Archive for the ‘Bahia’ Category

Brasileirão 2020 – Grêmio 2×1 Bahia

January 7, 2021

Foto: Lucas Uebel (Grêmio.net)

Que bom momento para o surgimento de Vanderson, justamente quando se noticiam complicações para a permanência de Orejuela.

Eu não sei se esse provável adiamento das finais da Copa do Brasil é bom ou é ruim para o Grêmio.

Foto: Lucas Uebel (Grêmio.net)

GRÊMIO: Vanderlei; Vanderson (Thaciano, aos 22/2ºT), Rodrigues, Kanneman e Diogo Barbosa; Lucas Silva (Darlan, aos 23’/2ºT), Matheus Henrique, Alisson (Everton, aos 40’/2ºT), Jean Pyerre (Pinares, aos 23’/2ºT) e Pepê e Diego Souza (Churín, aos 33’/2ºT)
Técnico: Renato Portaluppi

BAHIA: Douglas; Nino Paraíba, Ernando, Anderson Martins e Matheus Bahia (Zeca, aos 36’/2ºT); Ronaldo, Daniel (Gabriel Novaes, aos 35’/2ºT) e Ramon (Clayson, aos 13’/2ºT); Thiago (Rossi, aos 13’/2ºT), Ramírez e Gilberto
Técnico: Dado Cavalcanti

28ª Rodada – Brasileirão 2020
Data: 6 de janeiro de 2021, quarta-feira, 19h15min
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS)
Árbitro: Ramon Abatti Abel (SC)
Assistentes: Kleber Lucio Gil (FIFA-SC) e Johnny Barros de Oliveira (SC)
VAR: Caio Max Augusto Vieira (RN)
Cartões amarelos: Matheus Henrique e Vanderlei (Grêmio); Thiago Andrade, Ramon, Rossi e Gilberto
Gols: Vanderson, aos 15 minutos do 1ºT, Anderson Martins, com 1 minuto do 2ºT e Diego Souza, aos 8 minutos do 2ºT

Brasileirão 1985 – Grêmio 0x0 Bahia

January 5, 2021

Foto: João Onofrio (Zero Hora)

 

No Brasileirão de 1985, o Grêmio recebeu o Bahia em casa, estava liderando o grupo depois de 7 rodadas, mas não conseguiu sair do 0x0.

A grande atração da noite era Alejandro Sabella, que faria sua primeira apresentação no Olímpico, após estrear com a camisa do Grêmio contra o Cruzeiro no Mineirão.

O público presente foi terceiro maior  do Grêmio naquele Brasileirão, onde a média tricolor foi de 15.195 pagantes por jogo.

Interessante notar nos textos transcritos abaixo as menções as vaias que parte da torcida presente direcionou a Renato.

 

Foto: Gerson Schirmer (Zero Hora)

 

“GRÊMIO DECPECIONA, MAS AINDA É LÍDER
Time de Minelli se complicou muito num jogo onde era o grande Favorito

O consolo dos 20 mil torcedores que assistiram ao empate do Grêmio com o Bahia em O x 0, ontem à noite, no Estádio Olímpico é a liderança que o time ainda mantém (está ao lado do Atlético Mineiro com 11 pontos, mas com uma vitória a menos) no grupo A da Taça de Ouro. Fora disso, não havia mais nenhum motivo para comemorar porque a equipe realizou sua pior apresentação deste ano em Porto Alegre. Houve momentos em que os torcedores vaiaram — a Renato, por exemplo, aos 36 minutos do primeiro tempo — e até pediram a substituição do ponteiro-direito por Tarciso, num pedido que Minelli não tinha condições de atender, pois o jogador não estava no banco de reservas.

Desde o início, no entanto, a torcida demonstrava muita fé na equipe, especialmente no argentino Sabella, que centralizou as jogadas, procurou driblar e conseguiu boas faltas próximas à área. O problema é que o Bahia mostrou um bom esquema tático, que deixava claras as suas intenções — manter o empate a qualquer preço. Beneficiado pela falta de inspiração do adversário, o Bahia mereceu o 0 x 0 do primeiro tempo e voltou para o segundo com a mesma disposição, sem que o Grêmio soubesse como reagir. Minelli tentou uma modificação, tirando Ademir e colocando Osvaldo, expulso dois minutos depois junto com o lateral-esquerdo Miguel. Em tese, esse incidente deveria ajudar o Grêmio: haveria mais espaço no campo para o time que realmente tentava vencer, e Renato estava se livrando de um excelente marcador. Mas nada disso aconteceu e o Bahia até tornou-se mais eficiente nos contra-ataques.

