Archive for the ‘2005’ Category

Copa do Brasil 2005 – Grêmio 1 x 0 Bahia

May 24, 2012

Muito embora fosse um encontro de primeira fase da Copa do Brasil, Grêmio e Bahia fizeram um jogo tenso em 2 de março de 2005. O esquadrão de aço se posicionou todo atrás, tentando manter a vantagem mínima conquistada em Salvador. O tricolor gaúcho, empurrado por um bom público, buscava marcar um gol que lhe colocasse na fase seguinte.

Foi o primeiro jogo do Grêmio com o uniforme da Puma. Anderson, depois de jogar a Copa São Paulo, fez sua primeira aparição pela equipe principal em 2005. E ele foi um dos destaques da partida, criando as principais chances do tricolor.

Mas quem marcou o gol salvador do Grêmio foi o centroavante Samuel, que tinha começado o ano bem, chegando a receber a aprovação de Juarez Tanque, mas havia sido colocado no banco por De León em função da queda de produção. O gol só saiu aos 33 minutos do segundo tempo, depois de muita insistência do ataque gremista.


“Como o empate lhe servia, o Bahia fechou-se ainda com mais no segundo tempo. Afobado, o Grêmio passou a errar passes. Sem espaços, apostou nos chutes de fora da área, sem sucesso. Com a conivência da arbitragm, Anderson passou a sofrer faltas seguidas.

Aos 11 minutos, De León fez duas mudanças tentando dar agressividade ao time. Trocou o improdutivo Gustavo, que saiu sob vais, por Marcinho, e Ênio, por Samuel. Uma grande chance surgiu aos 28 minutos. Em novo passe de Anderson, Samuel desperdiçõu, quase dentro do gol.
Aos 33, Samuel não desperdiçou, após rebatida parcial da zaga, em cruzamento de Luiz Felipe, o centroavante concluiu com força, com o pé direito, garantindo a vaga na segunda fase da Copa do Brasil.” (Zero Hora – 3 de março de 2005)

Grêmio heróico vence o Bahia: 1 a 0
O gol foi marcado por Samuel, aos 33 minutos do segundo tempo de um jogo em que o time tricolor nunca desistiu de atacar

A torcida foi ao Olímpico em grande número, o Grêmio pressionou sem descanso o Bahia e o resultado não poderia ser outro: 1 a 0 e a vaga na segunda fase da Copa do Brasil garantida. O próximo adversário será o Vila Nova, de Goiás.

A desvantagem advinda da derrota na primeira partida com o Bahia tornou o primeiro tempo nervoso para os torcedores e o time do Grêmio, principalmente nos minutos iniciais. Sem dominar o meio-de-campo, o time de Hugo De León permitiu que o adversário chegasse com perigo à defesa gremista. Quando Dill sofreu falta na entrada da área, o silêncio no Olímpico quantificou a preocupação nas arquibancadas. Guaru cobrou rente à trave, para alívio dos torcedores.

Aos poucos, porém, Ânderson dava sinais de que seria o principal nome da partida. O meia foi responsável por quase todas as jogadas de ataque do Grêmio no primeiro tempo. Na mais bonita, passou por três marcadores antes de chutar fraco para a defesa de Márcio. Mas não foi só. Couberam também ao garoto as principais assistências, como aos 26, quando encontrou Ênio livre na área. O cabeceio, porém, saiu errado, fácil para o goleiro.

Na obrigação de fazer pelo menos um gol, De León avançou a equipe, colocando o centroavante Samuel no lugar do meia Ênio. A pressão seguiu sendo do Grêmio, que, por outro lado, oferecia o contra-ataque ao Bahia. A insistência gremista foi recompensada aos 33 minutos. Samuel aproveitou o rebote de uma dividida entre Marcus Vinícius e o goleiro e chutou cruzado para fazer Grêmio 1 a 0, garantindo o clube na Copa do Brasil. (Correio do Povo – 3 de março de 2005)

Grêmio 1 x 0 Bahia

GRÊMIO: Márcio; Luiz Felipe, Alessandro Lopes, Tiago Prado e Gustavo (Marcinho 10 do 2ºT); Marcus Vinícius, Nunes, Ênio (Samuel 10 do 2ºT) e Ânderson; Marcelinho (Márcio Oliveira 27 do 2ºT) e Somália.
Técnico: Hugo De León.

BAHIA: Márcio; Paulinho, Neto, Alyson e Cícero; Fernando Miguel, Magnum (Neto Potiguar 35 do 2ºT), Luiz Alberto e Guaru (Ernani 39 do 2ºT); Dill e Viola.
Técnico: Hélio dos Anjos.

Copa do Brasil 2005 – 1ª Fase – Jogo de ida
Data: 02 de março de 2005, quarta-feira, 21h45min
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre-RS
Público Total: 22.202 (20.230 pagantes)
Renda: R$ 131.432,00
Árbitro: Cléber W. Abade
Auxiliares: José Otávio Bitencourt e André Veras
Cartões Amarelos: Nunes, Marcus Vinícius, Ênio e Samuel (GRE); Márcio, Alisson e Fernando Miguel (BAH)
Gol: Samuel aos 33 minutos do segundo tempo

Copa do Brasil 2005 – Bahia 2×1 Grêmio

May 16, 2012

Depois de 1989, Bahia e Grêmio voltaram a se enfrentar em Salvador pela Copa do Brasil em 2005. O jogo valia pela 1ª fase da competição.

