Archive for the ‘2005’ Category

Série B 2022 – Grêmio 2×1 Vila Nova

September 4, 2022
https://live.staticflickr.com/65535/52330348706_5080802d86_b.jpg

Foto: Lucas Uebel (Grêmio FBPA)

Eu não entendi essa troca de treinador feita pelo Grêmio. Especialmente depois do presidente afirmar queNão via erro no conteúdo no trabalho do Roger” e que “internamente, estávamos satisfeitos com o Roger“. A justificativa foi oambiente que é previamente vaiado“.

Curiosamente, uma dessas vaias prévias aconteceu quando Roger não escalou Lucas Leiva de titular contra o Ponte Preta. Contra o Vila Nova o treinador interino fez a mesma coisa. E o time teve um bom começo de jogo, para depois apresentar as dificuldades já conhecidas.

Não acho que houve pênalti para o Vila Nova na origem do segundo gol gremista. De qualquer maneira, as imagens mostrados no VAR não demonstram que houve um “erro claro e óbvio” por parte do juiz.

https://live.staticflickr.com/65535/52330775540_14be92cb09_b.jpg

Foto: Lucas Uebel (Grêmio FBPA)

– Média de público do Grêmio na temporada:
20.073 (18.763 pagantes)

– Média de público do Grêmio na Série B 2022:
22.270 (20.860 pagantes)

Como curiosidade, vale apontar que a média de público dos quatorze jogos que o Grêmio fez com torcida na Série B de 2005 foi de 27.254 (22.475 pagantes). Cabe lembrar que naquele ano o clube tinha menos de 20 mil sócios (contra pouco mais de 63 mil sócios ao final de agosto de 2022).

https://live.staticflickr.com/65535/52330775675_374d85219f_b.jpg

Foto: Lucas Uebel (Grêmio FBPA)

https://i.imgur.com/M85P5Is.jpeg

GRÊMIO: Brenno; Edílson (Rodrigo Ferreira, intervalo), Geromel, Bruno Alves e Diogo Barbosa; Villasanti, Bitello (Thiago Santos, 36’/2ºT), Biel (Thaciano, 13’/2ºT), Campaz (Lucas Leiva, 36’/2ºT) e Guilherme; Diego Souza (Elkeson, 43’/2ºT).
Técnico: Cesar Lopes (interino)

VILA NOVA: Tony; Alex Silva, Alisson Cassiano, Rafael Donato e Willian Formiga (Railan, 36’/2ºT); Sousa (Romário, 36’/2ºT), Jean Martim (Matheuzinho, 11’/2ºT) e Arthur Rezende; Dentinho, Daniel Amorim (Rubens, 36’/2ºT) e Kaio Nunes (Hugo Cabral, 36’/2ºT).
Técnico: Allan Aal

28ª Rodada – Série B 2022
Data: 02 de setembro de 2022, Sexta-feira, 21h30min
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre, RS
Público: 13.775 (12.381 pagantes)
Renda: R$ 422.544,00
Árbitro: Sávio Pereira Sampaio (FIFA/DF)
Assistentes: Daniel Henrique da Silva Andrade (DF) e Lehi Sousa Silva (DF)
VAR: Wagner Reway (PB)
Gols: Biel, aos 2 minutos do 1º tempo; Thaciano, aos 17, e Matheuzinho aos 32 minutos do 2º tempo.

Série B 2005 – Grêmio 0x0 Vila Nova

September 1, 2022
https://64.media.tumblr.com/5fc7c9084bd164116dd2d2ab06949be3/46219f18f83d469d-a5/s1280x1920/e65e5a3aea1a90029fbb2d10b4d253ad3dcf4932.jpg

Foto: Valdir Friolin (Zero Hora)

Em 2005, o Grêmio recebeu o Vila Nova em partida válida pela 19ª rodada da primeira fase da Série B.

Tal como acontecerá agora, o jogo foi disputado numa sexta-feira à noite. O curioso é que em 2005 o clube esperava mais de 35 mil pessoas no estádio (numa época que tinha 16 mil sócios). Para amanhã, vi uma previsão de 10 mil espectadores (sendo que o clube tem hoje 63 mil sócios).

Pra mim, essa camisa de 2005 é uma das melhores, se não a melhor, camisa de titular da era moderna do Grêmio (as feitas de polyester, a partir de 1991). O interessante é que  essa versão manga longa TAMBÉM era muito legal (o que não costuma ser o caso em modelos que não repetem as listras do tronco nas mangas).

https://64.media.tumblr.com/9fff7d168abe41f8be97a33d2a98e013/46219f18f83d469d-bc/s1280x1920/fc196a889f027cfbf4bd488e1dc1c1489be5c90c.jpg

Foto: Valdir Friolin (Zero Hora)

“FESTA PELA VAGA
Digamos que venceu o pragmatismo. Seria bem mais animador classificar-se de forma antecipada à próxima fase da Serie B, quem sabe, com uma reluzente vitória em casa. Mas faltava um ponto, afinal de contas. E os quase 2 mil torcedores viram esse ponto chegar as custas de um empate em 0 a 0 com o Via Nova, ontem, no Olímpico. Com direito à pênalti perdido por Anderson, na sua despedida antes do Mundial sub- 17, aos 44 minutos do segundo tempo.

A festa perdeu um pouco do brilho, mas ficou para o Grêmio, virtualmente classificado, a certeza do dever cumprido. No primeiro tempo, o Grêmio mostrou-se rengo. Enquanto Patrício e Marcelo mostravam qualidade e desenvoltura nas jogadas de ataque pela direita Raone e Marcel colecionavam erros na esquerda. Raone, até ser substituído por Beuasejour no intervalo, sofre dramaticamente para conter Vando. Quando Anderson, parado apena e tão somente com faltas, enveredava do meio para a direito, o Grêmio envolvia com assombrosa naturalidade o organizado Vila Nova, cuja disciplina defensiva é de se ressaltar.