No final, restou mesmo o consolo de que o time ocupa a primeira posição no grupo e uma constatação: é preciso melhorar muito para chegar ao título deste turno.” (Pedro Macedo, Zero Hora, 28 de fevereiro de 1985)

 

“MINELLI PEDE TEMPO PARA ACERTAR TIME
Técnico admite que há problemas de adaptação

O técnico Rubens Minelli considerou o segundo empate consecutivo do Grêmio (e o quinto neste Campeonato Nacional, como um resultado justo: “O Bahia veio a Porto Alegre para tentar o empate e conseguiu”. Depois lembrou que todas os times que participam desta Taça de Ouro são adversários de respeito:

— O nosso consolo é que ainda nos mantivemos na liderança. Mas eu quero dar os parabéns à torcida, que não nos vaiou. Todos precisam entender que o Grêmio ainda está tentando se armar. Há problemas de adaptação que certamente serão resolvidos na seqüência de jogos.

Minelli explicou que a substituição de Osvaldo por Valdo foi para dar mais força ao setor do meio de campo do time. ‘‘O Osvaldo tem faro de gol e é mais ofensivo do que o Valdo. Mas infelizmente esta substituição não deu em nada”, disse ele, lembrando a expulsão do jogador. Em seguida falou do argentino Sabella:

— É um jogador ofensivo e que sempre procura a área adversaria. Ele sabe fazer girar o jogo como poucos Mas o Sabella precisa de um melhor entrosamento com a equipe. Só então é que ganharemos maior qualidade. Ele deve melhorar com a seqüência de jogos” — explicou o técnico Rubens Minelli no vestiário.” (Zero Hora, 28 de fevereiro de 1985)

 

 

“OSVALDO: UMA EXPULÃO INCRÍVEL

A expulsão de Osvaldo no segundo tempo da partida contra o Bahia foi muito prejudicial ao esquema tático de Rubens Minelli. O meia-direita jogou apenas 2 minutos, depois de aquecer durante 12 minutos com o preparador físico Gilberto Tim. E ao deixar o gramado do Olímpico, Osvaldo reclamou da decisão do árbitro. Preferiu culpa-lo pela expulsão:

— É brincadeira. Fui apenas pegar e a Bola e ele (árbitro) me deu o cartão vermelho: É Brincadeira — explicou rapidamente o jogador, ao deixar o gramado, gaguejando muito.

Os outros jogadores, porém, queixaram-se apenas da retranca do Bahia: O argentino Sabella disse que o time baiano jogou os 90 minutos na defesa: “Eles vieram buscar o empate e conseguiram. Ficaram atrás, não nos deram espaço e acabaram anulando nossa força ofensiva”.

O lateral Casemiro explicou que o Grêmio não conseguiu mostrar seu futebol. Disse que o ponto ganho foi importante, mas e lembrou que a partida com o São Paulo, domingo, é decisiva: -“Precisamos faturar estes dois pontos de qualquer maneira“. (Zero Hora, 28 de fevereiro de 1985)

 

 

“Cotação

[…]

SABELLA -Primeiro tempo excelente: driblou, lançou e tabelou. Discreto no segundo. NOTA 6.

RENATO – Conseguiu uma jogada de linha de fundo. Mas irritou a torcida com seu individualismo e foi vaiado no primeiro tempo. NOTA 4.

[…]

OSVALDO – Conhece o árbitro paulista e expôs-se a uma justa expulsão dois minutos depois de entrar. NOTA 0. […] ” (Zero Hora, 28 de fevereiro de 1985)

 

 

 

GRÊMIO NÃO SAI DO EMPATE: OXO

Com uma atuação sofrível e muito pouca inspiração no meio de campo o Grêmio não conseguiu sair do empate em zero ontem a noite, em seu estádio, contra o Bahia. O time criou pouquíssimas situações e esteve confuso a maior parte do tempo. Minelli ainda tentou corrigir no segundo tempo colocando Osvaldo em lugar ao ineficiente Roberto César. Mas não adiantou, pois Osvaldo foi expulso. O 0x0 acabou sendo resultado justo.” (Pioneiro, 28 de fevereiro de 1985)

 

 

MINELLI DEVE MANTER A MESMA EQUIPE DOMINGO

Conhecedor profundo dos mistérios do futebol o treinador Rubens Minelli muitas vezes opta pelo silêncio antes dos jogos e de anunciar o time. Ontem, foi dia de folga geral no Olímpico, e foi no hotel onde se hospeda que comentou as atuações do Grêmio. De tudo que disse, pode-se concluir que a equipe tende a ser a mesma que começou o jogo contra o Bahia.

“O Roberto César não é culpado. O meio-de-campo é que não está chegando perto”, analisou Mas a modificação que poderia fazer para aumentar esta aproximação seria a entrada de Osvaldo, que não poderá jogar domingo, porque foi expulso quarta-feira. “Temos que prestigiar a equipe”, foi outra de suas frases, isto é, apesar do individualismo de Renato e da pouca eficiência objetiva de Ademir, ele ainda vai apostar mais uma vez no time. O coletivo de hoje pode ajudar a sanar as dificuldades.