Na verdade, o advesário do tricolor gaúcho deveria ter sido a Catuense, campeã do interior baiano. Contudo, o Bahia, que, como vice campeão baiano, não tinha vaga assegurada, firmou uma parceria com o clube de Catu. Com isso o time do interior alegou não ter condições de disputar a competição e vaga terminou com o tricolor de aço.

O Grêmio, comandado por De León, passava por uma séria reformulação no início daquela temporada. A equipe entrou em campo com o uniforme genérico enquanto esperava pelo novo fardamento da Puma. A partida foi marcada por uma forte chuva e por erros defensivos do Grêmio. Depois do jogo, o departamento jurídico gremista questionou as condições de jogo do atacante Dill.

Mas o que entrou pra história nesse jogo foi a declaração dada pelo lateral Marcinho, ao sair de campo, para o repórter Cristiano Silva.


Grêmio cai na Fonte Nova: 2 a 1

O Grêmio precisa vencer o Bahia em Porto Alegre se quiser seguir na Copa do Brasil. Ontem, em Salvador, a equipe perdeu por 2 a 1. A partida de volta ocorre no dia 3 de março, no Olímpico. Vitória por 1 a 0 assegura vaga ao Grêmio. Vitória por um gol com placar superior a 2 a 1 dá a vaga ao Bahia.

O gol sofrido no início mudou a estratégia pensada por Hugo De León. Aos 6 minutos, Guaru cobrou escanteio para a equipe baiana. A defesa do Grêmio não afastou a bola e acabou surpreendendo o goleiro Eduardo, que tentou afastar de carrinho, sem sucesso. O atacante Dill ainda tocou na bola, mas ela já havia cruzado a linha do gol, marcando o gol do Bahia. A chance do empate veio aos 13, quando o volante Nunes venceu dividida na área baiana e teve à frente apenas o goleiro Márcio. O chute, porém, saiu fraco.

A forte chuva que caía sobre Salvador encharcou o gramado da Fonte Nova. No segundo tempo, várias poças surgiam como obstáculos para os jogadores. Nesse cenário, o Grêmio chegou ao empate. Aos 11 minutos da etapa final, Bruno cobrou falta da intermediária, Somália venceu a zaga pelo alto e cabeceou no canto, igualando o marcador.

Não demorou muito para que o Bahia ficasse novamente em vantagem. Aos 28 minutos, Paulinho avançou pela direita e cruzou, encontrando Viola livre na pequena área. O centroavante não teve trabalho em escorar e fazer 2 a 1. O Grêmio teve nova chance de empatar, com Marcelinho. Entretanto, aos 37, o atacante, sem marcação dentro da área, errou o gol.

O presidente Paulo Odone considera o resultado positivo. ‘Esse golinho que fizemos aqui vale dois’, lembra o dirigente, comparando o placar de ontem a um empate ao citar o regulamento da competição.” (Correio do Povo – 17 de Fevereiro de 2005)

Nem mesmo o Bahia esperava receber tamanho presente do Grêmio, aos seis minutos. Após escanteio cobrado por Guarú do lado direito, o goleiro Eduardo, com a visão encoberta pelos zagueiros, acabou empurrando a bola para dentro do próprio gol.
– Foi uma bobeira. Tentei chegar de carrinho e não consegui – Justificou Eduardo.

[…]

Foi difícil jogar no segundo tempo. A chuva, cuja intensidade chegou a atrapalhar a visibilidade dos jogadores no primeiro tempo, alagou o gramado da Fonte Nova, formando poças que ocupavam. Restou as dois time apelar para os chutões. E, dentro do possível, valer-se de quem tina qualidade técnica. Foi dessa forma que o Grêmio chegou ao empate. Aos 11 minutos, Bruno, novamente de atuação destacada, bateu falta do lado direito e Somália, saltando quase um metro a mais do que o zagueiro Neto, cabeceou no canto oposto do goleiro Márcio.
O esforço físico, redobrado devido às condições do gramadom foi minando o Grêmio. Aos 21 minutos, Somália deixou o campo, sentindo dores na virilha direita. Cinco minutos mais tarde, Marcinho também saiu.
Aos 28 minutos, a defesa do Grêmio preocupou-se em reclamar de impedimento não existente e permitiu que Viola marcassse de cabeça, após cruzamento de Paulinho. ” (Zero Hora – 17 de fevereiro de 2005)

Fotos: Zero Hora e Correio do Povo

Bahia 2×1 Grêmio

BAHIA: Márcio; Paulinho, Neto, Allyson e Bruno; Magno, Fernando Miguel, Cícero e Guaru (Elias); Dill e Viola.
Técnico: Hélio dos Anjos.

GRÊMIO: Eduardo; Michell, Marcelo Oliveira, e Tiago Prado; Luiz Felipe, Nunes, Marcus Vinícius, Bruno e Marcinho (Dênis); Somália (Marcelinho) e Samuel.
Técnico: Hugo De León.

Copa do Brasil 2005 – 1ª Fase – Jogo de ida
Local: Estádio da Fonte Nova, Salvador-BA
Público: 5.350 (4.453 pagantes)
Renda: R$ 29.875,00
Árbitro: Rodrigo Cintra (SP)
Auxiliares: José Raimundo Dias da Hora (BA) e Mick Santos de Jesus (BA)

Cartão Amarelo: Marcelo Oliveira, Michell, Fernando Miguel e Viola
Cartão Veremelho: Marcelo Oliveira.
Gols: Guarú, aos 6 minutos do primeiro tempo. Somália aos 11 e Viola aos 28 minutos do segundo tempo