Archive for the ‘Brasileirão 1974’ Category

Brasileirão 1974 – Grêmio 2×0 Atlético Paranaense

February 20, 2021

Foto: Correio do Povo

 

É bem curiosa essa escalação do Grêmio contra o Atlético Paranaense no Brasileirão de 1974.  Bolívar (com a camisa 11 na foto acima) atuou como ponta-esquerda, enquanto Everaldo jogou de lateral-direito (posição na qual ele fez sua estreia na Seleção Brasileira, na Copa Rio Branco de 1967)

 

GRÊMIO 2 X 0, AO NATURAL

Com golos de Bolívar e Carlos Alberto, um em cada etapa, e um futebol eficiente no 1.º tempo mas que depois perdeu qualidade, o Grêmio bateu o Atlético do Paraná por 2 x 0, placar que justificou plenamente e até com certa facilidade, já que os paranaenses não tiveram chances ante a tranqüila superioridade do adversário. Com arbitragem de Carlos Costa, renda de Cr$ 74.504 no Olímpico, o Grêmio venceu utilizando Picasso; Everaldo, Ancheta, Beto Fuscão e Tabajara: C. Alberto. H. Ramos e Torino: Carlinhos, Tarciso e Bolívar (Loivo). O Atlético teve Altevir; Cláudio, Almeida, Alfredo e Ladinho: Toquinho, Caio e Sicupira (Taquito), Milton Batata, Liminha (Nilson) e Didi Pedalada.

O JOGO

A equipe gremista iniciou a partida em ritmo forte e eficiente não dando chance alguma para o elenco paranaense, que só foi arrematar contra o reduto defendido por Picasso com 26 minutos de ações (um chute de Caio). Antes disso, mais precisamente até os 30 minutos, quem jogou foi praticamente o Grêmio, que na base de trocas de passes rápidos, envolveu o adversário e passou a procurar a marcação de golos.

Era tão claro o domínio tricolor e a pressão que sofria a defensiva do Atlético, que a inauguração do marcador aos 9 minutos foi acontecimento completamente natural. Tabajara serviu a Tarciso, que penetrou velozmente, houve a tabelada com Bolívar e o chute indefensável do ponteiro-esquerdo, que aparecia com destaque num todo sem pecados, como era o time gremista. Já com apenas 2 min. Bolívar não marcou por centímetros. Explica-se: ele não subiu o suficiente numa cruzada de Carlinhos e perdeu o golo. Mas isso foi apenas um acidente, pois Bolívar depois, marcou em belo estilo e continuou saliente na posição, até que lesionou-se e foi obrigado a sair de campo, entrando Loivo, o titular que ele substituía. Transcorriam 25 minutos de jogo. Ainda com Bolívar em campo. Tarciso acertou o poste de Altevir (12 min) e o próprio Bolívar, quase em seguida, levantou o público com lance sensacional, que merecia outro tento.

Uma pausa na presença ofensiva gremista ocorreu com 15 minutos, quando Sicupira, numa indecisão de Ancheta, chegou a invadir a área com pretensões, mas houve a recuperação do zagueiro e a bola terminou nas mãos de Picasso. Aos 17min, foi a vez de Torino desperdiçar uma boa chance para o arremate fatal e aos 30 o mesmo aconteceu com Loivo, após uma confusão na área paranaense. Humberto Ramos de cabeça, aos 44min, perdeu a última oportunidade de marcar 2×0 no 1.º tempo, o que, certamente, situaria melhor o predomínio gremista.

Mas veio o segundo tempo e logo no minuto inicial o Grêmio fez 2 x 0. Foi uma saída fulminante, que levou Carlinhos a exigir defesa parcial de Altevir, no rebote Tarciso, mesmo caído, carimbou o poste, para finalmente surgir Carlos Alberto e acertar as redes. O mesmo Carlos Alberto, quase em seguida, fez Altevir brilhar.

Entretanto, apesar de tudo — a marcação do 2.º golo no 1.º minuto e o terceiro que pintou nos pés do próprio Carlos Alberto — o Grêmio já não era o mesmo time, caindo muito de ritmo. Só com isso é que o Atlético conseguiu aparecer um pouco mais, sem que isso representasse qualquer predomínio. E aos 20min, Liminha, numa sobra de bola que bateu em Ancheta, teve tudo para marcar e não o fez. O jogo,  o Grêmio perdendo novas mais parelho,  ainda apresentou chances, mesmo caindo de produção, como reconheceu o próprio Sérgio Moacir, no final.” (Correio do Povo, 14 de março de 1974)

 

 

 

 

“GRÊMIO 2×0 ATLÉTICO (PR)

Porto Alegre (Sucursal) O Grêmio repetiu a sua boa atuação da estréia e ganhou facilmente do Atlético Paranaense por 2 a 0, ontem á noite no Estádio Olímpico, numa partida em que teve total domínio, inclusive com duas bolas chutadas por Tarciso na trave. Os gols foram marca- dos por Bolívar, aos nove mimitos do primeiro tempo, e Carlos Alberto, no primeiro minuto do segundo tempo” (Jornal do Brasil, quinta-feira, 14 de março de 1974)

 