O paulista Luís Fernando, por exemplo volta a treinar com bola amanhã, e à tarde, conforme for a reação do treino matinal, participa do coletivo Ele era o titular até o Gre-Nal, quando se lesionou e saiu do time para fazer tratamento. E Luís Fernando era o jogador titular no time idealizado por Minelli ainda quando Sabella não tinha condições de jogo, pois faz lançamentos longos e ajuda na marcação. “Dois estilos diferentes”, explica o treinador.

Tarciso também pode ser uma solução testada .No primeiro tempo do jogo contra o Bahia, a torcida gritou o seu nome, irritada com algumas jogadas do titular Renato. .Mas não será no ataque que .Minelli mudará. Tarciso fica como uma boa opção de banco.” (Pioneiro, 1º de março de 1985)

Foto: João Onofrio (Zero Hora)

Grêmio 0x0 Bahia

GRÊMIO: Mazaropi; Ronaldo, Baidek, Luis Eduardo e Casemiro; China, Valdo e Sabella; Renato Portaluppi, Roberto César (Luis Fernando Gaúcho) e Ademir
Técnico: Rubens Minelli

BAHIA: Roberto Bahia; Salvador, Estevam, Celso e Miguel; Sales, Toinzinho e Jorge Leandro; Róbson, Ronaldo Marques e Emo
Técnico: Paulinho de Almeida

Brasileirão 1985 – 1ª Fase – 1º Turno – 8ª Rodada
Data: 27 de fevereiro de 1985, quarta-feira, 21h30min
Público: 20.240 pagantes
Renda: Cr$ 100.401.000,00
Árbitro: Dulcídio Wanderley Boschilia (SP)
Auxiliares: Osvaldo Ramos e Antonio Lopo Carlos
Cartões Amarelos: Renato e Roberto Bahia
Cartões Vermelhos: Osvaldo e Miguel

Brasileirão 2020 – Bahia 0x2 Grêmio

September 14, 2020
Foto: Jhony Pinho (CBF)

Foto: Jhony Pinho (CBF)

 

Vitória merecida do Grêmio, muito embora não seja possível deixar de mencionar que Vanderlei foi um dos destaques da equipe gremista.

Foto: Lucas Uebel (Grêmio.net)

Foto: Lucas Uebel (Grêmio.net)

 

Foto: Lucas Uebel (Grêmio.net)

 

 

BAHIA: Mateus Claus; Nino Paraíba (Jadson, 30’/2ºT), Ernando, Juninho e Matheus Bahia; Edson (Rossi, int.), Gregore, Daniel (Clayson, 20’/2ºT), Rodriguinho (Marco Antônio, 30’/2ºT); Élber e Gilberto (Elton, 37’/2ºT)
Técnico: Cláudio Prates (interino)

GRÊMIO: Vanderlei; Orejuela, Paulo Miranda, David Braz e Cortez; Darlan (Rodrigues, 43’/2ºT), Matheus Henrique; Alisson (Guilherme Azevedo, 43’/2ºT), Isaque (Rildo, 43’/2ºT), Everton (Lucas Silva, 37’/2ºT); Diego Souza (Luiz Fernando, 27’/2ºT)
Técnico: Renato Portaluppi

9ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2020
Data: 10 de setembro de 2020, quinta-feira, 19h15min
Local: Estádio Pituaçu, em Salvador-BA
Árbitro: José Mendonça da Silva Junior (PR)
Assistentes: Ivan Carlos Bohn e Jefferson Cleiton Piva da Silva (PR)
VAR: Irinaldo Jorge dos Santos Silva (BA)
Cartões amarelos: Nino Paraíba (Bahia); Darlan, Matheus Henrique (Grêmio)
Cartões vermelhos: Gregore (Bahia); Matheus Henrique (Grêmio)
Gols: Alisson, aos 23 minutos do primeiro tempo; Darlan, aos 8 minutos do segundo tempo

Brasileirão 1995 – Bahia 1×0 Grêmio

September 9, 2020
Foto: A Tarde

Foto: A Tarde

 

No Brasileirão de 1995, o Grêmio foi derrotado pelo Bahia em Salvador, na primeira rodada do segundo turno da competição.

O interessante é que o gramado da Fonte Nova havia sido usado menos de 24 horas antes, no amisto entre Brasil x Uruguai.