Foi assim que, logo aos três minutos, Patrício recebeu de Anderson e, ao tentar encobrir Michel, acertou o travessão. Antes de Patricio, outra vez, bater de fora da área, obrigando Michel a ótima defesa, Vando havia perdido gol incrível ao entrar a drible pelo meio. A rigor, foi o único jogador que teve vitória pessoal sobre os zagueiros do Grêmio. Foi nele a falta cobrada por Valdeir na qual Galatto teve sua única e perfeita participação no jogo. Marcel perderia, de cabeça, aparando cruzamento de Patrício, a chance clara de abrir o placar, aos 34 minutos.

O técnico Mano Menezes percebeu que seu time estava manco. Com Beausejour no lugar de Raone, apareceram algumas ações ofensivas pela esquerda. O Grêmio seguiu, embora com menos ímpeto, controlando a partida. O Vila, na hora de se defender, colocava 10 jogadores no seu campo. Nessas circunstâncias, Sandro e Jeovânio revelaram enormes dificuldades para se somar aos homens de frente quando não têm maiores tarefas de marcação. Apenas o pequenino Vando mantinha-se à frente no Vila Nova. Aos 17 minutos, Mano colocou Ricardinho no lugar de Samuel. Aos 27, acrescentou outro atacante, o uruguaio Lipatin. Retirou Marcel. Não adiantou. Os últimos 20 minutos foram cadenciados, lentos. O empate servia ao Vila Nova, sétimo colocado. E ao pragmático Grêmio de Mano Menezes, que segue na luta para voltar a Série A.

Pênalti
O técnico Mano Menezes disse qe foi dele a escolha de Anderson para cobrar o pênalti, ao invés de Patrício, batedor oficial, aos 44 minutos do segundo tempo.
– Mandei ordem pelo Lipatin para o Anderson cobrar. Esse é o fato. O resto é versão — afirmou Mano, procurando encerrar a discussão e chegando a indagar a um repórter se a pergunta embutia algum questionamento à competência do camisa 10.

Na saída de campo, entretanto, Patrício afirmou que veio de Anderson a iniciativa de tirar-lhe a bola das mãos: — Talvez ele quisesse sair um pouco mais feliz. Mas temos que entender.” (Diogo Olivier, Zero Hora, sábado, 27 de agosto de 2005)

https://i.imgur.com/qFF4rsL.jpg

TRICOLOR EMPATA SEM GOLS CONTRA O VILA NOVA NO OLÍMPICO
Resultado garante classificação antecipada à próxima fase da Série B

O Grêmio está classificado para o quadrangular semifinal da Série B. A classificação não veio como a torcida queria, com vitória diante do Vila Nova, mas o empate sem gols na noite desta sexta, no Olímpico, garantiu ao time do técnico Mano Menezes o pontinho necessário para a obtenção da vaga. Com o resultado, o tricolor chega aos 33 pontos na tabela, onde poderia estar em melhor situação caso Anderson, que fez a sua última partida antes de se apresentar à seleção sub-17, não tivesse desperdiçado um pênalti aos 45 minutos do segundo tempo.

Mesmo jogando pelo empate, o Grêmio se atirou para cima no início da partida. Afinal, os jogadores não queriam decepcionar os cerca de 30 mil torcedores que compareceram ao Olímpico. Logo aos três minutos, Patrício recebeu de Anderson e tentou encobrir o goleiro Michel, que se esticou todo e conseguiu tocar na bola antes dela explodir no travessão. O lance, o mais perigoso do primeiro tempo, acordou o Vila Nova, que logo em seguida equilibrou a partida.

O objetivo do técnico Roberto Fernandes, que acabou sendo alcançado, era levar um ponto de Porto Alegre. Nem por isso, o time goiano deixou de se aventurar no campo de defesa do Grêmio. O atacante Vando, que quase sempre levou vantagem sobre os defensores gremistas, fez ótima jogada individual aos 11 minutos e deixou o Paulinho Kobayashi cara-a-cara com Galatto. O veterano atacante, porém, arrematou por cima do gol, para alegria da torcida.

Na segunda etapa, Mano Menezes tratou de corrigir os defeitos apresentados no primeiro tempo. Tirou Raone, que poucas vezes foi visto além da linha central, e colocou o chileno Beausejour na lateral-esquerda. Com a alteração, o time passou a atacar também por aquele lado, o que não havia feito até então. Foi da ponta esquerda que saiu o passe para Marcel, aos 25 minutos, desperdiçar uma boa oportunidade, chutando por cima.

Como a primeira troca não surtiu efeito, Mano tirou Samuel, que era dúvida para a partida, e colocou Ricardinho no ataque. Logo em seguida, foi a vez de Marcel dar lugar ao uruguaio Lipatin, que fez sua estréia. O Grêmio continuou insistindo, mas o Vila Nova armou uma fortaleza na entrada da área. Se defendendo com 10 jogadores, o time goiano não permitiu que os donos da casa penetrassem em seus domínios. A solução encontrada pelo tricolor foi levantar bolas na área, que também não deram resultado.

Quando a torcida já se contentava com o empate, veio a grande oportunidade do Grêmio marcar. Aos 44 minutos, Marcelo cobrou escanteio da direita e a zaga do Vila Nova rebateu para a intermediária. Sandro, de cabeça, mirou o ângulo, mas Marquinhos Paraná, que não é goleiro, defendeu com a mão e acabou expulso. Na cobrança da penalidade, Anderson substituiu Patrício, o batedor oficial, e chutou fraco no canto esquerdo de Michel. O goleiro do Vila Nova defendeu com facilidade e garantiu o ponto fora de casa.” (Márcio Ramos Luiz, Diário Gaúcho, 26/08/2005, 22h29min)

https://i.imgur.com/HOT5ykD.jpg

Foto: Paulo Franken (Zero Hora)

https://i.imgur.com/nF1q9LT.jpg

https://i.imgur.com/kCj42m7.jpg

https://i.imgur.com/h4X4CCx.jpg

https://i.imgur.com/Fl6z1Bo.jpg

https://i.imgur.com/e8VCxjM.jpg

https://64.media.tumblr.com/4289b3d86628431f3fb233ff32553e95/46219f18f83d469d-5c/s1280x1920/ed4ed1ec2571c64979d83b4c5f48a16510cc06ff.jpg

https://64.media.tumblr.com/88b7713a07aaafb3de515ad72a3cbd16/46219f18f83d469d-99/s1280x1920/3809c2f627a3fec3ce043a9584f7905d8c7d205b.jpg

https://64.media.tumblr.com/6d4bf20494aba217481451c977798d14/46219f18f83d469d-f9/s1280x1920/35927584c27b622844695b69ee2d6095d3b07409.jpg

