 31984 independiente volta 41984 independiente volta11984 independiente volta 2
Final – 2°jogo – Independiente 0 x 0 Grêmio

INDEPENDIENTE: Goyén; Clausen (Zimmerman), Villaverde, Trossero, Enrique, Giusti, Marangoni, Bochini, Burruchaga, Bufarini, Barberón
Técnico: José Osmar Pastoriza


GRÊMIO:
João Marcos; Paulo César, Baidek, De León e Casemiro; China, Osvaldo e Luís Carlos; Renato, Guilherme e Tarciso.
Técnico: Carlos Froner

Data: 27 de julho de 1984
Local: Avellaneda, Buenos Aires
Juiz: Mario Lira (Chile)
Público: 60.000 pessoas