GRÊMIO PERDE DE NOVO E CONTINUA AMEAÇADO

O campeão da Libertadores terminou a partida com nove jogadores e não conseguiu evitar mais uma derrota

O Grêmio começou o segundo turno do Brasileirão com derrota. Descaracterizado, o time gaúcho perdeu por 1 a 0 para o Bahia de Otacílio Gonçalves, em Salvador, e ainda terminou a partida sem Gélson e Arce, expulsos. Jogadores e dirigentes gremistas contestaram muito a arbitragem de Wilson Mendonça, argumentando que o árbitro prejudicou o time. O próximo jogo do Grêmio será domingo, em Porto Alegre, contra o União São João. Com o resultado, o Grêmio continua com 12 pontos, muito próximo da perigosa zona do rebaixamento.

Empolgado com o apoio de mais de 16 mil torcedores, o Bahia entrou em campo com muita disposição. As jogadas rápidas do ponteiro Naldinho perturbaram o setor defensivo gaúcho. No primeiro tempo, o Grêmio só levou perigo ao gol do-Bahia aos 13 minutos, através de um chute violento de Roger, que obrigou o goleiro Jean a tocar a bola para escanteio. Cinco minutos mais tarde, o atacante Cilinho cruzou para a área gremista e encontrou Raudinei livre que, de cabeça, fez 1 a 0. O resultado adverso deixou o time nervoso. Gélson, depois de fazer duas faltas duras, foi expulso.

Inteligente, o técnico do Bahia aproveitou a vantagem numérica e adiantou ainda mais o seu time, que foi para cima do Grêmio no segundo tempo. Com marcadores implacáveis, Otacílio Gonçalves anulou Jardel e Paulo Nunes, as principais armas de ataque de Luiz Felipe.

O lateral-direito Arce também foi expulso e o Grêmio ficou com nove jogadores. Apesar disso, a equipe mostrou garra e passou a pressionar o Bahia. Aos 31 minutos, Paulo Nunes invadiu a área e chutou para a defesa de Jean. A chance mais clara de gol ocorreu aos 46 minutos, quando Jardel chutou uma bola na trave. Em seguida, Jardel foi empurrado na área e o juiz não marcou pênalti, provocando a revolta do time gaúcho.” (Zero Hora, Sexta-feira, 13 de outubro de 1995)

EQUIPE SOFRE MAIS DUAS EXPULSÕES E CRITICA ÁRBITRO

Jogadores, comissão técnica dirigentes do Grêmio reclamaram muito da arbitragem de Wilson Mendonça, que teria apresentado injustamente o cartão vermelho para Gélson e Arce, ontem à tarde, contra o Bahia. As reclamações foram intensas ao final do jogo, quando os atletas gremistas cercaram o juiz. Em 12 jogos pelo Brasileirão, o Grêmio já teve 1 1 jogadores expulsos. Conforme o treinador, a sua equipe tem sido vítima de uma “armação” para prejudicar o time.

“Tu vais apitar em Porto Alegre, vai”, disse Luiz Felipe a Wilson Mendonça depois da partida, irritado com a atuação do árbitro. “Eu não consigo entender essas arbitragens”, lamentou. Segundo Luiz Felipe, o fato de o Grêmio ser apontado como uma equipe violenta tem condicionado as arbitragens. “O Arce fez uma falta normal, não tinha nem cartão amarelo e foi expulso”, queixou-se o treinador Luiz Felipe está preocupado com um possível complô para prejudicar o Grêmio. “Se há algo ensaiado, isso tem de parar.”

Inconformado com o que considera atuações lamentáveis de alguns árbitros neste campeonato brasileiro, Luiz Felipe disse que às vezes chega a desanimar. “Olha, dá vontade de tirar o time de campo e ir embora, mas não podemos fazer isso.”

Quando o jogo com o Bahia terminou, os jogadores cercaram o árbitro para reclamar de um pênalti não assinalado em Jardel, no final da partida. Preocupado com as consequências, Luiz Felipe afastou o atletas, mas fez um alerta: “Qualquer dia pode haver muita confusão em campo por causa de arbitragens como essa.” (Zero Hora, Sexta-feira, 13 de outubro de 1995)

“O JOGO: Apesar de o Grêmio perder dois jogadores, expulsos por violência, o Bahia não soube aproveitar a vantagem. Duas equipes apáticas.” (Placar, Tabelão 1995, nº 9)

GRÊMIO CULPA JUIZ POR NOVA DERROTA

Salvador — O Grêmio iniciou o 2º turno do Campeonato Brasileiro perdendo para o Bahia, ontem à tarde, no Estádio da Fonte Nova, por 1 a 0. Sem cinco titulares, a equipe gaúcha não exibiu a tradicional pegada e capacidade de reação demonstradas na conquista da Libertadores da América. Por outro lado, bateu muito e terminou a partida com dois jogadores expulsos (Gelson e Arce). Aos 25 min, Cilinho conseguiu articular o primeiro ataque do Bahia. Ele invadiu pela esquerda e cruzou para Raudnei marcar 1 a 0, de cabeça. Aos 38min, Gelson foi expulso. O Grêmio voltou melhor no 2° tempo. Paulo Nunes e Jardel, que foram figuram decorativas na etapa inicial, passaram a incomodar a defesa do Bahia. Aos 10 minutos, Jardel perdeu um gol. O Grêmio deu um sufoco nos cinco minutos finais, mas Jardel acertou o travessão aos 45min.” (Pioneiro, Sexta-feira, 13 de outubro de 1995)