GRÊMIO: Galatto; Patrício, Pereira, Marcelo Oliveira e Raone (Beausejour); Jeovânio, Sandro Goiano, Marcelo Costa e Anderson; Marcel (Lipatin) e Samuel (Ricardinho)
Técnico: Mano Menezes

VILA NOVA: Michel Alves; Marquinhos, Vitor, Accioly e Marcos Paulo (André); Fábio Bahia, Heleno, Valdeir (Tim) e Itaqui; Wando e Paulinho Kobayashi (Alexandre)
Técnico: Roberto Fernandes

Público: 23.258 (21.385 pagantes)
Renda: R$ 236.458,00
Árbitro: Cléver Assunção Gonçalves
Auxiliares: Marco Antônio Martins e Márcio Eustáquio Santiago

Série B 2005 – Grêmio 0x2 Ituano

August 26, 2022
https://64.media.tumblr.com/8dab2b827a5d80f3cc0c10a9f14fd53e/a1506f0c72556bec-42/s2048x3072/98cba1b5f270088854da1526f3826da6a92ce1d2.jpg

Foto: Paulo Franken (Zero Hora)

O único jogo entre Grêmio e Ituano em Porto Alegre aconteceu pela Série B de 2005, mas foi disputado no Beira-Rio, com portões fechados, em mais um desses casos de punições sem sentido que infelizmente seguem acontecendo no futebol brasileiro.

Essa derrota tricolor acabou sendo uma espécie de divisor de águas naquela temporada gremista. Depois da partida, o goleiro Eduardo pediu demissão e na, sequência da semana, o centroavante Somália foi dispensado.

No Ituano se destacaram Wellington e Rômulo, que viriam a ser contratados pelo Grêmio no ano seguinte, além do “Espetacular Wilson Mathias”.

https://64.media.tumblr.com/55cfb1ee655af91fb94a4ef6abca58dc/3058264c602585a7-31/s1280x1920/e8f235ff3f8b46c38e40499fd07ad07bd4caacae.jpg

Foto: Paulo Franken (Zero Hora)

“PROCURA-SE UM GOLEIRO
Pressionado pela torcida, Eduardo pediu rescisão de contrato após a derrota de sábado, contra o Ituano, no Beira-Rio

Eduardo não resistiu à pressão. Frustrado com as críticas da torcida desde que chegou ao Grêmio, o goleiro pediu demissão apôs a derrota para o Ituano, sábado, no Beira-Rio. O clube busca agora um novo titular para o gol

A trajetória de Eduardo no Grêmio foi conturbada desde o início. A torcida preferia Márcio, titular no ano anterior, como o dono da camisa 1. Já na primeira partida da temporada, foi alvo de críticas por grande parte dos gremistas. Em Cachoeira do Sul, na partida contra o São José, foi vaiado ao fazer uma defesa.

Abatido por mais uma derrota e por ter sofrido um gol no mínimo estranho, no sábado, ele conversou com o diretor Mário Sérgio no vestiário e pediu para deixar o clube. Abriu mão do salário de R$ 30 mil por mês até o fim do ano.

– Ele disse que sua família estava sofrendo, principalmente o seu filho de sete anos na escola. Não existe super-homem – explicou Mário Sérgio.

Eduardo informou à assessoria de imprensa do Grêmio que dará entrevistas apenas hoje para explicar sua decisão. Sempre que procurado por Zero Hora, estava com o telefone celular desligado.

Ontem, o técnico Mano Menezes garantiu que não pretende aproveitar Márcio. Pelo menos, por enquanto. Afastado em 25 de abril, por alegada deficiência técnica, ele treina em horários especiais no Olímpico, com outros jogadores que não estão mais nos planos do treinador.

Para a partida contra o Criciúma, no próximo domingo, em Santa Catarina, Mano Menezes terá de optar entre os ex-juniores Galatto e Marcelo Grohe. Contra o Ituano, Galatto ficou no banco de reservas.

O Grêmio espera contratar hoje ou amanhã o goleiro Juninho, reserva do Vitória Juninho, 23 anos, participou da seleção brasileira Sub23 que não conquistou a vaga para Atenas/2004. A idéia da comissão técnica é contar com quatro goleiros. Hoje há apenas dois no Estádio Olímpico.” (Gabriel Camargo, Zero Hora, segunda-feira, 9 de maio de 2005)

 

UM SEGUNDO TEMPO QUE BEIROU O DEPRIMENTE
O Sport salvou o fim de semana do Grêmio. Ao garantir um empate em O a O contra o CRB, ontem, em Maceió, a equipe pernambucana evitou que o Grêmio acabasse a rodada como um dos seis times que hoje estariam rebaixados à Série C em 2006. O Grêmio é o 16° colocado, com três pontos.

Sábado, o Grêmio só resistiu 40 minutos ao Ituano, quando a equipe paulista marcou seu primeiro gol, por Wellington, de cabeça. Depois de levar o segundo, em falha grotesca de Alessandro Lopes, afundou de vez. A melhor chance foi do atacante Somália chutando na trave direita.

O segundo tempo do Grêmio beirou o deprimente. Os laterais Alessandro e Escalona nada produziram, a zaga revelou a habitual insegurança. Anderson produziu menos do que em outros jogos. Na etapa finai, por duas vezes, aos 14 e 33 minutos, Alessandro Lopes quase marcou contra.” (Gabriel Camargo, Zero Hora, segunda-feira, 9 de maio de 2005)

https://i.imgur.com/lwogfya.jpg

Foto: Ricardo Giusti (Correio do Povo)

EDUARDO PEDE RESCISÃO DE CONTRATO COM O GRÊMIO

A derrota de 2 a 0 para o Ituano abalou o Grêmio. Os jogadores ficaram muito abatidos e preocupados com a atuação da equipe. O goleiro Eduardo não agüentou e pediu rescisão de contrato.

“O Eduardo me chamou e disse que a pressão é muito grande. Seu filho está sendo ameaçado na escola e isso está trazendo muita intranqüilidade para ele. Vou passar para o presidente Odone e vamos ver o que vai acontecer”, afirmou o diretor de futebol, Mário Sérgio.