Grêmio 2×0 Atlético Paranaense

GRÊMIO: Picasso; Everaldo, Ancheta, Beto Fuscão e Jorge Tabajara: Carlos Alberto, Humberto Ramos e Torino: Carlinhos, Tarciso e Bolívar (Loivo)
Técnico: Sérgio Moacir Torres

ATLÉTICO-PR: Altevir; Cláudio, Almeida, Alfredo e Ladinho: Toquinho, Caio e Sicupira (Taquito), Milton Batata, Liminha (Nilson) e Didi Pedalada
Técnico: Valdemar Carabina

Brasileirão 1974 – 1ª Fase – 2ª Rodada
Data: 13 de março de 1974, quarta-feira, 21h00min
Local: Estádio Olímpico, Porto Alegre, RS
Público: 9.890
Renda: Cr$ 74.724,00
Árbitro: Carlos Costa
Auxiliares: Airton Bernardoni e Carlos Martins
Gol: Bolívar, aos 9 minutos do primeiro tempo e Carlos Alberto, aos 20 segundos do segundo tempo

Brasileirão 1974 – Avaí 0x1 Grêmio

May 1, 2019
1974 avai gremio humberto ramos carlos alberto cp v

Foto: Correio do Povo

O primeiro confronto entre Avaí e Grêmio pelo Campeonato Brasileiro aconteceu em 1974, numa vitória tricolor por 1×0 no Orlando Scarpelli.

É interessante apontar que em 20 de março daquele ano o Grêmio já estava jogando pela 4ª rodada do Brasileirão de 1974, sendo que o Brasileirão de 1973 só encerrou em 20 de fevereiro de 1974 (o último compromisso do Grêmio havia sido em 09 de fevereiro)

avai zh

Foto: Zero Hora

“O GRÊMIO FICOU NO 1X0

FLORIANÓPOLIS — Desta feita, o Grêmio se deu mal com a chuva, pois esteve bem longe da média de suas atuações — especialmente a do Curitiba, onde nem mau tempo foi empecilho para um comportamento elogiável da equipe —, passando enorme trabalho para manter sua invencibilidade e liderança no grupo A, através de um minguado 1×0 sobre o Avaí, marcador estabelecido através de golo contra, em lance infeliz do zagueiro Ari Prudente. Um tento isolado e que disse, na verdade, o labor pouco convincente do elenco tricolor diante do representante catarinense, que jamais chegou a ser envolvido na partida, duelando de igual com o adversário e, inclusive, desfrutando de excelentes oportunidades para fugir da derrota.

O Grêmio teve um início fraco na noite do jogo com chuva no “Orlando Scarpelli”, sua meia cancha mostrava problemas e o Avaí tomou a iniciativa dos ataques. Aos 4 minutos, após jogada do ponteiro João Carlos, Balduíno levou perigo até Picasso. Aos 13, era a, vez de Toninho tumultuar a retaguarda tricolor, depois de Beto Fuscão ser envolvido. O Grêmio só conseguiu atacar com pretensões pela primeira vez aos 15min. Tarciso invadiu, chutou para Rubens defender parcialmente e Loivo desperdiçar o rebote, alvejando por cima. Aos 28 min, uma outra oportunidade ofensiva do Grêmio. Novamente Tarciso infiltrou-se, ficou com apenas o goleiro pela frente mas perdeu a calma e chance, atirando desviado.

O Avaí respondeu dois minutos depois, com bom lance patrocinado por João Carlos, que arrematou nas costas de Ancheta, ficando tudo em escanteio. A resposta tricolor veio com Humberto Ramos, que adiantou demais a bola ao penetrar na área. A última chance gremista ocorreu nos 33 min. E foi a melhor do período inicial, já que Everaldo arrematou certo com Rubens fora da meta, a bola tinha endereço fatal, quando surgiu Souza e salvou, de cabeça, de cima da risca fatal.

Foi logo no reinicio de par- tida que o Grêmio ficou em vantagem no marcador. Carlinhos fugiu pela direita e fez cruzamento. Acossado por Tarciso, Ari Prudente, na tentativa de aliviar, colocou a bola fora do alcance de Rubens. Mesmo com 1×0, o Grêmio não chegou a se encontrar em campo e teve enormes dificuldades para conter ímpeto do Avaí, que passou decisivamente à ofensiva em busca da igualdade no marcador’. E não foram poucos os momentos de aperto que rondaram a defensiva tricolor e o arqueiro Picasso.” (Correio do Povo, quinta-feira, 21 de março de 1974)

Fonte: Acervo Histórico do Grêmio

 

chamada guaiba

Avaí 0x1 Grêmio

AVAÍ: Rubens; Souza, Vilela, Orivaldo e Ari Prudente; Veneza, Zenon e Balduíno; Martoni (Lourival), Toninho e João Carlos
Técnico: Jorge Ferreira

GRÊMIO: Picasso; Everaldo, Ancheta, Beto Fuscão e Jorge Tabajara; Carlos Alberto, Humberto Ramos (Mazinho) e Torino; Carlinhos, Tarciso e Loivo.
Técnico: Sérgio Moacir Torres

Data: 20 de março de 1974, quarta-feira, 21h00min
Local: Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis-SC
Renda: Cr$ 75.624,00
Árbitro: Eraldo Palmerini
Assistentes: José C. Bezerra e Alvir Renzi
Gol: Ari Prudente (contra)