 

 

BAHIA: Jean; Odemilson, Ronald, Parreira e Esquerdinha (Gelson 39 do 2ºT); Lima, Bonamigo, Bobo (Celso 39 do 2ºT) e Cilinho; Raudnei e Naldinho

Técnico: Otacílio Gonçalves

 

 

GREMIO: Danrlei: Arce, Vagner Fernandes, Luciano e Roger (Nildo, 45 do 2ºT; Gelson, Carlos Alberto, Arilson (Vagner Mancini 35 do 2ºT) e Emerson; Paulo Nunes e Jardel

Técnico: Luiz Felipe Scolari

 

 

Brasileirão 1995 – Returno – 1ª Rodada

Data: 12 de outubro de 1995, quinta-feira, 17h00min

Local: Estádio Fonte Nova, Salvador-BA

Público: 16.880 pagantes

Renda: RS 145.045,00

Juiz: Wilson de Souza Mendonça (FIFA-PE);

Auxiliares: Rondon Meira e Ivanildo Arouxa Filho

Cartões amarelos: Naldinho, Esquerdinha, Luciano, Arilson, Emerson e Jardel

Cartões Vermelhos: Gelson (39 do 1ºT); Arce (21 do 2ºT)

Gol: Raudinei 25 minutos do 1º tempo

Brasileirão 1971 – Grêmio 0x0 Bahia

October 16, 2019

1971 gremio 0x0 bahia

Foto: Correio do Povo

 

Em 1971, o Grêmio recebeu o Bahia pela 11ª rodada da primeira fase do Brasileirão. Saiu de campo com um 0x0, graças a uma defesa de pênalti do goleiro Jair.

1971 gremio 0x0 bahia guaiba

 

GRÊMIO SE COMPLICA E NÃO VENCE BAHIA
Porto Alegre (Sucursal) — Sem nenhuma habilidade para aproveitar as chances de gol que criou, o Grêmio só não perdeu para o Bahia porque o atacante Dionísio bateu displicentemente um pênalti nas mãos do goleiro Jair, aos 13 minutos do segundo tempo. Os gaúchos dominaram toda a partida, mas perdiam nas conclusões. O esquema do Bahia para conter o time do Grêmio, que ia todo à frente, era deixar Amorim de líbero e contra-atacar sempre através do ponteiro-esquerdo Caldeira. Isso acabou dando bons resultados, tanto assim que o pênalti foi cometido sobre o ex-jogador do Flamengo. O goleiro Renato também ajudou no empate: Além de defender bolas incríveis, fêz cera todas as vezes que ia bater o tiro de meta” (Jornal do Brasil, 14 de setembro de 1971)

 

1971 gremio 0x0 bahia ingressos

 

Grêmio 0x0 Bahia

GRÊMIO: Jair; Cláudio, Ari Ercílio, Chiquinho e Everaldo; Jadir, Gaspar (Volmir) e Torino; Flecha, Scotta (Caio) e Loivo
Técnico: Otto Glória

BAHIA: Renato; Zé Augusto, Zé Otto, Roberto Rebouças e Souza; Amorim, e Elizeu; Paulo César (Carlinhos), Baiaco, Dionísio (Joel)
e Caldeira
Técnico: Jorge Vieira

Data: 12 de setembro de 1971, Domingo, 15h30min
Local: Estádio Olímpico, Porto Alegre – RS
Renda: Cr$ 74.055,00
Juiz: Joaquim Gonçalves da Silva
Auxiliares: Luiz Torres e Jeferson de Freitas

Copa do Brasil 2019 – Bahia 0x1 Grêmio

July 18, 2019

48311050707_fa274791a5_k

Renato demonstração convicção (palavra que poderia facilmente ser substituída por “teimosia” em caso de derrota) e repetiu a escalação do jogo de ida. Mas dessa vez o time teve um desempenho bem superior ao da semana passada. Não foi uma atuação avassaladora, mas sim bastante segura. A equipe controlou a posse de bola (e por consequência o jogo) no primeiro tempo e aproveitou os contra-ataques na etapa final. Em um deles, aos 19 minutos, Alisson recebeu bom passe de Matheus Henrique, passou por dois marcadores e chutou de pé esquerdo para fazer o gol da classificação.