O dirigente admite a situação delicada, mas pede crédito ao grupo.

“Perdemos duas partidas e a campanha não é boa. Temos que dar confiança aos jogadores. Ainda falta muita coisa”, definiu Mário Sérgio.

O Grêmio tem a pior defesa da Série B com sete gols sofridos em três jogos. Mesmo assim, o técnico Mano Menezes pediu calma.

“Estava um jogo igual. Levamos um gol e o time ficou abatido. Depois, sofremos o segundo e faltou reação no segundo tempo. No momento, temos que ter muita calma”, encerrou.

O Grêmio enfrenta Criciúma e Guarani-SP, fora de casa, nas duas próximas rodadas.” (Alexandre Praetzel, Terra, Sábado, 7 de maio de 2005, 19h06min)

https://i.imgur.com/dh9qjyd.jpg

SÉRIE B: GRÊMIO PERDE NO BEIRA-RIO PARA O ITUANO

PORTO ALEGRE – Com portões fechados, o Grêmio perdeu de 2 a 0 para Ituano neste sábado, no Beira-Rio, em partida válida pela terceira rodada da Série B do Brasileirão 2005. Os gols do time paulista foram assinalados por Welington e Rômulo ainda no primeiro tempo. O resultado deixa o time tricolor na 14ª colocação com três pontos. Já o Ituano vai para a sétima posição com quatro.

Apesar do 2 a 0, o Grêmio começou bem o primeiro tempo. Trocando passes, o time chegou com alguma tranqüilidade ao ataque, mas não garantiu boas finalizações. A defesa também aparentava recuperação, após tantas atuações ruins nos jogos passados. Mas a boa apresentação perdurou até os 38 minutos, quando o Ituano abriu o marcador. Sandro cruzou da ponta direita de ataque. Welington, livre, mandou de cabeça para deixar o time paulista em vantagem.

O gol não pareceu desanimar o tricolor que seguiu tentando atacar. Aos 42, o azar se manifestou para os comandados de Mano Menezes. Somália recebeu na entrada da área e mandou na trave. A bola voltou nas costas do goleiro André Luís e saiu pela linha de fundo. Quando o jogo se encaminhava para o final da etapa inicial, o time de do treinador Válter Ferreira ampliou. Aos 43, Rômulo aproveitou rebote dentro da grande área após a defesa tricolor afastar mal a bola e chutou sem chance para a defesa gremista.

No segundo tempo, o Grêmio perdeu um pouco do ímpeto mostrado no início da partida. Sem muito ânimo, o time passou a ser dominado pelo Ituano, que aproveitou para administrar o resultado. Além de estar com o controle do confronto na mão, o Ituano começou a ter mais oportunidades no ataque principalmente com Rômulo. Em um lance, o centroavante do time paulista, livre na entrada da área, meteu para fora, livrando o tricolor de uma goleada.

Na próxima rodada, o Grêmio enfrenta o Criciúma no domingo, às 16h, no Heriberto Hulse. Uma derrota ou até mesmo um empate pode colocar a equipe na zona de rebaixamento à Terceira Divisão.” (ClicRBS, 07/05/2005 às 18h08 – Atualizada em 27/03/2022 às 14h46)

 

https://i.imgur.com/i7Yuusm.jpg

ITUANO DERROTA GRÊMIO
Welington e Rômulo fizeram os gols do time paulista

PORTO ALEGRE – Com portões fechados, o Grêmio perdeu de 2 a 0 para Ituano neste sábado, no Beira-Rio, em partida válida pela terceira rodada da Série B do Brasileirão 2005. Os gols do time paulista foram assinalados por Welington e Rômulo, ambos no primeiro tempo. O resultado deixa o time tricolor com três pontos, em 15º lugar, perto da zona de rebaixamento para a Série C. A equipe do interior paulista tem quatro e está em sexto lugar.

Grêmio e Ituano voltarão a jogar somente no próximo final de semana. A equipe paulista irá receber o Anapolina, no sábado. No dia seguinte, o Tricolor terá pela frente o Criciúma, no interior de Santa Catarina.

Sem poder jogar em seu estádio por ter sido punido, o time gaúcho mandou a partida no Beira-Rio, estádio do seu maior rival, o Internacional. Além disso, o jogo teve de ser com portões fechados, sem a presença da torcida.

Talvez tenha sido melhor para a torcida gremista. O time até que começou bem, dando a falsa impressão de que conseguiria um bom resultado. No entanto, a defesa voltou a falhar e Welington fez 1 a 0 para os visitantes. Livre na área, ele recebeu cruzamento de Sandro e escorou de cabeça, aos 38 minutos do primeiro tempo.

O time gaúcho não desanimou e foi para o ataque. Aos 42, Somália arrematou da entrada da área. A bola bateu na trave, nas costas do goleiro André Luís e saiu. Para piorar, o Ituano ampliou um minuto depois. Rômulo aproveitou rebote dentro da grande área, driblou o goleiro Eduardo e selou o marcador.

Na etapa final, o Grêmio jogou de forma desorganizada e foi dominado pelo time paulista. O Ituano então passou a tocar a bola e fazer o tempo passar, beneficiado pela apatia do tricolor gaúcho.” (Globo Esporte, Sábado, 07/05/2005, 17h57m | Atualizado às 19h30m)

https://i.imgur.com/esGetMp.jpg

NO ESTÁDIO DO INTER, GRÊMIO VOLTA A PERDER NA B

O estádio do maior rival vai ficar como um pesadelo na memória do Grêmio. Neste sábado, o time gaúcho foi derrotado por 2 a 0 pelo Ituano, no Beira Rio. Contra o Gama, na primeira rodada da Série B, o recém-rebaixado perdeu por 2 a 1 no mesmo local.

A torcida que acompanha o Grêmio aonde o Grêmio estiver, mais uma vez, não pôde apoiar o time. O jogo aconteceu com portões fechados em virtude de uma punição imposta pelo STJD por invasões e objetos atirados em campo durante o Brasileirão de 2004.