48311050437_21a23bbab6_kGremio x BahiaFotos: Felipe Oliveira (EC Bahia) e Lucas Uebel (Grêmio FBPA)

Bahia 0x1 Grêmio

BAHIA: Douglas Friedrich; Nino Paraíba, Lucas Fonseca, Juninho e Moisés; Elton (Shaylon, 23’/2º), Gregore; Elber (Arthur Caíke, 11/2ºT), Ramires (Fernandão ,36/2ºT) e Artur; Gilberto
Técnico: Roger Machado

GRÊMIO: Paulo Victor; Leonardo Gomes, Geromel, Kannemann e Cortez; Matheus Henrique, Maicon (Rômulo, 34/2ºT); Alisson (Pepê, 36/2ºT), Jean Pyerre (Luan, 17/2ºT) e Everton; André
Técnico: Renato Portaluppi

Copa do Brasil 2019 – Quartas de final – jogo de volta
Data: 17 de julho de 2019, às 19h15min
Local: Arena Fonte Nova, em Salvador – BA
Público: 46.663 (46.341 pagantes)
Renda: R$1.349.590,50
Árbitro: Braulio da Silva Machado (SC)
VAR: Bruno Arleu de Araújo (RJ)
Auxiliares: Kleber Lucio Gil (SC) e Bruno Raphael Pires (GO)
Cartões amarelos: Elton, Gilberto, Fernandão, Gregore ; Kannemann, Maicon, Everton, Matheus Henrique
Cartão vermelho: Moisés (27 do 2ºT)
Gol: Alisson, aos 19 minutos do segundo tempo

Copa do Brasil 2019 – Grêmio 1×1 Bahia

July 11, 2019

48253166022_90948bdf73_o

O Grêmio fez um primeiro tempo razoável, no qual saiu em vantagem depois do pênalti sofrido e convertido por Everton. Mas não mostrou nenhum poder de reação após sofrer o gol de empate no início da etapa final. O time pareceu demasiadamente cansado, quase como estivesse fazendo sua primeira partida na temporada.

bahia cp penaltibahia cp

– Média de público do Grêmio na Arena na atual temporada:
23.583 (21.518 pagantes)

– Média de público do Grêmio como mandante em 2019:
22.543 (20.531 pagantes)

– Média de público do Grêmio na Copa do Brasil 2019:
25.244 (23.117 pagantes)

– Média de público do Grêmio na Copa do Brasil desde 1989
23.325 pagantes

– Média de público do Grêmio na Copa do Brasil na Arena
30.427 (28.128 pagantes)

– Média de público do Grêmio em quartas-de-final de Copa do Brasil desde 1989
29.233 pagantes

– Média de público do Grêmio em quartas-de-final de Copa do Brasil na Arena
33.733 (31.384 pagantes)

– Média de público do Grêmio contra o Bahia na Copa do Brasil:
27.652 pagantes

Gremio x Bahia

Fotos: Correio do Povo, Lucas Uebel (Grêmio.net) e Felipe Oliveira (EC Bahia),

GRÊMIO: Paulo Victor; Leonardo Gomes, Geromel, Kannemann e Cortez; Maicon, Matheus Henrique; Alisson (Pepê, 20/2ºT), Jean Pyerre (Luan, 20/2ºT) e Everton; André (Felipe Vizeu, 33/2ºT)
Técnico: Renato Portaluppi

BAHIA: Douglas Friedrich; Nino Paraíba (Flávio, 22/1ºT), Lucas Fonseca, Juninho e Moisés; Elton, Gregore; Elber, Ramires (Alejandro Guerra, 27/2ºT), Artur; Gilberto (Fernandão, 39/2ºT)
Técnico: Roger Machado

Data: 10/07/2019, quarta-feira, às 19h15min
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre-RS
Público: 28.838 (26.674 pagantes)
Renda: R$ 892.916,00
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)
Auxiliares: Rodrigo Correa (RJ) e Luiz Claudio Regazone (RJ)
VAR: Rodrigo Nunes de Sá (CBF-RJ)
Cartões amarelos: Leonardo (GRE); Moisés, Lucas Fonseca (BAH)
Gols: Everton, (de pênalti) aos 46 minutos do primeiro tempo (GRE); Gilberto, aos 3 minutos do segundo tempo

Brasileirão 2019 – Bahia 1×0 Grêmio

June 4, 2019

47985493107_553b38ba4b_k

O começo de Brasileirão do Grêmio é inegavelmente ruim. O time já poderia/deveria estar rendendo mais, mesmo que se considere todos os desfalques.

Eu sigo achando que lances como esse do Geromel não passíveis de pênalti, mas a maioria dos árbitros tem marcado (até agora quem destoou foi Marcelo de Lima Henrique em Corinthians 0x0 Grêmio)

Não deu pra entender porque Renato não escalou Montoya por dentro, como segundo volante (como ele diz preferir jogar) e Thaciano pelo lado direito (função que ele costuma entrar)

Dizer que esse fardamento branco do Grêmio é sem graça seria um elogio.

De positivo ficou a campanha em conjunto entre Grêmio, Bahia e Observatório da Discriminação Racial no Futebol.

47993936828_375d115d74_k
Fotos: Felipe Oliveira (EC Bahia) e Tiago Caldas (Grêmio.net)

Bahia 1×0 Grêmio

BAHIA: Douglas; Nino Paraíba, Ernando, Lucas Fonseca e Moisés; Gregore, Elton (Flávio, 34/2°T) e Douglas Augusto; Élber (Arthur Caíke, 18/2°T), Artur e Fernandão (Ramires, 26/2°T)
Técnico: Roger Machado

GRÊMIO: Paulo Victor; Léo Gomes, Geromel, Rodriguez e Juninho Capixaba (Patrick, 35/2°T); Michel, Thaciano, Montoya (Diego Tardelli, 19/2°T), Jean Pyerre e Pepê; Felipe Vizeu (André, 19/2°T)
Técnico: Renato Portaluppi

Data: 01/06/2019, sábado, 19h00min
Local: Estádio do Pituaçu, em Salvador  – BA
Público: 27.406 (26.930 pagantes)
Renda: R$ 240.630,00
Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva (FIFA-PA)
Auxiliares: Fabricio Vilarinho da Silva (GO) e Helcio Araujo Neves (PA)
VAR: Caio Max Augusto Vieira (RN), com auxílio de Thiago Duarte Peixoto (SP) e Flavio Gomes Barroca (RN)
Cartões amarelos: Artur; Geromel, Juninho Capixaba
Gol: Fernandão (de pênalti), aos 9 minutos do segundo tempo

Brasileirão 1989 – Bahia 3×2 Grêmio

June 1, 2019

cp

Foto: Correio do Povo

No Brasileirão de 1989, o Grêmio não teve um início muito promissor. Após ser derrotado na estreia pelo Coritiba, o tricolor enfrentaria o Bahia na Fonte Nova pela segunda rodada.

O Grêmio entrou em campo com uma equipe bastante modificada em relação ao time que superou o mesmo Bahia nas quartas de final da Copa do Brasil, pouco mais de um mês antes e acabou sendo derrotado por 3×2.

GRÊMIO PERDE E AGORA É LANTERNA
Com apenas três titulares e errando demais no setor defensivo, o Grêmio não conseguiu resistir ao entusiasmado time do Bahia e acabou perdendo por 3 a 2, num jogo com final emocionante, ontem à tarde, na Fonte Nova. Assim, oito dias após conquistar a Copa Brasil, o Grêmio já foi derrotado duas vezes no campeonato brasileiro e agora ocupa a incômoda posição de lanterna da competição.

O Bahia largou na frente aos 38 minutos. Duda investiu pela esquerda e cruzou para Dico, que concluiu de primeira, sem chances para Gomes. Um pouco antes, Duda, que substitui Zé Carlos no campeão brasileiro, havia acertado um arremate na trave. O Grêmio tentou reagir, mas estava sem opções boas na frente, onde Nando era neutralizado pela zaga baiana. Ao mesmo tempo, o meio-campo parecia perdido, sem a menor criatividade, enquanto a defesa mostrava-se confusa.

No segundo tempo, o jogo cresceu em emoção. Aos 10 minutos, Jandir cobrou falta, chutando forte no meio da barreira e empatando a partida. O Grêmio recuou para o seu campo. O Bahia avançou e aos 22 minutos marcou o segundo gol. Mailson cruzou para Charles, que dominou e concluiu com categoria. Aos 35 minutos, a zaga do Bahia falhou e Cuca se aproveitou para empatar mais uma vez. A torcida baiana se recuperou do susto dois minutos após, com Charles escorando de cabeça para fazer 3 a 2.

Depois do jogo, o treinador Cláudio Duarte tratou de minimizar a importância do segundo resultado negativo em menos de uma semana. Contrariou a observação de que o Grêmio está mal no ataque, argumentando que o time marcou três gols em dois jogos. Paralelamente, deixou claro que está insatisfeito com o rendimento da defesa, embora afirmasse que esse é um assunto que será tratado internamente. No mesmo ritmo, parecendo despreocupado com a derrota, Rafael Bandeira dos Santos considerou normal o resultado, já que o time estava desfalcado de vários titulares.” (Correio do Povo, segunda-feira, 11 de setembro de 1989)