Mesmo jogando como mandante, o Grêmio não foi capaz de se impor em campo. O Ituano dominou todo o primeiro tempo e, em menos de cinco minutos, definiu a derrota dos donos da casa com gols de Wellington e Rômulo.

Com o resultado, o Grêmio passa a ocupar a inexpressiva 14ª colocação da tabela. A posição frustra os planos do treinador Mano Menezes, que pretendia terminar a rodada entre os oito clubes que passam para a próxima fase da competição.

A vitória fora de casa sobre a grande estrela da Série B deste ano tirou o Ituano da faixa dos seis times que serão, ao término da primeira fase, rebaixados para a Terceira Divisão. Com quatro pontos em três jogos, a equipe paulista ocupa a 11ª posição.

No próximo domingo, o Grêmio vai a Santa Catarina para enfrentar o Criciúma. O Ituano, por sua vez, recebe a Anapolina no sábado.

O jogo
O Grêmio passou o primeiro tempo inteiro apostando em jogadas de velocidade. No entanto, só conseguiu levar perigo ao gol de André Luiz em chutes de Somália ou em boas jogadas criadas por Anderson.

O Ituano, jogando fora de casa, se portou como time grande. Atacou, valorizou a posse de bola e buscou nas jogadas aéreas a melhor maneira de vencer o Grêmio. Foi assim que o time paulista chegou ao gol, no final do primeiro tempo.

Aos 40min, o Ituano foi ao ataque pelo lado direito com Sandro. O lateral cruzou, Wellington subiu sozinho e cabeceou para o fundo do gol.

O Grêmio tentou responder aos 45min. Somália chutou da entrada da área. A bola bateu na trave, resvalou no goleiro e seguiu pela linha de fundo.

A primeira etapa já estava chegando ao fim, quando o drama do Grêmio ficou ainda maior. Em uma grande falha da defesa, o time paulista ampliou a vantagem. A zaga gremista tentou afastar a bola da área. Sandro chutou em cima de Marcelo Oliveira e sobrou para Rômulo, que driblou o goleiro e marcou o segundo dos visitantes.

No segundo tempo, o Grêmio voltou completamente desorganizado. Aos 20min, a situação ficou ainda mais complicada com a expulsão do técnico Mano Menezes.

A melhor chance dos donos da casa aconteceu aos 24min. Paulo Ramos dominou na área com o pé, levantou a bola e tocou de cabeça. O goleiro André Luiz deu um soco na bola e afastou o perigo.

A partir daí, o Grêmio seguiu pressionado em busca do empate mas desperdiçou diversas oportunidades. Nos contra-ataques armados pelo Ituano, não faltaram sustos. Não fosse a falta de sorte e pontaria dos visitantes, a derrota poderia ter se transformado em uma goleada.” (UOL, 07/05/2005 – 17h57min)

https://i.imgur.com/VmRA1eD.jpg

 

“TRICOLOR LEVA 2 A 0 DO ITUANO NO BEIRA-RIO PELA SÉRIE B
Welington e Rômulo fizeram os gols do time paulista

Com portões fechados, o Grêmio levou 2 a 0 do Ituano neste sábado, dia 7, no Beira-Rio, em partida válida pela terceira rodada da Série B do Brasileirão 2005. Os gols do time paulista foram assinalados por Welington e Rômulo ainda no primeiro tempo. O resultado deixa o time tricolor na 14ª colocação com três pontos. Já o Ituano vai para a sétima posição com quatro.

Apesar do 2 a 0, o Grêmio começou bem o primeiro tempo. Trocando passes, o time chegou com alguma tranqüilidade ao ataque, mas não garantiu boas finalizações. A defesa também aparentava recuperação, após tantas atuações ruins nos jogos passados. Mas a boa apresentação perdurou até os 38 minutos, quando o Ituano abriu o marcador. Sandro cruzou da ponta direita de ataque. Welington, livre, mandou de cabeça para deixar o time paulista em vantagem.

O gol não pareceu desanimar o tricolor que seguiu tentando atacar. Aos 42, o azar se manifestou para os comandados de Mano Menezes. Somália recebeu na entrada da área e mandou na trave. A bola voltou nas costas do goleiro André Luís e saiu pela linha de fundo. Quando o jogo se encaminhava para o final da etapa inicial, o time de do treinador Válter Ferreira ampliou. Aos 43, Rômulo aproveitou rebote dentro da grande área após a defesa tricolor afastar mal a bola e chutou sem chance para a defesa gremista.

No segundo tempo, o Grêmio perdeu um pouco do ímpeto mostrado no início da partida. Sem muito ânimo, o time passou a ser dominado pelo Ituano, que aproveitou para administrar o resultado. Além de estar com o controle do confronto na mão, o Ituano começou a ter mais oportunidades no ataque principalmente com Rômulo. Em um lance, o centroavante do time paulista, livre na entrada da área, meteu para fora, livrando o tricolor de uma goleada.

Na próxima rodada, o Grêmio enfrenta o Criciúma no domingo, às 16h, no Heriberto Hulse. Uma derrota ou até mesmo um empate pode colocar a equipe na zona de rebaixamento à Terceira Divisão.” (NSC Total – 07/05/2005 – 13h50min)

 

https://i.imgur.com/EOa7fHF.png

GRÊMIO: Eduardo; Alessandro, Alessandro Lopes, Marcus Vinícius (Bruno) e Marcelo Oliveira;  Jeovânio, Pedrinho, Anderson (Paulo Ramos) e Escalona; Pedro Júnior (Samuel) e Somália
Técnico: Mano Menezes

ITUANO: André Luiz; Ricardo Lopes, Elivelton, Jéci e Wellington; Pierre (João Carlos), Wilson Mathias, Dudu (Ricardo Oliveira) e Sandro; Fernando Gaúcho e Rômulo.
Técnico: Válter Ferreira

Série B 2005 – 1ª Fase – 3ª Rodada
Data: 7 de maio de 2005, sábado, 16h00min
Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre, RS
Árbitro: Jefferson Schmidt (SC)
Assistentes: Alcides Pazzeto (SC) e Carlos Berkenbrock (SC)
Cartões amarelos: Fernando Gaúcho, André Luiz (Ituano)
Gols: Wellington, aos 40min do primeiro tempo e Rômulo, aos 46min do primeiro tempo

Série B 2005 – CRB 1×1 Grêmio

August 13, 2022
https://gremio1983.files.wordpress.com/2022/08/79ac8-gre.png

Foto: Correio do Povo (Fonte: Grêmio Dados)

O Grêmio enfrentou o CRB no estádio Rei Pelé em 3 ocasiões. A primeira no Brasileirão de 1972. A última na Copa do Brasil de 2015. E no meio disse teve esse duelo pela 20ª rodada da primeira fase da Série B de 2005.