Salvador — Charles voltou a jogar bem, marcando dois gols e saindo de campo como craque da partida, e o Bahia venceu o Grêmio por 3 a 2, ontem, na Fonte Nova, pelo Grupo B do Campeonato Brasileiro, recuperando-se da derrota para o Fluminense, na estréia, por 1 a 0. A torcida, que em nenhum momento deixou de incentivar a equipe, saudou a grande exibição de Charles com muitos aplausos. ” (Jornal dos Sports, segunda-feira, 11 de setembro de 1989)

Bahia 3×2 Grêmio

BAHIA: Ronaldo; Mailson, João Marcelo, Claudir e Paulo Robson; Paulo Rodrigues, Marcelo Jorge e Duda (Ronaldo); Osmar, Charles (Vagner Basílio) e Dico.
Técnico: Evaristo de Macedo

GRÊMIO: Gomes; Jorge Antonio (Almir), Trasante, Vilson e Fábio Lima; Jandir, Lino, Darci e Cuca;  Adilson Heleno e Nando
Técnico: Cláudio Duarte

Data: 10 de setembro de 1989, domingo
Local: Estádio Fonte Nova, em Salvador-BA
Público: 6.902 pagantes
Renda: NCz$ 74.959,00
Árbitro: Jerônimo Alves
Cartões amarelos: Charles, Ronaldo, Jorge Antonio e Trasante
Gols: Dico, aos 38 minutos do primeiro tempo; Jandir aos 10 minutos, Charles aos 22, Cuca aos 35 e Charles aos 35 minutos do segundo tempo

Brasileirão 2018 – Grêmio 2×2 Bahia

October 8, 2018

Gremio x Bahia

Não vai ser todo jogo que o Grêmio vai tomar 2 gols em casa e ainda assim sair com a vitória. Contra o Bahia, no sábado de noite, os visitantes fizeram 1×0 logo no início de jogo e ampliaram aos 20 minutos do segundo tempo (Elber foi o autor dois dois tentos). Mesmo jogando com um a mais desde os 10 minutos do segundo tempo, o Grêmio só conseguiu descontar aos 39 minutos, com Juninho Capixaba, e não conseguiu buscar mais do que o empate (no pênalti sofrido por Marinho e convertido por Jael aos 42 minutos).

Não concordo integralmente com as reclamações do Bahia sobre a arbitragem. O carrinho do zagueiro Jackson se encaixa facilmente no conceito de jogo brusco grave. O pênalti em Marinho eu já acho mais questionável, mas é inegável que o defensor do Bahia colocou a mão no atacante gremista (pelo texto da regra, segurar/empurrar/puxar o adversário é falta, independente da força empregada).

O time vinha rendendo bem com Luan escalado de falso-nove. Diante disso, o regresso de Jael ao time titular me pareceu um pouco precipitado.

Gremio x Bahia

Sigo sem entender por que a Umbro lançou um novo calção preto em setembro, uma vez que o Grêmio vai seguir usando o lançado no início do ano.

Por falar em uniforme, achei bem fraco esse primeiro trabalho da marca própria do Bahia. O nome dos jogadores na costas da camisa, com um fonte branca como borda preta bem fina, ficou praticamente invisível.

– Média de público da Arena na atual temporada:
25.439 (23.321 pagantes)

– Média de público do Grêmio como mandante no Brasileirão 2018:
24.450 (22.467 pagantes)

Gremio x Bahia

2018 gremio 2x2 bahia superior norte jael - Cópia

Fotos: Lucas Uebel (Grêmio.net) e Superior_Norte (Instagram)

Grêmio 2×2 Bahia

GRÊMIO: Marcelo Grohe (Paulo Victor, int); Leonardo Gomes, Geromel, Kannemann e Juninho Capixaba; Maicon (André, 26’/2º) e Cícero; Alisson, Luan e Everton (Marinho, 44’/1º); Jael
Técnico: Renato Portaluppi

BAHIA: Douglas Friedrich; Nino Paraíba, Lucas Fonseca, Jackson e Léo; Gregore e Nilton (Elton, 32’/2º); Ramires (Ignácio, 12’/2º), Elber e Zé Rafael; Gilberto (Edigar Junio, 9’/2º)
Técnico: Enderson Moreira

28ª Rodada – Brasileirão 2018
Data: 06/10/2018, sábado, 21h00min
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre – RS
Público: 31.516 (29.612 pagantes)
Renda: R$ 992.980,00
Árbitro: Rodolpho Toski Marques (PR)
Auxiliares: Bruno Boschilla (PA) Victor Hugo Imazu dos Santos (PR)
Cartões amarelos: Ramires, Nino Paraíba, Jackson, Gilberto, Kannemann e Juninho Capixaba
Cartão Vermelho: Jackson, aos 10/2ºT
Gols: Elber, aos dois minutos do 1º tempo; Elber, aos 21, Juninho Capixaba, aos 39 e Jael (de pênalti), aos 42 minutos do 2º tempo.