Eu tinha apagado da memória esse gol de Jeovânio. Na minha lembrança ele raramente aparecia no campo de ataque, se dedicando a proteger a defesa com zelo e elegância.

E vendo a foto abaixo fiquei com saudade do “cruzamento de carrinho” do Escalona.

https://pbs.twimg.com/media/FaCusYDWYAgljFO?format=jpg

Foto: Ailton Cruz (O Jornal/ZH) – Fonte: Grêmiopédia

 

JOGO RUIM , VAGA GARANTIDA

Se algo de positivo restou ao Grêmio no empate em 1 a 1 com o modesto CRB, ontem à noite, em Maceió, foi o sinal de alerta para a próxima fase da Série B. Sem Anderson, convocado para a seleção brasileira sub17, o time mostrou que é igual a quase todos os outros que disputam a competição. E que precisará de uma dose extra de superação se quiser retomar à primeira divisão,

Se a primeira fase tivesse se encerrado ontem, os adversários na próxima fase seriam os perigosos Santo André, Vila Nova e Guarani. O Grêmio chegou a ser irritante no primeiro tempo. Abusou dos passes errados e chegou a ser displicente em alguns momentos, entrando frouxo nas divididas e permitindo ao CRB, um time sem qualquer brilho, levar perigo ao gol de Galatto.

Em sua primeira experiência como substituto de Anderson, Marcel foi tão voluntarioso quanto dispersivo. Participou de quase todos os lances de ataque do time, seja na preparação de jogadas quanto na finalização. Só que errou quase todos. Acabou substituído por Luiz Fernando no intervalo. Mas, ao menos, recebeu o terceiro cartão amarelo, que o deixa com a ficha limpa para a próxima fase, do mesmo modo do que Patrício, Bruno, Jeovânio e Domingos.

A melhor oportunidade para marcar foi aos quatro minutos. Ricardinho passou por dois marcadores e cruzou para o chute errado de Marcel. Pereira já poderia ter sido expulso aos 42 minutos, quando, em um lance grotesco, chutou um adversário para fora de campo. Acabou recebendo o cartão vermelho logo no início do segundo tempo, por nova falta.

Mano Menezes foi obrigado a mexer no time. Para recompor a defesa, trocou o centroavante Samuel por Domingos.

Como só uma vitória o mantinha longe da zona de rebaixamento para a Série C, o CRB lançou-se à frente na segunda etapa. Em dois minutos, criou dois lances curiosos. Aos sete, Helinho arriscou o chute de longe, a bola tocou no gramado, subiu e quase enganou Galatto. Aos nove, Claudinho chutou de fora da área e a bola atingiu o olho direito do goleiro Galatto, que precisou de atendimento médico dentro de campo.

Aos 23 minutos, em sua única jogada criativa, o Grêmio marcou o gol que lhe assegura uma posição entre os quatro primeiros. Ricardinho avançou pela esquerda, deu a Jeovânio que chutou de longe, com a bola desviando em Dino antes de encobrir Jéfferson.

Cristiano empatou aos 39 minutos, após falha da zaga e de Galatto. Os últimos minutos foram de pânico para os dois times. Para o Grêmio, tentando escapar da derrota. Para o CRB, cujos jogadores chegaram a se ajoelhar e rezar em campo em uma cobrança de falta, na luta para escapar do rebaixamento.

O Grêmio joga sábado contra o Marília, no Olímpico. Já classificado, a partida vale apenas para assegurar lugar entre os quatro primeiros.” (Zero Hora, sábado, 3 de setembro de 2005 – Fonte: Grêmiopédia)

 


CRB EMPATA E SE COMPLICA AINDA MAIS

Um jogo dramático. Foi assim o duelo entre CRB e Grêmio, ontem, no Rei Pelé, que terminou em 1×1. Os gols da partida aconteceram no segundo tempo. Geovânio abriu o marcador para os gaúchos aos 22 minutos, ao chutar forte de fora da área, sem defesa para o goleiro Jeferson. 1×0 Grêmio. Mas, na pressão, Cristiano, que havia entrado no lugar de Zé Carlos, aos 42 minutos, mergulhou de cabeça após confusão na área e empatou.

Com o resultado, que o deixou no 14º lugar, 26 pontos, o CRB ainda está complicado na tabela, porque terá que vencer seu último jogo, dia 10 de setembro, contra o Criciúma, em Santa Catarina, para afastar de vez o risco de rebaixamento e não depender de ninguém. Se empatar ou perder, o time alagoano dependerá da combinação de resultados no bolo de times que ainda brigam para não cair. Já o Grêmio, com o empate, consolidou sua passagem à próxima fase da Série B.

O jogo

A partida no primeiro tempo teve poucos lances de emoção para a torcida que lotou o Rei Pelé, cerca de 15 mil pessoas. De um lado, um CRB tenso que errava muitos passes na saída de bola. As melhores jogadas do Galo aconteceram pelo lado direito com a trama entre Ivonaldo, Edson Baiano e Helinho. Do outro, um Grêmio que mantinha uma postura tática de muita marcação e alguns poucos ataques que chegaram a levar o goleiro Jeferson a fazer pelo menos uma boa defesa. O meia Juninho Cearense sentiu de novo o velho problema na coxa ainda no 1º tempo. O jogador foi substituído por Claudinho, que não estava numa noite inspirada.

Na segunda etapa, a partida cresceu. Logo aos três minutos Zé Carlos fez boa jogada e forçou o árbitro a expulsar o zagueiro Pereira. Com o apoio em massa da torcida, o CRB partiu com tudo e obrigou o goleiro gremista Gallato a fazer intervenções até no susto. A primeira chance foi um chute de Helinho, aos 10 minutos, da intermediária. A bola bateu no terreno e subiu para se chocar na cabeça do goleiro, levando perigo ao gol gremista. Mas foi Grêmio que achou o gol aos 22 com Geovânio. Antes de empatar, o CRB perdeu uma chance incrível com Cristiano embaixo da trave, sem goleiro. Aos 39, ele finalmente achou o caminho das redes: 1×1 Galo. Aos 47, com o estádio em delírio para a virada, Emerson bateu uma falta do bico da área, mas colocou em cima da barreira e desperdiçou a última chance. Valmir, do Galo, também foi expulso.

A nota triste ficou por conta dos gestos obscenos do atacante Zé Carlos para a torcida e de sua discussão nos vestiários com PMs que o ameaçavam prender. A situação só foi contornada pelo policial do Bope Gilmar e o supervisor Mauro Ramos.” (WELLINGTON SANTOS Repórter, Gazeta de Alagoas, sábado, 3 de setembro de 2005)

 

https://i.imgur.com/vxRoxUV.jpg

CRB: Jefferson: Carlinhos (Cristiano), Émerson e Gustavo; Ivonaldo, Dino, Edson Baiano, Juninho Cearense (Claudinho) e Valmir; Zé Carlos (Josimar) e Helinho
Técnico: Flávio Barros

GRÊMIO: Galatto; Patricio, Marcelo Oliveira, Pereira e Escalona;Jeovanio, Sandro Goiano, Bruno (Marco Aurélio) e Marcel (Luiz Fernando): Ricardinlo e Samuel (Domingos)
Técnico: Mano Menezes

Copa do Brasil 2005 – Grêmio 1 x 0 Bahia

May 24, 2012


Muito embora fosse um encontro de primeira fase da Copa do Brasil, Grêmio e Bahia fizeram um jogo tenso em 2 de março de 2005. O esquadrão de aço se posicionou todo atrás, tentando manter a vantagem mínima conquistada em Salvador. O tricolor gaúcho, empurrado por um bom público, buscava marcar um gol que lhe colocasse na fase seguinte.

Foi o primeiro jogo do Grêmio com o uniforme da Puma. Anderson, depois de jogar a Copa São Paulo, fez sua primeira aparição pela equipe principal em 2005. E ele foi um dos destaques da partida, criando as principais chances do tricolor.

Mas quem marcou o gol salvador do Grêmio foi o centroavante Samuel, que tinha começado o ano bem, chegando a receber a aprovação de Juarez Tanque, mas havia sido colocado no banco por De León em função da queda de produção. O gol só saiu aos 33 minutos do segundo tempo, depois de muita insistência do ataque gremista.

 


“Como o empate lhe servia, o Bahia fechou-se ainda com mais no segundo tempo. Afobado, o Grêmio passou a errar passes. Sem espaços, apostou nos chutes de fora da área, sem sucesso. Com a conivência da arbitragm, Anderson passou a sofrer faltas seguidas.

Aos 11 minutos, De León fez duas mudanças tentando dar agressividade ao time. Trocou o improdutivo Gustavo, que saiu sob vais, por Marcinho, e Ênio, por Samuel. Uma grande chance surgiu aos 28 minutos. Em novo passe de Anderson, Samuel desperdiçõu, quase dentro do gol.
Aos 33, Samuel não desperdiçou, após rebatida parcial da zaga, em cruzamento de Luiz Felipe, o centroavante concluiu com força, com o pé direito, garantindo a vaga na segunda fase da Copa do Brasil.” (Zero Hora – 3 de março de 2005)

Grêmio heróico vence o Bahia: 1 a 0
O gol foi marcado por Samuel, aos 33 minutos do segundo tempo de um jogo em que o time tricolor nunca desistiu de atacar

A torcida foi ao Olímpico em grande número, o Grêmio pressionou sem descanso o Bahia e o resultado não poderia ser outro: 1 a 0 e a vaga na segunda fase da Copa do Brasil garantida. O próximo adversário será o Vila Nova, de Goiás.

A desvantagem advinda da derrota na primeira partida com o Bahia tornou o primeiro tempo nervoso para os torcedores e o time do Grêmio, principalmente nos minutos iniciais. Sem dominar o meio-de-campo, o time de Hugo De León permitiu que o adversário chegasse com perigo à defesa gremista. Quando Dill sofreu falta na entrada da área, o silêncio no Olímpico quantificou a preocupação nas arquibancadas. Guaru cobrou rente à trave, para alívio dos torcedores.

Aos poucos, porém, Ânderson dava sinais de que seria o principal nome da partida. O meia foi responsável por quase todas as jogadas de ataque do Grêmio no primeiro tempo. Na mais bonita, passou por três marcadores antes de chutar fraco para a defesa de Márcio. Mas não foi só. Couberam também ao garoto as principais assistências, como aos 26, quando encontrou Ênio livre na área. O cabeceio, porém, saiu errado, fácil para o goleiro.

Na obrigação de fazer pelo menos um gol, De León avançou a equipe, colocando o centroavante Samuel no lugar do meia Ênio. A pressão seguiu sendo do Grêmio, que, por outro lado, oferecia o contra-ataque ao Bahia. A insistência gremista foi recompensada aos 33 minutos. Samuel aproveitou o rebote de uma dividida entre Marcus Vinícius e o goleiro e chutou cruzado para fazer Grêmio 1 a 0, garantindo o clube na Copa do Brasil. (Correio do Povo – 3 de março de 2005)

Grêmio 1 x 0 Bahia

GRÊMIO: Márcio; Luiz Felipe, Alessandro Lopes, Tiago Prado e Gustavo (Marcinho 10 do 2ºT); Marcus Vinícius, Nunes, Ênio (Samuel 10 do 2ºT) e Ânderson; Marcelinho (Márcio Oliveira 27 do 2ºT) e Somália.
Técnico: Hugo De León.

BAHIA: Márcio; Paulinho, Neto, Alyson e Cícero; Fernando Miguel, Magnum (Neto Potiguar 35 do 2ºT), Luiz Alberto e Guaru (Ernani 39 do 2ºT); Dill e Viola.
Técnico: Hélio dos Anjos.

Copa do Brasil 2005 – 1ª Fase – Jogo de ida
Data: 02 de março de 2005, quarta-feira, 21h45min
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre-RS
Público Total: 22.202 (20.230 pagantes)
Renda: R$ 131.432,00
Árbitro: Cléber W. Abade
Auxiliares: José Otávio Bitencourt e André Veras
Cartões Amarelos: Nunes, Marcus Vinícius, Ênio e Samuel (GRE); Márcio, Alisson e Fernando Miguel (BAH)
Gol: Samuel aos 33 minutos do segundo tempo

Copa do Brasil 2005 – Bahia 2×1 Grêmio

May 16, 2012

Depois de 1989, Bahia e Grêmio voltaram a se enfrentar em Salvador pela Copa do Brasil em 2005. O jogo valia pela 1ª fase da competição.

Na verdade, o advesário do tricolor gaúcho deveria ter sido a Catuense, campeã do interior baiano. Contudo, o Bahia, que, como vice campeão baiano, não tinha vaga assegurada, firmou uma parceria com o clube de Catu. Com isso o time do interior alegou não ter condições de disputar a competição e vaga terminou com o tricolor de aço.

O Grêmio, comandado por De León, passava por uma séria reformulação no início daquela temporada. A equipe entrou em campo com o uniforme genérico enquanto esperava pelo novo fardamento da Puma. A partida foi marcada por uma forte chuva e por erros defensivos do Grêmio. Depois do jogo, o departamento jurídico gremista questionou as condições de jogo do atacante Dill.

Mas o que entrou pra história nesse jogo foi a declaração dada pelo lateral Marcinho, ao sair de campo, para o repórter Cristiano Silva.


Grêmio cai na Fonte Nova: 2 a 1

O Grêmio precisa vencer o Bahia em Porto Alegre se quiser seguir na Copa do Brasil. Ontem, em Salvador, a equipe perdeu por 2 a 1. A partida de volta ocorre no dia 3 de março, no Olímpico. Vitória por 1 a 0 assegura vaga ao Grêmio. Vitória por um gol com placar superior a 2 a 1 dá a vaga ao Bahia.

O gol sofrido no início mudou a estratégia pensada por Hugo De León. Aos 6 minutos, Guaru cobrou escanteio para a equipe baiana. A defesa do Grêmio não afastou a bola e acabou surpreendendo o goleiro Eduardo, que tentou afastar de carrinho, sem sucesso. O atacante Dill ainda tocou na bola, mas ela já havia cruzado a linha do gol, marcando o gol do Bahia. A chance do empate veio aos 13, quando o volante Nunes venceu dividida na área baiana e teve à frente apenas o goleiro Márcio. O chute, porém, saiu fraco.

A forte chuva que caía sobre Salvador encharcou o gramado da Fonte Nova. No segundo tempo, várias poças surgiam como obstáculos para os jogadores. Nesse cenário, o Grêmio chegou ao empate. Aos 11 minutos da etapa final, Bruno cobrou falta da intermediária, Somália venceu a zaga pelo alto e cabeceou no canto, igualando o marcador.

Não demorou muito para que o Bahia ficasse novamente em vantagem. Aos 28 minutos, Paulinho avançou pela direita e cruzou, encontrando Viola livre na pequena área. O centroavante não teve trabalho em escorar e fazer 2 a 1. O Grêmio teve nova chance de empatar, com Marcelinho. Entretanto, aos 37, o atacante, sem marcação dentro da área, errou o gol.

O presidente Paulo Odone considera o resultado positivo. ‘Esse golinho que fizemos aqui vale dois’, lembra o dirigente, comparando o placar de ontem a um empate ao citar o regulamento da competição.” (Correio do Povo – 17 de Fevereiro de 2005)

Nem mesmo o Bahia esperava receber tamanho presente do Grêmio, aos seis minutos. Após escanteio cobrado por Guarú do lado direito, o goleiro Eduardo, com a visão encoberta pelos zagueiros, acabou empurrando a bola para dentro do próprio gol.
– Foi uma bobeira. Tentei chegar de carrinho e não consegui – Justificou Eduardo.

[…]

Foi difícil jogar no segundo tempo. A chuva, cuja intensidade chegou a atrapalhar a visibilidade dos jogadores no primeiro tempo, alagou o gramado da Fonte Nova, formando poças que ocupavam. Restou as dois time apelar para os chutões. E, dentro do possível, valer-se de quem tina qualidade técnica. Foi dessa forma que o Grêmio chegou ao empate. Aos 11 minutos, Bruno, novamente de atuação destacada, bateu falta do lado direito e Somália, saltando quase um metro a mais do que o zagueiro Neto, cabeceou no canto oposto do goleiro Márcio.
O esforço físico, redobrado devido às condições do gramadom foi minando o Grêmio. Aos 21 minutos, Somália deixou o campo, sentindo dores na virilha direita. Cinco minutos mais tarde, Marcinho também saiu.
Aos 28 minutos, a defesa do Grêmio preocupou-se em reclamar de impedimento não existente e permitiu que Viola marcassse de cabeça, após cruzamento de Paulinho. ” (Zero Hora – 17 de fevereiro de 2005)

Fotos: Zero Hora e Correio do Povo

Bahia 2×1 Grêmio

BAHIA: Márcio; Paulinho, Neto, Allyson e Bruno; Magno, Fernando Miguel, Cícero e Guaru (Elias); Dill e Viola.
Técnico: Hélio dos Anjos.

GRÊMIO: Eduardo; Michell, Marcelo Oliveira, e Tiago Prado; Luiz Felipe, Nunes, Marcus Vinícius, Bruno e Marcinho (Dênis); Somália (Marcelinho) e Samuel.
Técnico: Hugo De León.

Copa do Brasil 2005 – 1ª Fase – Jogo de ida
Local: Estádio da Fonte Nova, Salvador-BA
Público: 5.350 (4.453 pagantes)
Renda: R$ 29.875,00
Árbitro: Rodrigo Cintra (SP)
Auxiliares: José Raimundo Dias da Hora (BA) e Mick Santos de Jesus (BA)

Cartão Amarelo: Marcelo Oliveira, Michell, Fernando Miguel e Viola
Cartão Veremelho: Marcelo Oliveira.
Gols: Guarú, aos 6 minutos do primeiro tempo. Somália aos 11 e Viola aos 28 minutos do segundo tempo